ISSN 0102-7972 versão impressa
ISSN 1678-7153 versão online

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Objetivo e política editorial

São publicados trabalhos originais na área de Processos Psicológicos Básicos, Avaliação Psicológica, Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia da Saúde, nas seguintes categorias: relatos de pesquisa, artigos teóricos ou de revisão sistemática, comunicações breves e resenhas. Os autores, ao encaminharem seus artigos, deverão enviar carta ao editor, justificando sua escolha e destacando as contribuições e a relevância do trabalho para a área pretendida. Além disso, quando pertinente, os autores também deverão incluir uma declaração de que os procedimentos éticos foram seguidos de acordo com a legislação vigente no(s) país(es) em que foi realizada a pesquisa, incluindo cópia de aprovação do Comitê de Ética, quando se tratar de artigo empírico. A nova descrição das áreas, a partir da contribuição dos editores associados em sua reformulação, passa a ser a seguinte:

PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS: Nessa área são incluídos estudos sobre processos como sensação, atenção, percepção, aprendizagem, linguagem, memória, motivação e emoção. Para efeito desta tematização da revista, estudos que investiguem funções cognitivas complexas, como: linguagem, raciocínio, resolução de problemas, tomada de decisão, funções executivas também podem ser incluídos. Geralmente, são aceitos estudos que empregam os métodos experimental e quase experimental, abordando interfaces com as áreas de neurociências, neuropsicologia, neurologia, psicologia cognitiva, psicobiologia, psicofarmacologia, e análise experimental do comportamento. São aceitos estudos com populações clínicas e não clínicas, em contextos experimentais ou naturais, em ambientes formais e não formais, cibernéticos e de realidade virtual.

AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA: Esta seção está focada no avanço da ciência, da prática e da ética da avaliação psicológica nos seus diversos contextos, incluindo trabalhos com temas relacionados à mensuração psicológica e psicometria, adaptação, desenvolvimento, validação ou normatização de instrumentos, uso de instrumentos para fins de avaliação psicológica, psicodiagnóstico, avaliação de intervenções ou de programas e estudos de caso envolvendo o uso de instrumentos. Artigos centrados na avaliação do funcionamento cognitivo e neuropsicológico, personalidade e psicopatologia, bem como avaliação empírica de fenômenos clinicamente relevantes, tais como comportamentos disfuncionais, características e diagnósticos de personalidade, também poderão ser submetidos. Além disso, poderão fazer parte dessa seção trabalhos que envolvam questões éticas ou técnicas envolvendo Avaliação Psicológica.

PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO: Para publicar nessa seção os estudos devem apresentar uma abordagem evolutiva, não sendo suficiente ter sido realizado com crianças, adolescentes, adultos ou idosos para ter potencial para ser publicado nessa área. O estudo do desenvolvimento em psicologia consiste na investigação de mudanças ao longo do tempo no fenômeno de interesse. Uma abordagem evolutiva requer pesquisa no período de tempo durante o qual as mudanças enfocadas ocorrem, sejam em um período relativamente curto de tempo (mudanças microgenéticas) sejam em um período relativamente longo de tempo (mudanças ontogenéticas). Para a compreensão dos processos envolvidos nas mudanças, estudos longitudinais são essenciais; também pesquisas transversais possibilitam mostrar se as diferenças previstas (por exemplo, em sentimentos, valores, cognição ou socialização) são encontradas em amostras que incluem as idades relevantes para o tópico que está sendo estudado; e, ainda, alguns tipos de método retrospectivo também possibilitam acessar mudanças relacionadas com a idade. Mudanças microgenéticas referem-se a mudanças que ocorrem em um período relativamente curto de tempo, por exemplo, da heterorregulação para a autorregulação em tarefas de resolução de problemas por crianças; mudanças durante a aprendizagem de habilidades ou tarefas específicas. Mudanças ontogenéticas geralmente ocorrem durante períodos mais longos de tempo, por exemplo, quando se investiga mudanças na forma de pensamento, relações sociais ou respostas emocionais na passagem dos jovens pela puberdade ou quando atingem o pensamento formal, ou ainda, a transição para a parentalidade, os efeitos da obtenção de um novo emprego, da aposentadoria ou da viuvez na vida de adultos. A origem da mudança pode ser psicobiológica (por exemplo, aumento da mielinização do córtex cerebral; passagem pela puberdade; variação nos níveis de motivação ou persistência, etc.), ambiental (por exemplo, os efeitos do fumo no peso dos bebês ao nascer; a exposição à intoxicação do ar ou da água), social (necessidade de aprender uma nova habilidade em casa, na escola ou no trabalho; mudança de escola; processo de divórcio; saída dos filhos de casa, etc.), cultural (por exemplo, mudança de país; casamento com pessoa de um grupo étnico diferente do seu próprio), ou uma combinação de duas ou mais destas.

