Scielo RSS <![CDATA[Arquivos de Gastroenterologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0004-280320150002&lang=pt vol. 52 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A partida de um Mestre da Gastroenterologia Brasileira]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200081&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Antibioticoprofilaxia em cirurgia bariátrica: infusão contínua de cefazolina versus ampicilina/sulbactam e ertapenem]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200083&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background The incidence of surgical site infection in bariatric patients is significant and the current recommendations for antibiotic prophylaxis are sometimes inadequate. Objective The aim of this study was to analyze the effect of three prophylactic antibiotic regimens on the incidence of surgical site infection. Methods A prospective, cross-sectional study was conducted between January 2009 and January 2013 in which 896 Roux-en-Y gastric bypasses were performed to treat obesity. The study compared three groups of patients according to the perioperative antibiotic prophylaxis administered intravenously and beginning at anesthesia induction: Group I consisting of 194 patients treated with two 3-g doses of ampicillin/sulbactam; Group II with 303 patients treated with a single 1-g dose of ertapenem; and Group III with 399 patients treated with a 2-g dose of cefazolin at anesthesia induction followed by a continuous infusion of cefazolin 1g throughout the surgical procedure. The rate of surgical site infection was analyzed, as well as its association with age, sex, preoperative weight, body mass index and comorbidities. Results The rates of surgical site infection were 4.16% in the group treated prophylactically with ampicillin/sulbactam, 1.98% in the ertapenem group and 1.55% in the continuous cefazolin group. Conclusion The prophylactic use of continuous cefazolin in surgeries for morbid obesity shows very promising results. These findings suggest that some prophylactic regimens need to be reconsidered and even substituted by more effective therapies for the prevention of surgical site infections in bariatric patients. <hr/> Contexto A incidência de infecção de sítio cirúrgico em pacientes bariátricos é significativa e as recomendações atuais para a profilaxia antibiótica são por vezes inadequadas. Objetivo O objetivo deste estudo foi analisar o efeito de três esquemas de antibióticos profiláticos sobre a incidência de infecção de sítio cirúrgico. Método Estudo prospectivo, transversal, foi realizado entre janeiro de 2009 e janeiro de 2013, em que 896 derivações gástricas em Y de Roux foram realizadas para tratar a obesidade. O estudo comparou três grupos de pacientes de acordo com a profilaxia antibiótica administrada no perioperatória por via intravenosa, iniciada na indução anestésica: Grupo I constituído de 194 pacientes tratados com duas doses de 3 g de ampicilina/sulbactam; Grupo II com 303 pacientes tratados com uma única dose de 1 g de ertapenem; e Grupo III com 399 pacientes tratados com uma dose de 2 g de cefazolina no momento da indução da anestésica seguida de uma infusão contínua de cefazolina 1 g durante o procedimento cirúrgico. A taxa de infecção de sítio cirúrgico foi analisada, bem como a sua associação com a idade, sexo, peso pré-operatório, o índice de massa corporal e comorbidades. Resultados As taxas de infecção do sítio cirúrgico foram de 4,16% no grupo tratado profilaticamente com ampicilina/sulbactam, 1,98% no grupo de ertapenem e 1,55% no grupo de cefazolina contínua. Conclusão O uso profilático de cefazolina contínua em cirurgias para obesidade mórbida apresenta resultados muito promissores. Estes resultados sugerem que alguns regimes profiláticos precisam ser reconsiderados e até mesmo substituídos por terapias mais eficazes para a prevenção de infecções de sítio cirúrgico em pacientes bariátricos. <![CDATA[Correlações nutricionais, metabólicas e cardiovasculares do cortisol matutino em profissionais da saúde de um Serviço de Gastroenterologia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200088&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Workplace stress has been associated with obesity. Diminished body weight has also been anticipated in some contexts. Objective In a cohort of healthcare personnel, morning cortisol was compared to nutritional and metabolic variables, aiming to identify the correlates of such marker. Methods Population n=185, 33.8 ± 9.8 years, 88.1% females, body mass index (BMI) 25.6 ± 4.4 kg/m2, included nurses and other nosocomial professionals, the majority with high social-economic status (75.2%). Participants were stratified according to BMI, fasting blood glucose (FBG) and metabolic syndrome (MS). Fasting plasma cortisol and the Framingham Coronary Risk Score was calculated. Results Mean cortisol was acceptable (19.4 ± 7.9 µg/dL) although with elevation in 21.6%. No correlation with FBG or MS occurred, and nonobese persons (BMI &lt;25) exhibited the highest values (P=0.049). Comparison of the lowest and highest cortisol quartiles confirmed reduced BMI and waist circumference in the former, with unchanged Framingham Coronary Risk Score. Conclusion Cortisol correlated with reduced BMI. Despite low BMI and waist circumference, Framingham Coronary Risk Score was not benefitted, suggesting that exposure to cardiovascular risk continues, besides psychological strain. Initiatives to enhance organizational and staff health are advisable in the hospital environment. <hr/> Contexto O estresse no ambiente de trabalho tem sido associado com obesidade. Peso corporal diminuído também tem sido relatado em algumas circunstâncias. Objetivo Numa casuística de profissionais da saúde, o cortisol matutino foi comparado com variáveis nutricionais e metabólicas, objetivando identificar as correlações de tal marcador. Métodos A população com n=185; 33,8 ± 9,8 anos; 88,1% mulheres, índice de massa corporal (IMC) 25.6 ± 4.4 kg/m2, incluía enfermeiros e outros funcionários nosocomiais, em sua maioria (75,2%) com nível sócio-econômico elevado. Os participantes foram estatrificados de acordo com IMC, glicemia de jejum, e síndrome metabólica. O cortisol de jejum e o escore Framingham de risco cardiovascular foram registrados. Resultados O cortisol médio era aceitável (19.4 ± 7.9 µg/dL), todavia com valores elevados em 21,6%. A glicemia de jejum e a síndrome metabólica não exibiram correlação, sendo que no tocante ao IMC, os não obesos (IMC &lt;25) apresentaram o cortisol mais alto (P=0,049). Comparando-se os quartis superior e inferior do cortisol, confirmou-se o vínculo com o IMC e perímetro abdominal mais baixos, com escore Framingham de risco cardiovascular inalterado. Conclusão O cortisol alterado concentrou-se nos casos de IMC mais reduzido. A despeito do baixo IMC e perímetro abdominal, esta população não se beneficiou de escore de risco cardiovascular menor, sugerindo que, mesmo na ausência de obesidade, este grupo estava exposto a elevado risco cardiovascular, ao lado do estresse. Iniciativas direcionadas para melhor saúde organizacional e da equipe de profissionais, são recomendáveis no ambiente hospitalar. <![CDATA[Deficiência de cobre e magnésio em pacientes com Síndrome do Intestino Curto sob nutrição parenteral ou alimentação por via oral]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200094&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Patients with short bowel syndrome have significant fluid and electrolytes loss. Objective Evaluate the mineral and electrolyte status in short bowel syndrome patients receiving intermittent parenteral nutrition or oral feeding. Methods Twenty two adults with short bowel syndrome, of whom 11 were parenteral nutrition dependent (PN group), and the 11 remaining had been weaned off parenteral nutrition for at least 1 year and received all nutrients by oral feeding (OF group). The study also included 14 healthy volunteers paired by age and gender (control group). Food ingestion, anthropometry, serum or plasma levels of sodium, potassium, phosphorus, magnesium, calcium, zinc, iron and copper were evaluated. PN group subjects were evaluated before starting a new parenteral nutrition cycle. Results The levels of sodium, potassium, phosphorus, calcium and zinc were similar between the groups. The magnesium value was lower in the PN group (1.0 ± 0.4 mEq /L) than other groups. Furthermore, this electrolyte was lower in the OF group (1.4 ± 0.3 mEq /L) when compared to the Control group (1.8 ± 0.1 mEq/L). Lower values of copper (69±24 vs 73±26 vs 109±16 µg/dL) were documented, respectively, for the PN and OF groups when compared to the control group. Conclusion Hypomagnesemia and hypocupremia are electrolyte disturbances commonly observed in short bowel syndrome. Patients with massive intestinal resection require monitoring and supplementation in order to prevent magnesium and copper deficiencies. <hr/> Contexto Ressecções intestinais extensas resultam em perda de fluídos e eletrólitos. Objetivo Avaliar os níveis séricos de minerais e eletrólitos em pacientes com síndrome do intestino curto, dependentes ou não de nutrição parenteral. Métodos O estudo incluiu 22 adultos com síndrome de intestino curto, sendo 11 dependentes de nutrição parenteral (Grupo NP) e 11 sujeitos que recebiam todo aporte nutricional por via oral (Grupo VO). Foram incluídos 14 voluntários saudáveis, pareados para a idade e o gênero (Grupo Controle). A avaliação da ingestão alimentar, antropometria, níveis sanguíneos de sódio, potássio, fósforo, magnésio, cálcio, zinco, ferro e cobre foram documentados em todos os voluntários. Resultados Os níveis sanguíneos de sódio, potássio, fósforo, cálcio e zinco foram similares entre os grupos de estudo. Os níveis séricos de magnésio foram menores no Grupo NP (1,0±0,4 mEq/L) em relação aos demais grupos. Além disso, a concentração desse eletrólito foi menor no Grupo VO (1,4±0,3 mEq/L) em relação ao Grupo Controle (1,8±0,1 mEq/L). Foram documentados menores valores cobre (69±24 vs 73±26 vs 109±16 µg/dL) nos grupos NP e VO quando comparados com o Grupo Controle, respectivamente. Conclusão Hipomagnesemia e hipocupremia são distúrbios eletrolíticos comumente observados na síndrome de intestino curto. Os pacientes com ressecção intestinal extensa requerem monitorização e suplementação de magnésio e cobre a fim de prevenir deficiências. <![CDATA[Qualidade de vida em gestantes com pirose e regurgitação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200100&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Heartburn and regurgitation frequently occur in the third trimester of pregnancy, but their impact on quality of life has not been thoroughly investigated. Objective To measure health-related quality of life of third-trimester pregnant women with heartburn and regurgitation. Methods Data on obstetric history, heartburn and regurgitation frequency and intensity, history of heartburn and regurgitation and health-related quality of life were collected of 82 third-trimester pregnant women. Results Sixty-two (76%) women had heartburn, and 58 (71%), regurgitation; 20 were asymptomatic. Mean gestational age was 33.8±3.7 weeks; 35 (43%) women had a family history of heartburn and/or regurgitation, and 57 (70%) were asymptomatic before pregnancy. The following quality of life concepts were significantly reduced: physical problems and social functioning for heartburn; physical problems and emotional functioning for regurgitation. There was agreement between heartburn in present and previous pregnancies. Conclusion Heartburn and/or regurgitation affected health-related quality of life of third trimester pregnant women <hr/> Contexto A pirose e a regurgitação ocorrem com frequência no terceiro trimestre de gestação, mas o seu impacto na qualidade de vida não foi completamente investigado. Objetivo Avaliar a qualidade da vida de gestantes do terceiro trimestre com pirose e regurgitação. Métodos Os dados sobre a história obstétrica, frequência, intensidade e história de pirose e regurgitação, bem como a qualidade de vida foram coletados de 82 mulheres do terceiro trimestre de gestação. Resultados Sessenta e duas (76%) mulheres tinham pirose e, 58 (71%), regurgitação; 20 eram assintomáticas. A idade gestacional média foi de 33,8 ± 3,7 semanas; 35 (43%) mulheres tinham história familiar de pirose e/ou regurgitação e 57 (70%) eram assintomáticos antes da gestação. Os seguintes domínios de qualidade de vida estavam significativamente reduzidos: limitação física e aspectos sociais pela pirose; limitação física e aspectos emocionais pela regurgitação. Houve concordância entre pirose nas gestações atuais e prévias. Conclusão A pirose e/ou regurgitação afetam a qualidade de vida de gestantes de terceiro trimestre. <![CDATA[Lesões das mucosas orais e sintomatologia oral em doentes com Doença Inflamatória Intestinal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200105&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Inflammatory Bowel Disease is known for its extra intestinal manifestations, the oral cavity is no exception. Objectives The aim of this