Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Anestesiologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0034-709420160002&lang=pt vol. 66 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Orientação por ultrassom melhora a taxa de sucesso do bloqueio do plexo axilar: uma metanálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200115&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT OBJECTIVE: To evaluate the value of real-time ultrasound (US) guidance for axillary brachial plexus block (AXB) through the success rate and the onset time. METHODS: The meta-analysis was carried out in the Anesthesiology Department of the Second Affiliated Hospital of Soochow University, Suzhou, Jiangsu Province, China. A literature search of Medline, EMBASE, Cochrane database from the years 2004 to 2014 was performed. The literature searches were carried out using medical subject headings and free-text word: "axilla", "axillary", "brachial plexus", "ultrasonography", "ultrasound", "ultrasonics". Two different reviewers carried out the search and evaluated studies independently. RESULTS: Seven randomized controlled trials, one cohort study and three retrospective studies were included. A total of 2042 patients were identified. 1157 patients underwent AXB using US guidance (US group) and the controlled group included 885 patients (246 patients using traditional approach (TRAD) and 639 patients using nerve stimulation (NS)). Our analysis showed that the success rate was higher in the US group compared to the controlled group (90.64% vs. 82.21%, p &lt; 0.00001). The average time to perform the block and the onset of sensory time were shorter in the US group than the controlled group. CONCLUSION: The present study demonstrated that the real-time ultrasound guidance for axillary brachial plexus block improves the success rate and reduce the mean time to onset of anesthesia and the time of block performance.<hr/>RESUMO OBJETIVO: Avaliar o valor da orientação por ultrassonografia (US) em tempo real para bloqueio do plexo braquial por via axilar (BPBA) pela taxa de sucesso e tempo de latência. MÉTODOS: Uma metanálise foi feita no Departamento de Anestesiologia do Segundo Hospital Afiliado da Universidade de Soochow, Suzhou, província de Jiangsu, China. Fizemos uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados Medline, Embasa e Cochrane de 2004 a 2014. A pesquisa foi feita com títulos de assuntos médicos e palavras de texto livre: axilla, axillary, brachial plexus, ultrasonography, ultrasound, ultrasonics. Dois revisores fizeram a pesquisa e avaliaram os estudos de forma independente. RESULTADOS: Sete estudos clínicos randômicos, um estudo de coorte e três estudos retrospectivos foram incluídos. Foram identificados 2.042 pacientes, dos quais 1.157 foram submetidos ao BPBA guiado por ultrassom (grupo US); o grupo controle incluiu 885 pacientes, dos quais 246 foram submetidos à abordagem tradicional (TRAD) e 639 à estimulação do nervo (EN). Nossa análise mostrou que a taxa de sucesso foi maior no grupo US em comparação com o grupo controle (90,64% vs. 82,21%, p&lt; 0,00001). As médias do tempo necessário para fazer o bloqueio e do tempo de latência foram mais curtas no grupo US do que no grupo controle. CONCLUSÃO: O presente estudo demonstrou que a orientação por ultrassom em tempo real para o bloqueio do plexo braquial por via axilar melhora a taxa de sucesso e reduz a média do tempo de início da anestesia e do tempo de execução do bloqueio. <![CDATA[Avaliação <strong><em>in vitro</em></strong> da eficácia de método para limitar a pressão de insuflação dos balonetes das cânulas endotraqueais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200120&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVE: Cuffs of tracheal tubes protect the lower airway from aspiration of gastric contents and facilitate ventilation, but may cause many complications, especially when the cuff pressure exceeds 30 cm H2O. This occurs in over 30% of conventional insufflations, so it is recommended to limit this pressure. In this study we evaluated the in vitro effectiveness of a method of limiting the cuff pressure to a range between 20 and 30 cm H2O. METHOD: Using an adapter to connect the tested tube to the anesthesia machine, the relief valve was regulated to 30 cm H2O, inflating the cuff by operating the rapid flow of oxygen button. There were 33 trials for each tube of three manufacturers, of five sizes (6.5-8.5), using three times inflation (10, 15 and 20 s), totaling 1485 tests. After inflation, the pressure obtained was measured with a manometer. Pressure &gt;30 cm H2O or &lt;20 cm H2O were considered failures. RESULTS: There were eight failures (0.5%, 95% CI: 0.1-0.9%), with all by pressures &lt;20 cm H2O and after 10 s inflation (1.6%, 95% CI: 0 5-2.7%). One failure occurred with a 6.5 tube (0.3%, 95% CI: -0.3 to 0.9%), six with 7.0 tubes (2%, 95% CI: 0.4-3.6%), and one with a 7.5 tube (0.3%, 95% CI: -0.3 to 0.9%). CONCLUSION: This method was effective for inflating tracheal tube cuffs of different sizes and manufacturers, limiting its pressure to a range between 20 and 30 cm H2O, with a success rate of 99.5% (95% CI: 99.1-99.9%).<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Os balonetes das cânulas traqueais protegem as vias aéreas inferiores da aspiração de conteúdo gástrico e facilitam a ventilação pulmonar, mas podem provocar diversas complicações, principalmente quando a pressão do balonete supera 30 cm H2O. Isto ocorre em mais de 30% das insuflações convencionais, sendo recomendada a limitação desta pressão. Neste estudo avaliou-se in vitro a eficácia de um método para limitar a pressão dos balonetes à faixa entre 20 e 30 cm H2O. MÉTODO: Utilizando um adaptador para conectar a cânula testada ao aparelho de anestesia, regulou-se a válvula limitadora deste a 30 cm H2O, insuflando o balonete por meio do acionamento do botão de fluxo rápido de oxigênio. Realizaram-se 33 testes para cada cânula de três fabricantes, de cinco tamanhos (6.5 a 8.5), utilizando três tempos para insuflação (10, 15 e 20 segundos), totalizando 1485 testes. Terminada a insuflação, mediu-se a pressão obtida com um manômetro. Pressões &gt;30 cm H2O ou &lt; 20 cm H2O foram consideradas falhas. RESULTADOS: Ocorreram oito falhas (0,5%; IC 95%: 0,1-0,9%), sendo todas por pressões &lt;20 cm H2O e após insuflações de 10 segundos (1,6%; IC 95%: 0,5-2,7%). Uma falha ocorreu com cânula 6.5 (0,3%; IC 95%: -0,3-0,9%), seis com cânulas 7.0 (2%; IC 95%: 0,4-3,6%), e uma com cânula 7.5 (0,3%; IC 95%: -0,3-0,9%). CONCLUSÃO: Este método mostrou-se eficaz para insuflar os balonetes de cânulas traqueais de diferentes tamanhos e fabricantes limitando sua pressão à faixa entre 20 e 30 cm H2O, com incidência de sucesso de 99,5% (IC 95%: 99,1-99,9%). <![CDATA[Intubação orotraqueal e disfunção temporomandibular: estudo longitudinal controlado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200126&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: To determine the incidence of signs and symptoms of temporomandibular disorder in elective surgery patients who underwent orotracheal intubation. METHODS: This was a longitudinal controlled study with two groups. The study group included patients who underwent orotracheal intubation and a control group. We used the American Academy of Orofacial Pain questionnaire to assess the temporomandibular disorder signs and symptoms one-day postoperatively (T1), and the patients' baseline status prior to surgery (T0) was also recorded. The same questionnaire was used after three months (T2). The mouth opening amplitude was measured at T1 and T2. We considered a pvalue of less than 0.05 to be significant. RESULTS: We included 71 patients, with 38 in the study group and 33 in the control. There was no significant difference between the groups in age (study group: 66.0 [52.5-72.0]; control group: 54.0 [47.0-68.0]; p = 0.117) or in their belonging to the female gender (study group: 57.9%; control group: 63.6%; p = 0.621). At T1, there were no statistically significant differences between the groups in the incidence of mouth opening limitation (study group: 23.7% vs. control group: 18.2%;p = 0.570) or in the mouth opening amplitude (study group: 45.0 [40.0-47.0] vs. control group: 46.0 [40.0-51.0];p = 0.278). At T2 we obtained similar findings. There was no significant difference in the affirmative response to all the individual questions in the American Academy of Orofacial Pain questionnaire. CONCLUSIONS: In our population, the incidence of signs and symptoms of temporomandibular disorder of muscular origin was not different between the groups.