Scielo RSS <![CDATA[Arquivos Brasileiros de Oftalmologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0004-274920170003&lang=pt vol. 80 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Cegueira por tracoma entre os índios Maku do Alto do Rio Negro: um problema de saúde pública negligenciado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Efeitos da obesidade na hemodinâmica do fluxo retrobulbar: avaliação por ultrassom doppler colorido]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300143&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate intraocular pressure (IOP) and extraocular orbital vessels with color Doppler ultrasound (CDU) and investigate the effects of obesity on retrobulbar blood flow. Methods: Fifty-nine patients were included in this prospective study. Patients were divided into two groups according to body mass index: Group 1 (31 obese patients) and Group 2 (28 non-obese patients). IOP was measured with a Goldmann applanation tonometer, and CDU was used to evaluate the retrobulbar vessels. Results: The mean IOP was 18 ± 6.68 mmHg in the obese group and 13.71 ± 1.60 mmHg in the control group (p&lt;0.001). When the CDU values for the central retinal artery were compared between the groups, the pulsatility index was found to be significantly lower in the obese group than in the control group (p&lt;0.001). When the CDU values for the ophthalmic artery (OA) were compared between the groups, the peak systolic velocity (p&lt;0.001) and end-diastolic velocity (p=0.002) values were found to be significantly lower in the obese group than in the control group. Conclusions: Obese patients have a higher mean IOP and lower flow velocity than non-obese patients. Increased IOP together with decreased retrobulbar blood flow, particularly in obese individuals, may increase the risk of glaucoma development.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a pressão intraocular (PIO) e vasos orbitários extraoculares com ultrassom Doppler colorido (UDC) e investigar os efeitos da obesidade sobre o fluxo sanguíneo retrobulbar. Métodos: Cinquenta e nove pacientes foram incluídos neste estudo prospectivo. Os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com o índice de massa corpo ral (IMC): Grupo 1 (31 pacientes obesos) e Grupo 2 (28 não obesos). As pressões intraoculares (PIOs) foram medidas com tonômetro de aplanação de Goldmann e o UDC foi utilizada para a avaliação de vasos retrobulbar. Resultados: As PIOs foram 18 ± 6,68 mmHg nos pacientes obesos e 13,71 ± 1,60 mmHg nos grupos controle (p&lt;00,001). Quando os valores da artéria central da retina (ACR) foram comparados entre os grupos controle e obeso. O índice pulsátil (PI) foi marcadamente menor no grupo obeso (p&lt;00,001). Quando os valores da artéria oftálmica (AO) dos grupos obesos e de controle foram comparados. Os valores de Velocidade do pico sistólico (PSV) (p&lt;00,001) e velocidade diastólica final (EDV) (p=00,002) foram significativamente mais baixos no grupo obeso. Conclusão: Pacientes obesos têm maior PIO do que os pacientes não obesos. Os pacientes obesos têm diminuição nas velocidades de fluxo da AO. O aumento da PIO. Juntamente com a diminuição do fluxo sanguíneo retrobulbar, especialmente em indivíduos obesos, pode aumentar o risco de desenvolvimento de glaucoma. <![CDATA[Retroespalhamento luminoso das córneas de pacientes com diabete melito dependente e não dependente de insulina: estudo piloto]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300148&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To compare central corneal backscatter obtained from Scheimpflug images between patients with insulin-dependent and non-insulin-dependent diabetes mellitus (IDDM and NIDDM, respectively) and healthy controls. Methods: Seven patients with IDDM (7 eyes), eleven patients with NIDDM (11 eyes), and sixteen healthy subjects (16 eyes) were included in this pilot study. Scheimpflug imaging system (Pentacam, Oculus Inc., Germany) was used to obtain optical sections of the cornea. Seven meridians were analyzed for each eye, oriented from 70° to 110°. Optical density values for the central 3-mm and 5-mm zones of the cornea were obtained by image analysis using external software. Results: Corneal backscatter was significantly higher in the diabetic patients than in the controls for the central 3-mm (p=0.016) and 5-mm (p=0.014) zones. No significant differences in corneal backscatter were found between the IDDM and NIDDM groups for either zone (both p&gt;0.05). In the NIDDM group, significant correlations were observed for both central zones between corneal backscatter and age (3 mm: r=0.604, p=0.025; 5 mm: r=0.614, p=0.022) and central corneal thickness (3 mm: r=0.641, p=0.017; 5 mm: r=0.671, p=0.012); this was not found in the IDDM group (p&gt;0.05). The presence of diabetes showed a significant effect on central corneal backscatter (Kruskal-Wallis test, p&lt;0.001). Conclusions: Diabetic patients showed higher values of corneal light backscatter than healthy subjects. Corneal optical density analysis may be a useful tool for monitoring and assessing the ocular changes caused by diabetes.