ISSN 22383875 versão on-line

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Escopo e política

Sociologia & Antropologia busca contribuir para a divulgação, expansão e aprimoramento do conhecimento sociológico e antropológico em seus diversos campos temáticos e perspectivas teóricas, valorizando a troca profícua entre as distintas tradições teóricas que configuram as duas disciplinas. Sociologia & Antropologia almeja, portanto, a colaboração, a um só tempo crítica e compreensiva, entre as perspectivas sociológica e antropológica, favorecendo a comunicação dinâmica e o debate sobre questões teóricas, empíricas, históricas e analíticas cruciais. Reconhecendo a natureza pluriparadigmática do conhecimento social, a Revista valoriza assim as oportunidades de intercâmbio entre pontos de vista convergentes e divergentes nesses diferentes campos do conhecimento. Essa é a proposta expressa pelo símbolo “&”, que, no título da revista Sociologia & Antropologia, interliga as denominações das disciplinas que nos referenciam.

Sociologia & Antropologia aceita os seguintes tipos de contribuiçãos:
1) Artigos inéditos (até 9 mil palavras incluindo referências bibliográficas e notas)
2) Registros de pesquisa (até 4.400 palavras). Esta seção inclui:
a. Apresentação de fontes e documentos de interesse para a história das ciências sociais
b. Notas de pesquisa com fotografias
c. Balanço bibliográfico de temas e questões das ciências sociais
3) Resenhas bibliográficas (até 1.600 palavras).
4) Entrevistas

Manuscritos originais podem ser submetidos em português, espanhol, inglês e francês, porém os textos somente serão publicados em português e em inglês. Se necessário, o autor se responsabilizará pela tradução. Excepcionalmente será concedido auxílio financeiro.

A pertinência para publicação será avaliada, numa primeira etapa, pela Comissão Editorial no que diz respeito à adequação ao perfil e à linha editorial da revista e, se aprovados, numa segunda etapa, por pareceristas ad hoc brasileiros e estrangeiros, sempre doutores, de reconhecida expertise no tema, no que diz respeito ao conteúdo e à qualidade das contribuições.

A revista funciona sob o princípio do duplo anonimato: os artigos serão submetidos a dois pareceristas ad hoc e, em caso de pareceres contraditórios, uma terceira avaliação será requerida. Os artigos serão avaliados de acordo com os critérios de qualidade e rigor dos argumentos, validade dos dados, oportunidade e relevância para sua área de pesquisa, atualidade e adequação das referências.

A editoria demanda de todos os autores e avaliadores que declarem possíveis conflitos de interesse relacionados a manuscritos submetidos a Sociologia & Antropologia. Entende-se conflito de interesse como qualquer interesse comercial, financeiro ou pessoal relacionados a dados ou questões do estudo de um ou mais autores que levem a potenciais conflitos entre as partes envolvidas. Conflitos de interesse podem influenciar os resultados e conclusões de um estudo e do processo de avaliação. A sua existência não impede a submissão de um artigo ou sua publicação na revista, porém, os autores deverão explicar a razão do conflito aos editores, que tomarão uma decisão sobre o encaminhamento do manuscrito.

A revista encaminhará, em prazo estimado de aproximadamente (6) seis meses, uma carta de decisão sobre o artigo recebido, anexando, de acordo com cada caso, os devidos pareceres. Um dos seguintes resultados será informado: (a) aceito sem alterações; (b) aceito mediante pequenas revisões; (c) reformular e reapresentar para nova avaliação; e (d) negado. Ao revisar os manuscritos aceitos para publicação, os autores devem marcar todas as alterações feitas no texto e justificar devidamente quaisquer eventuais exigências ou recomendações de pareceristas não atendidas.

O periódico segue as diretrizes dos Códigos de Ética do Committee on Publication Ethics (COPE) (http://www.publicationethics.org/), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (http://www.cnpq.br/web/guest/diretrizes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (http://www.fapesp.br/boaspraticas/).

 

Forma e preparação de manuscritos

O texto completo não deverá conter os nomes dos autores e deverá incluir notas substantivas (de fim de texto) em algarismos arábicos; referências bibliográficas; título e resumo (entre cem e 150 palavras) acompanhado de cinco palavras-chave, em português e inglês; e, quando for o caso, os créditos das imagens utilizadas. Agradecimentos e notas biográficas dos autores (de até 90 palavras) incluindo formação, instituição, cargo, áreas de interesse e principais publicações deverão ser enviados em arquivo separado.

Desenhos, fotografias, gráficos, mapas, quadros e tabelas devem conter título e fonte, e estar numerados. Além de constarem no corpo do artigo, as imagens deverão ser encaminhadas em arquivo separado do texto, em formato .tiff (de preferência) ou .jpg e em alta resolução (300 dpi), medindo no mínimo 17 cm (3.000 pixels) pelo lado maior. No caso de imagens que exijam autorização para reprodução, a obtenção da mesma caberá ao autor.

Os textos deverão ser escritos em fonte Times New Roman, tamanho 12, recuo padrão de início de parágrafo, alinhamento justificado, espaçamento duplo e em páginas de tamanho A4 (210x297 cm), numa única face.