PSICOLOGIA DA SAÚDE: Nessa área são incluídos estudos sobre as relações empíricas entre os fatores psicológicos, o comportamento e a saúde. A seção Psicologia da Saúde publica artigos acadêmicos originais que abordem temas como: Fatores contextuais e do comportamento que podem contribuir para o adoecimento ou a prevenção das doenças; avaliação das abordagens em saúde; comportamentos de proteção ou de risco para a saúde; estratégias de promoção e educação para a saúde; psicologia pediátrica; psico-oncologia; envelhecimento saudável; avaliação e divulgação de intervenções em psicologia da saúde baseadas em evidências que têm como alvo tanto o indivíduo, a família, o grupo, ou comunidade; etnia, classe social, gênero e orientação sexual na saúde; disparidades em saúde; aplicações dos resultados de pesquisas para as políticas relacionadas com a saúde; questões profissionais em psicologia da saúde, incluindo a formação e supervisão.

A política editorial da revista Psicologia: Reflexão e Crítica/Psychology consiste na avaliação por pares, seguindo os critérios abaixo descritos.

 

Passos da submissão eletrônica

A partir do dia primeiro de junho de 2012, passou a ser cobrada taxa de publicação de R$350,00 (ver "Taxa de publicação" abaixo)

A submissão eletrônica de artigos segue dois passos: e-mail de encaminhamento e sua apresentação formal, descritos a seguir. Os autores serão comunicados imediatamente sobre o recebimento do manuscrito e poderão acompanhar o processo de editoração eletrônica utilizando seu nome de usuário e senha. Os manuscritos somente iniciarão o processo editorial com o cadastramento de TODOS os autores no sítio da Revista e de seus respectivos emails.
Passo 1: O(a) autor(a) principal envia um e-mail de encaminhamento a editora (prcrev@ufrgs.br), autorizando o início do processo editorial de seu manuscrito. TODOS os autores devem dar ciência à editora de sua concordância com a submissão e com a Taxa de publicação. Os autores, ao encaminharem seus artigos, deverão enviar carta ao editor, justificando sua escolha e destacando as contribuições e a relevância do trabalho para a área pretendida. Além disso, quando pertinente, os autores também deverão incluir uma declaração de que os procedimentos éticos foram seguidos de acordo com a legislação vigente no(s) país(es) em que foi realizada a pesquisa, incluindo cópia de aprovação do Comitê de Ética, quando se tratar de artigo empírico. Não deve ser enviada cópia do manuscrito como anexo do e-mail ao editor. O manuscrito deve ser submetido apenas eletronicamente (conforme Passo 2). Esse e-mail substitui a folha de rosto identificada e deve informar também:

  • título em português e em inglês (máximo de 15 palavras);
  • nome e afiliação institucional (nome da instituição por extenso) de cada um dos autores;
  • nomes dos autores como devem aparecer em citações;
  • endereço de correspondência do(a) autor(a) com o qual a editora poderá se corresponder (recomendamos que sejam utilizados endereços institucionais);
  • agradecimentos e observações.
Passo 2: Apresentação formal do manuscrito. Os textos originais deverão ser submetidos via internet mediante cadastro do(a) autor(a) no sítio da revista na Internet (http://www.seer.ufrgs.br/index.php/PsicReflexaoCritica). Como a revisão dos manuscritos é cega quanto à identidade dos autores, é responsabilidade dos autores verificarem que não haja elementos capazes de identificá-los em qualquer outra parte do artigo, inclusive nas propriedades do arquivo. O e-mail com os dados dos autores, não será encaminhado aos consultores ad hoc.

