Scielo RSS <![CDATA[Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0037-868219760006&lang=en vol. 10 num. 6 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Estudo sobre a epidemiologia da doença de Chagas no Ceará. V. Quirópteros infectados com <i>Tripanosomo tipo cruzi</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Numa série de pesquisas sobre a epidemiologia da Doença de Chagas no Ceará, muitas espécies de mamíferos foram examinadas, dentre elas algumas espécies de quirópteros. Já antes, no Brasil, 15 espécies foram encontradas infectadas com tripanosomo tipo cruzi, dentre as 30 encontradas infectadas na América, de 1931 a 1964. Esses estudos se fizeram aproveitando o material do Censo Relativo de Morcegos na área da Serra de Maranguape (realizado por dois autores), abrangendo os municípios de Maranguape e Caucaia. Em 141 exemplares (18 espécies e 5 famílias) foram feitos xenos com 5 ninfas de Rhodnius prolixus. Examinando o material 30 a 45 dias depois, foram encontrados infectados 9 exemplares, todos da família Phyllostomidae: 7 Artibeus jamaicensis, 1 Glossophaga soricina e 1 Trachops cirrhosus. O primeiro já havia sido encontrado infectado na Colombia e no Panamá; o segundo o foi na Colombia e no Brasil (Estado do Pará); o terceiro o é pela primeira vez. As duas primeiras espécies são insetívoras e frugívoras; a terceira é carnívora, além de frugívora e insetívora. Os parasitos isolados apresentaram características morfológicas e de cultura que permitem colocá-los no grupo dos tripanosomos tipo cruzi.' infectaram triatomíneos e produziram parasitemia (baixa) e lesões típicas em camundongos brancos. A cepa de T. cirrhosus não foi isolada, mas as formas metacíclicas em triatomíneos eram semelhantes.<hr/>Several regions in the state of Ceará are being/surveyed for epidemiological studies on Chagas disease; in this program the AA. have made xenodiagnosis in many species of mammals, induding bats. In the paper they referred that in America, from 1931 to 1964, 30 species of bats have presented infected by trypanosome cruzi-like, and from these 15 are found in Brasil. The AA. have examined by xenodiagnosis 141 bats (from 18 species of 5 families), using 5 V instar of Rhodnius prolixus. Of these 9 have shown trypanosomes cruzi-like: 7 Artibeus jamaicensis, 1 Glossophaga soricina and 1 Trachops cirrhosus. The first species was seen infected also in Colombia and Panamá; the second, in Colômbia and Brasil (State of Pará) and the third is referred for the first time. <![CDATA[<b>A modification of the indirect fluorescence test (IFT) for Paracoccidioidomycosis</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A modification of the indirect fluorescence test (IFT) for serological diagnosis of Paracoccidioidomycosis is described in which formolized budding forms (yeast cells) of the fungus Paracoccidioides brasiliensis are used as antigen. A further modification introduced is a less eiaborate technical procedure of the test without lowering the sensitivity of the reaction. The test may be considered as adequateiy accurate and easy to perform in any laboratory with immunofluorescence facilities.<hr/>Descreve-se uma modificação da reação de imunofluorescencia indireta para o diagnóstico sorológico da paracoccidioidomicose na qual células formolizadas da fase leveduriforme do Paraccocidioides brasiliensis foram empregadas como antígeno. Outra modificação foi a de simplificar a técnica da reação sem prejuízo da sua sensibilidade. O teste pode ser considerado como suficientemente sensível e de fácil execução em qualquer laboratório equipado para reações de imunofluorescencia. <![CDATA[<b>Biology</b><b> of Triatominae (Reduviidae Hemiptera) from North of Formosa County (Goiás-Brazil) I. Length of life cycle of <i>Triatoma</i><i> sordida</i> (Stal. 1859)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600003&lng=en&nrm=iso&tlng=en In the present paper the life cycle of Triatoma sordida was studied. The mean length from egg to adult was 213 days. The mean length in days from each stage was: 24.3 (± 1.30) for the first. 32.8 (± 1.45) (2nd), 36.1 (± 1.50) (3rd), 44.6 (± 1.85) (4th) and 52.0 (± 1.92) (5th). The mean egg incubation períod was 23.2 (± 1.40). Overall mortality was 18.8% and egg viability was 82.5%.