Scielo RSS <![CDATA[Arquivos Brasileiros de Oftalmologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0004-274920140002&lang=pt vol. 77 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[O endosso das diretrizes de publicação é o nosso próximo passo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Resultado visual após implante de uma nova lente intraocular multifocal refrativa tórica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200071&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To assess the postoperative outcomes of a novel toric multifocal in traocular lens (IOL) in patients with cataract and corneal astigmatism. Methods: This prospective nonrandomized study included patients with cataract, corneal astigmatism, and a motivation for spectacle independence. In all patients, a Rayner M-flex® T toric IOL was implanted in the capsular bag. Three months after surgery, the distance, intermediate, and near visual acuities; spherical equivalent; residual refractive astigmatism; defocus curve; and contrast sensitivity were evaluated. A patient satisfaction and visual phenomena questionnaire was administered to all patients. Results: Thirty-four eyes of 18 patients were included in this study. Three months after surgery, the mean corrected distance visual acuity (logMAR) was 0.00 ± 0.08 at 6 m, 0.20 ± 0.09 at 70 cm, and 0.08 ± 0.11 at 40 cm. Uncorrected distance vision acuity was 20/40 or better in 100% eyes. The preoperative mean refractive cylinder (RC) was -2.19 (SD: ± 0.53). After a 3-month follow-up, the average RC was -0.44 D (SD: ± 0.27; p&lt;0.001). Contrast sensitivity levels were high. At the last follow-up, 87.5% patients were spectacle-independent for near, intermediate, and distance vision, and approximately 44% patients reported halos and glare. Conclusion: Toric multifocal IOL implantation in patients with cataract and corneal astigmatism using the Rayner M-flex® T toric IOL was a simple, safe, and accurate option. This technology provides surgeons with a feasible option for meeting patient expectations of an enhanced lifestyle resulting from decreased spectacle dependence. <hr/> Objetivo: Avaliar o resultado pós-operatório de uma nova lente intraocular (LIO) multifocal tórica implantada em pacientes com catarata e astigmatismo corneano. Métodos: Estudo prospectivo não randomizado envolvendo pacientes com catarata, astigmatismo corneano, e motivação para eliminar a dependência dos óculos. Em todos os casos, a lente intraocular tórica Rayner M-flex® T foi implantada dentro do saco capsular. Três meses pós-operatório foram avaliados: acuidade visual para longe, intermediário e perto; equivalente esférico; astigmatismo refracional residual; curva de defocus e sensibilidade ao contraste. Ao final do estudo um questionário referente à satisfação visual foi aplicado. Resultados: Trinta e quatro olhos de 18 pacientes foram incluídos no estudo. Após 3 meses de pós-operatório, a acuidade visual corrigida para longe (logMAR) era de 0,00 ± 0,08 a 6 m, 0,20 ± 0,09 a 70 cm e 0,08 ± 0,11 a 40 cm. A acuidade visual sem correcão foi de 20/40, ou melhor, em 100% dos olhos. A média do cilindro refracional pré-operatório era de -2,19 (DP: ± 0,53). Após o seguimento de 3 meses a média do cilindro refracional era de -0,44 D (DP: ± 0,27) (p&lt;0,001). Os níveis de sensibilidade ao contraste foram elevados. Ao final do seguimento, 87,5% dos pacientes estavam independentes dos óculos para perto, intermediário e para longe, e aproximadamente 44% dos pacientes relatavam halos e glare. Conclusão: O implante de uma lente intraocular multifocal em pacientes com catarata e astigmatismo corneano utilizando a lente intraocular tórica Rayner M-flex® T foi uma opção simples, segura e acurada. Essa nova tecnologia oferece ao cirurgião uma maneira passível de se atingir as expectativas dos pacientes em relação a qualidade de vida em razão de uma menor dependência dos óculos. <![CDATA[Pupila artificial vs adaptação contralateral equilibrada de lentes de contato para correção da presbiopia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200076&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To assess and compare the effects of contact lens-based artificial pupil design and contralateral balanced multifocal contact lens combination (CBMCLC) on visual performance. Methods: This randomized crossover study conducted at the University of Valencia, Spain included 38 presbyopic patients using an artificial pupil contact lens in the nondominant eye and a CBMCLC. After a month of lens wear, the binocular distance visual acuity (BDVA), binocular near visual acuity (BNVA), defocus curve, binocular distance, and near contrast sensitivity and near stereoacuity (NSA) were measured under photopic conditions (85 cd/m2). Moreover, BDVA and binocular distance contrast sensitivity were examined under mesopic conditions (5 cd/m2). Results: Visual acuity at an intermediate distance and near vision was better with the CBMCLC than with the artificial pupil (p&lt;0.05). Statistically significant differences were found in contrast sensitivity between the two types of correction for distance (under mesopic conditions) and for near vision, with the CBMCLC exhibiting better results in both cases (p&lt;0.05). The mean NSA values obtained for the artificial pupil contact lens were significantly worse than those for the CBMCLC (p=0.001). Conclusion: The CBMCLC provided greater visual performance in terms of intermediate and near vision compared with the artificial pupil contact lens. <hr/> Objetivo: Avaliar e comparar os efeitos da pupila artificial baseada em lentes de contato e a combinação equilibrada de lente de contato multifocal contralateral (CBMCLC) sobre o desempenho visual. Métodos: Estudo realizado na Universidade de Valência, Espanha. Em um projeto de estudo do tipo "cross-over", 38 pacientes présbitas foram avaliados utilizando uma lente de contato com pupila artificial no olho não-dominante e CBMCLC. Após 1 mês, foram avaliadas, em condições fotópicas (85 cd/m2), a acuidade visual binocular para distância (BDVA), a acuidade visual binocular para perto (BNVA), a curva de desfocagem, a sensibilidade ao contraste binocular para distância e para perto, assim como a acuidade estereoscópica para perto (NSA). Além disso, a BDVA e a sensibilidade ao contraste binocular para distância foram avaliadas em condições mesópicas (5 cd/m2). Resultados: A acuidade visual em distâncias intermediárias e para perto foram melhores com CBMCLC do que com pupila artificial (p&lt;0,05). Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre a sensibilidade ao contraste com os dois tipos de correção para distância (em condições mesópicas) e para perto, com CBMCLC ser melhor em ambos os casos (p&lt;0,05). Os valores médios da NSA obtidos com as lentes de contato das pupilas artificiais foram significativamente piores do que com CBMCLC (p=0,001). Conclusão: CBMCLC proporciona melhor desempenho visual para visão intermediária e para perto do que a lente de contato com pupila artificial. <![CDATA[Corpos estranhos metálicos na córnea: um problema de saúde ocupacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200081&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To analyze the risk factors, outcomes, demographic characteristics, and attitudes of workers with metallic corneal foreign body (FB) injury. Methods: One hundred consecutive patients who presented with a metallic corneal FB to the eye clinic at Diyarbakir Training and Research Hospital were evaluated. The patients completed a questionnaire and were examined to determine features of the injury. Results: All patients were male. The mean age was 32.46 ± 1.03 years. Fiftyfive percent of the patients were unregistered workers, 59% were working in the metal industry sector, and 65% injuries resulted from metal cutting. Protective goggles were available in the workplace of 64% patients. However, 57% patients were not wearing goggles when the accident occurred, and 43% were injured despite goggle use. Most patients (52%) attempted to remove FBs by themselves. FBs were located in the central zone of the cornea in 16% patients. Rust marks remained after FB removal in 26% patients. Corneal scars from previous FB injuries were present in 58% patients. Only 8% workplaces provided compensation for physician visits for occupation related illnesses. Conclusions: Workplaces with a high risk for eye injuries should increase their protective measures, and educational programs should be implemented for both workers and occupational physicians. The government should enforce laws regarding unregistered workers in a better manner. <hr/> Objetivo: Analisar os fatores de risco, resultados, características demográficas dos trabalhadores e atitudes em relação à lesão por corpo estranho metálico na córnea. Métodos: Foram avaliados cem pacientes consecutivos que se apresentaram com corpo estranho metálico na córnea à clínica oftalmológica do Diyarbakir Training and Research Hospital. Um questionário foi respondido e as características da lesão foram anotadas. Resultados: Todos os pacientes eram do sexo masculino. A idade média foi de 32,46 ± 1,03 anos. Cinquenta e cinco por cento dos pacientes eram trabalhadores não registrados. Cinquenta e nove por cento dos pacientes estavam trabalhando no setor da indústria metal, 65% das lesões resultaram de corte de metal. A presença de óculos de proteção no local de trabalho foi de 64%. Cinquenta e sete por cento dos pacientes não estavam usando óculos de proteção no momento do acidente, e 43% sofreram a lesão, apesar do uso óculos de proteção. Cinquenta e dois por cento dos pacientes tentaram remover o corpo estranho por si só. Dezesseis por cento dos corpos estranhos foram na zona central da córnea. Um depósito de ferrugem permaneceu após a remoção do corpo estranho em 26% dos pacientes. Cinquenta e oito por cento dos pacientes tinham cicatrizes na córnea por causa de lesões por corpo estranho anteriores. Os locais de trabalho que proporcionaram remuneração por visita médica relacionada à ocupação foram de apenas 8%. Conclusões: Locais de trabalho de alto risco devem ser detectados e medidas de proteção devem ser aumentadas. Os programas educacionais devem ser implementados para os trabalhadores e médicos do trabalho. As leis sobre trabalhadores sem carteira assinada deve ser melhor fiscalizadas pelo governo. <![CDATA[Alterações da sensibilidade corneana após cross-linking para ceratocone progressivo em estágio inicial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200084&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To evaluate changes in corneal sensitivity following corneal cross-linking (CXL) in patients with progressive earlier stage keratoconus. Methods: Thirty-eight eyes of 19 patients (11 women, 8 men) were included in a prospective, nonrandomized clinical study. The mean patient age was 22 years (range, 18-26 years). Inclusion criteria were early stage bilateral progressive keratoconus, a transparent cornea, and a thickness of ≥440 µm in the thinnest area of the cornea. Using the Cochet-Bonnet esthesiometer, central corneal sensitivity was measured before surgery, 7 days after surgery, and once a month thereafter until recovery of baseline preoperative levels. Central corneal sensitivity &gt;40 mm was considered normal. Results: Corneal sensitivity gradually returned to preoperative levels in all treated eyes. The mean central corneal sensitivity was 52.2, 24.0, 38.2, 42.5, 50.0, and 52.5 mm before surgery, 7 days after surgery, and at 1, 2, 3, and 4 