Scielo RSS <![CDATA[Jornal Brasileiro de Psiquiatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0047-208520180002&lang=pt vol. 67 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Sintomas de ansiedade social e insatisfação com a imagem corporal em estudantes de Medicina: prevalência e correlatos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200065&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective Social anxiety disorder (SAD) and body image dissatisfaction (BID) are common problems among college students, but few studies focused on medical students. We aimed to estimate the prevalence, severity and correlates of SAD symptoms and BID among medical students of a Brazilian public university. Methods A cross-sectional study with 479 students, using structured instruments: Social Phobia Inventory (SPIN), Body Shape Questionnaire (BSQ), and Beck Depression Inventory (BDI). Bivariate analyses were followed by logistic regression models to obtain independent predictors of SAD symptoms, BID and both outcomes combined. Results Most students were single (99%) and female (58.7%). The prevalence rates of SAD symptoms (SPIN ≥ 19) and BID (BSQ ≥ 81) were 36.3% and 34.7%, respectively. Depressive symptoms (BDI ≥ 19) occurred in 8.8% of the sample. SAD symptoms were independently associated with: BID, thoughts of abandoning the course, difficulty making friends, depressive symptoms, and mental health treatment prior to university. Besides SAD symptoms, BID was associated with female sex, difficulty making friends, depressive symptoms, and body mass index (BMI). Seventy-eight students (16.3%) presented SAD symptoms and BID, which was associated with female sex, difficulty making friends, dissatisfaction with the course, depressive symptoms and BMI. Conclusion SAD symptoms and BID are common and related problems that should be screened for among medical students. The identification of specific correlates could contribute to the elaboration of preventive measures, minimizing the distress and negative impact of these mental health problems on relationships and academic performance.<hr/>RESUMO Objetivo O transtorno de ansiedade social (TAS) e a insatisfação com a imagem corporal (IIC) são problemas comuns em estudantes universitários, mas poucos estudos avaliaram estudantes de Medicina. O objetivo do estudo foi estimar a prevalência, a gravidade e os correlatos de sintomas de TAS e IIC em estudantes de Medicina de uma universidade pública brasileira. Métodos Estudo transversal com 479 estudantes utilizando os seguintes instrumentos de avaliação estruturados: Social Phobia Inventory (SPIN), Body Shape Questionnaire (BSQ) e Beck Depression Inventory (BDI). Análises bivariadas foram seguidas de modelos de regressão logística para identificar preditores independentes de sintomas de TAS, IIC e ambos os desfechos combinados. Resultados A maioria dos estudantes era solteira (99%) e do sexo feminino (58,7%). As prevalências de sintomas de TAS (SPIN ≥ 19) e de ICC (BSQ ≥ 81) foram de 36,3% e 34,7%, respectivamente. Sintomas depressivos (BDI ≥ 19) ocorreram em 8,8% da amostra. Sintomas de TAS associaram-se de modo independente com: IIC, pensamentos de abandonar o curso, dificuldade de fazer amigos, sintomas depressivos e tratamento de saúde mental antes de ingressar na universidade. Além de sintomas de TAS, IIC associou-se com sexo feminino, dificuldade de fazer amigos, sintomas depressivos e índice de massa corporal (IMC). Setenta e oito estudantes (16,3%) apresentaram sintomas de TAS e IIC, o que se associou com sexo feminino, dificuldade de fazer amigos, insatisfação com o curso, sintomas depressivos e IMC. Conclusão Sintomas de TAS e IIC são problemas comuns e inter-relacionados que devem ser rastreados em estudantes de Medicina. A identificação de correlatos específicos pode contribuir para a elaboração de medidas preventivas minimizando o sofrimento e o impacto negativo desses problemas de saúde mental nos relacionamentos e no desempenho acadêmico desses estudantes. <![CDATA[Relações entre saúde mental e falhas cognitivas no dia a dia: papel dos sintomas internalizantes e externalizantes]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200074&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Falhas cognitivas são erros cometidos no dia a dia como perda de compromissos, falta de palavras ao conversar, dificuldades de memorizar o que é lido, erros de orientação, entre outros. Sintomas psiquiátricos internalizantes e externalizantes podem contribuir para a ocorrência de falhas cognitivas. O presente