<hr/>Foi estudado no presente trabalho o ciclo biológico do Triatoma sordida A média da duração do ciclo de ovo a adulto foi 213 dias. A média de duração em dias para cada estágio foi 24,3 (± 1,30) para o primeiro, 32,8 (± 1,45) para o segundo, 36,1 (± 1,50) para o terceiro, 44,6 (± 1,85) para o quarto e 52,0 (± 1,92) para o quinto. A média do período de incubação dos ovos foi 23,2 (± 1,40). A mortalidade em todos ps estágios foi 18,8% e a viabilidade dos ovos foi 82,5%. <![CDATA[<b><em>Capillaria</em></b><em><b> hepatica</b></em><b>, estudo da incidência em ratos de Salvador, Bahia, e dados imunopatológicos preliminares</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foi encontrada uma incidência de Capillaria hepática de 57% entre ratos capturados na cidade do Salvador. Destes animais infectados foram isoíados ovos do parasito e se obteve a infecção experimental em camundongos. Foi demostrada a presença de anticorpos circulantes contra Capillaria hepatica no soro destes camundongos, tendo sido feito o estudo através de técnicas de eletroforese e imunofluorescência. Estes anticorpos se fixam em todas as estruturas parasitárias, (seja larva, verme ou ovo) e estão presentes no soro dos camundongos já a partir da primeira semana de infecção.<hr/>Capillaria hepatica was found in 57% of rats captured in the city of Salvador, Bahia - Brazil. Worm eggs were then isolated from animais with natural infection and used to infect albino mice experimentally. Circulating antibodies were demonstrated by immunofluorescence in the sera of mice during the course of experimental infection, from the first to the 5th week following inoculation. Such antibodies were seen to bind to eggs, larvae and worms present in the liver. These preliminary data suggest that immunological tests may be of value to detect human cases with non-fatal infection caused by Capillaria hepatica. <![CDATA[<b>Ecologia de triatomíneos e transmissão do <i>Trypanosoma cruzi</i>, com especial referência ao Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Com base em seu comportamento ecológico e seu grau de relacionamento com o homem e os mamíferos domésticos, comensais e sinantrópicos, os triatomíneos são distribuídos em seis grupos: 1) Triatomíneos tipicamente silvestres, isto é, espécies só encontradas em ecótopos naturais e que nunca freqüentam as habitações humanas e suas dependências. Conseqüentemente, nunca entram em contacto com o homem e os mamíferos domésticos, a não ser acidentalmente quando estes penetram nos focos naturais. Entretanto, podem ter papel maior ou menor na manutenção da enzootia tripanossômica silvestre. Exemplos: Psammolestes coreodes, Psammolestes tertius, Cavernicola pilosa, Triatoma dispar, Triatoma delpontei e muitas outras espécies cujos hábitos são pouco conhecidos. 2) Triatomíneos essencialmente silvestres cujos adultos invadem, com maior ou menor freqüência, as habitações humanas e suas dependências, sem, todavia, aqui se colonizar. Além do papel que têm no ciclo silvestre de transmissão do T. cruzi, podem, ao entrar em contacto com o homem e os mamíferos domésticos e domiciliados suscetíveis, transmitir-lhes a infecção, tanto em áreas silvestres quanto em ecótopos artificiais. Exemplos: Panstrongylus geniculatus, Triatoma rubrovaria,Triatoma arthumeivai, Triatoma patagonica, Triatoma eratyrusiforme, Rhodnius domesticus e muitas outras espécies cujos hábitos são poucos conhecidos. 3) Triatomíneos silvestres em fase inicial de adaptação aos ecótopos artificiais, formando pequenas colônias principalmente no peridomicílio e, mais raramente, na própria habitação humana. Além da importância que têm no ciclo silvestre do T. cruzi, podem trazer a infecção para os ecótopos artificiais e, em determinadas instâncias, participar do ciclo domiciliário do parasita. Exemplos: Rhodnius neglectus, Triatoma vitticeps. Triatoma platensis e outras espécies pouco estudadas. 4) Triatomíneos que se criam indiferentemente em ecótopos naturais e artificiais. Embora tenham conseguido adaptar-se com maior ou menor sucesso à habitação humana e suas dependências, são encontradas também em diferentes ecótopos naturais. Além de participar do ciclo silvestre do T. cruzi têm importância no transporte do parasita para os ecótopos artificiais e na infestação inicial ou na reinfestação destes ecótopos livres de insetos pelo expurgo, constituindo também elos na cadeia de transmissão domiciUária da infecção. Exemplos: Panstrongylus megistus, Rhodnius prolixus, Rhodnius pallenscens, Triatoma sórdida, Triatoma brasiliensis, Triatoma maculata, Triatoma pseudomaculata, Triatoma quasayana etc. 5) Triatomíneos bem adotados aos ecótopos artificiais, mas, às vezes, ainda encontrados em focos residuais naturais. São os insetos mais importantes no ciclo domiciiiário do T.cruzi, mas podem, pelo menos em certas áreas, participar do ciclo silvestre da infecção. Exemplo: Triatoma infestans. 