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Determinar a incidência de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular (DTM) em pacientes de cirurgia eletiva submetidos à intubação orotraqueal. MÉTODOS: Estudo longitudinal controlado com dois grupos. O grupo de estudo incluiu pacientes que foram submetidos à intubação orotraqueal e um grupo controle. Usamos o questionário da Academia Americana de Dor Orofacial (AAOP) para avaliar os sinais e sintomas da DTM no primeiro dia de pós-operatório (T1) e os estados basais dos pacientes antes da cirurgia (T0) também foram registrados. O mesmo questionário foi usado após três meses (T2). A amplitude da abertura bucal foi medida em T1 e T2. Consideramos um valor p inferior a 0,05 como significativo. RESULTADOS: No total, 71 pacientes foram incluídos, com 38 pacientes no grupo de estudo e 33 no grupo controle. Não houve diferença significativa entre os grupos quanto à idade (grupo de estudo: 66 [52,5-72]; grupo controle: 54 [47-68], p = 0,117) ou gênero feminino (grupo de estudo: 57,9%; grupo controle: 63,6%, p = 0,621). No T1, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos quanto à incidência de limitação de abertura bucal (grupo de estudo: 23,7% vs. grupo controle: 18,2%, p = 0,570) ou amplitude de abertura bucal (grupo de estudo: 45 [40-47]vs. grupo controle: 46 [40-51], p = 0,278). Em T2, os resultados obtidos foram semelhantes. Não houve diferença significativa na resposta afirmativa a todas as perguntas individuais do questionário AAOP. CONCLUSÕES: Em nossa população, a incidência de sinais e sintomas de DTM de origem muscular não foi diferente entre os grupos. <![CDATA[Artroplastia total do joelho induz apoptose em linfócitos de sangue periférico e não é evitada por anestesia regional - Estudo randomizado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200133&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND: Among the many changes caused by a surgical insult one of the least studied is postoperative immunosuppression. This phenomenon is an important cause of infectious complications of surgery such as surgical site infection or hospital acquired pneumonia. One of the mechanisms leading to postoperative immunosuppression is the apoptosis of immunological cells. Anesthesia during surgery is intended to minimize harmful changes and maintain perioperative homeostasis. The aim of the study was evaluation of the effect of the anesthetic technique used for total knee replacement on postoperative peripheral blood lymphocyte apoptosis. METHODS: 34 patients undergoing primary total knee replacement were randomly assigned to two regional anesthetic protocols: spinal anesthesia and combined spinal-epidural anesthesia. 11 patients undergoing total knee replacement under general anesthesia served as control group. Before surgery, immediately after surgery, during first postoperative day and seven days after the surgery venous blood samples were taken and the immunological status of the patient was assessed with the use of flow cytometry, along with lymphocyte apoptosis using fluorescent microscopy. RESULTS: Peripheral blood lymphocyte apoptosis was seen immediately in the postoperative period and was accompanied by a decrease of the number of T cells and B cells. There were no significant differences in the number of apoptotic lymphocytes according to the anesthetic protocol. Changes in the number of T CD3/8 cells and the number of apoptotic lymphocytes were seen on the seventh day after surgery. CONCLUSION: Peripheral blood lymphocyte apoptosis is an early event in the postoperative period that lasts up to seven days and is not affected by the choice of the anesthetic technique.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Dentre as muitas alterações causadas por uma ferida cirúrgica, uma das menos estudadas é a imunossupressão pós-operatória. Esse fenômeno é uma causa importante das complicações infecciosas relacionadas à cirurgia, como infecção do sítio cirúrgico ou pneumonia nosocomial. Um dos mecanismos que levam à imunossupressão pós-operatória é a apoptose de células imunológicas. Durante a cirurgia, a anestesia se destina a minimizar as alterações prejudiciais e manter a homeostase perioperatória. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da técnica anestésica usada para artroplastia total de joelho sobre a apoptose em linfócitos de sangue periférico no pós-operatório. MÉTODOS: Trinta e quatro pacientes submetidos à artroplastia total primária de joelho foram randomicamente designados para dois protocolos de anestesia regional: raquianestesia e bloqueio combinado raqui-peridural. Onze pacientes submetidos à artroplastia total do joelho sob anestesia geral formaram o grupo controle. Antes da cirurgia, logo após a cirurgia, durante o primeiro dia de pós-operatório e sete dias após a cirurgia, amostras de sangue venoso foram colhidas e o estado imunológico do paciente foi avaliado com o uso deflow cysts 87 m, juntamente com apoptose de linfócitos com o uso de microscopia de fluorescência. RESULTADOS: Apoptose em linfócitos de sangue periférico foi observada imediatamente no pós-operatório e acompanhada por uma redução do número de células T e B. Não houve diferença significativa no número de linfócitos apoptóticos de acordo com o protocolo anestésico. Alterações no número de células T CD3/8 e no número de linfócitos apoptóticos foram observadas no sétimo dia após a cirurgia. CONCLUSÃO: Apoptose em linfócitos de sangue periférico é um evento precoce no período pós-operatório que dura até sete dias e não é afetado pela escolha da técnica anestésica. <![CDATA[Comparação de duas doses diferentes de morfina adicionadas à bupivacaína em raquianestesia para herniorrafia inguinal <strong><sup>☆</sup></strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200140&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The aim of this study was to compare the effects of two different doses of intrathecal morphine on postoperative analgesia, postoperative first mobilization and urination times and the severity of side effects. METHODS: After Institutional Ethical Committee approval, 48 ASA I-II patients were enrolled in this randomized double-blinded study. Spinal anesthesia was performed with 0.1 mg (Group I, n = 22) or 0.4 mg (Group II, n = 26) ITM in addition to 7.5 mg heavy bupivacaine. The first analgesic requirement, first mobilization and voiding times, and postoperative side effects were recorded. Statistical analyses were performed using SPSS 15.0 and p &lt; 0.05 was considered as statistically significant. The numeric data were analyzed by thet-test and presented as mean ± SD. Categorical data were analyzed with the chi-square test and expressed as number of patients and percentage. RESULTS: Demographic data were similar among groups. There were no differences related to postoperative pain, first analgesic requirements, and first mobilization and first voiding times. The only difference between two groups was the vomiting incidence. In Group II 23% (n = 6) of the patients had vomiting during the first postoperative 24 h compared to 0% in Group I (p = 0.025). CONCLUSION: For inguinal hernia repairs, the dose of 0.1 mg of ITM provides comparable postoperative analgesia with a dose of 0.4 mg, with significantly lower vomiting incidence when combined with low dose heavy bupivacaine.