 

Preparação dos manuscritos

O manuscrito submetido a este periódico não pode ter sido publicado em outro veículo de divulgação (revista, livro, etc.) e não pode ser simultaneamente submetido ou publicado em outro lugar.

Todas as submissões de manuscritos devem seguir as Normas de Publicação da APA: Publication Manual of the American Psychological Association (6ª edição, 2009), no que diz respeito ao estilo de apresentação do manuscrito e aos aspectos éticos inerentes à realização de um trabalho científico. A cópia do parecer do Comitê de Ética em Pesquisa, quando pertinente, deve ser encaminhada na submissão do manuscrito. Sem esta cópia o manuscrito não iniciará o processo editorial. Excetuam-se situações específicas onde há conflito com a necessidade de se assegurar o cumprimento da revisão cega por pares, regras do uso da língua portuguesa, ou procedimentos internos da revista, inclusive características da submissão eletrônica. A omissão de informação no detalhamento que se segue implica que prevalece a orientação da APA. Os manuscritos devem ser redigidos em português, em inglês ou em espanhol.

I. Manuscritos
Os manuscritos para submissão deverão informar na página de rosto a que área de interesse da Revista se enquadram (Processos Psicológicos Básicos, Avaliação Psicológica, Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia da Saúde). Devem estar em formato doc e não exceder o número máximo de páginas (iniciando no Resumo como página 1) indicado para cada tipo de manuscrito (incluindo Resumo, Abstract, Figuras, Tabelas, Anexos e Referências, além do corpo do texto), que seriam:

Artigos(15-25 páginas): relatos de alta qualidade de pesquisas originais, baseadas em investigações sistemáticas e completas. Também serão aceitos, porém em número restrito, artigos teóricos ou de revisão com análise crítica e oportuna de um corpo abrangente de investigação, relativa a assuntos de interesse para o desenvolvimento da Psicologia, preferencialmente numa área de pesquisa para a qual o(a) autor(a) contribui.
Comunicações breves (10-15 páginas): relatos breves de pesquisa ou de experiência profissional com evidências metodologicamente apropriadas; manuscritos que descrevem novos métodos ou técnicas serão também considerados.

Resenhas (3-10 páginas): revisão crítica de obra recém-publicada, orientando o(a) leitor(a) quanto as suas características e usos potenciais. Autores devem consultar a Editora Geral antes de submeter resenhas ao processo editorial.

II. Diretrizes Gerais

A. Papel: Tamanho A4 (21 x 29,7cm). O manuscrito, sendo um artigo, ao todo não deve passar de 25 páginas, desde o Resumo até as Referências, incluindo as Tabelas, Figuras e Anexos.

B. Fonte: Times New Roman, tamanho 12, ao longo de todo o texto, incluindo Referências, Notas de Rodapé, Tabelas, etc.

C. Margens: 2,5 cm em todos os lados (superior, inferior, esquerda e direita).

D. Espaçamento: espaço duplo ao longo de todo o manuscrito, incluindo Folha de Rosto, Resumo, Corpo do Texto, Referências, etc., sem espaçamento especial entre parágrafos.

E. Alinhamento: esquerda

F. Recuo da primeira linha do parágrafo: tab = 1,25cm

G. Numeração das páginas: no canto direito na altura da primeira linha de cada página.

H. Cabeçalho de página: as primeiras duas ou três palavras do título devem aparecer cinco espaços à esquerda do número da página. O cabeçalho é usado para identificar as páginas do manuscrito durante o processo editorial. Usando MS Word, quando o número da página e o cabeçalho são inseridos em uma página, automaticamente aparecem em todas as outras.