<hr/>RESUMO Objetivo: Determinar os valores de retroespalhamento luminoso central da córnea em pacientes diabéticos dependentes (IDDM) e não dependentes (NIDDM) de insulina, comparados com controles saudáveis, a partir de imagens de Scheimpflug. Métodos: Foram incluídos neste estudo piloto sete pacientes com IDDM (7 olhos), onze pacientes com NIDDM (11 olhos) e dezesseis indivíduos saudáveis (16 olhos). O sistema de Scheimpflug (Pentacam, Oculus Inc. Germany) foi utilizado para obter secções ópticas da córnea. Foram analisados sete meridianos para cada olho, orientados de 70º a 110º. A análise de imagem por meio de software externo permitiu a obtenção de valores da densidade óptica para os 3 e 5 mm centrais da córnea. Resultados: O retroespalhamento luminoso corneano foi significativamente maior em pacientes diabéticos para os 3 mm centrais (p=0,016) e para os 5 mm centrais (p=0,014) em relação ao grupo controle. Não foram encontradas diferenças significativas entre os grupos IDDM e NIDDM para cada zona analisada (p&gt;0,05 em ambos os casos). No grupo NIDDM, observaram-se correlações significativas para as zonas centrais de 3 mm e 5 mm, entre retroespalhamento luminoso corneano e idade (r=0,604 p=0,025 e r=0,614 p=0,022, respectivamente) e espessura central corneana (r=0,641 p=0,017; r=0,671 p=0,012, respectivamente), o que não foi encontrado no grupo IDDM (p&gt;0,05). O teste de Kruskall-Wallis indicou que a presença de diabete tem um efeito significativo sobre a retroespalhamento central da córnea (p&lt;0,001). Conclusões: Pacientes diabéticos apresentaram valores mais elevados de retroespalhamento luminoso corneano do que indivíduos saudáveis. A análise da densidade óptica corneana pode ser uma ferramenta útil para monitorar e avaliar as alterações oculares causadas pela diabete. <![CDATA[Colírio de Tacrolimus 0,03% como único agente antialérgico para o tratamento de ceratoconjuntivite primaveril: ensaio clínico randomizado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300154&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To assess the efficacy of monotherapy using tacrolimus eye drops versus sodium cromoglycate for the treatment of vernal keratoconjunctivitis (VKC). Methods: Randomized double-masked controlled trial comparing the efficacy of tacrolimus 0.03% eye drops t.i.d. (Group 1) with sodium cromoglycate 4% eye drops t.i.d. (Group 2) for the symptomatic control of VKC at days 0, 15, 30, 45, and 90 of follow-up. Visual acuity, intraocular pressure, and other complications were evaluated to assess safety and side effects. Results: In total, 16 patients were included, with 8 enrolled in each group. Two patients from Group 2 were excluded from the analysis at days 45 and 90 because of corticosteroid use. Most patients were male (81.8%) and presented with limbal VKC (56.3%). There were statistically significant differences in favor of tacrolimus in the following severity scores: itching at day 90 (p=0.001); foreign body sensation at day 15 (p=0.042); photophobia at day 30 (p=0.041); keratitis at day 30 (p=0.048); and limbal activity at days 15 (p=0.011), 30 (p=0.007), and 45 (p=0.015). No relevant adverse effects were reported, except for a burning sensation with tacrolimus, though this did not compromise treatment compliance. Conclusion: Treatment with tacrolimus was superior to sodium cromoglycate when comparing severity scores for symptoms of itching, foreign body sensation, and photophobia, as well as for signs of limbal inflammatory activity and keratitis.<hr/>RESUMO Objetivo: Demonstrar a eficácia do colírio de tacrolimus 0,03% como único agente antialérgico versus o colírio de cromoglicato de sódio 4% no tratamento de ceratoconjuntivite primaveril (CCP). Métodos: Ensaio clínico randomizado duplo-mascarado comparando a eficácia do colírio de tacrolimus 0,03% 3 vezes ao dia, versus o colírio de cromoglicato 4% 3 vezes ao dia, no controle dos sintomas e sinais de pacientes com o diagnóstico de ceratoconjuntivite primaveril, durante o período de 3 meses, com avaliações nos dias 0, 15, 30, 45 e 90. Acuidade visual, pressão intraocular e outras possíveis complicações foram avaliadas para determinar segurança e efeitos adversos. Resultados: Dezesseis pacientes foram incluídos no estudo, sendo que oito fizeram uso de colírio de tacrolimus 0,03% (Grupo 1) e oito fizeram uso de colírio de cromoglicato de sódio 4% (Grupo 2). Dois pacientes do Grupo 2 foram excluídos da análise dos dias 45 e 90, devido à necessidade de utilização de corticosteroide tópico. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (81,8%) e 56,3% apresentavam a doença em sua forma limbar. Houve diferença estatisticamente significativa entre os Grupos 1 e 2 em relação à graduação de severidade para os sintomas de prurido no dia 90 (p=0,001), sensação de corpo estranho no dia 15 (p=0,042), fotofobia no dia 30 (p=0,041) e para os sinais de atividade inflamatória limbar nos dias 15 (p=0,011), 30 (p=0,007) e 45 (p=0,015), e ceratite no dia 30 (p=0,048). Nenhum efeito adverso relevante foi notado, exceto queixa de queimação ocular quando da instilação de tacrolimus, o que não comprometeu à adesão ao tratamento. Conclusão: O colírio de tacrolimus 0,03% foi superior ao colírio de cromoglicato de sódio 4% comparando a graduação de severidade para os sintomas de prurido, sensação de corpo estranho e fotofobia, assim como para os sinais de atividade inflamatória limbar e ceratite, em determinados períodos de tempo durante o seguimento. <![CDATA[Visão, avaliação oftalmológica e qualidade de vida em longevos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300159&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To determine the vision status, ophthalmic