Scielo RSS <![CDATA[Jornal Brasileiro de Psiquiatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0047-208520140002&lang=pt vol. 63 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Sobrecarga de familiares cuidadores em relação ao diagnóstico de pacientes psiquiátricos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200089&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Comparar os graus das sobrecargas objetiva e subjetiva sentidas por familiares cuidadores de pacientes com esquizofrenia e por familiares cuidadores de pacientes com depressão maior, bem como os fatores associados e as dimensões mais afetadas em cada grupo. Métodos Participaram desta pesquisa 50 cuidadores de pacientes com esquizofrenia e 50 cuidadores de pacientes com depressão maior. Esses familiares participaram de uma entrevista estruturada, na qual foram aplicados dois instrumentos: a escala de sobrecarga FBIS-BR e um questionário. Resultados Os resultados indicaram que os dois grupos apresentavam diferenças significativas quanto ao grau de sobrecarga, na análise detalhada dos itens da escala. Os familiares cuidadores de pacientes com esquizofrenia apresentaram sobrecarga objetiva significativamente mais elevada ao assistir o paciente na tomada de medicamentos e na administração do dinheiro e apresentaram maior sentimento de peso financeiro resultante do papel de cuidador. Os cuidadores de pacientes com depressão maior apresentaram maior frequência de supervisão de comportamentos autoagressivos, mais preocupação com a vida social dos pacientes e maior sentimento de incômodo nas tarefas de assistência na vida cotidiana. Não foram encontrados dados significativos referentes aos escores globais da escala de sobrecarga. Conclusão As diferenças encontradas nesta pesquisa apontam para a necessidade de os serviços de saúde mental planejarem intervenções específicas para cada grupo de cuidadores. <hr/> Objective This study aimed to compare the degree of objective and subjective burden felt by family caregivers of patients with schizophrenia and by family caregivers of patients with major depression, as well as the associated factors and life dimensions most affected in each group. Methods Participated in this study 50 family caregivers of patients with schizophrenia and 50 family caregivers of patients with major depression. These subjects participated in a structured interview for the application of the FBIS-BR burden scale and a sociodemographic and clinical questionnaire. Results The results indicated significant differences in the degree of burden of the two family caregivers groups, in the analysis of specific scale items. The family caregivers of patients with schizophrenia showed significantly higher objective burden in the subscale “Assistance in Everyday Life”, particularly in the tasks related to medication administration and financial management, and they also had more feeling of financial burden. Caregivers of patients with major depression had a higher frequency of self-injurious behaviors supervision, more concern with the social life of patients and a greater feeling of discomfort in the service tasks in everyday life. No difference was observed between groups regarding the scale global scores. Conclusion The differences found in this study pointed out the need for mental health services to plan specific interventions for each group of family caregivers. <![CDATA[Rastreio cognitivo em pacientes com acidente vascular cerebral: um estudo transversal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200098&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo O estudo objetivou-se a fazer um rastreio cognitivo nos pacientes com acidente vascular cerebral (AVC), a fim de determinar pontos de corte de acordo com a idade, escolaridade e grau de comprometimento neurológico. Métodos Foi realizado um estudo transversal no qual participaram 109 pacientes ambulatoriais, sendo 61 homens, com média da idade de 59 anos (± 11), média do tempo de escolaridade de 5 anos (± 4) e do tempo de sequela de 16 meses (± 14). Os pacientes foram avaliados por meio do Miniexame do Estado Mental (MEEM) e pela National Institute of Health Stroke Scale. Os dados foram analisados pela regressão linear múltipla (stepwise forward). Resultados Verificou-se que as variáveis grau de comprometimento neurológico, idade e escolaridade contribuíram significativamente para o valor global do MEEM e explicaram a variância do estado cognitivo (R2 ajustado = 0,24). Cada aumento do comprometimento neurológico representou diminuição de 0,456 no escore do MEEM. Quanto maior a idade, ocorreu uma diminuição de 0,202 no MEEM, e à medida que diminui o tempo de escolaridade, houve uma diminuição de 0,190 no MEEM. Os pontos de corte variaram de 14 a 22 de acordo com o grau de comprometimento neurológico, idade e escolaridade. Conclusão Os resultados apontaram que, por meio do rastreio positivo de déficit cognitivo, foram encontrados pontos de corte associados ao comprometimento neurológico, necessitando também serem ajustados pela idade e escolaridade, sugerindo que essas associações sejam preferencialmente levadas em consideração na planificação da reabilitação neuropsicológica dos pacientes com AVC. <hr/> Objective