Scielo RSS <![CDATA[Revista de Antropologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0034-770120070001&lang=es vol. 50 num. 1 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>A origem do homem americano vista a partir da América do Sul</b>: <b>uma ou duas migrações?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100001&lng=es&nrm=iso&tlng=es Até meados da década de 1990, predominava na literatura especializada que o Novo Mundo teria sido colonizado por três levas distintas, todas com origem no nordeste asiático. Na segunda metade da década, dois modelos alternativos começaram a desfrutar de grande popularidade entre a comunidade acadêmica internacional. O primeiro deles, denominado "Modelo dos Dois Componentes Biológicos Principais", baseado na variabilidade craniométrica de populações nativas americanas extintas, sugere que a América teria sido colonizada por pelo menos duas populações morfologicamente distintas vindas do nordeste asiático. O segundo, gerado por pesquisas sobre a variabilidade do DNA mitocondrial e do cromossomo Y de populações indígenas atuais, defende que o continente americano teria sido colonizado por apenas uma migração, também de origem asiática. Alguns especialistas acreditam que a compatibilização desses dois modelos é simples: as duas morfologias que se sucederam no tempo no Novo Mundo são resultado de um processo microevolutivo local, independente daquele que ocorreu, em paralelo, na Ásia. Uma outra maneira de compatibilizar os dois cenários é assumir que morfologia craniana e linhagens de DNA são entidades evolutivamente independentes, com histórias, modos, tempos e tendências próprias. Este trabalho apresenta novas evidências de que dois padrões morfológicos cranianos de fato se sucederam no Novo Mundo. Um relacionado às populações mais antigas (paleoíndias) e um relacionado a populações arcaicas e agrocerâmicas. Esses resultados são analisados à luz da discussão acima caracterizada.<hr/>Until mid 1990s the prevailing model to explain the early colonization of the Americas rested on the assumption that three different migrations were involved in the process. The first migration would have given rise to most of the modern Native Americans, and is known as "Amerind"; the second migration would have given rise only to the Na-Dene Indians of the northern pacific; while the third would have given rise to the Eskimos and Aleuts. Known as the Three Migrations Model, the model was said to rest on convergent evidences coming from dental morphology, linguistics and the gene pool of living Native Americans. By the time the model was formulated, genetic diversity of living humans was studied by means of gene products, like serum proteins, and not by means of DNA itself. From mid 1990s on, two other models to explain the origin of Native Americans started competing with the Three Migration Model. They are known today as The Two Main Biological Components Model, and The Single Migration Model. The first one rests on the analysis of the cranial morphology of extinct and extant Native Americans along time, while the second has emerged from the study of DNA polymorphisms of living populations, mainly from mitochondrial and Y chromosome DNA sequencing. In other words, evidence coming from cranial morphology and its variation along time sustains that two Northern Asian populations entered the continent: the first one exhibiting a more generalized cranial pattern, and a second one exhibiting a more specialized architecture. On the other hand, the distribution of DNA haplogroups in modern Native American populations is easily explained by the entrance of only one mother population from Northern Asia. In this study we present new evidence that two very distinct cranial morphologies are indeed found among extinct Native Americans along time: a more generalized cranial pattern typifying the first newcomers, known in the literature as Paleoindians (12 to 8 thousand years ago), and a more specialized pattern typifying latter groups, since the Archaic period (<8 thousand years). Although exceptions to this temporal logic have already been found, the chronology proposed seems to work in the vast majority of the American continent. The results obtained are discussed under the light of those generated by Molecular Biology of extant Native Americans. <![CDATA[<b>Gêneses waiãpi, entre diversos e diferentes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100002&lng=es&nrm=iso&tlng=es A partir da releitura de registros realizados com os Wajãpi do Amapá em diferentes situações de interlocução, o artigo procura compreender a construção das diferenças a partir dos modelos nativos sobre a humanidade. As reflexões indígenas e seu manejo de marcadores de distância social são abordados enquanto "etnogênesis", no plural, enquanto processos que não se limitam à construção de identidades no confronto colonial, mas se transformam dinamicamente nos contextos de redes de relações.