Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Anestesiologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0034-709420160003&lang=en vol. 66 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Comparative evaluation of propofol in nanoemulsion with solutol and soy lecithin for general anesthesia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300225&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT INTRODUCTION: The vehicle for propofol in 1 and 2% solutions is soybean oil emulsion 10%, which may cause pain on injection, instability of the solution and bacterial contamination. Formulations have been proposed aiming to change the vehicle and reduce these adverse reactions. OBJECTIVES: To compare the incidence of pain caused by the injection of propofol, with a hypothesis of reduction associated with nanoemulsion and the occurrence of local and systemic adverse effects with both formulations. METHOD: After approval by the CEP, patients undergoing gynecological procedures were included in this prospective study: control (n = 25) and nanoemulsion (n = 25) groups. Heart rate, noninvasive blood pressure and peripheral oxygen saturation were monitored. Demographics and physical condition were analyzed; surgical time and total volume used of propofol; local or systemic adverse effects; changes in variables monitored. A value of p &lt; 0.05 was considered significant. RESULTS: There was no difference between groups regarding demographic data, surgical times, total volume of propofol used, arm withdrawal, pain during injection and variables monitored. There was a statistically significant difference in pain intensity at the time of induction of anesthesia, with less pain intensity in the nanoemulsion group. CONCLUSIONS: Both lipid and nanoemulsion formulations of propofol elicited pain on intravenous injection; however, the nanoemulsion solution elicited a less intense pain. Lipid and nanoemulsion propofol formulations showed neither hemodynamic changes nor adverse effects of clinical relevance.<hr/>RESUMO INTRODUÇÃO: O veículo do propofol em soluções a 1 e 2% é a emulsão de óleo de soja a 10%, que pode provocar dor à injeção, instabilidade da solução e contaminação bacteriana. Formulações foram propostas com o objetivo de alterar o veículo e reduzir essas reações adversas. OBJETIVOS: Comparar a incidência de dor à injeção do propofol com a hipótese de redução associada à nanoemulsão e a ocorrência de efeitos adversos locais e sistêmicos com as duas formulações. MÉTODO: Após aprovação pelo Conselho de Ética em Pesquisa, foram incluídos neste estudo prospectivo pacientes submetidas a procedimentos cirúrgicos ginecológicos: grupos controle (n = 25) e nanoemulsão (n = 25). Foram monitorados frequência cardíaca, pressão arterial não invasiva e saturação periférica de oxigênio. Foram analisados dados demográficos e estado físico; tempo cirúrgico e volume total usado de propofol; efeitos adversos locais ou sistêmicos; alterações nas variáveis de monitoramento. Considerou-se significativo valor de p &lt; 0,05. RESULTADOS: Não houve diferença entre os grupos em relação a: dados demográficos, tempos cirúrgicos, volume total usado de propofol, retirada do braço, presença de dor durante a injeção e variáveis de monitoramento. Verificou-se diferença estatística significativa na intensidade da dor no momento da indução da anestesia, com menor intensidade no grupo nanoemulsão. CONCLUSÕES: Ambas as formulações de propofol, lipídica e em nanoemulsão, elicitaram dor à injeção venosa, porém a solução de nanoemulsão promoveu dor em menor intensidade. O propofol lipídico e o propofol em nanoemulsão não apresentaram alterações hemodinâmicas e efeitos adversos de relevância clínica. <![CDATA[Colonoscopy sedation: clinical trial comparing propofol and fentanyl with or without midazolam]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300231&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT Colonoscopy is one of the most common procedures. Sedation and analgesia decrease anxiety and discomfort and minimize risks. Therefore, patients prefer to be sedated when undergoing examination, although the best combination of drugs has not been determined. The combination of opioids and benzodiazepines is used to relieve the patient's pain and discomfort. More recently, propofol has assumed a prominent position. This randomized prospective study is unique in medical literature that specifically compared the use of propofol and fentanyl with or without midazolam for colonoscopy sedation performed by anesthesiologists. The aim of this study was to evaluate the side effects of sedation, discharge conditions, quality of sedation, and propofol consumption during colonoscopy, with or without midazolam as preanesthetic. The study involved 140 patients who underwent colonoscopy at the University Hospital of the Federal University of Juiz de Fora. Patients were divided into two groups: Group I received intravenous midazolam as preanesthetic 5 min before sedation, followed by fentanyl and propofol; Group II received intravenous anesthesia with fentanyl and propofol. Patients in Group II had a higher incidence of reaction (motor or verbal) to the colonoscope introduction, bradycardia, hypotension, and increased propofol consumption. Patient satisfaction was higher in Group I. According to the methodology used, the combination of midazolam, fentanyl, and propofol for colonoscopy sedation reduces propofol consumption and provides greater patient satisfaction.<hr/>RESUMO A colonoscopia é um dos procedimentos mais feitos. Sedação e analgesia diminuem a ansiedade e o desconforto e minimizam riscos. Em razão disso, os pacientes preferem que o exame seja feito sob anestesia, embora não tenha sido determinada a melhor combinação de fármacos. A associação de benzodiazepínicos com opioides é usada para aliviar a dor e o desconforto do paciente. Mais recentemente, o propofol assumiu posição de destaque. Este estudo, prospectivo e randomizado, é único na literatura médica e especificamente comparou o uso do propofol e fentanil associado ou não ao midazolam na sedação para colonoscopia feita por anestesiologistas. Os objetivos do estudo foram avaliar os efeitos colaterais da sedação, as condições de alta, a qualidade da sedação e o consumo de propofol durante a colonoscopia, com ou sem o midazolam como pré-anestésico. Envolveu 140 pacientes submetidos à colonoscopia, no Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora. Os pacientes foram divididos em dois grupos. O Grupo I recebeu, por via endovenosa, midazolam como pré-anestésico, cinco minutos antes da sedação, seguido do fentanil e propofol. O Grupo II recebeu, por via endovenosa, anestesia com fentanil e propofol. Os pacientes do Grupo II apresentaram maior incidência de reação (motora ou verbal) à introdução do colonoscópio, bradicardia, hipotensão arterial e maior consumo de propofol. A satisfação dos pacientes foi maior no Grupo I. De acordo com a metodologia empregada, a associação de midazolam ao propofol e fentanil para sedação em colonoscopia reduz o consumo de propofol e cursa com maior satisfação do paciente. <![CDATA[A comparative study between propofol and etomidate in patients under general anesthesia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300237&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Induction of anesthesia is a critical part of anesthesia practice. Sudden hypotension, arrhythmias, and cardiovascular collapse are threatening complications following injection of induction agent in hemodynamically unstable patients. It is desirable to use a safe agent with fewer adverse effects for this purpose. Present prospective randomized study is designed to compare propofol and etomidate for their effect on hemodynamics and various adverse effects on patients in general anesthesia. METHODS: Hundred ASA I and II patients of age group 18-60 years scheduled for elective surgical procedure under general anesthesia were randomly divided into two groups of 50 each receiving propofol (2 mg/kg) and etomidate (0.3 mg/kg) as an induction agent. Vital parameters at induction, laryngoscopy and thereafter recorded for comparison. Adverse effect viz. pain on injection, apnea and myoclonus were carefully watched. RESULTS: Demographic variables were comparable in both the groups. Patients in etomidate group showed little change in mean arterial pressure (MAP) and heart rate (HR) compared to propofol (p &gt; 0.05) from baseline value. Pain on injection was more in propofol group while myoclonus activity was higher in etomidate group. CONCLUSIONS: This study concludes that etomidate is a better agent for induction than propofol in view of hemodynamic stability and less pain on injection.