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Comparar os efeitos de duas doses diferentes de morfina intratecal (MIT) sobre a analgesia no pós-operatório, os tempos até a primeira mobilização e micção no pós-operatório e a gravidade dos efeitos colaterais. MÉTODOS: Após a aprovação do Comitê de Ética Institucional, 48 pacientes com estado físico ASA I-II foram incluídos neste estudo randômico e duplo-cego. A raquianestesia foi feita com 0,1 mg (Grupo I, n = 22) ou 0,4 mg (Grupo II, n = 26) de MIT adicionados a 7,5 mg de bupivacaína hiperbárica. Os tempos até a primeira necessidade de analgésico, mobilização e micção e os efeitos colaterais no pós-operatório foram registrados. As análises estatísticas foram feitas com o programa SPSS 15.0 e p &lt; 0,05 foi considerado estatisticamente significativo. Os dados numéricos foram analisados com o teste t e expressos como média ± DP. Os dados categóricos foram analisados com o teste do qui-quadrado e expressos como número de pacientes e porcentagem. RESULTADOS: Os dados demográficos foram semelhantes entre os grupos. Não houve diferenças em relação à dor, aos tempos até a primeira necessidade de analgésicos, à primeira mobilização e primeira micção. A única diferença entre os dois grupos foi a incidência vômito. No Grupo II, 23% (n = 6) das pacientes apresentaram vômito durante as primeiras 24 horas de pós-operatório, em comparação com 0% no Grupo I (p = 0,025). CONCLUSÃO: Para herniorrafia inguinal, a dose de 0,1 mg de MIT fornece analgesia comparável à dose de 0,4 mg, com uma incidência de vômito significativamente menor quando combinada com uma dose baixa de bupivacaína hiperbárica. <![CDATA[Efeitos das infusões de lidocaína e esmolol sobre as alterações hemodinâmicas, necessidade de analgésicos e recuperação após colecistectomia laparoscópica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200145&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT OBJECTIVE: We compared the effects of lidocaine and esmolol infusions on intraoperative hemodynamic changes, intraoperative and postoperative analgesic requirements, and recovery in laparoscopic cholecystectomy surgery. METHODS: The first group (n = 30) received IV lidocaine infusions at a rate of 1.5 mg/kg/min and the second group (n = 30) received IV esmolol infusions at a rate of 1 mg/kg/min. Hemodynamic changes, intraoperative and postoperative analgesic requirements, and recovery characteristics were evaluated. RESULTS: In the lidocaine group, systolic arterial blood pressures values were lower after the induction of anesthesia and at 20 min following surgical incision (p &lt; 0.05). Awakening time was shorter in the esmolol group (p &lt; 0.001); Ramsay Sedation Scale scores at 10 min after extubation were lower in the esmolol group (p &lt; 0.05). The modified Aldrete scores at all measurement time points during the recovery period were relatively lower in the lidocaine group (p &lt; 0.05). The time to attain a modified Aldrete score of ≥9 points was prolonged in the lidocaine group (p &lt; 0.01). Postoperative resting and dynamic VAS scores were higher in the lidocaine group at 10 and 20 min after extubation (p &lt; 0.05, p &lt; 0.01, respectively). Analgesic supplements were less frequently required in the lidocaine group (p &lt; 0.01). CONCLUSION: In laparoscopic cholecystectomies, lidocaine infusion had superiorities over esmolol infusions regarding the suppression of responses to tracheal extubation and postoperative need for additional analgesic agents in the long run, while esmolol was more advantageous with respect to rapid recovery from anesthesia, attenuation of early postoperative pain, and modified Aldrete recovery (MAR) scores and time to reach MAR score of 9 points.<hr/>RESUMO OBJETIVO: Comparar os efeitos de infusões de lidocaína e esmolol sobre as alterações hemodinâmicas no período intraoperatório, a necessidade de analgésicos intra- e pós-operatoriamente e a recuperação após colecistectomia laparoscópica. MÉTODOS: O primeiro grupo (n = 30) recebeu infusões IV de lidocaína a uma taxa de 1,5 mg/kg/min e o segundo grupo (n = 30) recebeu infusões IV de esmolol a uma taxa de 1 mg kg/min. Alterações hemodinâmicas, necessidade de analgésicos no intra- e pós-operatório e características da recuperação foram avaliadas. RESULTADOS: No grupo lidocaína, os valores da pressão arterial sistólica foram menores após a indução da anestesia e 20 minutos após a incisão cirúrgica (p &lt; 0,05). O tempo até o despertar foi menor no grupo esmolol (p &lt; 0,001), os escores na escala de Sedação de Ramsay 10 minutos após a extubação foram menores no grupo esmolol (p &lt; 0,05). Os escores de Aldrete modificados em todos os tempos mensurados durante o período de recuperação foram relativamente baixos no grupo lidocaína (p &lt; 0,05). O tempo necessário para atingir um escore de Aldrete ≥ 9 pontos foi prolongado no grupo lidocaína (p &lt; 0,01). Os escores Eva em repouso e em movimento no pós-operatório foram maiores no grupo lidocaína nos minutos 10 e 20 após a extubação (p &lt; 0,05,p &lt; 0,01, respectivamente). Analgésicos suplementares foram necessários com menos frequência no grupo lidocaína (p &lt; 0,01). CONCLUSÃO: Em colecistectomia laparoscópica, a infusão de lidocaína foi superior às infusões de esmolol quanto a suprimir as respostas à extubação traqueal e necessidade de analgésicos adicionais no pós-operatório, enquanto esmolol foi mais vantajoso quanto à rápida recuperação da anestesia, à atenuação da dor no pós-operatório imediato e aos escores de recuperação de Aldrete modificado (RAM) e o tempo até atingir o escore RAM de 9 pontos. <![CDATA[Comparação dos efeitos analgésicos pós-operatórios de naproxeno sódico e naproxeno sódico-fosfato de codeína em artroscopia de menisco]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200151&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Nonsteroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs) are frequently used to control arthroscopic pain. Addition of oral effective opioid "codeine" to NSAIDs may be more effective and decrease parenteral opioid consumption in the postoperative period. The aim of this study was to compare the efficacy and side effects of naproxen sodium and a new preparation naproxen sodium-codeine phosphate when administered preemptively for arthroscopic meniscectomy. METHODS: Sixty-one patients were randomized into two groups to receive either oral naproxen sodium (Group N) or naproxen sodium-codeine phosphate (Group NC) before surgery. The surgery was carried out under general anesthesia. Intravenous meperidine was initiated by patient-controlled analgesia (PCA) for all patients. The primary outcome measure was pain score at the first postoperative hour assessed by the Visual Analogue Scale (VAS). Sedation assessed by Ramsey Sedation Scale, first demand time of PCA, postoperative meperidine consumption, side effects and hemodynamic data were also recorded. RESULTS: The groups were demographically comparable. Median VAS scores both at rest and on movement were significantly lower in Group NC compared with Group N, except 18th hour on movement (p &lt; 0.05). The median time to the first demand of PCA was shorter in Group N compared with Group NC (p &lt; 0.001). Meperidine consumption was higher in Group N compared with Group NC (p &lt; 0.001). There was no difference between groups with respect to side effects (p &gt; 0.05). CONCLUSIONS: The combination of naproxen sodium-codeine phosphate provided more effective analgesia than naproxen sodium and did not increase side effects.