ISSN 2178-2547versão on-line

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Escopo e política

O Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas tem como missão publicar trabalhos originais nas áreas de Antropologia, Arqueologia, Linguística Indígena e em disciplinas correlatas. Aceita colaborações em português, espanhol, inglês e francês.

O Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas possui um Conselho Científico internacional. Os trabalhos submetidos são primeiramente avaliados pelo Editor ou por um dos Editores Associados. O Editor reserva-se o direito de sugerir alterações nos trabalhos recebidos ou devolvê-los, caso não estejam de acordo com os critérios exigidos para publicação. Uma vez aceitos, os artigos seguem para avaliação dos pares (peer-review). Os artigos são analisados por dois especialistas que não integram a Comissão Editorial. Caso haja discordância entre os pareceres, o trabalho é submetido a um terceiro especialista. Caso mudanças ou correções sejam recomendadas, o trabalho é devolvido ao(s) autor(es), que terão um prazo de trinta dias para elaborar nova versão. Artigos não aprovados para publicação são destruídos ou deletados.

A publicação implica cessão integral dos direitos autorais do trabalho ao Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas. A declaração para a cessão de direitos autorais é enviada juntamente com a notificação de aceite do artigo e deve ser devolvida assinada por todos os autores.

Com o objetivo de garantir a originalidade do seu conteúdo, o Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas aplica ferramentas de anti-plágio que estão disponíveis na web.

 

Forma e preparação de manuscritos

  • O Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas possui as seguintes seções:

    Artigos Científicos - textos analíticos originais, resultantes de estudos e pesquisas com contribuição efetiva para o avanço do conhecimento. Até 30 laudas de texto.
    Artigos de Revisão - textos analíticos ou ensaísticos originais, com revisão bibliográfica ou teórica de determinado assunto ou tema. Até 30 laudas de texto.
    Notas de Pesquisa - relato preliminar mais curto que um artigo, sobre observações de campo, dificuldades e progressos de pesquisa em andamento, ou em fase inicial, enfatizando hipóteses, comentando fontes, resultados parciais, métodos e técnicas utilizados. Até 15 laudas de texto.
    Memória - seção que se destina à divulgação de acervos ou seus componentes que tenham relevância para a pesquisa científica; de documentos transcritos parcial ou integralmente, acompanhados de texto introdutório; e de ensaios biográficos, incluindo obituário ou memórias pessoais. Até 15 laudas de texto.
    Resenhas Bibliográficas - texto descritivo e/ou crítico de obras publicadas na forma impressa ou eletrônica. Até cinco laudas de texto.
    Teses e Dissertações - descrição sucinta, sem bibliografia, de dissertações de mestrado, teses de doutorado e livre-docência. Até uma lauda de texto.

    O texto deve ser digitado com fonte Times New Roman, tamanho 12, entrelinha 1,5, em laudas sequencialmente numeradas. Os trabalhos de linguística indígena devem utilizar fonte compatível com o padrão Unicode, como Arial, Calibri, Cambria,  Déjà Vu, (disponível gratuitamente na internet), Tahoma e outras que incluam todos os símbolos fonéticos da IPA. Times New Roman é preferível, mas inclui IPA em Unicode somente a partir das últimas edições de Windows. Nunca deve-se improvisar símbolos do IPA usando letras comuns com tachamento (imitando ɨ, ʉ, etc.).

    Pede-se que o(s) autor(es) destaque(m) termos ou expressões no texto por meio de aspas simples. Citações e epígrafes devem aparecer com aspas duplas. Apenas termos em língua estrangeira e termos científicos latinizados devem constar em itálico.

    Os artigos devem seguir as recomendações da ABNT para uso e apresentação dos elementos bibliográficos: resumos NBR 6028; citações em documentos NBR 10520; referências bibliográficas NBR 6023; apresentação de artigos em publicação científica impressa NBR 6022.

    Citações e referências a autores no decorrer do texto devem subordinar-se à seguinte forma: utilizar o sistema de remissão autor-data no texto (sobrenome do autor, ano, página). Todas as referências citadas ao longo do texto devem estar corretamente descritas e listadas ao final do artigo, em ordem alfabética.

    Quadros e Tabelas devem ser construídos em formato de texto (Word), sequencialmente numerados, com claro enunciado e referências no texto. Ilustrações e Gráficos devem ser apresentados em arquivos separados e numerados, com as respectivas legendas e referências no texto. Imagens devem ter resolução mínima de 300 dpi e tamanho mínimo de 1.500 pixels, no formato JPEG, ou TIFF. Devem ter, no máximo, 16,5 cm de largura e 20 cm de altura (para uso em duas colunas), ou 8 cm de largura e 20 cm de altura (para uso em uma coluna). As informações de texto presentes nas figuras devem estar em fonte Arial com tamanho entre 7 e 10 pts.