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A indução é uma parte crítica da prática de anestesia. Hipotensão súbita, arritmias e colapso cardiovascular são complicações ameaçadoras após a injeção de agente de indução em pacientes hemodinamicamente instáveis. É aconselhável o uso de um agente seguro com menos efeitos adversos para esse propósito. O presente estudo prospectivo, randômico, teve como objetivo comparar propofol e etomidato quanto a seus efeitos sobre a hemodinâmica e aos vários efeitos adversos em pacientes sob anestesia geral. MÉTODOS: Cem pacientes ASA I e II, entre 18-60 anos, programados para procedimento cirúrgico eletivo sob anestesia geral, foram divididos aleatoriamente em dois grupos de 50 cada para receber propofol (2 mg/kg) e etomidato (0,3 mg/kg) como um agente de indução. Os parâmetros vitais na indução, laringoscopia e posteriormente foram registrados para comparação. Efeitos adversos como dor à injeção, apneia e mioclonia foram cuidadosamente monitorados. RESULTADOS: As variáveis demográficas foram comparáveis em ambos os grupos. Os pacientes do grupo etomidato apresentaram pouca alteração da pressão arterial média (PAM) e da frequência cardíaca (FC) em comparação com o grupo propofol (p &lt; 0,05) a partir do valor basal. Houve mais dor à injeção no grupo propofol, enquanto houve mais atividade mioclônica no grupo etomidato. CONCLUSÕES: Este estudo conclui que etomidato é um agente melhor para a indução do que o propofol em relação à estabilidade hemodinâmica e menos dor à injeção. <![CDATA[Comparative study between benzydamine hydrochloride gel, lidocaine 5% gel and lidocaine 10% spray on endotracheal tube cuff as regards postoperative sore throat]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300242&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT Postoperative sore throat is a common complication after endotracheal intubation. After tracheal intubation, the incidence of sore throat varies from 14.4% to 50%. The aim of the study was to compare between benzydamine hydrochloride gel, lidocaine 5% gel and lidocaine 10% spray on the endotracheal tube cuff as regards postoperative sore throat. The present study was carried out on 124 patients admitted to Alexandria university hospitals for lumbar fixation surgery requiring general anesthesia. Patients were randomly allocated into 4 groups. Benzydamine hydrochloride gel, 5% lidocaine hydrochloride gel, 10% lidocaine hydrochloride spray, or normal saline were applied on endotracheal tube cuffs before endotracheal intubation. The patients were examined for sore throat (none, mild, moderate, or severe) at 0, 1, 6, 12, and 24 h after extubation. The results were collected, analyzed and presented in table and figure. The highest incidence of postoperative sore throat occurred at 6 h after extubation in all groups. There was a significantly lower incidence of postoperative sore throat in the benzydamine group than 5% lidocaine gel, 10% lidocaine spray, and normal saline groups. The benzydamine group had significantly decreased severity of postoperative sore throat compared with the 10% lidocaine, 5% lidocaine, and normal saline groups at observation time point. Compared with the 5% lidocaine the 10% lidocaine group had significantly increased incidence and severity of postoperative sore throat after extubation. Compared with normal saline the 10% lidocaine group had increased incidence of postoperative sore throat. There were no significant differences among groups in local or systemic side effects. So in conclusion, benzydamine hydrochloride gel on the endotracheal tube cuff is a simple and effective method to reduce the incidence and severity of postoperative sore throat. Application of 10% lidocaine spray should be avoided because of worsening of postoperative sore throat where incidence increased but not the severity in relation to 5% lidocaine gel. Applying 5% lidocaine on the endotracheal tube cuff does not prevent postoperative sore throat but its application is better than lidocaine 10% spray or saline.<hr/>RESUMO A dor de garganta pós-operatória (DGPO) é uma complicação comum após a intubação traqueal. Em seguida a esse procedimento, a incidência de dor de garganta varia de 14,4 a 50%. O objetivo do estudo foi comparar os efeitos da aplicação de cloridrato de benzidamina em gel, lidocaína a 5% em gel e lidocaína a 10% em spray no balonete do tubo endotraqueal, no que diz respeito à dor de garganta pós-operatória. O presente estudo foi feito com 124 pacientes internados em hospitais universitários de Alexandria para cirurgia de fixação lombar que necessitavam de anestesia geral. Os pacientes foram aleatoriamente alocados em quatro grupos. Procedeu-se à aplicação de cloridrato de benzidamina em gel, cloridrato de lidocaína a 5% em gel, cloridrato de lidocaína a 10% em spray ou salina normal nos balonetes do TET antes da intubação endotraqueal. Os pacientes foram examinados para dor de garganta (nenhuma, leve, moderada ou intensa) a 0, uma, seis, 12 e 24 horas após a extubação. Os resultados foram coletados, analisados e apresentados em tabelas e figuras. A maior incidência de DGPO ocorreu seis horas após a extubação em todos os grupos. Houve incidência significativamente menor de DGPO no grupo de benzidamina versus grupos de lidocaína a 5% em gel, lidocaína a 10% em spray e salina normal. O grupo tratado com benzidamina exibiu redução significativa na intensidade da DGPO, em comparação com os grupos de lidocaína a 10%, lidocaína a 5% e salina normal no ponto no tempo de observação. Em comparação com lidocaína a 5%, o grupo tratado com lidocaína a 10% exibiu incidência e intensidade significativamente aumentadas na DGPO após a extubação. Em comparação com salina normal, o grupo tratado com lidocaína a 10% exibiu maior incidência de DGPO. Não foram observadas diferenças significativas entre grupos quanto a efeitos colaterais locais ou sistêmicos. Assim, em conclusão, o uso de cloridrato de benzidamina em gel no balonete do TET é um método simples e eficaz para reduzir a incidência e a gravidade da DGPO. Deve-se evitar a aplicação de lidocaína a 10% em spray, devido ao agravamento da DGPO, visto ter ocorrido aumento na incidência, mas não na severidade, em relação à lidocaína a 5% em gel. A aplicação de lidocaína a 5% no balonete do TET não impede a ocorrência da DGPO, mas a sua aplicação oferece melhores resultados do que lidocaína a 10% em spray, ou solução salina. <![CDATA[Effects of carbon dioxide insufflation on regional cerebral oxygenation during laparoscopic surgery in children: a prospective study]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300249&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Laparoscopic surgery has become a popular surgical tool when compared to traditional open surgery. There are limited data on pediatric patients regarding whether pneumoperitoneum affects cerebral oxygenation although end-tidal CO2 concentration remains normal. Therefore, this study was designed to evaluate the changes of cerebral oxygen saturation using near-infrared spectroscope during laparoscopic surgery in children. METHODS: The study comprised forty children who were scheduled for laparoscopic (Group L, n = 20) or open (Group O, n = 20) appendectomy. Hemodynamic variables, right and left regional cerebral oxygen saturation (RrSO2 and LrSO2), fraction of inspired oxygen, end-tidal carbon dioxide pressure (PETCO2), peak inspiratory pressure (Ppeak), respiratory minute volume, inspiratory and end-tidal concentrations of sevoflurane and body temperature were recorded. All parameters were recorded after anesthesia induction and before start of surgery (T0, baseline), 15 min after start of surgery (T1), 30 min after start of surgery (T2), 45 min after start of surgery (T3), 60 min after start of surgery (T4) and end of the surgery (T5). RESULTS: There were progressive decreases in both RrSO2 and LrSO2 levels in both groups, which were not statistically significant at T1, T2, T3, T4. The RrSO2 levels of Group L at T5 were significantly lower than that of Group O. One patient in Group L had an rSO2 value &lt;80% of the baseline value. CONCLUSIONS: Carbon dioxide insufflation during pneumoperitoneum in pediatric patients may not affect cerebral oxygenation under laparoscopic surgery.