findings, and quality of life among the very elderly. Methods: This was a cross-sectional observational study of individuals aged 80 years and above. A comprehensive ophthalmic exam was performed with mea surement of both the presenting (PVA) and best-corrected visual acuity. The Quality of Life Short Form-36 (SF-36) and the Visual Function Questionnaire (VFQ-25) were also administered. Results: A total of 150 non-institutionalized participants were assigned to three age groups: 80-89 years (n=70), 90-99 years (n=50), and 100 years and older (n=30). PVA and best-corrected visual acuity were normal (≥20/30) in 20 (13.3%) and 37 participants (24.7%), respectively. Regarding PVA, mild visual impairment (&lt;20/30 to ≥20/60) was found in in 53 (35.4%), moderate visual impairment (&lt;20/60 to ≥20/200) in 50 (33.3%), severe visual impairment (&lt;20/200 to ≥20/400) in 8 (5.3%), and blindness (&lt;20/400) in 19 (12.7%) participants. Regarding best-corrected visual acuity, mild, moderate, and severe visual impairments were present in 55 (36.7%), 38 (25.3%), and 5 (3.3%) participants, respectively, and blindness was present in 15 (10%). The main causes of visual impairment/blindness were cataract (43.8%), refractive errors (21.5%), age-related macular degeneration (17.7%), and myopic degeneration (3.8%). SF-36 scores were worse in those with low visual acuity, while VFQ-25 domain scores were poorer in those with vision impairment/blindness. Conclusion: Vision impairment and blindness was present in three-quarters of this sample, but it was notable that adequate correction with spectacles improved visual acuity. This reinforces the need for regular ophthalmic care in elderly patients to improve their quality of life by optimizing vision.<hr/>RESUMO Objetivos: Determinar a visão, achados oftalmológicos e qualidade de vida em longevos. Métodos: Estudo observacional transversal em indivíduos com idade entre 80 anos ou mais. Realizado exame oftalmológico com medida da acuidade visual apresentada e da acuidade visual melhor corrigida. Foram administrados os questionários: Qualidade de Vida Forma Curta - 36 (SF-36) e Qualidade de Função Visual (VFQ-25). Resultados: Total de 150 indivíduos não-institucionalizados foram estudados, divididos em três faixas etárias: 80 a 89 anos (n=70); 90 a 99 anos (n=50) e 100 anos ou mais (n=30). Acuidade visual apresentada normal (≥20/30) foi encontrada em 20 (13,3%) participantes; deficiência visual leve (&lt;20/30 a ≥20/60), em 53 (35,4%); deficiência visual moderada (&lt; 20/60 a ≥20/200) em 50 (33,3%); deficiência visual grave (&lt;20/200 para ≥20/400) em 8 (5,3%) e cegueira (&lt;20/400) em 19 (12,7%). A acuidade visual com a melhor correção aumentou para 37 (24,7%) indivíduos normais; deficiência leve aumentou para 55 (36,7%); deficiência visual moderada diminuiu para 38 (25,3%); deficiência visual grave foi reduzida para 5 (3,3%) e cegueira foi reduzida para 15 (10%). As principais causas de deficiência visual/cegueira foram: catarata (43,8%) erro refrativo (21,5%), degeneração macular relacionada à idade (17,7%), e degeneração miópica (3,8%). A pontuação no Questionário de Qualidade de Vida foi pior naqueles com baixa visão para perto. No questionário VFQ -25 os domínios com menor pontuação ocorreram nos indivíduos com baixa visão/cegueira. Conclusão: Deficiência visual/cegueira mostrou-se presente em três quartos desta amostra de longevos. A prescrição de óculos adequados proporcionou melhora da acuidade visual, reforçando a necessidade de atendimento oftalmológico regular desses pacientes para assegurar a qualidade de vida e de visão. <![CDATA[Segurança e eficácia na injeção intracameral de moxifloxacino para profilaxia da endoftalmite após a facomeulsificação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300165&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the safety and efficacy of 0.05 mL intracameral injection of moxifloxacin in patients who underwent phacoemulsification and intraocular lens (IOL) implant. Methods: Retrospective study comprising patients who underwent phacoemulsification and IOL implant between January 2009 and December 2013. Patients were divided into two groups. Group A followed standard endophthalmitis prevention protocol and group B followed the same protocol plus intracameral injection of 0.05 mL of moxifloxacin hydrochloride at 5.45 mg/mL, immediately after IOL implant. Results: Medical records from 7,195 eyes of 3,751 patients (median age: 67.8 ± 8.96, range: 48-83 years, 53.8% female) were evaluated. Group A included 3,515 eyes of 1,838 patients and group B included 3,680 eyes of 1,913 patients. The incidence of endophthalmitis in group A was 0.22% (8:3,515 eyes) and in group B was 0.03% (1:3,680 eyes, p=0.0198, Fischer's exact test). No toxicity or inflammation related to the use of moxifloxacin was observed. Conclusions: There was a 7.3-fold lower ratio of endophthalmitis in the group that received moxifloxacin intracameral injection. This study provides further evidence that moxifloxacin is an effective intracameral prophylactic antibiotic.