Scielo RSS <![CDATA[Jornal de Pediatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0021-755720070006&lang=en vol. 83 num. 5 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Rubella vaccination strategy</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>The beginning of a new era</B>: <B>systematic testing for pathogens causing acute respiratory tract infections (ARI) in children</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>An evident view of evidence-based pratice in perinatal medicine</B>: <B>absence of evidence is not evidence of absence</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600003&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Proporcionar elementos valiosos e um pouco de humor nesta chamada era da "prática baseada em evidências" com o objetivo de ajudar os clínicos a fazer escolhas melhores no cuidado que eles provêem com base em evidências, e não simples ou exclusivamente com base em um ensaio clínico randomizado (ECR) ou meta-análise (o que pode não ser evidência). FONTE DOS DADOS: Livros e artigos com revisão por pares são citados e listados na bibliografia. Evidências de vida, aprendizado através de nossos próprios erros e muitos outros fatos evidentes que sustentam esta revisão não são citados. SÍNTESE DOS DADOS: 1) "Ausência de evidência não é evidência de ausência" e "falta de evidência de efeito não significa evidência de nenhum efeito". 2) Os ECR com resultado "negativo" e aqueles com resultado "positivo", mas sem os resultados importantes, muitas vezes não podem concluir o que concluem. 3) Os ensaios clínicos não-randomizados e os estudos práticos podem ser importantes. 4) A pesquisa em busca de provas é diferente da pesquisa em busca de aperfeiçoamento. 5) A escolha clínica deve avaliar os efeitos nos desfechos importantes para os pacientes e seus pais. 6) A quantificação de desfechos adversos, do número necessário para causar dano e do número necessário para tratamento não é assim tão simples. CONCLUSÕES: Desafios importantes inerentes à pesquisa em serviços de saúde devem ser correlacionados a possíveis aplicações clínicas usando ferramentas que permitam uma "visão mais clara da prática baseada em evidências" na medicina perinatal, lembrando que a ausência de evidência não é evidência de ausência.<hr/>OBJECTIVE: To provide valuable elements and some humor in this so-called era of "evidence-based practice" with the aim of helping clinicians make better choices in the care they deliver based on evidence, not simply or exclusively based on a randomized clinical trial (RCT) or meta-analysis (which may not be evidence). SOURCES: Books and peer-reviewed articles are quoted and listed in the bibliography. Evidence of life, learning from our own mistakes and many other evident facts that support this review are not quoted. SUMMARY OF THE FINDINGS: 1) "Absence of evidence is not evidence of absence" and "lack of evidence of effect does not mean evidence of no effect". 2) RCTs with "negative" results and those with "positive" results, but without outcomes that matter, often cannot conclude what they conclude. 3) Non-randomized clinical trials and practical trials may be important. 4) Research to prove is different than research to improve. 5) Clinical choice must assess effects on outcomes that matter to patients and their parents. 6) Quantifying adverse outcomes, number needed to damage and to treat is not that simple. CONCLUSIONS: Significant challenges inherent to health service research must be correlated to possible clinical applications using tools to have a more "evident view of evidence-based practice" in perinatal medicine, recalling that absence of evidence is not evidence of absence. <![CDATA[<B>Impact of rubella vaccination strategy on the occurrence of congenital rubella syndrome</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600004&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: A vacinação rotineira contra a rubéola foi implementada na Paraíba, nordeste brasileiro, através de uma campanha de catch-up direcionada a crianças com idades entre 1 e 11 anos em 1998. Uma campanha entre as mulheres em idade reprodutiva foi realizada em 2001. Descrevemos a epidemiologia da rubéola e da síndrome da rubéola congênita (SRC) no estado da Paraíba entre 1999 e 2005. MÉTODOS: Foram analisados os dados de vigilância da rubéola e da SRC entre 1999 e 2005. Os casos suspeitos de rubéola foram confirmados por exames laboratoriais, vínculo epidemiológico ou por critério clínico. Foram utilizadas as definições internacionais padrão de SRC. RESULTADOS: Dos 5.924 casos suspeitos de rubéola entre 1999 e 2005, 1.266 (21%) foram confirmados, 766 (61%) deles através dos exames laboratoriais. Durante uma epidemia de rubéola em 2000 (18,8/100.000), a incidência entre os indivíduos com idades entre 14 e 19 anos (42/100.000) quadruplicou em relação a crianças com idades entre 1 e 13 anos (intervalo de confiança de 95% = 3,2-5,1). A incidência geral da rubéola foi de 0,9/100.000 em 2005. Dos 177 casos suspeitos de SRC entre 1999 e 2005, 167 (94%) foram testados para a presença de IgM. Dos 14 (8%) casos de SRC confirmados laboratorialmente, 12 (86%) haviam nascido em 2001, com uma incidência de 0,2/100.000 crianças menores de 1 ano nesse ano. CONCLUSÕES: A campanha de vacinação contra a rubéola em 1998 não foi suficiente para prevenir um surto entre adultos jovens em 2000, com uma alta incidência de SRC em 2001. Entre 2002 e 2005, as incidências de rubéola e de SRC diminuíram; entretanto, a alta cobertura da vacina e a vigilância de alta qualidade são importantes para que se atinja a erradicação da SRC até 2010.