study was to evaluate the association between Inflammatory Bowel Disease and oral mucosa lesions and symptoms, and complementary to evaluate their possible relation with oral hygiene, smoking habits, drug therapy, duration and activity of the disease. Methods Patients were selected from the Gastroenterology Clinic of a Portuguese tertiary referral hospital. This sample consisted of 113 patients previously diagnosed with ulcerative colitis or Crohn’s disease along with a control group of 58 healthy individuals that were accompanying the study group patients to their appointments. Clinical interviews and clinical examinations were performed for data collection. Results The patients in the study group were more affected by oral symptoms (P=0.011), and showed a trend towards a higher incidence of oral mucosal lesions, even though statistical significance was not reached (8.8% versus 3.4% in the control group; P=0.159). Patients in active phase were the most affected. No differences were detected between Crohn’s disease and ulcerative colitis, or concerning smoking habits. The corticosteroid and immunosuppressant therapy seemed to increase the incidence of oral symptoms (P=0.052). The oral mucosa lesions increased and the oral symptoms decreased over the course of the disease, however without statistical significance. Conclusion Oral mucosa’s lesions and oral symptoms were positively associated with Inflammatory Bowel Disease, mainly during disease activity periods and conceivably, associated with corticosteroid and immunosuppressant therapy. <hr/> Contexto A doença inflamatória intestinal é conhecida por suas manifestações extraintestinais, a cavidade oral não é exceção. Objetivos O objetivo deste estudo foi o de avaliar a associação da doença inflamatória intestinal com lesões da mucosa oral e sintomatologia oral, e complementarmente, avaliar a sua possível relação com a higiene oral, tabagismo, terapêutica farmacológica, duração e atividade da doença. Métodos Os pacientes foram selecionados no serviço de Gastroenterologia de um hospital de referência terciária Português (Hospital Garcia de Horta). Esta amostra foi composta por 113 pacientes previamente diagnosticados com colite ulcerosa ou doença de Crohn, juntamente com um grupo controle de 58 indivíduos saudáveis que acompanhavam os pacientes do grupo nas suas consultas de controle. Entrevistas clínicas e exames clínicos foram realizados para a coleta de dados. Resultados Os pacientes do grupo de estudo foram mais afetados por sintomas orais (P=0,011), e houve também uma tendência para uma maior incidência de lesões da mucosa oral, embora a significância estatística não tenha sido alcançada (8,8% versus 3,4% no grupo de controle; P=0,159). Pacientes em fase ativa foram os mais afetados. Não foram detetadas diferenças entre a doença de Crohn e a colite ulcerosa, ou relativas a hábitos tabágicos. O tratamento com corticosteroides e imunossupressores pareceu aumentar a incidência de sintomas orais (P=0,052). Os dados são ainda compatíveis com aumento das lesões da mucosa oral e diminuição dos sintomas ao longo do curso da doença, no entanto, sem significância estatística. Conclusão As lesões de mucosa oral e sintomas orais foram associados positivamente com a doença inflamatória intestinal, principalmente durante os períodos de atividade da doença e possivelmente, associado a terapêutica com corticosteroides e imunossupressores. <![CDATA[Doença hepática gordurosa não alcoólica em pacientes com doença coronariana de uma área do Nordeste do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200111&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Nonalcoholic fatty liver disease (NAFLD) is the most frequent chronic liver injury around the world. It is associated with metabolic syndrome and cardiovascular diseases. Objective To evaluate the frequency and relevance of NAFLD in patients with coronary artery disease (CAD). Methods Patients from a Brazil Northeast area, who underwent elective coronary angiography (CAG) from 2009 to 2010 were included. All of them had suspicion of CAD. Criteria to CAD: presence of obstructive lesions in the epicardial coronary arteries, or in their major branches. NAFLD criteria: presence of hepatic steatosis on ultrasound; exclusion of other liver diseases; ethanol intake ≤ 20g/day. Statistics analysis included Independent t-test, Mann-Whitney and Pearson’s chi-squared test. Multivariate regression analysis measured the relationship between the risk factors and the concomitant presence of CAD and NAFLD. Results A total of 244 patients were evaluated: 63.5% had CAD and 42.2% had NAFLD. NAFLD was observed in 43.9% of the CAD patients. The regression analysis showed that the relationship between CAD and NAFLD was positively correlated with HOMA-IR ≥3.0 or insulin resistance and overweight/obesity. Conclusion NAFLD was frequent among CAD patients; insulin resistance and overweight/obesity were the most relevant risk factors related to the association NAFLD and CAD. The results suggest that patients with CAD should be evaluated for NAFLD. <hr/> Contexto Doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) é uma das mais frequentes hepatopatias crônicas da atualidade. Associa-se à síndrome metabólica e doenças cardiovasculares. Objetivo Avaliar a frequência e relevância da DHGNA em pacientes com doença arterial coronariana (DAC). Métodos Foram avaliados pacientes de uma área do Nordeste de Brasil, submetidos à angiografia coronariana, com suspeita de DAC, entre 2009-2010. Critérios para DAC: presença de lesões obstrutivas em artérias coronárias epicárdicas ou seus principais ramos. Critérios para DHGNA: esteatose hepática na ultrassonografia; exclusão de outras doenças hepáticas; ingestão de etanol ≤20g/dia. Análise estatística incluiu os testes t, Mann-Whitney e qui-quadrado de Pearson. Análise de regressão multivariada mediu a força da correlação entre fatores de risco e concomitância de DAC e DHGNA. Resultados Foram avaliados 244 pacientes submetidos à angiografia coronariana: 63,5% apresentavam DAC e 42,2% DHGNA. DHGNA foi observada em 43,9% dos doentes com DAC. A análise de regressão mostrou que a possibilidade de ocorrência concomitante de DAC e DHGNA foi positivamente correlacionadas à resistência a insulina e ao sobrepeso/obesidade. Conclusão DHGNA foi frequente entre os pacientes com DAC; resistência à insulina e sobrepeso/obesidade foram os mais relevantes fatores de risco relacionados à associação DHGNA e DAC. Os dados sugerem que pacientes com DAC devem ser avaliados para DHGNA. <![CDATA[Prevalência de doença hepática