ISSN 1983-2052 versão online

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Escopo

O objetivo de Tropical Plant Pathology, uma publicação internacional bimestral da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, é a publicação de resultados de pesquisa sobre aspectos fundamentais e aplicados de Fitopatologia. Contribuições nas áreas de micologia, bacteriologia, virologia, nematologia, epidemiologia, interação patógeno-hospedeiro, genética de fitopatógenos, fitopatologia molecular, doenças em pós-colheita, doenças abióticas, e sobre outros temas ou estratégias que promovam a proteção de plantas são bem-vindos. Manuscritos relatando testes de produtos sintéticos ou naturais e de resistência a patógenos podem ser aceitos somente se fornecem informações adicionais sobre os modos de ação ou mecanismos de resistência. TPP não publicará manuscritos com base apenas na avaliação de produtos fitossanitários. Levantamentos de doenças ou patógenos e primeiros relatos de doenças de plantas devem ser apresentados como "Short communication" e serão publicados somente se de especial relevância (hospedeiro/cultura de grande importância, relevância para quarentena vegetal). No caso de primeiros relatos para o Brasil, os autores devem seguir as regras oficiais que exigem prévia comunicação da ocorrência às autoridades do Ministério da Agricultura - MAPA, e comprovar tal fato. Novos registros regionais de doenças previamente conhecidas para um país não são geralmente aceitáveis para publicação em TPP, mas casos especiais podem ser consideradas. Os manuscritos devem informar os resultados provenientes de experimentos que foram repetidos no tempo, a fim de garantir a consistência dos resultados, a menos que os resultados da pesquisa não sejam de natureza quantitativa. Isto deve ser particularmente observado para os experimentos de campo.

 

Política editorial

Tropical Plant Pathology é uma publicação oficial da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, mas as contribuições dos membros e não-membros da Sociedade são igualmente bem-vindas. É uma condição fundamental que os manuscritos submetidos não tenham sido e não serão publicados em nenhum outro veículo. Com a aceitação de um manuscrito para publicação, os editores adquirem direitos autorais plenos e exclusivos para todas as línguas e países. Não há nenhum custo por página. Separatas podem ser obtidas gratuitamente em formato PDF na página da TPP no portal SciELO.

Os trabalhos deverão ser escritos em inglês
Os manuscritos serão analisados inicialmente pelos Editores, que verificarão conformidade com o escopo da revista e, então, serão atribuídos a um Editor de Seção. O Editor de Seção irá supervisionar o processo de revisão e será responsável pela decisão final. A aceitação é baseada na qualidade do trabalho, no reconhecimento de uma contribuição significativa para a fitopatologia e na apresentação geral do manuscrito.

 

Submissão de manuscritos

Os manuscritos são submetidos a TPP através do sistema online ScholarOne, gratuitamente (http://mc04.manuscriptcentral.com/tpp-scielo). Antes de submeter um manuscrito, os autores devem ter preparado cuidadosamente os seguintes itens:
a. Uma carta que afirme claramente que (i) todos os autores aprovam a submissão do manuscrito, (ii) os resultados não foram publicados e não estão sob consideração para publicação em outro periódico, (iii) os autores transferem os direitos autorais para a Sociedade Brasileira de Fitopatologia. Um autor para correspondência deve ser claramente indicado, e será responsável por toda a correspondência entre o os Editores e os autores;

b. Um arquivo, incluindo o texo principal, tabelas e legendas de figuras, elaboradas em Word (doc ou docx) ou RTF (rtf).;
c. Arquivos individuais contendo uma figura cada, preparados como arquivos TIFF ou JPEG em alta resolução (mínimo de 300 dpi).

O não cumprimento destas orientações implicará na rejeição imediata do manuscrito. A Comissão Editorial espera que os autores verifiquem a boa qualidade do texto de todas as submissões. Correção de idioma não será realizada pelos Editores ou pelo Editor de Seção, e os trabalhos serão devolvidos aos autores caso o idioma exija correção.

Tipos de trabalhos

1 Artigo completo

Os manuscritos devem ser preparados em espaço duplo, fonte 12 em todo o texto, incluindo as referências, apêndices, tabelas e legendas das figuras. A configuração da página deve ser A4, com margens de 2,5 cm, numeração de página e de linha consecutivas, a partir da página de rosto.

