Scielo RSS <![CDATA[Jornal Brasileiro de Psiquiatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0047-208520140003&lang=es vol. 63 num. 3 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Clinical and sociodemographic profile of patients with refractory schizophrenia treated in a tertiary center]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300185&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivos A esquizofrenia está associada a alto grau de incapacidade e importantes déficits neuropsicológicos, sociais e vocacionais. Pesquisas têm sido realizadas com o objetivo de identificar fatores preditivos para refratariedade, a fim de melhorar o tratamento e a qualidade de vida do paciente com esquizofrenia. O presente estudo teve o objetivo de verificar a frequência de pacientes com esquizofrenia refratária acompanhados em serviço terciário, estabelecer o perfil clínico e sociodemográfico e analisar possíveis fatores associados à refratariedade clínica. Métodos Sessenta e oito pacientes com esquizofrenia foram incluídos no estudo, sendo 36 refratários ao tratamento (52,9%). Os dados clínicos e sociodemográficos de ambos os grupos foram coletados, analisados e comparados. Um modelo de regressão logística foi elaborado com o objetivo de analisar possíveis fatores associados à refratariedade clínica. Resultados Entre o grupo refratário, houve maior frequência do sexo masculino (p = 0,03), número de antipsicóticos em uso (p &lt; 0,01), internações ao longo da vida (p &lt; 0,01) e de polifarmácia (p &lt; 0,01). Escolaridade, estado civil, história familiar de esquizofrenia e uso de substâncias não foram confirmados como associados à refratariedade. Observou-se atraso temporal entre o estabelecimento da refratariedade clínica e a introdução da clozapina, indicado como o melhor antipsicótico para o tratamento de esquizofrenia refratária. Conclusão É importante e necessário o desenvolvimento de mais pesquisas a fim de investigar possíveis fatores clínicos e sociodemográficos preditores de refratariedade em pacientes com esquizofrenia, objetivando o início mais precoce de ações terapêuticas. <hr/> Objectives Schizophrenia is associated with a high degree of disability and significant neuropsychological, social and vocational deficits. Studies have been undertaken to identify the predictive factors for refractoriness in order to improve the treatment and quality of life of such patients. The present study aimed to determine the frequency of patients with schizophrenia who are refractory and non-refractory treated in a tertiary center, the clinical and sociodemographic profile of such population and to analyze the associated factors of clinical refractoriness. Methods Sixty-eight patients with schizophrenia were included, and 36 were refractory to treatment (52.9%). Clinical and sociodemographic data of both groups were collected, analyzed and compared. A logistic regression model was elaborated in order to verify possible associations with clinical refractoriness. Results The refractory group had a higher prevalence of males (p = 0.03), antipsychotic use (p &lt; 0.01), hospitalizations during lifetime (p &lt; 0.01) and polypharmacy (p &lt; 0.01). Educational level, marital status, family history of schizophrenia and substance use, were not associated to refractoriness. A delay between the diagnostic of refractoriness and the initiation of clozapine, the best antipsychotic for the treatment of refractory schizophrenia, was also observed. Conclusion The importance of further research in disclosing possible clinical and socio-demographic predictors of refractoriness in schizophrenia is therefore necessary. <![CDATA[Preliminary validation study of a Brazilian version of the Caregiver Reaction Assessment in a context of oncologic inpatients]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300191&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Adaptar para o Brasil uma versão portuguesa do Caregiver Reaction Assessment (CRA) e gerar indicadores preliminares de validade e fidedignidade para sua aplicação em cuidadores de pacientes oncológicos internados. Métodos Participaram voluntariamente 53 cuidadores, que responderam a um questionário sociodemográfico, ao CRA e à Escala de Bem-Estar Psicológico (EBEP). A unidimensionalidade e a homogeneidade dos escores do CRA foram avaliadas por meio de análise de componentes principais e de consistência interna, respectivamente. Correlações de Pearson entre escores do CRA e EBEP foram examinadas e utilizadas como