gordurosa não alcoólica em pacientes com síndrome dos ovários policísticos e sua correlação com síndrome metabólica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200117&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background The polycystic ovary syndrome (PCOS) is one of the most common endocrine disorders in women at childbearing age. Metabolic syndrome is present from 28% to 46% of patients with PCOS. Non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD) is considered the hepatic expression of metabolic syndrome. There are few published studies that correlate PCOS and NAFLD. Objective To determine the prevalence of NAFLD and metabolic syndrome in patients with PCOS, and to verify if there is a correlation between NAFLD and metabolic syndrome in this population. Methods Study developed at Gynecology Department of Clinical Hospital of Federal University of Parana (UFPR). The sessions were conducted from April 2008 to January 2009. One hundred and thirty-one patients joined the analysis; 101 were diagnosed with PCOS and 30 formed the control group. We subdivided the PCOS patients into two subgroups: PCOS+NAFLD and PCOS. All the patients were submitted to hepatic sonography. For hepatoestheatosis screening, hepatic ecotexture was compared do spleen’s. For diagnosis of metabolic syndrome, we adopted the National Cholesterol Education Program/Adult Treatment Panel III (NCEP/ATP III) criteria, as well as the criteria proposed by International Diabetes Federation. Statistical analysis were performed with t of student and U of Mann-Whitney test for means and chi square for proportions. Results At PCOS group, NAFLD was present in 23.8% of the population. At control group, it represented 3.3%, with statistical significance (P=0.01). Metabolic syndrome, by NCEP/ATP III criteria, was diagnosed in 32.7% of the women with PCOS and in 26.6% of the women at control group (no statistical difference, P=0.5). At PCOS+DHGNA subgroup, age, weight, BMI, abdominal circumference and glucose tolerance test results were higher when compared to PCOS group (P&lt;0.01). Metabolic syndrome by NCEP/ATPIII criteria was present in 75% and by International Diabetes Federation criteria in 95.8% of women with PCOS+NAFLD with P&lt;0.01. Insulin levels at SOP+DHGNA were higher than at PCOS group with P&lt;0.01. Conclusion Almost 25% of the patients with PCOS were diagnosed for NAFLD. Metabolic syndrome was present between 32.7% and 44.6% of patients with PCOS. At subgroup PCOS+NAFLD, metabolic syndrome is highly prevalent. These patients are more obese, with higher BMI and higher glucose levels. <hr/> Contexto A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um dos distúrbios endócrinos mais comuns nas mulheres na idade fértil. A síndrome metabólica está presente em 28% a 46% das pacientes com SOP. A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) é considerada a expressão hepática da síndrome metabólica. Existem poucos estudos publicados da associação SOP e DHGNA. Objetivos Determinar a prevalência de DHGNA e síndrome metabólica em portadoras de SOP, verificar se existe correlação entre a ocorrência de DHGNA e síndrome metabólica nessa população. Métodos Estudo realizado no Ambulatório de Ginecologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. O período de estudo foi de abril 2008 a janeiro de 2009. Participaram da análise 131 pacientes, sendo 101 com SOP e 30 controles. Subdividimos as pacientes com SOP em dois subgrupos: SOP+DHGNA e SOP. Todas foram submetidas a exame ultrassonográfico do fígado. Para rastreamento da esteatose hepática, a ecotextura do parênquima hepático foi comparada com a do baço. Para do diagnóstico da síndrome metabólica foram adotados os critérios propostos pelo National Cholesterol Education Program/Adult Treatment Panel III (NCEP/ATP III) e do International Diabetes Federation. A análise estatística foi feita com teste t de student e U de Mann-Whitney para medias e qui-quadrado para proporções. Resultados No grupo com SOP, a DHGNA esteve presente em 23,8% da população. No grupo controle, isso ocorreu em 3,3%, com diferença estatística (P=0,01). A síndrome metabólica pelos critérios NCEP/ATP III, esteve presente em 32,7% no grupo SOP e 26,6% no grupo controle (sem diferença estatística P=0,5). No subgrupo SOP+DHGNA, a idade, o peso, IMC, circunferência abdominal e teste de tolerância à glicose foram maiores quando comparados ao grupo SOP (P&lt;0,01). A síndrome metabólica pelo critério NCEP/ATPIII esteve presente em 75% e pelo International Diabetes Federation em 95,8% no grupo SOP+DHGNA com P&lt;0,01. O nível de Insulina no grupo SOP+DHGNA foi maior que no grupo SOP com P&lt;0,01. Conclusão Próximo a 25% das pacientes com SOP foram diagnosticadas com DHGNA. A síndrome metabólica esteve presente entre 32,7% a 44,6% nas pacientes com SOP. No Subgrupo SOP+DHGNA a síndrome metabólica é altamente prevalente. São pacientes mais obesas, com IMC maior e com níveis glicémicos também maiores. <![CDATA[Avaliação do impacto da cirrose e do transplante hepático na função tireoidiana]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200124&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Thyroid dysfunction has been reported in most chronic illnesses including severe liver disease. These defects in thyroid hormone metabolism result in the sick euthyroid syndrome, also known as low T3 syndrome. Objectives Our objective was to evaluate the thyroid function in patients with end stage liver disease prior and after deceased donor liver transplantation and to correlate thyroid hormonal changes with the MELD score (Model for End stage Liver Disease). Methods In a prospective study, serum levels of thyrotropin (thyroid stimulating hormone TSH), total thyroxine (tT4), free thyroxine (fT4) and triiodothyronine (T3) from 30 male adult patients with end stage liver disease were measured two to four hours before and 6 months after liver transplantation (LT). MELD was determined on the day of transplant. For this analysis, extra points were not added for patients with hepatocellular carcinoma. Results The patients had normal TSH and fT4 levels before LT and there was no change after the procedure. Total thyroxine and triiodothyronine were within the normal range before LT, except for four patients (13.3%) whose values were lower. Both hormones increased to normal values in all four patients after LT (P=0.02 and P&lt;0.001, respectively). When the patients were divided into two groups (MELD &lt;18 and MELD &gt;18), it was observed that there was no change in the TSH, freeT4, and total T4 levels