I. Endereços da Internet: Todos os endereços "URL" (links para a internet) no texto (ex.: http://pkp.sfu.ca) deverão estar ativos.

J. Ordem dos elementos do manuscrito: Folha de rosto sem identificação, Resumo e Abstract, Corpo do Texto, Referências, Anexos, Notas de Rodapé (devem ser evitadas), Tabelas e Figuras. Inicie cada um deles em uma nova página.

III. Elementos do manuscrito:

A. Folha de rosto sem identificação: título em português (máximo 15 palavras, maiúsculas e minúsculas, centralizado) e o título em inglês compatível com o título em português, indicação da área na qual o manuscrito se enquadra (Processos Psicológicos Básicos, Avaliação Psicológica, Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia da Saúde).

B. Resumos em português e inglês: Parágrafos com no máximo 200 palavras (artigos), ou 150 palavras (comunicações breves), com o título Resumo escrito centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Ao fim do resumo, listar pelo menos três e no máximo cinco palavras-chave em português (em letras minúsculas e separadas por ponto e vírgula), preferencialmente derivadas do Terminologia em Psicologia, da Biblioteca Virtual em Saúde - Psicologia. O resumo em inglês (Abstract), que deve ser fiel ao resumo em português, porém, não uma tradução "literal" do mesmo. Ou seja, a tradução deve preservar o conteúdo do resumo, mas também adaptar-se ao estilo gramatical inglês. Psicologia: Reflexão e Critica/Psychology tem, como procedimento padrão, fazer a revisão final do abstract, reservando-se o direito de corrigi-lo, se necessário. Isto é um item muito importante de seu trabalho, pois em caso de publicação estará disponível em todos os indexadores da revista. O Abstract deve ser seguido das keywords (versão em inglês das palavras-chave). Nos casos de manuscritos em espanhol, deverão ser apresentados resumen e abstract, e quando o manuscrito for redigido em inglês, deverá apresentar o resumo em português e o abstract.

C. Corpo do Texto: Não é necessário colocar título do manuscrito nessa página. As subseções do corpo do texto não começam cada uma em uma nova página e seus títulos devem estar centralizados, e ter a primeira letra de cada palavra em letra maiúscula (por exemplo, Resultados, Método e Discussão, em artigos empíricos). Os subtítulos das subseções devem estar em itálico e ter a primeira letra de cada palavra em letra maiúscula (por exemplo, os subtítulos da subseção Método: Participantes, ou Análise dos Dados), e sempre justificados à esquerda.

As palavras Figura, Tabela, Anexo que aparecerem no texto devem ser escritas com a primeira letra em maiúscula e acompanhadas do número (Figuras e Tabelas) ou letra (Anexos) ao qual se referem. Os locais sugeridos para inserção de figuras e tabelas deverão ser indicados no texto.

Sublinhados, Itálicos e Negritos: Sublinhe palavras ou expressões que devam ser enfatizadas no texto impresso, por exemplo, "estrangeirismos", como self, locus, etc e palavras que deseje grifar. Não utilize itálico (menos onde é requerido pelas normas de publicação), negrito, marcas d'água ou outros recursos que podem tornar o texto visualmente atrativo, pois trazem problemas sérios para editoração.

Dê sempre crédito aos autores e às datas de publicação de todos os estudos referidos. Todos os nomes de autores cujos trabalhos forem citados devem ser seguidos da data de publicação. Todos os estudos citados no texto devem ser listados na seção de Referências.

Exemplos de citações no corpo do manuscrito:

Os exemplos abaixo auxiliam na organização de seu manuscrito, mas certamente não esgotam as possibilidades de citação em seu trabalho. Utilize o Publication Manual of the American Psychological Association (2009, 6ª edição) para verificar as normas para outras referências.

1. Citação de artigo de autoria múltipla:
Artigo com dois autores: cite os dois nomes sempre que o artigo for referido:

Carvalho e Beraldo (2006) fizeram a análise qualitativa...
Esta análise qualitativa (Carvalho & Beraldo, 2006)...
Artigo com três a cinco autores: cite todos os autores só na primeira citação e nas seguintes cite o primeiro autor seguido de et al., data:

A literatura desta área foi revisada por Mansur, Carrthery, Caramelli e Nitrini (2006)...