indicadores de validade divergente e de construto. Resultados As cinco escalas que compõem o CRA apresentaram bons níveis de unidimensionalidade e homogeneidade, porém as escalas de impacto nas finanças e impacto na saúde obtiveram alfas insuficientes (&lt; 0,7). O escore total do CRA apresentou alfa elevado (0,886). Correlações entre o CRA e a EBEP produziram coeficientes teoricamente interpretáveis, com magnitudes variando entre nulas e moderadas. Conclusão O CRA apresentou bons indicadores de validade e fidedignidade. Algumas adaptações em relação ao conteúdo de determinados itens se mostram, todavia, necessárias, a fim de serem calibradas ao contexto de pessoas atendidas por serviços subsidiados pelo Sistema Único de Saúde. <hr/> Objective To adapt to Brazil a Portuguese version of the Caregiver Reaction Assessment (CRA) and generate preliminary indicators of validity and reliability for its application in caregivers of hospitalized cancer patients. Methods Participated voluntarily 53 caregivers responding to a sociodemographic questionnaire, the CRA and the Psychological Well-Being Scale (PWS). Unidimensionality and homogeneity of the CRA scores were evaluated using principal component and internal consistency analysis, respectively. Pearson correlations between CRA and EBEP scores were examined and used as divergent and construct validity indicators. Results The five scales that comprise the CRA showed good levels of unidimensionality and homogeneity, however the financial problems and loss of physical strength scales displayed insufficient alphas (&lt; 0.7). The total score of CRA showed high alpha coefficient (0.886). Correlations between the CRA and the PWS produced theoretically interpretable coefficients with magnitudes ranging between zero and moderate. Conclusion The CRA showed good indicators of validity and reliability. Some adaptation on the content of certain items appears to be necessary to calibrate them to the context of people assisted by services subsidized by the Sistema Único de Saúde. <![CDATA[Risk behavior for orthorexia nervosa in nutrition students]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300200&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Identificar comportamento de risco para o desenvolvimento de ortorexia nervosa em estudantes de Nutrição. Métodos Estudo descritivo e transversal. Participaram da pesquisa estudantes de Nutrição, do sexo feminino, com 18 anos de idade ou mais, de uma universidade do Vale do Paraíba do Sul/SP. Foram aplicados três instrumentos, sendo o primeiro para obter informações sobre idade, altura e massa corporal referidos, e ano do curso. Os dados de massa corporal e estatura referidos foram usados para cálculo do índice de massa corporal (IMC) e classificação do estado nutricional. O segundo foi utilizado para identificar distúrbio da imagem corporal, de acordo com a escala de silhuetas. O terceiro foi utilizado para verificar o comportamento de risco para desenvolvimento de ortorexia nervosa (Orto-15). Resultados Participaram do estudo 150 alunas, com idade média de 23,21 anos. Observou-se que a maioria das alunas estava eutrófica (74%, n = 111), segundo a classificação do IMC. Em relação à percepção da imagem corporal, verificou-se que 74,7% (n = 112) das alunas do curso de Nutrição apresentavam distúrbio da imagem corporal. Quanto à ortorexia nervosa, observou-se que 88,7% (n = 133) das alunas apresentavam risco de desenvolver comportamento ortoréxico. Ao relacionar o comportamento ortoréxico com a série cursada, com o estado nutricional e com o distúrbio da imagem corporal, verificou-se que não houve associação entre as variáveis (p &gt; 0,05). Conclusão Conclui-se que um número considerável das alunas do curso de Nutrição apresenta comportamento ortoréxico e distúrbio da imagem corporal. <hr/> Objective To identify the risk behavior for the development of orthorexia nervosa in students of Nutrition. Methods Descriptive and correlational study. The research subjects were students of Nutrition, female, over 18 years old, from the University of Vale do Paraíba, SP. Three instruments were applied, the first being about basic information such as age, height and specified weight and study year. The data on specified weight and height were used in the calculation of the body mass index (BMI) and nutritional status classification. The second was to identify the perception of body image according to the Silhouettes Scale. The Third was used to verify the risk behavior for development of