    Observar cuidadosamente as regras de nomenclatura científica, assim como abreviaturas e convenções adotadas em disciplinas especializadas.
    Notas de rodapé devem ser utilizadas apenas quando imprescindíveis, nunca bibliográficas, numeradas em algarismos arábicos.

    Os trabalhos, depois de formatados, são encaminhados em PDF para a revisão final dos autores, que devem devolvê-los em dez dias. A revista deve ser informada por escrito sobre possíveis alterações ou sobre a aprovação final de cada trabalho. Nessa etapa, não são aceitas modificações no conteúdo do trabalho ou que impliquem alterações no número de páginas. Caso o autor não responda ao prazo, o trabalho será publicado conforme a última versão autorizada.

  • Estrutura básica dos trabalhos:

    Título - No idioma do texto e em inglês (quando este não for o idioma do texto). Deve ser escrito em caixa baixa, em negrito, centralizado, e deve ser citado da mesma maneira na página de rosto e na página dois.
    Resumo e Abstract - Texto em um único parágrafo, ressaltando os objetivos, o método, os resultados e as conclusões do trabalho, com no mínimo cem palavras e, no máximo, duzentas, no idioma do texto (Resumo) e em inglês (Abstract). A versão para o inglês é de responsabilidade do(s) autor(es).
    Palavras-chave e Keywords - Três a seis palavras que identifiquem os temas do trabalho, para fins de indexação em bases de dados (convém consultar descritores específicos da respectiva área de conhecimento).
    Texto - Sempre que possível, deve ser composto das seguintes partes: introdução; marco teórico; desenvolvimento; conclusão ou considerações finais; e referências bibliográficas. Evitar parágrafos e frases muito longos. Siglas devem primeiro ser desenvolvidas por extenso. Exemplo: Universidade Federal do Pará (UFPA). Citações de até três linhas devem estar dentro do parágrafo e entre aspas duplas ("); citações com mais de três linhas devem ser destacadas do texto, recuadas, em bloco, com fonte menor e sem aspas.
    Agradecimentos - Devem ser sucintos: créditos de financiamento; vinculação do artigo a programas de pós-graduação e/ou a projetos de pesquisa; agradecimentos pessoais e institucionais. Nomes de pessoas e instituições devem ser por extenso, explicando o motivo do agradecimento.
    Referências bibliográficas - Devem ser listadas ao final do trabalho, em ordem alfabética, de acordo com o sobrenome do primeiro autor. No caso de mais de uma referência de um mesmo autor, usar ordem cronológica, do trabalho mais recente ao mais antigo, conforme recomendações da NBR 6023, como nos modelos a seguir:

  • Livro:

    VERÍSSIMO, José. A Educação Nacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1906.

  • Capítulo de livro:

    CUNHA, Manoela Carneiro. Política Indigenista no Século XIX. In: CUNHA, Manuela Carneiro (Org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, Secretaria Municipal de Cultura, FAPESP, 1992. p. 133-154.

  • Artigo de periódico:

    GOELDI, Emílio. O estado atual dos conhecimentos sobre os índios do Brasil, especialmente sobre os índios da foz do Amazonas, no passado e no presente. Boletim do Museu Paraense de Historia Natural e Ethnographia, Belém, v. 2, n. 4, p. 397-417, 1898.

  • Série/Coleção:

    GOELDI, Emílio. Escavações arqueológicas em 1895: executadas pelo Museu Paraense no Litoral da Guiana Brasileira entre Oiapoque e Amazonas. Belém: Museu Paraense de História Natural e Ethnographia, 1900. (Memórias do Museu Goeldi, n. 1).

  • Tese acadêmica:

    MOORE, Denny. Syntax of the language of the Gavião Indians of Rondônia (Brazil). 1984. 200 f. Tese (Doutorado em Antropologia) - University of New York, Nova York, 1984.

  • Documento eletrônico:

    IBGE. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <http//www.ibge.gov.br/home/estatistica/
    indicadores/agropecuaria/lspa/defaut.shtm
    >. Acesso em: 23 jan. 2004.

  •  

    Envio de manuscritos

    Todas as submissões devem ser enviadas por meio da plataforma online ScholarOne (https://mc04.manuscriptcentral.com/bgoeldi-scielo).

    Não há taxas para submissão tão pouco para avaliação de artigos.

     

    [Home] [Sobre a revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


    Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

    MCTI/Museu Paraense Emílio Goeldi
    Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação
    Av. Perimetral, 1901 - Terra Firme
    66077-830 - Belém - PA
    Telefone: (55-91) 3075-6186


    boletim.humanas@museu-goeldi.br