months after surgery, respectively. Normal levels of corneal sensation, but not baseline (preoperative) levels, were observed 2 months after surgery. The preoperative levels were observed 3 months after surgery. Conclusions: Our results suggest that central corneal sensitivity can be decreased for as long as 3 months after CXL for progressive earlier stage keratoconus. <hr/> Objetivo: Avaliar as alterações da sensibilidade corneana após cross-linking (CXL) da córnea em pacientes com ceratocone progressivo em estágio inicial. Métodos: Trinta e oito olhos de 19 pacientes (11 mulheres, 8 homens) foram incluídos em um estudo clínico prospectivo, não randomizado. A média de idade dos pacientes era de 22 anos (variação, 18-26 anos). Os critérios de inclusão foram ceratocone progressivo bilateral em estágio inicial, córnea transparente e espessura da córnea ≥440 µm usando o estesiômetro de Cochet-Bonnet, mediu-se a sensibilidade da córnea no pré-operatório, após 7 dias, e uma vez por mês até a recuperação dos níveis pré-operatórios. Foram considerados normais, valores de sensibilidade corneana superiores a 40 mm. Resultados: A sensibilidade da córnea retornou gradualmente aos níveis pré-operatórios em todos os olhos tratados. A média de sensibilidade corneana central foi de 52,2, 24,0, 38,2, 42,5, 50,0 e 52,5 mm, antes da cirurgia, aos 7 dias, e em 1, 2, 3 e 4 meses após a cirurgia, respectivamente. Níveis normais de sensibilidade, mas não os níveis pré-operatórios basais, foram observados dois meses após a cirurgia. Níveis pré-operatórios foram observados três meses após a cirurgia. Conclusão: Nossos resultados sugerem que após CXL para ceratocone progressivo em estágio inicial, a sensibilidade corneana permanece diminuída por até 3 meses. <![CDATA[A influência da posição corporal sobre o teste de Bielschowsky]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200088&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To investigate the veracity of Jampolsky's statement that Bielschowsky's head tilt test is inverted if performed with the patient in the upside-down position and to interpret its neuromuscular mechanism. Methods: We present a series of 10 patients selected from a referred sample who were diagnosed with superior oblique paresis. Hypertropia was measured in the primary position, with the head erect and tilted toward both shoulders with the patient in the erect, supine, and upside-down positions. The last position was achieved by hanging the patient upside-down. Results: As expected, our results showed the veracity of Jampolsky's statement. The forced head tilt difference was inverted or significantly decreased when the test was performed in the upside-down position. Moreover, in all patients, Bielschowsky's phenomenon was neutralized in the supine body position, in which hypertropia with the head erect tended to vanish. In 3 patients, it disappeared completely. Conclusions: This study showed that, in patients with superior oblique paresis, differences in the extent of hypertropia in Bielschowsky's test tended to vanish when the test was performed with the patient in the supine position and invert when it was performed with the patient in the upside-down position. <hr/> Objetivo: Investigar a veracidade da suposição de Jampolsky de que o teste de inclinação da cabeça de Bielschowsky invertese caso seja realizado com o paciente de cabeça para baixo, e tentar interpretar o mecanismo neuromuscular envolvido. Métodos: Apresentamos uma série de 10 pacientes portadores de paresia do oblíquo superior. Foi medida a hipertropia dos pacientes na posição primária do olhar e com a cabeça inclinada para cada um dos lados nas posições ereta, supina e de cabeça para baixo. Resultados: Como esperado, nossos resultados confirmaram a suposição de Jampolsky; além disso, e em todos os pacientes, o fenômeno de Bielschowsky foi neutralizado em posição supina. As diferenças da magnitude da hipertropia ao teste de Bielschowsky diminuiram significativamente ou inverteramse quando o paciente foi testado de cabeça para baixo. Conclusões: Este estudo demonstrou que, nos pacientes com paresia do oblíquo superior, a hipertropia evidenciada pelo teste de Bielschowsky tende a desaparecer com o paciente na posição supina e a se inverter quando o teste é realizado com o paciente de cabeça para baixo. <![CDATA[Auxílios ópticos e não ópticos na leitura e escrita de pessoas com baixa visão adquirida]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200091&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To evaluate the use of optical and nonoptical aids during reading and writing activities in individuals with acquired low vision. Methods: This study was performed using descriptive and cross-sectional surveys. The data collection instrument was created with structured questions that were developed from an exploratory study and a previous test based on interviews, and it evaluated the following variables: personal characteristics, use of optical and nonoptical aids, and activities that required the use of optical and nonoptical aids. Results: The study population included 30 subjects with acquired low vision and visual acuities of 20/200-20/400. Most subjects reported the use of some optical aids (60.0%). Of these 60.0%, the majority (83.3%) cited spectacles as the most widely used optical aid. The majority (63.3%) of subjects also reported the use of nonoptical aids, the most frequent ones being letter magnification (68.4%), followed by bringing the objects closer to the eyes (57.8%). Subjects often used more than one nonoptical aid. Conclusions: The majority of participants reported the use of optical and nonoptical aids during reading activities, highlighting the use of spectacles, magnifying glasses, and letter magnification; however, even