Scielo RSS <![CDATA[Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0037-868219720005&lang=en vol. 6 num. 5 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>A entomoftorose nasal</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en São apresentados os dados clínico-patológicos de dois casos de entomoftorose nasal, nova doença humana causada por um ficomiceto - Entomophthora coronata. Os pacientes, uma menina e um homem, com 8 e 44 anos de idade respectivamente, apresentaram doença localizada, com nódulos no nariz e região paranasal, edema e deformação da face. O parasito foi isolado do primeiro caso, mas todas as tentativas para isolá-lo no segundo caso resultaram negativas. Histologicamente, havia reação granulomatosa, fibrose e edema, em torno de hifas não septadas, as quais exibiam envólucro eosinófilo amorfo em torno. Foram demonstrados anticorpos circulantes contra, as hifas do E. coronata no soro de um dos pacientes. O material eosinófilo em torno das hifas continha fibrina e material auto-fluorescente sob luz ultra-violeta, provavelmente lipofuscina, mas não foram demonstrados anticorpos ou antígenos nesta área. A apresentação destes casos, os primeiros a serem descritos no Brasil, é acompanhado, de uma revisão geral do assunto, pois tal poderá vir a ser de interesse para aqueles que estudam os problemas da patologia tropical em nosso meio.<hr/>Two cases of rhino-entomophthora-mycosis, a new human disease caused by a phycomycete Entomophthora coronata, are presented. The patients, a girl and a man aged 8 an 44 years respectively, showed a localized disease involving the nose and paranasal areas. The parasite was easily isolated from the first patient but every attempt to cultivate the organisms from the second resulted unsuccessful. Histologically, there were granulomatous formations, fibrosis and edema, around nonseptated hyphae, which appeared surrounded by an amorphous eosinophylic material. Antibodies binding specifically to the hyphae were, demonstrated in one patient's serum. The eosinophylic material around the hyphae contained fibrin and a yellowish autofluorescent component, probably hypofuscin, but neither antibodies, nor antigens could be demonstrated in it. The presentation of the cases is followed by n. general review on rhino-entomophtroro-mycosis, since, that disease may be fo importance to doctors working in Brasil, a tropical country. <![CDATA[<b>O problema da hemossiderose pulmonar na doença de Chagas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os autores estudaram a existência de hemosiderose pulmonar em 60 casou de autopsia, 20 dos quais chagásicos crônicos com cardiopatia, 20 pacientes com cardiopatia não chagásica e 20 casos sem nenhuma manifestação de doença cardíaca. A incidência de hemossiderose pulmonar foi de 75% entre os chagásicos e de 80% entre os pacientes de cardiopatia não chagásica. Nos casos controle sem cardiopatia a incidência foi relativamente baixa (45%) e, guando presente, o grau de intensidade era mínimo. Com esses achados, conclui-se que a hemossiderose pulmonar na Doença de Chagas é uma conseqüência da congestão crônica passiva, resultante da insuficiência cardíaca congestiva, do mesmo modo que ocorre em outras condições mórbidas tais como Estenose mitral e Cor-pulmonar crônico, não havendo evidências de uma pneumopatia peculiar em chagásicos.<hr/>Pulmonary hemosiderosis was investigated on sixty necropsied cases, 20 of them of Chagas' myocarditis, 20 of non chagasic cardiopathies and 20 of subjects with no history of cardiac failure. The incidence of hemosiderosis was 759: among the cases of Chagas' myocarditis, 80% in the other cardiopathies and 45% in people without cardiac disease. The amount of iron in the lung tissue (Pearls' and Tirmann - Schmelzers' reactions) was usually moderate to mild in all cases. It is concluded that pulmonary hemosiderosis in Chagas' disease seems to result from passive congestion and does not represent a peculiar feature of that disease as has been claimed by others. <![CDATA[<b>Primeiros casos autóctones de esquistossomose mansônica na área da Grande Vitória</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor, realizando exames coproscópicos em 202 crianças cujas idades variaram de 1 a 12 anos, autóctones da região, evidenciou a presença de três casos positivos para ovos de S. mansoni; inquéritos malacológicos estão sendo realizados em Vitória, sendo encontrados cercárias de S. mansoni.