<hr/>OBJECTIVE: Routine rubella vaccination was introduced in Paraíba, northeastern Brazil, through a catch-up campaign targeting children aged 1-11 years, in 1998. A campaign among women of childbearing age was conducted in 2001. We describe the epidemiology of rubella and congenital rubella syndrome (CRS) in the state of Paraíba between 1999 and 2005. METHODS: Rubella and CRS surveillance data for the 1999-2005 period were analyzed. Suspected cases of rubella were confirmed by laboratory findings, epidemiological link, or clinical data. International standardized CRS definitions were used. RESULTS: Of 5,924 suspected cases of rubella between 1999 and 2005, 1,266 (21%) were confirmed, 766 (61%) by laboratory findings. During a rubella epidemic in 2000 (18.8/100,000), the incidence among individuals aged 14-19 years (42/100,000) had a fourfold increase relative to children aged 1-13 years (95% confidence interval = 3.2-5.1). The overall rubella incidence was 0.9/100,000 in 2005. Of 177 suspected cases of CRS between 1999 and 2005, 167 (94%) were tested for IgM. Of 14 (8%) laboratory confirmed cases of CRS, 12 (86%) were born in 2001, with an incidence of 0.2/100,000 children aged less than 1 year. CONCLUSIONS: The 1998 rubella vaccination campaign was insufficient to prevent an outbreak among young adults in 2000, with a high CRS incidence in 2001. Between 2002 and 2005 the incidence of rubella and CRS decreased; however, high routine vaccination coverage and high-quality surveillance remain critically important to achieve CRS elimination by 2010. <![CDATA[<B>Surveillance of eight respiratory viruses in clinical samples of pediatric patients in Southeast Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600005&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Detecção de oito vírus respiratórios mais comuns: vírus respiratório sincicial humano (VRSH), vírus influenza tipo A e B (IA e IB), vírus da parainfluenza 1, 2 e 3 (VPIH1, 2 e 3), adenovírus (Ad) e metapneumovírus humano (MPVH), a fim de estabelecer a etiologia das infecções respiratórias agudas (IRA) e a epidemiologia desses vírus em crianças pequenas atendidas no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo, em São Paulo, Brasil, durante o ano de 2003. MÉTODOS: A vigilância epidemiológica foi realizada em todas as crianças menores de 5 anos hospitalizadas por causa de doenças do trato respiratório inferior (DTRI) entre 1&ordm; de janeiro de 2003 e 20 de dezembro de 2003, no hospital universitário. Amostras coletadas de nasofaringe foram analisadas quanto à presença de vírus respiratórios através da reação em cadeia da polimerase e detectadas pelo programa GeneScan. RESULTADOS: Das 336 amostras coletadas, 187 (55,6%) foram positivas para pelo menos um dos vírus respiratórios estudados. De todas as crianças, o VRSH foi identificado em 24,1%, o MPVH em 17,8%, o VPIH3 em 8,3%, o Ad em 6,8%, o IA em 5%, o VPIH1 em 0,6%, sendo que nenhum vírus foi detectado em 44,1%. Infecções virais duplas foram detectadas em 7,1% de todas as amostras (12,8% das amostras positivas). O VPIH2 e o IB não foram detectados no presente estudo. CONCLUSÕES: Este estudo confirma que as crianças menores de 5 anos, e especialmente aquelas menores de 1 ano, apresentam uma alta taxa de hospitalização devido aos seguintes vírus: VRSH, MPVH, VPIH, influenza e adenovírus. Foi possível determinar a etiologia e epidemiologia da maioria das IRAs e traçar o perfil de sazonalidade dos vírus respiratórios mais comuns entre as crianças pequenas.<hr/>OBJECTIVE: Detection of the eight most common respiratory viruses: Human respiratory syncytial virus (HRSV), influenza virus A and B (IA and IB), parainfluenza viruses 1, 2 and 3 (HPIV1, 2 and 3), adenovirus (Ad) and human metapneumovirus (HMPV), in order to establish the etiology of acute respiratory infections (ARIs) and the epidemiology of these viruses in young children seen at Hospital Universitário, Universidade de São Paulo, in São Paulo, Brazil, during 2003. METHODS: The epidemiological surveillance was conducted in all children younger than 5 years hospitalized at the Hospital for lower respiratory tract infections (LRTI) from January 1, 2003 to December 30, 2003. Nasal and throat samples were scanned for respiratory viruses by polymerase chain reaction and detected by the GeneScan assay. RESULTS: Of 336 samples collected from 336 patients, 187 (55.6%) were positive for at least one of the respiratory viruses studied. Of all the children, HRSV was identified in 24.1%, HMPV in 17.8%, HPIV3 in 8.3%, Ad in 6.8%, IA in 5%, HPIV1 in 0.6%, but no virus could be detected in 44.1%. Dual virus infections were detected in 7.1% of all samples (12.8% of positive samples). HPIV2 and IB were not detected in the present study. CONCLUSIONS: This study confirms that children younger than 5 years and particularly younger than 1 year have a high hospitalization rate due to HRSV, HMPV, HPIV, influenza and adenovirus. We were able to determine the etiology and epidemiology of most ARIs and trace the seasonal profile of the commonest respiratory viruses among young children. <![CDATA[<B>The association between cardiorespiratory fitness and cardiovascular risk in adolescents</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600006&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: O consumo máximo de oxigênio tem sido sugerido como medida preferível em relação a questionários de atividade física para expressar a aptidão cardiorrespiratória, por sua maior objetividade e menor possibilidade de erros. Estudos indicam que essa medida se correlaciona melhor com as doenças cardiovasculares. Este trabalho propõe-se a associar fatores de risco cardiovasculares em adolescentes ao nível de aptidão cardiorrespiratória. MÉTODOS: Foram selecionados 380 escolares, 177 meninos e 203 meninas (10 a 14 anos), que foram divididos em dois grupos de acordo com a aptidão cardiorrespiratória. Realizou-se avaliação antropométrica, medidas hemodinâmicas (pressão arterial e freqüência