after the use of these aids, we found that the subjects often needed to read the text more than once to understand it. During writing activities, all subjects reported the use of optical aids, while most stated that they did not use nonoptical aids for such activities. <hr/> Objetivo: Avaliar o uso de auxílios ópticos e não ópticos na leitura e na escrita de pessoas com baixa visão adquirida. Métodos: Realizou-se estudo descritivo, tipo transversal. O instrumento de coleta de dados continha questões estruturadas, desenvolvidas em estudo exploratório e teste prévio e foi aplicado por entrevista, onde foram investigadas as seguintes variáveis: características pessoais, uso de auxílios ópticos e não ópticos, atividades para as quais utiliza auxílios ópticos e não ópticos. Resultados: A população foi composta por 30 sujeitos com baixa visão adquirida, com acuidade visual entre 20/200 a 20/400. A maioria dos sujeitos declarou fazer uso de algum tipo de auxílio óptico (60,0%). Desses 60,0%, a maioria (83,3%) citou os óculos como o auxílio óptico mais usado. A maioria (63,3%) dos sujeitos relatou fazer uso de auxílios não ópticos e os mais citados foram a ampliação de letras (68,4%), seguidos da aproximação dos objetos aos olhos (57,8%). Os sujeitos ressaltaram o uso de mais de um auxílio não óptico. Conclusão: A maioria informou utilizar os auxílios ópticos e não ópticos nas atividades de leitura, evidenciando o uso de óculos e da lupa manual, assim como da ampliação de letras, mas mesmo utilizando tais auxílios verificou-se que os sujeitos necessitavam ler o texto mais de uma vez para terem a compreensão do mesmo. Para a realização das atividades de escrita, a totalidade dos sujeitos declarou utilizar os auxílios ópticos, enquanto que a maioria declarou não utilizar auxílios não ópticos nessas atividades. <![CDATA[Qualidade de vida relacionada à visão em pacientes após ferimentos oculares penetrantes]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200095&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To measure and investigate visual functioning and health-related quality of life (QOL) in patients after ocular penetrating injuries (OPI). Methods: Fifty-four adult patients with OPI and 26 healthy control subjects were enrolled in the study. The National Eye Institute Visual Functioning Questionnaire (NEI VFQ-25) and the 36-Item Short Form Health Survey (SF 36) were administered. Sociodemographic and clinical data also were collected. The primary outcome measures were comparisons and multivariate analysis among groups for the NEI VFQ-25 and SF 36 subscale scores. Results: All NEI VFQ-25 scores, except general health, were significantly lower in the OPI group than those in the control group. All SF 36 scores were significantly lower in the OPI group than in the control group. The NEI VFQ-25 subscale item scores showed no significant differences with respect to age, educational level, or visual acuity in the injured eye. The SF 36 subscale item scores revealed no significant differences according to gender or educational level. Conclusions: Patients with OPI have increased psychological symptoms and lower levels of QOL than healthy control subjects have. Deteriorations in QOL should be kept in mind when managing patients with OPI. <hr/> Objetivo: Medir e investigar a função visual e a qualidade de vida relacionada à saúde (QOL) em pacientes após ferimentos ocular penetrantes (OPI). Método: Cinquenta e quatro pacientes adultos com OPI e 26 indivíduos saudáveis (controles) foram incluídos no estudo. O questionário de função visual do National Eye Institute (NEI VFQ-25) e a avaliação curta de 36 itens (Short Form Health Survey - SF 36) foram administrados. Dados sociais, demográficos e clínicos também foram coletados. As comparações e análise multivariada entre os grupos para as subescalas do NEI VFQ-25 e do SF 36 foram consideradas como resultados primários. Resultados: Todos os índices do NEI VFQ-25, exceto saúde geral, foram significativamente menores no grupo OPI do que aqueles no grupo controle. Todos os índices do SF 36 foram significativamente menores no grupo OPI do que no grupo controle. Os índices das subescalas do NEI VFQ-25 não apresentaram diferenças significativas em relação à idade, escolaridade, ou acuidade visual no olho ferido. Os índices das subescalas do SF 36 não revelaram diferenças significativas de acordo com o nível de escolaridade ou sexo. Conclusões: Pacientes com OPI apresentaram sintomas psicológicos aumentados e níveis mais baixos de qualidade de vida que os indivíduos saudáveis. Deteriorações na qualidade de vida devem ser consideradas ao gerenciar pacientes com OPI. <![CDATA[Lágrima artificial versus cetorolaco de trometamina 0,45% associado à lagrima artificial no tratamento da conjuntivite viral aguda]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200099&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To evaluate the effects of preservativefree 0.45% ketorolac tromethamine and artificial tears (carboxymethylcellulose) compared with those of preservativefree artificial tears alone on the symptoms and signs of acute viral conjunctivitis. Methods: This was a randomized, doublemasked clinical trial that included 50 patients who were diagnosed with acute viral conjunctivitis and distributed into two groups (Group 0: artificial tears and Group 1: 0.45% ketorolac tromethamine + carboxymethylcellulose). The patients were instructed to use the medication 4 times daily. Signs (conjunctival hyperemia, chemosis, follicles, and secretion) and symptoms (general ocular discomfort, itching, foreign body sensation, tearing, redness, and swelling of the eyelids) were scored at baseline and on the third and seventh days of treatment using a standardized questionnaire