estudo objetiva avaliar como sintomas internalizantes e externalizantes contribuem para a ocorrência de falhas cognitivas no dia a dia. Métodos Foram avaliados 366 voluntários utilizando o Questionário de Falhas Cognitivas (CFQ) e as escalas Self-Reporting Questionnaire-20 (SRQ-20), como medida de sintomas internalizantes, e Adult Self-Report Scale (ASRS-18), como medida de sintomas externalizantes. Os participantes foram classificados com base nos pontos de corte da SRQ-20 e ASRS-18 para a criação de quatro grupos: hígido, internalizante, externalizante e misto. Comparamos os grupos por meio de ANOVA e testamos a associação das variáveis estudadas por meio de correlações. Resultados Todas as escalas apresentaram correlações fortes entre si (r &gt; 0,500, p &lt; 0,001). A comparação dos grupos sugere que participantes com escores clínicos de sintomas internalizantes e externalizantes apresentam mais falhas quando comparados ao grupo hígido (d = 0,86 e d = 1,00), mas não apresentam diferenças entre si (d = 0,21). Participantes do grupo misto apresentaram mais falhas que o grupo hígido (d = 2,01), internalizante (d = 1,31) e externalizante (d = 1,05). Conclusão Tanto sintomas internalizantes quanto externalizantes contribuem para a ocorrência de falhas cognitivas no dia a dia. Observamos ainda um efeito aditivo de ambos os sintomas.<hr/>ABSTRACT Objective Cognitive failures are errors made in everyday life such as forgetting appointments, lack of words when talking, difficulties to memorize what is read, errors of orientation, among others. Internalizing and externalizing psychiatric symptoms may contribute to the occurrence of cognitive failures. The present study aims to evaluate how internalizing and externalizing symptoms contribute to the occurrence of everyday cognitive failures. Methods We evaluated 366 volunteers using the Cognitive Failure Questionnaire (CFQ), the Self-Reporting Questionnaire-20 (SRQ-20) as a measure of internalizing symptoms and the Adult Self-Report Scale (ASRS-18) as a measure of externalizing symptoms. We classified the participants based on the SRQ-20 and ASRS-18 cut-off scores to create four groups: controls, internalizing, externalizing, and mixed. We compared the groups by means of ANOVA and tested its associations with correlations. Results All scales showed strong correlations between each other (r &gt; 0.500, p &lt; 0.001). The comparison of the groups suggests that participants with clinical scores of internalizing and externalizing symptoms have more failures when compared to the control group (d = 0.86 and d = 1.00), but they do not present differences between themselves (d = 0.21). Participants of the mixed group presented more failures than the control group (d = 2.01), and the internalizing (d = 1.31) and externalizing (d = 1.05) groups. Conclusion Both internalizing and externalizing symptoms contribute to the occurrence of day-to-day cognitive failures. We also observed an additive effect of both symptoms. <![CDATA[Avaliação do padrão de sono em insones usuários de benzodiazepínicos e análise da trazodona como medicação substitutiva]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200080&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Conhecer as modificações do padrão do sono em insones usuários crônicos de benzodiazepínicos (BZDs) após introdução da trazodona. Métodos Em um grupo de 11 pacientes, foi estabelecido esquema para retirada gradual do BZD com introdução progressiva da trazodona. Foram realizadas duas polissonografias, sendo a primeira com dose de BZD habitual do paciente e a segunda após supensão do BZD e com 150 mg de trazodona de liberação prolongada. Questionários de qualidade do sono (Pittsburgh), sonolência diurna (Epworth) e sintomas depressivos (Hamilton) e ansiosos (Beck) foram aplicados. Resultados Cinco indivíduos concluíram o estudo, tendo sido acompanhados por pelo menos seis semanas. Nesses pacientes, a trazodona aumentou significativamente a eficiência do sono e sono REM e diminuiu o tempo desperto após início do sono. Houve melhora da qualidade do sono, porém não houve alteração dos sintomas depressivos e ansiosos. Conclusão Trazodona de liberação prolongada demonstrou ser uma opção terapêutica para insones usuários crônicos de BZDs com retirada eficaz do ansiolítico. Houve melhora na qualidade do sono por questionário e polissonografia. Maior número de pacientes será necessário para determinar os benefícios da trazodona nesse tipo de intervenção.