The aim of this study was to make a cognitive screening in patients with stroke in order to determine cutoff points according to age, education and degree of neurological impairment. Methods A cross-sectional study was conducted. The study included 109 outpatients (61 men), mean age 59 years (± 11), 5 years of schooling (± 4) and 16 months sequel time (± 14). Patients were assessed by the Mini-Mental State Examination (MMSE) and the National Institute of Health Stroke Scale. Data were analyzed by multiple linear regression (stepwise forward). Results It was found that the variable degree of neurological impairment, age and education contributed significantly to the overall value of the MMSE and explained variance in cognitive status (adjusted R2 = 0.24). Each increase of neurological impairment represented a decrease of 0.456 in MMSE score. The greater the age, there was a decrease of 0.202. As the years of education decreased there was a decrease in MMSE score of 0.190. The cutoffs ranged 14-22 according to the degree of neurological impairment, age and education. Conclusion The results showed that through positive screening for cognitive impairment cutoffs associated with neurological impairment were found, need to be adjusted for age and education, suggesting that these associations are preferably taken into consideration in planning the neuropsychological rehabilitation of stroke patients. <![CDATA[Influência da família no consumo de <strong><em>crack</em></strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200104&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Dimensionar a contribuição de características de grupos familiares de usuários de crack tanto em situações de consumo quanto na promoção da cessação do uso da substância. Métodos Estudo observacional, transversal, misto, com delineamento quantitativo (estatísticas descritiva e analítica, por regressão de Poisson robusta) e qualitativo (análise temática de conteúdos de entrevistas individuais semiestruturadas). Resultados Foram analisados dados oriundos de entrevistas com 519 usuários de crack, dos quais 48,3% referiram já ter feito uso compartilhado com algum familiar. A relação mais referida para compartilhamento do crack foi a conjugal, indicada por 30,6% dos entrevistados. A estimativa das razões de prevalência do desfecho abstinência na data da entrevista, por regressão de Poisson robusta controlada para fatores de confusão, para usuários de crack que referiram uso compartilhado com irmãos, foi de 0,940 (IC95%: 0,885-0,999; p = 0,045), tendo os que não referiram como referência. Na dimensão qualitativa, 20 entrevistados expuseram livremente modalidades de envolvimento dos familiares com o uso da droga, alguns indicando oposição ao consumo, outros estímulo, ou oferta, além da influência recíproca entre consumo de crack e conflitos familiares ou um ambiente considerado negativo. Além disso, os entrevistados que informaram ter familiares em tratamento em saúde mental tiveram 9% mais probabilidade de estar em uso cessado por 12 semanas ou mais (RP = 1,09; IC95%: 1,03-1,15; p = 0,005). Conclusão Os grupos familiares aparecem não somente como fator de proteção, mas também como importante fator de risco para o uso do crack, e sua inclusão como grupo primário de atendimento se justifica com essas evidências. <hr/> Objective This paper aims to study the contributions of families of crack users on promoting both consumption and cessation of consumption of this substance. Methods A cross-sectional, mixed study with a quantitative design (descriptive and analytical statistics, by robust Poisson regression) and a qualitative design (thematic content analysis). Results Among 519 crack users interviewed 48.3% reported having shared crack cocaine with some family member. The more expressive occurrence of sharing was for marital relations indicated by 30.6% of respondents. The estimated prevalence rates of the outcome crack usage stopped for more than 12 weeks, by robust Poisson regression controlling for confounding factors, for crack users who reported shared with brothers use was 0.940 (95% CI: 0.885-0.999; p = 0.045). For qualitative dimension, 20 respondents freely exposed the involvement they realize that their families have with their drug use, some indicating opposition to consumption, other stimulus, or offering, besides the interplay between crack usage and family conflicts and a negative environment. In addition, respondents who reported having family members in mental health treatment were 9% more likely to be stopped for 12 weeks or more (PR = 1.09 95% CI: 1.03-1.15; p = 0.005). Conclusion Family groups appear not only as a protective factor, but also as an important risk factor for crack cocaine use and their inclusion treatments is justified on these evidences. <![CDATA[Ansiedade e baixo nível motivacional associados ao fracasso na cessação do tabagismo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200113&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Analisar a associação entre as características sociodemográficas, status do tabagismo, grau de motivação, nível de ansiedade, depressão e de estresse com o fracasso em pacientes de um programa de cessação de