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a segurança e a eficácia da injeção intracameral de 0,05 mL de moxifloxacina em pacientes que realizaram facoemulsificação e implante de lente intraocular. Métodos: Estudo retrospectivo envolvendo pacientes submetidos a facoemulsificação e implante de lente intraocular entre janeiro de 2009 a dezembro de 2013. Os pacientes foram divididos em dois grupos. O grupo A seguiu o protocolo padrão de prevenção de endoftalmite e o grupo B seguiu o mesmo protocolo associado à injeção intracameral de 0,05 mL de cloridrato de moxifloxacino a 5,45 mg/mL, imediatamente após o implante de lentes intra-oculares (LIO). Resultados: Foram avaliados registros clínicos de 7.195 olhos de 3.751 pacientes (mediana de idade de 67,8 ± 8,96, faixa de 48-83 anos, 53,8% de mulheres). O grupo A incluiu 3.515 olhos de 1.838 pacientes e o grupo B incluiu 3.680 olhos de 1.913 pacientes. A incidência de endoftalmite no grupo A foi de 0,22% (8:3.515 olhos) e no grupo B de 0,03% (1:3.680 olhos, p=0,0198, teste exato de Fischer). Não foi observada toxicidade ou inflamação relacionada com o uso de moxifloxacino intracameral. Conclusões: Houve uma proporção 7,3 vezes menor de endoftalmite no grupo que recebeu injeção de moxifloxacino. Este estudo fornece mais evidências que o moxifloxacino intracameral é um antibiótico profilático intracameral eficaz. <![CDATA[As causas de evisceração após ceratoplastia penetrante entre 1995 e 2015]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300168&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: The purpose of this study was to determine the indications and frequency of evisceration after penetrating keratoplasty (PK). Methods: The medical records of all patients who underwent evisceration after PK between January 1, 1995 and December 31, 2015 at Ankara Training and Research Hospital were reviewed. Patient demographics and the surgical indications for PK, diagnosis for evisceration, frequency of evisceration, and the length of time between PK and evisceration were recorded. Results: The frequency of evisceration was 0.95% (16 of 1684), and the mean age of the patients who underwent evisceration was 56.31 ± 14.82 years. The most common indication for PK that resulted in evisceration was keratoconus (37.5%), and the most common underlying cause leading to evisceration was endophthalmitis (56.25%). The interval between PK and evisceration ranged from 9 to 78 months. Conclusions: Although keratoplasty is one of the most successful types of surgery among tissue transplantations, our findings show that it is associated with a possible risk of evisceration.<hr/>RESUMO Objetivo: O objetivo deste estudo foi determinar as indicações e a frequência de evisceração ocular após cirurgia de ceratoplastia penetrante ou transplante de córnea (PK). Métodos: Foram analisados os registros médicos de todos os pacientes submetidos à evisceração após PK entre 1º de janeiro de 1995 e 31 de dezembro de 2015 no Hospital de Treinamento e Pesquisa de Ankara. Foram registradas a demografia do paciente e as indicações cirúrgicas de PK, diagnóstico de evisceração, frequência de evisceração, tempo entre PK e evisceração. Resultados: A frequência de evisceração foi de 0,95% (16 de 1684) e a média de idade foi de 56,31 ± 14,82 anos. A indicação mais comum para PK que terminou na evis ceração foi o ceratocone (37,5%) e a causa subjacente à evisceração foi a endoftalmite (56,25%). O intervalo entre PK e evisceração variou de 9 a 78 meses. Conclusão: Embora a ceratoplastia seja uma das cirurgias mais bem sucedidas entre os transplantes de tecidos, pode-se deduzir do estudo que não é tão inócua, pois pode evoluir para a evisceração ocular. <![CDATA[Parâmetros ultrassonográficos do saco lacrimal normal e na dacriocistite crônica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300172&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To compared the ultrasound findings of the lacrimal sac between subjects with normal lacrimal systems those with chronic dacryocystitis. Methods: A retrospective study of 10 subjects with a normal lacrimal system (Group 1) and 10 with chronic dacryocystitis (Group 2) diagnosed according to B-mode ultrasound with a 10-MHz transducer and the direct-contact technique (AVISO, Quantel Medical) for lacrimal sac assessment. We analyzed the dimensions, features, and content of the sacs. Characteristics of the population: female: 6, Group 1; 8, Group 2; mean age 48.4 years (SD=19.9; range, 22-80 years), Group 1; 50.5 years (SD=15.5; range, 25-75 years), Group 2. Results: The dimensions of the lacrimal sac were as follows: anteroposterior 1.86 and 10.99 mm in Groups 1 and 2, respectively, p&lt;0.0001; vertical 9.79 and 14.13 mm in Groups 1 and 2, respectively, p=0.049. Qualitative evaluation of the lacrimal sac contents showed hypoechogenic content in Group 1 (10, 100%) and hyperechogenic punctiform content in Group 2 (10, 100%) with partial filling in seven cases (70%). Conclusions: Ultrasonography can differentiate normal lacrimal sacs from sacs compromised by chronic dacryocystitis, thus being useful as an adjunct to clinical examination and surgical planning.