6) Triatomíneos estritamente domiciliados. Apesar disto, parecem ter menor importância no ciclo domiciiiário, especialmente na transmissão do T. cruzi ao homem, porque convivem mais com ratos comensais, embora também entrem em contacto com o homem. Exemplo: Triatoma rubrofasciata.<hr/>On the basis of their ecological behavior the triatomines are distributed into six groups: 1. Typically wild insects, i. e., species that are found only in natural ecotopes, never being collected in human dweellings and their annexes. Consequently they never come into contact with man and domestic, commensal or synantropic mammals, unless they enter the natural foci. But these insects may have a more or less important role in maintaining the wild trypanosome enzooty. Examples: Psammolestes coreodes, Psammolestes tertius, Cavernicola pilosa, Triatoma dispar, Triatoma delpontei and other little known species. 2. Essentially wild insects whose adults occasionally invade human dwellings and their annexes but are unable to thrive in artificial ecotopes. In addition to the role in the wild cycle of transmission of T.cruzi, they may come into contact with man and domestic or domiciliated mammals and transmit the infection both in natural foci and artificial ecotopes. Examples: Panstrongylus geniculatus, Triatoma rubrovaria, Triatoma arthurneivai, Triatoma patagonica, Triatoma eratyrusiforme, Rhodnius domesticus, etc. 3. Wild insects beginning to adapt to artificial ecotopes where they give rise to small colonies specially in animal dens, and, more rarely, inside human dwellings. In addition to the role in the wild cycle of transmission of T.cruzi, they may convey the parasite from natural to artificial ecotopes and, under certains circunstances, participate of the domiciliary cycle of T.cruzi. Examples: Rhodnius neglectus, Triatoma vitticeps, Triatoma platensis, etc. 4. Insects that breed indifferently in natural or artificial ecotopes. Although they havesuccededinadaptingthemselves to human dwellings and domestic animal dens, they are also found in many natural ecotopes. In addition to the role in the wild transmission cycle of T.cruzi they are important in the conveyance of the parasite frotn natural foci to artificial ecotopes and in the inicial infestation or in the reinfestation of these ecotopes, and are an efficient ring in the domiciliary chain of transmission of T.cruzi. Examples: Panstrongylus megistus, Rhodnius prolixus, Rhodnius pallescens, Triatoma sórdida, Triatoma brasiliensis, Triatoma pseudomaculata, Triatoma quasayana etc. 5. Insects well adapted to artificial ecotopes, but sometimes still found in residual natural breeding places. They are most important in the domiciliary cycle of transmission of T.cruzi, but may play, at least in certain areas, a small role in the wild cyde of transmission of the infection. Example: Triatoma infestans. 6. Entirely domiciliated insects. In spite ofbeing found only in houses, they seem to have a minor role in the transmission of T.cruzi to man, because they live more into contact with commensal rats, aithough thay may also bite man. Example: Triatoma rubrofasciata. <![CDATA[<b>Experience</b><b> in Brazil with the use of available schistosomicides in mass treatment compaigns</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Com base em seu comportamento ecológico e seu grau de relacionamento com o homem e os mamíferos domésticos, comensais e sinantrópicos, os triatomíneos são distribuídos em seis grupos: 1) Triatomíneos tipicamente silvestres, isto é, espécies só encontradas em ecótopos naturais e que nunca freqüentam as habitações humanas e suas dependências. Conseqüentemente, nunca entram em contacto com o homem e os mamíferos domésticos, a não ser acidentalmente quando estes penetram nos focos naturais. Entretanto, podem ter papel maior ou menor na manutenção da enzootia tripanossômica silvestre. Exemplos: Psammolestes coreodes, Psammolestes tertius, Cavernicola pilosa, Triatoma dispar, Triatoma delpontei e muitas outras espécies cujos hábitos são pouco conhecidos. 2) Triatomíneos essencialmente silvestres cujos adultos invadem, com maior ou menor freqüência, as habitações humanas e suas dependências, sem, todavia, aqui se colonizar. Além do papel que têm no ciclo silvestre de transmissão do T. cruzi, podem, ao entrar em contacto com o homem e os mamíferos domésticos e domiciliados suscetíveis, transmitir-lhes a infecção, tanto em áreas silvestres quanto em ecótopos artificiais. Exemplos: Panstrongylus geniculatus, Triatoma rubrovaria,Triatoma arthumeivai, Triatoma patagonica, Triatoma eratyrusiforme, Rhodnius domesticus e muitas outras espécies cujos hábitos são poucos conhecidos. 