cardíaca), teste cardiopulmonar e perfil bioquímico (triglicerídeos, colesterol total e frações). RESULTADOS: Nos meninos, observou-se diferença significativa entre grupo "fraco" e "não fraco" para as médias de freqüência cardíaca basal, consumo máximo de oxigênio, índice de massa corporal e triglicerídeos. Nas meninas, as diferenças significativas foram nas médias de freqüência cardíaca basal, consumo máximo de oxigênio e índice de massa corporal. Em ambos os sexos, o grupo classificado como "fraco" apresentou maior número significativo de indivíduos com excesso de peso em relação ao grupo "não fraco" (x² = 25,242; p = 0,000; x² = 12,683; p = 0,000, para meninos e meninas, respectivamente). Associação significativa entre aptidão cardiorrespiratória e triglicerídeos (x² = 3,944; p = 0,047) observou-se apenas para o sexo masculino. CONCLUSÕES: A aptidão cardiorrespiratória mais baixa parece ter influência negativa sobre os fatores de risco cardiovasculares em adolescentes, especialmente em relação ao excesso de peso em ambos os gêneros e ao perfil bioquímico no sexo masculino, evidenciando para a necessidade de intervenções preventivas precoces.<hr/>OBJECTIVE: Maximum oxygen uptake is emerging as the measure of preference for expressing cardiorespiratory fitness for the purposes of surveys of physical activity, due to its greater objectivity and lower propensity to errors. Studies indicate that this measure is better correlated with cardiovascular diseases. This paper proposes to relate cardiovascular risk factors in adolescents with their level of cardiorespiratory fitness. METHODS: The study enrolled 380 schoolchildren, 177 boys and 203 girls (10 to 14 years old), who were divided into two groups according to their cardiorespiratory fitness. Anthropometric assessment was carried out, hemodynamic measurements (arterial pressure and heart rate) were taken, cardiopulmonary exercise testing was performed and biochemical tests were run (triglycerides, total and partial cholesterol). RESULTS: Among the boys, significant differences were observed between boys defined as "weak" and those classed as "not weak" in terms of baseline heart rate, maximum oxygen uptake, body mass index and triglycerides. Among the girls, significant differences were detected between baseline heart rates, maximum oxygen uptake and body mass indices. In both sexes, the group classified as "weak" exhibited a significantly greater number of overweight individuals that the "not weak" group (x² = 25.242; p = 0.000; x² = 12.683; p = 0.000, for boys and girls, respectively). A significant association between cardiorespiratory fitness and triglycerides (x² = 3.944; p = 0.047) was observed among the boys only. CONCLUSIONS: A low level of cardiorespiratory fitness appears to have a negative influence on cardiovascular risk factors among adolescents, especially with relation to overweight in both sexes and to biochemical profile in the male sex, providing evidence of the need for early preventative interventions. <![CDATA[<B>Pursuing efficiency</B>: <B>international visibility of the scientific production of Brazilian graduate programs in child and adolescent health from 1998 through 2003</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600007&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO:Avaliar a tendência do número de publicações oriundos dos programas de pós-graduação brasileiros em saúde da criança e do adolescente e a proporção de citações desses artigos no MEDLINE e no Journal Citation Reports (JCR), utilizando a primeira base de dados como medida de eficiência e a última como indicador de visibilidade. MÉTODOS: Avaliamos 14 programas de pós-graduação quanto ao número de teses, dissertações e artigos citados no MEDLINE e JCR, através de dados secundários das duas últimas avaliações trienais realizadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), de 1998 até 2000 e de 2001 até 2003. RESULTADOS:O número de artigos publicados aumentou (de 1.520 para 1.917), bem como o número mediano de artigos citados tanto no MEDLINE (de 32,5 para 45) como no JCR (de 24,5 para 27). O número mediano de dissertações aumentou de 19,5 para 26,5; o número mediano de teses cresceu de 12 para 13,5. O número mediano de orientadores diminuiu (de 21,5 para 18,4). CONCLUSÃO: Os programas de pós-graduação em saúde infantil e do adolescente tornaram-se mais eficientes quanto à produção de conhecimento através da publicação de mais artigos com maior visibilidade internacional. Tal tendência foi acompanhada contraditoriamente pela redução no número de orientadores.<hr/>OBJECTIVE:To assess the trend in the number of published articles by Brazilian graduate programs in child and adolescent health and the proportion of such publications cited in MEDLINE and Thomson Scientific's Journal Citation Reports (JCR), using the former database as a proxy for efficiency and the latter as an indicator of visibility. METHODS: We assessed the trends of 14 graduate programs concerning the number of theses, dissertations, and articles cited in MEDLINE and JCR, through secondary data from the latest two triennial evaluations carried out by the Brazilian Federal Agency for the Improvement of Higher Education (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES) between 1998 and 2000 and between 2001 and 2003). RESULTS:The number of published articles increased (1,520 to 1,917), as did the median number of articles cited both in MEDLINE (32.5 to 45) and in JCR (24.5 to 27). The median number of dissertations rose from 19.5 to 26.5; the median number of theses went up from 12 to 13.5. The median number of faculty advisors decreased (21.5 to 18.4). CONCLUSION: Graduate programs in child and adolescent health became more efficient in producing knowledge through the publication of more articles with broader international visibility. Such trend was contradictorily accompanied by a diminishing number of advisors. <![CDATA[<B>Penile anthropometry in Brazilian child and adolescent</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600008&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Classicamente, o pênis tem duas funções: permitir a fertilização interna e direcionar o jato miccional. Entretanto, alterações objetivas do tamanho peniano podem levar ao diagnóstico de doenças. Além disso, é motivo comum de consulta médica a busca por parâmetros de normalidade do tamanho do pênis. Contudo, a antropometria do pênis da criança e do adolescente brasileiros ainda não foi devidamente estudada. O objetivo do estudo é realizar a antropometria do pênis de crianças e adolescentes brasileiros, estabelecendo referências para aplicação clínica. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal, envolvendo 2.010 pacientes com idades variando entre 0 e 18 anos. Foram obtidas cinco medidas penianas: diâmetro da haste peniana; comprimento aparente e real do pênis flácido; comprimento aparente e real (CRTmax) do pênis flácido sob tração máxima. O desenvolvimento puberal foi caracterizado pelos critérios de Tanner. RESULTADOS: De todas as medidas penianas, o CRTmax foi a única que não apresentou variação significativa interpesquisador em todas as faixas etárias analisadas (p = 0,255). Os resultados foram distribuídos em tabelas com a média do CRTmax e os valores do que se considera micropênis (média - 2,5 desvio padrão) de acordo com as diferentes faixas etárias e com os diferentes graus de maturação sexual de Tanner. Foi desenvolvido um gráfico com a distribuição dos valores do CRTmax distribuído por percentis 10, 25, 50, 75 e 90 por faixa etária. CONCLUSÕES: De todas as medidas antropométricas penianas, o CRTmax é a única clinicamente útil. Recomendamos nossos resultados como referência de antropometria peniana para crianças e adolescentes brasileiros.<hr/>OBJECTIVE: Classically, the penis has two functions: to make internal fertilization possible and to direct the urine stream. However, objective abnormalities in penis size can lead to diseases being diagnosed. Furthermore, many medical consultations are the result of patients seeking parameters for normal penis size. Additionally, the penile anthropometry of Brazilian children and adolescents has not yet been properly studied. The objective of this study is to carry out penile anthropometry of Brazilian children and adolescents, establishing references for clinical use. METHODS: A cross-sectional study was carried out of 2,010 patients with ages varying from 0 to 18 years. Five penile measurements were taken: diameter of penile shaft; apparent and real length of flaccid penis; apparent and real (RSLmax) length of flaccid penis fully stretched. Pubertal development was defined according to Tanner's criteria. RESULTS: Only RSLmax, out of all of the penile measurements, did not exhibit significant interobserver variation at all ages analyzed (p = 0.255). Results were tabulated with mean RSLmax and the values that define micropenis (mean - 2.5 standard deviations) by age and by Tanner sexual maturity stages. A graph was plotted of the distribution of RSLmax results by the 10th, 25th, 50th, 75th and 90th percentiles and by age. CONCLUSIONS: Out of all of the penile anthropometric measurements, only RSLmax is clinically useful. We recommend our results as a reference standard for penile anthropometry of Brazilian children and adolescents. <![CDATA[<B>Breastfeeding in the treatment of children with phenylketonuria</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600009&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Avaliar o efeito do leite materno como fonte de fenilalanina (phe) nos níveis sangüíneos desse aminoácido e no crescimento de fenilcetonúricos. MÉTODOS: Foram estudados 35 fenilcetonúricos que mantiveram leite materno, e os resultados foram comparados com os de 35 lactentes que usaram fórmula láctea comercial. Os grupos foram pareados por sexo e por idade à suspensão do aleitamento materno. Os dados foram analisados até a suspensão do leite materno ou durante 12 meses de acompanhamento. O grupo amamentado recebeu "fórmula especial" isenta em phe, em mamadeira a cada 3 horas, e leite materno em livre demanda nos intervalos. Os níveis sangüíneos de phe, coletados semanalmente até 6 meses e quinzenalmente até 1 ano de idade, foram analisados durante a amamentação. Foram comparados o tempo necessário para adequação dos níveis sangüíneos de phe, após o início do tratamento, utilizando o teste de Wilcoxon e os dados antropométricos, pelo teste t de Student pareado, utilizando o escore z. As dosagens de phe foram analisadas durante a amamentação. RESULTADOS: O tempo mediano para adequação dos níveis de phe no sangue foi de 8 dias para o grupo amamentado e de 7 dias para o grupo controle. As dosagens de phe estavam adequadas em 87% das vezes para o grupo amamentado e em 74,4% para o grupo controle. Na avaliação antropométrica, a maioria das crianças, de ambos os grupos, apresentou escore z > -2. CONCLUSÃO: A manutenção do aleitamento materno, durante o tratamento, mostrou-se adequada no controle metabólico e no crescimento das crianças fenilcetonúricas.