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A cirurgia laparoscópica se tornou uma ferramenta cirúrgica popular em comparação com a cirurgia aberta tradicional. Há poucos dados sobre pacientes pediátricos no que se refere ao pneumoperitônio afetar a oxigenação cerebral enquanto a concentração de CO2 no fim da expiração continua normal. Portanto, este estudo teve como objetivo avaliar as alterações da saturação de oxigênio cerebral com espectroscopia de infravermelho próximo durante cirurgia laparoscópica em crianças. MÉTODOS: O estudo recrutou 40 crianças programadas para apendicectomia laparoscópica (Grupo L, n = 20) ou aberta (Grupo A, n = 20). Variáveis hemodinâmicas, saturação de oxigênio cerebral regional direita e esquerda (RrSO2 e LrSO2), fração inspirada de oxigênio, pressão expiratória final de dióxido de carbono (PETCO2), pico de pressão inspiratória (Ppico), volume minuto respiratório, concentrações de sevoflurano inspirado e expirado e temperatura corporal foram registrados. Todos os parâmetros foram registrados após a indução da anestesia e antes do início da cirurgia (T0, basal), 15 minutos após o início da cirurgia (T1), 30 minutos após o início da cirurgia (T2), 45 minutos após o início da cirurgia (T3), 60 minutos após o início da cirurgia (T4) e no fim da cirurgia (T5). RESULTADOS: Houve diminuição progressiva em ambos os níveis de RrSO2 e LrSO2 nos dois grupos, mas não foi estatisticamente significativa em T1, T2, T3, T4. Os níveis de RrSO2 do Grupo L em T5 foram significativamente menores do que os do Grupo A. Um paciente do Grupo L apresentou um valor rSO2 &lt; 80% do valor basal. CONCLUSÕES: A insuflação de dióxido de carbono durante o pneumoperitônio em pacientes pediátricos pode não afetar a oxigenação cerebral em cirurgia laparoscópica. <![CDATA[Use of tranexamic acid in primary total knee replacement: effects on perioperative blood loss]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300254&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The use of tranexamic acid in primary total knee replacement surgeries has been the subject of constant study. The strategies to reduce bleeding are aimed at reducing the need for blood transfusion due to the risks involved. In this study we evaluated the use of tranexamic acid in reducing bleeding, need for blood transfusion, and prevalence of postoperative deep vein thrombosis in primary total knee replacement. METHOD: 62 patients undergoing primary total knee replacement were enrolled in the study, from June 2012 to May 2013, and randomized to receive a single dose of 2.5 g of intravenous tranexamic acid (Group TA) or saline (Group GP), 5 min before opening the pneumatic tourniquet, respectively. Hemoglobin, hematocrit, and blood loss were recorded 24 h after surgery. Deep vein thrombosis was investigated during patient's hospitalization and 15 and 30 days after surgery in review visits. RESULTS: There was no demographic difference between groups. Group TA had 13.89% decreased hematocrit (p = 0.925) compared to placebo. Group TA had a decrease of 12.28% (p = 0.898) in hemoglobin compared to Group GP. Group TA had a mean decrease of 187.35 mL in blood loss (25.32%) compared to group GP (p = 0.027). The number of blood transfusions was higher in Group GP (p = 0.078). Thromboembolic events were not seen in this study. CONCLUSION: Tranexamic acid reduced postoperative bleeding without promoting thromboembolic events.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O uso do ácido tranexâmico, em cirurgias de artroplastia total primária de joelho, tem sido objeto de constante estudo. As estratégias para redução de sangramento visam à redução da necessidade de transfusão de sangue devido aos riscos que apresentam. Neste estudo, propomos a avaliação do uso do ácido tranexâmico na redução do sangramento, na necessidade de transfusão de sangue e na prevalência de trombose venosa profunda (TVP) pós-operatória em artroplastia total primária de joelho. MÉTODO: Foram estudados 62 pacientes submetidos à artroplastia primária total de joelho, de junho de 2012 a maio de 2013, randomizados para receber ácido tranexâmico 2,5 g endovenoso (grupo AT), em dose única, ou soro fisiológico (grupo GP), cinco minutos antes da abertura do torniquete pneumático, respectivamente. Foram feitas dosagens de hemoglobina e hematócrito e medida a perda sanguínea 24 horas após a cirurgia. A TVP foi pesquisada durante a internação do paciente, 15 e 30 dias após a cirurgia nas consultas de revisão. RESULTADOS: Não houve diferenças demográficas entre os grupos estudados. O grupo GT apresentou queda do hematócrito 13,89% (p = 0,925) comparado com o grupo placebo. O grupo GT apresentou diminuição de 12,28% (p = 0,898) da hemoglobina comparado com o grupo GP. O grupo GT apresentou uma diminuição média de 187,35 ml nas perdas sanguíneas (25,32%) quando comparado com o grupo GP (p = 0,027). O número de transfusões sanguíneas foi maior no grupo GP (p = 0,078). Eventos tromboembólicos não foram evidenciados neste estudo. CONCLUSÕES: O ácido tranexâmico diminuiu o sangramento pós-operatório sem promover eventos tromboembólicos. <![CDATA[Combined spinal-epidural analgesia in labour: its effects on delivery outcome]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300259&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Combined spinal-epidural (CSE) has become an increasingly popular alternative to traditional labour epidural due to its rapid onset and reliable analgesia provided. This was a prospective, convenient sampling study to determine the effects of CSE analgesia on labour outcome. METHODS: One hundred and ten healthy primigravida parturients with a singleton pregnancy of ≥37 weeks gestation and in the active phase of labour were studied. They were enrolled to the CSE (n = 55) or Non-CSE (n = 55) group based on whether they consented to CSE analgesia. Non-CSE parturients were offered other methods of labour analgesia. The duration of the first and second stage of labour, rate of instrumental vaginal delivery and emergency cesarean section, and Apgar scores were compared. RESULTS: The mean duration of the first and second stage of labour was not significantly different between both groups. Instrumental delivery rates between the groups were not significantly different (CSE group, 11% versus Non-CSE group, 16%). The slightly higher incidence of cesarean section in the CSE group (16% versus 15% in the Non-CSE group) was not statistically significant. Neonatal outcome in terms of Apgar score of less than 7 at 1 and 5 min was similar in both groups. CONCLUSION: There were no significant differences in the duration of labour, rate of instrumental vaginal delivery and emergency cesarean section, and neonatal outcome in parturients who received compared to those who did not receive CSE for labour analgesia.