Os seguintes elementos devem começar em uma nova página e ser ordenados conforme listados abaixo:

a) A página de rosto deve conter: um título conciso e informativo; os nomes (primeiro e último nome completo) dos autores; a filiação institucional ou onde a pesquisa foi realizada, incluindo departamento, instituição, CEP, cidade, estado ou província e país (notar que a filiação deve ser aquela onde o autor estava vinculado quando o trabalho foi realizado - no caso de o autor ter se transferido para uma instituição diferente, isso pode ser indicado separadamente como "endereço atual"); filiações diferentes são indicadas com números sobrescritos; o nome do autor para correspondência com endereço de correio electrônico. O autor para correspondência é a pessoa responsável por verificar as provas tipográficas, organizar o pagamento de ilustrações coloridas e outras funções relacionadas com o processamento do manuscrito.

b) O Abstract deve ser em parágrafo único que não exceda 200 palavras, e resume os principais resultados e conclusões do estudo. Ele não deve conter referências.

c) As Key words: até seis palavras-chave devem ser incluídas, e estas devem diferir de palavras mencionadas no título. Devem começar com os nomes científicos dos hospedeiros e patógenos envolvidos no estudo (ou os mais relevantes), em ordem alfabética e ser seguidas por outras palavras-chave, também em ordem alfabética.

d) O texto deve ser o mais sucinto possível e incluir os seguintes elementos:

Introduction: descrição do histórico que levou ao estudo e a hipótese que está sendo testada, caso isso se aplique.

Material and Methods: descrição detalhada dos passos seguidos pelos autores, permitindo ao leitor a repetição o trabalho se disposto a fazê-lo. Evitar, sempre que possível, apenas se referir a uma outra publicação para a descrição completa da metodologia. Métodos estatísticos deve ser explicado no final desta seção.

Results: duplicação de texto e tabelas devem ser evitados. Comentário sobre a significância dos resultados é apropriado, mas uma discussão mais ampla deve ser parte da seção específica.

Discussion: os resultados do estudo devem ser colocados no contexto de dados relevantes previamente publicados. Idéias apresentadas em outras publicações não devem ser incluídas unicamente para aumentar o tamanho do artigo. Alguns manuscritos podem exigir diferentes formatos, a fim de melhor atender ao seu conteúdo. Isso será avaliado caso a caso.

Citações no texto: artigos devem ser citados com os sobrenomes dos autores e a data de publicação; citações com dois autores deve incluir os dois nomes separados por "&"; em citações com três ou mais autores, listar apenas o nome do primeiro autor e utilizar "et al.". Lista de duas ou mais referências na mesma citação em ordem cronológica, separadas por ponto e vírgula. Quando dois ou mais trabalhos em uma citação foram publicados no mesmo ano, liste-os em ordem alfabética pelo sobrenome do primeiro autor. Para dois ou mais trabalhos do mesmo autor em uma citação, liste-os em ordem cronológica, com os anos separados por vírgulas. (Exemplo: Barreto et al., 2006a, 2006b, 2008). Apenas artigos publicados ou no prelo devem ser citados. No caso de "comunicação pessoal" ou "dados não publicados", todos os contribuintes devem ser listados por iniciais e sobrenome (et al. não deve ser usado).

Números: no texto, números abaixo de nove devem ser escritos por extenso, exceto como parte de uma data, uma fração ou decimal, uma porcentagem ou uma unidade de medida. Use algarismos arábicos para números maiores do que nove. Evite iniciar uma frase com um número, mas se isso for absolutamente necessário, escreva o número por extenso. URLs para programas, dados ou outras fontes devem ser listados no texto, ou como uma nota de rodapé. URLs para citações de publicações em revistas eletrônicas devem aparecer na seção Referências.

e) Acknowledegments deve ser um parágrafo único que segue imediatamente a seção Discussão, e inclui referências a concessão de apoio financeiro ou qualquer contribuição técnica ou intelectual.

f) As referências devem ser ordenadas alfabeticamente pelo sobrenome do primeiro autor. Referências com o mesmo primeiro autor devem ser ordenados da seguinte forma: primeiro, como único autor em ordem cronológica, em segundo lugar, com apenas um co-autor em ordem alfabética pelo segundo autor, e terceiro, referências com mais de dois co-autores, em ordem alfabética pelos segundos autores ou subsequente. Títulos de periódicos não devem ser abreviados.

Os autores devem evitar a citação de teses, anais de eventos ou relatórios técnicos, principalmente por razões de acessibilidade. Um máximo de três citações desses tipos serão permitidas.

Apenas artigos publicados ou no prelo devem ser incluídos nesta seção. Manuscritos submetidos para publicação mas ainda não aceitos não podem ser citados. Comunicações pessoais e dados não publicados devem ser citados no texto. "Comunicação pessoal" refere-se a indivíduos que não sejam os autores do manuscrito sendo submetido; "dados não publicados" refere-se a dados obtidos por um ou mais dos autores do manuscrito submetido. Os autores devem apresentar provas adequadas para trabalhos "no prelo" e "comunicações pessoais".