3) Triatomíneos silvestres em fase inicial de adaptação aos ecótopos artificiais, formando pequenas colônias principalmente no peridomicílio e, mais raramente, na própria habitação humana. Além da importância que têm no ciclo silvestre do T. cruzi, podem trazer a infecção para os ecótopos artificiais e, em determinadas instâncias, participar do ciclo domiciliário do parasita. Exemplos: Rhodnius neglectus, Triatoma vitticeps. Triatoma platensis e outras espécies pouco estudadas. 4) Triatomíneos que se criam indiferentemente em ecótopos naturais e artificiais. Embora tenham conseguido adaptar-se com maior ou menor sucesso à habitação humana e suas dependências, são encontradas também em diferentes ecótopos naturais. Além de participar do ciclo silvestre do T. cruzi têm importância no transporte do parasita para os ecótopos artificiais e na infestação inicial ou na reinfestação destes ecótopos livres de insetos pelo expurgo, constituindo também elos na cadeia de transmissão domiciUária da infecção. Exemplos: Panstrongylus megistus, Rhodnius prolixus, Rhodnius pallenscens, Triatoma sórdida, Triatoma brasiliensis, Triatoma maculata, Triatoma pseudomaculata, Triatoma quasayana etc. 5) Triatomíneos bem adotados aos ecótopos artificiais, mas, às vezes, ainda encontrados em focos residuais naturais. São os insetos mais importantes no ciclo domiciiiário do T.cruzi, mas podem, pelo menos em certas áreas, participar do ciclo silvestre da infecção. Exemplo: Triatoma infestans. 6) Triatomíneos estritamente domiciliados. Apesar disto, parecem ter menor importância no ciclo domiciiiário, especialmente na transmissão do T. cruzi ao homem, porque convivem mais com ratos comensais, embora também entrem em contacto com o homem. Exemplo: Triatoma rubrofasciata.<hr/>On the basis of their ecological behavior the triatomines are distributed into six groups: 1. Typically wild insects, i. e., species that are found only in natural ecotopes, never being collected in human dweellings and their annexes. Consequently they never come into contact with man and domestic, commensal or synantropic mammals, unless they enter the natural foci. But these insects may have a more or less important role in maintaining the wild trypanosome enzooty. Examples: Psammolestes coreodes, Psammolestes tertius, Cavernicola pilosa, Triatoma dispar, Triatoma delpontei and other little known species. 2. Essentially wild insects whose adults occasionally invade human dwellings and their annexes but are unable to thrive in artificial ecotopes. In addition to the role in the wild cycle of transmission of T.cruzi, they may come into contact with man and domestic or domiciliated mammals and transmit the infection both in natural foci and artificial ecotopes. Examples: Panstrongylus geniculatus, Triatoma rubrovaria, Triatoma arthurneivai, Triatoma patagonica, Triatoma eratyrusiforme, Rhodnius domesticus, etc. 3. Wild insects beginning to adapt to artificial ecotopes where they give rise to small colonies specially in animal dens, and, more rarely, inside human dwellings. In addition to the role in the wild cycle of transmission of T.cruzi, they may convey the parasite from natural to artificial ecotopes and, under certains circunstances, participate of the domiciliary cycle of T.cruzi. Examples: Rhodnius neglectus, Triatoma vitticeps, Triatoma platensis, etc. 4. Insects that breed indifferently in natural or artificial ecotopes. Although they havesuccededinadaptingthemselves to human dwellings and domestic animal dens, they are also found in many natural ecotopes. In addition to the role in the wild transmission cycle of T.cruzi they are important in the conveyance of the parasite frotn natural foci to artificial ecotopes and in the inicial infestation or in the reinfestation of these ecotopes, and are an efficient ring in the domiciliary chain of transmission of T.cruzi. Examples: Panstrongylus megistus, Rhodnius prolixus, Rhodnius pallescens, Triatoma sórdida, Triatoma brasiliensis, Triatoma pseudomaculata, Triatoma quasayana etc. 5. Insects well adapted to artificial ecotopes, but sometimes still found in residual natural breeding places. They are most important in the domiciliary cycle of transmission of T.cruzi, but may play, at least in certain areas, a small role in the wild cyde of transmission of the infection. Example: Triatoma infestans. 