Scielo RSS <![CDATA[Arquivos Brasileiros de Oftalmologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0004-274920180003&lang=pt vol. 81 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A Tecnologia, o ensino e o futuro da oftalmologia e do oftalmologista]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Efeitos do propranolol oral para de hemangioma circunscrito de coroide]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300171&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: We aimed to evaluate the effects of oral propranolol for circumscribed choroidal hemangioma. Methods: In this prospective, longitudinal interventional study, we administered oral propranolol at a dosage of 1.5 mg/kg/day to five patients with circumscribed choroidal hemangioma. We then evaluated visual acuity, binocular indirect ophthalmoscopy, optical coherence tomography, optical coherence tomography angiography, fluorescein and indocyanine green angiography, and ocular ultrasonography at regular intervals and compared changes from the baseline assessments. Results: No clinical or diagnostic changes were observed in the sizes of the circumscribed choroidal hemangiomas during treatment. Complications due to the hemangioma were reduced in the first four months of treatment, followed by maintenance, before worsening in the subsequent three months. Conclusions: The study showed that oral propranolol at a dose of 1.5 mg/kg/day did not offer effective monotherapy in the treatment of circumscribed choroidal hemangioma.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar o efeito do propranolol oral para hemangioma circunscrito da coroide. Métodos: O estudo é do tipo prospectivo, quantitativo e descritivo. Propranolol oral na dose de 1.5 mg/kg/dia foi administrada em cinco pacientes com hemangioma circunscrito da coroide. Todos os pacientes foram avaliados com acuidade visual, oftalmoscopia binocular indireta, tomografia de coerência óptica, angiografia com tomografia de coerência óptica, angiografia com fluoresceína e indocianina verde e ultrassonografia ocular. Resultados: Nenhuma mudança clínica ou no tamanho do hemangioma circunscrito da coroide foi vista através de métodos diagnósticos em qualquer momento do tratamento. Uma atenuação das complicações foi observada nos primeiros quatro meses de tratamento, com manutenção da condição e piora nos meses seguintes. Conclusão: O estudo mostrou que o propranolol oral na dose de 1.5 mg/kg/dia não se mostrou efetivo como monoterapia no tratamento do hemangioma circunscrito da coroide. <![CDATA[Resultados a longo prazo com o implante da ceratoprótese de Boston tipo 1 em queimaduras oculares]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300177&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the long-term outcomes of Boston type I keratoprosthesis (B-Kpro) in the management of patients with ocular burn injuries. Methods: This prospective study included all patients with ocular burns who underwent B-Kpro implantation at a tertiary eye care center between February 2008 and November 2015. Twelve patients (12 eyes) were enrolled. The procedures performed for managing ocular injury were identified, and information on ocular history, surgical procedures performed, and postoperative outcomes was collected. The main outcome measures were visual acuity, prosthesis retention, postoperative complications, and required surgical procedures. Results: Twelve eyes from 12 patients met the inclusion criteria for B-Kpro implantation, including nine eyes with alkali burns and three eyes with thermal burns. A total of 13 B-Kpro devices were implanted in the 12 eyes. The mean follow-up period was 60.8 months (range, 13-91 months). Preoperative best-corrected visual acuity ranged from counting fingers to light perception. Postoperative best-corrected visual acuity was better than 20/200 in 83.3%, 66.6%, and 57.1% of patients at 12, 48, and 60 months, respectively. The initial keratoprosthesis was retained in 10 (83.3%) eyes and was successfully replaced in one eye. The major cause of worsening of initial visual acuity was advanced glaucoma (four of 12 eyes). Conclusion: The anatomical and functional results support the use of B-Kpro for managing bilateral limbal stem cell deficiency secondary to ocular burns. However, glaucoma should be carefully evaluated, as it is a continuous threat that may result in irreversible visual loss in this population.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar os resultados em longo prazo do implante da ceratoprótese de Boston tipo 1 (B-Kpro) no tratamento de pacientes vítima de queimadura ocular. Métodos: Trata-se de um estudo prospectivo envolvendo todos os casos de implante de B-Kpro 1 para queimadura ocular em um centro de oftalmologia terciário durante o período de fevereiro/2008 e novembro/2015. Doze pacientes (doze olhos) foram incluídos no estudo. Os procedimentos realizados para o manejo da queimadura ocular foram identificados, e os dados foram coletados com relação à história oftalmológica do paciente, procedimentos cirúrgicos realizados, e resultados pós-operatórios. Os principais parâmetros avaliados foram acuidade visual, retenção da prótese, complicações pós-ope ratórias e intervenções cirúrgicas necessárias. Resultados: Doze pacientes preencheram os critérios de inclusão para implante da B-Kpro, incluindo 09 olhos vítimas de queimadura por álcali e 03 olhos pós queimadura térmica. Um total de 13 B-Kpro tipo 1 foram implantadas em 12 olhos de 12 pacientes. O tempo de seguimento médio foi de 60,8 meses (variando, 13-91 meses). Melhor acuidade visual corrigida pré-operatória variou de conta dedos à percepção luminosa. Melhor acuidade visual corrigida pós-operatória foi melhor que 20/200 em 83,3%, 66,6% e 57,1% dos pacientes em 12 meses, 48 meses e 60 meses, respectivamente. A ceratoprótese inicialmente implantada permaneceu retida em 10 (83,3%) dos olhos e foi re-implantada com