Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Economia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0034-714020130004&lang=es vol. 67 num. 4 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Nota do Editor</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400001&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[<b>Opposite policy implications in the theory of money and banking</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400002&lng=es&nrm=iso&tlng=es The recent financial crisis creates a demand for welfare-based models of financial regulation and liquidity shortages. In this paper, we review policy implications from two cornerstone models and show that they imply different responses in terms of intertemporal returns of financial liabilities. In the first case, a version of the Cavalcanti and Wallace (1999), random-matching model, monitored agents are led to promote inflation in bank-issued money. In the second case, a sequential-service version of the Diamond and Dybvig (1983) model of bank runs with insolvency, increases in long-run returns can prevent bank runs by reducing the provision of liquidity.<hr/>A recente crise cria uma demanda por modelos de regulação e restrições de liquidez que sejam explícitos sobre efeitos de bem-estar. Neste artigo, nós revisamos as recomendações de política originárias em dois modelos canônicos, mostrando suas diferentes prescrições para taxas de intertem-porais de retorno financeiro. No primeiro, uma versão do modelo de en-contros aleatórios de Cavalcanti e Wallace (1999), agentes monitorados são levados a promover uma emissão inflacionária de moeda bancária. No segundo, uma versão sequencial do modelo de Diamond e Dybvig (1983) com insolvencia, aumentos nos retornos de longo prazo podem prevenir corridas bancárias através da contenção da liquidez. <![CDATA[<b>Financial stability and monetary policy -The case of Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400003&lng=es&nrm=iso&tlng=es This paper seeks to examine the effects of monetary policy over banks' loans growth and whether there is a bank lending channel operating in Brazil. Therefore, we employ a detailed high frequency panel data in which we include bank characteristics and ownership control. We contribute to the literature on bank lending channel by showing that during periods of loosening/tightening monetary policy, banks increase/decrease their loans. Additionally,our results illustrate that large, well-capitalized and liquid banks react differentially to the effects of monetary policy shocks. Finally, we show that the impact of monetary policy differs across state-owned, foreign and private domestic banks. These results are important for developing and conducting monetary policy.<hr/>Este artigo procura analisar os efeitos da política monetária sobre o crescimento dos empréstimos de bancários crescimento e se existe o canal de empréstimos em operação no Brasil. Para isso, nós empregamos um painel de dados de alta frequência que inclui características dos bancos e controle da propriedade. Assim, contribui para a literatura de canal de empréstimos bancários, mostrando que durante os períodos de afrouxamento/aperto da política monetaria os bancos aumentam/diminuem seus empréstimos. Adicionalmente, nossos resultados mostram que bancos grandes, bem capitalizados e líquidos reagem diferentemente aos efeitos dos choques de política monetária. Finalmente, mostra que o impacto da política monetária difere entre bancos com controle estatal, privado e estrangeiro. Estes resultados sáo importantes para o desenvolvimento e condução da política monetária. <![CDATA[<b>Just words?</b>: <b>A quantitative analysis of the communication of the Central Bank of Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400004&lng=es&nrm=iso&tlng=es We quantify the informational content of statements issued by the interest-rate setting committee of the Central Bank of Brazil (COPOM), building on the methodology developed by Lucca and Trebbi (2011). Using Google search queries, we measure the extent to which each CO-POM statement is perceived to be associated with more "hawkish" or "dovish" language. This allows us to construct a time-series of the informational content of COPOM statements, which we then use in regressions to explain changes in the term-structure of interest rates around COPOM meetings - together with a market-based measure of interest-rate surprises. We find that, during Governor Tombini's tenure, interest-rate surprises started to be "passed through" one-to-one (or more) even at long maturities, as markets seem to have bought into the idea that the interest-rate cuts that began in mid-2011 would lead to lower yields in Brazil into the foreseeable future. Most importantly, changes in the informational content of COPOM statements seem to have meaningful effects on yields at short-to-medium maturities. However, this result only holds for the period prior to Tombini's tenure.