Scielo RSS <![CDATA[Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0004-273020140006&lang=pt vol. 58 num. 6 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Diagnóstico e tratamento da doença de Paget óssea]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600587&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective: To conduct a literature review on the diagnosis and management of Paget’s disease of bone. Materials and methods: This scientific statement was generated by a request from the Brazilian Medical Association (AMB) to the Brazilian Society of Endocrinology and Metabolism (SBEM) as part of its Clinical Practice Guidelines program. Articles were identified by searching in PubMed and Cochrane databases as well as abstracts presented at the Endocrine Society, Brazilian Society for Endocrinology Annual Meetings and the American Society for Bone and Mineral Research Annual Meeting during the last 5 years. Grading quality of evidence and strength of recommendation were adapted from the first report of the Oxford Centre for Evidence-based Medicine. All grades of recommendation, including “D”, are based on scientific evidence. The differences between A, B, C and D, are due exclusively to the methods employed in generating evidence. Conclusion: We present a scientific statement on Paget’s disease of bone providing the level of evidence and the degree of recommendation regarding causes, clinical presentation as well as surgical and medical treatment. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):587-99 <hr/> Objetivo: Conduzir uma atualização das últimas evidências científicas a respeito da apresentação, diagnóstico e manejo clínico da doença de Paget óssea. Materiais e métodos: Este documento foi concebido pelo Departamento de Metabolismo Ósseo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) a partir daquele oriundo do Programa de Diretrizes da Associação Médica Brasileira (AMB). Realizamos uma revisão dos artigos mais relevantes obtidos nos bancos de dados PubMed e Cochrane, além de abstracts apresentados nos encontros anuais da Endocrine Society, Sociedade Brasileira de Endocrinologia e da American Society for Bone and Mineral Research dos últimos cinco anos e classificamos as evidências em níveis de recomendações de acordo com a força científica por tipo de estudo, adaptando o primeiro relato do “Oxford Centre for Evidence-based Medicine”. Todos os graus de recomendação, incluindo-se o “D”, foram baseados em evidência científica, sendo as diferenças entre o A, B, C e D devidas exclusivamente ao desenho empregado na geração da evidência. Conclusão: Apresentamos uma atualização científica a respeito da doença de Paget óssea, classificando e graduando em níveis de recomendações as principais evidências científicas sobre as suas causas, as variadas formas de apresentação, seu diagnóstico e tratamento. <![CDATA[Obesidade, resistência à insulina e comorbidades ? Mecanismos de associação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600600&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Overall excess of fat, usually defined by the body mass index, is associated with metabolic (e.g. glucose intolerance, type 2 diabetes mellitus (T2DM), dyslipidemia) and non-metabolic disorders (e.g. neoplasias, polycystic ovary syndrome, non-alcoholic fat liver disease, glomerulopathy, bone fragility etc.). However, more than its total amount, the distribution of adipose tissue throughout the body is a better predictor of the risk to the development of those disorders. Fat accumulation in the abdominal area and in non-adipose tissue (ectopic fat), for example, is associated with increased risk to develop metabolic and non-metabolic derangements. On the other hand, observations suggest that individuals who present peripheral adiposity, characterized by large hip and thigh circumferences, have better glucose tolerance, reduced incidence of T2DM and of metabolic syndrome. Insulin resistance (IR) is one of the main culprits in the association between obesity, particularly visceral, and metabolic as well as non-metabolic diseases. In this review we will highlight the current pathophysiological and molecular mechanisms possibly involved in the link between increased VAT, ectopic fat, IR and comorbidities. We will also provide some insights in the identification of these abnormalities. