Scielo RSS <![CDATA[Jornal de Pediatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0021-755720170007&lang=pt vol. 93 num. lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Emergência Pediátrica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Sedação e analgesia para procedimentos no pronto-socorro de pediatria<sup>,</sup>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: Children and adolescents often require sedation and analgesia in emergency situations. With the emergence of new therapeutic options, the obsolescence of others, and recent discoveries regarding already known drugs, it became necessary to review the literature in this area. Data sources: Non-systematic review in the PubMed database of studies published up to December 2016, including original articles, review articles, systematic reviews, and meta-analyses. References from textbooks, publications from regulatory agencies, and articles cited in reviews and meta-analyses through active search were also included. Data synthesis: Based on current literature, the concepts of sedation and analgesia, the necessary care with the patient before, during, and after sedoanalgesia, and indications related to the appropriate choice of drugs according to the procedure to be performed and their safety profiles are presented. Conclusions: The use of sedoanalgesia protocols in procedures in the pediatric emergency room should guide the professional in the choice of medication, the appropriate material, and in the evaluation of discharge criteria, thus assuring quality in care.<hr/>Resumo Objetivo: Crianças e adolescentes necessitam frequentemente de sedação e analgesia em situações de emergência. Com o surgimento de novas opções terapêuticas, a obsolescência de outras e descobertas recentes das drogas já conhecidas, fez-se necessário uma nova revisão da literatura nessa área. Fontes dos dados: Revisão não sistemática na base de dados PubMed de estudos publicados até dezembro de 2016, inclusive artigos originais, artigos de revisão, revisões sistemáticas e metanálises. Também foram incluídos referências de livros-texto, publicações de agências reguladoras, além de artigos citados nas revisões e metanálises através de busca ativa. Síntese dos dados: Com base na literatura atual, são apresentados os conceitos de sedação e analgesia, os cuidados necessários com o paciente antes, durante e após a sedoanalgesia, além de indicações quanto à escolha apropriada dos fármacos de acordo com o procedimento a ser feito e o perfil de segurança desses. Conclusões: O emprego de protocolos de sedoanalgesia em procedimentos no pronto-socorro pediátrico deve orientar o profissional na escolha da medicação, do material adequado e na avaliação dos critérios de alta e garantir, assim, qualidade na assistência. <![CDATA[Infusão de sulfato de magnésio para asma aguda no serviço de emergência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objectives: To describe the role of intravenous magnesium sulfate (MgSO4) as therapy for acute severe asthma in the pediatric emergency department (ED). Source: Publications were searched in the PubMed and Cochrane databases using the following keywords: magnesium AND asthma AND children AND clinical trial. A total of 53 publications were retrieved using this criteria. References of relevant articles were also screened. The authors included the summary of relevant publications where intravenous magnesium sulfate was studied in children (age &lt;18 years) with acute asthma. The NAEPP and Global Initiative for Asthma expert panel guidelines were also reviewed. Summary of the data: There is a large variability in the ED practices on the intravenous administration of MgSO4 for severe asthma. The pharmacokinetics of MgSO4 is often not taken into account with a consequent impact in its pharmacodynamics properties. The cumulative evidence points to the effectiveness of intravenous MgSO4 in preventing hospitalization, if utilized in a timely manner and at an appropriate dosage (50-75 mg/kg). For every five children treated in the ED, one hospital admission could be prevented. Another administration modality is a high-dose continuous magnesium sulfate infusion (HDMI) as 50 mg/kg/h/4 h (200 mg/kg/4 h). The early utilization of HDMI for non-infectious mediated asthma may be superior to a MgSO4 bolus in avoiding admissions and expediting discharges from the ED. HDMI appears to be cost-effective if applied early to a selected population. Intravenous MgSO4 has a similar safety profile than other asthma therapies. Conclusions: Treatment with intravenous MgSO4 reduces the odds of hospital admissions. The use of intravenous MgSO4 in the emergency room was not associated with significant side effects or harm. The authors emphasize the role of MgSO4 as an adjunctive therapy, while corticosteroids and beta agonist remain the primary acute therapeutic agents.