and slitlamp anterior segment examination. Results: Both groups showed an improvement in the signs and symptoms of conjunctivitis in their follow-up visits. There was no significant difference in symptom and sign scores between Group 0 and Group 1 in the study visits (p&gt;0.05). The frequency of side effects during treatment was similar between groups (p&gt;0.05). Conclusions: Our findings indicate that 0.45% ketorolac tromethamine was not superior to the use of artificial tears in relieving the signs and symptoms of viral conjunctivitis. <hr/> Objetivo: Avaliar o efeito do colírio de cetorolaco de trometamina 0,45% associado à carboximetilcelulose sem conservante em comparação ao uso isolado de lágrimas artificiais sem conservantes nos sinais e sintomas da conjuntivite viral aguda. Métodos: Ensaio clínico duplo-mascarado randomizado incluindo 50 pacientes com diagnóstico de conjuntivite viral aguda, distribuídos em dois grupos (Grupo 0: lágrimas artificiais e Grupo 1: cetorolaco 0,45% + carboximetilcelulose). Os pacientes foram orientados a utilizar a medicação quatro vezes ao dia. Sinais (hiperemia conjuntival, quemose, folículos e secreção) e sintomas (desconforto ocular geral, prurido, sensação de corpo estranho, lacrimejamento, vermelhidão e inchaço de pálpebras) foram avaliados na consulta inicial, no terceiro e no sétimo dia de tratamento utilizando um questionário padronizado e biomicroscopia de segmento anterior. Resultados: Ambos os grupos apresentaram melhora dos sinais e sintomas de conjuntivite nas visitas de reavaliação. Não foi observado diferença estatística na mudança dos escores dos sinais e sintomas entre o Grupo 0 e o Grupo 1 durante as visitas do estudo (p&gt;0.05). A frequência de efeitos colaterais durante o tratamento foi similar entre os dois grupos (p&gt;0.05). Conclusão: O uso do cetorolaco de trometamina 0,45% não se mostrou superior ao uso isolado de lágrimas artificiais no alívio dos sinais e sintomas da conjuntivite viral. <![CDATA[Lente implantável de collamer e laser de femtosegundo para miopia: comparação usando um simulador visual de óptica adaptativa]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200103&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To compare optical and visual quality of implantable collamer lens (ICL) implantation and femtosecond laser in situ keratomileusis (F-LASIK) for myopia. Methods: The CRX1 adaptive optics visual simulator (Imagine Eyes, Orsay, France) was used to simulate the wavefront aberration pattern after the two surgical procedures for -3-diopter (D) and -6-D myopia. Visual acuity at different contrasts and contrast sensitivities at 10, 20, and 25 cycles/degree (cpd) were measured for 3-mm and 5-mm pupils. The modulation transfer function (MTF) and point spread function (PSF) were calculated for 5-mm pupils. Results: F-LASIK MTF was worse than ICL MTF, which was close to diffraction-limited MTF. ICL cases showed less spread out of PSF than F-LASIK cases. ICL cases showed better visual acuity values than F-LASIK cases for all pupils, contrasts, and myopic treatments (p&lt;0.05). No statistically significant differences were found in contrast sensitivities between ICL and F-LASIK cases with -3-D myopia for both pupils for all evaluated spatial frequencies (p&gt;0.05). For -6-D myopia, however, statistically significant differences in contrast sensitivities were found for both pupils for all evaluated spatial frequencies (p&lt;0.05). Contrast sensitivities were better after ICL implantation than after F-LASIK. Conclusions: ICL implantation and F-LASIK provide good optical and visual quality, although the former provides better outcomes of MTF, PSF, visual acuity, and contrast sensitivity, especially for cases with large refractive errors and pupil sizes. These outcomes are related to the F-LASIK producing larger high-order aberrations. <hr/> Objetivo: Comparar a qualidade óptica e visual da lente implantável de collamer (ICL) e da ceratomileuse in situ com laser de femtosegundo (F-LASIK) na correção de miopia. Métodos: O simulador visual de óptica adaptativa CRX1 (Imagine Eyes, Orsay, França) foi usado para simular o padrão de aberração de frentes de onda, depois de dois procedimentos cirúrgicos: implante de ICL e tratamento F-LASIK para -3 e -6 D. A acuidade visual em diferentes contrastes e sensibilidade ao contraste em 10, 20 e 25 ciclos/grau (cpd) foram medidos para pupilas de 3 e 5 mm. A função de transferência de modulação (MTF) e a função de espalhamento de ponto (PSF) foram calculados para a pupila de 5 mm. Resultados: A MTF do F-LASIK foi pior do que a do ICL, que estava perto da MTF do limite de difração. A ICL apresentou menor espalhamento do PSF do que o F-LASIK. ICL apresentou melhores valores da acuidade visual do que F-LASIK para todas as pupilas, contrastes e tratamentos miópicos (p&lt;0,05). Não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes na sensibilidade ao contraste entre ICL e F-LASIK de -3 D, para ambas as pupilas e quaisquer frequências espaciais avaliadas (p&gt;0,05). Por outro lado, para -6 D, diferenças estatisticamente significativas na sensibilidade ao contraste foram encontrados para ambas as pupilas e todas as frequências espaciais avaliadas (p&lt;0,05). Sensibilidade ao contraste foi melhor após o implante da ICL que após o F-LASIK. Conclusões: ICL e F-LASIK proporcionam uma boa qualidade óptica e visual, embora a ICL oferece melhores resultados de MTF, PSF, acuidade visual e sensibilidade ao contraste, especialmente para grandes erros de refração e tamanhos de pupila. Estes resultados estão relacionados ao procedimento F-LASIK que induz maiores aberrações de alta ordem. <![CDATA[Qualidade de vida em pacientes estrábicos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200110&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Purpose: To evaluate the impact of strabismus on quality of life. Methods: This cross-sectional study included 101 individuals aged 7-67 years with strabismus. They were interviewed and made to answer a questionnaire with 20 questions intended to assess the individual's interaction with their social and working environment, sensory perception, and limitations in their daily lives. There were five types of possible responses for each question: never, rarely or very few times, sometimes, frequently, and always. The questionnaire was based on the AS-20 and contained 11 questions assessing psychosocial aspects and 9 questions assessing functional aspects. Among those who were interviewed, 24.8% had undergone surgical correction of strabismus. Results: We observed a significant impact of strabismus on the quality of life of the interviewed individuals. Feelings of sadness and inferiority because of strabismus were reported by 74.2% and 58.4% respondents, respectively. In terms of functionality, 12.1% reported difficulty in reading, 14% said they had difficulty in depth perception (stereopsis), and 17.8% frequently or always associated pain or burning sensation in the eyes to strabismus. A significant difference was detected in the quality of life scores for the psychosocial aspect among patients who had and had not undergone surgery (Wilcoxon test, 158; p&lt;0.001). Individuals who had undergone surgery had a better quality of life from the psychosocial perspective. Conclusions: In this evaluation, we found a significant negative interference of strabismus on quality of life from both the functional and psychosocial perspectives. This demonstrated the importance of treatment for strabismus, regardless of age, because it can interfere with the functional well-being of the individual. <hr/> Objetivo: Avaliar a interferência do estrabismo na qualidade de vida em indivíduos estrábicos. Métodos: Estudo transversal envolvendo 101 indivíduos estrábicos entre 7 e 67 anos. Eles foram entrevistados e responderam um questionário com 20 perguntas aplicadas pelos pesquisadores. As perguntas tinham como objetivo avaliar a interação do indivíduo com o seu meio social, de trabalho, percepção sensorial e limitações na sua vida diária, com cinco tipos de respostas para cada pergunta: nunca, raramente ou muito pouco, algumas vezes, frequentemente e sempre. O questionário foi baseado no AS-20 e contendo 11 questões avaliando aspectos psicossociais e 9 questões avaliando aspectos funcionais. Entre os indivíduos entrevistados, 24,8% haviam sido submetidos a correção cirúrgica do estrabismo. Resultados: Observou-se impacto significativo do estrabismo sobre a qualidade de vida dos indivíduos avaliados. Sentir-se incomodado ou inferiorizado em decorrência do estrabismo foram relatados por 74,2% e 58,4% dos entrevistados respectivamente. No quesito de funcionalidade, 12,1% relataram dificuldade para ler, 14% disseram ter dificuldade na percepção de profundidade (estereopsia) e 17,8% associaram dor ou ardor nos olhos ao estrabismo frequentemente ou sempre. Diferença significativa foi detectada com respeito ao escore de qualidade de vida no aspecto psicossocial entre indivíduos que realizaram e não realizaram cirurgia (teste de Wilcoxon = 158, p-valor &lt;0,001). Indivíduos que realizaram cirurgia possuíam melhor qualidade de vida no aspecto psicossocial. Conclusões: Nessa avaliação, percebe-se uma interferência negativa muito significativa do estrabismo na qualidade de vida, tanto funcional como psicossocial nos indivíduos pesquisados. Isso demonstra a importância do tratamento do estrabismo, independente da idade, pois ele pode interferir muito na qualidade de vida e bem estar psicossocial e funcional do indivíduo. <![CDATA[Hamartoma congênito simples do epitéilo pigmentado da retina: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200114&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt We report the case of a 56-year-old woman who presented for a routine ophthalmological examination without visual symptoms and had a unilateral black retinal lesion that was detected by clinical examination. Fluorescein angiography and optical coherence tomography findings were compatible with a congenital simple hamartoma of the retinal pigment epithelium. It is very important to detect this tumor and differentiate it from other pigmented fundus lesions that can compromise visual function or result in systemic conditions such as those caused by malignant tumors.<hr/>Relato de um caso de paciente feminina de 56 anos que compareceu a uma consulta oftalmológica de rotina sem sintomas visuais e apresentando uma lesão retiniana preta, unilateral, detectada ao exame clínico. As características da angiografia fluoresceínica e da tomografia de coerência óptica foram compatíveis com hamartoma congênito simples do epitélio pigmentado da retina. É muito importante detectar este tumor e diferenciá-lo de outras lesões fundoscópicas pigmentadas que podem comprometer a função visual ou, além disso, afetar o paciente sistemicamente como em tumores malignos. <![CDATA[Miosite do músculo reto medial como forma atípica de apresentação de linfoma tipo MALT: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200116&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Here we describe the rare case of a 55-year-old man with medial rectus muscle myositis as an atypical presentation of non-Hodgkin B-cell mucosa-associated lymphoma (MALT). Pathology and immunohistochemistry of the affected muscle confirmed the diagnosis of a neoplasm. The primary etiology of orbital myositis is Graves' ophthalmopathy, but several other diseases may cause this clinical presentation. Therefore, the neoplastic causes must be eliminated from the differential diagnoses. non-Hodgkin B-cell mucosa-associated lymphoma is the most common histological type of lymphoma in the orbit, with the conjunctiva and lacrimal glands being the most commonly affected sites. However, it may also present in atypical forms involving others sites and tissues.