tabagismo. Métodos Estudo de corte transversal realizado com pacientes que procuraram os programas de cessação do tabagismo de Cuiabá/MT, Brasil. Todos os fumantes matriculados no início desses programas, durante o período de maio a agosto de 2012, foram convidados a participar deste estudo, totalizando 216 pacientes. Os instrumentos utilizados foram o questionário Perfil Sociodemográfico, Teste de Fagerström (FTND), URICA, Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), Inventário de Depressão de Beck (BDI) e Inventário de Sintomas de Stress de Lipp (ISSL). Os dados foram digitados duplamente em programa Epidata versão 3.1, e para análise dos dados foi utilizado um modelo de regressão de Poisson. Resultados Foram encontradas associações do fracasso terapêutico com as seguintes variáveis: faixa etária jovem (RP = 1,68; IC 95% 1,11-2,56); menor tempo de tabagismo (RP = 1,32; IC 95% 1,09-1,61); maior consumo de cigarros/dia (RP = 1,24; IC 95% 1,01-1,52) e menor grau de motivação (RP = 1,55; IC 95% 1,04-2,30). No modelo final (RPa), ficaram associadas ao fracasso as variáveis: menor tempo de tabagismo (RPa 1,53; IC 95% 1,07-2,32), maior carga tabágica (RPa 1,48; IC 95% 1,12-1,95), baixo nível de motivação (RPa 1,58; IC 95% 1,07-2,32) e alto nível de ansiedade (RPa 1,22; IC 95% 1,01-1,48). Conclusão Baixo nível motivacional (Contemplação e Pré-contemplação), alto nível de ansiedade (moderado/grave), menor tempo de tabagismo e alta carga tabágica estão associados ao fracasso terapêutico. <hr/> Objective To analyze the association between the socio-demographic characteristics, smoking status, the degree of motivation, the degree of anxiety, depression and stress with failure in patients of a smoking cessation program. Methods Cross-sectional study conducted with patients who sought the smoking cessation program in Cuiabá/MT, Brazil. All the smokers enrolled in the initial phase of these programs, from May to August 2012, were invited to participate in this study, totalizing 216 patients. The instruments used were Socio-demographic Profile Questionnaire, Fagerström Test (FTND), URICA, Beck Anxiety Inventory (BAI), Beck Depression Inventory (BDI) and Lipp Stress Symptoms Inventory (LSSI). The data were entered twice into Epidata, version 3.1 program and for the data analysis Poisson regression model was used. Results Associations of the therapeutic failure with the following variables were found: young age group (RP = 1,68 IC 95% 1,11-2,56); shorter time of tobacco use (RP = 1,32; IC 95% 1,09-1,61); higher cigarette consumption/day (RP = 1,24; IC 95% 1,01-1,52) and lower level of motivation (RP = 1,55; IC 95% 1,04-2,30). In the final model (RPa), the following variables were associated with failure: shorter time of smoking (RPa 1,53; IC 95% 1,07-2,32), higher smoking burden (RPa 1,48; IC 95% 1,12-1,95), low level of motivation (RPa 1,58 IC 95% 1,07-2,32) and high level of anxiety (RPa 1,22; IC 95% 1,01-1,48). Conclusion : Low motivational level (Contemplation and Pre-contemplation), high level of anxiety (moderate/severe), shorter time of tobacco use, high tobacco intake are associated with therapeutic failure. <![CDATA[O uso da técnica cognitiva substituição por imagem positiva no manejo do <em>craving</em> em dependentes de <em>crack</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200121&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo O estudo visa avaliar a técnica cognitiva substituição por imagem positiva (SIP) no manejo do craving em dependentes de crack. Métodos Ensaio clínico do tipo quase-experimental de análise quantitativa. Amostra por conveniência, composta por 34 homens dependentes de cocaína/crack. Tinham o crack como a droga de escolha, haviam utilizado essa substância pela última vez entre 10 e 20 dias antes do início do tratamento. Os instrumentos aplicados foram: Cocaine Craving Questionnaire-Brief (CCQB), Escala Analógica Visual (EAV) para avaliar o craving e o quanto a técnica ajudou e uma ficha com dados sociodemográficos (FSD). Foram realizadas intervenções individuais. Inicialmente, foram aplicados o CCQB, a EAV e a FSD. Depois, os pacientes foram expostos a objetos relacionados ao uso do crack e foram reaplicados os instrumentos CCQB e EAV para mensuração da fissura. A seguir, foi realizada a técnica cognitiva substituição por imagem positiva e foram aplicados, pela terceira vez, o CCQB e a EAV. Resultados Os resultados desta pesquisa demonstraram uma redução dos escores do CCQB e da EAV pela técnica cognitiva SIP em uma amostra cujo perfil corresponde ao padrão geral dos usuários de crack. Conclusão Este estudo, apesar de algumas limitações metodológicas, sugere que a técnica cognitiva substituição por imagem positiva pode ser uma estratégia efetiva no manejo do craving em dependentes de crack. <hr/> Objective The objective of this study was to verify the effectiveness of cognitive technique replaced by positive image in the management of craving for crack-cocaine-dependent patients. Methods This is a quasi-experimental clinical trial using a quantitative analysis. The convenience sample comprised 34 crack-cocaine-dependent males. These subjects had cocaine as their drug of choice, having used this substance between 