<hr/>Based on the revision of material registered with the Wajãpi of Amapá in different situations of interlocution, this article seeks to comprehend the construction of differences based on the native models concerning humanity. The indigenous reflections and their use of social distance markers are treated as "ethno gênesis", in the plural. In these cases, such processes are not limited to the construction of identities in the colonial encounter, but are dynamically transformed in the contexts of social networks. <![CDATA[<b>Islã, transe e liminaridade</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100003&lng=es&nrm=iso&tlng=es As confrarias sufistas, com sede em Zanzibar e Comores, foram, a partir do final do século XIX, a principal porta de entrada para o Islã no norte de Moçambique. Este artigo analisa uma das confrarias mais desconhecidas do país e cujas práticas, aos olhos dos porta-vozes "reconhecidos" do Islã, não respondem, supostamente, aos ensinamentos de Maomé: transe, êxtase, faquirismo, celebração do Maulide (aniversário do profeta), danças, cânticos. Por meio de uma pesquisa de campo realizada em Nampula e na Ilha de Moçambique, e utilizando algumas ferramentas conceituais fornecidas por Victor Turner, Louis Dumont e Mary Douglas, o trabalho versa sobre alguns tópicos recorrentes da teoria do ritual, questionando, nesse sentido, as análises centradas na teoria da "marginalidade". Ao mesmo tempo, a problemática está situada no contexto das conseqüências das políticas assimilacionistas implementadas pela administração colonial, com o objetivo de "aportuguesar" os muçulmanos africanos.<hr/>The Sufi Brotherhoods - based in Zanzibar and the Comoro Islands - since the end of the XIX century have been the most effective gateway for the entry of Islam into the northern part of Mozambique. This article will analyze one of the country's least-known brotherhoods whose practices, in the eyes of the "recognized" spokesmen for Islam, supposedly do not correspond to the teachings of Mohammed: trance, ecstasy, fakir lifestyle, commemoration of Maulide (birthday of the Prophet), dancing, chanting. By means of field research carried out in Nampula and on the Island of Mozambique, making use of some conceptual tools furnished by Victor Turner, Louis Dumont and Mary Douglas, the work will reflect on some recurring topics of ritual theory, questioning, in this connection, analyses focused on the theory of "marginality". At the same time, the problem is placed in the context of the consequences of the assimilation policies implemented by the colonial administration in order to make the African Moslems more "Portuguese". <![CDATA[<b>Comida de gente</b>: <b>preferências e tabus alimentares entre os ribeirinhos do Médio Rio Negro (Amazonas, Brasil)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100004&lng=es&nrm=iso&tlng=es No presente artigo, analiso os aspectos relacionados às escolhas e aversões alimentares entre as populações ribeirinhas assentadas no Rio Negro (Amazonas, Brasil). Foram entrevistadas 104 pessoas (57 homens e 47 mulheres) e observadas as práticas cotidianas quanto às preferências e restrições alimentares em 47 unidades domésticas. As escolhas alimentares são influenciadas por preferências individuais, fatores ecológicos, econômicos, sociais e culturais. Com relação ao sistema de tabus alimentares, os animais com caracteres híbridos ou difíceis de serem categorizados, como os peixes lisos e os animais de dieta generalista, são sujeitos a tabus. A sobreposição entre as diferentes correntes teóricas é utilizada para interpretar as variações estabelecidas entre as preferências e os tabus alimentares no Rio Negro.<hr/>At present article, I analyze the aspects related to choices and food taboos among riverine populations settled in the Rio Negro (Amazonas, Brazil). It was interviewed 104 people (57 men and 47 women) and it was observed 47 domestic units the everyday practices regarding preferences and food restrictions. The food choices are influenced by individual preferences, ecological, economic, social and cultural factors. Concerning the food taboo system, animals with hybrid characters or difficult to categorized, such as scaless fishes and omnivorous animals, are subject of taboos. The overlap among different theoretical chains is used to interpret the variations established among preferences and food taboos in the Rio Negro. <![CDATA[<b>Gioconda Mussolini</b>: <b>uma travessia bibliográfica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100005&lng=es&nrm=iso&tlng=es Com este trabalho, dou continuidade à divulgação dos resultados de uma pesquisa voltada para a reconstrução da trajetória intelectual da professora Gioconda Mussolini, pioneira no ensino de antropologia na Faculdade de Filosofia da USP, entre 1944 e 1969. Nesta etapa, resenho a sua