<hr/>Resumo Objetivos: Descrever o papel do sulfato de magnésio intravenoso (MgSO4) como terapia para asma grave aguda em serviço de emergência pediátrica (SE). Fonte: As publicações foram pesquisadas nos bancos de dados PubMed e Cochrane com as seguintes palavras-chave: magnésio E asma E crianças E ensaio clínico. Foram encontradas 53 publicações. As referências de artigos relevantes também foram examinadas. Incluímos o resumo de publicações relevantes quando o sulfato de magnésio intravenoso foi estudado em crianças (idade &lt; 18 anos) com asma aguda. Revisamos também as diretrizes do Programa Nacional para a Educação e Prevenção da Asma (NAEPP) e do painel de especialistas da Iniciativa Global para Asma. Resumo dos dados: Há uma grande variabilidade nas práticas do SE na administração intravenosa do MgSO4 para asma grave. A farmacocinética do MgSO4 normalmente não leva em conta um impacto posterior em suas propriedades farmacodinâmicas. A comprovação cumulativa aponta para a eficácia do MgSO4 intravenoso na prevenção da internação, se usado quando necessário e em uma dosagem adequada (50-75 mg/kg). Uma internação hospitalar pode ser evitada para cada cinco crianças tratadas no SE. Outra modalidade de administração é a infusão prolongada de alta dose de sulfato de magnésio (HDMI) a 50 mg/kg/hora/4 horas (200 mg/kg/4 horas). O uso precoce da HDMI, para asma não infecciosa mediada, pode ser superior a um MgSO4 em bólus para evitar internações e antecipar as altas do SE. A HDMI parece ter bom custo-benefício se aplicada precocemente em uma população selecionada. O MgSO4 intravenoso tem um perfil de segurança semelhante a outras terapias de asma. Conclusões: O tratamento com MgSO4 intravenoso reduz as chances de internações hospitalares. O uso de MgSO4 intravenoso no pronto socorro não é associado a efeitos colaterais ou danos significativos. Enfatizamos o papel do MgSO4 como uma terapia adjuvante, ao passo que os corticosteroides e as beta-agonistas continuam os agentes terapêuticos agudos primários. <![CDATA[Avaliação do déficit motor agudo no ambiente de pronto socorro pediátrico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objectives: This review article aimed to present a clinical approach, emphasizing the diagnostic investigation, to children and adolescents who present in the emergency room with acute-onset muscle weakness. Sources: A systematic search was performed in PubMed database during April and May 2017, using the following search terms in various combinations: “acute,” “weakness,” “motor deficit,” “flaccid paralysis,” “child,” “pediatric,” and “emergency”. The articles chosen for this review were published over the past ten years, from 1997 through 2017. This study assessed the pediatric age range, from 0 to 18 years. Summary of the data: Acute motor deficit is a fairly common presentation in the pediatric emergency room. Patients may be categorized as having localized or diffuse motor impairment, and a precise description of clinical features is essential in order to allow a complete differential diagnosis. The two most common causes of acute flaccid paralysis in the pediatric emergency room are Guillain-Barré syndrome and transverse myelitis; notwithstanding, other etiologies should be considered, such as acute disseminated encephalomyelitis, infectious myelitis, myasthenia gravis, stroke, alternating hemiplegia of childhood, periodic paralyses, brainstem encephalitis, and functional muscle weakness. Algorithms for acute localized or diffuse weakness investigation in the emergency setting are also presented. Conclusions: The clinical skills to obtain a complete history and to perform a detailed physical examination are emphasized. An organized, logical, and stepwise diagnostic and therapeutic management is essential to eventually restore patient's well-being and full health.<hr/>Resumo Objetivos: Apresentar uma abordagem clínica, enfatizar a investigação diagnóstica, voltada para crianças e adolescentes no pronto-socorro com fraqueza muscular de surgimento agudo. Fontes: Foi feita uma pesquisa sistemática na base de dados PubMed entre abril e maio de 2017, com os seguintes termos de pesquisa em várias combinações: “agudo”, “fraqueza”, “déficit motor”, “paralisia flácida”, “criança”, “pediátrico” e “emergência”. Os trabalhos escolhidos para esta revisão foram publicados nos últimos dez anos, de 1997 a 2017. Este trabalho aborda a faixa etária pediátrica, até 18 anos. Resumo dos dados: O déficit motor agudo é uma causa razoavelmente comum para crianças e adolescentes procurarem o pronto-socorro. Os pacientes podem ser classificados como com deficiência motora localizada ou difusa e uma descrição precisa das características clínicas é essencial para possibilitar um diagnóstico diferenciado completo. As duas causas mais comuns de paralisia flácida aguda no pronto-socorro pediátrico são síndrome de Guillain-Barré e mielite transversa, independentemente de outras etiologias serem