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) são frequentemente usados para controlar a dor após artroscopia. A adição de um opiáceo oral eficaz (codeína) aos AINEs pode ser mais efetiva e diminuir o consumo de opiáceo parenteral no pós-operatório. O objetivo deste estudo foi comparar a eficácia e os efeitos colaterais de naproxeno sódico e uma nova preparação, naproxeno sódico-fosfato de codeína, quando administrados preventivamente para meniscectomia artroscópica. MÉTODOS: Foram randomicamente divididos em dois grupos 61 pacientes para receber naproxeno sódico por via oral (Grupo N) ou naproxeno sódico-fosfato de codeína (Grupo NC) antes da cirurgia. A cirurgia foi feita sob anestesia geral. Meperidina intravenosa foi iniciada por meio de analgesia controlada pelo paciente (ACP) para todos os pacientes. O desfecho primário foi o escore de dor na primeira hora de pós-operatório, avaliada com a escala visual snalógica (EVA). A sedação foi avaliada com a escala de sedação de Ramsey. A primeira demanda de ACP, o consumo de meperidina no pós-operatório, os efeitos colaterais e os dados hemodinâmicos também foram registrados. RESULTADOS: Os grupos foram demograficamente comparáveis. As medianas dos escores EVA tanto em repouso quanto em movimento foram significativamente menores no Grupo NC comparado com o Grupo N; exceto para movimento na avaliação de 18 horas (p &lt; 0,05). A mediana do tempo até a primeira demanda de ACP foi menor no Grupo N em comparação com o Grupo NC (p &lt; 0,001). O consumo de meperidina foi maior no Grupo N em comparação com o Grupo NC (p &lt; 0,001). Não houve diferença entre os grupos em relação aos efeitos colaterais (p &gt; 0,05). CONCLUSÕES: A combinação de naproxeno sódico-fosfato de codeína forneceu analgesia mais efetiva que naproxeno sódico, sem aumentar os efeitos colaterais. <![CDATA[Uma comparação das diferentes densidades das soluções de levobupivacaína para raquianestesia unilateral]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200157&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The aim of the study was to compare the block characteristics and clinical effects of dextrose added to levobupivacaine solutions at different concentrations to provide unilateral spinal anaesthesia in lower extremity surgery. METHODS: This prospective, randomised, double-blind study comprised 75 ASA I-II risk patients for whom unilateral total knee arthroscopy was planned. The patients were assigned to three groups: in Group I, 60 mg dextrose was added to 7.5 mg of 0.5% levobupivacaine, in Group II, 80 mg and in Group III, 100 mg. Spinal anaesthesia was applied to the patient in the lateral decubitus position with the operated side below and the patient was kept in position for 10 min. RESULTS: The time for the sensorial block to achieve T12 level was slower in Group I than in Groups II and III (p &lt; 0.05, p&lt; 0.00). The time to full recovery of the sensorial block was 136 min in Group I, 154 min in Group II and 170 min in Group III. The differences were statistically significant (p &lt; 0.05). The mean duration of the motor block was 88 min in Group I, 105 min in Group II, and 139 min in Group III and the differences were statistically significant (p &lt; 0.05). The time to urination in Group I was statistically significantly shorter than in the other groups (p &lt; 0.00). CONCLUSIONS: The results of the study showed that together with an increase in density, the sensory and motor block duration was lengthened. It can be concluded that 30 mg mL-1 concentration of dextrose added to 7.5 mg levobupivacaine is sufficient to provide unilateral spinal anaesthesia in day-case arthroscopic knee surgery.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Comparar as características do bloqueio e os efeitos clínicos da adição de dextrose às soluções de levobupivacaína em diferentes concentrações para proporcionar raquianestesia unilateral em cirurgia de extremidade inferior. MÉTODOS: Estudo prospectivo, randômico e duplo-cego conduzido com 75 pacientes, estado físico ASA I-II, programados para artroplastia unilateral total do joelho. Os pacientes foram divididos em três grupos: no Grupo-I, 60 mg de dextrose foram adicionados a 7,5 mg de levobupivacaína a 0,5%; no Grupo II, 80 mg e no Grupo III, 100 mg. A raquianestesia foi aplicada ao paciente posicionado em decúbito lateral, com o lado operado abaixo, e o paciente foi mantido em posição durante 10 minutos. RESULTADOS: O tempo para o bloqueio sensorial atingir o nível T12 foi mais lento no Grupo-I do que nos grupos II e III (p &lt; 0,05,p &lt; 0,00). O tempo de recuperação total do bloqueio sensorial foi de 136 minutos no Grupo-I, 154 minutos no Grupo-II e 170 minutos no Grupo III. As diferenças foram estatisticamente significativas (p &lt; 0,05). A média da duração do bloqueio motor foi de 88 minutos no Grupo-I, 105 minutos no Grupo-II e 139 minutos no Grupo-III e as diferenças foram estatisticamente significativas (p&lt; 0,05). O tempo de micção foi significativamente menor no Grupo-I do que nos outros grupos (p &lt; 0,00). CONCLUSÕES: Os resultados do estudo mostraram que, junto com um aumento da densidade, a duração dos bloqueios sensorial e motor foi prolongada. Pode-se concluir que uma concentração 30 mg mL-1 de dextrose adicionada a 7,5 mg de levobupivacaína é suficiente para proporcionar raquianestesia unilateral para artroscopia do joelho em regime ambulatorial. <![CDATA[Uso profilático de pregabalina para prevenção de mialgia e fasciculação induzidas por succinilcolina: estudo randômico, duplo-cego e controlado por placebo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200165&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND: Succinylcholine is commonly used to achieve profound neuromuscular blockade of rapid onset and short duration. OBJECTIVE: The present study compared the efficacy of pregabalin for prevention of succinylcholine-induced fasciculation and myalgia. DESIGN: Prospective, randomized, placebo controlled, double blinded study. MATERIALS AND METHODS: Patients of both genders undergoing elective spine surgery were randomly assigned to two groups. Patients in Group P (pregabalin group) received 150 mg of pregabalin orally 1 h prior to induction of anesthesia with sips of water and patients in Group C (control group) received placebo. Anesthesia was induced with fentanyl 1.5 mcg/kg, propofol 1.5-2.0 mg/kg followed by succinylcholine 1.5 mg/kg. The intensity of fasciculations was assessed by an observer blinded to the group allotment of the patient on a 4-point scale. A blinded observer recorded postoperative myalgia grade after 24 h of surgery. Patients were provided patient-controlled analgesia with fentanyl for postoperative pain relief. RESULTS: Demographic data of both groups were comparable (p &gt; 0.05). The incidence of muscle fasciculation's was not significant between two groups (p = 0.707), while more patients in group C had moderate to severe fasciculation's compared to group P (p = 0.028). The incidence and severity of myalgia were significantly lower in group P (p &lt; 0.05). CONCLUSION: Pregabalin 150 mg prevents succinylcholine-induced fasciculations and myalgia and also decreases the fentanyl consumption in elective sine surgery.