<hr/>OBJECTIVE: To evaluate the effect of breastmilk as a source of phenylalanine (phe) on levels of this amino acid and on growth in phenylketonuric infants. METHODS: The study recruited 35 breastfed phenylketonuric infants and compared their results with those of 35 infants fed on commercial, milk-based formula. The groups were paired for sex and age at weaning from breastfeeding. Data were analyzed up until cessation of breastmilk or for 12 months' follow-up. The breastfed group were given a "special formula" free of phe, by bottle every 3 hours, and breastmilk at will during the intervals. Levels of phe in the blood, collected weekly up to 6 months and fortnightly up to 1 year de age, were analyzed while breastfeeding continued. The two groups were compared in terms of the time taken for the levels of phe in blood to return to normal after treatment was started, using the Wilcoxon test. Anthropometric data were compared with Student's t paired test in the form of z scores. The phe assays were analyzed throughout breastfeeding. RESULTS: The median time taken for phe levels to return to normal was 8 days for the breastfed group and 7 days for the control group. The phe assay results were normal in 87% of tests for the breastfed group and in 74.4% for the control group. The majority of children in both groups exhibited a z score > -2 on anthropometric examination. CONCLUSIONS: Continuation of breastfeeding, during the treatment, proved adequate for metabolic control and growth in children with phenylketonuria. <![CDATA[<B>Self-medication in children and adolescents</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600010&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Determinar a prevalência da automedicação em crianças e adolescentes dos municípios de Limeira e Piracicaba (SP), correlacionando-a a indicadores sociodemográficos e utilização de serviços de saúde (pública ou privada). MÉTODOS: Estudo descritivo tipo inquérito populacional domiciliar de uma amostra aleatória simples de ambos os municípios, constituída de 772 moradores procedentes de 85 setores censitários selecionados por meio de amostragem por conglomerado. Critérios de inclusão: idade &lt; 18 anos; entrevista obrigatória com um dos responsáveis legais; ter consumido pelo menos um medicamento nos 15 dias prévios à data da entrevista. Segundo a orientação de uso de medicamentos, os participantes foram divididos em dois grupos de estudo: automedicação (orientação leiga) e prescrição médica. Foram realizados testes de associação linear, análise descritiva das variáveis e regressão logística múltipla. RESULTADOS: A prevalência da automedicação foi de 56,6%. Os principais responsáveis e indutores da automedicação foram as mães (51%) e funcionários de farmácia (20,1%). Os principais grupos de medicamentos administrados na automedicação foram: analgésicos/antipiréticos e antiinflamatórios não-hormonais (52,9%); medicações de ação nos tratos respiratório (15,4%) e gastrointestinal (9,6%); e antibióticos sistêmicos (8,6%). As situações que mais motivaram a automedicação foram afecções respiratórias (17,2%), febre (15%) e cefaléia (14%). Indivíduos na faixa etária de 7-18 anos (razão de chances = 2,81) e usuários de serviços públicos de saúde (razão de chances = 1,52) apresentaram risco aumentado de automedicação. CONCLUSÕES: A prevalência da automedicação em crianças e adolescentes foi alta, reforçando a necessidade de intervenção das autoridades de saúde na prevenção desses agravos.<hr/>OBJECTIVE: To determine the prevalence of self-medication in children and adolescents in the municipalities of Limeira and Piracicaba, state of São Paulo, and to correlate results with sociodemographic indicators and with the use of health care services (public or private). METHODS: Descriptive population-based study of a simple random sample from the two municipalities, comprised of 772 inhabitants from 85 urban census sectors selected through cluster sampling. Inclusion criteria: age &lt; 18 years; interview with one parent/tutor; consumption of at least one drug in the previous 15 days. Subjects were divided into two study groups according to their pattern of drug use: self-medication (lay advice) and medical prescription. Linear association tests, descriptive analysis of variables and multiple logistic regression tests were carried out to analyze data. RESULTS: The prevalence of self-medication was 56.6%. Mothers (51%) and drugstore employees (20.1%) were most frequently responsible for self-medication. The main groups of self-prescribed drugs were: analgesic/antipyretic and non-hormonal anti-inflammatory drugs (52.9%); drugs acting on the respiratory tract (15.4%) and gastrointestinal drugs (9.6%); and systemic antibiotics (8.6%). The situation that most commonly motivated self-medication were respiratory diseases (17.2%), fever (15%), and headache (14%). Subjects in the age group of 7-18 years (odds ratio = 2.81) and public health care users (odds ratio = 1.52) showed increased risk for self-medication. CONCLUSIONS: The prevalence of self-medication in children and adolescents was high, which reinforces the need for public health interventions aiming at preventing this practice. <![CDATA[<B>The performance of parents of children receiving cow's milk free diets at indentification of commercial food products with and without cows's milk</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600011&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Investigar o desempenho de pais de crianças em dieta isenta da proteína do leite de vaca no reconhecimento de expressões e alimentos que contenham ou não proteínas do leite de vaca. MÉTODOS: Foram entrevistados 24 pais de crianças em dieta de exclusão do leite de vaca e derivados e 23 sem necessidade de nenhum tipo de dieta de exclusão. Foi questionado se reconheciam 12 expressões relacionadas ao leite de vaca. A seguir, foi solicitado que classificassem 10 produtos industrializados quanto ao conteúdo ou não de proteínas do leite de vaca. RESULTADOS:Termos iniciados com a palavra leite foram os mais reconhecidos pelos dois grupos. Os responsáveis por crianças em dieta de exclusão reconheceram mais freqüentemente as palavras proteína do leite de vaca, traços do leite e formulação ou preparação láctea (p < 0,05). Caseína, caseinato, lactoalbumina e lactoglobulina foram reconhecidas por menos de 25,0% dos entrevistados. O número de identificação correta dos 10 produtos industrializados foi maior para os produtos com leite de vaca nos dois grupos. A mediana de acertos dos produtos com leite de vaca (n = 5) pelos pais em dieta de exclusão (4,0) foi maior que a do grupo controle (3,0; p = 0,005). Leitura de pelo menos um rótulo associou-se com maior chance de identificação correta de mais de cinco dos 10 produtos (razão de chance = 8,0). CONCLUSÃO:Apesar de orientados, os pais de crianças em dieta de exclusão não estão plenamente preparados para sua correta realização, indicando a necessidade de aprimoramento das orientações para essa dieta de exclusão.