orthorexia nervosa (Ortho-15). Results A total of 150 students with an average age of 23.21 years participated in the study. It was observed that most of the students were eutrophic (74%, n = 111), according to the BMI classification. Regarding the perception of body image, it was found that 74,7% (n = 112) of the students studying Nutrition had body image disturbance. Regarding orthorexia nervous it was observed that 88.7% (n = 133) of the students were at risk for developing orthorexic behavior. By relating the orthorexic behavior with grade level, with nutritional status and body image disturbance, there was no association between the variables (p &gt; 0.05). Conclusion It is concluded that a considerable number of students from the Nutrition course present orthorexic behavior and body image disturbance. <![CDATA[Predictors of probable common mental disorders (CMD) in sex workers using the Self-Reporting Questionnaire]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300205&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Avaliar a prevalência de prováveis transtornos mentais comuns (TMC) e os fatores associados em um grupo de prostitutas de Minas Gerais. Métodos Estudo transversal utilizando o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) em mulheres cadastradas na Associação de Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig). Avaliaram-se características sociodemográficas e aspectos do trabalho na prostituição. Teste do qui-quadrado foi empregado na análise de associação entre variáveis categóricas sociodemográficas e a presença de prováveis TMC. A análise dos fatores associados à presença de prováveis TMC foi realizada por meio de modelo de regressão logística. Resultados Foram entrevistadas 216 prostitutas. A prevalência global de prováveis TMC foi de 57,9%, mais observada em mulheres com baixa escolaridade, história de violência física e ingresso precoce na prostituição. Conclusão Os resultados deste estudo mostraram que a prevalência de prováveis TMC entre prostitutas foi superior à observada na população geral, indicando a necessidade de melhorar os cuidados com a saúde dessas mulheres. <hr/> Objective To evaluate the prevalence of common mental disorders (CMD) and associated factors in a group of prostitutes in Minas Gerais. Methods Cross-sectional study using the Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) in women enrolled in the Association of Prostitutes of Minas Gerais (Aprosmig). We assessed sociodemographic characteristics and aspects of work in prostitution. Chi-square test was used to analyze the association between categorical sociodemographic variables and the presence of CMD. Analysis of factors associated with the presence of CMD was performed using logistic regression model. Results We interviewed 216 prostitutes. The overall prevalence of CMD was 57.9%, more seen in women with low education, history of physical violence and early entry into prostitution. Conclusion The results of this study showed that the prevalence of CMD among sex workers was higher than that observed in the general population, indicating the need to improve health care of these women. <![CDATA[Prevalence of depressive and anxiety symptoms in patients with chronic pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300213&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivos O presente estudo objetivou avaliar a prevalência de sintomas ansiosos e depressivos e relacioná-los com os diferentes tipos e magnitudes de dor crônica; também objetivou caracterizar a população de casos novos agendados para atendimento no ambulatório de dor crônica, no serviço onde o estudo foi realizado. Métodos Estudo de corte transversal, realizado em um ambulatório docente-assistencial para tratamento de dor crônica, realizado entre maio de 2012 e abril de 2013, com 125 pacientes. Instrumentos utilizados Questionário sociodemográfico, Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HAD) e Escala Visual Numérica (EVN) para aferir a intensidade de dor. Resultados Dor intensa foi referida por 64% (n = 80) dos pacientes. Ansiedade atingiu 65% (N = 82) dos pacientes e a depressão, 48% (N = 60). Houve correlação significante entre os mais altos escores de ansiedade (p &lt; 0,001) e depressão (p &lt; 0,001) com a intensidade de dor. A correlação entre intensidade de dor e sintomas ansiosos e depressivos foi positiva para dor crônica neuropática e mista. Os fatores sociodemográficos associados à intensidade de dor crônica foram: renda e religião para