<hr/>RESUMO Objetivo: Categorizar os achados ultrassonográficos do saco lacrimal em indivíduos com via lacrimal normal e em portadores de dacriocistite crônica. Métodos: Estudo retrospectivo de 20 indivíduos, 10 com via lacrimal normal (Grupo 1) e 10 com diagnóstico de dacriocistite crônica (Grupo 2) utilizando ultrassonografia modo B com transdutor de 10 MHz e técnica de contato (Aviso, Quantel Medical) para avaliar o saco lacrimal. Analisamos os seguintes parâmetros: dimensões, características e conteúdo. Resultados: Características da população estudada: sexo feminino: 6, Grupo 1; 8, Grupo 2; idade média: 48,4 anos (DP=19,93; variação, 22 a 80 anos), Grupo 1; 50,5 anos (DP=15,47; variação, 25 a 75 anos), Grupo 2. As dimensões do saco lacrimal foram aferidas: anteroposterior, 1,86 mm no Grupo 1 e 10,99 mm no Grupo 2, p&lt;0,0001; vertical, 9,79 mm no Grupo 1 e 14,13 mm no Grupo 2, p=0,049. A avaliação qualitativa do conteúdo do saco lacrimal mostrou: conteúdo hipoecogênico no Grupo 1 (10, 100%); e conteúdo puntiforme hiperecogênico no Grupo 2 (10, 100%), com preenchimento parcial em 7 casos (70%). Conclusão: A ultrassonografia foi capaz de diferenciar a via lacrimal normal da acometida por dacriocistite crônica, e de determinar parâmetros úteis para suportar o acompanhamento clínico ou auxiliar no planejamento cirúrgico. <![CDATA[Efeitos da hemodiálise na morfometria da córnea e da câmara anterior, e na pressão intraocular em pacientes no estágio final da doença renal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300176&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the effects of hemodialysis (HD) on corneal and anterior chamber morphometry, as well as intraocular pressure (IOP) in patients with end-stage renal disease. Methods: Fifty right eyes were examined 30 minutes before and after HD. IOP was measured with a Goldmann applanation tonometer, and Ehlers' formula was used to calculate the corrected IOP values. The central corneal thickness (CCT), corneal volume (CV), keratometric values, anterior chamber depth (ACD), aqueous depth (AQD), anterior chamber volume (ACV), and anterior chamber angle (ACA) in the nasal and temporal quadrants were measured with a Sirius anterior segment analysis system. Blood urea nitrogen levels, body mass, and systolic and diastolic arterial pressure were also measured before and after HD. Results: The mean age was 60.80 ± 13.38 (range: 35-80) years. The mean uncorrected and corrected IOP values decreased from 18.06 ± 3.91 and 18.31 ± 4.83 mmHg to 16.94 ± 3.87 and 16.95 ± 4.74 mmHg after HD, respectively (p=0.011 and p=0.003, respectively). The mean CCT decreased from 536.38 ± 24.73 to 533.18 ± 27.25 µm (p=0.002), and the mean CV decreased from 57.52 ± 3.15 to 55.68 ± 3.55 mm³ (p&lt;0.001) after HD. There were no significant changes in ACD, AQD, ACV, ACA, or the keratometric values (p&gt;0.05 for all values). There were no significant correlations between the ocular and systemic parameters (p&gt;0.05 for all correlations). Conclusions: Uncorrected IOP, corrected IOP, CCT, and CV values decreased after HD, whereas the anterior chamber morphometry values remained similar between the measurements performed before and after HD.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar os efeitos da hemodiálise (HD) na morfometria da córnea e da câmara anterior e da pressão intraocular (PIO) em pacientes com doença renal terminal. Métodos: Cinquenta olhos direitos foram examinados 30 minutos antes e após hemodiálise. A pressão intraocular foi medida com um tonômetro de aplanação de Goldmann, e a fórmula de Ehlers foi utilizada para calcular os valores de pressão in traocular corrigidos. Mediram-se a espessura corneana central (CCT), o volume corneano (CV), os valores ceratométricos, a profundidade da câmara anterior (ACD), a profundidade aquosa (AQD), o volume da câmara anterior (ACV) e o ângulo da câmara anterior (ACA) nos quadrantes nasais e temporais com um sistema de análise de segmento Sirius anterior. Os níveis de nitrogênio ureico no sangue (BUN), peso corporal e pressão arterial sistólica e diastólica também foram medidos antes e após a HD. Resultados: A média de idade foi de 60,80 ± 13,38 (35-80) anos. Os valores médios não corrigidos e corrigidos da pressão intraocular diminuíram de 18,06 ± 3,91 e 18,31 ± 4,83 mmHg para 16,94 ± 3,87 e 16,95 ± 4,74 mmHg após hemodiálise (p=0,011 e p=0,003, respectivamente). A espessura corneana central média diminuiu de 536,38 ± 24,73 para 533,18 ± 27,25 µm (p=0,002), e o volume corneano médio diminuiu de 57,52 ± 3,15 para 55,68 ± 3,55 mm³ (p&lt;0,001) após hemodiálise. Não houve alteração significativa nos valores de profundidade da câmara anterior, profundidade aquosa, volume da câmara anterior, ângulo da câmara anterior e ceratométricos (p&gt;0,05 para todos os valores). Não houve correlação significativa entre os parâmetros oculares e sistêmicos (p&gt;0,05 para todas as correlações). Conclusão: A pressão intraocular não corrigida, a pressão intraocular corrigida, a espessura corneana central e os valores de volume corneano diminuíram após hemodiálise, enquanto os valores de morfometria da câmara anterior foram semelhantes entre as medidas realizadas antes e após a hemodiálise. <![CDATA[Avaliação multimodal em pacientes com coriorretinopatia serosa central crônica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300181&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To examine differences between fluorescein angiography (FA) and indocyanine green angiography (ICG) findings in patients with chronic central serous chorioretinopathy (CSC), comparing these with optical coherence tomography (OCT) findings. Methods: Ten consecutive patients with chronic CSC (19 eyes; 7 men; mean age, 50.7 ± 8.4 years) underwent multimodal evaluation that included FA, ICG, and OCT (Spectralis HRA-OCT, Heidelberg Engineering, Heidelberg, Germany). Changes such as hyperfluorescence (caused by increased transmission of the normal choroidal fluorescence, staining, or "pooling") and