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):600-9<hr/>Excesso de gordura, geralmente definido pelo índice de massa corporal, está associado a distúrbios metabólicos (p. ex., intolerância à glicose, diabetes melito tipo 2 (DM2), dislipidemia) e não metabólicos (p. ex., neoplasias, síndrome dos ovários policísticos, esteatose hepática não alcoólica, glomerulopatia, fragilidade óssea etc.). No entanto, mais do que sua quantidade total, a forma da distribuição corporal de tecido adiposo constitui-se em um melhor indicador de risco para o desenvolvimento de tais doenças. O acúmulo de gordura na região abdominal e em tecido não adiposo (gordura ectópica), por exemplo, está associado ao aumento de risco para distúrbios metabólicos e não metabólicos. Por outro lado, observações sugerem que os indivíduos que apresentam adiposidade periférica, caracterizada por aumento das circunferências dos quadris e da coxas, têm melhor tolerância à glicose, redução das incidências de DM2 e da síndrome metabólica. Uma das alterações subjacentes na relação entre a obesidade, particularmente a visceral, e os distúrbios citados é a resistência à insulina. Nesta revisão, enfatizaremos os mecanismos fisiopatológicos e moleculares possivelmente implicados na ligação entre o aumento das gorduras visceral e ectópica, IR e comorbidades. Também mencionaremos os métodos diagnósticos mais frequentemente usados na identificação dessas anormalidades. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):600-9 <![CDATA[Resistência à insulina e componentes da síndrome metabólica, análise por sexo e por fase da adolescência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600610&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Analisar a influência dos componentes da síndrome metabólica na resistência à insulina, por sexo e fase da adolescência. Sujeitos e métodos: Avaliaram-se dados bioquímicos, clínico, de estilo de vida e composição corporal de 800 adolescentes de 10 a 19 anos, de ambos os sexos, de Viçosa-MG/Brasil, divididos em fases: inicial (10 a 13 anos), intermediária (14 a 16 anos) e final (17 a 19 anos). Resultados: 10,3 e 3,4% apresentavam, respectivamente, resistência à insulina e síndrome metabólica. Na fase inicial, observaram-se maior prevalência de dislipidemia e na intermediária, de hiperuricemia e excesso de gordura corporal. O sexo feminino apresentou maior prevalência de dislipidemia, excesso de gordura corporal e resistência à insulina e o masculino, maior prevalência de HDL baixo, hiperuricemia e pressão arterial alterada. Os da fase inicial apresentaram maiores valores de colesterol total, LDL, HDL, triglicerídeos, glicemia de jejum e relação cintura/quadril, ficaram menos tempo sentados e realizavam maior número de refeições (p &lt; 0,05) em relação às outras fases. O modelo final, ajustado por sexo, foi diferente para cada fase da adolescência. Conclusões: A resistência à insulina está associada à inadequação na composição corporal, nos níveis bioquímicos e no estilo de vida, sendo os fatores associados diferentes em cada fase da adolescência. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):610-8 <hr/> Objective: To analyze the influence of metabolic syndrome components in insulin resistance, by gender and adolescence phase. Subjects and methods: We evaluated biochemical, clinical, lifestyle and body composition data of 800 adolescents from 10 to 19 years old, from both genders, from Viçosa, MG/Brasil, and there was the division by stage: early (10 to 13 years), intermediate (14 to 16 years) and late (17 to 19 years). Results: 10.3 and 3.4% had, respectively, insulin resistance and metabolic syndrome. In the initial phase there was a higher prevalence of dyslipidemia and intermediate hyperuricemia and excess body fat. Females had a higher prevalence of dyslipidemia, excess body fat and insulin resistance and higher male prevalence of low HDL, hyperuricemia and blood pressure changes. Those from the initial phase had higher levels of total cholesterol, LDL, HDL, triglycerides, fasting glucose and waist/hip ratio, stayed less time sitting and had more meals (p &lt; 0.05) in relation to other phases. The final model, adjusted for gender, was different for each phase of adolescence. Conclusions: Insulin resistance is associated with inadequate body composition, in biochemical levels and lifestyle, being the factors associated different in each phase of adolescence. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):610-8 <![CDATA[Avaliação da função paratireoidiana e metabolismo mineral em pacientes psiquiátricos usuários de sais de lítio]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600619&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective: To evaluate parathyroid function and mineral metabolism in psychiatric patients users of lithium salts. Materials and methods: We measured the serum levels of calcium, ionized calcium, inorganic phosphorus, alkaline phosphatase, albumin, parathyroid hormone (PTH), urea, creatinine, 25-hydroxy-vitamin D and lithium of 35 patients diagnosed with bipolar disorder in use of lithium carbonate (LC) for at least one year (Lithium Group – LG) and 35 healthy subjects (Control Group – CG). Results: The LG and CG were matched by sex and age. There was only statistic difference in relation to the levels of PTH and ionized calcium, with p &lt; 0.004 and p &lt; 0.03, respectively. Secondary form of hyperparathyroidism (HPT) was found in eight (22.8%) LG patients and in none of the CG. There was no correlation between lithemia, usage time and dosage of LC. Conclusion: Our data demonstrate that lithium may create an imbalance in the parathyroid axis, characterized by elevated levels of PTH. <hr/> Objetivo: Avaliar a função paratireoidiana e o metabolismo mineral em pacientes psiquiátricos usuários de sais de lítio. Materiais e métodos: Foram avaliados os níveis séricos de cálcio total, cálcio iônico, fósforo inorgânico, fosfatase alcalina, albumina, paratormônio (PTH), ureia, creatinina, 25-hidroxivitamina D e lítio de 35 pacientes diagnosticados com transtorno afetivo bipolar usuários de carbonato de lítio (CL) há pelo menos um ano (Grupo Lítio – GL) e 35 indivíduos saudáveis (Grupo Controle – GC). Resultados: O GL e o GC foram pareados por sexo e idade. Somente se observou diferença estatística em relação aos níveis de PTH e cálcio iônico, com p &lt; 0,004 e p &lt; 0,03, respectivamente. Hiperparatireoidismo secundário foi encontrado em oito (22.8%) pacientes do GL e em nenhum do GC. No GL, não houve correlação entre litemia, tempo de uso e posologia do CL. Conclusão: Nossos dados demonstram que o lítio pode suscitar um desequilíbrio no eixo paratireoideano, caracterizado por níveis elevados de PTH. <![CDATA[Pesquisa de doença celíaca em pacientes com doença autoimune de tireoide do sul do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600625&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective: The objective of this study was to determine the prevalence of celiac disease (CD) in adults with autoimmune thyroid disease (ATD) from the endocrinology outpatient setting in a university hospital in Southern Brazil. Subjects and methods: From the years 2007 to 2011, 254 patients with ATD were enrolled consecutively, Grave’s disease was diagnosed in 143 (56.3%) and Hashimoto’s thyroiditis in 111 (43.7%) of them. All patients answered a questionnaire related to symptoms that could be associated with CD and serum samples to screen for IgA anti-endomysial (EmA-IgA) were collected. EmA-IgA-positive patients were offered upper gastrointestinal endoscopy and biopsy of duodenum. Results: A total of 254 patients were included; 222 (87.4%) female, mean age 45.4 ± 13.43 years (18 to 79 years). EmA-IgA was positive in seven patients (2.7%) and five done endoscopy with biopsy. Of these, three diagnosis of CD was confirmed (1.2%). All the three patients with CD had higher EmA-IgA titration, were female and had Hashimoto’s thyroiditis. Like other patients with ATD, CD patients had nonspecific gastrointestinal symptoms, such as heartburn and gastric distention. In our study, one in each 85 patients confirmed the diagnosis of CD. Conclusion: We found a prevalence of 1.2% (1:85) of confirmed CD among Brazilian patients with ATD. Although some IgA-EmA positive patients had Graves’ disease and one was male, all three patients with confirmed CD were female and had Hashimoto’s thyroiditis. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):625-9 <hr/> Objetivo: O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência de doença celíaca (DC) em adultos com doenças autoimunes de tireoide (DAT) que foram atendidos em um serviço de endocrinologia de um hospital universitário do sul do Brasil. Sujeitos e métodos: Entre os anos de 2007 a 2011, 254 pacientes com DAT foram consecutivamente incluídos, sendo 143 (56,3%) desses diagnosticados com doença de Graves e 111 (43,7%) com doença de Hashimoto. Todos os pacientes responderam a um questionário relatando sintomas que poderiam ser associados com DC, e amostras de soro para a pesquisa de anticorpo antiendomisial (EmA-IgA) foram coletadas. Os pacientes com sorologia positiva foram encaminhados para endoscopia gastrointestinal com biópsia duodenal. Resultados: No total, 254 pacientes foram incluídos, sendo 222 (87,4%) mulheres com média de idade 45,4 ± 13,43 anos (18 a 79 anos). EmA-IgA foi positivo em sete (2,7%) pacientes e cinco fizeram endoscopia com biópsia. Desses, três (1,2%) tiveram o diagnóstico de DC confirmada. Todos os três pacientes com DC apresentaram altos títulos de EmA-IgA, eram mulheres e tinham doença de Hashimoto. Assim como outras pacientes com DAT, os pacientes celíacos tinham sintomas gastrointestinais inespecíficos, como queimação e distensão gástrica. Em nosso estudo, um em cada 85 pacientes com DAT tiveram o diagnóstico de DC confirmado. Conclusão: Em nosso estudo, foi observada prevalência de 1,2% (1:85) de DC confirmada entre os pacientes com DAT, sendo todas mulheres e com doença de Hashimoto. