ISSN 0104-8775 versão impressa
ISSN 1982-4343 versão online

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

 

Processo Editorial

Varia Historia publica:

    1) artigos em fluxo contínuo;
    2) artigos em dossiês especiais;
    3) resenhas.

Varia Historia aceita manuscritos em português, inglês, francês e espanhol.

Os Dossiês são organizados pelo Conselho Editorial, e seus responsáveis convidam especialistas reconhecidos no tema proposto. Artigos avulsos podem abordar temáticas diversas, sempre respeitando o escopo da missão de nossa Revista. Resenhas devem privilegiar livros da área de história.

Varia Historia não publica artigos sobre didática em História, nem sobre História da Educação, para os quais há publicações especializadas.

Todos os artigos – tanto os destinados aos dossiês como os de fluxo contínuo – passam pelo mesmo processo editorial. Uma vez submetidos por meio de nosso sistema on-line, são inicialmente avaliados pelo Editor Chefe e pelo Conselho Editorial. São julgados segundo a conformidade com a missão de nossa Revista, a adequação às nossas normas editoriais, o ineditismo e a qualidade geral. Os artigos podem ser recusados nessa primeira etapa do processo editorial.

Caso satisfaçam aos requisitos citados, os artigos seguem para a segunda fase do processo editorial, em sistema double blinded para dois ou mais pareceristas. Estes podem sugerir que o artigo seja aceito ou recusado, ou ainda indicar modificações necessárias. Neste último caso, os autores devem responder a todas as sugestões dos revisores, que poderão realizar nova avaliação do texto. Cabe ao Editor Chefe e ao Conselho Editorial a deliberação final. Como Varia Historianão tem como publicar a grande quantidade de originais que recebe, serão prioritários os textos inéditos que apresentarem maior qualidade analítica e maior refinamento da pesquisa histórica.

As resenhas também devem ser submetidas pelo sistema on-line. Serão avaliadas pelo Editor de Resenhas e pelo Editor Chefe, e serão aprovadas ou recusadas nessa primeira instância, mas podem também receber sugestões de mudanças. Em casos especiais, os editores indicarão um ou dois pareceristas em processo double blinded. A decisão final caberá sempre aos Editores.

Varia Historia exige que os artigos sejam submetidos por autores que tenham, no mínimo, o título de mestre. A Revista não publica textos de discentes do Programa de Pós-graduação em História da UFMG e limita o número de publicações de docentes da casa.

 

Normas para submissão

Artigos

Solicitamos sua máxima atenção para as seguintes instruções:

    1. Varia Historia só publica artigos originais. Nossa expectativa é receber artigos que não tenham semelhança substancial com artigos ou capítulos de livros já publicados pelo autor. É importante, também, que o artigo não seja submetido a nenhum outro processo editorial. Após a publicação em Varia Historia, os textos poderão ser reeditados com nossa autorização, sob a condição de conterem nota com os créditos da publicação original.

    2. Os dossiês contam com autores de excelência e que são referência na área. Mas como os artigos avulsos, cada original submetido será encaminhado a dois pareceristas anônimos, seguindo o padrão dos periódicos internacionais de qualidade.

    3. O Editor Chefe e o Conselho Editorial decidirão sobre a adequação de cada artigo avulso submetido e sobre o início ou não do seu processo editorial. Exige-se o título de mestre para todos os autores que assinam os artigos. Os originais devem ocultar o nome do autor e instituição de origem, e pede-se a exclusão de quaisquer indícios dessas informações, assim como agradecimentos pessoais e autorreferências. Caso o artigo seja aceito, o autor terá oportunidade de incluir essas informações.

    4. Os artigos devem ter, no máximo, 10 mil palavras, incluindo notas, legendas, quadros, tabelas, ilustrações, referências bibliográficas. Utilize um word count incluindo todo o artigo, e considere cada imagem, quadro, tabela ou gráfico como correspondente a 300 palavras.

    5. Cada artigo deve apresentar título, resumo e três palavras-chave, em português e inglês. O resumo deve ter, no máximo, 150 palavras.