6. Entirely domiciliated insects. In spite ofbeing found only in houses, they seem to have a minor role in the transmission of T.cruzi to man, because they live more into contact with commensal rats, aithough thay may also bite man. Example: Triatoma rubrofasciata. <![CDATA[<b>Toxocora</b><b> e outros helmitos em cães, na cidade do Rio de Janeiro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os autores observaram prevalência de Toxocara canis em 24,9% dos cães na cidade do Rio de Janeiro. Os resultados observados demonstrando a grande incidência de Toxocara, tanto em animais vadios, como em animais de estimação, criados em contato íntimo com seus donos, vem mais uma vez chamara atenção para a relevância do problema "Larva migrans visceralis" entre nós. Entre outros helmintos chamam ainda a atenção para a alta prevalência da A. brasiliensis, A. caninum, D. caninum e T. valpis.<hr/>Toxocara canis was found in 24,9% of 286 dogs in Rio de Janeiro city. Results were significant in Street and pat dogs. The authors call the attention for the possibility of the transmission of Toxocara canis to man. <![CDATA[<b>Induction</b><b> of male sterility through manipulation of genetic mechanisms present in vector species of <i>Triatominae</i>. II. Partial restoration of male fertility</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600008&lng=en&nrm=iso&tlng=en The development of integrated measures which involve sterile mate release to supplement the conventional insecticidal techniques used in controlagainst insects of medical importance, raised the question, whether the vectors of Chagas'disease possess the natural mechanisms by manipulation of which they may be controlled. Results of earlier expenments, that had been published previously, were restricted to fragmentary information that raised various questions, the answer to which became available in the study herein described. Interspecific hybrids were produced from reciprocal crosses between T. pseudomaculata and T. sórdida and from unilateral crosses between female T. pseudomaculata and male. T. infestans. These females mated with males, laid less than the normal complement of eggs, but offspring was relatively abundant. When T. pseudomaculata females were paired with T. brasiliensis males, hybridization was more difficult because few of the females mated and those that did had a strongly reduced fertility. Adults emerged from ali crosses but exhibited sex disproportion, females predominating in all populations but one. The two Rhodnius species tested were also found to cross, but only when female R. prolixus were paired with male R. neglectus. These females laid a relatively high complement o f eggs, had a strongly reduced fertility, but 50% of the fertile eggs developed into vigorous adults, males predominating females. Neither type of hybrid male elicited fertilized eggs from either parental type of female, through their vesicula seminal is were found to be packed with spermatozoa, some normal looking and moving, others underdeveloped and motionless. Although, no artificial insemination was performed, the sperm in itself did not appear to be the prime inducer of sterility. Females paired with these hybrids did mate, sperm was transfered, as evidenced by the discharged spermatophores smeared with sperm, but did notcontain spermatozoa in their spermatecae. The failure of the sperm to migrate to the spermatecae indicate prezygotic pos-copulation incompatibility, thus the hybrid male can't be used to suppress populations. The female hybrids mated with parent males of either species had reduced fertility and ther sons were sterile as were those of their fertile daughters. However, continous backcrossing of the hybrid females and their female progeny to parental males partially restored fertility of the males and increased fertility of females, as scored by egg hatchability. Fertility of hybrid females, measured by the yield of adults capable to reproduce, indicated that the reproductive perfomance decreased when hybrid females and their daughters were backcrossed additional generations to parental males. It is tentatively suggested that hybrid females could be used for suppression if they compete efficiently with wild females.