consideradas, como encefalomielite disseminada aguda, mielite infecciosa, miastenia grave, derrame, hemiplegia alternante da infância, paralisia periódica, encefalite do tronco encefálico e fraqueza muscular funcional. Os algoritmos da investigação de fraqueza aguda localizada ou difusa na configuração de emergência também são apresentados. Conclusões: São enfatizadas as habilidades clínicas para obter um histórico completo e fazer um exame físico detalhado. Um manejo diagnóstico e terapêutico organizado, lógico e por etapas é essencial para eventualmente restaurar o bem-estar e a saúde total do paciente. <![CDATA[Uso de cânula nasal de alto fluxo no departamento de emergência pediátrica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700036&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objectives: To summarize the current literature describing high-flow nasal cannula use in children, the components and mechanisms of action of a high-flow nasal cannula system, the appropriate clinical applications, and its role in the pediatric emergency department. Sources: A computer-based search of PubMed/MEDLINE and Google Scholar for literature on high-flow nasal cannula use in children was performed. Data summary: High-flow nasal cannula, a non-invasive respiratory support modality, provides heated and fully humidified gas mixtures to patients via a nasal cannula interface. High-flow nasal cannula likely supports respiration though reduced inspiratory resistance, washout of the nasopharyngeal dead space, reduced metabolic work related to gas conditioning, improved airway conductance and mucociliary clearance, and provision of low levels of positive airway pressure. Most data describing high-flow nasal cannula use in children focuses on those with bronchiolitis, although high-flow nasal cannula has been used in children with other respiratory diseases. Introduction of high-flow nasal cannula into clinical practice, including in the emergency department, has been associated with decreased rates of endotracheal intubation. Limited prospective interventional data suggest that high-flow nasal cannula may be similarly efficacious as continuous positive airway pressure and more efficacious than standard oxygen therapy for some patients. Patient characteristics, such as improved tachycardia and tachypnea, have been associated with a lack of progression to endotracheal intubation. Reported adverse effects are rare. Conclusions: High-flow nasal cannula should be considered for pediatric emergency department patients with respiratory distress not requiring immediate endotracheal intubation; prospective, pediatric emergency department-specific trials are needed to better determine responsive patient populations, ideal high-flow nasal cannula settings, and comparative efficacy vs. other respiratory support modalities.<hr/>Resumo Objetivos: Resumir a literatura atual que descreve o uso da cânula nasal de alto fluxo em crianças, os componentes e mecanismos de ação do sistema de cânula nasal de alto fluxo, as aplicações clínicas adequadas e o papel desse sistema no departamento de emergência pediátrico. Fontes: Fizemos uma pesquisa informatizada na PubMed/Medline e usamos o Google Acadêmico para encontrar literatura sobre o uso da cânula nasal de alto fluxo em crianças. Resumo dos dados: A cânula nasal de alto fluxo, modalidade de apoio respiratório não invasiva, fornece misturas de gases aquecidas e totalmente umidificadas para pacientes por meio de uma cânula nasal. A cânula nasal de alto fluxo provavelmente auxilia a respiração por meio da redução da resistência inspiratória, eliminação do espaço morto anatômico nasofaríngeo, redução do trabalho metabólico relacionado ao condicionamento de gás, melhoria da condutância das vias aéreas e transporte mucociliar e fornecimento de baixos níveis de pressão positiva nas vias aéreas. A maior parte dos dados que descrevem o uso da cânula nasal de alto fluxo em crianças é focada em crianças com bronquiolite, embora a cânula nasal de alto fluxo tenha sido usada em crianças com outras causas de doenças respiratórias. A introdução da cânula nasal de alto fluxo na prática clínica, inclusive o departamento de emergência, foi associada à redução dos índices de intubação endotraqueal. Dados intervencionistas prospectivos limitados sugerem que a cânula nasal de alto fluxo pode ser tão eficaz quanto a pressão positiva contínua nas vias aéreas e mais eficaz do que a oxigenoterapia-padrão em alguns pacientes. As características dos pacientes, como melhoria da taquicardia e taquipneia, foram associadas a uma ausência de progressão para intubação endotraqueal. Foram raros os efeitos adversos relatados. Conclusões: A cânula nasal de alto fluxo deve ser considerada para pacientes do departamento de emergência pediátrico com insuficiência respiratória que não precisam de intubação endotraqueal imediata. Contudo, são necessários ensaios clínicos