<hr/>Descrevemos um raro caso de miosite do músculo reto medial como forma atípica de apresentação de linfoma não-Hodgkin de células B tipo MALT. A anatomia patológica e imuno-histoquímica do músculo afetado confirmaram o diagnóstico definitivo do caráter neoplásico da doença. As miosites orbitárias têm como principal etiologia a oftalmopatia de Graves, porém diversas outras causas podem apresentar-se dessa forma. Sendo assim, as causas neoplásicas devem ser descartadas. O linfoma não-Hodgkin de células B tipo MALT é o tipo histológico mais comum de linfoma orbitário, as regiões mais frequentemente acometidas são a conjuntiva e glândula lacrimal. No entanto, pode apresentar-se com formas clínicas atípicas, acometendo outras regiões e tecidos. <![CDATA[Ectasia corneana após ceratomileuse a laser in situ em um paciente com baixo risco e apresentando síndrome de hipermobilidade articular benigna]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200119&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Here we present the case of a 27-year-old woman with benign joint hypermobility (BJHS) syndrome who developed keratectasia after laser in situ keratomileusis (LASIK) in both eyes. Both eyes had identical low Randleman risk factor scores. To our knowledge, this is the first report of such a complication in a patient with BJHS. It highlights our incomplete knowledge of the risk factors for keratectasia following LASIK and suggests that BJHS should be considered as a risk factor for keratectasia.<hr/>Apresentamos um caso de estasia corneana em um paciente submetido à cirurgia refrativa a laser. Ceratomileuse a laser in situ (LASIK) foi realizada em ambos os olhos. Ambos os olhos apresentavam idênticos escores baixos na avaliação de fatores de risco de Randleman. Acreditamos que este é o primeiro caso desta complicação em um paciente com síndrome de hipermobilidade articular benigna relatado na literatura. Ele destaca o nosso conhecimento incompleto dos fatores de risco para ectasia corneana após LASIK e sugere que a síndrome de hipermobilidade articular benigna deve ser considerada um fator de risco para ectasia corneana. <![CDATA[<em>In vivo</em> Descemet stripping automated endothelial keratoplasty ultrafina com laser de femtosegundo de baixa energia e alta frequência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200122&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This case report describes the production of an ultrathin endothelial donor corneal lamella using a femtosecond laser with low energy and a high frequency. In addition, we report its use in vivo in an eye with pseudophakic bullous keratopathy. The outcomes were observed 3 months after surgery in terms of the change in endothelial donor lamella and full cornea thickness (including pachymetric mapping), visual acuity, and endothelial cell count.<hr/>Este relato de caso mostra a confecção de uma lamela corneana doadora endotelial ultrafina com o uso de um laser de femtosegundo de baixa energia e alta taxa de repetição, e sua utilização in vivo em um paciente com ceratopatia bolhosa do pseudofácico. O resultado final foi observado quanto a evolução da espessura da lamela endotelial doadora e de toda a córnea (incluindo mapa paquimétrico), da acuidade visual, e da contagem endotelial ao final de 3 meses de pós-operatório. <![CDATA[Uso de lentes intraoculares tóricas no tratamento cirúrgico de astigmatismo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200125&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Correction of corneal astigmatism is a key element of cataract surgery, since post-surgical residual astigmatism can compromise the patient's uncorrected visual acuity. Toric intraocular lenses (IOLs) compensate for corneal astigmatism at the time of surgery, correcting ocular astigmatism. They are a predictable treatment. However, accurate measurement of corneal astigmatism is mandatory for choosing the correct toric IOL power and for planning optimal alignment. When calculating the power of toric IOLs, it is important to consider anterior and posterior corneal astigmatism, along with the surgically induced astigmatism. Accurate toric lens alignment along the calculated meridian is also crucial to achieve effective astigmatism correction. There are several techniques to guide IOL alignment, including the traditional manual marking technique and automated systems based on anatomic and topographic landmarks. The aim of this review is to provide an overview on astigmatism management with toric IOLs, including relevant patient selection criteria, corneal astigmatism measurement, toric IOL power calculation, toric IOL alignment, clinical outcomes and complications.