<hr/>ABSTRACT Objective To know the modifications of the sleep pattern in chronic benzodiazepine users after the introduction of trazodone. Methods In a group of 11 patients, a gradual withdrawal of benzodiazepine (BZD) was introduced with progressive introduction of trazodone. Two polysomnograms were performed, the first with BZD usual dose of the patient and the second after BZD suppression and with 150 mg of prolonged release trazodone. Sleep quality questionnaires (Pittsburgh), daytime sleepiness (Epworth) and depressive (Hamilton) and anxious (Beck) symptoms were applied. Results Five subjects completed the study and were followed up for at least six weeks. In these patients, trazodone significantly increased sleep efficiency and REM sleep and decreased wakefulness after sleep onset. There was an improvement in sleep quality, but there was no change in depressive and anxious symptoms. Conclusion Prolonged release trazodone has been shown to be a therapeutic option for chronic insomnia patients with benzodiazepines with effective withdrawal of the anxiolytic drug. There was improvement in sleep quality by questionnaire and polysomnography. More patients will be needed to determine the benefits of trazodone in this type of intervention. <![CDATA[O consumo de bebida alcoólica e o <em>binge drink</em> entre os graduandos de Medicina de uma Universidade de Minas Gerais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200087&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivos O estudo objetivou verificar o padrão de consumo de bebidas alcoólicas e a presença do beber pesado episódico (BPE) entre os estudantes de Medicina de uma universidade do centro-oeste de Minas Gerais. Métodos Trata-se de um estudo transversal, exploratório e descritivo, realizado com 202 graduandos do curso de Medicina de uma universidade do centro-oeste de Minas Gerais. A coleta de dados foi realizada no primeiro semestre de 2015, com a utilização de um questionário sociodemográfico e do questionário Audit. O tratamento estatístico dos dados foi realizado com a utilização da análise bivariada, por meio do teste qui-quadrado ou do teste de Fisher e de modelos multivariados de regressão logística. Resultados Observou-se que o álcool é utilizado por 76,6% dos estudantes pesquisados, e 53,7% praticavam o BPE. O consumo de bebidas alcoólicas teve associação significativa com a idade e o fato de não morar com a família e estar acima do terceiro ano de graduação. O BPE, por sua vez, esteve associado com o sexo masculino e com o fato de não morar com a família. Conclusões Este trabalho mostrou que o consumo de álcool entre os estudantes de Medicina é maior do que o da população geral e que a prática do BPE possui alta prevalência nesse grupo. Idade, não morar com a família e período mais avançado do curso foram associados a maior consumo de álcool. Ser do sexo masculino e não morar com a família se associaram a maior risco de BPE.<hr/>ABSTRACT Objectives The study had as its goal to verify the pattern of the alcoholic beverages consumption and the presence of drinking heavily snatchy (BPE) among the Medicine students of a Minas Gerais Midwest university. Methods It is about a transversal, exploratory and descriptive study, performed on 202 graduating students of the Medicine course of a Minas Gerais Midwest university. The data collet was performed on the first term of 2015, a sociodemographic questionnaire and the Audit questionnaire were used. The statistical treatment of the data was performed with the use of the bivariate analysis, through the chi-square test or by the Fisher test, and multivariate logistic regression models. Results It was noticed that the alcohol is used by 76,6% of the students surveyed, being that 53,7% practiced the drinking heavily episodic. The alcoholic beverages consumption had meaningful association with the age, not living with family and being above the 3rd year of graduation. Drinking heavily episodic had meaningful association with the males and not living with family. Conclusions This paperwork has shown that the alcohol consumption among Medicine students is bigger than among the general population and the binge drink practice has high prevalence on that group. Age, not living with the family and more advanced period of the course were associated with higher alcohol consumption. Being male and not living with the family were associated with a higher risk of BPE. <![CDATA[Sonolência diurna excessiva e qualidade de vida relacionada à saúde dos professores universitários]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200094&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução Problemas relacionados ao sono interferem na qualidade de vida das pessoas. Este trabalho tem o objetivo específico de analisar a influência da sonolência diurna excessiva na qualidade de vida dos docentes. Métodos Para tal pesquisa, aplicaram-se três questionários. Para avaliar a qualidade de vida, usou-se o questionário Medical Outcomes Study 36 – Item Short – Form Health Survery. O sono foi avaliado pela escala de Epworth e as demais variáveis foram avaliadas por um questionário semiestruturado, unificado on-line, transcrito no Google Doc. Resultados Dos 688 docentes convidados a participar da pesquisa, 40% responderam ao questionário, compondo a amostra do estudo. Dessa amostra, 35,2% apresentaram sonolência diurna excessiva (IC 95%, 29,5-40,9). Houve associação estatisticamente significativa (p &lt; 0,05) entre a sonolência diurna excessiva com menor escore de qualidade de vida em todos os oito domínios avaliados (capacidade funcional, aspectos físicos, dor, estado geral da saúde, vitalidade, aspectos sociais, aspecto emocional e saúde mental). Conclusão Este trabalho aborda um importante aspecto, com relação direta sobre a qualidade de vida, que se refere ao sono dos indivíduos. A partir desse levantamento, podem ser planejadas medidas para que os escores de qualidade de vida dos docentes sejam incrementados.<hr/>ABSTRACT Introduction Problems related to sleep affect people’s quality of life. The objective of this study was to analyze the influence of excessive daytime sleepiness on the quality of life of college professors. Methods To evaluate the quality of life, it was used the Medical Outcomes Study 36 – Item Short – Form Health Survey questionnaire. Sleep was assessed by the Epworth scale, and the other variables were evaluated by a unified, semi-structured online questionnaire, transcribed in Google Doc. Results Of the 688 professors invited to participate in the survey, 40% answered the questionnaire. Overall, 35.2% presented excessive daytime sleepiness (95% CI: 29.5-40.9). There was a statistically significant association (p &lt; 0,05) between excessive daytime sleepiness with lower quality of life score in the all eight domains evaluated (functional capacity, physical aspects, pain, general health, vitality, social functioning, emotional aspects and mental health). Conclusion This paper addresses an important aspect, showing a strong relationship between sleep and lower level of quality of life. Policies should be planned focusing on quality of sleep to improve professors’ quality of life. <![CDATA[Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200101&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Avaliar a prevalência de depressão e os fatores associados em mulheres de 20 a 59 anos de áreas cobertas pela Estratégia de Saúde da Família de município da Zona da Mata Mineira. Métodos Trata-se de um estudo transversal, com mulheres de 20 a 59 anos cadastradas em duas Unidades de Saúde da Família, que utilizou um questionário contendo variáveis sociodemográficas, apoio social, autoavaliação de estado de saúde, estilo de vida, morbidade e saúde da mulher. O desfecho depressão foi avaliado segundo o Patients Health Questionnaire-9 (PHQ-9). Resultados Das 1.958 mulheres incluídas nesta análise, 28,5% encontram-se na faixa etária entre 30 e 39 anos; 15,4% não concluíram o ensino elementar; 54,5% não trabalham ou nunca trabalharam; 44,2% declararam não ser da raça branca. Fatores associados à ocorrência de depressão na população estudada: possuir baixa escolaridade, trabalhar atualmente e ter doença mental prévia. Como fatores de proteção observaram-se: ser casada ou viver com companheiro, realizar atividades físicas regularmente e relatar autoavaliação positiva de saúde. Conclusão Os resultados deste estudo revelam prevalência de depressão de 19,7% nas mulheres de 20 a 59 anos de áreas cobertas pela Estratégia de Saúde da Família, apontando para a necessidade de um cuidado especial na atenção primária à saúde às mulheres com baixa escolaridade, que trabalham, apresentam doença mental e não praticam exercícios físicos, de modo que se possa reduzir o sofrimento e promover a saúde. Ressalta-se a lacuna na utilização de instrumentos de rastreamento dos casos de depressão na atenção primária.