10 and 20 days prior to the beginning of the treatment. The instruments used were: the Cocaine Craving Questionnaire-Brief (CCQB), the visual analogue scale (VAS) to assess craving and how the technique helps to decrease it, and a form containing sociodemographic (SDF). Individual interventions were conducted with the administration of the CCQB, the VAS, and the SDF. After that, patients were exposed to objects related to the use of crack to measure craving and the same instruments were administered again. Next, cognitive technique was performed by replacing positive image for 5 minutes and were applied for the third time the instruments CCQB and VAS. Results Our findings demonstrated a decrease in the scores on the CCQB and on the VAS after the cognitive technique for positive image replacement in the sample whose profile matches the general pattern of crack users. Conclusion In spite of some methodological limitations, the present study suggests that the cognitive technique for positive image replacement is effective in the management of craving for crack-cocaine-dependent patients. <![CDATA[Consumo de álcool por frequentadores de academia de ginástica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200127&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Como não há na literatura informações sobre o perfil de consumo alcoólico entre desportistas, o objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil de consumo alcoólico por frequentadores de academia de ginástica associando com a antropometria e a intensidade do treino. Métodos Foram convidados a participar do estudo indivíduos praticantes de musculação, por no mínimo seis meses, com idade entre 20 e 40 anos, de ambos os sexos. Foram realizadas medidas antropométricas e de composição corporal. Para avaliação do consumo alcoólico, utilizou-se o questionário AUDIT (The Alcohol Use Disorders Identification Test). A intensidade do treino foi identificada por meio de um questionário semiestruturado. Resultados Dos participantes, 74,1% (n = 35) disseram ter feito uso de álcool. Além disso, 19 voluntários (38,8%) apresentaram comportamento de risco para o consumo de álcool (AUDIT ≥ 8). Considerando o consumo alcoólico em binge, 32 voluntários (65,3%) consumiram seis ou mais doses de álcool em alguma ocasião no ano anterior, não havendo diferença entre os sexos. A adiposidade corporal estava acima dos valores recomendados entre os que relataram consumo em binge. Não houve associação entre a intensidade do treinamento físico e o consumo de álcool em binge, nem entre a intensidade do treinamento e o comportamento de risco para o consumo de álcool. Conclusão A maioria dos desportistas apresentou consumo de bebidas alcoólicas no padrão binge, não sendo associado à intensidade do treinamento. Este não condiz com os seus objetivos ao frequentar academias de ginástica. A adiposidade corporal estava acima dos valores recomendados. <hr/> Objective As there is no information in the literature about alcohol consumption profile among sportsmen, the aim of this study was to evaluate the profile of alcohol consumption by gym goers associating with anthropometry and training intensity. Methods Were invited subjects bodybuilders for at least six months, aged between 20 and 40 years, of both sexes. Anthropometric measurements were taken and body composition. To assess alcohol consumption, we used the AUDIT questionnaire. The intensity of training was identified through a semi-structured questionnaire. Results   74.1% (n = 35) of participants reported having used alcohol. In addition, 19 volunteers (38.8%) had risk behavior for alcohol consumption (AUDIT ≥ 8). Considering the binge drinking, 32 volunteers (65.3%) consumed six or more drinks of alcohol at some time in the previous year, with no difference between sexes. Body adiposity was above the recommended values among those who reported binge drinking. There was no association between the intensity of physical training and binge drinking, nor between training intensity and risk behavior for alcohol consumption. Conclusion Most sportsmen showed drinking binge in not being associated with the intensity of training. This consumption is not consistent with your goals by attending gyms. Body adiposity was above the recommended values. <![CDATA[Momentos distintos no abandono da psicoterapia psicanalítica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200133&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Identificar características de início e término de tratamento de pacientes que abandonaram a psicoterapia psicanalítica (PP) em momentos distintos: entre 2 e 11 meses (abandono médio = AM) ou com mais de um ano (abandono tardio = AT) de psicoterapia. Métodos Entrevistas iniciais e de pós-tratamento de 14 adultos (sete de AM e sete de AT), classificados por seus psicoterapeutas como pacientes que abandonaram a psicoterapia, foram analisadas utilizando-se o método de análise de conteúdo de Bardin. Resultados As entrevistas iniciais geraram cinco categorias (motivo, objetivos, disposição para mudança, tratamento anterior, transferência) e as de pós-tratamento geraram três categorias (processo de mudança, avaliação de resultados, término). Conclusão Em