prospectivos específicos para o departamento de emergência pediátrico para determinar melhor as populações de pacientes que respondem ao tratamento, as configurações ideais da cânula nasal de alto fluxo e a eficácia comparada a outras modalidades de apoio respiratório. <![CDATA[Identificação e manejo inicial de intoxicações por álcool e outras drogas na sala de emergência pediátrica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700046&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: To review the screening, diagnosis, evaluation, and treatment of intoxication by alcohol and other drugs in children and adolescents in the emergency scenario. Data source: This was a narrative literature review. Data summary: The detection of this problem in the emergency room can be a challenge, especially when its assessment is not standardized. The intentional and episodic use of large amounts of psychoactive substances by adolescents is a usual occurrence, and unintentional intoxication is more common in children younger than 12 years. The clinical picture in adolescents and children differs from that in adults and some particularities are important in the emergency scenario. After management of the acute condition, interventions targeting the adolescent at risk may be effective. Conclusion: The diagnosis and treatment of intoxication by alcohol and other drugs in adolescents and children in the emergency scenario requires a systematic evaluation of the use of these drugs. There are few specific treatments for intoxication, and the management comprehends support measures and management of related clinical complications.<hr/>Resumo Objetivo: Revisar o rastreamento, o diagnóstico, a abordagem e o tratamento das intoxicações por álcool e outras drogas de crianças e adolescentes no contexto de emergência. Fontes dos dados: Foi feita uma revisão narrativa da literatura. Sumário dos achados: A detecção desse problema na sala de emergência pode ser um desafio, especialmente quando sua avaliação não é padronizada. O uso intencional e em grandes quantidades episódicas de substâncias psicoativas é o padrão em adolescentes e a intoxicação não intencional é mais comum em crianças menores de 12 anos. O quadro clínico em adolescentes e em crianças difere dos adultos e algumas particularidades são importantes no contexto de emergência. Após o manejo do quadro agudo, intervenções com vistas ao adolescente de risco podem ser efetivas. Conclusão: O diagnóstico e o tratamento das intoxicações por álcool e outras drogas em adolescentes e crianças em emergência requer uma avaliação sistemática do uso dessas drogas. Há poucos tratamentos específicos para intoxicação e o manejo é de apoio e das complicações clínicas relacionadas. <![CDATA[Formas graves de alergia alimentar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700053&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objectives: To guide the diagnostic and therapeutic management of severe forms of food allergy. Data sources: Search in the Medline database using the terms “severe food allergy,” “anaphylaxis and food allergy,” “generalized urticaria and food allergy,” and “food protein-induced enterocolitis syndrome” in the last ten years, searching in the title, abstract, or keyword fields. Summary of data: Food allergy can be serious and life-threatening. Milk, eggs, peanuts, nuts, walnuts, wheat, sesame seeds, shrimp, fish, and fruit can precipitate allergic emergencies. The severity of reactions will depend on associated cofactors such as age, drug use at the onset of the reaction, history and persistence of asthma and/or severe allergic rhinitis, history of previous anaphylaxis, exercise, and associated diseases. For generalized urticaria and anaphylaxis, intramuscular epinephrine is the first and fundamental treatment line. For the treatment in acute phase of food-induced enterocolitis syndrome in the emergency setting, prompt hydroelectrolytic replacement, administration of methylprednisolone and ondansetron IV are necessary. It is important to recommend to the patient with food allergy to maintain the exclusion diet, seek specialized follow-up and, in those who have anaphylaxis, to emphasize the need to carry epinephrine. Conclusion: Severe food allergy may occur in the form of anaphylaxis and food-protein-induced enterocolitis syndrome, which are increasingly observed in the pediatric emergency room; hence, pediatricians must be alert so they can provide the immediate diagnosis and treatment.