in both groups after LT. Although there was no significant variation in the level of T3 in MELD &lt;18 group (P=0.055), there was an increase in the MELD &gt;18 group after LT (P=0.003). Conclusion Patients with end stage liver disease subjected to liver transplantation had normal TSH and fT4 levels before and after LT. In a few patients with lower tT4 and T3 levels before LT, the level of these hormones increased to normal after LT. <hr/> Contexto A disfunção tireoidiana tem sido relatada em associação com a maioria das doenças crônicas, incluindo a doença hepática terminal. Estes defeitos no metabolismo dos hormônios tireoidianos resultam na síndrome do doente eutireoideo ou, também conhecida como síndrome do T3 baixo. Objetivos Avaliar a função tireoidiana em pacientes com doença hepática avançada, antes e depois de serem submetidos ao transplante hepático cadavérico (THC) e, correlacionar as alterações hormonais da tireóide com o MELD. Métodos Em um estudo prospectivo, os níveis séricos de tireotropina (hormônio estimulante da tireóide TSH), tiroxina total (T4 total), tiroxina livre (T4 livre) e triiodotironina (T3) de 30 pacientes adultos do sexo masculino com doença hepática terminal foram dosados 2 e 4 horas antes e 6 meses após o THC. O valor do MELD foi determinado no dia do procedimento. Para esta análise, os pontos extras não foram adicionados para os pacientes com carcinoma hepatocelular. Resultados Os pacientes apresentaram níveis de TSH e T4 livre normais antes do THC e não houve nenhuma alteração após o procedimento. As dosagens de T4 total e T3 no início do estudo estavam dentro da faixa normal, exceto por quatro pacientes (13,3%), os quais apresentavam valores abaixo da referência. Ambos os hormônios apresentaram um aumento 6 meses após o THC (P=0,02 e P&lt;0,001, respectivamente). Quando os pacientes foram divididos em dois grupos (MELD &lt;18 e MELD &gt;18) não observamos diferença nos níveis de TSH, T4 total e T4 livre entre os grupos após THC. Apesar de não haver variação nos níveis de T3 no grupo com MELD &lt;18 (P=0,055), houve um aumento no grupo MELD &gt;18 após THC (P=0,003). Conclusão Os pacientes com cirrose hepática submetidos a transplante hepático tinham valores normais de TSH e T4 livre antes e após o THC. Nos poucos pacientes que apresentavam valores baixos de T4 total e T3 antes do THC, houve normalização destes hormônios após o THC. <![CDATA[A doença celíaca na América Central e do Sul: tempo para uma abordagem conjunta sobre sua epidemiologia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200129&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Central and South America offer an opportunity to resolve some of the current controversies that surround the epidemiology of celiac disease. Through a concerted action which brings together clinicians, researchers and patients there is an opportunity to establish robust data sets which will allow detailed analysis of environmental and genetic factors. In this review available data from the continent together with data from Spain and Italy are drawn together to give a current picture in the hope that it will stimulate further research. <hr/> A América Central e do Sul oferecem uma oportunidade de resolver algumas das atuais controvérsias que cercam a epidemiologia da doença celíaca. Através de uma ação conjunta reunindo médicos, pesquisadores e pacientes, há a oportunidade para estabelecer conjuntos de dados robustos que permitirão uma análise detalhada dos fatores ambientais e genéticos envolvidos. Nesta revisão, os dados disponíveis a partir do continente, juntamente os da Espanha e da Itália, são descritos em conjunto para dar uma imagem atual, na esperança de que se estimulem novas pesquisas. <![CDATA[Triagem eletrofisiológica de neuropatia periférica em crianças com doença celíaca]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200134&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background The involvement of the peripheral nervous system in children with celiac disease is particularly rare. Objective The aim of this study was to assess the need for neurophysiological testing in celiac disease patients without neurological symptoms in order to detect early subclinical neuropathy and its possible correlations with clinical and demographic characteristics. Methods Two hundred and twenty consecutive children with celiac disease were screened for neurological symptoms and signs, and those without symptoms or signs were included. Also, patients with comorbidities associated with peripheral neuropathy or a history of neurological disease were excluded. The remaining 167 asymptomatic patients as well as 100 control cases were tested electro-physiologically for peripheral nervous system diseases. Motor nerve conduction studies, including F-waves, were performed for the median, ulnar, peroneal, and tibial nerves, and sensory nerve conduction studies were performed for the median, ulnar, and sural nerves with H reflex of the soleus muscle unilaterally. All studies were carried out using surface recording electrodes. Normative values established in our laboratory were used. Results Evidence for subclinical neuropathy was not determined with electrophysiological studies in any of the participants. Conclusion In this highly selective celiac disease group without any signs, symptoms as well as the predisposing factors for polyneuropathy, we did not determine any cases with neuropathy. With these results we can conclude that in asymptomatic cases with celiac disease electrophysiological studies are not necessary. However, larger studies with the electrophysiological studies performed at different stages of disease at follow-ups are warranted. <hr/> Contexto O envolvimento do sistema nervoso periférico em crianças com doença celíaca é particularmente raro. Objetivo O objetivo do presente estudo foi avaliar a necessidade de testes neurofisiológicos em pacientes com doença celíaca sem sintomas neurológicos, a fim de detectar neuropatia subclínica precoce e suas possíveis correlações com características clínicas e demográficas. Métodos Duzentos e vinte crianças consecutivas com doença celíaca foram pesquisadas para os sinais e sintomas neurológicos, e foram incluídos somente aqueles sem sintomas ou sinais. Além disso, os portadores de comorbidades associadas à neuropatia periférica ou história de doença neurológica também foram excluídos. Os 167 pacientes assintomáticos, bem como 100 casos controles foram testados electrofisiologicamente para doenças do sistema nervoso periférico. Estudos de condução nervosa motora, incluindo