comparação com os pacientes de AT, os pacientes de AM apresentaram maior resistência, possuíam expectativas de mais apoio, apresentaram menor transferência positiva e mais queixas depressivas e relataram experiências negativas com tratamentos anteriores. A maior parte dos pacientes de AM iniciou o tratamento por indicação de terceiros, enquanto a maioria dos de AT buscou a psicoterapia por conta própria. Na entrevista pós-tratamento, os pacientes de AM revelaram mais resistência durante o processo de psicoterapia, demonstraram menor capacidade de insight e fizeram avaliações mais negativas do tratamento, tanto nos aspectos gerais como nos específicos. A diferenciação dos grupos de AM e AT é tênue, sendo necessárias mais investigações sobre a temática. <hr/> Objective To identify characteristics of beginning and end of treatment of patients who dropped out of psychoanalytic psychotherapy (PP) at different times: between 2 and 11 months (middle dropout = MD) or with more than one year (late dropout = LD) from the beginning of psychotherapy. Methods Initial and post-treatment interviews of 14 adults (seven MD and seven LD) considered as dropouts by their therapists were analyzed using Bardin’s content analysis method. Results The analysis of initial interviews generated five categories (reason, goals, willingness to change, previous treatment, transference) and three post-treatment categories (process of change, evaluation of results, termination). Conclusion In comparison with LD patients, MD patients have more resistances, expected more support, showed less positive transferences, more depressive complaints and reported more negative experiences with previous treatments. The majority of MD patients began treatment by indication of others while most LD patients sought psychotherapy by themselves. In post-treatment interview, MD patients revealed more resistance during psychotherapy, showed less capacity for insight and made more negative evaluations of treatment, both in general and in specific ways. The differentiation MD and LD patients is tenuous and there is a need of more research on the subject. <![CDATA[Significados dos episódios maníacos para pacientes com transtorno bipolar em remissão: um estudo qualitativo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200142&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Discutir os significados da vivência de episódios maníacos para pacientes com transtorno bipolar (TAB). Métodos Trata-se de uma pesquisa qualitativa, feita por meio de entrevistas semidirigidas em profundidade, em uma amostra fechada pelo critério de saturação com oito pacientes com TAB em remissão. A técnica de tratamento de dados foi feita por meio da análise de conteúdo das entrevistas transcritas na íntegra e categorização. Os resultados foram submetidos à validação externa, no Laboratório de Pesquisa Clínico-Qualitativa do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Unicamp, composto por 37 pesquisadores do método, entre eles mestrandos, doutorandos, pós-doutorados e pesquisadores seniores. Resultados Foram identificadas três categorias – Ambivalência e vergonha: pensar ou não pensar sobre os episódios maníacos; Organizando sentimentos pessoais: a remissão como um momento de autoconsciência; Episódios maníacos estruturando relações interpessoais versus projeções da angústia. Conclusão Os achados da presente pesquisa contribuem para a maior compreensão dos quadros maníacos no TAB, que podem auxiliar nas reflexões acerca da relação profissional-paciente, para elaborar estratégias para aderência e para as medidas terapêuticas e preventivas da recorrência dos episódios. Podem auxiliar a equipe de saúde envolvida no acompanhamento desses casos e também os pesquisadores na investigação da contribuição dos significados aqui discutidos nos fenômenos de aderência ao tratamento e de um melhor prognóstico. <hr/> Objective To discuss the meanings of the experiences of manic episodes in patients with bipolar disorder (BD). Methods This is a qualitative research, done through semi-structured in-depth interviews in a sample closed by saturation criterion with eight patients with BD in remission. The technical data processing was done through qualitative content analysis of the transcribed interviews and categorization. The results were validated by peer-reviewers from the Laboratory of Clinical-Qualitative Research of the Department of Medical Psychology and Psychiatry, Unicamp consisting of 37 researchers of the method, including, masters, doctoral, postdoctoral and senior researchers. Results Three categories were identified – Ambivalence and shame: to think or not to think about the manic episodes; Organizing personal feelings: remission as a moment of self-consciousness; Maniac episodes: structuring interpersonal relationships versus projections of self-criticism. Conclusion The findings of this research contribute to a greater understanding of manic frames in BD that can assist in the reflections on the doctor-patient relationship, to develop strategies for adherence and the therapeutic and preventive measures of recurrent. Can assist the health team involved in monitoring these cases and also the researchers in investigation of