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A analgesia combinada raquiperidural (RP) tornou-se uma opção cada vez mais popular para o trabalho de parto tradicional devido ao seu rápido início de ação e ao resultado confiável. Este foi um estudo prospectivo de amostragem conveniente para determinar os efeitos da RP sobre o desfecho do parto. MÉTODOS: Foram incluídas 110 parturientes primigestas saudáveis, com gestação única de ≥ 37 semanas e na fase ativa do trabalho de parto. As pacientes foram designadas para os grupos RP (n = 55) ou não RP (n = 55) com base em seus consentimentos para a analgesia combinada RP. As parturientes do grupo não RP receberam outros métodos de analgesia para o parto. As durações do primeiro e segundo estágio do trabalho de parto, as taxas de parto vaginal instrumental e cesariana de emergência e os escores de Apgar foram comparados. RESULTADOS: A média de duração do primeiro e segundo estágio do trabalho de parto não foi significativamente diferente entre os dois grupos. As taxas de parto instrumental não foram significativamente diferentes entre os grupos, RP (11%) versus não RP (16%). A incidência ligeiramente maior de cesariana no grupo RP (16% versus 15% no não RP) não foi estatisticamente significativa. O desfecho neonatal em termos de índice de Apgar foi inferior a 7. CONCLUSÃO: Não houve diferenças significativas em relação à duração do trabalho, às taxas de parto vaginal instrumental e cesariana de emergência e ao desfecho neonatal em parturientes que receberam RP para analgesia de parto em comparação com aquelas que não receberam. <![CDATA[The impact of patients controlled analgesia undergoing orthopedic surgery]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300265&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT INTRODUCTION: The currently common musculoskeletal disorders have been increasingly treated surgically, and the pain can be a limiting factor in postoperative rehabilitation. RATIONALE: Patient controlled analgesia (PCA) controls pain, but its adverse effects can interfere with rehabilitation and in the patient discharge process. This study becomes important, since there are few studies evaluating this correlation. OBJECTIVES: To compare the outcomes of patients who used and did not use patient controlled analgesia in postoperative orthopedic surgery with respect to pain, unscheduled need for O2 (oxygen), and time of immobility and in-hospital length of stay. METHODS: This is an observational, prospective study conducted at Hospital Abreu Sodré from May to August 2012. The data was daily obtained through assessments and interviews of patients undergoing total hip arthroplasty (THA) and total knee arthroplasty (TKA), thoracolumbar spine arthrodesis (long PVA), cervical spine arthrodesis (cervical AVA) and lumbar spine arthrodesis (lumbar PVA). RESULTS: The study showed some differences between groups, namely: the painful level was higher in the group undergoing lumbar PVA without PCA compared with the group with PCA (p = 0.03) and in the group of long PVA without PCA in the early postoperative period. This latter group used O2 for a longer time (p = 0.09). CONCLUSION: In this study, PCA was useful for analgesia in patients undergoing lumbar PVA and probably would have influenced the usage time of O2 in the group of long PVA in face of a larger sample. The use of PCA did not influence the time of leaving the bed and the in-hospital length of stay for the patients studied.<hr/>RESUMO INTRODUÇÃO: As disfunções musculoesqueléticas, comuns atualmente, têm sido cada vez mais tratadas cirurgicamente e a dor é pode ser um fator limitante na reabilitação pós-operatória. JUSTIFICATIVA: A analgesia controlada pelo paciente (PCA) controla a dor, porém seus efeitos adversos podem interferir no processo de reabilitação e alta dos pacientes. Esta pesquisa torna-se importante, pois poucos estudos avaliam essa correlação. OBJETIVOS: Comparar a evolução dos pacientes que usaram e não usaram PCA no pós-operatório de cirurgias ortopédicas em relação à dor, à necessidade de O2 (oxigênio) não programada e ao tempo de imobilização e internação hospitalar. MÉTODOS: Estudo observacional, prospectivo, feito no Hospital da AACD de maio a agosto de 2012. Obtiveram-se dados diários por meio de avaliação e entrevista dos pacientes submetidos à artroplastia total de quadril (ATQ) e joelho (ATJ), artrodese de coluna toracolombar (AVP longa), coluna cervical (AVA cervical) e coluna lombar (AVP lombar). RESULTADOS: O estudo evidenciou algumas diferenças entre os grupos: o nível álgico foi maior no grupo submetido à AVP lombar sem PCA em relação ao com PCA (p = 0,03) e no grupo de AVP longa sem PCA no primeiro pós-operatório. Nesse último grupo, houve uso de O2 por mais tempo (p = 0,09). CONCLUSÃO: Neste estudo, a PCA mostrou-se útil para analgesia em pacientes submetidos à AVP lombar e provavelmente teria influência no tempo de uso de O2 no grupo de AVP longa caso a amostra fosse maior. O uso da PCA não influenciou no tempo de saída do leito e de internação hospitalar nos pacientes estudados. <![CDATA[Evaluation of sciatic nerve damage following intraneural injection of bupivacaine, levobupivacaine and lidocaine in rats]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300272&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT OBJECTIVE: The local anesthetics may cause neurotoxicity. We aimed to compare the neurotoxic potential of different local anesthetics, local anesthetic induced nerve damage and pathological changes of a peripheral nerve. METHODS: Sixty Wistar rats weighing 200-350 g were studied. Rats were assigned into 3 groups and 26-gauge needle was inserted under magnification into the left sciatic nerve and 0.2 mL of 0.5% bupivacaine, 5% levobupivacaine, and 2% lidocaine were injected intraneurally. An individual who was blind to the specifics of the injection monitored the neurologic function on postoperative 1st day, and daily thereafter. Neurologic examination included assessment for the presence and severity of nociception and grasping reflexes. At the 7th day sciatic nerve specimen was taken for evaluation of histopathologic changes. RESULTS: There was no statistical difference detected among groups regarding grasping reflex and histopathologic evaluation. Two cases in bupivacaine group, 1 case in levobupivacaine group and 2 cases in lidocaine group had slight grasping, while 1 case in lidocaine group had no grasping reflex on the seventh day. Severe axonal degeneration was observed in all groups, respectively in bupivacaine group 4 (20%), levobupivacaine group 3 (15%), and lidocaine group 6 (30%). CONCLUSION: In all groups, histopathological damage frequency and severity were more than the motor deficiency.<hr/>RESUMO OBJETIVO: Os anestésicos locais podem causar neurotoxicidade. Nosso objetivo foi comparar o potencial neurotóxico de diferentes anestésicos locais, os danos induzidos aos nervos e as alterações patológicas de um nervo periférico. MÉTODOS: Foram estudados 60 ratos Whistler com 200-350 g. Os ratos foram divididos em três grupos, uma agulha de calibre 26 foi inserida no nervo ciático esquerdo, com o uso de ampliação, e 0,2 mL de bupivacaína a 0,5%, levobupivacaína a 5% e lidocaína a 2% foram injetados por via intraneural. Um colaborador, cego para os conteúdos das injeções, monitorou a função neurológica no primeiro dia de pós-operatório e depois diariamente. O exame neurológico incluiu a avaliação da presença e da gravidade da nocicepção e dos reflexos de agarrar. No sétimo dia, uma amostra do nervo ciático foi colhida para avaliar as alterações histopatológicas. RESULTADOS: Não houve diferença estatística entre os grupos em relação ao reflexo de agarrar e à avaliação histopatológica. Dois casos no grupo bupivacaína, um no grupo levobupivacaína e dois no grupo lidocaína apresentaram um leve reflexo de agarrar; também no grupo lidocaína, um caso não apresentou reflexo de agarrar no sétimo dia. Degeneração axonal grave foi observada em todos os grupos: quatro casos no grupo bupivacaína (20%), três no grupo levobupivacaína 3 (15%) e seis no grupo lidocaína (30%). CONCLUSÃO: Em todos os grupos, a frequência de dano histopatológico e de gravidade foi maior do que a deficiência motora. <![CDATA[Two-year experience with cell salvage in total hip arthroplasty]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300276&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVE: The aim of this study was to determine the efficacy of the cell salvage system in total hip arthroplasty surgeries and whether the cell salvage system can reduce the allogeneic blood transfusion requirement in total hip arthroplasty patients. METHODS: We reviewed retrospectively the medical records of patients who underwent hip arthroplasty surgeries between 2010 and 2012 in a university hospital. A total of 181 arthroplasty patients were enrolled in our study. RESULTS: In the cell salvage group, the mean perioperative rate of allogeneic blood transfusion was significantly lower (92.53 ± 111.88 mL) than that in the control group (170.14 ± 116.79 mL; p &lt; 0.001). When the mean postoperative transfusion rates were compared, the cell salvage group had lower values (125.37 ± 193.33 mL) than the control group (152.22 ± 208.37 mL), although the difference was not statistically significant. The number of patients receiving allogeneic blood transfusion in the CS group (n = 29; 43.2%) was also significantly lower than control group (n = 56; 73.6%; p &lt; 0.05). In the logistic regression analysis, perioperative amount of transfusion, odds ratio (OR) -4.257 (95% CI -0.502 to 0.184) and operation time, OR: 2.720 (95% CI 0.001-0.004) were independent risk factors for the usage of cell salvage system. CONCLUSION: Cell salvage is an effective strategy for reducing the need for allogeneic blood transfusion in the perioperative setting; it provides support to patient blood management interventions. Thus, we recommend the cell salvage system for use in total hip arthroplasty surgeries to reduce the need for allogeneic blood transfusion, if possible.