<hr/>The author points ont the existence of authocthonous cases of schistosomiasis in Vitoria, Espirito Santo. Snails infected with S. mansoni cercariae were found as well. <![CDATA[<b>Prevalência de helmintos em escolares de 7-14 anos na cidade de Salvador</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor apresenta os resultados obtidos na pesquisa de ovos de helmintos, em uma única amostra de fezes coletadas de 1537 escolares, na faixa etária de 7-14 anos, de Escolas Públicas Municipais localizadas em toda a zona urbana de Salvador, utilizando o método de Kato. De um modo geral, os índices encontrados foram bastante elevados, sobretudo em relação ao Trichocephalus trichiurus, alcançando 100% de positivos em deis sub-distritos (Mares e Pilar) e Ascaris lumbricoides, com um percentual máximo de 89,3%. de positivos em São Caetano. Relativamente ao sexo oi percentuais obtidos para Trichocephalus trichiurus, Ascaris lumbricoides e Enterobius vermicularis foram mais altos no sexo feminino, diferindo dos índices de Ancilostomídeos e principalmente, Schistosoma mansoni, os quais foram superiores nos escolares do sexo masculino.<hr/>The author shoivs the results obtained during a intestinal helminths survey in children of 7-14 years old who attend Public Scools in the urban area of the city of Salvador. For the fecal examinations was used Kato's technique. The prevalence of the intestinal worms was very high: A. lumbricoides, 76,5%, T. trichiurus 97,8%, S. mansoni 3,5%, hookworms 36,2% and E. vermicularis 1,0%. The Kato's technique showed to be an excellent method for intestinal worms diagnosis, except, as expected, for E. vermicularis and Strongyloides stercoralis. <![CDATA[<b>Fauna <em>Triatominae</em> no Estado da Bahia, Brasil</b>: <b> as espécies e distribuição geográfica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este é a primeira de uma série de publicações sobre os triatomíneos do Estado da Bahia, com base nos dados obtidos na inspeção de 889.972 domicílios de 11.045 localidades do Estado, nos anos de 1957 a 1971, quando se coletaram 33.588 exemplares do hemíptero. Foram identificadas 18 espécies pertencentes a 4 gêneros, conforme a seguir e relatado. Triatoma rubrovária, referida em antiga citação, não mais ocorre no Estado. Triatoma bahiensis perdeu sua validade específica, sendo considerada apenas urna variedade de T. pessoal. Existem também variedades de outras espécies, as quais serão estudadas com mais detalhes noutros trabalhes futuros. Panstrongylus megistus é principalmente abundante na faixa litorânea do Estado, com florestas latifoleadas, onde as condições de umidade são elevadas e oclima, é tropical quente e úmido. É a espécie considerada de maior importância na transmissão da Doença de Chagas na Bahia. T. brasiliensis foi encontrada comumente nas áreas de clima estépico com vegetação xerófila. A sua presença em áreas de clima, tropical quente e úmido, foi traduzida como sendo uma variedade da espécie. O seu encontro em áreas de florestas latifoleadas úmidas com clima de selvas, foi aceito como devido, possivelmente, ao transporte mecânico. Verificou-se que T. infestans, antes limitada ao paralelo 16° nos climas mesotérmicos está se disseminando, provavelmente por ação mecânica para áreas possuidoras de características climáticas diversas. T. sórdida foi encontrada somente nas áreas de clima seco seguindo de uma maneira geral o curso dos rios. T. rubrofasciata permaneceu com sua distribuição limitada a duas cidades coloniais na zona litorânea, rarefazendo-se nestes últimos anos, provavelmente devido a higienização por que passam os locais de sua antiga penetração. O gênero Rhodnius que é representado pelo R. negletus, constou de um só exemplar coletado num domicílio, em zona de clima, estéptico com vegetação xerófila. Do género Psamolestes, foi considerada como a única espécie ocorrente o F. tertius. Esta espécie está disseminada por todo o Estado, dependendo provavelmente a sua distribuição da dos ninhos das aves nos quais colonizam. As seguintes espécies também ocorrem, porém em menor densidade, às vezes sendo representadas por achados fortuitos, e tem limitadas áreas de distribuição no Estado: P. diasi. P. geniculatus, P. lutzi, T. costalimai, T. lenti, T maculata, T. melanocephala, P. pessoai, T. petrochii e T. tíbíamacuiata.