the contribution of these meanings discussed here in the phenomena of adherence to treatment and a better prognosis. <![CDATA[Violência contra a mulher ou mulheres em situação de violência? Uma análise sobre a prevalência do fenômeno]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200149&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Refletir sobre as possíveis diferenças entre os termos “violência contra mulher” e “mulheres em situação de violência” com base na análise da ocorrência de violência íntima. Métodos Trata-se de um estudo transversal com uma amostra de 640 mulheres com idade entre 20 e 64 anos, em quatro unidades de Saúde da Família do município de Nova Iguaçu (RJ). Para aferição do evento, foi utilizada a versão em português do instrumento Revised Conflict Tactics Scales, que avaliou as formas – e suas interseções – de violência física, psicológica e sexual sofridas e perpetradas pelas mulheres ao menos uma vez na vida. Resultados Estimou-se a prevalência das três formas de violência íntima praticadas contra a mulher (9,8%; IC95%: 7,5/12,1), pela mulher (4,5%; IC95%: 2,9/6.1) e nos casos que a mulher foi vítima ou perpetradora dos atos (13,1%; IC95%: 10,5/15,7), assumindo-se neste trabalho como violência no casal. Conclusão Na tentativa de melhor entender a dinâmica da violência íntima, seria oportuno considerar a mobilidade de papéis na relação do casal para além da demarcação de gênero – histórica e por vezes imobilizadora – entre vítima e agressor. <hr/> Objective To reflect upon possible differences between the terms “violence against women” and “women in a situation of violence” from the analysis of the occurrence of intimate partner violence. Methods It’s a cross-sectional study with a sample of 640 women, aged between 20 and 64, in four Health Family Units in the municipality of Nova Iguaçu (RJ). The instrument used was the Portuguese version for the Revised Conflict Tactics Scales, that evaluated the forms – and their intersection – physical, psychological and sexual violence suffered and perpetrated by women at least once in life. Results It has been estimated the prevalence of intimate forms of violence practiced against women (9.8%; IC95%: 7.5/12.1), by women (4.5%; IC95%: 2.9/6.1), and in the cases that the women was the victim or perpetrator of the acts (13.1%; IC95%: 10.5/15.7), it was assumed in this study as violence in couples. Conclusion In an attempt to better understand the dynamics of intimate partner violence, it would be useful to consider role mobility within the couple beyond the demarcation of genre – historical and sometimes immobilizing – between victim and assailant. <![CDATA[Propriedades psicométricas de instrumentos de avaliação do transtorno do espectro do autismo: uma revisão sistemática de estudos brasileiros]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200154&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective To systematically review the scientific literature on the psychometric properties of international instruments for the assessment of autism spectrum disorder (ASD) in the Brazilian population. Methods A search of bibliographic references was conducted in six electronic databases: PsycINFO, PubMed, IndexPsi, Lilacs, Capes (theses and dissertations) and SciELO. The studies were selected by two independent researchers. Results The procedure identified 11 studies of the Brazilian population that encompassed six ASD assessment tools. Given the information provided, the adaptation of the M-CHAT, a screening instrument, was the best conducted. All steps of the adaptation process were described and the changes made to the final version of the instrument were presented, which was not addressed in other studies. In terms of reliability, all of the instruments that assessed internal consistency showed adequate values. In addition, the ADI-R and the CARS adaptations also satisfactorily contemplated inter-rater reliability and test-retest indices, respectively. Finally, all studies aiming to validate instruments showed evidence of validity and sensitivity, and specificity values above 0.90 were observed in the ASQ, ADI-R and ABC. Conclusion Considering both the psychometric aspects and the copyright information, the screening instrument that currently appears to be best indicated for clinical and research use is the M-CHAT. It was also noticed that there are still no specific ASD diagnostic tools available for use in Brazil. This lack of diagnostic instruments consists in a critical situation for the improvement of clinical practice and the development of research in this area. <hr/> Objetivo Revisar sistematicamente a literatura científica acerca das propriedades psicométricas de instrumentos internacionais para a avaliação do transtorno do espectro do autismo (TEA) na população brasileira. Métodos Realizou-se uma busca de referências bibliográficas em seis bases de dados: PsycINFO, PubMed, IndexPsi, Lilacs, Capes (teses e dissertações) e SciELO, sendo a seleção dos estudos realizada por dois pesquisadores independentes. Resultados O procedimento resultou em 11 estudos que abarcaram seis instrumentos de avaliação do TEA na população brasileira. Dadas as informações fornecidas, a