hypofluorescence (caused by a blockage or vascular filling defect) were evaluated in the early (4 min), middle (4-8 min) and late (&gt;8 min) angiography phases and compared to OCT findings. Results: Bilateral disease was present in nine of the 10 patients. Areas of discontinuation or attenuation of the hyporeflective layer of the retinal pigment epithelium (RPE) on OCT were observed at the same locations as hyperfluorescent angiography window defects on FA and ICG within examination phases. In areas of serous or RPE detachment, the hyperfluorescence pattern was similar on FA and ICG. However, ICG demonstrated areas of hyperfluorescence secondary to choriocapillaris hyperpermeability, with no corresponding change on FA in 12 (70%) of the 19 eyes. This finding was more evident in the middle and late phases of the examinations and there was no evident change in retinal architecture on OCT in these hyperpermeable choroidal regions. Conclusion: In patients with chronic CSC, ICG may reveal choroidal abnormalities that are not evident on FA. This finding may help optimize the monitoring and treatment of CSC.<hr/>RESUMO Objetivo: Descrever as diferenças de achados entre a angiofluoresceinografia (FA) e a angiografia digital com indocianina verde (ICG) em pacientes com coriorretinopatia serosa central crônica (CSC), incluindo imagens de tomografia de coerência óptica (OCT). Métodos: Série de casos em que 10 pacientes consecutivos com CSC crônica submetidos à avaliação multimodal, que incluiu FA, ICG e OCT (Spectralis HRA-OCT, Heidelberg Engineering, Heidelberg; Germany). Os pacientes foram avaliados quanto às mudanças como hiperfluorescências (causadas por aumento da transmissão da fluorescência coroidal normal, impregnação ou "pooling") e hipofluorescências (causadas pelo bloqueio ou defeito de enchimento vascular) nas fases precoce (4 minutos), intermediárias (4-8 minutos) e tardias (acima de 8 minutos) da angiografia e comparadas aos achados de OCT. Resultados: Sete dos 10 pacientes (19 olhos) eram homens, média (± DP) de idade dos pacientes foi de 50,7 ± 8,4 anos, e doença bilateral estava presente em nove dos 10 pacientes. Áreas de descontinuação ou atenuação da camada do epitélio pigmentado da retina (EPR), hiporreflectivas no OCT e hiperfluorescência por defeito em janela na FA e ICG ocorreram em locais coincidentes durante as mesmas fases do exame. Em áreas de descolamento seroso ou do EPR, o padrão de hiperfluorescência também foi semelhante em relação à FA e à ICG. No entanto, a ICG demonstrou áreas de hiperfluorescência secundária a hiperpermeabilidade coriocapilar sem mudança correspondente na FA em 12(70%) dos 19 olhos. Este achado da ICG ficou mais evidente nas fases precoces e intermediárias dos exames e não houve mudança evidente na arquitetura da retina no OCT nessas regiões de alteração de hiperpermeabilidade da coroide. Conclusão: Em pacientes com CSC crônica, a ICG pode revelar anormalidades da coróide não evidentes na FA. Esta informação pode ajudar a aperfeiçoar o moni to ramento e tratamento da CSC. <![CDATA[Injeção supratarsal de triancinolona na ceratoconjuntivite primaveril grave em crianças]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300186&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: To evaluate the use of supratarsal injection of triamcinolone acetonide in severe vernal keratoconjunctivitis (VKC) in children. Methods: Patients included in this open clinical trial were those with severe VKC-associated with keratitis, gelatinous limbal infiltrates, and/or giant papillae, with a history of recurrence and resistance to conventional topical antiallergic agents. Patients were treated with a supratarsal injection of 20 mg triamcinolone acetonide. Results: Analysis included 27 injections in 23 eyes of 17 patients with severe allergic keratoconjunctivitis. Mean age was 12.3 (range: 7-19) years. Mean follow-up time was 39.3 months (SD=19.21). In the 17 patients, the disease was successfully controlled for an average of 3.6 months (range: 1-16), during which allergy symptoms and signs were significantly improved, with complete resolution of lid edema and conjunctival chemosis, significant decline of pannus and keratitis, and reduction of giant papillae size. Conclusion: Treatment of severe, acute VKC in children with supratarsal injection of 20 mg triamcinolone acetonide showed satisfactory results and was well tolerated by patients; it may therefore constitute a safe option for severe and challenging cases. While full disease remission was not achieved, a significant improvement was found in ocular allergy symptoms and signs, with a reduction in the frequency of acute recurrences.