Scielo RSS <![CDATA[Arquivos Brasileiros de Cardiologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0066-782X20140020&lang=pt vol. 103 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Nutrição e Cardiologia: Interface que não Pode Ser Ignorada]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Prevalência de Valvopatia Reumática Subclínica em Alunos de Escola Pública de Belo Horizonte]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: Previous studies indicate that compared with physical examination, Doppler echocardiography identifies a larger number of cases of rheumatic heart disease in apparently healthy individuals. Objectives: To determine the prevalence of rheumatic heart disease among students in a public school of Belo Horizonte by clinical evaluation and Doppler echocardiography. Methods: This was a cross-sectional study conducted with 267 randomly selected school students aged between 6 and 16 years. students underwent anamnesis and physical examination with the purpose of establishing criteria for the diagnosis of rheumatic fever. They were all subjected to Doppler echocardiography using a portable machine. Those who exhibited nonphysiological mitral regurgitation (MR) and/or aortic regurgitation (AR) were referred to the Doppler echocardiography laboratory of the Hospital das Clínicas of the Universidade Federal of Minas Gerais (HC-UFMG) to undergo a second Doppler echocardiography examination. According to the findings, the cases of rheumatic heart disease were classified as definitive, probable, or possible. Results: Of the 267 students, 1 (0.37%) had a clinical history compatible with the diagnosis of acute rheumatic fever (ARF) and portable Doppler echocardiography indicated nonphysiological MR and/or AR in 25 (9.4%). Of these, 16 (6%) underwent Doppler echocardiography at HC-UFMG. The results showed definitive rheumatic heart disease in 1 student, probable rheumatic heart disease in 3 students, and possible rheumatic heart disease in 1 student. Conclusion: In the population under study, the prevalence of cases compatible with rheumatic involvement was 5 times higher on Doppler echocardiography (18.7/1000; 95% CI 6.9/1000-41.0/1000) than on clinical evaluation (3.7/1000-95% CI). <hr/> Fundamento: Estudos indicam que o Doppler ecocardiograma possibilita a identificação de um maior número de casos de valvopatia reumática, quando comparado ao exame clínico, em indivíduos aparentemente saudáveis. Objetivos: Determinar a prevalência de valvopatia sugestiva de envolvimento reumático segundo as avaliações clínicas e Doppler ecardiográficas em alunos de escola pública de Belo Horizonte. Métodos: Estudo transversal realizado com 267 escolares entre 6 e 16 anos, selecionados de forma aleatória. Os alunos foram submetidos à anamnese e exame físico com o objetivo de estabelecer critérios prévios para o diagnóstico de febre reumática. Todos realizaram o estudo Doppler ecocardiográfico com o emprego de um aparelho portátil. Aqueles que apresentaram regurgitação valvar mitral (RM) e ou aórtica (RAo) sugestiva de não fisiológica foram encaminhados ao laboratório de Doppler ecocardiografia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG) para a realização de novo estudo. Conforme os achados, os casos de valvopatia reumática foram classificados em definitiva, provável e possível. Resultados: Dos 267 escolares, um (0,37%) apresentou história compatível com o diagnóstico de febre reumática aguda (FRA), 25 (9,4%) apresentaram RM e/ou RAo consideradas não fisiológicas ao Doppler ecocardiograma portátil. Destes, 16 (6%) realizaram Doppler ecocardiograma no HC-UFMG, sendo evidenciadas: valvopatia reumática definitiva em um escolar; valvopatia reumática provável em três; valvopatia reumática possível em um escolar. Conclusão: Na população estudada a prevalência de casos compatíveis com envolvimento reumático foi cinco vezes maior ao Doppler ecocardiograma (18,7/1000 - IC 95%, 6,9/1000 - 41,0/1000) em relação à avaliação clínica (3,7/1000 - IC 95%). <![CDATA[Valor Prognóstico do Escore TIMI versus Escore GRACE no Infarto com Supradesnível do Segmento ST]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: The