adaptação do M-CHAT, um instrumento de rastreamento, foi a melhor realizada. Todas as etapas do processo de adaptação foram descritas e as alterações feitas para a versão final do instrumento foram apresentadas, o que não foi explicitado em outros estudos. Em termos de fidedignidade, todos os instrumentos que avaliaram a consistência interna apresentaram valores adequados. A ADI-R e a CARS também contemplaram satisfatoriamente a fidedignidade entre avaliadores e os índices de teste-reteste, respectivamente. Finalmente, todos os estudos que objetivaram a validação de instrumentos apresentaram evidências de validade e sensibilidade, e valores de especificidade acima de 0,90 foram observados no ASQ, ADI-R e ABC. Conclusão Considerando-se os aspectos psicométricos e de direitos autorais, o instrumento de rastreamento atualmente mais adequado para uso clínico e em pesquisa é o M-CHAT. Observou-se, contudo, que ainda não há um instrumento de diagnóstico específico para o TEA disponível para uso no Brasil. Essa lacuna consiste em uma situação crítica para o aprimoramento da prática clínica e da pesquisa na área do TEA. <![CDATA[Síndromes neuropsiquiátricas associadas a acidentes vasculares encefálicos: revisão de literatura]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200165&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo Revisar as principais síndromes neuropsiquiátricas associadas ao acidente vascular encefálico (AVE), suas características clínicas, impacto sobre a recuperação dos pacientes, tratamento, suas possíveis relações com a fisiopatologia dos AVE e, quando possível, contextualizá-las à realidade brasileira. Métodos Foram realizadas buscas nas bases de dados PubMed/MedLine e SciELO/Lilacs com os termos “stroke” e “cerebrovascular disease” em combinações com “neuropsychiatry”, “neuropsychiatric disorders”, “psychiatry”, “psychiatric disorders”, “depression”, “anxiety” e “dementia”, com ênfase nos últimos dez anos. Resultados Foram revisadas as síndromes neuropsiquiátricas pós-AVE, incluindo depressão, ansiedade, transtorno da expressão emocional involuntária, labilidade emocional, irritabilidade, raiva, reação catastrófica, apatia, demência, mania e psicose, de acordo com os objetivos propostos. Conclusão É notória a escassez de informações sobre o manejo terapêutico das complicações neuropsiquiátricas secundárias aos AVE, especialmente diante do impacto em saúde pública representado pelas doenças cerebrovasculares. Com a evolução da abordagem precoce a esses pacientes e o consequente aumento de sua sobrevida, o aprofundamento do conhecimento sobre o desenvolvimento e o tratamento dos transtornos neuropsiquiátricos parece ter maior potencial para melhorar o desfecho e a qualidade de vida dos indivíduos que sofreram AVE. <hr/> Objective To review the main neuropsychiatric syndromes associated with stroke, their clinical features, impact over functional recovery, therapeutics, putative relations to stroke pathophysiology and, when possible, to contextualize them to the Brazilian reality. Methods It was performed a search on PubMed/MedLine and SciELO/Lilacs databases, using the terms “stroke” and “cerebrovascular disease” combined with “neuropsychiatry”, “neuropsychiatric disorders”, “psychiatry”, “psychiatric disorders”, “depression”, “anxiety” and “dementia”. Results According to the proposed objectives, we reviewed the stroke-related syndromes characterized by depression, anxiety, emotional lability, irritability, anger, catastrophic reaction, apathy, dementia, mania and psychosis. Conclusion These findings emphasize the lack of information on the therapeutic management of neuropsychiatric complications secondary to stroke, especially considering the burden on public health represented by cerebrovascular diseases. Following the improvement in the survival rates with the early strategies to stroke, the advancement of knowledge on neuropsychiatric disorders seem to have the greatest potential to improve the quality of life of patients affected by stroke. <![CDATA[Catatonia secundária a lúpus eritematoso sistêmico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200177&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objectives Discuss neuropsychiatric aspects and differential diagnosis of catatonic syndrome secondary to systemic lupus erythematosus (SLE) in a pediatric patient. Methods Single case report. Result A 13-year-old male, after two months diagnosed with SLE, started to present psychotic symptoms (behavioral changes, hallucinations and delusions) that evolved into intense catatonia. During hospitalization, neuroimaging, biochemical and serological tests for differential diagnosis with metabolic encephalopathy, neurological tumors and neuroinfections, among other tests, were performed. The possibility of neuroleptic malignant syndrome, steroid-induced psychosis and catatonia was also evaluated. A complete reversal of catatonia was achieved after using benzodiazepines in high doses, associated with immunosuppressive therapy for lupus, which speaks in favor of catatonia secondary to autoimmune encephalitis due to lupus. Conclusion Although catatonia rarely is the initial clinical presentation of SLE, the delay in recognizing the