<hr/>OBJECTIVE: To investigate how well the parents of children on cow's milk free diets perform at recognizing whether or not expressions describe and foods contain cow's milk proteins. METHODS: Interviews were conducted with 24 parents of children on cow's milk and by-products exclusion diets and 23 parents of children with no need for any type of exclusion diet. They were asked if they recognized 12 expressions relating to cow's milk. They were then asked to classify 10 commercial food products in terms of whether or not they contained cow's milk proteins. RESULTS: Terms that included the word milk were more often recognized by both groups of parents. The parents of children on exclusion diets recognized the terms cow's milk protein, traces of milk and milk formulation or preparation most frequently (p < 0.05). Less than 25.0% of those interviewed recognized casein, caseinate, lactalbumin and lactoglobulin. Both groups correctly identified more of the commercial products containing cow's milk than those free from milk. The median number of products containing cow's milk (total = 5) correctly identified by the parents of children on exclusion diets (4.0) was greater than for the control group (3.0; p = 0.005). Reading at least one label was associated with a greater chance of correctly identifying more than five of the 10 products (odds ratio = 8.0). CONCLUSIONS: Despite having received guidance, the parents of children on exclusion diets were not fully prepared to manage these diets, indicating a need for improvements to the instruction provided when indicating exclusion diets. <![CDATA[<B>Early diagnosis of streptococcal pharyngotonsillitis</B>: <B>assessment by latex particle agglutination test</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600012&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: A faringoamigdalite aguda é uma das doenças mais freqüentes na prática pediátrica, sendo o estreptococo beta-hemolítico do grupo A (EBHGA) o agente etiológico bacteriano mais comum. O seu diagnóstico e tratamento adequados são importantes principalmente para a prevenção de seqüelas não-supurativas. Testes rápidos de detecção de antígenos do estreptococo do grupo A são uma ferramenta útil no diagnóstico das faringoamigdalites estreptocócicas, pela rapidez dos resultados, acurácia e baixo custo; no entanto, são pouco utilizados em nosso meio e pouco estudados em nosso país. O objetivo deste estudo foi avaliar a acurácia de um kit de teste rápido de detecção de antígeno do EBHGA comparado à cultura de suabe de orofaringe. MÉTODOS: Foram selecionadas crianças de 1 a 18 anos com diagnóstico clínico de faringoamigdalite aguda em serviços públicos de urgência e clínica privada de Belo Horizonte (MG), sendo excluídas as que haviam utilizado antibióticos até 30 dias antes da consulta. A amostra final incluiu 229 pacientes, que foram submetidos a coleta de dois suabes de orofaringe, um para o teste rápido para EBHGA e o outro enviado para cultura. RESULTADOS: Encontrou-se sensibilidade de 90,7%, especificidade de 89,1%, valor preditivo positivo de 72,1%, valor preditivo negativo de 96,9% e razão de verossimilhança positiva de 9,0 para o teste rápido utilizado comparado à cultura. CONCLUSÃO: O teste rápido utilizado apresentou boa correlação com a cultura, sendo, portanto, de grande utilidade na prática clínica para detecção do EBHGA.<hr/>OBJECTIVES: Acute pharyngitis is one of the most common diseases in pediatric practice, and the most common bacterial etiology is group A beta-hemolytic streptococcus (GABHS). Correct diagnosis and treatment are primarily of importance to the prevention of non-suppurative sequelae. Rapid tests for detecting the antigen of group A streptococcus are a useful tool for the diagnosis of streptococcal pharyngotonsillitis, due to the speed of results, accuracy and low cost; however, in our country they are little used and have been little studied. The objective of this study was to evaluate the accuracy of a GABHS rapid antigen detection test kit, in comparison with oropharynx swab culture. METHODS: Children aged 1 to 18 years with clinical diagnoses of acute pharyngitis were chosen at public emergency and private clinical services in Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil, with children being excluded if they had taken antibiotics within 30 days of their consultation. The final sample consisted of 229 patients, each of whom had two oropharynx swabs taken, one for rapid GABHS testing and the other to be sent for culture. RESULTS: We observed sensitivity of 90.7%, specificity of 89.1%, a positive predictive value of 72.1%, a negative predictive value of 96.9% and a positive likelihood ratio of 9.0 for the rapid test used here, compared with culture. CONCLUSIONS: The rapid test studied exhibited a good correlation with culture and is, therefore, of great use in clinical practice for detection of GABHS. <![CDATA[<B>Compliance with inhaled corticosteroid treatment</B>: <B>rates reported by guardians and measured by the pharmacy</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600013&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: A morbidade