ondas F foram realizados para os nervos medianos, ulnar, fibular e tibiais; realizaram-se estudos de condução sensorial para o nervo mediano, ulnar, e nervos surais com reflexo H do músculo sóleo unilateralmente. Todos os estudos foram realizados utilizando gravação por eletrodos de superfície. Foram usados valores normativos estabelecidos em nosso laboratório. Resultados Não foi determinada evidência de neuropatia subclínica com estudos eletrofisiológicos em qualquer um dos participantes. Conclusão Neste grupo altamente seletivo de pacientes com doença celíaca sem quaisquer sinais, sintomas, bem como os fatores predisponentes para a polineuropatia, não se determinou qualquer caso com neuropatia. Com estes resultados, pode-se concluir que, em casos assintomáticos com doença celíaca os estudos eletrofisiológicos não são necessários. No entanto, são necessários maiores estudos eletrofisiológicos realizados em diferentes fases da doença. <![CDATA[Prevalência do<em> Helicobacter pylori</em> em pacientes com doença celíaca: resultados de um estudo transversal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200139&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Some previously published studies have suggested an inverse relationship between celiac disease and Helicobacter pylori, raising the possibility of the protective role Helicobacter pylori could have against celiac disease development. Nevertheless, this association is inconclusive. Objectives To determine the prevalence of Helicobacter pylori infection in celiac subjects. Methods Between January 2013 and June 2014, patients over 18 years old undergoing upper endoscopy who required both gastric and duodenal biopsies were included for analysis. Enrolled subjects were divided in two groups: those with a diagnosis of celiac disease and those without a celiac disease diagnosis. Helicobacter pylori infection prevalence was compared between groups. Among celiac patients, endoscopic markers of villous atrophy as well as histological damage severity were compared between those with and without Helicobacter pylori infection. Results Overall, 312 patients were enrolled. Seventy two of them had a diagnosis of celiac disease. Helicobacter pylori infection prevalence among celiac disease patients was 12.5%, compared to 30% in non-celiac patients [OR=0.33 (0.15-0.71)]. There was not a significant difference in terms of the severity of villous atrophy in patients with Helicobacter pylori infection compared to those without it. There was a slight increase in the prevalence of endoscopic markers in those Helicobacter pylori-negative celiac subjects. Conclusion Helicobacter pylori infection seems to be less frequent in celiac patients; among those celiac subjects with concomitant Helicobacter pylori infection, histological damage degree and presence of endoscopic markers suggesting villous atrophy seem to be similar to those without Helicobacter pylori infection. <hr/> Contexto Alguns estudos publicados anteriormente sugerem uma relação inversa entre a doença celíaca e Helicobacter pylori, levantando a possibilidade do papel protetor que o Helicobacter pylori poderia ter contra o desenvolvimento de doença celíaca. No entanto, esta associação é inconclusiva. Objetivos Determinar a prevalência da infecção por Helicobacter pylori em indivíduos celíacos. Métodos Entre janeiro de 2013 e de 2014 junho, foram incluídos para análise pacientes com mais de 18 anos de idade submetidos a endoscopia para necessárias biópsias gástricas e duodenais. Os pacientes foram divididos em dois grupos: aqueles com diagnóstico de doença celíaca e aqueles sem um diagnóstico de doença celíaca. A prevalência da infecção por Helicobacter pylori foi comparada entre os grupos. Entre os pacientes celíacos, os marcadores endoscópicos de atrofia das vilosidades, bem como a gravidade do dano histológico foram comparados entre aqueles com e sem infecção pelo Helicobacter pylori. Resultados De um total de 312 pacientes, 72 deles tiveram diagnóstico da doença celíaca. A prevalência de infecção pelo Helicobacter pylori entre pacientes com doença celíaca foi de 12,5%, em comparação com 30% em pacientes não-celíacos [OR=0,33 (0,15-0,71)]. Não houve diferença significativa em termos da gravidade da atrofia das vilosidades em pacientes com infecção pelo Helicobacter pylori em comparação com aqueles sem ele. Houve um ligeiro aumento na prevalência de marcadores endoscópicos nos indivíduos celíacos com Helicobacter pylori-negativo. Conclusão A infecção pelo Helicobacter pylori parece ser menos frequente em pacientes celíacos; entre esses indivíduos celíacos com concomitante infecção por Helicobacter pylori, o grau de dano histológico e a presença de marcadores endoscópicos sugerindo atrofia vilosa, parecem ser semelhantes com os sem infecção. <![CDATA[Simplificação da detecção dos alelos HLA-DQ predisponentes para doença celíaca pelo método de PCR em tempo real]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200143&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Celiac disease is an autoimmune enteropathy triggered by the ingestion of gluten in genetically susceptible individuals. Genetic susceptibility is associated with two sets of alleles, DQA1*05 - DQB1*02 and DQA1*03 - DQB1*03:02, which code for class II MHC DQ2 and DQ8 molecules, respectively. Approximately 90%-95% of celiac patients are HLA-DQ2 positive, and half of the remaining patients are HLA-DQ8 positive. In fact, during a celiac disease diagnostic workup, the absence of these specific DQA and DQB alleles has a near perfect negative predictive value. Objective Improve the detection of celiac disease predisposing alleles by combining the simplicity and sensitivity of real-time PCR (qPCR) and melting curve analysis with the specificity of sequence-specific primers (SSP). Methods Amplifications of sequence-specific primers for DQA1*05 (DQ2), DQB1*02 (DQ2), and DQA1*03 (DQ8) were performed by the real time PCR method to determine the presence of each allele in independent reactions. Primers for Human Growth Hormone were used as an internal control. A parallel PCR-SSP protocol was used as a reference method to validate our results. Results Both techniques yielded equal results. From a total of 329 samples the presence of HLA predisposing alleles was determined in 187 (56.8%). One hundred fourteen samples (61%) were positive for a single allele, 68 (36.3%) for two alleles, and only 5 (2.7%) for three alleles. Conclusion Results obtained by qPCR technique were highly reliable with no discordant results when compared with those obtained using