syndrome can be risky, having a negative impact on prognosis. Benzodiazepines have an important role in the catatonia resolution, especially when associated with parallel specific organic base cause treatment. The use of neuroleptics should be avoided for the duration of the catatonic syndrome as it may cause clinical deterioration. <hr/> Objetivos Discutir aspectos neuropsiquiátricos e o diagnóstico diferencial da síndrome catatônica secundária a lúpus eritematoso sistêmico (LES) em paciente pediátrico. Métodos Relato de caso individual. Resultado Adolescente do sexo masculino com 13 anos de idade iniciou, após dois meses de diagnosticado com LES, quadro psicótico (alterações comportamentais, alucinações e delírios) que evoluiu para franca catatonia. Durante internação hospitalar foram realizados, entre outros, exames de neuroimagem, bioquímicos e sorologias para diagnóstico diferencial com encefalopatia metabólica, tumores neurológicos e neuroinfecções. Foi avaliada também a possibilidade de síndrome neuroléptica maligna, psicose e catatonia induzida por corticoides. Houve reversão completa da catatonia após o uso de benzodiazepínico em altas doses associado à terapia imunossupressora para o lúpus, o que fala a favor de uma catatonia secundária a uma encefalite autoimune de base lúpica. Conclusão Apesar de a catatonia ser raramente apresentação clínica inicial do LES, o atraso no reconhecimento da síndrome pode ser arriscado, tendo impacto negativo no prognóstico. Os benzodiazepínicos têm papel importante na resolução da catatonia, principalmente quando associada ao tratamento específico em paralelo para a causa orgânica de base. O uso de neurolépticos deve ser evitado durante a vigência da síndrome catatônica, podendo agravar o quadro clínico. <![CDATA[Eletroconvulsoterapia e anticoagulação após tromboembolismo pulmonar: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852014000200182&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Electroconvulsive therapy (ECT) is considered the most effective treatment for catatonia regardless its underlying condition. The rigid fixed posture and immobility observed in catatonia may lead to several clinical complications, of which, pulmonary embolism (PE) is one of the most severe. The rapid improvement of the psychiatric condition in catatonia-related PE is essential, since immobility favors the occurrence of new thromboembolic events and further complications. In that scenario, ECT should be considered, based on a risk-benefit analysis, aiming at the faster resolution of the catatonia. Methods Case report and literature review. Results A 66-years-old woman admitted to the psychiatric ward with catatonia due to a depressive episode presented bilateral PE. Clinically stable, but still severely depressed after a trial of antidepressants, she was treated with ECT in the course of full anticoagulation with enoxaparin. After five ECT sessions, her mood was significantly better and she was walking and eating spontaneously. She did not present complications related either to PE or to anticoagulation. After the eighth ECT session, she evolved with hypomania, which was managed with oral medication adjustments. The patient was completely euthymic at discharge. Conclusion The case we presented provides further evidence to the anecdotal case reports on the safety of ECT in the course of concomitant full anticoagulant therapy after PE, and illustrates how, with the proper precautions, the benefits of ECT in such condition might outweigh its risks. <hr/> Introdução A eletroconvulsoterapia (ECT) é considerada o tratamento mais eficaz para catatonia independente da causa base. Rigidez e imobilidade são comumente observadas e podem levar a diversas complicações clínicas, das quais o tromboembolismo pulmonar (TEP) é a mais grave. A melhora rápida da condição psiquiátrica de base no TEP associado à catatonia é fundamental, uma vez que a imobilidade favorece a ocorrência de novos eventos tromboembólicos e suas complicações. Nesse cenário, a indicação de ECT deve ser considerada, pesando-se riscos e benefícios, visando-se à rápida resolução do quadro catatônico. Métodos Relato de caso e revisão da literatura. Resultados Paciente de 66 anos estava internada em enfermaria de psiquiatria com quadro catatônico devido a episódio depressivo quando apresentou TEP bilateral, necessitando de medidas de suporte ventilatório e, posteriormente, de anticoagulação plena com enoxaparina. Embora clinicamente estável, apresentava-se ainda gravemente deprimida após ensaio com antidepressivos. Foi indicada ECT apesar de manter-se terapia de anticoagulação concomitante. Após cinco sessões de ECT, o humor da paciente apresentou significativa melhora e ela já andava e comia espontaneamente. Não houve complicações relacionadas ao TEP ou à anticoagulação com enoxaparina. Após a oitava sessão, evoluiu com hipomania, manejada com ajustes da medicação oral. A paciente recebeu alta hospitalar completamente eutímica. Conclusão O caso apresentado oferece evidência adicional em favor da segurança da ECT concomitante à anticoagulação plena após TEP, mostrando que, com precauções adequadas, os benefícios na ECT em tais situações podem superar seus riscos.