<hr/>ABSTRACT Objective To assess the prevalence of depression and its associated factors in women aged 20 to 59 years at some areas with the coverage of Family Health Strategy in a city located at Zona da Mata Mineira. Methods It is a cross-sectional study with women aged 20-59 enrolled in two Primary Health Care Units making use of a questionnaire containing socio-demographic variables, social support, self-assessment of general health status, lifestyle, morbidity and women’s health. Depression was evaluated according to Patients Health Questionnaire-9 (PHQ-9). Results From 1,958 women included in this analysis, 28,5% are aged 30-39; 15,4% did not finish High School; 54,5% do not work or have never worked and 44,2% defined themselves as not white. Factors associated with depression episodes in the population studied: lower educational background, currently having a job, previous diagnosis of psychiatric disorders. Protective factors which were observed: being married or living with a partner, practicing physical activities in a regular basis and reporting positive self-assessed health. Conclusion The results of this study reveal a prevalence of depression of 19.7% in women aged 20 to 59 years covered by the Family Health Strategy, pointing to the need for special care in primary health care for women with low schooling, who work, have mental illness, and do not exercise so that they can reduce suffering and promote health. It was observed a significant gap related to managing specific tools designed to screening depressive episodes in primary care. <![CDATA[Validade fatorial e de construto da versão em português (Brasil) da Bergen Facebook Addiction Scale]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200110&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective To evaluate factorial and construct validity of the Brazilian Portuguese version of the Bergen Facebook Addiction Scale (BFAS-BR). Methods A sociodemographic questionnaire, the Brazilian Portuguese versions of Online Cognition Scale (OCS-BR) and of BFAS-BR were applied to a sample of Health Undergraduate (n = 356). Construct validity evidences were verified through the Confirmatory Factor Analysis. Discriminant validity was examined by correlational analysis between the version of the BFAS-BR and OCS-BR. Results Proposed factorial model of BFAS did not present a good quality adjustment. So, a model restructuring was necessary from behavioral addiction theoretical views and new model presented satisfactory adjustment quality and construct validity evidence. Correlation between both tested scales was strong (ρ = 0.707) and, therefore, they measure the same construct. Conclusion The BFAS-BR show adequate factorial and construct validity.<hr/>RESUMO Objetivo Avaliar a validade fatorial e de construto da versão em português brasileiro da Bergen Facebook Addiction Scale (BFAS-BR). Métodos Um questionário sociodemográfico e as versões em português brasileiro da Online Cognition Scale (OCS-BR) e da BFAS-BR foram aplicados em uma amostra de universitários de cursos de Saúde (n = 356). As evidências da validade de construto foram verificadas por meio da Análise Fatorial Confirmatória. A validade discriminante foi examinada pela análise correlacional das BFAS-BR e OCS-BR. Resultados O modelo fatorial proposto da BFAS não apresentou bom ajuste. Então, um modelo reestruturado foi necessário a partir das concepções teóricas das adições de comportamento. O novo modelo apresentou qualidade de ajustamento satisfatório e evidências de validade de construto. A correlação entre as versões em português de ambas as escalas testadas foi forte (ρ = 0,707). Conclusões A versão em português da Bergen Facebook Addiction Scale apresentou adequada validade de construto. <![CDATA[Relação entre imagem corporal, atitudes para transtornos alimentares e estado nutricional em universitárias da área da saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200118&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Avaliar a relação entre a insatisfação da imagem corporal, atitudes para transtornos alimentares e o estado nutricional em universitárias da área da saúde. Métodos Estudo descritivo, transversal e quantitativo com 225 universitárias matriculadas em oito cursos da área da saúde. Para obtenção dos dados, utilizaram-se três instrumentos autoaplicáveis: o Body Shape Questionnaire (BSQ), o Eating Attitudes Test (EAT-26) e um questionário construído pelas pesquisadoras contendo os dados autorreferidos de altura, peso atual e peso desejado, curso e idade. O estado nutricional foi estabelecido segundo o cálculo do índice de massa corporal. Para análise dos dados, aplicou-se o teste qui-quadrado de Pearson, adotando-se o nível de significância de 5%. Resultados A média de idade foi de 22,65 anos e a de IMC, de 23,05 kg/m2, estando a maioria