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar o uso da injeção supratarsal de triancinolona na ceratocon junti vite primaveril grave (VKC) em crianças. Métodos: Pacientes com VKC grave associada à ceratite, limbo gelatinoso e/ou papilas gigantes, com história de recidivas e resistência a agentes antialérgicos tópicos convencionais foram incluídos neste ensaio clínico. Os pacientes foram tratados com injeção de 20 mg de acetato de triancinolona supratarsal. Resultados: A análise incluiu 23 olhos de 17 pacientes com ceratoconjuntivite alérgica grave. A idade média foi de 12,3 com intervalo de 7-19 anos. O tempo médio de acompanhamento foi de 39,3 meses (DP 19,21). Dos 17 pacientes, a doença foi controlada com sucesso por uma média de 3,6 meses (intervalo 1-16) em que os sinais e sintomas foram significativamente melhorados com resolução completa do edema palpebral e quemose conjuntival, redução significativa de pannus, ceratite e redução do tamanho das papilas gigantes. Conclusão: O tratamento da VKC grave em crianças com injeção supratarsal de 20 mg de acetato de triancinolona mostrou resultados satisfatórios, sendo bem tolerada pelas crianças às quais foram submetidas, podendo constituir uma opção segura para casos graves e difíceis de VKC. Uma melhora significativa foi encontrada nos sinais e sintomas alérgicos oculares, com diminuição da frequência de recidivas agudas, no entanto sem se mostrar efetiva para a completa remissão da doença. <![CDATA[Tumor fibroso solitário de glândula lacrimal simulando adenoma pleomórfico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300189&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Solitary fibrous tumor (SFT) is a rare mesenchymal spindle-cell neoplasm commonly found in the pleura; it is rare in the orbit and extremely rare in the lacrimal gland. We herein report a case of SFT of the lacrimal gland that mimicked a pleo morphic adenoma. We discuss the clinical, radiological, histopathological, and immunohistochemical findings that provided insight and rationale to accurately diagnose this case.<hr/>RESUMO Os autores relatam um caso de tumor fibroso solitário (TFS) de glândula lacrimal simulando um adenoma pleomórfico. O TFS é um raro tumor mesenquimal de células fusiformes, comumente encontrado na membrana pleural, raramente en contrado na órbita e extremamente raro na glândula lacrimal. Os autores discutem os achados clínicos, radiológicos, histológicos e imunohistoquímicos que são a chave para o correto diagnóstico desta rara entidade. <![CDATA[Avaliação dos fotorreceptores com adaptive optics na coriorretinopatia serosa central cicatrizada]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300192&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT We present a case of a patient with resolved central serous chorioretinopathy (CSC) in the left eye with persistent mild visual alterations 4 years after the resolution of the disease. Left eye exam revealed a best corrected visual acuity of 20/25 and a slight change of macular pigmentation. Optical coherence tomography revealed only minor irregularities in the topography of retinal pigment epithelium and Bruch's membrane. Adaptive optics (AO) optics demonstrated lower density, spacing, and changes in the photoreceptor mosaic pattern in the left eye than in the right eye, suggesting that CSC may cause damage to cones after clinical recovery. We conclude that AO can provide additional information to assist in the treatment and follow-up of patients with CSC or other macular pathologies.<hr/>RESUMO Apresentamos o relato de caso de paciente com coriorretinopatia serosa central (CSC) cicatrizada em olho esquerdo e queixa de discreta alteração visual, mesmo após quatro anos da resolução do quadro. O exame do olho esquerdo apresenta melhor acuidade visual corrigida de 20/25 e discreta alteração de pigmentação macular. Tomografia de coerência óptica (OCT) apresentou apenas pequenas irregularidades em topografia de EPR e Bruch. Foi realizado exame com Adaptive Optics (AO), evidenciando valores inferiores de densidade, espaçamento e alterações no padrão de mosaico dos fotorreceptores em olho esquerdo quando comparado com olho direito, sugerindo que a CSC pode causar danos em cones, mesmo após uma recuperação considerada satisfatória. Concluímos que o AO é uma tecnologia que traz novas informações para auxiliar o tratamento e seguimento dos pacientes com CSC ou outras patologias maculares. <![CDATA[O primeiro relato de caspofungina intravítrea no tratamento de endoftalmite fúngica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300196&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Fungal endophthalmitis is a rare condition often associated with poor prognosis. We present a case of postoperative acute fungal endophthalmitis caused by the yeast-like fungus Stephanoascus ciferrii (Candida ciferrii). The fungus was resistant to fluconazole, voriconazole, and amphotericin B but susceptible to caspofungin. Because the degree of vitreal penetration of caspofungin after its intravenous administration is unclear, we performed multiple intravitreal injections, first with 50 µg/0.1 ml and then with 250 µg/0.1 ml caspofungin. Despite the recurrence of symptoms, intravitreal injection of caspofungin finally abolished the inflammation and achieved ambulatory vision that persisted until 1 year of follow-up. To our knowledge, this is the first report of S. ciferrii endophthalmitis and its successful treatment with intravitreal caspofungin.