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Determinar a eficácia do sistema de recuperação intraoperatória de sangue em artroplastia total de quadril e se o sistema de recuperação intraoperatória de sangue pode reduzir a necessidade de transfusão de sangue alogênico em pacientes submetidos à artroplastia total de quadril. MÉTODOS: Análise retrospectiva dos prontuários de pacientes submetidos a cirurgias de artroplastia de quadril entre 2010 e 2012 em um hospital universitário. Foram inscritos no estudo 181 pacientes submetidos à artroplastia. RESULTADOS: A média da taxa de transfusão de sangue alogênico no período perioperatório foi significativamente inferior no grupo de recuperação intraoperatória de sangue (92,53 ± 111,88 mL) do que no grupo controle (170,14 ± 116,79 mL; p &lt; 0,001). Quando as médias das taxas de transfusão no pós-operatório foram comparadas, o grupo de recuperação intraoperatória de sangue apresentou valores inferiores (125,37 ± 193,33 mL) aos do grupo controle (152,22 ± 208,37 mL), embora a diferença não tenha sido estatisticamente significativa. O número de pacientes que recebeu transfusão de sangue alogênico no grupo RC (n = 29; 43,2%) também foi significativamente inferior ao do grupo controle (n = 56; 73,6%; p &lt; 0,05). Na análise de regressão logística, a quantidade de transfusão no período perioperatório, a razão de chance (OR) -4,257 (95% CI -0,502-0,184) e o tempo cirúrgico OR: 2,720 (IC 95% 0,001-0,004) foram fatores de risco independentes para o uso de sistema de recuperação intraoperatória de sangue. CONCLUSÃO: A recuperação intraoperatória de sangue é uma estratégia eficaz para reduzir a necessidade de transfusão de sangue alogênico no período perioperatório, que auxilia no manejo sanguíneo durante as intervenções. Portanto, recomendamos o sistema de recuperação intraoperatória de sangue para uso em artroplastia total de quadril para diminuir a necessidade de transfusão de sangue alogênico, quando possível. <![CDATA[Analysis of cricoid pressure application: anaesthetic trainee doctors vs. nursing anaesthetic assistants]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300283&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVE: To evaluate the ability of anaesthetic trainee doctors compared to nursing anaesthetic assistants in identifying the cricoid cartilage, applying the appropriate cricoid pressure and producing an adequate laryngeal inlet view. METHODS: Eighty-five participants, 42 anaesthetic trainee doctors and 43 nursing anaesthetic assistants, were asked to complete a set of questionnaires which included the correct amount of force to be applied to the cricoid cartilage. They were then asked to identify the cricoid cartilage and apply the cricoid pressure on an upper airway manikin placed on a weighing scale, and the pressure was recorded. Subsequently they applied cricoid pressure on actual anaesthetized patients following rapid sequence induction. Details regarding the cricoid pressure application and the Cormack-Lehane classification of the laryngeal view were recorded. RESULTS: The anaesthetic trainee doctors were significantly better than the nursing anaesthetic assistants in identifying the cricoid cartilage (95.2% vs. 55.8%, p = 0.001). However, both groups were equally poor in the knowledge about the amount of cricoid pressure force required (11.9% vs. 9.3% respectively) and in the correct application of cricoid pressure (16.7% vs. 20.9% respectively). The three-finger technique was performed by 85.7% of the anaesthetic trainee doctors and 65.1% of the nursing anaesthetic assistants (p = 0.03). There were no significant differences in the Cormack-Lehane view between both groups. CONCLUSION: The anaesthetic trainee doctors were better than the nursing anaesthetic assistants in cricoid cartilage identification but both groups were equally poor in their knowledge and application of cricoid pressure.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Avaliar a capacidade de residentes em anestesiologia em comparação com enfermeiros assistentes de enfermagem para identificar a cartilagem cricoide, aplicar a pressão cricoide adequada e produzir uma vista adequada da entrada da laringe. MÉTODOS: Foram convidados 85 participantes, 42 residentes em anestesiologia e 43 enfermeiros assistentes de enfermagem a responder questionários sobre a quantidade correta de força a ser aplicada na cartilagem cricoide. Os participantes deviam identificar a cartilagem cricoide e aplicar a pressão cricoide em modelos de vias aéreas superiores colocados sobre uma balança de pesagem e a pressão era registada. Posteriormente, aplicaram pressão cricoide em pacientes anestesiados reais após a indução de sequência rápida. Os detalhes sobre a aplicação de pressão cricoide e a classificação de Cormack-Lehane da visibilidade da laringe foram registrados. RESULTADOS: Os residentes em anestesiologia foram significativamente melhores do que os enfermeiros assistentes de enfermagem na identificação da cartilagem cricoide (95,2% vs. 55,8%, p = 0,001). No entanto, o conhecimento de ambos os grupos era precário sobre a quantidade de força necessária para aplicar a pressão cricoide (11,9% vs. 9,3%, respectivamente) e a correta aplicação da pressão cricoide (16,7% vs. 20,9%, respectivamente). A técnica de três dedos foi aplicada por 85,7% dos residentes em anestesiologia e 65,1% dos enfermeiros assistentes de enfermagem (p = 0,03). Não houve diferença significativa entre os dois grupos em relação à classificação de Cormack-Lehane para a visão. CONCLUSÃO: Os residentes em anestesiologia foram melhores do que os enfermeiros assistentes de enfermagem para identificar a cartilagem cricoide, mas ambos os grupos apresentaram um conhecimento igualmente precário sobre a aplicação de pressão cricoide. <![CDATA[A randomised crossover trial comparing the Airtraq <sup>®</sup> NT, McGrath <strong><sup>®</sup></strong> MAC and Macintosh laryngoscopes for nasotracheal intubation of simulated easy and difficult airways in a manikin]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300289&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT OBJECTIVE: Several devices can aid nasotracheal intubation when managing difficult airways. The McGrath MAC and Airtraq NT were compared with a Macintosh laryngoscope when studying the performance of anaesthetists with different levels of experience, in a manikin model of easy or difficult airway scenarios. METHODS: Sixty-three anaesthetists were recruited into a randomised trial in which each performed nasotracheal intubation with all laryngoscopes, in both scenarios. The main endpoint was intubation time. Additional endpoints included laryngoscopic view, intubation success, number of optimisation manoeuvres, audible dental clicks and the force applied to the upper airway. RESULTS: Intubation time was significantly shorter using the McGrath MAC in both scenarios and using the Airtraq in the difficult scenario, when compared with the Macintosh laryngoscope. Both devices gave more Cormack and Lehane grade 1 or 2 views than the Macintosh in the difficult scenario (p &lt; 0.001). The McGrath MAC had the best first-attempt success rate (98.4% vs. 96.8% and 95.8%, p &lt; 0.001 for the Airtraq NT and Macintosh laryngoscopes respectively). The number of optimisation manoeuvres, audible dental clicks and subjective assessment of the degree of force applied were significantly lower for indirect laryngoscopes versus the Macintosh laryngoscope (p &lt; 0.001). CONCLUSION: In a manikin, the Airtraq and the McGrath laryngoscopes appeared superior to the Macintosh laryngoscope when dealing with simulated airway scenarios. Both devices were associated with better views, intubation times and rates of success, especially in a simulated "difficult airway". Overall satisfaction was highest with the McGrath laryngoscope. Similar clinical studies are needed.