das universitárias em eutrofia (69,8%). Quanto ao peso desejado, 74,7% gostariam de pesar menos; dessas, 64,9% eram eutróficas. Conforme o BSQ, 51,1% das universitárias tiveram algum grau de insatisfação corporal, e a prevalência de atitudes indicativas de transtornos alimentares, de acordo com o EAT-26, foi de 21,8%. Houve associação estatisticamente significativa entre: IMC e BSQ (p &lt; 0,001); IMC e EAT-26 (p &lt; 0,005); BSQ e EAT-26 (p &lt; 0,001). Ao relacionar a insatisfação da imagem corporal e atitudes de risco para transtornos alimentares, percebeu-se que 87,75% das universitárias com EAT positivo também apresentaram algum grau de insatisfação corporal. Conclusão Evidenciou-se a existência de relação entre a insatisfação com a imagem corporal, atitudes de risco para transtornos alimentares e estado nutricional de universitárias da área da saúde.<hr/>ABSTRACT Objective To evaluate the relationship between body image dissatisfaction, attitudes towards eating disorders and nutritional status in university students of health area. Methods Descriptive, transversal and quantitative study with 225 university students registered in eight health courses. To obtain the data, three self-administered instruments were used: the Body Shape Questionnaire (BSQ), the Eating Attitudes Test (EAT-26), and a questionnaire built by the researchers, containing the self-reported data of height, current and desired weight, course and age. The nutritional status was established according to the calculation of body mass index (BMI). For the data analysis, the Pearson chi-square test was applied, adopting the significance level of 5%. Results The mean age was 22.65 years and the BMI was 23.05 kg/m2, with the majority of university students in eutrophy (69.8%). Regarding the desired weight, 74.7% would like to weigh less, of which 64.9% were eutrophic. According to the BSQ, 51.1% of university students had some degree of body dissatisfaction and the prevalence of attitudes indicative of eating disorders, according to the EAT-26, it was 21.8%. There was a statistically significant association between: BMI and BSQ (p &lt; 0.001); BMI and EAT-26 (p &lt; 0.005); BSQ and EAT-26 (p &lt; 0.001). When correlating the dissatisfaction of body image and attitudes of risk for eating disorders, it is noticed that 87.75% of university students with positive EAT also presented some degree of body dissatisfaction. Conclusion It was evidenced the existence of relation between the body image dissatisfaction, attitudes of risk for eating disorders and nutritional status of university students of health area. <![CDATA[Dependência de internet e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH): revisão integrativa]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200126&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Realizar uma revisão integrativa identificando na literatura trabalhos que pudessem sintetizar resultados que refletissem a possível relação entre dependência de internet (DI) e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) na população adolescente, bem como achados desses estudos que agreguem informações para o aprimoramento e diagnóstico de DI. Métodos Revisão integrativa da literatura em três bases de dados: PsycINFO, Scopus e Cinahal, com os seguintes termos: “internet addiction”, “adolescent” e “attention deficit disorder with hyperactivity”, de 2007 a 2017, com informações sobre a relação da dependência de internet e o TDAH. Resultados A amostra ficou composta por 12 artigos originais, provenientes, em sua maioria, da Ásia e Oriente Médio. De sua análise emergiram as seguintes categorias: Relação entre DI e TDAH; Outros fatores associados à DI; Instrumentos para avaliação de DI e dados de incidência. Há ausência de critérios definidos de diagnóstico de dependência de internet, tendo sido identificados quatro instrumentos para mensurar a DI, todos os questionários foram preenchidos pelos próprios adolescentes, com índices na população variando entre 2,4% e 10,6%. Nos adolescentes diagnosticados com DI, as desordens de ansiedade e depressão foram as comorbidades mais citadas depois do TDAH. Conclusões Há evidências de associação importante entre os dois transtornos identificados, sem resultados conclusivos quanto ao processo da interação. Torna-se necessário o avanço em pesquisas visando a uma definição de critérios diagnósticos da DI, taxas de prevalência e preditores do problema, de modo a poder estabelecer intervenções terapêuticas e estratégias de prevenção do problema.