sucesso em um olho. A principal causa de piora da acuidade visual inicialmente atingida foi glaucoma avançado (4 de 12 olhos). Conclusão: Os resultados anatômicos e funcionais reportados neste estudo dão suporte ao uso da B-Kpro para o tratamento da deficiência límbica bilateral secundária a queimadura ocular. Glaucoma é o principal fator limitante e pode causar perda visual irreversível nesses pacientes. <![CDATA[Ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet em olhos pseudofácicos multifocais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300183&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: This report describes the use of Descemet membrane endothelial keratoplasty for the management of endothelial decompensation after multifocal intraocular lens implantation. Methods: In this retrospective study, we reviewed and assessed the surgical outcomes of 9 patients (9 eyes) who underwent Descemet membrane endothelial keratoplasty after multifocal intraocular lens implantation. Results: Corneal edema occurred due to Fuchs endothelial corneal dystrophy (n=3), pseudophakic bullous keratopathy (n=3), Descemet’s membrane detachment (n=2), and toxic anterior segment syndrome (n=1). The Descemet membrane endothelial keratoplasty surgeries were uneventful in all eyes, but rebubbling procedures were necessary in 2 eyes. One month after the surgery, all the corneas were clear. After 6 months, excluding 1 eye with amblyopia, the mean distance corrected visual acuity was 0.10 logMAR, with all eyes achieving 0.18 logMAR or better. Conclusions: This is the first report of Descemet membrane endothelial keratoplasty after multifocal intraocular lens implantation, and it suggests that good results can be achieved without multifocal intraocular lens exchange.<hr/>RESUMO Objetivo: Descrever o uso da ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet para manejar descompensação endotelial após implante de lente intraocular multifocal. Métodos: Neste estudo retrospectivo, foram revisados e avaliados os resultados cirúrgicos de 9 olhos de 9 pacientes que foram submetidos a ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet para manejar descompensação endotelial após implante de lente intraocular multifocal. Resultados: Descompensação endotelial ocorreu por distrofia endotelial de Fuchs (n=3), ceratopatia bolhosa do pseudofácico (n=3), descolamento da membrana de Descemet (n=2) e síndrome tóxica do segmento anterior (n=1). No ato per operatório de todos os olhos não houve intercorrência, com injeção de ar sendo necessário em dois olhos no pós-operatório por descolamento parcial do enxerto. Um mês após a cirurgia, todas as córneas estavam claras. Após seis meses, excluindo um olho com ambliopia, a acuidade visual média corrigida para longe foi de 0,10 logMAR, com todos os olhos atingindo 0,18 logMAR ou melhor. Conclusões: Este é o primeiro relato de ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet após implante de lente intraocular multifocal, sugerindo que bons resultados podem ser alcançados sem a troca da lente intraocular multifocal. <![CDATA[O antagonista das prostaglandinas alivia a ruptura da barreira sanguínea retiniana induzida pela cirurgia intraocular do segmento anterior em um modelo em ratos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300188&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the efficacy of prostaglandin antagonists on blood-retinal barrier breakdown induced by anterior segment intraocular simulated surgery. Methods: Rats were randomly assigned to a negative control group, model group, nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment group, nonsteroidal anti-inflammatory drugs treatment group, corticosteroid prophylactic treatment group, and corticosteroid treatment group. Four hours and 48h after modeling, the concentrations of PGE1, PGE2, and PGF2 α in the aqueous humor and vitreous body of the rat model were visualized using ELISA. The integrity of the blood-retinal barrier was quantitatively measured using Evan’s blue as a tracer. Results: Four hours after modeling, the concentrations of PGE1, PGE2, and PGF2α in the aqueous humor and vitreous body in the negative control group and the nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment group were significantly lower than those in the model group. The concentrations of PGE1, PGE2, and PGF2α in the aqueous humor and vitreous body in the corticosteroid prophylactic treatment group were higher than those in the negative control group and the nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment group. Forty-eight hours after modeling, the concentrations of PGE1, PGE2, and PGF2α in the aqueous humor and vitreous body in the nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment group, nonsteroidal anti-inflammatory drugs treatment group, corticosteroid prophylactic treatment group, and corticosteroid treatment group were lower than those in the model group, but higher than those in the negative group. Retinal Evan’s blue leakage in the nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment group was higher than that in the negative control group, and lower than those in the nonsteroidal anti-inflammatory drugs treatment group, corticosteroid prophylactic treatment group, corticosteroid treatment group, and model group. Retinal Evan’s blue leakage in the nonsteroidal anti-inflammatory drugs treatment group, corticosteroid prophylactic treatment group, and corticosteroid treatment group were lower than those in the model group. Conclusions: This study confirms that prostaglandin antagonists can relieve blood-retinal barrier breakdown in a rat model and that nonsteroidal anti-inflammatory drugs prophylactic treatment can achieve better efficacy.