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA: A succinilcolina é comumente usada para atingir um bloqueio neuromuscular profundo, de início rápido e de curta duração. OBJETIVO: Comparar a eficácia de pregabalina na prevenção de mialgia e fasciculação induzidas por succinilcolina. DESENHO: Estudo prospectivo, randômico, duplo-cego e controlado por placebo. MATERIAIS E MÉTODOS: Pacientes de ambos os sexos submetidos a cirurgia eletiva de coluna foram aleatoriamente divididos em dois grupos. Os pacientes do Grupo P (pregabalina) receberam 150 mg de pregabalina oral uma hora antes da indução da anestesia e os pacientes do Grupo C (controle) receberam placebo. A anestesia foi induzida com fentanil (1,5 mcg/kg) e propofol (1,5-2,0 mg/kg), seguidos de succinilcolina 1,5 mg/kg. A intensidade da fasciculação foi avaliada por um observador, cego para a alocação dos grupos, com uma escala de 4 pontos. Um observador cego registrou o grau pós-operatório de mialgia após 24 horas de cirurgia. Para o alívio da dor no pós-operatório, fentanil foi usado em sistema de analgesia controlada pelo paciente. RESULTADOS: Os dados demográficos de ambos os grupos eram comparáveis (p &gt; 0,05). A incidência de fasciculação muscular não foi significativa entre os dois grupos (p = 0,707), enquanto mais pacientes do Grupo C apresentaram fasciculação de moderada a grave em relação ao Grupo P (p = 0,028). A incidência e a gravidade da mialgia foram significativamente menores no grupo P (p &lt; 0,05). CONCLUSÃO: Pregabalina (150 mg) previne mialgia e fasciculação induzidas por succinilcolina, além de diminur o consumo de fentanil em cirurgia eletiva de coluna. <![CDATA[Associação entre as dimensões da eminência tênar e I-gel(tm) em pacientes pediátricos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200171&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT OBJECTIVES: A practical anatomic landmark may be helpful to perform the appropriate size of the airway devices easily in paediatric patients. The aim of this study was to investigate the association between thenar eminence and I-gel dimensions in children. METHODS: After Institutional Ethics Committee approval, two hundred and seventy ASA Class I-II patients between 0 and 12 years old, who were scheduled for elective procedures under general anaesthesia not requiring tracheal intubation, were recruited to the study. The size of the I-gel selected was based on the patient's body weight according to the manufacturer's recommendation. After successful insertion of the I-gel, thenar eminence dimensions were determined. Long-axis (Th-l) was measured from junction point of the thumb to wrist curl and short-axis (Th-w) constitutes the largest portion of the thenar eminence from lateral end of the thumb to the first hand line. The manufacturer's dimensions of the I-gel which was inserted into the patients were compared with the measurements obtained from thenar eminence. RESULTS: The mean (SD) values for (Ig-w) and (Ig-l) were 2.98 cm (0.53) and 4.54 cm (0.82), and the mean (SD) values for (Th-w) and (Th-l) were 2.99 cm (0.60) and 3.88 cm (0.93), respectively. There was a statistically significant correlation between Th-w and Ig-w (r = 0.794,p &lt; 0.001), and between Th-l and Ig-l (r = 0.820, p &lt; 0.001). CONCLUSION: The dimensions of thenar eminence were fitted to that of the weight based size of I-gel and this anatomic landmark may be a practical tool to assess appropriate size for paediatric patients.<hr/>RESUMO OBJETIVOS: Uma referência anatômica prática pode ser útil para determinar o tamanho adequado dos dispositivos para vias aéreas em pacientes pediátricos. O objetivo deste estudo foi investigar a associação entre as dimensões da eminência tênar e do dispositivo I-gel em crianças. MÉTODOS: Após aprovação do Comitê de Ética Institucional, 270 pacientes com estado físico ASA I-II, entre 0-12 anos, programados para cirurgias eletivas sob anestesia geral, sem necessidade de intubação traqueal, foram recrutados para o estudo. A escolha do tamanho do I-gel foi baseada no peso corporal do paciente, de acordo com a recomendação do fabricante. Após a inserção bem-sucedida do I-gel, a dimensão da eminência tênar era determinada. O eixo longo (Th-l) foi medido do ponto de junção do polegar ao vinco do pulso e o eixo curto (Th-w) constitui a maior parte da eminência tênar da extremidade lateral do polegar à primeira linha da mão. As dimensões de fábrica do I-gel inserido no paciente foram comparadas com as dimensões obtidas a partir da eminência tênar. RESULTADOS: As médias (DP) dos valores para (Ig-w) e (Ig-l) foram 2,98 cm (0,53) e 4,54 cm (0,82) e as médias (DP) dos valores para (Th-w) e (TH l) foram 2,99 cm (0,60) e 3,88 cm (0,93), respectivamente. Houve uma correlação estatisticamente significativa entre Th-w e Ig-w (r = 0,794, p &lt; 0,001) e entre Th-l e Ig-l (r = 0,820, p &lt; 0,001). CONCLUSÃO: As dimensões da eminência tênar foram ajustadas àquelas do tamanho do I-gel baseado no peso e essa referência anatômica pode ser uma ferramenta prática para avaliar o tamanho apropriado em pacientes pediátricos. <![CDATA[Parada cardíaca perioperatória: uma análise evolutiva da incidência de parada cardíaca intraoperatória em centros terciários no Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200176&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND: Great changes in medicine have taken place over the last 25 years worldwide. These changes in technologies, patient risks, patient profile, and laws regulating the medicine have impacted the incidence of cardiac arrest. It has been postulated that the incidence of intraoperative cardiac arrest has decreased over the years, especially in developed countries. The authors hypothesized that, as in the rest of the world, the incidence of intraoperative cardiac arrest is decreasing in Brazil, a developing country. OBJECTIVES: The aim of this study was to search the literature to evaluate the publications that relate the incidence of intraoperative cardiac arrest in Brazil and analyze the trend in the incidence of intraoperative cardiac arrest. CONTENTS: There were 4 articles that met our inclusion criteria, resulting in 204,072 patients undergoing regional or general anesthesia in two tertiary and academic hospitals, totalizing 627 cases of intraoperative cardiac arrest. The mean intraoperative cardiac arrest incidence for the 25 years period was 30.72:10,000 anesthesias. There was a decrease from 39:10,000 anesthesias to 13:10,000 anesthesias in the analyzed period, with the related lethality from 48.3% to 30.8%. Also, the main causes of anesthesia-related cause of mortality changed from machine malfunction and drug overdose to hypovolemia and respiratory causes. CONCLUSIONS: There was a clear reduction in the incidence of intraoperative cardiac arrest in the last 25 years in Brazil. This reduction is seen worldwide and might be a result of multiple factors, including new laws regulating the medicine in Brazil, incorporation of technologies, better human development level of the country, and better patient care.