<hr/>Neste artigo nós quantificamos o conteúdo informacional dos comunicados do Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM), com base na metodologia desenvolvida por Lucca and Trebbi (2011). Por meio de buscas no Google, medimos em que grau cada comunicado do COPOM está associado a uma linguagem mais indicativa de política monetária apertada ou frouxa. Isto nos permite construir uma série de tempo do conteúdo informacional dos comunicados do COPOM, a qual usamos em regressões que visam explicar mudanças na estrutura a termo das taxas de juros após reuniões do COPOM -juntamente com uma medida de surpresas de taxa de juros extraída dos preços de ativos financeiros. Nossos resultados indicam que, durante a gestão do Presidente Tombini, surpresas de juros passaram a ser integralmente incorporadas até mesmo nas taxas de juros de longo prazo. Isto sugere que os participantes dos mercados financeiros podem terse convencido, ainda que temporariamente, que os cortes de juros iniciados em meados de 2011 produziriam taxas de juros mais baixas por um longo período de tempo. Além disso, nosso resultado central sugere que o conteúdo informacional dos comunicados do COPOM tem efeitos significativos sobre taxas de juros de curto e médio prazos. Entretanto, este resultado só se aplica ao período anterior à gestão do Presidente Tombini. <![CDATA[<b>O crédito imobiliário no Brasil e sua relação com a política monetária</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400005&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este estudo tem como objetivo analisar os determinantes da demanda por crédito imobiliário no Brasil assim como verificar o efeito dinâmico que um choque de política monetária sobre este. Com base no modelo com mudança de regime tipo Markov Switching, estimamos tal função de demanda usando dados mensais agregados de jan/03 a set/12. Os resultados acenam para o fato de que a demanda por hipoteca tem estado sujeita a ciclos de retração e expansão desde 2003. Um deles ligado à fase recessiva sendo que os outros dois estão ligados à fase expansiva do ciclo de crédito. O ciclo de expansão tem início ao final de 2005 é marcado pela alternância de dois regimes distintos. O regime que se concentra entre final de 2005 até inicio de 2009 foi impulsionado por fatores pró-mercado decorrentes das mudanças na legislação, crescimento da economia, aumento da renda real, etc. A partir de 2009, a situação se altera, passando a prevalecer um regime onde a expansão do crédito é mais motivada por ações de medidas anticíclicas adotadas pelo governo federal com intuito de mitigar os efeitos da crise de 2007-2008. A fase recessiva do ciclo de crédito ligada a um único regime que vai desde o início do período estudado até 2005 e retorna por volta de março de 2012 quando a série de concessões de crédito parece entrar em desaceleração. Aplica-se ainda o modelo vetor autorregressivo estrutural (SVAR) - structural vector autoregression - para avaliar o efeito de um choque de política monetária sobre a demanda por hipoteca. De acordo com os resultados, um choque contracionista produz o efeito negativo sobre importantes variáveis ligadas ao setor imobiliário. Observa-se queda acentuada e contínua da demanda por financiamento, do preço dos imóveis, do produto da construção civil assim como aumento da inadimplência.<hr/>This study aims to analyze the determinants of demand for mortgages in Brazil as well as the effect of a restrictive monetary shock on real estate. Based on the Markov Switching model, we estimate the demand for mortgage using aggregate monthly data from Jan/03 to Sept 12. The results show that this variable has been subject to cycles ofcontraction and expansion since 2003. The boom starts at the end of 2005 is marked by the alternation of two distinct regimes. The first one that concentrates between late 2005 until early 2009 seems ro be driven by factors pro-market resulting from changes in legislation, economic growth, rising in real income, etc. The situation changes at the beginning of 2009 when the condition of the demand for mortgage is mainly motivated by countercyclical measures adopted by the federal government with the aim of mitigating the effects of the world economic crisis of 2007-2008. The recessive phase of the credit cycle is linked to a single regime that extends until 2005 returning around March 2012 when the series of credit seems to slow down. We also applied the structural VAR model with the purpose of evaluating the effect of a monetary policy shock on the demand mortgage. According to the results, a contractionary shock produces a negative effect on real estate. We note a continuous and sharp decline in mortgage demand, price home, industrial output construction as well as