<hr/>ABSTRACT Objective To perform an integrative review of the possible relationship between internet addiction (ID) and attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) in adolescents aged 12 to 18 years. Also to gather informations in these studies for a more efficient diagnosis of DI. Methods Integrative review of the literature in three databases: PsycINFO, Scopus and Cinahal, with the following terms: “internet addiction”, “adolescent” and “attention deficit disorder with hyperactivity”, 2007-2017, with information about the relationship between Internet addiction and ADHD. Results The sample consisted of 12 original articles, mostly from Asia and the Middle East. From their analysis, the following categories emerged: Relationship between ID and ADHD; Other factors associated with ID; Instruments for evaluation of ID and incidence data. There is a lack of defined criteria for diagnosis of internet addiction, and four instruments were identified to measure ID, all questionnaires were completed by the adolescents themselves, with rates ranging from 2.4% to 10.6%. Anxiety and depression disorders were the most cited comorbidities after ADHD in the adolescents diagnosed with ID. Conclusions There are evidences of an important association between the two identified disorders, however without conclusive results on the interaction process. In order to establish therapeutic interventions and strategies to prevent the problem, it is necessary to advance research on the definition of the diagnostic criteria of ID, prevalence rates and predictors of the problem. <![CDATA[Síndrome de <em>koro</em> associado a transtorno obsessivo-compulsivo: caso clínico e breve revisão]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852018000200135&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A síndrome de koro é uma síndrome psiquiátrica ligada à cultura, que se caracteriza por um episódio de ansiedade súbito e intenso relacionado com a crença de que o pênis (nas mulheres, mamilos e grandes lábios) estar a retrair-se para o interior do organismo, podendo conduzir à impotência, esterilidade e, eventualmente, morte. É mais frequente nos países do Sudoeste Asiático e no sexo masculino. No Ocidente é rara, embora existam descrições de koro-like secundárias a perturbações neurológicas, psiquiátricas ou orgânicas. No Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-5 é classificada como um “Transtorno Obsessivo-Compulsivo e transtornos relacionados com outra especificação”. Este artigo descreve um caso raro de um doente com síndrome de koro secundária a um transtorno obsessivo-compulsivo. Neste artigo, apresenta-se a descrição de um caso clínico e revisão bibliográfica, com base na pesquisa de artigos publicados, desde 2000, no PubMed, com as palavras-chave: “koro syndrome”, “obsessive-compulsive disorder” e “koro-like symptoms”. Analisaram-se alguns artigos anteriores ao ano 2000 para contextualização histórica. Doente com síndrome de koro secundária a transtorno obsessivo-compulsivo, com boa resposta à terapia farmacológica associada à terapia cognitivo-comportamental. O conhecimento desse diagnóstico e da sua gestão clínica é importante para identificar as condições subjacentes e otimizar o tratamento.<hr/>ABSTRACT Koro’s syndrome is a psychiatric culture-bound syndrome characterized by an episode of sudden and intense anxiety related to the belief that the penis (in women, nipples and labia majora) is retracting into the body, leading to erectile dysfunction, sterility and, eventually, death. It is more common in Southeast Asia and in males. In the West it is rare, although there are descriptions of koro-like secondary to neurological, psychiatric or organic disorders. In the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-5 it is classified as an “Obsessive-Compulsive Disorder and disorders related to another specification”. This article describes a rare case of a patient with koro’s syndrome secondary to obsessive-compulsive disorder. In this article we present the description of a case report and review of the literature by searching articles published in PubMed since 2000, with the keywords: “koro syndrome”, “obsessive-compulsive disorder” and “koro-like symptoms”. Articles prior to 2000 were also analyzed for historical considerations. A patient with koro’s syndrome secondary to obsessive-compulsive disorder with good response to pharmaceutical and cognitive behavioral therapy combination. Being aware of this diagnosis and its clinical management is essential to identify the underlying conditions and optimize treatment.