<hr/>Resumo Objetivos: Abordar o manejo diagnóstico e terapêutico das formas graves de alergia alimentar. Fontes dos dados: Busca ativa na base de dados Medline dos termos severe food allergies, anaphylaxis and food allergy e food protein-induced enterocolitis nos últimos dez anos e com busca nos campos título, resumo ou palavra-chave. Síntese dos dados: A alergia alimentar pode ser grave e ameaçadora à vida. Leite, ovo, amendoim, castanha, noz, trigo, gergelim, crustáceo, peixe e frutas podem precipitar emergências alérgicas. A gravidade das reações vai depender de fatores associados, tais como idade, uso de medicamentos no início da reação, persistência de asma e/ou rinite alérgica grave, história de prévia anafilaxia, exercício e doenças intercorrentes. Para anafilaxia, a adrenalina intramuscular é uma indicação bem estabelecida. Para o tratamento da síndrome da enterocolite induzida pela proteína alimentar na fase aguda no setor de emergência, fazem-se necessárias a pronta reposição hidroeletrolítica e a administração de metilprednisolona e odansetrona IV. Importante recomendar ao paciente com o diagnóstico de alergia alimentar grave que mantenha a dieta de exclusão, procure acompanhamento especializado e, naqueles que apresentaram anafilaxia, enfatizar a necessidade de portar adrenalina. Conclusão: Alergia alimentar grave pode se manifestar como anafilaxia ou síndrome da enterocolite induzida por proteína alimentar em fase aguda, as quais, por serem condições cada vez mais presentes e reconhecidas no setor de emergência pediátrica, demandam diagnóstico e tratamento imediatos. <![CDATA[Esta criança está doente? Utilidade do Triângulo de Avaliação Pediátrica nas configurações de emergência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700060&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: The Pediatric Assessment Triangle is a rapid assessment tool that uses only visual and auditory clues, requires no equipment, and takes 30-60 s to perform. It's being used internationally in different emergency settings, but few studies have assessed its performance. The aim of this narrative biomedical review is to summarize the literature available regarding the usefulness of the Pediatric Assessment Triangle in clinical practice. Sources: The authors carried out a non-systematic review in the PubMed®, MEDLINE®, and EMBASE® databases, searching for articles published between 1999-2016 using the keywords “pediatric assessment triangle,” “pediatric triage,” “pediatric assessment tools,” and “pediatric emergency department.” Summary of the findings: The Pediatric Assessment Triangle has demonstrated itself to be useful to assess sick children in the prehospital setting and make transport decisions. It has been incorporated, as an essential instrument for assessing sick children, into different life support courses, although little has been written about the effectiveness of teaching it. Little has been published about the performance of this tool in the initial evaluation in the emergency department. In the emergency department, the Pediatric Assessment Triangle is useful to identify the children at triage who require more urgent care. Recent studies have assessed and proved its efficacy to also identify those patients having more serious health conditions who are eventually admitted to the hospital. Conclusions: The Pediatric Assessment Triangle is quickly spreading internationally and its clinical applicability is very promising. Nevertheless, it is imperative to promote research for clinical validation, especially for clinical use by emergency pediatricians and physicians.<hr/>Resumo Objetivo: O Triângulo de Avaliação Pediátrica é uma ferramenta de avaliação rápida que usa apenas pistas visuais e auditivas, não necessita de equipamentos e leva de 30-60 segundos. Tem sido usado internacionalmente em diferentes configurações de emergência, porém poucos estudos avaliaram seu desempenho. O objetivo desta análise biomédica narrativa é resumir a literatura disponível com relação à utilidade do Triângulo de Avaliação Pediátrica na prática clínica. Fontes: Fizemos uma análise não sistemática nas bases de dados do PubMed®, Medline® e Embase® em busca de artigos publicados entre 1999-2016 com as palavras-chave “triângulo de avaliação pediátrica”, “triângulo pediátrico”, “ferramentas de avaliação pediátrica” e “departamento de emergência pediátrica”. Resumo dos achados: O Triângulo de Avaliação Pediátrica demonstrou ser útil na avaliação de crianças doentes na configuração pré-hospitalar e na tomada de decisões de transporte. Ele foi incorporado, como um instrumento essencial na avaliação de crianças doentes, em diferentes cursos de apoio de vida, apesar de pouco ter sido escrito sobre a eficácia de ensino do Triângulo de Avaliação Pediátrica. Pouco foi publicado sobre o desempenho do Triângulo de Avaliação Pediátrica na avaliação inicial no departamento de emergência (DE). No DE, o Triângulo de Avaliação Pediátrica é útil para identificar, na triagem, crianças que exigem cuidado mais urgente. Estudos recentes avaliaram e provaram a eficácia do Triângulo de Avaliação Pediátrica também na identificação dos pacientes com doenças de saúde mais graves e, eventualmente, são internados no hospital. Conclusões: O Triângulo de Avaliação Pediátrica se difunde rapidamente de forma internacional