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA: Nos últimos 25 anos ocorreram grandes mudanças na medicina em todo o mundo. Essas mudanças de tecnologias, riscos do paciente, perfil do paciente e leis que regulam medicamentos tiveram impacto na incidência de parada cardíaca (PC). Postula-se que a incidência de parada cardíaca intraoperatória (PCI) tem diminuído ao longo dos anos, especialmente em países desenvolvidos. A nossa hipótese foi que, como no resto do mundo, a incidência de PCI está diminuindo no Brasil, um país em desenvolvimento. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi pesquisar e avaliar na literatura as publicações que relacionam a incidência de PCI no Brasil e analisar a tendência na incidência de PCI. CONTEÚDO: Descobrimos quatro artigos que atenderam aos critérios de inclusão, que resultaram em 204.072 pacientes submetidos à anestesia regional ou geral em dois hospitais terciários e acadêmicos e 627 casos de PCI. A média de incidência de PCI para o período de 25 anos foi de 30,72:10.000 anestesias. Houve uma diminuição de 39:10.000 anestesias para 13:10.000 anestesias no período analisado, com letalidade relacionada de 48,3% para 30,8%. Além disso, as principais causas de mortalidade relacionadas à anestesia mudaram de mau funcionamento de máquinas e overdose de medicamentos para hipovolemia e causas respiratórias. CONCLUSÕES: Houve uma clara redução na incidência de PCI nos últimos 25 anos no Brasil. Essa redução é observada em todo o mundo e pode ser o resultado de vários fatores, incluindo novas leis que regulam medicamentos no Brasil, incorporação de tecnologias, melhor nível de desenvolvimento humano do país e melhor assistência ao paciente. <![CDATA[Efetividade da associação da anestesia regional à anestesia geral na redução da mortalidade em revascularização miocárdica: metanálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200183&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuraxial anesthesia (NA) has been used in association with general anesthesia (GA) for coronary artery bypass; however, anticoagulation during surgery makes us question the viability of benefits by the risk of epidural hematoma. The aim of this study was to perform a meta-analyzes examining the efficacy of NA associated with GA compared to GA alone for coronary artery bypass on mortality reduction. METHODS: Mortality, arrhythmias, cerebrovascular accident (CVA), myocardial infarction (MI), length of hospital stay (LHS), length of ICU stay (ICUS), reoperations, blood transfusion (BT), quality of life, satisfaction degree, and postoperative cognitive dysfunction were analyzed. The weighted mean difference (MD) was estimated for continuous variables, and relative risk (RR) and risk difference (RD) for categorical variables. RESULTS: 17 original articles analyzed. Meta-analysis of mortality (RD = -0.01, 95% CI = -0.03 to 0.01), CVA (RR = 0.79, 95% CI = 0.32-1.95), MI (RR = 0.96, 95% CI = 0.52-1.79) and LHS (MD = -1.94, 95% CI = -3.99 to 0.12) were not statistically significant. Arrhythmia was less frequent with NA (RR = 0.68, 95% CI = 0.50-0.93). ICUS was lower in NA (MD = -2.09, 95% CI = -2.92 to -1.26). CONCLUSION: There was no significant difference in mortality. Combined NA and GA showed lower incidence of arrhythmias and lower ICUS.<hr/>RESUMO INTRODUÇÃO E OBJETIVOS: A anestesia neuroaxial (AN) vem sendo utilizada em associação com a anestesia geral (AG) para revascularização miocárdica, entretanto a anticoagulação durante a cirurgia torna questionável a viabilidade dos benefícios mediante o risco de hematoma de espaço peridural. O objetivo deste estudo foi executar metanálises analisando a efetividade da AN associada à AG comparada à AG isolada para a cirurgia de revascularização miocárdica relativa à redução da mortalidade. MÉTODOS: Foram analisados mortalidade, arritmias, acidente vascular cerebral (AVC), infarto miocárdico (IM), tempo de internação hospitalar (TIH), tempo de internação em unidade de terapia intensiva (TUTI), reoperações, transfusão sanguínea (TS), qualidade de vida, grau de satisfação e disfunção cognitiva pós-opertória. A diferença média (DM) ponderada foi estimada para as variáveis contínuas e risco relativo (RR) e a diferença de risco (DR) para variáveis categóricas. RESULTADOS: Analisados 17 artigos originais. Metanálise da mortalidade (DR = -0,01; IC 95% = -0,03 a 0,01), AVC (RR = 0,79; IC 95% = 0,32 a 1,95), IM (RR = 0,96; IC 95% = 0,52 a 1,79) e TIH (DM = -1,94; IC 95% = -3,99 a 0,12) não demonstraram significância estatística. Arritmia foi menos frequente com AN (RR = 0,68; IC 95% = 0,50 a 0,93). O TUTI foi menor no com AN (DM = -2,09; IC 95% = -2,92 a -1,26). CONCLUSÃO: Não se observaram diferenças estatisticamente significantes quanto a mortalidade. A combinação de AN e AG mostrou menor incidência de arritmias e menor TUTI. <![CDATA[Complicações cardíacas em síndrome de Kounis tipo I induzida por metamizol]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200194&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Kounis syndrome is defined as the coincidental occurrence of allergic reaction and acute coronary syndrome secondary to vasospasm. Anti-inflammatory drugs are included as one of the multiple causes. Current data available about this syndrome come from case reports. We present the case of a patient who suffered Kounis syndrome with cardiogenic shock and asystole after intravenous infusion of Metamizole, and in which no lesions were observed in coronariography.<hr/>RESUMO A síndrome de Kounis é definida como a ocorrência concomitante de reação alérgica e síndrome coronariana aguda secundária ao vasoespasmo. Os medicamentos anti-inflamatórios estão incluídos como uma das múltiplas causas. Os dados atuais disponíveis sobre essa síndrome são provenientes de relatos de caso. Relatamos o caso de um paciente que apresentou síndrome de Kounis com choque cardiogênico e assistolia após infusão intravenosa de metamizol e no qual não foram observadas lesões na coronariografia. <![CDATA[Colecistectomia laparoscópica sob raquianestesia contínua em paciente com doença de Steinert]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200197&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Steinert's disease is an intrinsic disorder of the muscle with multisystem manifestations. Myotonia may affect any muscle group, is elicited by several factors and drugs used in general anesthesia like hypnotics, sedatives and opioids. Although some authors recommend the use of regional anesthesia or combined anesthesia with low doses of opioids, the safest anesthetic technique still has to be established. We performed a continuous spinal anesthesia in a patient with Steinert's disease undergoing laparoscopic cholecystectomy using 10 mg of bupivacaine 0.5% and provided ventilatory support in the perioperative period. Continuous spinal anesthesia was safely used in Steinert's disease patients but is not described for laparoscopic cholecystectomy. We reported a continuous spinal anesthesia as an appropriate technique for laparoscopic cholecystectomy and particularly valuable in Steinert's disease patients.