associada à asma é elevada, principalmente nos países em desenvolvimento, e as falhas na adesão ao uso de corticóide inalatório contribuem para esta elevação. Este estudo objetiva comparar as taxas de adesão ao uso de beclometasona relatadas pelos responsáveis e as mensuradas pelos registros de dispensação farmacêutica do medicamento. MÉTODOS: Foi realizado um estudo de coorte concorrente com duração de 12 meses, do qual participaram 106 crianças e adolescentes asmáticos, selecionados aleatoriamente. Através da regressão linear, as taxas de adesão relatadas pelos responsáveis e pelos registros de dispensação da farmácia do serviço foram correlacionadas, quadrimestralmente, a partir da admissão no estudo. RESULTADOS: As taxas de adesão relatadas pelos pais e/ou responsáveis foram sempre superiores (p < 0,001) e apresentaram fraca correlação com aquelas mensuradas pelos registros de farmácia nos períodos estudados, quarto (r = 0,37) e 12&ordm; (r = 0,31) mês do seguimento.CONCLUSÃO: As taxas de adesão relatadas pelos pais foram superestimadas em todos os períodos do estudo. Crianças com asma deveriam ter suas taxas de adesão também monitoradas por outros métodos e, neste caso, os registros de farmácia foram efetivos em revelar as falhas na adesão. Dado ao seu baixo custo, esse método está indicado para a verificação dessas taxas.<hr/>OBJECTIVE: There is elevated morbidity associated with asthma, particularly in developing countries, and failure to comply with inhaled corticosteroid treatment contributes to this morbidity. The objective of this study is to compare rates of compliance with beclomethasone treatment reported by parents or guardians with those measured by pharmacy dispensing records. METHODS: A concurrent cohort study of 12 months' duration was carried out, enrolling 106 asthmatic children and adolescents, selected at random. Linear regression was used to compare rates of compliance reported by parents or guardians with the pharmacy dispensing records at the service, every 4 months after enrollment on the study. RESULTS: Compliance rates reported by parents and/or guardians were always higher (p < 0.001) and exhibited a weak correlation with pharmacy records during the period studied; fourth (r = 0.37) and twelfth (r = 0.31) months of follow-up. CONCLUSIONS: The rates of compliance reported by parents were overestimated during all study periods. The compliance rates of children with asthma should also be monitored by other methods and, in this case, pharmacy records effectively revealed compliance failures. Given its low cost, this method is indicated for verification of these compliance rates. <![CDATA[<B>C-Reactive protein as an indicator of low intensity inflammation in children and adolescents with or without obesity</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600014&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: Determinar as concentrações de proteína C reativa ultra-sensível (PCR-US) em crianças/adolescentes com e sem obesidade e sua correlação com o índice de massa corporal (IMC) e variáveis clínico-laboratoriais. MÉTODOS: Estudo transversal comparativo de grupos paralelos, sendo um grupo de crianças/adolescentes com sobrepeso ou obesidade (grupo obesidade, n = 131) e grupo controle de crianças/adolescentes não obesos (grupo controle, n = 114). Os valores de PCR-US foram determinados através de nefelometria de alta sensibilidade. RESULTADOS: O grupo obesidade apresentou maiores concentrações de PCR-US que o grupo controle (p < 0,0005). Os valores de PCR-US relacionaram-se com IMC (p < 0,0001) e com dosagens de triglicerídeos (p = 0,05). Após ajuste pelo IMC, a relação entre PCR-US e triglicerídeos foi atenuada, deixando de ter significância estatística (p = 0,10). CONCLUSÕES: Os valores da PCR-US elevaram-se à medida que o IMC se elevou. A maioria dos indivíduos sem excesso de peso apresentou concentrações de PCR-US abaixo de 2 mg/L.<hr/>OBJECTIVES: To determine the levels of high sensitivity C-reactive protein (hsCRP) in children/adolescents with and without obesity and their correlation with body mass index (BMI) and clinical and laboratory variables. METHODS: A cross-sectional study comparing two parallel groups, one a group of overweight or obese children/adolescents (obesity group, n = 131) and the other a control group of children/adolescents without obesity (control group, n = 114). High sensitivity nephelometry was used to determine hsCRP concentrations. RESULTS: The obesity group exhibited greater hsCRP concentrations than the control group (p < 0.0005). There were relationships between hsCRP and BMI (p < 0.0001) and hsCRP and triglycerides (p = 0.05). The relationship between hsCRP and triglycerides was attenuated by adjustment for BMI, losing its statistical significance (p = 0.10). CONCLUSIONS: The hsCRP concentrations increased as BMI increased. The majority of individuals who were not overweight exhibited hsCRP concentrations of less than 2 mg/L. <![CDATA[<B>Determination of plasma salbutamol concentrations after nebulization in a pediatric emergency department</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600015&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: Validar parcialmente a metodologia para determinação do salbutamol em plasma humano por cromatografia líquida de alta eficiência (detecção por fluorescência). Analisar as concentrações plasmáticas de salbutamol em um grupo de pacientes pediátricos com indicação de nebulizações em sala de emergência. MÉTODO: Estudo transversal, analítico, prospectivo, do tipo série de casos. Foram selecionados consecutivamente 15 pacientes com idade entre 12 e 37meses, com diagnóstico de crise aguda de asma, atendidos no Serviço de Emergência Pediátrica do Hospital da Criança Santo Antônio - Complexo Hospitalar Santa Casa, Porto