    6. Recomenda-se a grafia dos números de um a dez por extenso, assim como das dezenas e centenas redondas (vinte, trezentos), mas algarismos para quaisquer idades (50 anos) e períodos de tempo (3 meses, 7 minutos, 80 anos).

    7. Citações textuais longas (mais de cinco linhas) devem constituir um parágrafo independente, recuado da margem esquerda, com o corpo um ponto menor que o do texto e sem aspas. Citações textuais curtas (até cinco linhas) devem ser inseridas no texto, entre aspas e sem itálico.

    8. Números de páginas devem ser citados por completo: p.455-457 (e não 455-57 ou 455-7).

    9. As referências bibliográficas completas devem ser listadas em ordem alfabética, no final do artigo:

      FREYRE, Gilberto. Ingleses no Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 2000.

    Quando citada, a obra deve ser indicada de maneira simplificada, seja no corpo do artigo (Freyre, 2000, p.183), seja em nota de rodapé:

      25 “Que a eficiência dos métodos de negociar dos primeiros ingleses estabelecidos no Brasil foi apenas relativa, é fato já estabelecido” (FREYRE, 2000, p.183).

    Op. cit., Idem e Ibidem não são utilizados. Longas notas explicativas devem ser evitadas. Sempre que possível, limite uma nota por parágrafo.

    As fontes primárias (correspondências, normas, itens arquivísticos etc.) permanecem em notas, e não precisam ser incluídas na lista final de referências bibliográficas.

    10. Imagens: tabelas, quadros, figuras, ilustrações, gráficos e desenhos devem ser submetidos em arquivos separados do texto. Imagens digitais devem ter alta resolução (não interpoladas), formato JPEG, cor RGB. Tabelas e quadros devem vir em Word, e gráficos e planilhas em Excel, com indicação de títulos e fontes. Não envie imagens em documentos Word, pois a qualidade é insuficiente. Todas as imagens devem ser numeradas e legendadas, com indicação da fonte. O autor deve apresentar permissão para uso de cada uma das imagens (ou indicar se gozam da condição de Domínio Público). As imagens serão publicadas com as cores originais na versão on-line, mas em Preto&Branco na versão impressa. Casos especiais poderão ser considerados pelo Conselho Editorial. Cada imagem corresponde a 300 palavras, na contagem final do artigo (e será considerada como parte do limite de 10 mil palavras). As legendas devem trazer créditos completos.

    11. Agradecimentos e indicação de fontes de financiamento devem vir ao fim do artigo, antes das referências bibliográficas.

Exemplos de referências:

Livros:

MELOSI, Martin. Effluent America: Cities, Industry, Energy and the Environment. Akron: The University of Akron Press, 1996. > Citações no corpo do texto: (Melosi, 1996, p.122-134)

MIATELLO, André Luis Pereira. Santos e pregadores nas cidades medievais italianas: retórica cívica e hagiografia. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. > Citações no corpo do texto: (Miatello, 2013, p.165-167)

DUTRA, Eliana R. de Freitas. Rebeldes literários da República: história e identidade nacional no Almanaque Garnier. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005. (Coleção Humanitas, 123) > Citações no corpo do texto: (Dutra, 2005, p.54)

FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia Neves (Org.) O Brasil Republicano, vol. 1: O tempo da experiência democrática. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. > Citações no corpo do texto: (Ferreira e Delgado, 2003, vol. 1, p.54)

Capítulos de livros:

STARLING, Heloisa Murgel. Uma República ‘pelas tabelas’. In: CAVALCANTE, Berenice; STARLING, Heloisa; EISENBERG, José (Org.) Decantando a República, vol. 2: Retrato em branco e preto da nação brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004. p.105-116. > Citações no corpo do texto: (Starling, 2004, p.110)

MIATELLO, André Luis Pereira. Ars hagiographica em Tomás de Celano e Juliano de Espira: o ornamento da palavra a serviço da memória, da prédica e da política. In: ALMEIDA, Néri de Barros; SILVA, Eliane Moura (Org.) Missão e pregação: a comunicação religiosa entre a história da Igreja e a História das religiões. São Paulo: Fap-Unifesp, 2014. p.107-126. > Citações no corpo do texto: (Miatello, 2014, p.119)