<hr/>RESUMO A doença de Steinert é uma desordem intrínseca do músculo com manifestações multissistêmicas. A miotonia pode afetar qualquer grupo muscular e é provocada por vários fatores e medicamentos usados em anestesia geral, como hipnóticos, sedativos e opiáceos. Embora alguns autores recomendem o uso de anestesia regional ou anestesia combinada com opiáceos em doses baixas, a técnica anestésica mais segura ainda precisa ser estabelecida. Administramos raquianestesia contínua em um paciente com doença de Steinert submetido à colecistectomia laparoscópica, com 10 mg de bupivacaína a 0,5%, e fornecemos suporte ventilatório no período perioperatório. A raquianestesia contínua foi usada com segurança em pacientes com doença de Steinert, mas não foi relatada em colecistectomia laparoscópica. Relatamos a raquianestesia contínua como uma técnica adequada para a colecistectomia laparoscópica e particularmente valiosa em pacientes com doença de Steinert. <![CDATA[Edema pulmonar neurogênico devido à disfunção da derivação ventrículo-atrial: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200200&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pulmonary edema is caused by the accumulation of fluid within the air spaces and the interstitium of the lung. Neurogenic pulmonary edema is a clinical syndrome characterized by the acute onset of pulmonary edema following a significant central nervous system insult. It may be a less-recognized consequence of raised intracranial pressure due to obstructive hydrocephalus by blocked ventricular shunts. It usually appears within minutes to hours after the injury and has a high mortality rate if not recognized and treated appropriately. CASE REPORT: We report a patient with acute obstructive hydrocephalus due to ventriculo-atrial shunt dysfunction, proposed to urgent surgery for placement of external ventricular drainage, who presented with neurogenic pulmonary edema preoperatively. She was anesthetized and supportive treatment was instituted. At the end of the procedure the patient showed no clinical signs of respiratory distress, as prompt reduction in intracranial pressure facilitated the regression of the pulmonary edema. CONCLUSIONS: This report addresses the importance of recognition of neurogenic pulmonary edema as a possible perioperative complication resulting from an increase in intracranial pressure. If not recognized and treated appropriately, neurogenic pulmonary edema can lead to acute cardiopulmonary failure with global hypoperfusion and hypoxia. Therefore, awareness of and knowledge about the occurrence, clinical presentation and treatment are essential.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: o edema pulmonar é causado pelo acúmulo de líquido nos alvéolos e no interstício pulmonar. Edema pulmonar neurogênico é uma síndrome clínica caracterizada por edema pulmonar de início agudo após um acometimento súbito do sistema nervoso central. Pode ser uma consequência menos reconhecida de pressão intracraniana aumentada por causa da hidrocefalia obstrutiva por derivações ventriculares bloqueadas. Geralmente aparece em minutos ou horas após o insulto e tem uma alta taxa de mortalidade, caso não seja identificado e tratado adequadamente. RELATO DE CASO: relatamos o caso de paciente com hidrocefalia obstrutiva aguda por causa da disfunção da derivação ventrículo-atrial, programado para cirurgia em caráter de urgência para a colocação de derivação ventricular externa, que apresentou edema pulmonar neurogênico no pré-operatório. A paciente foi anestesiada e o tratamento de manutenção instituído. No fim do procedimento, a paciente não apresentou quaisquer sinais de distúrbio respiratório, pois a redução rápida da pressão intracraniana facilitou a regressão do edema pulmonar. CONCLUSÕES: este relato aborda a importância da identificação de um edema pulmonar neurogênico como uma possível complicação no período perioperatório resultante de um aumento da pressão intracraniana. Quando não identificado e tratado adequadamente, o edema pulmonar neurogênico pode levar à insuficiência cardiorrespiratória aguda, com hipoperfusão global e hipóxia. Portanto, a conscientização e o conhecimento de sua ocorrência, apresentação clínica e seu tratamento são essenciais. <![CDATA[Emprego de guia introdutor (bougie) artesanal para intubação em situação de emergência em pacientes que se apresentam com via aérea de difícil intubação: série de casos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200204&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The incidence of difficult airway reaches 10% of emergency intubations. Although few studies address the use of handmade introducer guides in emergency and intensive care environment, there are descriptions of handmade guides available on the Internet. We describe a case series on the use of a handmade introducer guide (bougie) for emergency intubation in patients with difficult airway. CASE REPORT: The handmade introducer guide was used in five consecutive patients with difficult airways, and clinical instability and in the absence of another immediate method to obtain an airway. This technique provided successful intubation and there were no complications. CONCLUSIONS: The use of the handmade introducer guide can be a useful option for the management of difficult airways.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A incidência de via aérea difícil chega a 10% das intubações de emergência. Ainda que poucos estudos abordem o emprego de guia introdutor artesanal no ambiente de emergência e terapia intensiva, há descrições de guias produzidas de forma artesanal disponíveis na internet. Nosso objetivo é descrever uma série de casos sobre o uso de um guia introdutor (Bougie) artesanal para intubação de emergência em pacientes com Via Aérea Difícil. RELATO DE CASO: O guia introdutor artesanal foi utilizado em cinco pacientes consecutivos com via aérea difícil, instabilidade clínica e falta de outro método imediato para a obtenção de uma via aérea. Essa técnica proporcionou sucesso na intubação e não houve complicações. CONCLUSÕES: A utilização do guia introdutor artesanal pode ser uma opção útil para o manejo de via aérea difícil. <![CDATA[Cateterização acidental do plexo venoso peridural: análise tomográfica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200208&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Inadvertent venous catheterizations occur in approximately 9% of lumbar epidural anesthetic procedures with catheter placement and, if not promptly recognized, can result in fatal consequences. The objective of this report is to describe a case of accidental catheterization of epidural venous plexus and its recording by computed tomography with contrast injection through the catheter. CASE REPORT: A female patient in her sixties, physical status II (ASA), underwent conventional cholecystectomy under balanced general anesthesia and an epidural with catheter for postoperative analgesia. During surgery, there was clinical suspicion of accidental catheterization of epidural venous plexus because of blood backflow through the catheter, confirmed by the administration of a test dose through the catheter. After the surgery, a CT scan was obtained after contrast injection through the catheter. Contrast was observed all the way from the skin to the azygos vein, passing through anterior and posterior epidural venous plexuses and intervertebral vein. CONCLUSION: It is possible to identify the actual placement of the epidural catheter, as well as to register an accidental catheterization of the epidural venous plexus, using computed tomography with contrast injection through the epidural catheter.