<hr/>RESUMO Objetivos: Avaliar a eficácia do antagonista de prostaglandinas no rompimento da barreira hemato-retiniana induzida por cirurgia simulada intraocular do segmento anterior. Métodos: Os ratos foram divididos aleatoriamente em grupo controle negativo, grupo modelo, grupo de tratamento profilático com drogas anti-inflamatórias não esteroides, grupo de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, grupo de tratamento profilático com corticosteroides e grupo de tratamento com corticosteroides. Quatro e 48h após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2 α no humor aquoso e no corpo vítreo em modelo em ratos foram detectadas através de Elisa. A integridade da barreira hemato-retiniana foi quantitativamente mensurada utilizando o azul de Evans como marcador. Resultados: Quatro horas após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo controle negativo e no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides foram significativamente menores do que as do grupo modelo. As concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo de tratamento profilático com corticosteroides foram maiores do que as observadas no grupo controle negativo e no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides. 48h após a modelagem, as concentrações de PGE1, PGE2 e PGF2α no humor aquoso e no corpo vítreo no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides, no grupo de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, no grupo de tratamento profilático com corticosteroides e no grupo de tratamento com corticosteroides foram menores do que as observadas no grupo modelo e maiores que as observadas no grupo negativo. O extravasamento retinal de azul de Evans no grupo de tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides foi maior que no grupo controle negativo e menor que nos grupos de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, de tratamento profilático com corticosteroides, de tratamento com corticosteroides e no grupo modelo. O extravasamento retinal de azul de Evans observado nos grupos de tratamento com anti-inflamatórias não esteroides, de tratamento profilático com corticosteroides e de tratamento com corticosteroides foi inferior ao observado no grupo modelo. Conclusões: Este estudo valida que o antagonista das prostaglandinas pode aliviar a ruptura da barreira hemato-retiniana em um modelo em ratos e que o tratamento profilático com anti-inflamatórias não esteroides pode alcançar melhor eficácia. <![CDATA[Pupilometria na doença de Chagas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300195&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: We investigated parasympathetic innervation abnormalities of the iris sphincter and ciliary muscles in chronic Chagas disease by measuring pupillary diameter and intraocular pressure. Methods: A group of 80 patients with Chagas disease was compared with 76 healthy individuals without chagasic infection. The following procedures were performed: pupillometry, hypersensitivity test to pilocarpine 0.125%, intraocular pressure measurement (IOP), basal pupil diameter (BPD), absolute pupillary constriction amplitude (ACA), relative pupillary constriction amplitude (RCA) and the presence of anisocoria. Results: The prevalence of anisocoria was higher in chagasic patients (p&lt;0.01). These patients had mean basal pupillary diameter, mean photopic pupillary diameter and mean value of absolute pupillary constriction amplitude significantly lower than non-chagasic ones (p&lt;0.01, mean difference -0.50mm), (p=0.02, mean difference -0.20mm), (p&lt;0.01, mean difference -0.29mm), respectively. The relative pupillary constriction amplitude did not differ between the two groups (p=0.39, mean difference -1.15%). There was hypersensitivity to dilute pilocarpine in 8 (10%) of the chagasic patients in the right eye and in 2 (2.5%) in the left eye and in 1 (1.25%) in both eyes. The mean value of intraocular pressure had a marginal statistical significance between the two groups (p=0.06, mean difference -0.91mmHg). Conclusions: Patients with chagasic infection may exhibit ocular parasympathetic dysfunction, demonstrable by pupillometry and the dilute pilocarpine hypersensitivity test.<hr/>RESUMO Introdução: Investigaram-se anormalidades da inervação parassimpática dos músculos esfíncter da íris e ciliar na doença de Chagas crônica, através de medidas pupilares e da pressão intraocular. Métodos: Foram estudados dois grupos, um com 80 chagásicos e outro com 76 indivíduos saudáveis sem infecção chagásica. Foram realizados os seguintes procedimentos: pupilometria, teste de hipersensibilidade à pilocarpina a 0,125%, medida da pressão intraocular (PIO), diâmetro basal da pupila (DBP), amplitude de constrição pupilar absoluta (ACA), amplitude de constrição pupilar relativa (ACR), e presença de anisocoria. Resultados: A prevalência de anisocoria foi maior nos chagásicos (p&lt;0,01). Estes pacientes apresentaram diâmetro basal pupilar médio, diâmetro fotópico médio e valor médio da amplitude de constrição pupilar absoluta, significativamente menores que os não chagásicos, (p&lt;0,01, diferença de média -0,50mm), (p=0.02, diferença de média -0,20mm), (p&lt;0,01, diferença de média -0,29mm), respectivamente. A amplitude de constrição pupilar relativa não diferiu entre os dois grupos (p=0,39, diferença de média -1,15%). Houve hipersensibilidade à pilocarpina diluída em 8 (10%) chagásicos no olho direito em 2 (2,5%) no olho esquerdo e em 1 (1,25%) em ambos os olhos. O valor médio da pressão intraocular teve significância marginal entre os dois grupos (p=0,06, diferença de média -0,91mmHg). Conclusões: Pacientes com infecção chagásica podem apresentar disfunção parassimpática ocular, demonstrável pela pupilometria e pelo teste de hipersensibilidade à pilocarpina diluída. <![CDATA[Eficácia do dispositivo de expansão pupilar Anel de Canabrava em cirurgia de catarata com pupilas pequenas: 30 primeiros casos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the outcomes of the first 30 cataract surgeries performed with a new disposable, injector-free, small-pupil expansion device. Methods: This consecutive case series included 30 eyes from 29 patients who underwent cataract surgery using a new disposable small-pupil expansion device called the Canabrava Ring (AJL Ophthalmic S.A, Spain). It is the first iris expansion ring produced with indents that do not align with each other in the superior and inferior regions, resulting in a small vertical length (0.4 mm) that minimizes the risk of endothelial contact. All eyes had poorly dilated pupils of less than 5 mm preoperatively. Fifteen eyes had significant infective or traumatic pathologies preoperatively. Vertical and horizontal pupil diameters were evaluated preoperatively, intraoperatively, and 1 month postoperatively. Results: The mean patient age was 64 ± 11.8 (standard deviation) years. The Canabrava Ring remained engaged throughout all surgeries, except one. All pupils were intraoperatively expanded to a diameter of 6.3 mm. Although preexisting pathology on the innervation of the pupils, the mean pupil diameter returns to a close preoperative size after 1 month surgery. The mean pupil diameters postoperatively and preoperatively were 4.41 and 3.77 mm, respectively (p&lt;0.05). Postoperative complications occurred in eight eyes (one toxoplasmosis reactivation, one retinal detachment, one posterior capsule rupture, one posterior capsule opacification, and four posterior synechiae). These complications occurred in eyes with preexisting traumatic or infective pathologies or synechiae. Conclusion: The Canabrava Ring is effective for expanding and maintaining expansion of small pupils in cataract surgery. The increase in postoperative pupil diameter is clinically diminutive and can most likely be attributed to preexisting pathologies affecting pupil innervation. Further large-scale studies are required to support the present findings.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a estabilidade intraoperatória, segurança e eficácia dos 30 primeiros casos operados com um novo anel expansor de pupilas. Métodos: Série de casos de 30 olhos de 29 pacientes submetidos a cirurgia de catarata com Anel de Canabrava (AJL Oftalmic, SPAIN). Trata-se do primeiro anel expansor de íris produzido com indentações não alinhadas entre as regiões superiores e inferiores. Devido a isso, apresenta altura vertical de 0,4 mm, diminuindo os riscos de toque endotelial. O diâmetro pupilar dos pacientes era menor que 5 mm. Os diâmetros verticais e horizontais foram avaliados antes, durante e um mês após a cirurgia. Resultados: A idade média dos pacientes foi de 64 ± 11,8 (desvio padrão) anos. O anel permaneceu estável em todas as cirurgias, exceto uma. Todas as pupilas foram expandidas no intraoperatório para um diâmetro de 6,3 mm. Apesar de patologias pupilares pré-existentes, o diâmetro médio da pupila retornou a um tamanho próximo após 1 mês de cirurgia. Os tamanhos médios da pupila no pós-operatório e pré-operatório foram medidos em 4,41 e 3,77 mm, respectivamente (p&lt;0,05). As complicações pós-operatórias ocorreram em 8 olhos: 1 reativação de toxoplasmose, 1 descolamento de retina, 1 ruptura de cápsula posterior, 1 opacificação da cápsula posterior, 4 sinéquias posteriores. Essas complicações ocorreram nos olhos com patologias traumáticas, infecciosas ou sinéquias pré-existentes. Conclusão: O Anel de Canabrava parece efetivo na expansão e manutenção de pupilas pequenas submetidas à cirurgia de catarata. O aumento do diâmetro da pupila pós-operatória é clinicamente pouco relevante e provavelmente pode ser atribuído à patologias pré-existentes que afetam as inervações pupilares. Outros estudos em larga escala são necessários para suportar os achados do estudo. <![CDATA[Queratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK): complicações intraoperatórias e pós-operatórias com resultados clínicos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300212&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the complications and clinical results of Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK) in patients with endothelial failure that occurred during the learning curve of a surgeon. Methods: Fifty eyes of 50 patients with DMEK and ≥6 months of follow-up were included. The patients were divided into the first 25 (group 1) and the second 25 (group 2) procedures performed by the surgeon. Best corrected visual acuity (BCVA), central corneal thickness (CCT), unfolding time of the Descemet membrane (DM) graft, and intraoperative and postoperative complications were compared between groups. Results: The differences in postoperative increase of BCVA (p=0.595) and decrease of CCT (p=0.725) in the two groups were not significant. The unfolding time of the DM was longer in group 1 than in group 2 (p=0.001). Primary graft failure occurred in three patients in group 1 and none in group 2. At the last visit, 42 (85.7%) of patients’ corneas were clear, with significant difference between groups (p=0.584). A patient in group 1 with a history of pars plana vitrectomy, inferior iridectomy, and fluid as a tamponade experienced drop of the DM graft into the iridectomy space. All other intraoperative complications occurred in group 1. Conclusions: Occurrence of intraoperative and postoperative complications was increased in patients with coexisting ocular pathology or complicated endothelial dysfunction and during the surgeon’s learning curve of DM endothelial keratoplasty procedures.