e sua aplicabilidade clínica é muito promissora. Contudo, é essencial promover pesquisa para validação clínica, principalmente para o uso clínico por pediatras e médicos de emergência. <![CDATA[Emergência pediátrica no Brasil: a consolidação da área de atuação para o pediatra]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700068&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: The aim of this study was to present a review on the evolution, development, and consolidation of the pediatric emergency abroad and in Brazil, as well as to discuss the residency program in this key area for pediatricians. Data sources: This was a narrative review, in which the authors used pre-selected documents utilized as the minimum requirements for the Residency Program in Pediatric Emergency Medicine and articles selected by interest for the theme development, at the SciELO and Medline databases, between 2000 and 2017. Data synthesis: The historical antecedents and the initial evolution of pediatric emergency in Brazil, as well as several challenges were described, regarding the organization, the size, the training of professionals, and also the regulation of the professional practice in this new specialty. Additionally, a new pediatric emergency residency program to be implemented in Brazil is described. Conclusions: Pediatric emergency training will be a powerful stimulus to attract talented individuals, to establish them in this key area of medicine, where they can exercise their leadership by promoting care qualification, research, and teaching, as well as acting decisively in their management.<hr/>Resumo Objetivo: Apresentar uma revisão sobre a evolução, o desenvolvimento e a consolidação da emergência pediátrica no exterior e no Brasil, assim como discutir o programa de residência nessa importante área de atuação para o pediatra. Fontes dos dados: Revisão do tipo narrativa, em que os autores usaram documentos pré-selecionados empregados nos requisitos mínimos para o programa em Residência de Medicina de Emergência Pediátrica e para artigos selecionados por interesse para desenvolvimento do tema usaram as bases de dados SciELO e Medline entre 2000 e 2017. Síntese dos dados: Foram descritos os antecedentes históricos e a evolução inicial da emergência pediátrica no Brasil e diversos desafios, na organização, no dimensionamento, na formação de profissionais e, também, na regulamentação do exercício profissional dessa nova especialidade. Também se descreve um novo programa de residência em emergência pediátrica a ser implantado no Brasil Conclusões: A formação em emergência pediátrica será um poderoso estímulo para atrair indivíduos talentosos, fixá-los nessa importante área da medicina, na qual poderão exercer sua liderança e promover qualificação na assistência, na pesquisa e no ensino, assim como atuar decisivamente no seu gerenciamento. <![CDATA[Bronquiolite viral em neonatos jovens: novas perspectivas para manejo e tratamento]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700075&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: The aim of this review was to address advances in management and treatment of acute viral bronchiolitis in infants. Sources: A systematic review search was made including all articles published in English between 2010 and 2017, and available in the electronic databases PubMed and Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) and specialized register of the Acute Respiratory Infections Group (Cochrane review group). The following MESH terms in English were included, using different Boolean operators for the search strategy: “bronchiolitis, viral,” “diagnosis,” “epidemiology,” “etiology,” “therapy,” “virology,” “prevention and control,” “respiratory syncytial virus, human.” Additional filters were used. Summary of findings: Few effective interventions are recommended for the management of RSV bronchiolitis in young infants. The main goal is to ensure an adequate oxygen supplementation and fluid balance whenever deemed necessary. Hypertonic saline nebulization is helpful only for hospitalized infants. Numerous antiviral drugs and specific vaccines for RSV are under evaluation and foretell advances in disease management in the near future. Conclusion: A number of promising new technologies are advancing in the field. Until new interventions became feasible, early detection and modification of preventable risk factors is essential to improve outcomes.