TIMI Score for ST-segment elevation myocardial infarction (STEMI) was created and validated specifically for this clinical scenario, while the GRACE score is generic to any type of acute coronary syndrome. Objective: Between TIMI and GRACE scores, identify the one of better prognostic performance in patients with STEMI. Methods: We included 152 individuals consecutively admitted for STEMI. The TIMI and GRACE scores were tested for their discriminatory ability (C-statistics) and calibration (Hosmer-Lemeshow) in relation to hospital death. Results: The TIMI score showed equal distribution of patients in the ranges of low, intermediate and high risk (39 %, 27 % and 34 %, respectively), as opposed to the GRACE Score that showed predominant distribution at low risk (80 %, 13 % and 7%, respectively). Case-fatality was 11%. The C-statistics of the TIMI score was 0.87 (95%CI = 0.76 to 0.98), similar to GRACE (0.87, 95%CI = 0.75 to 0.99) - p = 0.71. The TIMI score showed satisfactory calibration represented by χ2 = 1.4 (p = 0.92), well above the calibration of the GRACE score, which showed χ2 = 14 (p = 0.08). This calibration is reflected in the expected incidence ranges for low, intermediate and high risk, according to the TIMI score (0 %, 4.9 % and 25 %, respectively), differently to GRACE (2.4%, 25% and 73%), which featured middle range incidence inappropriately. Conclusion: Although the scores show similar discriminatory capacity for hospital death, the TIMI score had better calibration than GRACE. These findings need to be validated populations of different risk profiles. <hr/> Fundamento: O Escore TIMI para infarto com supradesnível do segmento ST (IAMcSST) foi criado e validado especificamente para este cenário clínico, enquanto o Escore GRACE é genérico para qualquer tipo de síndrome coronariana aguda. Objetivo: Identificar qual dos escores, TIMI ou GRACE, apresenta melhor desempenho prognóstico em pacientes com IAMcSST. Métodos: Foram incluídos 152 indivíduos consecutivamente internados por IAMcSST. Os escores TIMI e GRACE foram testados quanto a sua capacidade discriminatória (estatística-C) e calibração (teste Hosmer-Lemeshow), em relação ao desfecho óbito hospitalar. Resultados: O Escore TIMI apresentou distribuição equitativa de pacientes nas faixas de baixo, intermediário e alto risco (39%, 27% e 34%, respectivamente), diferente do Escore GRACE que apresentou distribuição predominante em baixo risco (80%, 13% e 7%, respectivamente). A letalidade da amostra foi de 11%. A estatística-C do Escore TIMI foi de 0,87 (95% IC = 0,76 - 0,98), semelhante ao GRACE (0,87; 95% IC = 0,75-0,99) - p = 0,71. O Escore TIMI apresentou calibração satisfatória, representada por χ2 de 1,4 (p = 0,92), nitidamente superior à calibração do Escore GRACE, que apresentou χ2 de 14 (p = 0,08). Esta calibração se reflete em incidências esperadas para as faixas de baixo, intermediário e alto risco de acordo com o Escore TIMI (0%, 4,9% e 25%, respectivamente), diferente do GRACE (2,4%, 25% e 73%) que caracterizou inadequadamente a faixa intermediária. Conclusão: Os escores TIMI e GRACE apresentam semelhante capacidade discriminatória em relação a óbito hospitalar, porém o Escore TIMI possui calibração superior ao GRACE. Para populações de risco diferente da nossa amostra, esta conclusão deve ser validada por futuros trabalhos. <![CDATA[Validação da Classificação de Killip e Kimball e Mortalidade Tardia Após Infarto Agudo do Miocárdio]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: The classification or index of heart failure severity in patients with acute myocardial infarction (AMI) was proposed by Killip and Kimball aiming at assessing the risk of in-hospital death and the potential benefit of specific management of care provided in Coronary Care Units (CCU) during the decade of 60. Objective: To validate the risk stratification of Killip classification in the long-term mortality and compare the prognostic value in patients with non-ST-segment elevation MI (NSTEMI) relative to patients with ST-segment elevation MI (STEMI), in the era of reperfusion and modern antithrombotic therapies. Methods: We evaluated 1906 patients with documented AMI and