PCR-SSP. <hr/> Contexto Doença celíaca é uma enteropatia autoimmune desencadeada pela ingestão de gluten em indivíduos geneticamente suscetíveis. Essa suscetibilidade genética está associada a dois conjuntos de alelos, DQA1*05 - DQB1*02 e DQA1*03 - DQB1*03:02, que codificam moléculas MHC de classe II DQ2 e DQ8, respectivamente. Aproximadamente 90%-95% dos pacientes celíacos são HLA-DQ2 positivos, e metade dos restantes são HLA-DQ8 positivos. No diagnóstico da doença celíaca, a ausência desses alelos DQA e DQB específicos possui um elevado valor preditivo negativo. Objetivo Nosso objetivo foi melhorar a detecção de alguns alelos predisponentes para doença celíaca, combinando a simplicidade e sensibilidade da técnica de PCR em tempo real (qPCR) e análise da curva de melting com a especificidade dos primers de sequência específica. Métodos Primers de sequência específica para DQA1*05 (DQ2), DQB1*02 (DQ2), e DQA1*03 (DQ8) foram usados para testar a presença de cada alelo em reações independentes. Primers para Hormônio de Crescimento Humano foram usados como controle interno. Em paralelo, foi usado um protocolo de PCR-SSP como um método de referência para validar nossos resultados positivos. Resultados Das 329 amostras testadas, 187 (56.8%) foram positivas para os alelos HLA predisponentes, usando as duas técnicas. Essas 187 amostras positivas foram subdivididas em 114 (61.0%) positivas para apenas um alelo, 68 (36.3%) para dois alelos e apenas 5 (2.7%) para os três alelos. Conclusão Os resultados obtidos pela técnica de qPCR mostraram-se altamente confiáveis, sem resultados discordantes quando comparados àqueles obtidos pelo método PCR-SSP. <![CDATA[Icterícia flutuante em adenocarcinoma de ampola de Vater: um sinal clássico ou uma exceção?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200147&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Some authors consider the fluctuating jaundice as a classic sign of the adenocarcinoma of the ampulla of Vater. Objetive Assessing the frequency of fluctuating jaundice in their forms of its depiction in the patients with adenocarcinoma of the ampulla of Vater. Methods Observational and retrospective study, conducted through analyses of medical records from patients subjected to pancreatic cephalic resections between February 2008 and July 2013. The pathological examination of the surgical specimen was positive to adenocarcinoma of the ampulla of Vater. Concepts and differences on clinical and laboratory fluctuating jaundice were standardized. It was subdivided into type A and type B laboratory fluctuating jaundice. Results Twenty patients were selected. One of them always remained anicteric, 11 patients developed progressive jaundice, 2 of them developed clinical and laboratory fluctuating jaundice, 5 presented only laboratory fluctuating jaundice and one did not present significant variations on total serum bilirubin levels. Among the seven patients with fluctuating jaundice, two were classified as type A, one as type B and four were not classified due to lack information. Finally, progressive jaundice was the prevailing presentation form in these patients (11 cases). Conclusion This series of cases suggested that clinical fluctuating jaundice is a uncommon signal in adenocarcinoma of the ampulla of Vater. <hr/> Contexto Alguns autores consideram a icterícia flutuante como um sinal clássico do adenocarcinoma da ampola de Vater. Objetivo Determinar a frequência de icterícia flutuante em suas formas de apresentação nos pacientes portadores de adenocarcinoma de ampola de Vater. Métodos Estudo observacional e restrospectivo, realizado a partir de análise de prontuários médicos de pacientes submetidos à ressecção cefálica pancreática entre fevereiro de 2008 e julho de 2013, cujo anatomopatológico confirmou o diagnóstico de adenocarcinoma de ampola de Vater. Conceituação e diferenciação entre icterícia flutuante clínica e laboratorial foram padronizadas. Icterícia flutuante laboratorial foi dividida em tipo A e B. Resultados Vinte pacientes foram selecionados. Um deles permaneceu sempre anictérico, 11 pacientes desenvolveram icterícia progressiva, 2 desenvolveram icterícia flutuante clínica e laboratorial, 5 apresentaram apenas icterícia flutuante laboratorial e 1 não apresentou significativa variação nos níveis séricos de bilirrubina total. Entre os sete pacientes com icterícia flutuante, dois foram classificados como tipo A, um como tipo B e quatro não foram classificados devido à falta de informações. Finalmente, icterícia progressiva foi a apresentação mais prevalente nos pacientes selecionados (11 casos). Conclusão Este artigo sugere que a icterícia flutuante clínica é um sinal incomum em pacientes portadores de adenocarcinoma de ampola de Vater. <![CDATA[Expressão imunoistoquímica do HER2 no adenocarcinoma de estômago]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200152&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Worldwide, gastric cancer is the fourth cancer in incidence and the second most common cause of cancer death. Gastric cancer is asymptomatic in the early stages and very often diagnosed at advanced stages, determining a dismal prognosis. Expression of the HER2 gene has been identified in about 20% of gastric cancer cases, and its hyper-expression is associated with poor prognosis. Objective To investigate HER2 immunohistochemical expression in gastric adenocarcinoma and its relationship to the histological type and anatomic location. Methods A cross-sectional retrospective study analyzed the immunohistochemical expression of HER2 in a sample of 48 specimens of gastric cancer. Immunohistochemical analysis were performed using avidin-biotin-peroxidase method with C-erb B2 (clone EP1045Y), as a primary antibody (Biocare Medical, USA). Standardized gastric adenocarcinoma‘s HER2 expression criteria has been used in the analysis of samples. Results There were seven cases with reactivity for HER2. Five were of intestinal-type while two cases were of mixed-type in which the expression occurred in the intestinal component. It was identified a significant association of HER2 expression in the intestinal subtype of gastric adenocarcinoma (P=0.003). Regarding the anatomical site, HER2 was positive in only one (16.6%) of the six proximal cases and six (14.28%) of the 42 distal cases (P=0.88). Conclusion HER2 immunoexpression was identified in 14.6% of the samples, and the expression was significantly associated to Lauren’s intestinal subtype. <hr/> Contexto O câncer gástrico ocupa o quarto lugar em incidência no mundo e é a segunda causa de óbito