<hr/>RESUMO OBJETIVO: Vários dispositivos podem ajudar a intubação nasotraqueal no manejo de via aérea difícil. Os laringoscópios McGrath MAC e Airtraq NT foram comparados com um laringoscópio Macintosh em estudo do desempenho de anestesistas com diferentes níveis de experiência, em manequim com cenário de via aérea fácil ou difícil. MÉTODOS: Foram recrutados 63 anestesistas para um estudo randômico, no qual cada um fez intubação nasotraqueal com todos os laringoscópios, em ambos os cenários. O desfecho primário foi o tempo de intubação. Desfechos adicionais incluíram vista laringoscópica, sucesso na intubação, número de manobras de aprimoramento, cliques dentais audíveis e força aplicada nas vias aéreas superiores. RESULTADOS: O tempo de intubação foi significativamente menor com o uso do laringoscópio McGrath MAC em ambos os cenários e com o uso do Airtraq no cenário difícil, em comparação com o laringoscópio Macintosh. Ambos os dispositivos obtiveram mais grau 1 ou 2 de Cormack e Lehane para visualização do que o Macintosh em cenário difícil (p &lt; 0,001). O McGrath MAC teve a melhor taxa de sucesso na primeira tentativa (98,4% vs. 96,8% e 95,8%, p &lt; 0,001, para os laringoscópios Airtraq NT e Macintosh, respectivamente). O número de manobras de aprimoramento, os cliques dentais audíveis e a avaliação subjetiva do grau de força aplicada foram significativamente menores para os laringoscópios indiretos versus o laringoscópio Macintosh (p &lt; 0,001). CONCLUSÃO: Em um manequim, os laringoscópios Airtraq e McGrath pareceram superiores ao laringoscópio Macintosh para lidar com cenários das vias aéreas simuladas. Ambos os dispositivos foram associados a melhores visibilidades, tempos de intubação e taxas de sucesso, especialmente em simulação de "via aérea difícil". A satisfação geral foi maior com o laringoscópio McGrath. Estudos clínicos similares são necessários. <![CDATA[Post analysis simulated correlation of the El-Ganzouri airway difficulty score with difficult airway]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300298&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND: Difficult airway (DA) occurs frequently (5-15%) in clinical practice. The El-Ganzouri Risk Index (EGRI) has a high sensitivity for predicting a difficult intubation (DI). However difficult mask ventilation (DMV) was never included in the EGRI. Since DMV was not included in the EGRI assessment, and obstructive sleep apnea (OSA) is also correlated with DMV, a study correlating the prediction of DA and OSA (identified by STOP-Bang questionnaire, SB) seemed important. METHODS: We accessed a database previously collected for a post analysis simulation of the airway difficulty predictivity of the EGRI, associated with normal and difficult airway, particularly DMV. As secondary aim, we measured the correlation between the SB prediction system and DA, compared to the EGRI. RESULTS: A total of 2747 patients were included in the study. The proportion of patients with DI was 14.7% (95% CI 13.4-16) and the proportion of patients with DMV was 3.42% (95% CI 2.7-4.1). The incidence of DMV combined with DI was (2.3%). The optimal cutoff value of EGRI was 3. EGRI registered also an higher ability to predict DMV (AUC = 0.76 (95% CI 0.71-0.81)). Adding the SB variables in the logistic model, the AUC increases with the inclusion of "observed apnea" variable (0.83 vs. 0.81, p = 0.03). The area under the ROC curve for the patients with DI and DMV was 0.77 (95% CI 0.72-0.83). CONCLUSIONS: This study confirms that the incidence of DA is not negligible and suggests the use of the EGRI as simple bedside predictive score to improve patient safety.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA: A via aérea difícil (VAD) ocorre com frequência (5-15%) na prática clínica. O Índice de Risco de El-Ganzouri (EGRI) tem uma alta sensibilidade para prever intubação difícil (ID). No entanto, a ventilação difícil via máscara (VDM) nunca foi incluída no EGRI. Como a VDM não foi incluída na avaliação EGRI e a apneia obstrutiva do sono (AOS) também está correlacionada com a VDM, um estudo que correlacionasse a previsão da VAD e AOS (identificada pelo questionário STOP-Bang, SB) pareceu importante. MÉTODOS: Acessamos um banco de dados previamente coletados para simular uma análise posterior da previsibilidade do EGRI para via aérea difícil, associado à via aérea normal e difícil, particularmente VDM. Como objetivo secundário, avaliamos a correlação entre o sistema de previsão do SB e da VAD, em comparação com o EGRI. RESULTADOS: Foram incluídos no estudo 2.747 pacientes. A proporção de pacientes com ID foi de 14,7% (IC de 95%; 13,4-16) e a proporção de pacientes com VDM foi de 3,42% (IC de 95% 2,7-4,1). A incidência da VDM combinada com a de ID foi de 2,3%. O valor de corte ideal do EGRI foi 3. EGRI também registrou uma capacidade maior de prever VDM (ASC = 0,76 (IC de 95%; 0,71-0,81)). Ao somar as variáveis do SB no modelo logístico, a ASC aumenta com a inclusão da variável "apneia observada" (0,83 vs. 0,81, p = 0,03). A área sob a curva ROC para os pacientes com ID e VDM foi de 0,77 (IC de 95%; 0,72-0,83). CONCLUSÕES: Este estudo confirma que a incidência de VAD não é desprezível e sugere o uso do EGRI como um escore de cabeceira preditivo simples para melhorar a segurança do paciente. <![CDATA[Is there any benefit in associating neuraxial anesthesia to general anesthesia for coronary artery bypass graft surgery?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300304&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The use of neuraxial anesthesia in cardiac surgery is recent, but the hemodynamic effects of local anesthetics and anticoagulation can result in risk to patients. OBJECTIVE: To review the benefits of neuraxial anesthesia in cardiac surgery for CABG through a systematic review of systematic reviews. CONTENT: The search was performed in Pubmed (January 1966 to December 2012), Embase (1974 to December 2012), The Cochrane Library (volume 10, 2012) and Lilacs (1982 to December 2012) databases, in search of articles of systematic reviews. The following variables: mortality, myocardial infarction, stroke, in-hospital length of stay, arrhythmias and epidural hematoma were analyzed. CONCLUSIONS: The use of neuraxial anesthesia in cardiac surgery remains controversial. The greatest benefit found by this review was the possibility of reducing postoperative arrhythmias, but this result was contradictory among the identified findings. The results of findings regarding mortality, myocardial infarction, stroke and in-hospital length of stay did not show greater efficacy of neuraxial anesthesia.