admitted to the CCU, from 1995 to 2011, with a mean follow-up of 05 years to assess total mortality. Kaplan-Meier (KM) curves were developed for comparison between survival distributions according to Killip class and NSTEMI versus STEMI. Cox proportional regression models were developed to determine the independent association between Killip class and mortality, with sensitivity analyses based on type of AMI. Results: The proportions of deaths and the KM survival distributions were significantly different across Killip class &gt;1 (p &lt;0.001) and with a similar pattern between patients with NSTEMI and STEMI. Cox models identified the Killip classification as a significant, sustained, consistent predictor and independent of relevant covariables (Wald χ2 16.5 [p = 0.001], NSTEMI) and (Wald χ2 11.9 [p = 0.008], STEMI). Conclusion: The Killip and Kimball classification performs relevant prognostic role in mortality at mean follow-up of 05 years post-AMI, with a similar pattern between NSTEMI and STEMI patients. <hr/> Fundamento: A classificação ou índice de gravidade de insuficiência cardíaca em pacientes com infarto agudo do miocárdio (IAM) foi proposta por Killip e Kimball com o objetivo de avaliar o risco de mortalidade hospitalar e o potencial benefício do tratamento especializado em unidades coronárias (UCO) na década de 1960. Objetivos: Validar a classificação de Killip para mortalidade total em longo prazo e comparar o valor prognóstico em pacientes com IAM sem elevação do segmento ST (IAMSEST) em relação àqueles com elevação do segmento ST (IAMCEST), na era pós-reperfusão e de terapia antitrombótica moderna. Métodos: Foram avaliados 1906 pacientes com IAM confirmado, admitidos em UCO entre 1995 e 2011, com seguimento médio de cinco anos, para avaliação da mortalidade total. Curvas de Kaplan-Meier foram construídas para comparação da sobrevida por classe Killip e IAMSEST versus IAMCEST. Modelos de regressão de risco proporcional de Cox foram construídos para determinar a associação independente entre a classe Killip e a mortalidade, com análises de sensibilidade por tipo de IAM. Resultados: As proporções de óbitos e as distribuições das curvas de sobrevida foram diferentes conforme a classe Killip &gt;1 (p &lt;0,001) e similares entre IAMSEST e IAMCEST. Os modelos de risco identificaram a classificação de Killip como preditor significante, sustentado, consistente e independente de covariáveis relevantes (Wald χ2 16,5 [p = 0,001], IAMSEST) e (Wald χ2 11,9 [p = 0,008], IAMCEST). Conclusão: A classificação de Killip e Kimball desempenha papel prognóstico relevante na mortalidade em seguimento médio de cinco anos pós-IAM e, de modo similar, entre pacientes com IAMSEST e IAMCEST. <![CDATA[Associação das Doenças Arterial Periférica e Cardiovascular na Hipercolesterolemia Familiar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: Familial hypercholesterolemia (FH) is an autosomal dominant genetic disease characterized by an elevation in the serum levels of total cholesterol and of low-density lipoproteins (LDL- c). Known to be closely related to the atherosclerotic process, FH can determine the development of early obstructive lesions in different arterial beds. In this context, FH has also been proposed to be a risk factor for peripheral arterial disease (PAD). Objective: This observational cross-sectional study assessed the association of PAD with other manifestations of cardiovascular disease (CVD), such as coronary artery and cerebrovascular disease, in patients with heterozygous FH. Methods: The diagnosis of PAD was established by ankle-brachial index (ABI) values ≤ 0.90. This study assessed 202 patients (35% of men) with heterozygous FH (90.6% with LDL receptor mutations), mean age of 51 ± 14 years and total cholesterol levels of 342 ± 86 mg /dL. Results: The prevalences of PAD and previous CVD were 17% and 28.2 %, respectively. On multivariate analysis, an independent association between CVD and the diagnosis of PAD was observed (OR = 2.50; 95% CI: 1.004 - 6.230; p = 0.049). Conclusion: Systematic screening for PAD by use of ABI is feasible to assess patients with FH, and it might indicate an increased risk for