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014;58(6):625-9 <![CDATA[O cloridrato de pioglitazona protege ratos diabéticos contra a injúria aos podócitos por meio da preservação da expressão de podocalixina glomerular]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600630&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective: We sought to test the effect of different dosages of pioglitazone (PIO) on the glomerular expression of podocalyxin and urinary sediment podocalyxin excretion and to explore the potential renoprotective mechanism. Materials and methods: Type 1 diabetes induced with streptozotocin (65 mg/kg) in 36 male Sprague-Dawley rats were randomly allocated to be treated with vehicle or 10, 20, 30 mg/kg/d PIO respectively for 8 weeks. Eight rats were enrolled in the normal control group. Results: At 8th week, rats were sacrificed for the observation of kidney injury through electron microscope. Glomerular podocalyxin production including mRNA and protein were determined by RT-PCR and immunohistochemistry respectively. Levels of urinary albumin excretion and urinary sediment podocalyxin, kidney injury index were all significantly increased, whereas expression of glomerular podocalyxin protein and mRNA were decreased significantly in diabetic rats compared to normal control. Dosages-dependent analysis revealed that protective effect of PIO ameliorated the physiopathological changes and reached a peak at dosage of 20 mg/kg/d. Conclusion: PIO could alleviate diabetic kidney injury in a dose-dependent pattern and the role may be associated with restraining urinary sediment podocalyxin excretion and preserving the glomerular podocalyxin expression. <hr/> Objetivo: Buscamos testar os efeitos de diferentes doses de pioglitazona (PIO) sobre a expressão glomerular de podocalixina e sobre a excreção de podocalixina em células do sedimento urinário, além de explorar o potencial mecanismo de proteção renal. Materiais e métodos: O diabetes tipo 1 foi induzido em 36 ratos Sprague-Dawley machos com estreptozotocina (65 mg/kg). Os animais foram tratados apenas com o veículo, ou com 10, 20, 30 mg/kg/d de PIO por 8 semanas. Oito ratos foram colocados no grupo controle. Resultados: Na oitava semana, os ratos foram sacrificados para se observar a lesão renal em microscopia eletrônica. A produção de podocalixina glomerular, incluindo mRNA e proteína, foi determinada por RT-PCR e imuno-histoquímica, respectivamente. Os níveis urinários de albumina e podocalixina nas células do sedimento urinário e o índice de lesão renal estavam todos significativamente aumentados, enquanto a expressão glomerular da proteína podocalixina e do mRNA estava significativamente diminuída em ratos diabéticos comparados com o controle normal. A análise dos efeitos dose-dependentes revelou que o efeito protetor da PIO melhorou as mudanças fisiopatológicas e atingiu um pico na dose de 20 mg/kg/dia. Conclusão: A PIO pode melhorar a injúria renal de forma dose-dependente e este papel pode estar associado com a prevenção da excreção de podocalixina nas células do sedimento urinário e com a preservação da expressão glomerular de podocalixina. <![CDATA[Falta de associação entre polimorfismos do gene UBASH3A e doença tiroidiana autoimune: estudo caso controle]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600640&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective: The aim of this study was to investigate UBASH3A gene variation association with autoimmune thyroid disease and clinical features in a Chinese Han population. Subjects and methods: A total of 667 AITD patients (417 GD and 250 HT) and 301 healthy controls were genotyped for two single nucleotide polymorphisms (SNPs) rs11203203, rs3788013 of UBASH3A gene, utilizing the Matrix Assisted Laser Desorption Ionization-Time of Flight Mass Spectrometer (MALDI-TOF-MS) Platform. Results: Between the control group and AITD, GD and HT group, no statistically significant difference was observed in the genotypic and allelic frequencies of the two SNPs. There was no significant difference in allelic frequencies of the two SNPs between GD with and without ophthalmopathy. There was