produção mais significativa: seis artigos e a co-autoria de um livro, textos dedicados a vários aspectos da vida cultural e social de populações de pescadores do litoral do estado de São Paulo, produzidos entre 1944 e 1961 e fruto de intensas e numerosas pesquisas de campo. O objetivo da análise é mostrar como o conjunto das atitudes metodológicas que se revelam na formulação dos textos remete para uma superação crítica dos "estudos de comunidade", no contexto dos quais Gioconda havia se formado, tanto como aluna da USP e da Escola Livre de Sociologia e Política quanto como colega e colaboradora de representantes dessa vertente (Donald Pierson, Emilio Willems e Egon Schaden, entre outros); e que, nesse sentido, ela se aproxima mais das perspectivas de outros colegas seus, como Antonio Candido e Florestan Fernandes. Finalmente, aponto os primeiros elementos que permitem ligar a sua produção aos rumos sucessivos do campo da etno-antropologia da pesca no Brasil.<hr/>In this paper, I present a few more results from a research work aimed at reconstructing the intellectual trajectory of Professor Gioconda Mussolini, a pioneer in the teaching of anthropology at USP's School of Philosophy, from 1944 to 1969. Here, I review her most representative production: six articles and a co-authored book, texts on several aspects of the cultural and social life of fishing populations on the coast of São Paulo State, produced between 1944 and 1961, as a result of numerous, intensive field research studies. The object of this analysis is to show how the set of methodological attitudes revealed in the formulation of the texts leads to a critical overcoming of "community studies," in whose context Gioconda had graduated, both as a student at USP and the Free School on Sociology and Politics, and as a colleague and coworker of representatives of this school (Donald Pierson, Emilio Willems, and Egon Schaden, among others). In this aspect, she shares, to a certain extent, her colleagues' view, such as those of Antonio Candido and Florestan Fernandes. Lastly, I point out the first elements which enable connecting her production to the successive paths in the field of ethno-anthropology of fishing in Brazil. <![CDATA[<b>Ser adulta e pesquisar crianças</b>: <b>explorando possibilidades metodológicas na pesquisa antropológica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100006&lng=es&nrm=iso&tlng=es Neste artigo, apresento e discuto os vários métodos e técnicas de pesquisa utilizados na confecção de minha tese de doutorado: observação participante, desenhos, redações, filmagem, diários, fotografias, cartas, entrevistas com crianças, programas de rádio. Há um destaque para as redações, os desenhos e a observação participante, na medida em que esses foram os instrumentos mais frutíferos para se trabalhar o tema da relação entre religião e crianças.<hr/>The paper discusses methods and techniques of research used to study children from the perspective of anthropology. It is based on my own fieldwork experience, focuses on the relation between religion and children. <![CDATA[<b>A música do ponto de vista do nativo</b>: <b>um ensaio bibliográfico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100007&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo busca caracterizar as diferentes posições que a musicologia comparada, na primeira metade do século XX, e a etnomusicologia, sua herdeira na segunda metade do século, desenvolveram a respeito do pensamento sobre a música nas culturas que estudaram. Se, em um primeiro momento, a percepção da (in)existência desse pensamento esteve marcada pela oposição à teoria musical ocidental, o reconhecimento da diversidade de seu conteúdo e, depois, de sua forma foi gradualmente conquistando a disciplina. A tal ponto que hoje se pode perguntar, dialeticamente, se, para além da diversidade do pensamento sobre a música, não há uma unidade do pensamento musical como modalidade cognitiva característica da espécie.<hr/>This article seeks to characterize the different outlooks which comparative musicology, in the first half of the 20th century, and ethnomusicology, its heir in the second half of the century, have evolved concerning the thinking about music in the cultures they have studied. If the perception of the (non-)existence of this thinking was initially marked by the opposition to Western music theory, an acknowledgement of the diversity of its content and, thereafter, of its form, was gradually to dominate this field of study. So much so, in fact, that one might today dialectically inquire whether, over and above the diversity in the thinking about music, there would be some sort of unity in musical thinking as a cognitive modality typical of the human species. <![CDATA[<b>Quando se canta o conflito</b>: <b>contribuições para a análise de desafios cantados</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100008&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este texto apresenta reflexões sobre o cururu, tipo de desafio cantado, praticado no interior de São Paulo. Partindo da transcrição de um desses conflitos poéticos, procura-se apontar aspectos da estrutura e performance do cururu enquanto embate entre dois cantadores que buscam se sobrepor por meio da palavra cantada. Ao mesmo tempo, observa-se como o cururu constitui uma atualização particular de um fenômeno social mais amplo: a troca. A partir daí, é possível pensar suas particularidades em relação a outras formas de desafios cantados, iluminando tanto o cururu quanto estes últimos.