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O uso da anestesia neuroaxial em cirurgia cardíaca é recente, porém os efeitos hemodinâmicos dos anestésicos locais e a anticoagulação podem trazer riscos aos pacientes. OBJETIVO: Revisar os benefícios da anestesia neuroaxial em cirurgia cardíaca para revascularização miocárdica por meio de uma revisão sistemática de revisões sistemáticas. CONTEÚDO: Foi feita pesquisa nas bases de dados Pubmed (de janeiro de 1966 a dezembro de 2012), Embase (1974 a dezembro 2012), The Cochrane Library (volume 10, 2012) e Lilacs (1982 a dezembro de 2012) em busca de artigos de revisões sistemáticas. Foram analisadas as seguintes variáveis: mortalidade, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, tempo de internação hospitalar, arritmias e hematoma peridural. CONCLUSÕES: O uso da anestesia neuroaxial para revascularização miocárdica permanece controverso. O maior benefício encontrado por meio desta revisão foi a possibilidade de redução das arritmias pós-operatórias, porém esse resultado foi contraditório entre as evidências identificadas. Os resultados das evidências encontradas referentes à mortalidade, ao infarto do miocárdio, ao acidente vascular cerebral e ao tempo de internação hospitalar não mostraram maior efetividade da anestesia neuroaxial. <![CDATA[Good clinical practice guide for opioids in pain management: the three Ts - titration (trial), tweaking (tailoring), transition (tapering)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300310&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Achieving good clinical practice in the use of opioids as part of a comprehensive pain management regimen can face significant challenges. Despite guidelines from governmental and pain society/organization sources, there are still significant hurdles. A review of some basic tenets of opioid analgesia based on current published knowledge and experiences about this important healthcare imperative is warranted. CONTENT: Consistent with guidelines, the literature supports using the lowest total opioid dose that provides adequate pain control with the fewest adverse effects. Titration (or trial) during opioid initiation is a way of starting low and going slow (and assessing the appropriateness of a specific opioid and formulation). Recognizing that multiple factors contribute to an individual's personal experience of pain, the physical, psychological, social, cultural, spiritual, pharmacogenomic, and behavioral factors of the individual patient should be taken into account (tweaking, or tailoring). Finally, for those patients for whom transition (tapering) from opioid is desired, doing so too rapidly can have negative consequences and minimization of problems during this step can be achieved by proper tapering. CONCLUSION: We conclude that a simultaneously aggressive, yet conservative, approach is advocated in the literature in which opioid therapy is divided into three key steps (the 3 T's): titration (or trial), tweaking (or tailoring), and transition (or tapering). Establishment of the 3 T's along with the application of other appropriate good medical practice and clinical experience/judgment, including non-pharmacologic approaches, can assist healthcare providers in the effort to achieve optimal management of pain.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Uma boa prática clínica com o uso de opioides como parte de um regime abrangente de tratamento da dor pode enfrentar desafios significativos. Apesar das diretrizes provenientes de sociedades/organizações não governamentais para o manejo da dor, ainda existem obstáculos significativos. A revisão de alguns princípios básicos da analgesia com opioide com base na experiência e no conhecimento das publicações atuais sobre esse cuidado importante da saúde é justificável. CONTEÚDO: De acordo com as diretrizes, a literatura apoia o uso da dose total mais baixa de opioides que forneça o controle adequado da dor com menos efeitos adversos. A titulação (teste), ao iniciar a administração de um opioide, é uma maneira de começar com uma concentração baixa e ir devagar (avaliar a adequação da fórmula específica de um opioide). O ajuste (individualização) é reconhecer que vários fatores contribuem para a experiência pessoal da dor de um indivíduo, tais como fatores físicos, psicológicos, sociais, culturais, espirituais, farmacogenômicos e comportamentais. Finalmente, para aqueles pacientes nos quais a transição (redução gradual) do opioide é desejada, fazer essa transição muito rapidamente pode ter consequências negativas e é possível minimizar os problemas durante essa etapa por meio de uma redução gradual. CONCLUSÃO: Uma abordagem simultânea, agressiva, porém conservadora, é defendida na literatura em que a terapia com opioides é dividida em três etapas principais (os 3 Ts - em inglês: titration, tailoring, tapering): titulação (teste), ajuste (individualização) e transição (redução gradual). Estabelecer os três Ts, juntamente com a aplicação de outra boa prática médica e experiência/julgamento clínico, incluindo abordagens não farmacológicas, pode ajudar os profissionais de saúde no esforço para alcançar o tratamento ideal da dor. <![CDATA[Aberrant right subclavian artery-esophageal fistula: massive upper gastrointestinal hemorrhage secondary to prolonged intubation]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300318&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT Aberrant right subclavian artery-esophageal fistula is a rare but potentially fatal complication. It may be associated with procedures, such as tracheostomy and tracheal or esophageal intubation, and yields massive upper gastrointestinal bleeding difficult to identify and to control. A high index of suspicion is essential for early diagnosis and better prognosis. We report a rare case of a patient who survived after emergent surgical procedure for massive upper gastrointestinal bleeding secondary to aberrant right subclavian artery-esophageal fistula after prolonged intubation.<hr/>RESUMO A fístula de artéria subclávia direita anômala com o esôfago é uma complicação rara, mas potencialmente fatal. Pode estar associada a procedimentos como traqueostomia e intubação traqueal ou esofágica e originar hemorragia digestiva alta maciça, de difícil identificação e controle. Um elevado índice de suspeição é essencial para o diagnóstico precoce e a melhoria do prognóstico. Relatamos caso raro de doente que sobreviveu após intervenção cirúrgica emergente por hemorragia digestiva alta maciça secundária a fístula de artéria subclávia direita anômala com esôfago, após intubação gástrica prolongada. <![CDATA[Aphonia after shoulder surgery: case report]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300321&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT In this case report we highlight the uniqueness of aphonia as, to the best of our knowledge, cases of aphonia related to interscalene brachial plexus block (IBPB) are not described in the literature. Although hoarseness is a common complication of IBPB, aphonia is not. Therefore, we think it is important to publicize the first case of aphonia after IBPB, which may have arisen only because of a recurrent laryngeal nerve chronic injury contralateral to the IBPB site.<hr/>RESUMO Relativamente a este relato de caso destacamos a sua singularidade, uma vez que não se encontram descritos na literatura, tanto ou quanto os autores puderam investigar, casos de afonia após uma anestesia combinada com bloqueio do plexo braquial via interescalénica (BPBI). Embora a rouquidão seja uma complicação frequente do BPBI, a afonia não o é. Desse modo, pensamos ser importante dar a conhecer o primeiro caso de afonia após o BPBI, que na opinião dos autores surgiu apenas por causa de uma lesão crônica do nervo laríngeo recorrente contralateral ao local do BPBI. <![CDATA[Severe fat embolism in perioperative abdominal liposuction and fat grafting]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300324&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Fat embolism syndrome may occur in patients suffering from multiple trauma (long bone fractures) or plastic surgery (liposuction), compromising the circulatory, respiratory and/or central nervous systems. This report shows the evolution of severe fat embolism syndrome after liposuction and fat grafting. CASE REPORT: SSS, 42 years old, ASA 1, no risk factors for thrombosis, candidate for abdominal liposuction and breast implant prosthesis. Subjected to balanced general anesthesia with basic monitoring and controlled ventilation. After 45 min of procedure, there was a sudden and gradual decrease of capnometry, severe hypoxemia and hypotension. The patient was immediately monitored for MAP and central catheter, treated with vasopressors, inotropes, and crystalloid infusion, stabilizing her condition. Arterial blood sample showed pH = 7.21; PCO2 = 51 mmHg; PO2 = 52 mmHg; BE = -8; HCO3 = 18 mEq L-1, and lactate = 6.0 mmol L-1. Transthoracic echocardiogram showed PASP = 55 mmHg, hypocontractile VD and LVEF = 60%. Diagnosis of pulmonary embolism. After 24 h of intensive treatment, the patient developed anisocoria and coma (Glasgow coma scale = 3). A brain CT was performed which showed severe cerebral hemispheric ischemia with signs of fat emboli in right middle cerebral artery; transesophageal echocardiography showed a patent foramen ovale. Finally, after 72 h of evolution, the patient progressed to brain death. CONCLUSION: Fat embolism syndrome usually occurs in young people. Treatment is based mainly on the infusion of fluids and vasoactive drugs, mechanical ventilation, and triggering factor correction (early fixation of fractures or suspension of liposuction). The multiorgânico involvement indicates a worse prognosis.