Dissertações e Teses não publicadas:

SALLES, Bruno Tadeu Salles. Constituir a amizade, romper os vínculos, estabelecer o compromisso: a dinâmica dos equilíbrios senhoriais sob a perspectiva das comendadorias templárias de Vaour, Richerenches e Bayle (séc. XII e XIII). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013. > Citações no corpo do texto: (Salles, 2013, p.213)

Revistas acadêmicas:

FURTADO, Junia Ferreira. From Brazil’s Central Highlands to Africa’s Ports: Trans-Atlantic and Continental Trade Connections in Goods and Slaves. Colonial Latin American Review, vol. 21, n.1, p.127-160, 2012. > Citações no corpo do texto: (Furtado, 2012, p.134)

SILVEIRA, Anny Jackeline Torres. Epidemias, estado e sociedade: Minas Gerais na segunda metade do século XIX. Dynamis, vol. 31, n.1, p.41-63, 2011. > Citações no corpo do texto: (Silveira, 2011, p.49)

SANTOS, Vanicleia Silva. Africans, Afro-Brazilians, and Afro-Portuguese in the Iberian Inquisition in the 17th and 18th Centuries. African and Black Diaspora, vol. 5, n.1, p.46-63, 2012. > Citações no corpo do texto: (Santos, 2012, p.50)

Jornais e revistas

SANTOS, Vanicleia Silva. O Ensino de História da África. Boletim Informativo do NEAB UDESC (Florianópolis), n.5, p.4, 30 nov. 2012.

Entrevistas:

ROUSSEFF, Dilma entrevistada por Luís Inácio Lula da Silva, Brasília, 14 jun. 2014.

No caso de entrevista pertencente a um arquivo em particular:

RICAS, Maria Dalce. Entrevista (Ambientalistas mineiros). Belo Horizonte: Programa de História Oral/ Centro de Estudos Mineiros/Universidade Federal de Minas Gerais, 2007.

Fontes de arquivo:

Citações de documentos devem incluir sua identificação completa, nome da coleção, instituição e cidade onde o documento se localiza. Sempre que possível, identifique caixas ou arquivos da coleção por nome ou número.

Citações da internet:

Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=120588&PagFis=677; Acesso em: 14 jun. 2014.

Resenhas

    • As resenhas devem ter entre 800 e 1.000 palavras. Livros nacionais deverão ter sido publicados no mesmo ano ou no ano anterior ao da submissão; livros estrangeiros deverão ter sido publicados nos últimos 3 anos.

    • Solicita-se aos autores que suas resenhas privilegiem as seguintes questões: Quais são os principais argumentos e objetivos do autor? O livro desenvolve bem os argumentos e alcança seus objetivos? Como a obra se posiciona nos debates contemporâneos sobre o tema? O livro é fundamentado em sólido trabalho documental e metodologia pertinente? Qual o significado historiográfico do livro? A escrita é clara e correta? Quais leitores se interessarão pela obra resenhada, entre especialistas, estudantes e o público em geral?

    • Recomenda-se que as resenhas não resumam um a um os capítulos da obra tratada, mas a discutam em seus aspectos gerais. As resenhas não terão título, apenas a indicação bibliográfica completa da obra, incluindo número de páginas.

    • Citações da obra resenhada deverão trazer a indicação da página exata, como neste exemplo: “O Estado Novo levou a sério a existência da luta de classes, assim como as possibilidades reais da classe operária no jogo do poder” (p.22).

    • Resenhas não devem conter notas de rodapé nem bibliografia.

    • Autores de resenhas deverão ser, no mínimo, doutorandos.

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons


Programa de Pós-graduação em História
Universidade Federal de Minas Gerais
Av. Antônio Carlos, 6627
Pampulha, Cidade Universitária
Caixa Postal 253 - CEP 31270-901
Tel./Fax: (55 31) 3409-5045
Belo Horizonte - MG-Brasil


variahis@gmail.com