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A cateterização venosa inadvertida ocorre em aproximadamente 9% das anestesias peridurais lombares com introdução de cateter e caso não seja prontamente reconhecida pode trazer consequências fatais. O objetivo deste relato é descrever um caso de cateterização acidental do plexo venoso peridural e o seu registro por tomografia computadorizada com injeção de contraste pelo cateter. RELATO DE CASO: Paciente feminina, sexagenária, estado físico II (ASA), submetida à colecistectomia convencional sob anestesia geral balanceada e peridural com cateter para analgesia pós-operatória. Durante cirurgia houve suspeição clínica de cateterização acidental do plexo venoso peridural, por refluxo de sangue pelo cateter, fato confirmado pela administração de dose-teste pelo cateter. Feita tomografia computadorizada com injeção de contraste pelo cateter, após o termino da cirurgia. Observado todo o trajeto do contraste desde a pele até a veia ázigo, passando pelo plexo venoso peridural anterior, posterior e veia intervertebral. CONCLUSÃO: É possível a identificação do real posicionamento do cateter peridural, bem como o registro da cateterização acidental do plexo venoso peridural, por meio de tomografia computadorizada com injeção de contraste pelo cateter peridural. <![CDATA[Sedação com dexmedetomidina para realização de eletroencefalograma em paciente portadora de síndrome de Angelmann: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200212&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT INTRODUCTION: Angelman syndrome is characterized by severe mental retardation and speech and seizure disorders. This rare genetic condition is associated with changes in GABAA receptor. Patients with Angelman syndrome need to be sedated during an electroencephalogram ordered for diagnostic purposes or evolutionary control. Dexmedetomidine, whose action is independent of GABA receptor, promotes a sleep similar to physiological sleep and can facilitate the performing of this examination in patients with Angelman syndrome. CASE REPORT: Female patient, 14 years old, with Angelman syndrome; electroencephalogram done under sedation with dexmedetomidine. The procedure was uneventful and bradycardia or respiratory depression was not recorded. The examination was successfully interpreted and epileptiform activity was not observed. CONCLUSION: Dexmedetomidine promoted satisfactory sedation, was well tolerated and enabled the interpretation of the electroencephalogram in a patient with Angelman syndrome and seizure disorder.<hr/>RESUMO INTRODUÇÃO: a síndrome de Angelman (SA) é caracterizada por retardo mental grave, distúrbio da fala e desordem convulsiva. Essa condição genética rara está associada a alterações do receptor GABA-A. Pacientes portadores de SA necessitam ser sedados durante a feitura de eletroencefalograma (EEG), indicado para fins diagnósticos ou controle evolutivo. A dexmedetomidina, cuja ação independe do receptor GABA, promove sono semelhante ao fisiológico e pode viabilizar a feitura desse exame em pacientes com SA. RELATO DE CASO: paciente feminina, 14 anos, portadora de SA, fez EEG sob sedação com dexmedetomidina. O procedimento transcorreu sem intercorrências e não foi registrada bradicardia ou depressão respiratória. O exame foi interpretado com sucesso e atividade epileptiforme não foi observada. CONCLUSÃO: a dexmedetomidina promoveu sedação satisfatória, foi bem tolerada e possibilitou a interpretação do EEG em paciente com SA e desordem convulsiva. <![CDATA[Manejo anestésico de grande massa mediastinal para a colocação de <strong><em>stent</em></strong> traqueal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200215&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The anesthetic management of patients with large mediastinal masses can be complicated due to the pressure effects of the mass on the airway or major vessels. We present the successful anesthetic management of a 64-year-old female with a large mediastinal mass that encroached on the great vessels and compressed the trachea. A tracheal stent was placed to relieve the tracheal compression under general anesthesia. Spontaneous ventilation was maintained during the perioperative period with the use of a classic laryngeal mask airway. We discuss the utility of laryngeal mask airway for anesthetic management of tracheal stenting in patients with mediastinal masses.<hr/>RESUMO O manejo anestésico de pacientes com grandes massas situadas no mediastino pode ser complicado por causa dos efeitos da pressão da massa sobre as vias aéreas ou grandes vasos. Relatamos o manejo anestésico bem-sucedido de uma paciente de 64 anos com uma grande massa mediastinal que invadiu os grandes vasos e comprimiu a traqueia. Um stent traqueal foi colocado para aliviar a compressão da traqueia, sob anestesia geral. A ventilação espontânea foi mantida durante o período perioperatório com o uso de uma máscara laríngea clássica. Discutimos a utilidade da máscara laríngea para o manejo da colocação de stent traqueal em pacientes com massas situadas no mediastino. <![CDATA[Ventilação controlada por pressão com I-gel em unidade de terapia intensiva: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200219&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The I-gel supraglottic airway has a non-inflatable cuff made from a gel-like thermoplastic elastomer. The use of the I-gel during anesthesia for spontaneously breathing patients or intermittent positive pressure ventilation has been reported. But there are a few published reports about the use of the I-gel with pressure-controlled ventilation. CONTENTS AND CONCLUSIONS: In this case report we described the use of the I-gel supraglottic airway along 48 h in intensive care unit for the management of ventilation in a patient needed mechanic ventilation but in whom tracheal intubation could not be performed.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O dispositivo supraglótico I-gel para o manejo das vias aéreas tem um manguito não insuflável feito de um elastômero termoplástico semelhante ao gel. Há relato sobre o uso do I-gel em pacientes sob anestesia para a ventilação, espontânea ou com pressão positiva intermitente. Porém, há poucos relatos publicados sobre o uso do I-gel com ventilação controlada por pressão. CONTEÚDO E CONCLUSÕES: Descrevemos neste relato de caso o uso do dispositivo supraglótico I-gel durante 48 horas em unidade de terapia intensiva para o manejo das vias aéreas em paciente que precisou de ventilação mecânica, mas no qual a intubação traqueal não pôde ser feita. <![CDATA[Comunicando potenciais conflitos de interesse]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-70942016000200222&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The I-gel supraglottic airway has a non-inflatable cuff made from a gel-like thermoplastic elastomer. The use of the I-gel during anesthesia for spontaneously breathing patients or intermittent positive pressure ventilation has been reported. But there are a few published reports about the use of the I-gel with pressure-controlled ventilation. CONTENTS AND CONCLUSIONS: In this case report we described the use of the I-gel supraglottic airway along 48 h in intensive care unit for the management of ventilation in a patient needed mechanic ventilation but in whom tracheal intubation could not be performed.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O dispositivo supraglótico I-gel para o manejo das vias aéreas tem um manguito não insuflável feito de um elastômero termoplástico semelhante ao gel. Há relato sobre o uso do I-gel em pacientes sob anestesia para a ventilação, espontânea ou com pressão positiva intermitente. Porém, há poucos relatos publicados sobre o uso do I-gel com ventilação controlada por pressão. CONTEÚDO E CONCLUSÕES: Descrevemos neste relato de caso o uso do dispositivo supraglótico I-gel durante 48 horas em unidade de terapia intensiva para o manejo das vias aéreas em paciente que precisou de ventilação mecânica, mas no qual a intubação traqueal não pôde ser feita.