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar as complicações e os resultados clínicos da queratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK) em indivíduos com insuficiência endotelial, durante a curva de aprendizado de um cirurgião. Métodos: Cinquenta olhos de 50 pacientes submetidos ao procedimento queratoplastia endotelial da membrana de Descemet com pelo menos 6 meses de acompanhamento foram incluídos neste estudo. Os pacientes foram divididos em dois grupos: como os primeiros 25 casos do cirurgião (grupo 1) e como os 25 casos seguintes (grupo 2). A melhor acuidade visual corrigida (MAVC), a espessura corneana central (ECC), o tempo de desdobramento do enxerto da membrana de Descemet (MD), as complicações intraoperatórias e pós-operatórias foram apresentadas e comparadas entre os grupos. Resultados: Os grupos não diferiram estatisticamente em relação ao aumento pós-operatório de melhor acuidade visual corrigida (p=0,595) ou à diminuição da espessura corneana central (p=0,725). O tempo de desdobramento dos enxertos de membrana de Descemet no grupo 1 foi maior do que no grupo 2 (p=0,001). Falha do enxerto primário foi observada em 3 pacientes do grupo 1 e em nenhum do grupo 2. Na última visita, 42 (85,7%) das córneas dos pacientes estavam claras e não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos (p=0,584). Na cirurgia de um paciente do grupo 1, com história de vitrectomia pars plana (PPV) com iridectomia inferior e fluido como tamponamento, observou-se queda do enxerto de membrana de Descemet no local da iridectomia. Além disso, todas as demais complicações intraoperatórias ocorreram no grupo 1. Conclusões: As complicações intraoperatórias e pós-operatórias foram maiores em pacientes com coexistência de outra patologia ocular ou com disfunção endotelial complicada durante as curvas de aprendizado dos cirurgiões no procedimento queratoplastia endotelial da membrana de Descemet. <![CDATA[Manifestações oculares observadas em pacientes com psoríase]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300219&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: We aimed to report the ocular manifestations observed in patients with psoriasis. Methods: Patients were included and referred to our ophthalmology clinic from dermatology clinics of Universidade do Estado do Pará between October 2013 and August 2014. Clinical interviews were conducted to identify relevant epidemiological data, clinical features, and treatment details, and data were recorded using the same protocol. Subsequent dermatological examinations were performed and disease severity was rated using the Psoriasis Area and Severity Index and the Dermatological Life Quality Index. Complete eye examination was conducted, including visual acuity, biomicroscopy, tonometry, fundoscopy, Schirmer I test, tear breakup time, rose bengal staining, ocular surface disease index, and glaucoma tests. Results: In total, we included 43 patients with psoriasis and 86 controls. Patients with psoriasis had statistically higher incidences of dry eye (16.28%), likely dry eye (32.56%), and blepharitis (16.28%). Furthermore, the rose bengal and ocular surface disease tests were more abnormal in patients with psoriasis (p&lt;0.05). Conclusions: Patients with psoriasis should undergo regular eye exams, regardless of risk factors, to monitor for the progression of symptomatic or asymptomatic ocular manifestations.<hr/>RESUMO Objetivos: Relatar as manifestações oculares observadas em pacientes com psoríase atendidos no Ambulatório de Dermatologia da X e encaminhados ao Y, no período de outubro de 2013 a agosto de 2014. Métodos: A amostra foi constituída por um grupo composto por 43 pacientes com psoríase e um grupo controle com 86 pacientes sem psoríase. Foi realizada uma entrevista clínica com dados epidemiológicos, aspectos clínicos da doença e terapia empregada, sendo todas as informações registradas em protocolo próprio. Posteriormente, realizou-se o exame dermatológico, no qual foi avaliado o índice de gravidade da Psoríase por área (PASI) e índice dermatológico de qualidade de vida (DLQI), e o exame oftalmológico completo, incluindo: Acuidade Visual, Biomicroscopia, Tonometria, Fundoscopia, Teste de Schirmer I, Tempo de Ruptura do Filme Lacrimal (TBUT), rosa bengala, índice de doença da superfície ocular (OSDI) e exames para glaucoma. Resultados: Observou-se que nos pacientes com psoríase houve frequência estatisticamente maior de envolvimento ocular, como olho seco (16,28%), provável olho seco (32,56%) e blefarite (16,28%). Além disso, os valores do rosa bengala e do OSDI apresentaram-se mais alterados nos pacientes com psoríase (p&lt;0,05). Conclusão: Dessa forma, sugere-se que esses pacientes realizem exames oftalmológicos periódicos, já que as manifestações oculares podem progredir sem sintomatologia e ocorrer independentemente de fatores de risco. <![CDATA[Efeitos terapêuticos da proantocianidina e da coenzima q10 em lesão ocular induzida por mostarda de nitrogênio]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300226&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: Nitrogen mustard (NM) is a devastating casualty agent in chemical warfare. There is no effective antidote to treat NM-induced ocular injury. We aimed to assess the effects of proanthocyanidin (PAC) and coenzyme Q10 (CoQ10) on NM-induced ocular injury. Methods: Eighteen male rats were divided into the following 4 groups: NM, NM + PAC, NM + CoQ10, and control. The 3 NM groups received a single dose of NM (0.02 mg/μL) on the right eye to induce ocular injury. The control group received saline only. Thirty minutes after the application of NM, the NM + PAC group received PAC (100 mg/kg) via gastric gavage, while the NM + CoQ10 group received CoQ10 (10 mg/kg) via intraperitoneal injection. PAC and CoQ10 were administered once a day for 5 consecutive days. The rats were then sacrificed. Macroscopic images of the eyes were examined and eye tissues were collected for histology. Results: The treatment groups were compared to the control group with regard to both corneal opacity and lid injury scores. The findings were not significantly different for both the NM + PAC and NM + CoQ10 groups. In both the NM + PAC and NM + CoQ10 groups, the histological changes seen in the NM group demonstrated improvement. Conclusions: Our results indicate that PAC and CoQ10 treatments have therapeutic effects on NM-induced ocular injury in a rat model. PAC and CoQ10 may be novel options in patients with NM-induced ocular injury.