rising on defaults. <![CDATA[<b>Um Termômetro para as Macro-Prudenciais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400006&lng=es&nrm=iso&tlng=es Desenvolvemos um modelo com fricções no crédito tanto para firmas como famílias. Crédito às firmas é tratado como nos modelos de acelerador financeiro (e.g. Bernanke e Gilchrist (1999)). Os juros sobre os recursos emprestados às famílias dependem de seu endividamento, como em Curdia e Woodford (2010). O modelo é estimado para o Brasil, utilizado para estudar os episódios de desaceleração, e para a extração dos prêmios de financiamento (destilados a partir de dados não financeiros), os quais são comparados com informações sobre crédito às pessoas físicas e jurídicas. Dessa forma, o obtém-se um termômetro para mensurar como medidas prudenciais sobre o crédito afetam atividade e inflação.<hr/>We write model that considers both households' and firms' credit frictions. Firms' credit is modeled by the traditional financial accelerator à la Bernanke e Gilchrist (1999). Households that borrow funds face interest rates that increase with their debt, as in Curdia and Woodford (2010). We estimate the model using Brazilian data, use it to study recent crisis episodes, and validate the finance premia (distilled from non-financial data) with available credit information. We then propose that the model can be used as a termometer to evaluate how prudential credit measures affect growth and inflation. <![CDATA[<b>An evaluation of the tolerant to higher inflation rate in the short run by the Brazilian Central Bank in the period 2001-2012</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400007&lng=es&nrm=iso&tlng=es This article investigates the degree of tolerance to higher inflation rates in the short run by the presidents of the Brazilian Central Bank in the period 2001-2012. We used monthly data and various specifications and estimates of the Taylor rule via GMM. In general, the results show the following empirical evidences: i) the mandate of Henrique Meirelles was less tolerant to higher inflation rates when comparing with the mandate of Armínio Fraga and ii) the Alexandre Tombini's administration is more tolerant to higher inflation rate in the short run than Armínio Fraga's.<hr/>Este artigo analisa o grau de tolerância a elevadas taxas de inflação de curto prazo pelos presidentes do Banco Central no período de 2001 a 2012. Foram usados dados mensais e várias especificações e estimativas da regra de Taylor via GMM. Em geral, os resultados mostram as seguintes evidências empíricas: i) o mandato de Henrique Meirelles foi menos tolerante a taxas de inflação mais elevadas do que o mandato de Armínio Fraga e ii) a administração de Alexandre Tombini é mais tolerante a taxas de inflação mais elevadas no curto prazo do que a de Armínio Fraga. <![CDATA[<b>Política monetária em tempos de crise</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400008&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo busca investigar como crises causadas por choques externos, como sudden-stops e choques nos termos de troca, afetaram a economia brasileira. Para tanto propomos um modelo teórico simples de cash-in-advance com fricções financeiras de forma que choques de liquidez causam mudanças na alocação dos fatores de produção e na produtividade da economia. Em seguida, o modelo é estimado para a economia brasileira e as implicações para política monetária são analisadas.<hr/>This paper investigates how external shocks (such as sudden-stops and shocks in terms of trade) affected the Brazilian economy. Therefore we propose a simple theoretical model of cash-in-advance with financial frictions. The model is estimated for the Brazilian economy and the implications for monetary policy are analyzed. <![CDATA[<b>Inflação, desemprego e choques cambiais</b>: <b>uma revisão da literatura sobre a curva de phillips no Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71402013000400009&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo faz uma ampla revisão da literatura sobre a curva de Phillips no Brasil. De maneira geral, os resultados descritos na literatura nacional se mostraram muito sensíveis ao período analisado, ao conjunto de proxies adotadas, ao instrumental econométrico empregado, e a frequência e ao número de defasagens permitidas para as variáveis. Tais resultados lançam dúvidas sobre a adequação da curva de Phillips para descrever a dinâmica inflacionária da economia brasileira.<hr/>This article summarizes the studies about the Phillips curve in the Brazilian economy. Overall, the results are very sensitive to the time period, to the proxies adopted, to the econometric approach, and to the frequency and lags allowed to the variables. These results cast some doubt about the ability of the Phillips curve to describe the dynamics of inflation in the Brazilian economy.