As notas devem vir ao final do texto, não podendo consistir em simples referências bibliográficas. Estas devem aparecer no corpo do texto com o seguinte formato:

(sobrenome do autor, ano de publicação), conforme o exemplo: (Tilly, 1996)

No caso de citações, quando a transcrição ultrapassar cinco linhas deverá ser centralizada em margens menores do que as do corpo do artigo; quando menor do que cinco linhas, deverá ser feita no próprio corpo do texto entre aspas. Em ambos os casos a referência seguirá o formato:

(sobrenome do autor, ano de publicação: páginas), conforme os exemplos:
(Tilly, 1996: 105)
(Tilly, 1996: 105-106)

As referências bibliográficas em ordem alfabética de sobrenome devem vir após as notas, seguindo o formato que aparece nos seguintes exemplos (os demais elementos complementares são de uso facultativo):

    1. Livro

    Pinto, Luis de Aguiar Costa. (1949). Lutas de famílias no Brasil: introdução ao seu estudo. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

    2. Livro de dois autores

    Cardoso, Fernando Henrique & Ianni, Octávio. (1960). Cor e mobilidade social em Florianópolis: aspectos das relações entre negros e brancos numa comunidade do Brasil meridional. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

    3. Livro de vários autores

    Wagley, Charles et al. (1952). Race and class in rural Brazil. Paris: Unesco.

    4. Capítulo de livro

    Fernandes, Florestan. (2008). Os movimentos sociais no “meio negro”. In: A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Globo, p. 7-134 (vol. 2).

    5. Coletânea Botelho, André & Schwarcz, Lilia Moritz (orgs.). (2009). Um enigma chamado Brasil. São Paulo: Companhia das Letras.

    6. Artigo em coletânea organizada pelo mesmo autor

    Gonçalves, José Reginaldo Santos. (2007). Teorias antropológicas e objetos materiais. In: Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônios. Rio de Janeiro: IPHAN, p. 13-42.

    7. Artigo em coletânea organizada pelo autor em conjunto com outro

    Villas Bôas, Glaucia. (2008). O insolidarismo revisitado em O problema do sindicato único no Brasil. In: Villas Bôas, Glaucia; Pessanha, Elina Gonçalves da Fonte & Morel, Regina Lúcia de Moraes. Evaristo de Moraes Filho, um intelectual humanista. Rio de Janeiro: Topbooks, p. 61-84.

    8. Artigo em coletânea organizada por outro autor Alexander, Jeffrey. (1999). A importância dos clássicos. In: Giddens, Anthony & Jonathan Turner (orgs.). Teoria social hoje. São Paulo: Ed. Unesp, p. 23-89.

    9.  Artigo em Periódico

    Lévi-Strauss, Claude. (1988). Exode sur exode. L’Homme, XXVIII/2–3,p. 13-23.

    10. Tese Acadêmica Veiga Junior, Maurício Hoelz. (2010). Homens livres, mundo privado: violência e pessoalização numa sequência sociológica. Dissertação de Mestrado. PPGSA/Universidade Federal do Rio de Janeiro.

    11. Segunda ocorrência seguida do mesmo autor

    Luhmann, Niklas. (2010). Introdução à teoria dos sistemas. Petrópolis:  Vozes.
    Luhmann, Niklas. (1991). O amor como paixão. Lisboa/Rio de Janeiro: Difel/Bertrand Brasil.

    12. Consultas on-line

    Sallum Jr., Brasílio & Casarões, Guilherme. (2011). O impeachment de Collor: literatura e processo. Disponível em <http://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=1374>. Acesso em 9 jun. 2011.

 

Envio de manuscritos

Sociologia & Antropologia não assume responsabilidade por conceitos emitidos pelos autores, aos quais solicita que declarem responsabilidade pelo conteúdo do manuscrito submetido, bem como que especifiquem, em caso de coautoria, a participação de cada um na sua versão final.

Os trabalhos enviados para publicação devem ser originais e inéditos, não sendo permitida sua apresentação simultânea em outro periódico. O sistema Plagius é utilizado para identificação de plágio.
A revista não cobra taxa de submissão, avaliação e processamento dos artigos e tem acesso aberto, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Possíveis modificações de estrutura ou de conteúdo, por parte da Editoria, serão previamente acordadas com os autores, e não serão admitidas após os trabalhos serem entregues para composição.

Contribuições deverão ser submetidas eletronicamente através do sistema Scholar One acessando o link:
https://mc04.manuscriptcentral.com/sant-scielo  

A revista solicita aos autores que registrem um identificador digital ORCID.
Autores que publicam em Sociologia & Antropologia (1) mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Attribution License que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista; (2) têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista; e (3) têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal e sistemas de auto-arquivo), já que isso pode aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (veja O efeito do acesso aberto em http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html).

Para mais informações, consultar os editores no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia:

Sociologia & Antropologia
Revista do PPGSA
Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia/UFRJ
Largo de São Francisco de Paula, 1, sala 420
20051–070 – Rio de Janeiro – RJ – Brasil
Telefone/Fax +55 (21) 2224–8965 ramal 215
revistappgsa@gmail.com
sociologiaeantropologia.com.br
revistappgsa.ifcs.ufrj.br

 

[Home] [Sobre a revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

Largo do São Francisco de Paula, 1, sala 420
20051-070 Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Tel.: 22248965 ramal 215


revistappgsa@gmail.com