Isto foi descrito em outro artigo (Mansur et al., 2006).
Artigo com seis ou mais autores: cite no texto apenas o sobrenome do primeiro autor, seguido de "et al." e da data.
Porém, na seção de Referências Bibliográficas todos os nomes dos autores deverão ser relacionados.

2. Citações de obras antigas e reeditadas
De fato, Skinner (1963/1975)
...na explicação do comportamento (Skinner, 1963/1975).
Na seção de referências, citar
Skinner, B. F. (1975). Contingências de reforço. São Paulo: Abril Cultural. (Original published in 1963)
NOTA: Citações com menos de 40 palavras devem ser incorporadas no parágrafo do texto, entre aspas. Citações com mais de 40 palavras devem aparecer sem aspas em um parágrafo no formato de bloco, com cada linha recuada cinco espaços da margem esquerda. Citações com mais de 500 palavras, reprodução de uma ou mais figuras, tabelas ou outras ilustrações devem ter permissão escrita do detentor dos direitos autorais do trabalho original para a reprodução. A permissão deve ser endereçada ao autor do trabalho submetido. Os direitos obtidos secundariamente não serão repassados em nenhuma circunstância. A citação direta deve ser exata, mesmo se houver erros no original. Se isso acontecer e correr o risco de confundir o leitor, acrescente a palavra [sic], sublinhado e entre colchetes, logo após o erro. Omissão de material de uma fonte original deve ser indicada por três pontos (...). A inserção de material, tais como comentários ou observações devem ser feitos entre colchetes. A ênfase numa ou mais palavras deve ser feita com fonte sublinhada, seguida de [grifo nosso].

Atenção: Não use os termos apud, op. cit, id. ibidem, e outros. Eles não fazem parte das normas da APA (2009, 6ª edição).

D. Referências:
Inicie uma nova página para a seção de Referências, com este título centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Apenas as obras consultadas e mencionadas no texto devem aparecer nesta seção. Continue utilizando espaço duplo e não deixe um espaço extra entre as citações. As referências devem ser citadas em ordem alfabética pelo sobrenome dos autores, de acordo com as normas da APA (veja alguns exemplos abaixo). Utilize o Publication Manual of the American Psychological Association (2009, 6ª edição) para verificar as normas não mencionadas aqui. Como fonte complementar aos autores recomenda-se a consulta ao manual online de publicação da APA no seguinte endereço: http://www.apastyle.org/
Em casos de referência a múltiplos estudos do(a) mesmo(a)autor(a), utilize ordem cronológica, ou seja, do estudo mais antigo ao mais recente. Nomes de autores não devem ser substituídos por travessões ou traços.

Exemplos de referências:

1. Artigo de revista científica
Howat-Rodrigues, A. B. C., De Andrade, A. L., &
Tokumaru, R. S. (2012). Construção e validação da
Escala de Imprevisibilidade Familiar na Infância (EIFI).
Psicologia: Reflexão e Crítica, 25(2), 212-222. doi:1.1590/
S0102-79722012000200002

2. Artigo de revista científica paginada por fascículo
Proceder de acordo com o indicado acima, e incluir o número do fascículo entre parênteses, sem sublinhar, após o número do volume.

3. Artigo de revista científica editada apenas em formato eletrônico
Silva, S. C. da (2006, February). Estágios de Núcleo Básico na formação do psicólogo: Experiências de desafios e conquistas. Psicologia para América Latina, 5, Retrieved in May 12, 2006, from http://scielo.bvs-psi.org.br

4. Livros
Koller, S. H. (2004). Ecologia do desenvolvimento humano: Pesquisa e intervenção. São Paulo: Casa do Psicólogo.

5. Capítulo de livro
Dell'Aglio, D. D., & Deretti, L. (2005). Estratégias de coping em situações de violência no desenvolvimento de crianças e adolescentes. In C. S. Hutz (Ed.), Violência e risco na infância e adolescência: pesquisa e intervenção (pp. 147-171). São Paulo: Casa do Psicólogo.