CVD. However, further studies are required to determine the role of ABI as a tool to assess the cardiovascular risk of those patients. <hr/> Fundamento: A hipercolesterolemia familiar (HF) é uma doença de herança genética autossômica dominante caracterizada pela elevação dos valores séricos de colesterol total e das lipoproteínas de baixa densidade (LDL-c). Conhecida por estar estreitamente relacionada ao processo aterosclerótico, a HF pode determinar o desenvolvimento de lesões obstrutivas precoces em distintos leitos arteriais. Nesse contexto, a HF também tem sido proposta como fator de risco para a doença arterial periférica (DAP). Objetivo: Avaliamos, por meio de um estudo transversal e observacional, a associação da DAP com outras manifestações de doença cardiovascular (DCV), isto é, doença arterial coronária e cerebrovascular em portadores de HF heterozigótica. Métodos: diagnóstico de DAP foi estabelecido pela medida do índice tornozelo-braquial (ITB) com valores ≤ 0,90. Foram estudados 202 pacientes com HF (90,6% apresentando mutações no receptor da LDL), idade 51 ± 14 anos, colesterol total 342 ± 86 mg/dL e 35% do sexo masculino. Resultados: As prevalências de DAP e de DCV prévia foram 17% e 28,2%, respectivamente. Houve associação independente da DAP com a DCV (OR = 2,50, IC 95% 1,004-6,230, p = 0,049) após análise multivariada. Conclusão: A pesquisa sistemática da DAP por meio do ITB é factível na avaliação de portadores de HF e pode sinalizar aumento no risco de DCV. Contudo, mais estudos são necessários para determinar o papel do uso do ITB como ferramenta para avaliação do risco cardiovascular nessa população. (Arq Bras Cardiol. 2014; 103(2):118-123) <![CDATA[Remodelamento Cardíaco e Expressão da ILK Diferem entre os Gêneros após Infarto do Miocárdio]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: Gender can influence post-infarction cardiac remodeling. Objective: To evaluate whether gender influences left ventricular (LV) remodeling and integrin-linked kinase (ILK) after myocardial infarction (MI). Methods: Female and male Wistar rats were assigned to one of three groups: sham, moderate MI (size: 20-39% of LV area), and large MI (size: ≥40% of LV area). MI was induced by coronary occlusion, and echocardiographic analysis was performed after six weeks to evaluate MI size as well as LV morphology and function. Real-time RT-PCR and Western blot were used to quantify ILK in the myocardium. Results: MI size was similar between genders. MI resulted in systolic dysfunction and enlargement of end-diastolic as well as end-systolic dimension of LV as a function of necrotic area size in both genders. Female rats with large MI showed a lower diastolic and systolic dilatation than the respective male rats; however, LV dysfunction was similar between genders. Gene and protein levels of ILK were increased in female rats with moderate and large infarctions, but only male rats with large infarctions showed an altered ILK mRNA level. A negative linear correlation was evident between LV dimensions and ILK expression in female rats with large MI. Conclusions: Post-MI ILK expression is altered in a gender-specific manner, and higher ILK levels found in females may be sufficient to improve LV geometry but not LV function. <hr/> Fundamento: O gênero pode ser decisivo no remodelamento cardíaco após infarto do miocárdio. Objetivo: Avaliar diferenças de gênero associadas ao remodelamento do ventrículo esquerdo (VE) após infarto do miocárdio (IM) e associadas à modulação de quinases acopladas à integrina (integrin-linked kinases-ILK). Métodos: Ratos Wistar machos e fêmeas foram divididos em 3 grupos: grupo sham, grupo com IM de extensão moderada (tamanho: 20-39% da área do VE); grupo com IM de grande extensão (tamanho: ≥ 40% da área do VE). O IM foi produzido por oclusão coronária e as análises ecocardiográficas foram obtidas após 6 semanas para avaliar a extensão do IM, bem como a morfologia e função do VE. RT-PCR em tempo real e Western blott foram realizados para quantificar a ILK no miocárdio. Resultados: A extensão do IM foi semelhante entre os gêneros. O IM resultou em disfunção sistólica e aumento do tamanho do VE no final da diástole