<hr/>This is the first of a series on the Triatominae (Hemiptera. Reduviidae) of the State of Bahia, Brazil. Surveys were made, of 889,972 dwellings in 11,04s localities of the State and 33,588 bugs were collected. Four genera and eighteen species of Triatominae were identified, as follows. Triatoma bahiensis Sherlock & Serafim, 1967 is here considered to be a synonym of subspecies of T. pessoai Sherlock & Serafim, 1967. Other subspecies or races of other Triatominae have been encountered in Bahia and will be considered fully elsewhere. Panstrongylus megistus (Burmeister, 1835) is more abundant in the littoral areas with tropical climate, high humidity and broad-leaved forest vegetation. P. megistus is considered to be the most important vector of Chagas Disease in the State of Bahia. T. brasiliensis Neiva, 1911 is principally found in areas with an arid climate and xerophilic vegetation. It was also found in some areas with tropical humid climate, where it maybe a different race. Some specimens were also caught in areas with a cooler climate and vegetation of moist broad-leaved forest. The spread of T. brasiliensis to this area is considered to be due to human agency. T. iniestans Klug, 1834, once limited in Brazil to temperate areas south of the 16th parallel, has been spreading northward through areas with diverse climate characteristics, possibly due to accidental means. T. sordida (Stal, 1859) was found to have a riverain distribution in areas with dry climate. T. rubrofasciata (e Geer. 1773) is limited to two old colonial ports in the State. Years ago it was quite abundant in these places. Improvements in sanitary conditions in recent years probagly account for the present scarcity of ihis species in both localities. The following species were found in small numbers and in limited areas: P. diasi (Pinto & Lent), P. geniculatus (Latreille), P. lutzi (Neiva & Lent), T. costalimai Verano & Galvao, T. lenti Sherlock & Serafim, T. maculata Erickson, T. melanocephala Neiva & Pinto, T. pessoai Sherlock & Serafim. T. petrochii Pinto & Barreto, and T. tibiamaculata Pinto. A single specimen of Rhodnius neglectus Lent, 1940 was caught, for the first time, in a house in a dry area of the northwest part of the State. Of the genus Psamolestes, only P. tertius Lent & Juberg, 1965 was found all over the State. This species was restricted to suitable bird nests, which are its normal habitat. <![CDATA[<b>Fase aguda da esquistossomose mansoni</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821972000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O A. faz um estudo panorâmico sobre a fase aguda da esquistossomose mansoni, abordando o quadro clínico e seu diagnóstico, os exames subsidiários, o diagnóstico diferencial, a terapêutica e os aspectos evolutivos. As manifestações clinicas dos períodos de incubação, de estado e de supressão são abordados. O diagnóstico da fase aguda é baseado em dado epidemiológico, 110 exame fisico e em exames subsidiários. O dado epidemiológico. em geral, é positivo, com menção a banho infectante, comumente 30 a 40 dias antes do início do quadro clínico e ao exame físico, encontramos hipertermia (38 - 4G°C), prostração, micropoliadenia hepatomegalia dolorosa em 95%, dos casos e esplenomegalia em 70% dos casos. Os exames prioritários para o diagnóstico são o exame parasiiológico de fezes seriado, que é positivo para ovos viáveis de S. mansoni e o leucograma seriado, que, geralmente, acusa leucocitose com eosinofilia. Em caso de dúvida