no significant difference in haplotype distributions between the control group and AITD, GD or HT group. Conclusion: Rs11203203 and rs3788013 in UBASH3A gene may not be associated with AITD patients in Chinese Han population. <hr/> Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar a variação no gene UBASH3A com a doença tiroidiana autoimune e características clínicas na população chinesa Han. Sujeitos e métodos: Um total de 667 pacientes com DTAI (417 com DG e 250 com TH) e 301 controles saudáveis foi genotipado para dois polimorfismos de nucleotídeo simples (SNPs) rs11203203, rs3788013 do gene UBASH3A, usando-se a plataforma MALDI-TOF-MS (Ionização/Dessorção de Matriz Assistida por Laser – Tempo de Voo/Espectrômetro de Massa). Resultados: Não foram observadas diferenças significativas entre as frequências genotípicas e alélicas dos dois SNPs nos grupos controle e DTAI, DG e TH. Não houve diferenças significativas entre as frequências alélicas dos dois SNPs em pacientes com DG com ou sem olftalmopatia. Não houve diferenças significativas nas distribuições de haplótipos no grupo controle e nos grupos DTAI, DG e TH. Conclusão: Os SNPs rs11203203 e rs3788013 do gene UBASH3A podem não estar associados a pacientes com DTAI na população chinesa Han. <![CDATA[Associação rara entre carcinoma de células escamosas do pênis e secreção de peptídeo relacionado ao paratormônio (PTH-rP)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600646&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt We report on a rare case of an adult with severe hypercalcemia secondary to the ectopic secretion of parathyroid-related peptide (PTH-rP) from a penile squamous cell cancer (PC). A patient of 47 years old was admitted with warty lesions and areas of ulceration covered by purulent material in a large area of the groin, scrotum and penis. Laboratory tests revealed severe hypercalcemia and elevation of PTH-rP; the biopsy reported PC. Hypercalcemia was successfully treated with zoledronic acid, however, the tumor displayed aggressive behavior, which resulted in a poor prognosis for the patient.<hr/>Relatamos um caso raro em um adulto com hipercalcemia grave secundária à secreção ectópica de peptídeo relacionado ao paratormônio (PTH-rP) de um carcinoma de células escamosas do pênis (CP). Um paciente de 47 anos foi admitido com lesões verrucosas e áreas de ulceração cobertas por material purulento em uma grande área da virilha, escroto e pênis. Os testes laboratoriais revelaram hipercalcemia grave e elevação do PTH-rP; a biópsia mostrou um CP. A hipercalcemia foi tratada de forma bem-sucedida com ácido zoledrônico. Entretanto, o tumor apresentava um comportamento agressivo, resultando em um prognóstico ruim para o paciente. <![CDATA[Deficiência de 3?-hidroxiesteroide desidrogenase tipo 2 em teste de triagem neonatal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600650&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt 3b-hydroxysteroid dehydrogenase II (3β-HSD) deficiency represents a rare CAH variant. Newborns affected with its classic form have salt wasting in early infancy and genital ambiguity in both sexes. High levels of 17-hydroxypregnenolone (Δ517OHP) are characteristic, but extra-adrenal conversion to 17-hydroxyprogesterone (17OHP) may lead to positive results on newborn screening tests. Filter paper 17OHP on newborn screening test was performed by immunofluorometric assay, and serum determinations of 17OHP and Δ517OHP, by radioimmunoassay. A 46,XY infant with genital ambiguity and adrenal crisis at three months of age presented a positive result on newborn screening for CAH. Serum determinations of 17OHP and Δ517OHP were elevated, and a high Δ517OHP/cortisol relation was compatible with the diagnosis of 3β-HSD deficiency. Molecular analysis of the HSD3B2 gene from the affected case revealed the presence of the homozygous p.P222Q mutation, whereas his parents were heterozygous for it. We present the first report of 3β-HSD type II deficiency genotype-proven detected at the Newborn Screening Program in Brazil. The case described herein corroborates the strong genotype-phenotype correlation associated with the HSD3B2 p.P222Q mutation, which leads to a classic salt-wasting 3β-HSD deficiency. Further evaluation of 17OHP assays used in newborn screening tests would aid in determining their reproducibility, as well as the potential significance of moderately elevated 17OHP levels as an early indicator to the diagnosis of other forms of classic CAH, beyond 21-hydroxylase deficiency.