<hr/>RESUMO Endoftalmite fúngica é uma ocorrência rara, muitas vezes associada com mau prog nóstico. Apresentamos um caso de endoftalmite fúngica aguda pós-operatória causada por fungo de levedura incomum, Stephanoascus ciferrii (Candida ciferrii). O fungo foi resistente ao fluconazol, ao voriconazol e à anfotericina B e susceptível à caspofun gina. Dado que a penetração vítrea da caspofungina após administração intravenosa não é clara, optou-se por realizar múltiplas injecções intravítreas, primeiro de 50 µg e depois de 250 µg de caspofungina, e finalmente obteve-se a resolução da inflamação e a visão recuperada foi mantida por pelo menos um ano após o ocorrido. No nosso conhecimento, este é o primeiro relato de endoftalmite por Stephanoascus ciferrii e o primeiro relato de endoftalmite fúngica tratada com sucesso com caspofungina intravítrea. <![CDATA[Sinal da bandeira argentina- <em>like</em> durante capsulorrexis posterior primária]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300199&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT We describe a unique complication during primary posterior continuous curvilinear capsulorhexis (PCCC) in a patient with megalocornea scheduled for phacoemulsification with toric multifocal intraocular lens (IOL) implantation. After nucleus emulsification and cortex removal, the capsular bag was filled with cohesive viscoelastic in preparation for PCCC to achieve reverse optic capture of the IOL, thus ensuring stability. However, as soon as the initial puncture was made using a 27-gauge needle to start the capsulotomy, the posterior capsule opening extended peripherally from 0º-180º. This capsule extension was similar to the Argentinean-flag sign in hypermature cataracts, and both are caused by excessive intracapsular pressure. Careful bimanual manipulation was performed to implant the IOL on the desired axis, which occurred uneventfully. At a postoperative visit, the patient exhibited excellent uncorrected visual acuity with a well-aligned IOL.<hr/>RESUMO Os autores demonstram uma complicação durante a realização de uma capsulo tomia circular contínua posterior (CCCP) em um paciente com megalocórnea programado facoemulsificação com implante de lente intraocular (LIO) tórica multifocal. Após a remoção do núcleo e córtex, o saco capsular foi preenchido por viscoelástico coesivo com finalidade de prepará-lo para realização da CCCP e com isso assegurar o correto alinhamento do implante no eixo desejado. Entretanto, assim que a agulha de 27-gauge foi utilizada para confecção puntura inicial da capsulotomia, imediatamente a cápsula posterior se abriu até periferia de 0-180 graus, similar à lesão capsular vista no sinal da Bandeira Argentina em cataratas hipermaduras, ambos causados por pressão excessiva intracapsular. Manipulação cuidadosa foi realizada para implantação da lente no eixo correto, a qual aconteceu sem intercorrências. No pós-operatório, a paciente apresentou uma excelente acuidade visual sem correção com LIO corretamente alinhada no eixo desejado. <![CDATA[Propriedades da córnea e glaucoma: revisão da literatura e meta-análise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492017000300202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Purpose: Studies have suggested that corneal biomechanical properties influence intraocular pressure (IOP) measurements, namely central corneal thickness (CCT) and corneal hysteresis (CH). The present study aimed to investigate the associations of CH and CCT with glaucoma development. Methods: We performed a review of the literature and meta-analysis of observational studies (2006-2016) that included both adult glaucoma patients and controls and reported CCT and CH as outcomes. Nineteen studies were conside red eligible, and the mean difference (MD) between groups (patient and control) for both variables was used for statistical analyses. Results: A total of 1,213 glaucoma and 1,055 healthy eyes were studied. Quan titative analysis suggested that CH was significantly lower in the glaucoma group than in the control group (MD=-1.54 mmHg, 95% CI [-1.68, -1.41], P&lt;0.0001). Additionally, CCT was significantly lower in the glaucoma group than in the control group (MD=-8.49 µm, 95% CI [-11.36, -5.62], P&lt;0.001). Conclusion: Corneal properties appear to differ between glaucoma patients and healthy controls. Our results emphasize the importance of corneal biomechanical properties in IOP interpretation and should support further studies on the influence of CH and CCT in glaucoma screening and diagnosis.<hr/>RESUMO Objetivo: A literatura sugere que as propriedades biomecânicas da córnea, nomeadamente a espessura central da córnea (ECC) e a histerese corneana (HC), influenciam a medição da pressão intraocular (PIO). Este estudo teve como objetivo investigar a associação entre a ECC e a HC e o desenvolvimento de glaucoma. Métodos: Revisão da literatura e meta-análise. Foram incluídos estudos observacionais, publicados entre 2006 e 2016, que integrassem um grupo controle e um grupo de pacientes com glaucoma em que estes dois grupos apresentassem, igualmente, a ECC e a HC como parâmetros. Dezenove estudos foram considerados elegíveis e a diferença média (MD) daqueles parâmetros nos dois grupos foi utilizada para análise estatística. Resultados: Estudaram-se um total de 1.213 olhos com glaucoma e 1.055 olhos saudáveis. A análise quantitativa revelou que a HC é significativamente mais baixa no grupo de doentes com glaucoma quando comparada com o grupo controle (MD=-1,54 mmHg, intervalo de confiança de 95% [-1,68-1,41], P&lt;0,00001). A ECC foi, também, significativamente mais baixa no grupo glaucoma quando comparada com os indivíduos saudáveis MD=-8,49 µm, intervalo de confiança de 95% [-11,36, -5,62], P&lt;0,001). Conclusão: Os pacientes com glaucoma parecem possuir propriedades corneanas diferentes das que apresentam os indivíduos saudáveis. Os resultados enfatizam a importância das propriedades biomecânicas da córnea na interpretação da PIO e devem contribuir para novos estudos sobre a influência da HC e da ECC no rastreio e diagnóstico do glaucoma.