depressão, e tempo de dor para ansiedade. Conclusão O estudo mostrou elevada prevalência de sintomas depressivos e ansiosos em pacientes com dor crônica, assim como relação significante desses sintomas psiquiátricos com alguns tipos e intensidade de dor. <hr/> Objectives The present study aimed to evaluate the prevalence of anxiety and depressive symptoms and their association with different types and intensity of chronic pain. The investigation also characterized the population profile of new cases scheduled for appointments at the pain outpatient clinic, where the study was carried out. Methods Cross-sectional study, carried out at a chronic pain treatment outpatient-teaching clinic, between May 2012 and April 2013, with 125 patients. The following instruments were used: Sociodemographic questionnaire, Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), and Visual Numeric Scale (VNS) to assess the intensity of pain. Results Intense pain was reported by 64% (n = 80) of patients. With a cut-off of 8 points for HAD scale, anxiety affected 65% (N = 82) of patients, and depression affected 48% (N = 60). We found a significant correlation between higher scores of anxiety (p &lt; 0.001) and depression (p &lt; 0.001) with pain intensity. The correlation between pain intensity, anxiety and depressive symptoms was positive for neuropathic pain as well as for mixed chronic pain. Sociodemographic factors associated to chronic pain intensity were income and religion for depression, and time living with pain for anxiety. Conclusion The present study showed high prevalence of depressive and anxiety symptoms in patients with chronic pain. There was also significant association of these psychiatric symptoms with some types and intensity of pain. <![CDATA[Factors socio-demographic and economic associated with smoking in the elderly population]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300220&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivos Identificar a condição tabágica dos idosos e verificar os fatores sociodemográficos e econômicos associados ao hábito de fumar nessa população. Métodos Trata-se de um estudo quantitativo, transversal, observacional e analítico, com 980 idosos da zona urbana do município de Uberaba-MG. Utilizaram-se os instrumentos Miniexame do Estado Mental (MEEM) e Questionário Brasileiro de Avaliação Funcional e Multidimensional (BOMFAQ). Os idosos foram classificados como tabagistas, ex-tabagistas e não tabagistas de acordo com as Diretrizes para Cessação do Tabagismo. As análises procederam por meio do software SPSS-17. A condição tabágica dos idosos foi descrita por meio de frequências simples e absolutas. Aplicou-se o teste Cramer’s V (p ≤ 0,05) na análise bivariada e em seguida a Regressão Logística Multinomial Múltipla (p ≤ 0,05) ajustados para sexo e faixa etária de acordo com a classificação tabágica. Resultados Encontraram-se 122 (12,4%) idosos tabagistas, 320 (32,7%) ex-tabagistas e 538 (54,9%) não tabagistas. Os idosos tabagistas apresentaram-se com 3,57, 2,36 e 1,82 mais riscos de chances de ser do sexo masculino (p &lt; 0,001), estar na faixa etária de 60 a 69 anos (p = 0,004) e não ter companheiro(a) (p = 0,008), respectivamente. Para os idosos ex-tabagistas, também foi encontrada maior chance de risco (5,34) para o sexo masculino (p &lt; 0,001). Conclusão Os resultados evidenciam que o sexo, a faixa etária e a situação conjugal são fatores associados ao tabagismo na população idosa. <hr/> Objectives To identify smoking status of elderly and to assess socio-demographic and economic factors associated with them. Methods This is a quantitative, transversal, observational and analytical study with 980 elderly living in the urban area of the municipality of Uberaba (MG) – Brazil. The Mini Mental State Examination and the Brazilian Multidimensional Functional Assessment Questionnaire were used. The elderly were classified as smokers, ex-smokers and nonsmokers according to the Guidelines for Smoking Cessation. The statistical analysis were performed with SPSS-17 software. The smoking status of the elderly was described by means of simple and absolute frequencies. We employed the Cramer’s V (p ≤ 0.05) in the bivariate analyses and then test the Multiple Multinomial Logistic Regression (p ≤ 0.05) adjusted for sex and age according to smoking classification. Results We found 122 (12.4%) smokers, 320 (32.7%) ex-smokers, and 538 (54.9%) nonsmokers. The elderly smokers presented with 3.57, 2.36 and 1.82 greater chances of being