<hr/>A deficiência da enzima 3β-hidroxiesteroide desidrogenase tipo 2 (3β-HSD) representa variante rara de hiperplasia adrenal congenital (HAC). Recém-nascidos afetados com a forma clássica apresentam perda de sal nas primeiras semanas de vida e ambiguidade genital em ambos os sexos. Concentrações elevadas de 17-hidroxipregnenolona (Δ517OHP) são características, porém sua conversão extra-adrenal a 17-hidroxiprogesterona (17OHP) pode resultar em resultados positivos no teste de triagem neonatal. A determinação da concentração de 17OHP obtida em amostra de sangue colhida em papel-filtro para triagem neonatal foi realizada por ensaio imunofluorimétrico, e as concentrações séricas de 17OHP and Δ517OHP, por radioimunoensaio. Um menino, 46,XY, com ambiguidade genital e crise adrenal aos 3 meses de vida, apresentou teste positivo na triagem neonatal para HAC. As concentrações séricas de 17OHP e Δ517OHP estavam aumentadas, bem como a relação Δ517OHP/cortisol, o que foi compatível com o diagnóstico de deficiência de 3β-HSD. A análise molecular do gene HSD3B2 revelou a mutação p.P222Q em homozigose na criança afetada e em heterozigose em seus pais, o que confirmou a deficiência de 3β-HSD com resultado moderadamente elevado na dosagem de 17OHP no “Teste do Pezinho” (Programa de Triagem Neonatal do Distrito Federal, Brasil). Esse caso corrobora a forte correlação genótipo-fenótipo associada à mutação p.P222Q no gene HSD3B2. Estudos futuros para avaliação dos ensaios utilizados na triagem neonatal para determinação de 17OHP poderão auxiliar na determinação do significado potencial de concentrações moderadamente elevadas de 17OHP como um indicador precoce para o diagnóstico de outras formas de HAC clássicas, além da deficiência de 21-hidroxilase. <![CDATA[Lesão pituitária agressiva com Ki-67 notavelmente elevado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600656&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The uncommon aggressive pituitary tumors are named carcinomas when metastases are detected, either in the central nervous system and/or systemically. Some cases are associated with hormonal overproduction, but most are diagnosed because of local symptoms. These neoplasias are generally refractory to current treatments. A 51 year-old woman presented sudden onset of headache, left arm paresis and left facial hypoesthesia. Computed tomography scan and magnetic resonance imaging revealed a pituitary tumor invading the left sphenoidal and cavernous sinuses. Laboratory data excluded hormonal hypersecretion. The patient underwent transsphenoidal surgery and histological findings showed a neoplasia with Ki-67 estimated at 75%. Medical imaging excluded both a primary occult tumor and central nervous system or systemic dissemination. Three weeks postoperatively, neurological condition worsened, with new onset of ataxia, bilateral ptosis, ophthalmoplegia and an increase in the size of the lesion, leading to surgical intervention by craniotomy, followed by only a few sessions of radiotherapy, because of severe disease progression. Patient died nearly 2 months after the initial manifestations. This case illustrates the aggressiveness of some pituitary lesions, the limited efficacy of current treatment modalities such as surgery or radiotherapy and the pitfalls of the current pituitary tumors classification. To our knowledge, this case corresponds to one of the most aggressive pituitary neoplasms reported so far, with a very high Ki-67 index (75%) and short survival (2 months). Ki-67 index could be of prognostic value in pituitary tumors. Pituitary tumors World Health Organization (WHO) classification could be revisited.<hr/>Os raros tumores pituitários agressivos são chamados carcinomas quando são detectadas metástases, sejam sistêmicas e/ou em sistema nervoso central. Alguns casos estão associados com superprodução de hormônio, mas a maioria é diagnosticada em função dos sintomas locais. Essas neoplasias são geralmente refratárias aos tratamentos atuais. Uma mulher com 51 anos de idade apresentou dor de cabeça de início súbito, paralisia de braço esquerdo e hipoestesia facial esquerda. A tomografia e a ressonância magnética revelaram um tumor pituitário invadindo os seios esfenoidal e cavernoso esquerdos. Os dados laboratoriais excluíram hipersecreção hormonal. A paciente foi submetida à cirurgia transesfenoidal, e os achados histológicos mostraram uma neoplasia com Ki-67 estimado em 75%. As imagens excluíram tanto um tumor oculto primário quanto disseminação sistêmica ou do sistema nervoso central. Três semanas após a cirurgia, a condição neurológica apresentou piora com início de ataxia, ptose bilateral, oftalmoplegia e aumento do tamanho da lesão, levando à intervenção cirúrgica por