<hr/>This text makes an analisis about the cururu, a kind of singing challenge typical from countryside of state of São Paulo, Brazil. Making a transcription of these challenges, it tries to point for questions about cururu's structure and performance, seen like a struggle between two singers that fight using singing words. At the same time, it sees like the cururu is a local updating of a social fact: the exchange. For this, it is possible to think about its characteristics in relationship with other kinds of singing challenges and making points about these social facts. <![CDATA[<b>Um sobrevôo no "Caso Marie Curie"</b>: <b>um experimento de antropologia, gênero e ciência</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100009&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity. <![CDATA[<b>Por que canta Anthony Seeger?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100010&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity. <![CDATA[A fluidez da forma: arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica (Kaxinawa, Acre)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100011&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity. <![CDATA[Corações de Chocolat: a história da Companhia Negra de Revistas (1926-27)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100012&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity. <![CDATA[La sammaritaine noire: les églises spirituelles noires Américaines de la Nouvelle-Orleans]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100013&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity. <![CDATA[Un arte delicado: <i> </i>relaciones entre el parentesco, el conflicto y el acontecimiento entre los wichí del Chaco Central]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012007000100014&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo visa fazer uma releitura do "Caso Marie Curie" sob o signo do acontecimento. O intuito, assim, é explorar relações constituintes da controvérsia que se desdobrou no prêmio Nobel de 1903, que laureou a descoberta da radioatividade e de elementos radioativos. A porta de entrada, para tal empreitada, serão as mediações entre as relações de gênero e os não-humanos mobilizados nos laboratórios. Baseado nessas mediações, descrevo a diferença de possibilidades masculino/feminina em fazer-existir a Natureza em relação ao poder que a definição de gênero dá a uns em detrimento de outros, mas também como ao fazer-existir a radioatividade constituiu-se um devir, que fez essa relação gaguejar, mudando-a de sentido. O "Caso Marie Curie" torna imediatamente inseparável dois domínios: tanto o envolvimento das relações de gênero na produção científica quanto o envolvimento da ciência nas relações de gênero. Esse acontecimento ressoa para abordagens antropológicas e feministas da ciência. Assim, coloco-as em discussão na medida em que as relações de poder fizeram-me respeitar o devir que o ofício da cientista pôs em cena: a radioatividade.<hr/>The present article aims to make a new reading of the "Marie Curie Case" under the sign of the event. The intention, thus, is to explore relations constituent of the controversy that if Nobel of 1903 unfolded in the prize, that she honoured the discovery of the radioactivity and radioactive elements. The starting point, for such taken over on a contract basis, will be the mediations between the relations of gender and the not-human beings mobilized in the laboratories. To leave of these mediations I describe the male/female difference of possibilities in also make-existing the Nature in relation to the power that the gender definition gives to ones in detriment of others, but as when make-existing the radioactivity consisted to "devir" that it made this relation to stutter, changing it of direction. "Marie Curie Case" it becomes non-separable two domains immediately: as much the involvement of the relations of gender in the scientific production, how much the involvement of science in the gender relations. This event resounds for anthropological and feminists approaches of science, thus, I place them in quarrel in the measure where the relations of being able had made me to respect the devir that the craft of the scientist put in scene: the radioactivity.