male (p &lt; 0.001), aged 60-69 years (p = 0.004) and single, divorced or widowed (p = 0.008), respectively. Elderly ex-smokers were also more likely (5.34) to be male (p &lt; 0.001). Conclusion The results showed that sex, age and marital status are associated with smoking in the elderly population. <![CDATA[Cross-cultural adaptation of the Locus of Control of Behavior scale into Brazilian Portuguese: version for elderly]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300227&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Apresentar a adaptação transcultural da escala Locus of Control of Behavior (LCB) para a língua portuguesa falada no Brasil. Métodos O processo de adaptação foi realizado em cinco etapas: tradução, retradução, avaliação da equivalência entre a retradução e a escala original, elaboração de uma versão pré-teste e aplicação na população-alvo composta por 16 idosos (56 a 80 anos), com quatro anos mínimos de escolaridade. Resultados A versão adaptada não gerou problemas de compreensão, aceitabilidade ou impacto emocional negativo. Conclusão Este trabalho torna disponível a primeira versão em Português da LCB, uma escala que tem sido particularmente utilizada para avaliar o tipo de locus de controle (LoC) no que concerne ao prognóstico de tratamentos em saúde mental. <hr/> Objective To present the cross-cultural adaptation of the Locus of Control of Behavior (LCB) scale into Brazilian Portuguese. Methods The adaptation included translation, back translation, assessment of equivalence between the original and the backtranslation scale, preparation of a pre-test version and application on the targeted population of 16 elderly (56-80 years old), with a minimum of 4 years of formal education. Results The ajusted version provided a good understanding and acceptance, and no negative emotional impact in the subjects. Conclusion This paper provides the first version of LCB scale in Brazilian Portuguese. Such scale has been particularly used to assess LoC with regard to the prognosis of mental health treatment. <![CDATA[Assessment of HPA axis functioning in patients with depression through baseline measures: a systematic literature review and analysis of the used methodologies]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300232&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Realizar revisão sistemática da literatura para conhecer a atividade do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA) em deprimidos considerando-se as medidas basais dos hormônios e analisar criticamente as metodologias utilizadas. Métodos Foi realizada busca de artigos nas bases de dados PubMed e SciELO. Na primeira base de dados, introduziram-se as palavras-chave “depressive disorder” e “HPA axis”, e na segunda utilizaram-se os termos “depression” ou “depressão” e “HHA” ou “HPA axis”. Optou-se por pesquisa realizada em humanos adultos, em inglês e português, do ano 2000 até 2011. Resultados Dos 27 artigos selecionados, obtiveram-se como resposta do eixo HPA tanto hiperatividade como atividade desregulada, hipoatividade ou não alteração. Tais resultados dependem das variáveis e dos hormônios estudados, do fluido coletado – plasma, urina, saliva, líquido cefalorraquidiano – do horário de coleta, do número de coletas, da análise estatística utilizada, do subtipo de doença depressiva, entre outros. Conclusão: Os resultados não apresentam consenso em relação à atividade do eixo HPA. Considerando as variáveis estudadas, o eixo HPA, na maioria das vezes, apresenta-se disfuncional na presença da depressão. <hr/> Objective We performed a systematic literature review in order to assess the hypothalamic-pituitary-adrenal (HPA) axis activity in depressed considering the baseline measurements of the hormones of this axis and perform a critical analysis of the methodologies used. Methods We performed search for articles in the databases PubMed and SciELO. In the first database, was introduced the keywords: “depressive disorder”, “HPA axis” and in the second used the terms “depression” or “depressão” and “HPA” or “HPA axis”. We limit to research in adult humans, in English and Portuguese, from the year 2000 until 2011. Results Of the 27 selected articles, obtained HPA axis hyperactivity, unregulated activity, hypoactivity or remains unchanged. These results depend on the variables and hormones studied, collected fluid: plasma, urine, saliva, cerebrospinal fluid; the time of collection, the number of collections, the subtype of the depressive disease, among