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A Síndrome da Embolia Gordurosa (SEG) pode acontecer em pacientes vítimas de politrauma (fratura de ossos longos) ou operações plásticas (lipoaspiração), comprometendo circulação, respiração e/ou sistema nervoso central. O presente relato mostra evolução de SEG grave após lipoaspiração e lipoenxertia. RELATO DO CASO: SSS, 42 anos, ASA 1, sem fatores de risco para trombose, candidata a lipoaspiração abdominal e implante de prótese mamária. Submetida à anestesia geral balanceada com monitorização básica e ventilação controlada. Após 45 minutos de procedimento, houve queda súbita e progressiva da capnometria, hipoxemia e hipotensão grave. Imediatamente foi monitorizada com PAM e cateter central, tratada com vasopressores, inotrópicos e infusão de cristaloides, obtendo estabilização do quadro. Amostra sanguínea arterial mostrou pH = 7,21; PCO2 = 51 mmHg; PO2 = 52 mmHg; BE = -8; HCO3 = 18 mEQ/l e lactato = 6,0 mmol/l. Ecocardiograma transtorácico mostrou PSAP = 55 mmHg, VD hipocontrátil e FEVE = 60%. Diagnóstico de embolia pulmonar. Após24 h de tratamento intensivo, a paciente evoluiu com anisocoria e coma com escala de glasgow 3. Realizada TC de encéfalo que evidenciou isquemia cerebral grave, hemisférica, com sinais de êmbolos de gordura em A. cerebral média D; o ecocardiograma transesofágico mostrou forame oval patente. Finalmente, após 72 h de evolução, a paciente evoluiu para morte encefálica. CONCLUSÃO: A SEG ocorre geralmente em jovens. O tratamento baseia-se principalmente na infusão de líquidos e drogas vasoativas, ventilação mecânica e correção do fator desencadeante (fixação precoce de fraturas ou suspensão da lipoaspiração). O comprometimento multiorgânico indica pior prognóstico. <![CDATA[Pulse contour analysis calibrated by Trans-pulmonar thermodilution (Picco Plus <strong><sup>®</sup></strong> ) for the perioperative management of a caesarean section in a patient with severe cardiomyopathy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300329&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND: The delivery of cardiac patients is a challenge for the anaesthesiologist, to whom the welfare of both the mother and the foetus is a main issue. In case of caesarean section, advanced monitoring allows to optimize haemodynamic condition and to improve morbidity and mortality. OBJECTIVE: To describe the use of pulse contour analysis calibrated by Trans-pulmonar thermodilution (Picco Plus® for the perioperative management of a caesarean section in a patient with severe cardiomyopathy. CASE REPORT: We describe the case of a 28-year-old woman with a congenital heart disease who was submitted to a caesarean section under general anaesthesia for maternal pathology and foetal breech presentation. Intra- and post-operative management was optimized by advanced haemodynamic monitorization obtained by pulse contour wave analysis and thermodilution calibration (Picco Plus® monitor). The information about preload, myocardial contractility and postcharge was useful in guiding the fluid therapy and the use of vasoactive drugs. CONCLUSION: This case report illustrates the importance of advanced haemodynamic monitoring with an acceptably invasive device in obstetric patients with high cardiac risk. The increasing experience in advanced haemodynamic management will probably permit to decrease morbidity and mortality of obstetric patients in the future.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA: O parto em pacientes cardíacas é um desafio para o anestesiologista, para o qual o bem-estar tanto da mãe quanto do feto é a questão principal. Em caso de cesariana, o monitoramento avançado permite melhorar a condição hemodinâmica e diminuir a morbidade e mortalidade. OBJETIVO: Descrever o uso da análise do contorno do pulso calibrado por termodiluição transpulmonar (Picco Plus®) para o manejo perioperatório de cesariana em paciente com miocardiopatia grave. RELATO DE CASO: Descrevemos o caso de uma paciente de 28 anos com uma doença cardíaca congênita, submetida a uma cesariana sob anestesia geral devido a afecção materna e apresentação fetal pélvica. O manejo nos períodos intraoperatório e pós-operatório foi aprimorado por monitoração hemodinâmica avançada obtida pela análise do contorno da onda de pulso e calibração por termodiluição (monitor Picco Plus®). As informações sobre pré-carga, pós-carga e contratilidade miocárdica foram úteis para orientar a reposição hídrica e o uso de medicamentos vasoativos. CONCLUSÃO: Este relato de caso ilustra a importância da monitoração hemodinâmica avançada com dispositivo aceitavelmente invasivo em pacientes obstétricas com alto risco cardíaco. O aumento do conhecimento no manejo hemodinâmico avançado provavelmente possibilitará a redução da morbidade e mortalidade de pacientes obstétricas no futuro. <![CDATA[<em>Patient Blood Management</em>: where to start?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000300333&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND: The delivery of cardiac patients is a challenge for the anaesthesiologist, to whom the welfare of both the mother and the foetus is a main issue. In case of caesarean section, advanced monitoring allows to optimize haemodynamic condition and to improve morbidity and mortality. OBJECTIVE: To describe the use of pulse contour analysis calibrated by Trans-pulmonar thermodilution (Picco Plus® for the perioperative management of a caesarean section in a patient with severe cardiomyopathy. CASE REPORT: We describe the case of a 28-year-old woman with a congenital heart disease who was submitted to a caesarean section under general anaesthesia for maternal pathology and foetal breech presentation. Intra- and post-operative management was optimized by advanced haemodynamic monitorization obtained by pulse contour wave analysis and thermodilution calibration (Picco Plus® monitor). The information about preload, myocardial contractility and postcharge was useful in guiding the fluid therapy and the use of vasoactive drugs. CONCLUSION: This case report illustrates the importance of advanced haemodynamic monitoring with an acceptably invasive device in obstetric patients with high cardiac risk. The increasing experience in advanced haemodynamic management will probably permit to decrease morbidity and mortality of obstetric patients in the future.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA: O parto em pacientes cardíacas é um desafio para o anestesiologista, para o qual o bem-estar tanto da mãe quanto do feto é a questão principal. Em caso de cesariana, o monitoramento avançado permite melhorar a condição hemodinâmica e diminuir a morbidade e mortalidade. OBJETIVO: Descrever o uso da análise do contorno do pulso calibrado por termodiluição transpulmonar (Picco Plus®) para o manejo perioperatório de cesariana em paciente com miocardiopatia grave. RELATO DE CASO: Descrevemos o caso de uma paciente de 28 anos com uma doença cardíaca congênita, submetida a uma cesariana sob anestesia geral devido a afecção materna e apresentação fetal pélvica. O manejo nos períodos intraoperatório e pós-operatório foi aprimorado por monitoração hemodinâmica avançada obtida pela análise do contorno da onda de pulso e calibração por termodiluição (monitor Picco Plus®). As informações sobre pré-carga, pós-carga e contratilidade miocárdica foram úteis para orientar a reposição hídrica e o uso de medicamentos vasoativos. CONCLUSÃO: Este relato de caso ilustra a importância da monitoração hemodinâmica avançada com dispositivo aceitavelmente invasivo em pacientes obstétricas com alto risco cardíaco. O aumento do conhecimento no manejo hemodinâmico avançado provavelmente possibilitará a redução da morbidade e mortalidade de pacientes obstétricas no futuro.