<hr/>Resumo Objetivo: Abordar avanços no manejo e no tratamento de bronquiolite viral aguda em neonatos. Fontes: Uma pesquisa de análise sistemática foi feita e incluiu todos os artigos publicados em inglês entre 2010 e 2017 e disponíveis nas bases de dados eletrônicas PubMed, no Registro Central de Ensaios Controlados (Central) da Cochrane e no registro especializado do Grupo de Infecções Respiratórias Agudas (grupo de revisão Cochrane). Os seguintes termos MESH em inglês foram incluídos na abordagem com diferentes operadores booleanos para a estratégia de pesquisa: “bronquiolite, viral”, “diagnóstico”, “epidemiologia”, “etiologia”, “terapia”, “virologia”, “prevenção e controle”, “vírus sincicial respiratório, humano”. Foram usados filtros adicionais. Resumo dos achados: Poucas intervenções efetivas são recomendadas para o manejo da bronquiolite por VSR em neonatos jovens. O principal objetivo é garantir uma suplementação de oxigênio adequada e equilíbrio de fluidos sempre que considerado necessário. A nebulização de solução salina hipertônica ajuda apenas em casos de neonatos hospitalizados. Vários medicamentos antivirais e vacinas específicas contra VSR estão em fase de avaliação e predizem avanços no manejo da doença no futuro próximo. Conclusão: Várias novas tecnologias promissoras avançam no campo. Até que as novas intervenções se tornem viáveis, a detecção precoce e a modificação de fatores de risco de prevenção são fundamentais para melhorar os resultados. <![CDATA[Protocolos de manejo de estado de mal epiléptico no pronto socorro pediátrico: análise sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572017000700084&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: This systematic review of national or regional guidelines published in English aimed to better understand variance in pre-hospital and emergency department treatment of status epilepticus. Sources: Systematic search of national or regional guidelines (January 2000 to February 2017) contained within PubMed and Google Scholar databases, and article reference lists. The search keywords were status epilepticus, prolonged seizure, treatment, and guideline. Summary of findings: 356 articles were retrieved and 13 were selected according to the inclusion criteria. In all six pre-hospital guidelines, the preferred route of medication administration was to use alternatives to the intravenous route: all recommended buccal and intranasal midazolam; three also recommended intramuscular midazolam, and five recommended using rectal diazepam. All 11 emergency department guidelines described three phases in therapy. Intravenous medication, by phase, was indicated as such: initial phase - ten/11 guidelines recommended lorazepam, and eight/11 recommended diazepam; second phase - most (ten/11) guidelines recommended phenytoin, but other options were phenobarbital (nine/11), valproic acid (six/11), and either fosphenytoin or levetiracetam (each four/11); third phase - four/11 guidelines included the choice of repeating second phase therapy, whereas the other guidelines recommended using a variety of intravenous anesthetic agents (thiopental, midazolam, propofol, and pentobarbital). Conclusions: All of the guidelines share a similar framework for management of status epilepticus. The choice in route of administration and drug type varied across guidelines. Hence, the adoption of a particular guideline should take account of local practice options in health service delivery.<hr/>Resumo Objetivo: Esta análise sistemática de diretrizes nacionais ou regionais publicadas em inglês tem como objetivo entender melhor a diferença no tratamento do estado de mal epiléptico pré-hospitalar e no departamento de emergência. Fontes: Pesquisa sistemática de diretrizes nacionais ou regionais (janeiro de 2000 a fevereiro de 2017) contidas nas bases de dados do Pubmed e do Google Acadêmico e listas de referência de artigos. As palavras-chave da busca foram estado de mal epiléptico, convulsão prolongada, tratamento e diretriz. Resumo dos achados: Foram identificados 356 artigos e 13 foram selecionados de acordo com os critérios de inclusão. Em todas as seis diretrizes pré-hospitalares, o caminho preferencial de administração da medicação foi usar opções à via intravenosa: todas recomendaram midazolam bucal e intranasal; três também recomendaram midazolam intramuscular; e cinco recomendaram usar o diazepam via retal. Todas as 11 diretrizes de departamento de emergência descreveram três fases na terapia. No que diz respeito à medicação intravenosa, por fase, temos: fase inicial - 10/11 diretrizes recomendaram lorazepam e 8/11 recomendaram diazepam; segunda fase - a maioria (10/11) das diretrizes recomendou fenitoína, porém outras opções foram fenobarbital (9/11), ácido valproico (6/11) e fosfenitoína ou levetiracetam (individualmente, 4/11); terceira fase - 4/11 diretrizes incluíram a opção de repetir a terapia da segunda fase, ao passo que as outras diretrizes recomendaram usar diversos agentes anestésicos intravenosos (tiopental, midazolam, propofol e pentobarbital). Conclusões: Todas as diretrizes compartilham uma estrutura semelhante para manejo do estado de mal epiléptico. A escolha da via de administração e do tipo de medicamento variou em todas as diretrizes. Assim, a adoção de uma diretriz específica deve levar em consideração as opções da prática local na prestação de serviços de saúde.