6. Obra antiga e reeditada em data muito posterior
Bronfenbrenner, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas. (Original published in 1979).

7. Autoria institucional
American Psychiatric Association (1988). DSM-III-R, Diagnostic and statistical manual of mental disorder (3a ed. revisada). Washington, DC: Autor.

E. Anexos: Evite. Somente devem ser incluídos se contiverem informações consideradas indispensáveis, como testes não publicados ou descrição de equipamentos ou materiais complexos. Os Anexos devem ser apresentados cada um em uma nova página. Os Anexos devem ser indicados no texto e apresentados no final do manuscrito, identificados pelas letras do alfabeto em maiúsculas (A, B, C, e assim por diante), se forem mais de um.

F. Notas de rodapé: Devem ser evitadas sempre que possível. No entanto, se não houver outra possibilidade, devem ser indicadas por algarismos arábicos no texto e apresentadas após os Anexos. O título (Notas de Rodapé) aparece centralizado na primeira linha abaixo do cabeçalho. Recue a primeira linha de cada nota de rodapé em 1,25cm e numere-as conforme as respectivas indicações no texto.

G. Tabelas: Devem ser elaboradas em Word (.doc) ou Excel. No caso de apresentações gráficas de tabelas, use preferencialmente colunas, evitando outras formas de apresentação como pizza, etc. Nestas apresentações evite usar cores. Cada tabela começa em uma página separada. A palavra Tabela é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo do cabeçalho e seguida do número correspondente à tabela. Dê um espaço duplo e digite o título da tabela à esquerda, em itálico e sem ponto final, sendo a primeira letra de cada palavra em maiúscula. Não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento.

H. Figuras: Devem ser do tipo de arquivo JPG e apresentadas em uma folha em separado. Não devem exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento. A palavra Figura é alinhada à esquerda na primeira linha abaixo da Figura e seguida do número correspondente à figura. Dê um espaço duplo e digite o título da figura à esquerda, sem ponto final, com letras minúsculas.
As palavras Figura, Tabela e Anexo que aparecerem no texto devem, sempre, ser escritas com a primeira letra em maiúscula e devem vir acompanhadas do número (para Figuras e Tabelas) ou letra (para Anexos) respectivo ao qual se referem. A utilização de expressões como "a Tabela acima" ou "a Figura abaixo" não devem ser utilizadas, porque no processo de editoração a localização das mesmas pode ser alterada. As normas da APA (2009, 6ª edição) não incluem a denominação de Quadros ou Gráficos, apenas Tabelas e Figuras.

ATENÇÃO: Todo o processo editorial da PRC/Psychology é feito eletronicamente no sítio http://www.seer.ufrgs.br/index.php/PsicReflexaoCritica. Manuscritos recebidos por correio convencional, fax, e-mail ou qualquer outra forma de envio não serão apreciados pelos editores.

 

Processo de Avaliação pelos Pares

Os manuscritos recebidos eletronicamente em http://www.seer.ufrgs.br/index.php/PsicReflexaoCritica que estiverem de acordo com as normas da revista e que forem considerados como potencialmente publicáveis por PRC/Psychology serão encaminhados pelo editor para Editores Associados ou para avaliadores ad hoc. Os Editores Associados farão o encaminhamento de manuscritos de suas áreas de especialidade a avaliadores ad hoc e Conselheiros.

Os avaliadores poderão recomendar aos editores a aceitação sem modificações, aceitação condicional a modificações, ou a rejeição do manuscrito. A identidade dos avaliadores não será informada aos autores dos manuscritos. Os autores terão acesso às cópias dos pareceres dos avaliadores, que conterão as justificativas para a decisão do avaliador. O texto encaminhado aos avaliadores não terá identificação da autoria.