Formato de referências

Artigo em periódico:
Reis RF, Goes A, Timmer LW (2006) Effect of temperature, leaf wetness, and rainfall on the production of Guignardia citricarpa ascospores and on black spot severity on sweet orange. Fitopatologia Brasileira 31:29-34.
Arnold AE, Medjía LC, Kyllo D, Rojas EI, Maynard Z, Robbins N, Herre EA (2003) Fungal endophytes limit pathogen damage in a tropical tree. Proceedings of the National Academy of Sciences, USA 26:15649-15654.

Capítulo de livro:
Campos VP, Villain L (2005) Nematode parasites of coffee and cocoa. In: Luc M, Sikora RA, Bridge J (Eds.) Plant parasitic nematodes in subtropical and tropical agriculture. Wallingford, UK. CAB International. pp. 529-580.

Livro:
Agrios GN (2005) Plant Pathology. 5th Ed. Amsterdam, The Netherlands. Elsevier Academic Press.

Livro editado:
Kimati H, Amorim L, Rezende JAM, Bergamin Filho A, Camargo LEA (Eds.) (2005) Manual de Fitopatologia. Vol. 2. Doenças das Plantas Cultivadas. 4ª. Ed. São Paulo, SP. Ceres.

Documento eletrônico:
CONAB. Cana-de-açúcar, safra 2006 -2007. Available at: www.conab.gov.br/conabweb/download/ /BoletimCana-Novembro2006-07.pdf. Accessed on October 12, 2008.

Dissertação/Tese:
(Os autores devem evitar a citação de teses, anais de eventos ou relatórios técnicos, principalmente por razões de acessibilidade. Um máximo de três citações desses tipos serão permitidas.)

Zerbini FM (1996) Aspects of the epidemiology of lettuce mosaic in the Salinas Valley of California, and the production of LMV-resistant transgenic lettuce plants. PhD Thesis, University of California. Davis, CA, USA.

Anais de eventos:
Igarashi S, Utiamada CM, Igarashi LC, Kazuma AH, Lopes RS (1986) Ocorrência de Pyricularia sp. em trigo no estado do Paraná. In: 14ª Reunião Nacional de Pesquisa de Trigo, Resumos... Londrina, PR. IAPAR. p. 57.

Relatórios técnicos:
Fawcett HS (1911) Scaly bark or nail head rust of citrus. Florida Agriculture Experiment Station Bulletin 106.

g) Tabelas: tabelas devem ser inseridas após a seção Referências. Cada tabela deve começar em uma nova página. Um título conciso deve ser fornecido acima da tabela. As tabelas devem ser numeradas consecutivamente em algarismos arábicos. Cada coluna deve ter um título em letras minúsculas. Notas de rodapé devem ser digitadas diretamente abaixo da tabela, indicadas preferencialmente em números sobrescritos; letras minúsculas podem ser usadas quando os títulos das colunas contêm números.

h) As figuras devem ser numeradas consecutivamente em algarismos arábicos e devem ser dimensionadas de acordo com as colunas da revista. As legendas devem ser inseridas no texto principal, após as tabelas. Insira chaves e barras de escala, quando aplicável, diretamente na figura. Figuras digitalizadas não devem ser submetidas. As imagens devem estar em formato TIFF ou JPEG e ser fornecidas como arquivos separados. Figuras em formato Word não podem ser publicadas. Reprodução de qualidade exigirá tons de cinza e cor em resolução mínima de 300 dpi. Os autores devem apresentar bitmaps em resolução entre 600 e 1200 dpi. Estas resoluções referem-se ao tamanho de saída do arquivo; caso seja previsto que as imagens serão ampliadas ou reduzidas, as resoluções devem ser ajustados em conformidade. Cuidados especiais devem ser tomados com a qualidade das imagens. O procedimento normalmente utilizado para tirar fotos com uma câmara digital colocada acima de um microscópio ocular normalmente produz imagens de baixa qualidade com sombreado periférico, que são inadequadas para publicação. É altamente recomendável indicar detalhes de interesse em imagens com setas acompanhadas de explicações do que foi indicado na legenda.

i) A nomenclatura de nomes científicos deve estar em conformidade com as normas internacionais vigentes para cada classe de organismos. Os nomes científicos devem aparecer na íntegra e seguido pela autoridade na primeira vez em que aparecem no corpo do texto (mas sem autoridade no título, resumo, palavras-chave, tabelas ou legendas), e abreviado e sem autoridades daí em diante. Sempre que um nome científico aparecer no início de um período, deve ser escrito na íntegra.
Plantas: The International Plant Names Index, <http://www.ipni.org/index.html>
Fungos: Index Fungorum, <http://www.speciesfungorum.org/Names/Names.asp>
Bactérias: <http://www.isppweb.org/names_bacterial.asp>
Nematoides: <http://www.iczn.org/iczn/index.jsp>
Vírus: conforme o Código Internacional de Classificação e Nomenclatura, publicado no 9o Relatório do Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus - ICTV (2012).