Alegre, Brasil. Os pacientes foram tratados conforme a rotina da unidade para manejo de crise aguda de asma: nebulização (fluxo 6-8 L/min) com salbutamol (0,15 mg/kg) diluídosem4mL de NaCL 0,9%. A nebulização era administrada seqüencialmente, em intervalos de 20 minutos, por três vezes. Concomitantemente às nebulizações, todos os pacientes recebiam prednisolona via oral (1 mg/kg). RESULTADOS: As concentrações plasmáticas evidenciaram grande variabilidade em portadores de crise aguda de asma que receberam três nebulizações com salbutamol (0,15 mg/kg). Níveis plasmáticos médios foram de 12,09&plusmn;10,8 ng/mL, com mediana de 8,9 (IQ25-75% 2,75-17,65) e coeficiente de variação da amostra de 92,4%. CONCLUSÕES: As concentrações plasmáticas após inalação de salbutamol apresentam grande dispersão na população pediátrica, a exemplo de outros estudos. As possíveis causas e implicações relacionadas ao achado permanecem alvo de controvérsias e avaliações complementares.<hr/>OBJECTIVES: To partially validate the methodology for determining salbutamol in human plasma through high-efficiency liquid chromatography and fluorescence detection. To analyze plasma salbutamol concentrations in a group of pediatric patients with indication for nebulization in the emergency room. METHOD: Analytical, prospective cross-sectional case series. Fifteen patients aged 12 to 37 months with a diagnosis of acute asthma crisis were selected at the Pediatric Emergency Service at Hospital da Criança Santo Antônio - Complexo Hospitalar Santa Casa, Porto Alegre, Brazil. The patients were treated following the unit's routine for the management of acute asthma crises: nebulization with salbutamol (flow rate of 6-8 L/min) (0.15 mg/kg) suspended in 4 mL of 0.9% saline solution. Nebulization was administered sequentially, three times, at 20 minute intervals. All patients were given prednisolone orally (1 mg/kg) concurrently with the nebulizations. RESULTS: Plasma concentrations exhibited great variability in acute asthma crisis patients given three nebulizations of salbutamol (0.15 mg/kg). The mean level in plasma was 12.09 &plusmn; 10.8 ng/mL, with a median of 8.9 ng/mL (IQ25-75% 2.75-17.65). The sample's coefficient of variation was 92.4%. CONCLUSIONS: Post-inhalation plasma salbutamol concentrations exhibit great variation in the pediatric population, as seen in other studies. The possible causes and implications of this finding remain the subject of disagreements and of further assessments. <![CDATA[<b>Transcutaneous bilirubinometry</b>: <b> important method in the evaluation of newborns with hyperbilirubinemia</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572007000600016&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: Validar parcialmente a metodologia para determinação do salbutamol em plasma humano por cromatografia líquida de alta eficiência (detecção por fluorescência). Analisar as concentrações plasmáticas de salbutamol em um grupo de pacientes pediátricos com indicação de nebulizações em sala de emergência. MÉTODO: Estudo transversal, analítico, prospectivo, do tipo série de casos. Foram selecionados consecutivamente 15 pacientes com idade entre 12 e 37meses, com diagnóstico de crise aguda de asma, atendidos no Serviço de Emergência Pediátrica do Hospital da Criança Santo Antônio - Complexo Hospitalar Santa Casa, Porto Alegre, Brasil. Os pacientes foram tratados conforme a rotina da unidade para manejo de crise aguda de asma: nebulização (fluxo 6-8 L/min) com salbutamol (0,15 mg/kg) diluídosem4mL de NaCL 0,9%. A nebulização era administrada seqüencialmente, em intervalos de 20 minutos, por três vezes. Concomitantemente às nebulizações, todos os pacientes recebiam prednisolona via oral (1 mg/kg). RESULTADOS: As concentrações plasmáticas evidenciaram grande variabilidade em portadores de crise aguda de asma que receberam três nebulizações com salbutamol (0,15 mg/kg). Níveis plasmáticos médios foram de 12,09&plusmn;10,8 ng/mL, com mediana de 8,9 (IQ25-75% 2,75-17,65) e coeficiente de variação da amostra de 92,4%. CONCLUSÕES: As concentrações plasmáticas após inalação de salbutamol apresentam grande dispersão na população pediátrica, a exemplo de outros estudos. As possíveis causas e implicações relacionadas ao achado permanecem alvo de controvérsias e avaliações complementares.<hr/>OBJECTIVES: To partially validate the methodology for determining salbutamol in human plasma through high-efficiency liquid chromatography and fluorescence detection. To analyze plasma salbutamol concentrations in a group of pediatric patients with indication for nebulization in the emergency room. METHOD: Analytical, prospective cross-sectional case series. Fifteen patients aged 12 to 37 months with a diagnosis of acute asthma crisis were selected at the Pediatric Emergency Service at Hospital da Criança Santo Antônio - Complexo Hospitalar Santa Casa, Porto Alegre, Brazil. The patients were treated following the unit's routine for the management of acute asthma crises: nebulization with salbutamol (flow rate of 6-8 L/min) (0.15 mg/kg) suspended in 4 mL of 0.9% saline solution. Nebulization was administered sequentially, three times, at 20 minute intervals. All patients were given prednisolone orally (1 mg/kg) concurrently with the nebulizations. RESULTS: Plasma concentrations exhibited great variability in acute asthma crisis patients given three nebulizations of salbutamol (0.15 mg/kg). The mean level in plasma was 12.09 &plusmn; 10.8 ng/mL, with a median of 8.9 ng/mL (IQ25-75% 2.75-17.65). The sample's coefficient of variation was 92.4%. CONCLUSIONS: Post-inhalation plasma salbutamol concentrations exhibit great variation in the pediatric population, as seen in other studies. The possible causes and implications of this finding remain the subject of disagreements and of further assessments.