<hr/>RESUMO Objetivo: A mostarda de nitrogênio (MN) é um agente de guerra química devastador. Não existe um antídoto eficaz para tratar lesões oculares induzidas por MN. Nosso objetivo foi avaliar os efeitos da proantocianidina (PAC) e da coenzima Q10 (CoQ10) na lesão ocular induzida por MN. Métodos: Dezoito ratos machos foram divididos em 4 grupos: MN, MN + PAC, MN + CoQ10 e Controle. Três grupos receberam uma dose única de MN (0,02 mg/μL) destilada no olho direito para gerar lesão ocular. Os animais do grupo controle receberam apenas solução salina. Trinta minutos após a aplicação de MN nos animais, o grupo MN + PAC recebeu PAC (100 mg/kg) por gavagem gástrica, enquanto a CoQ10 (10 mg/kg) foi administrada ao grupo MN + CoQ10 por meio de injeção intraperitoneal. A administração de PAC e de CoQ10 foi realizada uma vez por dia, durante 5 dias consecutivos. Os ratos foram, então, sacrificados. Imagens macroscópicas dos olhos foram examinadas e tecidos oculares foram coletados para histologia. Resultados: Os grupos de tratamento foram comparados ao grupo de controle quanto à opacidade da córnea e quanto aos escores de lesão da cobertura da córnea. Os resultados foram insignificantes para ambos os grupos. Ambos, o grupo MN+PAC e o grupo MN+CoQ10, apresentaram melhoras das alterações histológicas observadas no grupo MN. Conclusões: Nossos resultados indicam que os tratamentos com PAC e com CoQ10 têm efeitos terapêuticos sobre lesões oculares induzidas por MN em um modelo em ratos. A proantocianidina e a CoQ10 podem ser uma nova opção nesses casos. <![CDATA[Cirurgia monocular para correção de esotropias de grande ângulo: seguimento de 10 anos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300232&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To conduct a 10-year follow-up on the surgical correction of large-angle esotropia using monocular surgery, verifying surgical stability over time in both adults and children, and investigating the presence of consecutive exotropia among reviewed patients. Methods: The angles of deviation in primary position were measured using prism cover testing in patients with good vision in both eyes and the Krimsky method in those with severe amblyopia. Among the 46 patients who underwent surgery, 40 were evaluated 10 years post-surgery. Student’s t-test and McNemar’s test were used for statistical analyses. Results: No significant differences in the angles of deviation in primary position were found between measurements taken 6 months and 10 years post-surgery (p=0.922), as well as between children and adults (p=0.767). Among the 40 reviewed patients, only five presented with exotropia, all of which were small (the largest being XT 15Δ). Therefore, large consecutive exotropia over time was not observed. Conclusion: Our results suggest that monocular surgery to correct large-angle esotropia using large medial rectus recessions and broad lateral rectus resections was viable and safe in both adults and children over short and long terms.<hr/>RESUMO Objetivo: Conduzir um acompanhamento de 10 anos de correção cirúrgica de esotropias de grande ângulo com cirurgia monocular, verificando a estabilidade cirúrgica ao longo do tempo em adultos e crianças, investigando a presença de exotropias consecutivas entre os pacientes revisados. Métodos: Os ângulos de desvio em posição primária foram medidos usando teste de cobertura prismática em pacientes com boa visão em ambos os olhos e o método de Krimsky naqueles com ambliopia severa. Entre os 46 pacientes operados, 40 foram avaliados 10 anos após a cirurgia. O teste t-Student e o de McNemar foram usados para análises estatísticas. Resultados: Não foram encontradas diferenças significativas nos ângulos de desvio em posição primária entre as medidas realizadas 6 meses e 10 anos pós-operatórios (p=0,922, assim como entre crianças e adultos (p=0,767). Entre os 40 pacientes revisados, apenas cinco apresentaram exotropias, todas pequenas (sendo o maior XT 15Δ). Portanto grandes exotropias consecutivas ao longo do tempo não foram observadas. Conclusão: Nossos resultados sugerem que a cirurgia monocular para corrigir a esotropias de grande ângulo usando amplos recuos do reto medial e grandes ressecções do reto lateral foi viável e segura tanto em adultos quanto em crianças em curto como a longo prazo. <![CDATA[Fasciite necrosante periorbital bilateral: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300239&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Necrotizing fasciitis is a severe infection of the subcutaneous tissue characterized by necrosis of the superficial fascia and overlying skin and is usually associated with previous trauma and comorbidities. Periorbital necrotizing fasciitis is rare and commonly causes visual loss and soft tissue defects. A better prognosis relies critically on early diagnosis, prompt medical treatment, and timely surgical intervention. We describe a rare case of periorbital necrotizing fasciitis in the absence of an inciting event. A 55-year-old female patient presented with acute painful swelling and redness of the right upper eyelid that spread to both eyelids bilaterally within 24 h. We swiftly started the patient on intravenous antibiotic therapy, and we surgically debrided the necrotic tissue the following day. We performed two further procedures to improve eyelid closure and appearance. Despite the severe presentation, timely antibiotic therapy and proper surgical interventions led to a successful outcome in this case.