j) Culturas e outros materiais de referência: fonte e depósito de culturas devem ser indicados. Culturas e amostras-tipo que documentam a investigação, bem como sequências de nucleotídeos, devem ser depositado em bancos de dados certificados ou reconhecidos de instituições internacionais, e os números de adesão e local de depósito indicado no texto ou como uma nota de rodapé na página de rosto.

k) Acesso aos dados: deve ser feita referência à disponibilidade de dados detalhados e materiais utilizados para estudos relacionados.

l) Abreviaturas e unidades: unidades SI devem ser utilizadas, tais como mg, g, m, mm, L, mL, L, h, min, s, mol, kg /ha. Se uma abreviatura diferente do padrão for utilizada, ela deve ser definida na sua totalidade quando citada no texto pela primeira vez.

m) Produtos fitossanitários: somente nomes técnicos ou nomes de princípios ativos devem ser usados. Não é recomendável que os autores mencionem nomes comerciais de produtos ou das empresas que os produzem, de modo a não sugerir a utilização. Fórmulas químicas devem ser escritas em uma linha e seguir nomenclatura padrão.

2 Comunicação

Apresentam observações simples ou resultados que não justifiquem um artigo completo. Comunicações preliminares de trabalhos em andamento não se enquadram nesse formato. Primeiros relatos de doenças de plantas devem ser apresentados como Comunicação. Estes manuscritos devem conter ilustrações do patógeno, indicação de depósito de material de referência de acesso público, incluindo sequências de DNA (quando disponíveis ou em casos em que são indispensáveis), e documentação exigida pela legislação específica, tal como, no caso de registros do Brasil, obedecendo às regras estabelecidas pelo Ministério da Agricultura.

Comunicações devem conter 12 páginas ou menos, digitadas em formato A4, margens de 2,5 cm, em espaço duplo e fonte 12, incluindo referências, mas não tabelas e legendas. Devem incluir um abstract com não mais do que 200 palavras e nenhuma outra subdivisão. Todo o seu conteúdo deve estar em uma única seção (sem legendas como introdução, material e métodos, resultados e discussão). No máximo duas tabelas e duas figuras, ou qualquer combinação dos quatro itens, podem ser apresentados em uma comunicação. A página de rosto e o formato das referências são os mesmos de um artigo completo.

3 Carta ao Editor

Pode estar relacionada ou responder a artigos recentes de interesse para a área de Fitopatologia. Discussões sobre questões políticas, sociais e éticas de interesse para fitopatologistas também são bem-vindas neste formato. A Carta ao Editor não deve ter mais do que duas páginas digitadas em formato A4, margens de 2,5 cm, em espaço duplo e fonte 12, incluindo referências (se aplicável). Não devem incluir abstract ou qualquer subdivisão do texto. Caso seja absolutamente necessário, podem incluir uma figura ou tabela.

4 Artigo de revisão

Artigos de revisão são bem-vindos. Os autores devem contactar o editor antes da apresentação. Revisões são submetidas a revisão por pares da mesma forma que artigos completos. Revisões não devem ultrapassar 40 páginas digitadas em formato A4, margens de 2,5 cm, em espaço duplo e fonte 12, incluindo referências, tabelas e figuras. A página de rosto e o formato das referências são os mesmos de um artigo completo. Devem incluir um resumo com no máximo 200 palavras. O texto pode ser subdividido de acordo com o critério dos autores.

Provas

As provas tipográficas serão enviadas para o autor de correspondência. Notas adicionadas na prova requerem aprovação Editorial. As provas devem ser devolvidas no prazo de 72 horas.

Separatas

Separatas são gratuitas e estarão disponíveis como um arquivo pdf na página da TPP no portal SciELO.

Autoria

Autores que submetem manuscritos para Tropical Plant Pathology devem respeitar o valor da pesquisa de seus pares, não desvalorizando a co-autoria. Cada autor deve ter contribuído substancialmente para o desenho experimental, condução, análise ou interpretação dos resultados. Todos os autores devem aprovar a versão final do artigo a ser publicado, e devem assumir responsabilidade pública pela sua contribuição. O sistema de tramitação on line utilizado pela TPP disponibiliza ferramentas de detecção de plágio aos Editores, Editores de Seção e revisores. Detecção de plágio é motivo para a rejeição imediata de manuscritos.

 

[Home] [Sobre a revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

Sociedade Brasileira de Fitopatologia
SGAS 902 Edifício Athenas - Bl. B, Salas 102/103
Brasília DF, Brasil 70390-020
Tel. +55.61 3225 2421


sbfito@sbfito.com.br