others. Conclusion The results do not have consensus on HPA activity. Considering the variables studied, the HPA axis, in most cases, it appears dysfunctional in the presence of depression. <![CDATA[Insight in bipolar disorder: a systematic review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300242&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivos Realizar uma revisão sistemática para compreender que fatores estão relacionados a uma maior ou menor consciência de morbidade no transtorno bipolar (TB), como o insight varia em função do estado afetivo e estabelecer uma comparação com outros transtornos mentais. Métodos Realizou-se uma revisão sistemática da literatura científica sobre o insight em pacientes com TB. Foram buscados estudos clínicos originais sobre o tema nas bases de dados Medline, ISI e SciELO. Os termos de busca empregados foram: “insight” OR “awareness” AND “bipolar” OR “mania” OR “manic”. Resultados Foram selecionados 55 artigos. O insight no TB parece ser mais prejudicado do que na depressão unipolar, porém menos do que na esquizofrenia. Com relação ao TB, um menor nível de insight está relacionado à presença de sintomas psicóticos e de alterações cognitivas. Além disso, um comprometimento do insight está associado a uma menor adesão ao tratamento. Por outro lado, uma maior preservação do insight pode estar associada a maior ideação suicida. Finalmente, a fase maníaca cursa com um nível inferior de insight quando comparada à fase depressiva ou de eutimia. Conclusão No TB, o insight está significativamente prejudicado, especialmente na mania. Diversos fatores clínicos parecem influenciar o nível de insight. <hr/> Objectives To conduct a systematic review to understand which factors are related to insight in bipolar disorder (BD), how insight varies depending on affective state and to establish a comparison between BD and other mental disorders. Methods We performed a systematic review of the scientific literature on insight in BD patients. Clinical studies on the topic were searched in the Medline, SciELO and ISI databases. The search terms used were: “insight” OR “Awareness” AND “bipolar“ OR “mania”. Results Fifty-five articles were selected. Insight in BD is more compromised than in unipolar depression, but less than in schizophrenia. A lower level of insight is related to the presence of psychotic symptoms and cognitive disorders. Moreover, insight impairment is associated with lower adherence to treatment. On the other hand, a greater preservation of insight may be associated with increased suicidal ideation. Finally, the manic phase is characterized by a lower level of insight than the depressive phase or euthymia. Conclusion Insight is greatly impaired in BD, especially during mania. Several clinical factors seem to influence the level of insight. <![CDATA[Normal aging and decision-making: a systematic review of the literature of the last 10 years]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300255&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objective Conduct a systematic review to investigate whether healthy elderly have deficits in the decision-making process when compared to the young. Methods We performed a systematic search on SciELO, Lilacs, PsycINFO, Scopus and PubMed database with keywords decision making and aging (according to the description of Mesh terms) at least 10 years. Results We found nine studies from different countries, who investigated 441 young and 377 elderly. All studies used the IOWA Gambling Task as a way of benchmarking the process of decision making. The analysis showed that 78% of the articles did not have significant differences between groups. However, 100% of the studies that assessed learning did find relevant differences. Furthermore, studies that observed the behavior of individuals in the face of losses and gains, 60% of articles showed that the elderly has more disadvantageous choices throughout the task. Conclusion: The consulted literature showed no consensus on the existence of differences in performance of the decision-making process between old and young, but it is observed that the elderly has deficits in learning and a tendency to fewer advantageous choices. <hr/> Objetivo Realizar uma revisão sistemática para investigar se idosos saudáveis apresentam disfunções no processo de tomada de decisão quando comparados a jovens. Métodos Foi realizada uma busca sistemática nas bases de dados SciELO, Lilacs, PsycINFO, Scopus e PubMed, com as palavras-chave decision making and