<hr/>O tratamento do astigmatismo corneal é um fator importante na cirurgia de catarata, uma vez que o astigmatismo residual pode comprometer a acuidade visual não corrigida do paciente após a cirurgia. Lentes intraoculares (LIOs) tóricas compensam o astigmatismo corneal no momento da cirurgia, corrigindo o astigmatismo ocular. Ademais, constituem um tratamento previsível. Entretanto, é necessário obter uma medida precisa do astigmatismo corneal para selecionar o poder correto da LIO tórica e para planejar o melhor alinhamento da mesma. No cálculo do poder da LIO tórica, é importante considerar o astigmatismo das superfícies anterior e posterior da córnea, além do astigmatismo induzido na cirurgia. O alinhamento da lente tórica no meridiano planejado é essencial para se obter uma correção efetiva do astigmatismo. Há várias técnicas para guiar o alinhamento da LIO, incluindo a técnica de marcação manual tradicional e sistemas que se baseiam em pontos de referência anatômicos e topográficos. O objetivo desse artigo de revisão é discutir o uso de LIOs tóricas no tratamento de astigmatismo corneal, incluindo os critérios de seleção dos pacientes, a medida do astigmatismo corneal, o cálculo do poder da LIO tórica, o alinhamento da LIO tórica, os resultados clínicos e as complicações. <![CDATA[Use of the Iowa Satisfaction with Anesthesia Scale in Portuguese]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200132&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Correction of corneal astigmatism is a key element of cataract surgery, since post-surgical residual astigmatism can compromise the patient's uncorrected visual acuity. Toric intraocular lenses (IOLs) compensate for corneal astigmatism at the time of surgery, correcting ocular astigmatism. They are a predictable treatment. However, accurate measurement of corneal astigmatism is mandatory for choosing the correct toric IOL power and for planning optimal alignment. When calculating the power of toric IOLs, it is important to consider anterior and posterior corneal astigmatism, along with the surgically induced astigmatism. Accurate toric lens alignment along the calculated meridian is also crucial to achieve effective astigmatism correction. There are several techniques to guide IOL alignment, including the traditional manual marking technique and automated systems based on anatomic and topographic landmarks. The aim of this review is to provide an overview on astigmatism management with toric IOLs, including relevant patient selection criteria, corneal astigmatism measurement, toric IOL power calculation, toric IOL alignment, clinical outcomes and complications.<hr/>O tratamento do astigmatismo corneal é um fator importante na cirurgia de catarata, uma vez que o astigmatismo residual pode comprometer a acuidade visual não corrigida do paciente após a cirurgia. Lentes intraoculares (LIOs) tóricas compensam o astigmatismo corneal no momento da cirurgia, corrigindo o astigmatismo ocular. Ademais, constituem um tratamento previsível. Entretanto, é necessário obter uma medida precisa do astigmatismo corneal para selecionar o poder correto da LIO tórica e para planejar o melhor alinhamento da mesma. No cálculo do poder da LIO tórica, é importante considerar o astigmatismo das superfícies anterior e posterior da córnea, além do astigmatismo induzido na cirurgia. O alinhamento da lente tórica no meridiano planejado é essencial para se obter uma correção efetiva do astigmatismo. Há várias técnicas para guiar o alinhamento da LIO, incluindo a técnica de marcação manual tradicional e sistemas que se baseiam em pontos de referência anatômicos e topográficos. O objetivo desse artigo de revisão é discutir o uso de LIOs tóricas no tratamento de astigmatismo corneal, incluindo os critérios de seleção dos pacientes, a medida do astigmatismo corneal, o cálculo do poder da LIO tórica, o alinhamento da LIO tórica, os resultados clínicos e as complicações. <![CDATA[Plagiarism and misconduct in research]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27492014000200133&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Correction of corneal astigmatism is a key element of cataract surgery, since post-surgical residual astigmatism can compromise the patient's uncorrected visual acuity. Toric intraocular lenses (IOLs) compensate for corneal astigmatism at the time of surgery, correcting ocular astigmatism. They are a predictable treatment. However, accurate measurement of corneal astigmatism is mandatory for choosing the correct toric IOL power and for planning optimal alignment. When calculating the power of toric IOLs, it is important to consider anterior and posterior corneal astigmatism, along with the surgically induced astigmatism. Accurate toric lens alignment along the calculated meridian is also crucial to achieve effective astigmatism correction. There are several techniques to guide IOL alignment, including the traditional manual marking technique and automated systems based on anatomic and topographic landmarks. The aim of this review is to provide an overview on astigmatism management with toric IOLs, including relevant patient selection criteria, corneal astigmatism measurement, toric IOL power calculation, toric IOL alignment, clinical outcomes and complications.<hr/>O tratamento do astigmatismo corneal é um fator importante na cirurgia de catarata, uma vez que o astigmatismo residual pode comprometer a acuidade visual não corrigida do paciente após a cirurgia. Lentes intraoculares (LIOs) tóricas compensam o astigmatismo corneal no momento da cirurgia, corrigindo o astigmatismo ocular. Ademais, constituem um tratamento previsível. Entretanto, é necessário obter uma medida precisa do astigmatismo corneal para selecionar o poder correto da LIO tórica e para planejar o melhor alinhamento da mesma. No cálculo do poder da LIO tórica, é importante considerar o astigmatismo das superfícies anterior e posterior da córnea, além do astigmatismo induzido na cirurgia. O alinhamento da lente tórica no meridiano planejado é essencial para se obter uma correção efetiva do astigmatismo. Há várias técnicas para guiar o alinhamento da LIO, incluindo a técnica de marcação manual tradicional e sistemas que se baseiam em pontos de referência anatômicos e topográficos. O objetivo desse artigo de revisão é discutir o uso de LIOs tóricas no tratamento de astigmatismo corneal, incluindo os critérios de seleção dos pacientes, a medida do astigmatismo corneal, o cálculo do poder da LIO tórica, o alinhamento da LIO tórica, os resultados clínicos e as complicações.