ou para complementação diagnostica, podemos recorrer à endoscovia retal, ao oograma e á biópsia hepática. A endoscopia acusa, comumente, mucosa hiperêmica, edemaciada, friável, granulosa, com pontos hemorrágicos e o exame colhido por punção biópsia revela, entre outros achados, granulomas na fase necrótica-exsudativa. O diagnóstico diferencial deve ser feito com as seguintes entidades clínicas: gastroenterites. febre tifóide, disenteria bacilar, amebíase aguda, salmonelose septicêrnica prolongada, devendo, ainda, figurar a tuberculose miliar, abdome agudo, a G.N.D.A., a mononucleose infecciosa, a leptospirose, a hepatite e as poaneurites. A terapeutica é baseada nos cuidados gerais, na córticoterapia e na terapêutica específica. Observamos regressão dramática do quadro toxinfeccioso. nas primeiras 24 a 48 horas com a córticoterapia (prednisona) que tem duração aproximada de 7 a 10 dias. A terapêutica específica (derivado nitrotiazolico = ambilhar e derivado hidroximetílico do miracil D = hycanthone) é empregada após remissão do quadro toxiinfeccioso ou em plena fase aguda; nesta eventualidade os sintomas gerais e os distúrbios intestinais desaparecem a partir do 5.° dia de terapêutica. Quando empregamos ambilhar ou hycanthone, em apenas um esquema terapêutico, observamos 40% de cura; esta cifra atinge a 80-90%, quando repetimos a medicação específica, após verificarmos recidiva.<hr/>In this panoramic study about the acute phase of schistosomiasis mansoni the author describe its clinical picture and diagnosis, the complementary tests, the author describes its clinical picture and diagnosis, the complementary tests, ical pictures of the incubation, fastigium and suppression periods are described. The diagnosis of the acute phase is based on epidemiologic data are often positive, there being mention to an infective bath, usually 30 to 40 days prior to the onset of the disease. Fever (38-40°C) is noticed at the physical examination, as well as prostation and microlymphadenopathy. Enlargement and tenderness of the liver are found in 95 percent and splenomegaly in 70 per cent of the cases. The most important laboratory tests for the diagnosis are: repeated direct examination in stool specimens for the detection of viable S. mansoni eggs, and repeated leukocyte count that generally shows leukocytosis and eosinophilia. When in doubt or for diagnostic complementary one may always recourse to the rectal endoscopy, the ocgrama and the liver biopsy. The endoscopy usually reveals hyperemic, edematous, friable and granulous mucosa with bleeding points. The needle-biopsy of the liver followed by the histopathologic examination of the hepatic tissue discloses granulomas in the necrotic-exudative phase, among other findings. The differential diagnosis must be made with diseases as follows: gastroenteritis, typhoid fever, bacilar disentery, acute amebiasis, and prolonged septicaemic salmonellosis, although one should also include miliary tuberculosis, acute abdomen, acute glomerulonephritis, infectious mononucleosis, leptospirosis, hepatics and polyneuritis. Treatment is established on general measures, corticotherapy, and specific therapy. The corticosteroids ( prednisone ) should be administered during approximately 7 to 10 days; this therapy leads to a dramatic regression of the toxic-infectious picture in the first 24-48 hours. The specific therapy mitrothiazole derivative = Ambilhar and hydroximethylic derivative of Miracil D = hycanthone) is employed after the regression of the toxic-infections picture or in the frank acute phase; in this case, the disappearance of the general symptoms and the intestinal disturbances occurs from the fifth day of therapy on. When either Ambilhar or hycanthone is used in just one therapeutic schema, complete cure is observed in 40 per cent of the cases; this rate goes as high as 80-90 per cent when specific medication is repeated after the occurrence of relapse. Finally the author points out some evolutionary aspects of the disease, mainly its evolution from acute Lo hepatosplenic schistosomiasis, and to cor pulmonale