aging (de acordo com a descrição dos termos Mesh) dos últimos 10 anos. Resultados Foram encontrados nove estudos de diferentes países, que investigaram 441 jovens e 377 idosos. Como resultado, observou-se que 78% dos artigos não encontram diferenças significativas entre os grupos. Porém, 100% dos estudos que avaliaram o aprendizado encontram diferenças significativas. Além disso, dos estudos que observaram o comportamento dos indivíduos perante as perdas e ganhos, 60% mostraram que os idosos apresentam mais escolhas desvantajosas ao longo do teste. Conclusão Os artigos avaliados não apresentaram um consenso em relação à existência de diferenças no processo de tomada de decisão entre idosos e jovens, porém observa-se que os idosos apresentam dificuldade no aprendizado e tendência a escolhas menos vantajosas. <![CDATA[Assessing fidelity in psychosocial interventions: a systematic literature review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000300260&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo Intervenções psicossociais têm tido impacto positivo na vida das pessoas com transtorno mental grave, porém tais intervenções devem ser implementadas fielmente ao protocolo. A fidelidade refere-se à medida que uma intervenção adere ao modelo original e sua avaliação é essencial para que os desfechos possam ser creditados à intervenção. O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão sistemática da literatura mundial das intervenções psicossociais destinadas a pacientes com transtornos mentais que possuem um instrumento ou método de avaliação de fidelidade ao modelo original. Métodos Pesquisas bibliográficas sistemáticas foram realizadas para encontrar estudos relevantes ao tema nas seguintes bases de dados: Embase, Medline, Scopus e SciELO. Foram incluídos estudos de intervenções psicossociais, realizados na comunidade, dirigidos a pacientes diagnosticados com transtornos mentais. Intervenções de comparação poderiam incluir tanto o tratamento-padrão como uma intervenção de comparação ativa. A qualidade dos estudos foi avaliada de forma independente por dois revisores, utilizando critérios adaptados de instrumentos validados. Resultados Trinta estudos preencheram os critérios de inclusão. Os estudos mostraram a eficácia da avaliação da fidelidade em diferenciar diferentes modelos de tratamento, sua validade preditiva para os desfechos e a confiabilidade dos instrumentos utilizados, bem como os fatores facilitadores e os obstáculos para a obtenção de alta fidelidade nas intervenções avaliadas. Conclusão Além de documentar a adesão ao modelo original, a fidelidade fornece informações relativas à população-alvo e aos desfechos esperados, o que contribui para que seja alcançada excelência no processo de implementação das intervenções psicossociais. <hr/> Objective Psychosocial interventions have had a positive impact on the lives of people with severe mental illness. However, such interventions should be implemented accurately according to the protocol. Fidelity refers to the extent that an intervention adheres to the original model and its evaluation is essential so that the outcomes can be credited to the intervention. This study aims carry out a global systematic review of psychosocial interventions to patients suffering from mental illness which have an instrument or assessment method of fidelity to original model. Methods Systematic literature searches were performed to find studies relevant to the theme in the following databases: Embase, Medline, Scopus and SciELO. Studies of psychosocial intervention, conducted in community care for patients diagnosed with mental disorders were included. Comparison interventions could include either the standard treatment or intervention of active comparison. Study quality was assessed independently by two reviewers using criteria adapted from validated instruments. Results Thirty studies met the inclusion criteria. Studies have shown the effectiveness of the assessment of fidelity to differentiate different treatment models, their predictive validity for outcomes and reliability of the instruments used, as well as facilitating factors and obstacles for achieving high fidelity in the evaluated interventions. Conclusion More than documenting adherence to the original model, fidelity also provides information relating to the target population and the expected outcomes, which allows performing necessary adjustments during its course to be achieved excellence in the implementation process of such interventions.