Versões reformuladas serão apreciadas por Conselheiros Editoriais, que podem solicitar tantas mudanças quantas forem necessárias para a aceitação final do texto. A decisão final sobre a publicação de um manuscrito será sempre do Editor Geral. A identidade dos autores poderá ser informada ao Conselho Editorial.

O Conselho Editorial reserva-se o direito de fazer pequenas modificações no texto dos autores para agilizar seu processo de publicação. Casos específicos serão resolvidos pelo Conselho Editorial.

Os autores poderão acompanhar todas as etapas do processo editorial via internet.

No último número de cada ano da revista serão publicados os nomes dos avaliadores que realizaram a seleção dos artigos daquele ano, sem especificar quais textos foram analisados individualmente.

Antes de enviar os manuscritos para impressão, o Editor enviará uma prova gráfica para a revisão dos autores. Esta revisão deverá ser feita em cinco dias úteis e devolvida à revista. Caso os autores não devolvam indicando correções, o manuscrito será publicado conforme a prova.

Os autores de manuscritos aceitos deverão enviar via correio eletrônico uma carta de concessão de direitos autorais para a revista, assinada por todos.

Os artigos aceitos e editados estarão disponíveis eletronicamente "no prelo", isto é, antes da publicação impressa.

Quando da publicação impressa, o autor principal receberá um exemplar do número em que seu artigo foi impresso. Exemplares extras ou reprints não serão fornecidos, mas autores e coautores podem obter cópias on-line para distribuição no sítio da Psicologia: Reflexão e Crítica/Psychology no SciELO.

 

Política de acesso público

A Psicologia: Reflexão e Crítica/Psychology proporciona acesso público a todo seu conteúdo, seguindo o princípio que tornar gratuito o acesso a pesquisas gera um maior intercâmbio global de conhecimento. Tal acesso está associado a um crescimento da leitura e citação do trabalho de cada autor(a). Para maiores informações sobre esta abordagem, visite Public Knowledge Project, projeto que desenvolveu este sistema para melhorar a qualidade acadêmica e pública da pesquisa, distribuindo o OJS assim como outros softwares de apoio ao sistema de publicação de acesso público a fontes acadêmicas. A revista incentiva aos autores a disponibilizar em seus sítios pessoais e institucionais os pdfs com a versão final de seus artigos, desde que esta seja sem fins comerciais e lucrativos.

 

Taxa de Publicação

A partir de primeiro de junho de 2012, a PRC passou a cobrar uma taxa de publicação a ser paga pelos autores que tiverem seus artigos aprovados. A PRC vem crescendo em qualidade e reconhecimento. Para podermos investir em melhorias e na expansão do periódico, contamos com a nova taxa de publicação, complementando os recursos recebidos de órgãos como o CNPQ e o Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFRGS. Ao iniciar o processo de submissão eletrônica, o autor enviará um e-mail (ver passo 1 das instruções aos autores no sistema SEER) no qual também informar que está ciente do pagamento da taxa.

O valor cobrado para a publicação de artigos originais é de R$350,00 (US$175.00). Quando o manuscrito tiver seu aceite, o autor receberá um aviso a respeito do pagamento. Este deverá ser feito no Banco do Brasil, Agência 3798-2, Conta 300.000-1, código verificador 3699-4. Caso o autor prefira, o pagamento pode ser realizado pelo sistema Paypal (<http://www.scielo.br/revistas/prc/www.paypal.com> www.paypal.com) , tendo como e-mail de destino, <mailto:bandeira@ufrgs.br> bandeira@ufrgs.br. Após efetuar o depósito, o comprovante deverá ser enviado, em até 15 dias, por email (<mailto:prcrev@ufrgs.br> prcrev@ufrgs.br) ou inserido no sistema SEER entre os documentos suplementares (nesse caso, informar a secretaria da realização do pagamento). Em caso de dúvidas, o autor poderá entrar em contato pelo telefone (+55 51 33085691).

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons


Rua Ramiro Barcelos, 2600 Sala de Editoração - Andar térreo.
90035-003 Porto Alegre RS Brasil
Tel.: +55 51 3308-5691
Fax: +55 51 3308-5473


prcrev@ufrgs.br