<hr/>RESUMO Fasciite necrosante é uma infecção grave do tecido subcutâneo, caracterizada pela necrose da fáscia superficial e da pele sobrejacente. Traumas prévios e cormobidades geralmente estão associados à fasciite necrosante. Fasciite necrosante periorbital é rara. Perda visual e defeitos em tecidos moles são as morbidades mais comuns. Diagnóstico precoce, tratamento clínico rápido e intervenção cirúrgica oportuna levam a um melhor prognóstico. Reportamos um caso incomum de fasciite necrosante periorbital bilateral sem eventos desencadeantes. Uma paciente de 50 anos apresentou edema e eritema na pálpebra superior direita, que progrediu em 24 horas para ambas pálpebras bilateralmente. Ela era previamente hígida. A paciente foi submetida a debridamento cirúrgico do tecido necrótico, no mesmo dia. A paciente foi submetida a outras duas cirurgias, o que melhorou o fechamento palpebral e a aparência. Apesar da gravidade da doença, antibioticoterapia e cirurgias oportunas foram cruciais para o desfecho bem sucedido deste caso. <![CDATA[Avaliação de paciente com oclusão de artéria central da retina com artéria cilioretiniana patente através de angiografia por tomografia de coerência óptica (OCT-A): um relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300242&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Here we report the case of a 78-year-old male patient with a 2-day history of low visual acuity and fundus and who was diagnosed with central retinal artery occlusion. In addition, the patient had an allergy to fluorescein. A fundus examination of the left eye found a pink optic disc with blurred margins, diffuse pallor in the retina with arterial attenuation, and a normal band of the retinal area in the macular region. Optical coherence tomography revealed increased thickness of the inner retina. Optical coherence tomography angiography (OCT-A) revealed a decreased flow signal in the superficial layers, with reduced flow signal in the choriocapillaris. OCT-A is a valuable alternative during the follow-up period in patients with central retinal artery occlusion, particularly in those with an allergy to contrast agents. The use of this as a non-invasive examination can improve the prognosis of patients and future studies investigating the treatment of central retinal artery occlusion.<hr/>RESUMO Paciente de 78 anos do sexo masculino com história de dois dias de baixa acuidade visual em olho esquerdo e exame fundoscópico sugestivo de oclusão da artéria retiniana, além de história de alergia a fluoresceína sódica. Em exame de fundoscopia de olho esquerdo pode ser observado disco óptico róseo, mal delimitado, palidez difusa da retina, com banda em área macular apresentando cor rósea preservada. A tomografia de coerência óptica apresentava aumento de espessura de retina interna em áreas de palidez e espessura e camadas preservadas em área poupada. A tomografia de coerência óptica-A mostrou sinal diminuído em camadas superficiais, com sinal de fluxo diminuído em coriocapilar. A tomografia de coerência óptica-A é uma alternativa válida para seguimento de pacientes com oclusão da artéria retiniana, em casos de alergia ao contraste ou contra indicação ao exame. O exame é não invasivo e pode melhorar não somente a avaliação dos pacientes nos dias de hoje como aumenta possibilidades em futuros estudos e tratamentos da oclusão da artéria retiniana. <![CDATA[Coriorretinite esclopetária causada por um corpo estranho metálico intraorbitário]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300247&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT A 44-year-old man was referred for evaluation of pain and temporal floaters after receiving a rebounded bullet impact to his right eye. Typical funduscopic findings, together with the confirmed presence of an intraorbital metallic foreign body, led to the diagnosis of chorioretinitis sclopetaria. Conservative management was performed as no severe symptoms were observed. The favorable clinical outcome was confirmed in subsequent reviews. Chorioretinitis sclopetaria is characterized by a proliferative chorioretinal inflammation as a consequence of the expansive wave caused by the entrance of a bullet between the eyeball and the orbit.<hr/>RESUMO Um homem de 44 anos foi encaminhado para avaliação de dor e flutuadores temporais após receber um impacto de bala ressaltado em seu olho direito. Achados fundoscópicos típicos, juntamente com a presença confirmada de um corpo estranho metálico intraorbitário, levaram ao diagnóstico de coriorretinite esclopetária. O manejo conservador foi realizado, pois não foram observados sintomas graves. O desfecho clínico favorável foi confirmado em revisões subsequentes. A coriorretinite esclopetária é caracterizada por uma inflamação coriorretiniana proliferativa como consequência da onda expansiva causada pela entrada de uma bala entre o globo ocular e a órbita. <![CDATA[Envolvimento ocular na paquimeningite hipertrófica idiopática associada à fibrose angiocêntrica eosinofílica: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300250&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT A 43-year-old male with a history of eosinophilic angiocentric fibrosis presented with headache and double vision since 48 h. Idiopathic hypertrophic pachymeningitis was diagnosed based on nuclear magnetic resonance and comprehensive systemic study findings. Eosinophilic angiocentric fibrosis and idiopathic hypertrophic pachymeningitis have been associated with IgG4-related diseases, but this was the first case in which they coexisted in the same patient. After steroid treatment failure, rituximab was used with excellent results.