craniotomia, seguida por apenas algumas sessões de radioterapia devido à progressão grave da doença. A paciente veio a óbito depois de quase dois meses das manifestações iniciais. O caso ilustra a agressividade de algumas lesões pituitárias, a eficácia limitada das modalidades atuais de tratamento, como a cirurgia ou a radioterapia, e as limitações da classificação atual de tumores pituitários. Até onde sabemos, esse caso corresponde a uma das neoplasias pituitárias mais agressivas descritas até hoje, com um nível muito alto de Ki-67 (75%) e sobrevida curta (2 meses). O nível de Ki-67 pode ser de valor prognóstico em tumores pituitários. A classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para tumores pituitários deveria ser revisitada. <![CDATA[Persistência da artéria trigeminal intrasselar e simultâneo adenoma de hipófise: descrição de dois casos e importância para o diagnóstico diferencial das lesões selares]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302014000600661&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Persistent trigeminal artery (PTA) is the most frequent embryonic communication between the carotid and vertebrobasilar systems. However, hormonal changes or the association of PTA with other sellar lesions, such as pituitary adenomas, are extremely rare. The aim of the present study was to report two patients with intrasellar PTA and simultaneous pituitary adenoma in order to emphasize the importance of differential diagnoses for sellar lesions. Case 1. A female patient, 41 years old, was admitted with a history of chronic headache (&gt; 20 years). Pituitary magnetic resonance imaging (MRI) showed a rounded lesion in the left portion of the pituitary gland suggestive of adenoma (most likely clinically non-functioning adenoma). In addition to this lesion, the MRI demonstrated ecstasy of the right internal carotid artery and imaging suggestive of an intrasellar artery that was subsequently confirmed by an angio-MRI of the cerebral vessels as PTA. Case 2. A female patient, 42 years old, was admitted with a history of amenorrhea and galactorrhea in 1994. Laboratorial investigation revealed hyperprolactinemia. Pituitary MRI showed a small hyposignal area in the anterior portion of pituitary gland suggestive of a microadenoma initiated by a dopaminergic agonist. Upon follow-up, aside from the first lesion, the MRI showed a well delineated rounded lesion inside the pituitary gland, similar to a vessel. Angio-MRI confirmed a left primitive PTA. Failure to recognize these anomalous vessels within the sella might lead to serious complications during transsphenoidal surgery. Therefore, although their occurrence is uncommon, a working knowledge of vascular lesions in the sella turcica or pituitary gland is important for the differential diagnosis of pituitary lesions, especially pituitary adenomas.<hr/>Persistência da artéria trigeminal (PAT) é a comunicação embrionária mais frequente entre os sistemas carotídeo e vertebrobasilar. No entanto, alterações hormonais ou associação de PAT com outras lesões selares, como adenomas hipofisários, são extremamente raros. O objetivo do presente estudo foi relatar dois pacientes com PAT intrasselar e concomitante adenoma hipofisário e enfatizar a importância para o diagnóstico diferencial de lesões selares. Caso 1. Paciente do sexo feminino, 41 anos, admitida com história de cefaleia crônica (&gt; 20 anos). Ressonância magnética (RM) de hipófise mostrou imagem arredondada na porção esquerda da glândula sugestiva de adenoma (provavelmente adenoma clinicamente não funcionante). Adicionalmente, a RM demonstrou ectasia da artéria carótida interna direita e imagem sugestiva de artéria intrasselar, posteriormente confirmada por angio-RM dos vasos cerebrais como PAT. Caso 2. Paciente do sexo feminino, 42 anos, admitida com história de amenorreia e galactorreia em 1994. A investigação laboratorial revelou hiperprolactinemia. RM de hipófise mostrou pequena área de hipossinal na porção anterior da glândula sugestiva de microadenoma, sendo iniciado agonista dopaminérgico. Na evolução, além da primeira lesão, a RM mostrou uma imagem arredondada bem delimitada dentro da glândula pituitária semelhante a vaso sanguíneo. Angio-RM confirmou PAT primitiva esquerda. A falta de reconhecimento de tais vasos anômalos dentro da sela túrcica pode levar a sérias complicações durante a cirurgia transesfenoidal. Portanto, apesar de sua ocorrência não ser comum, o conhecimento de lesões vasculares dentro da sela túrcica ou glândula hipofisária é importante para o diagnóstico diferencial de lesões da hipófise, especialmente com adenomas hipofisários.