<hr/>O desenvolvimento de métodos integrados que indicam a libertação de machos estéreis para suplementar as técnicas convencionais com inseticidas, utilizadas no controle de insetos de importância médica, coloca a questão de os vetores da Doença de Chagas possuírem mecanismos naturais pela manipulação dos quais possam os mesmos serem controlados. Resultados de experiências anteriores, previamente publicados, restringiram-se a informações fragmentares, levando várias questões, cujas respostas tornaram-se viáveis neste estudo. Híbridos interespecfficos originaram-se de cruzamentos recíprocos entre T. pseudomaculata e T. sórdida e de cruzamentos unilaterais entre fêmeas T. pseudomaculata e machos T. infestans. Essas fêmeas cruzaram facilmente, revelando, porém, fecundidade diminuida, ainda que a progênie fosse relativamente abundante. Quando fêmeas T. pseudomaculata foram acasaladas com machos T. brasiliensis, a hibridação foi mais difícil, porque poucas das fêmeas cruzaram e aquelas que o fizeram tiveram sua fertilidade altamente reduzida. De todos os cruzamentos resultaram adultos, com a razão macho/fêmea indicando sensível execesso de fêmeas em todas as populações, exceto em uma. O cruzamento entre as duas espécies de Rhodnius só se mostrou viável, quando a fêmea foi prolixus sendo o macho neglectus. Essas fêmeas revelaram fecundidade razoável e fertilidade altamente reduzida, porém, mais de 50% dos ovos eclodidos evoluíram até adultos vigorosos, os machos predominando as fêmeas. Os machos híbridos provenientes dos cruzamentos interespecíficos, tanto dos bilaterais quanto dos unilaterais, não chegaram a dar progênie, quando retrocruzados com fêmeas das espécies paternas, embora novelos de espermatozóides, alguns de aspecto e movimento normal, outros imaturos e imóveis, fossem encontrados em suas vesículas seminais. Ainda que nenhuma inseminação artificial fosse realizada, o esperma em si não parece ser responsável pela esterilidade induzida através da hibridação interespecífica. Fêmeas acasaladas com esses híbridos, sem dúvida cruzaram, como ficou evidenciado pela rejeição de espermatóforos com vestígios de esperma; entretanto, suas espermatecas não continham espermatozóides. A incapacidade de espermatozóides migrarem para as espermatecas indica incompatibilidade pós-copulativa, pré-zigótica. Assim sendo, o màcho híbrido não poderá competir com o macho natural e, conseqüentemente, não será útil na supressão das populações naturais. As fêmeas híbridas facilmente cruzam com machos paternos, mostrando, porém, fertilidade dramaticamente reduzida, sendo seus filhos estéreis, como o foram aqueles de suas filhas férteis. Entretanto, os retrocruzamentos dessas fêmeas híbridas e das suas filhas com machos paternos restabelecem parcialmente a fertilidade de machos e aumentam sensivelmente a fertilidade das fêmeas. Todavia, adotando-se como critério para caracterizar a fertilidade de fêmeas, o número de adultos evoluídos, capazes de se reproduzir, em vez do número de ovos eclodidos, concluiu-se que o potencial reprodutivo das fêmeas híbridas vem diminuindo nos retrocruzamentos sucessivos com machos paternos. Portanto, sugere-se tentativamente que a libertação de fêmeas híbridas possa talvez suprimir a população natural caso essas atraiam eficientemente o macho. <![CDATA[<strong>Um inimigo natural dos caramujos do gênero Biomphalaria</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821976000600009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A formiga carnívora Paratrechina longicornis exerce predação ativa sobre os caramujos do gênero Biomphalaria. Assim que os caramujos são deixados no seco pela retirada ou dessecamento das águas na estação seca, são atacados e rapidamente devorados pelas formigas. Somente os caramujos enterrados na lama argilosa ou aqueles que tiverem a abertura das conchas obturadas por tampões de argila endurecida pela secura conseguem escapar à predação e retornarem à atividade quando a volta da estação chuvosa traz água para os vivedouros dessecados. Obviamente outras espécies de formigas carnívoras podem assumir idêntica função ecológica.<hr/>The carnivorous ant Paratrechina longicornis was found to be an active predator against estivating snails of the genus Biomphalaria. As soon as the snails are left in the dry land by the receding waters during the dry season, they are attacked and quickly eaten by the ants. Only the snails buried in the claysh mud or those which have their shell openings obturated by lumps of hardened clay are apt to escape predation and return to activity when the forthcoming wet season brings water to the dryed-up breeding sites. Obviously other species of carnivourous ants may play the same ecological role.