<hr/>RESUMO Um homem de 43 anos, com história de fibrose angiocêntrica eosinofílica, apresentou cefaléia e visão dupla com 48 horas. A paquimeningite hipertrófica idiopática foi diagnosticada com base na ressonância magnética nuclear e em achados sistêmicos abrangentes no estudo. A fibrose angiocêntrica eosinofílica e a paquimeningite hipertrófica idiopática foram associadas a doenças relacionadas à IgG4, mas este foi o primeiro caso em que elas coexistiram no mesmo paciente. Após a falha do tratamento com esteroides, o rituximabe foi usado com excelentes resultados. <![CDATA[Glaucoma associado a cistos de corpo ciliar e íris pseudoplateau: revisão sistemática da literatura]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300254&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The diagnosis of angle-closure glaucoma secondary to iridociliary cysts is challenging and lacks compiled literature support. We present a rare case of bilateral angle-closure glaucoma associated with pseudoplateau iris due to multiple ciliary cysts and conducted a systematic review of the literature to find similar case reports published between November 2006 and November 2016. Only 19 case reports present treatment modalities, and most cases required more than one therapeutic approach for controlling the intraocular pressure. Pseudoplateau iris attributed to iridociliary cysts should be considered in the differential diagnosis of patients with narrow angles, particularly those with ocular hypertension and glaucoma, in which management is complex. In addition to gonioscopy, ultrasound biomicroscopy is considered the conclusive method for accurate diagnosis.<hr/>RESUMO O diagnóstico de glaucoma de ângulo fechado secundário a cistos iridociliares é desafiador e não possui suporte da literatura compilada. Apresentamos um caso bilateral raro de glaucoma de ângulo fechado associado à íris pseudoplateau devido a cistos ciliares múltiplos e realizamos uma revisão sistemática da literatura de relatos de casos similares publicados entre novembro de 2006 e novembro de 2016. Apenas 19 relatos de casos apresentaram as modalidades de tratamento e na maioria deles foi necessário mais de uma abordagem terapêutica para controlar a pressão intra-ocular. Íris pseudoplateau atribuída a cistos iridociliários deve ser considerada no diagnóstico diferencial de pacientes com ângulos estreitos, particularmente aqueles com hipertensão ocular e glaucoma, em que o manejo é complexo. Além da go nioscopia, a biomicroscopia ultra-sônica é considerada o método conclusivo para o diagnóstico correto. <![CDATA[Qualidade do serviço oftalmológico prestado aos pacientes ambulatoriais dos sistemas de saúde público e privado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300262&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The diagnosis of angle-closure glaucoma secondary to iridociliary cysts is challenging and lacks compiled literature support. We present a rare case of bilateral angle-closure glaucoma associated with pseudoplateau iris due to multiple ciliary cysts and conducted a systematic review of the literature to find similar case reports published between November 2006 and November 2016. Only 19 case reports present treatment modalities, and most cases required more than one therapeutic approach for controlling the intraocular pressure. Pseudoplateau iris attributed to iridociliary cysts should be considered in the differential diagnosis of patients with narrow angles, particularly those with ocular hypertension and glaucoma, in which management is complex. In addition to gonioscopy, ultrasound biomicroscopy is considered the conclusive method for accurate diagnosis.<hr/>RESUMO O diagnóstico de glaucoma de ângulo fechado secundário a cistos iridociliares é desafiador e não possui suporte da literatura compilada. Apresentamos um caso bilateral raro de glaucoma de ângulo fechado associado à íris pseudoplateau devido a cistos ciliares múltiplos e realizamos uma revisão sistemática da literatura de relatos de casos similares publicados entre novembro de 2006 e novembro de 2016. Apenas 19 relatos de casos apresentaram as modalidades de tratamento e na maioria deles foi necessário mais de uma abordagem terapêutica para controlar a pressão intra-ocular. Íris pseudoplateau atribuída a cistos iridociliários deve ser considerada no diagnóstico diferencial de pacientes com ângulos estreitos, particularmente aqueles com hipertensão ocular e glaucoma, em que o manejo é complexo. Além da go nioscopia, a biomicroscopia ultra-sônica é considerada o método conclusivo para o diagnóstico correto. <![CDATA[Carta ao editor: fechamento do ângulo agudo bilateral em paciente com dengue]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492018000300265&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The diagnosis of angle-closure glaucoma secondary to iridociliary cysts is challenging and lacks compiled literature support. We present a rare case of bilateral angle-closure glaucoma associated with pseudoplateau iris due to multiple ciliary cysts and conducted a systematic review of the literature to find similar case reports published between November 2006 and November 2016. Only 19 case reports present treatment modalities, and most cases required more than one therapeutic approach for controlling the intraocular pressure. Pseudoplateau iris attributed to iridociliary cysts should be considered in the differential diagnosis of patients with narrow angles, particularly those with ocular hypertension and glaucoma, in which management is complex. In addition to gonioscopy, ultrasound biomicroscopy is considered the conclusive method for accurate diagnosis.<hr/>RESUMO O diagnóstico de glaucoma de ângulo fechado secundário a cistos iridociliares é desafiador e não possui suporte da literatura compilada. Apresentamos um caso bilateral raro de glaucoma de ângulo fechado associado à íris pseudoplateau devido a cistos ciliares múltiplos e realizamos uma revisão sistemática da literatura de relatos de casos similares publicados entre novembro de 2006 e novembro de 2016. Apenas 19 relatos de casos apresentaram as modalidades de tratamento e na maioria deles foi necessário mais de uma abordagem terapêutica para controlar a pressão intra-ocular. Íris pseudoplateau atribuída a cistos iridociliários deve ser considerada no diagnóstico diferencial de pacientes com ângulos estreitos, particularmente aqueles com hipertensão ocular e glaucoma, em que o manejo é complexo. Além da go nioscopia, a biomicroscopia ultra-sônica é considerada o método conclusivo para o diagnóstico correto.