por neoplasia maligna. Por ser assintomático nas fases iniciais, na maioria das vezes, é diagnosticado em fases avançadas. A expressão do gene HER2 tem sido identificada em cerca de 20% dos casos de câncer gástrico e, sua hiper-expressão está associada a um pior prognóstico nestes pacientes. Objetivo Investigar a expressão imunoistoquímica do HER2 em espécimes de adenocarcinoma gástrico e sua relação com a classificação histológica e localização anatômica. Métodos Estudo transversal, retrospectivo, no qual foi analisada a expressão imunoistoquímica para o HER2, em uma amostra de 48 espécimes de câncer gástrico, através da técnica de imunoistoquímica, pelo método avidina-biotina-peroxidase utilizando anticorpo primário C-erb B2, clone EP1045Y (Biocare Medical, USA). Resultados Foram encontrados sete casos reativos para o HER2; destes, cinco eram casos de adenocarcinoma do tipo intestinal e dois eram casos do tipo misto, porém, nestes, a expressão ocorreu no componente intestinal, o que determinou uma associação significante da expressão de HER2 com o componente intestinal do adenocarcinoma gástrico (P=0,003). Em relação ao local anatômico, HER2 foi reativo em apenas um (16,6%) de seis casos proximais e seis (14,28%) dos 42 casos distais (P=0,88). Conclusão A expressão de HER2 ocorreu em 14,6% da amostra, associada significativamente ao subtipo intestinal de Lauren. <![CDATA[A ontogenia da secreção de saliva em lactentes e a proteção pré-epitelial do esôfago]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200156&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background Several studies have reported that severe reflux esophagitis is rare in infants despite the well known high occurrence of regurgitation in early infancy. There is evidence of the importance of saliva for the pre-epithelial protection of the esophageal mucosa. Results A longitudinal study conducted on healthy infants indicated that the stimulated capacity of saliva secretion (saliva output per kg of body weight) was significantly higher during their first year of age compared to older children and adults. In addition, this secretion pattern was also observed in low weight newborns during the first weeks of life and persisted in infants with severe protein-calorie malnutrition (marasmus). Conclusion The greater ability to secrete saliva is an important physiological condition that may protect the infant from acid/pepsin aggression to the esophagus during early stages of development. <hr/> Contexto Vários estudos têm indicado que a esofagite de refluxo é rara em lactentes no primeiro ano de vida a despeito da elevada ocorrência de regurgitação nesta fase da vida. Há evidências da importância da saliva para a proteção pré-epitelial da mucosa esofágica. Resultados Um estudo longitudinal conduzido em lactentes saudáveis indicou que a capacidade estimulada da secreção de saliva (volume de saliva/kg de peso) foi significativamente elevada no primeiro ano de vida comparada com crianças com mais idade e adultos jovens. Este padrão também foi observado nas primeiras semanas de vida de recém-nascidos com baixo peso e persistiu em lactentes com desnutrição proteico-calórica grave (marasmo) Conclusão A grande habilidade para secretar saliva é uma importante condição fisiológica que pode proteger o lactente da agressão ácido/péptica do esôfago durante os primeiros estágios do seu desenvolvimento. <![CDATA[Ensaio clínico de fase II avaliando a lavagem peritoneal intraoperatória extensiva como estratégia profilática para a recidiva peritoneal no câncer gástrico localmente avançado: relato da mortalidade e morbidade pós-operatória após encerramento prematuro do estudo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032015000200161&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background The Extensive Intraoperative Peritoneal Lavage (EIPL) has been proposed as a practical prophylactic strategy to decrease the risk of peritoneal metastasis in gastric cancer. Objective To explore the safety and efficacy of the EIPL in our locally advanced gastric cancer patients. Methods This study is an open-label, double-center, single-arm phase II clinical trial developed at two tertiary hospitals from Recife (Pernambuco, Brazil). Results The study protocol was prematurely closed due to slow accrual after only 16 patients had been recruited to participate. Eight of them were excluded of the protocol study during the laparotomy, whereas four cases were also excluded from the per-protocol analysis. Two patients had died in hospital before 30 days and six were alive with no evidence of cancer relapses after a follow-up ranging from five to 14,2 months (median of 10.6 months). In the intention-to-treat analysis, three of eight patients suffered of gastrointestinal leakages and two of them had died. On a per-protocol basis, two of four patients presented this type of postoperative complication and one of them had died. All deaths occurred as a somewhat consequence of gastrointestinal leakages. Conclusion We could not make any conclusion about the safety and efficacy of the EIPL, but the possibility of this approach might increase the rate of gastrointestinal leakage is highlighted. <hr/> Contexto A lavagem peritoneal intra-operatória extensiva (EIPL) tem sido proposta como uma estratégia profilática para diminuir o risco de disseminação peritoneal no câncer gástrico. Objetivo Explorar a segurança e eficácia da EIPL em nossos pacientes com câncer gástrico localmente avançado. Métodos Realizou-se ensaio clínico de fase 2 e braço único, aberto e multicêntrico em dois Hospitais terciários de Recife (Pernambuco, Brasil). Resultados O protocolo do estudo foi fechado prematuramente devido ao lento recrutamento quando apenas 16 pacientes haviam sido recrutados. Oito deles foram excluídos do estudo durante a laparotomia, enquanto outros quatro casos também foram excluídos da análise per protocolo. Dois pacientes morreram no hospital antes de 30 dias e seis estavam vivos sem evidência de recidiva após proservação que variou de 5 a 14,2 meses (mediana de 10,6 meses). Na análise de intenção de tratar, três dos oito pacientes apresentaram fístulas gastrointestinais e dois deles morreram. Na análise per protocolo, dois dos quatro pacientes apresentaram este tipo de complicação pós-operatória e um deles morreu. Todos os óbitos ocorreram como consequência da ocorrência de fístulas gastrointestinais. Conclusão Não se pôde concluir sobre a segurança e eficácia do EIPL, mas a possibilidade de que esta abordagem aumente as taxas de fístulas gastrointestinais deve ser considerada.