e da sístole em função do tamanho da área necrótica para ambos os sexos. Ratos fêmeas com IM de grande extensão apresentaram dilatação diastólica e sistólica inferior a de ratos machos, mas a disfunção do VE foi semelhante em ambos os sexos. Os níveis gênicos e proteicos de ILK aumentaram em ratos fêmeas com infartos de extensão moderada e grande, mas apenas ratos machos com infartos de grande extensão apresentaram níveis alterados de mRNA do ILK. Uma correlação linear negativa foi observada entre as dimensões do VE e a expressão de ILK em ratos fêmeas com IM de grande extensão. Conclusões: A expressão de ILK pós-IM variou de maneira gênero-especifica, e os níveis mais elevados de ILK observados em fêmeas podem ser suficientes para melhorar a geometria do VE, mas não suficientes para melhorar a função do VE. <![CDATA[Comparação das Doses de Radiação entre Angiografias Padrão e 3D em Cardiopatias Congênitas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: The use of three-dimensional rotational angiography (3D-RA) to assess patients with congenital heart diseases appears to be a promising technique despite the scarce literature available. Objectives: The objective of this study was to describe our initial experience with 3D-RA and to compare its radiation dose to that of standard two-dimensional angiography (2D-SA). Methods: Between September 2011 and April 2012, 18 patients underwent simultaneous 3D-RA and 2D-SA during diagnostic cardiac catheterization. Radiation dose was assessed using the dose-area-product (DAP). Results: The median patient age and weight were 12.5 years and 47.5 Kg, respectively. The median DAP of each 3D-RA acquisition was 1093µGy.m2 and 190µGy.m2 for each 2D-SA acquisition (p&lt;0.01). In patients weighing more than 45Kg (n=7), this difference was attenuated but still significant (1525 µGy.m2 vs.413µGy.m2, p=0.01). No difference was found between one 3D-RA and three 2D-SA (1525µGy.m2 vs.1238 µGy.m2, p = 0.575) in this population. This difference was significantly higher in patients weighing less than 45Kg (n=9) (713µGy.m2 vs.81µGy.m2, P = 0.008), even when comparing one 3D-RA with three 2D-SA (242µGy.m2, respectively, p&lt;0.008). 3D-RA was extremely useful for the assessment of conduits of univentricular hearts, tortuous branches of the pulmonary artery, and aorta relative to 2D-SA acquisitions. Conclusions: The radiation dose of 3D-RA used in our institution was higher than those previously reported in the literature and this difference was more evident in children. This type of assessment is of paramount importance when starting to perform 3D-RA. <hr/> Fundamento: O uso da angiografia rotacional tridimensional (AR-3D) na avaliação de pacientes portadores de cardiopatia congênita parece ser promissor, apesar de haver pouca literatura disponível. Objetivos: O objetivo deste estudo foi descrever nossa experiência inicial com AR-3D, comparando sua dose de radiação com a da angiografia padrão bidimensional (AP-2D). Métodos: Entre setembro de 2011 e abril de 2012, 18 pacientes foram submetidos simultaneamente a AR-3D e AP-2D durante cateterização cardíaca diagnóstica. A dose de radiação foi avaliada através do produto dose-área (DAP). Resultados: A mediana de idade e de peso dos pacientes foi de, respectivamente, 12,5 anos e 47,5 kg. O DAP mediano de cada aquisição em AR-3D foi de 1093µGy.m2, e de 190µGy.m2 para cada aquisição em AP-2D (p &lt; 0,01). Nos pacientes que pesavam mais de 45 kg (n=7), essa diferença foi menor, mas ainda significativa (1525µGy.m2 versus 413 µGy.m2, p = 0,01). Não houve diferença entre uma AR-3D e três AP-2D (1525µGy.m2 versus1238µGy.m2, p = 0,575) nesta população. Essa diferença foi significativamente maior em pacientes que pesavam menos de 45 kg (n = 9) (713 µGy.m2 versus 81 µGy.m2, p = 0,008), mesmo quando se comparou uma AR-3D com três AP 2D (242µGy.m2, respectivamente, p &lt; 0,008). A AR-3D mostrou-se extremamente útil na avaliação de condutos de corações univentriculares, ramos pulmonares tortuosos e aorta em relação às aquisições em AP-2D. Conclusões: A dose de radiação da AR-3D em nossa instituição foi maior que a anteriormente relatada na literatura, sendo essa diferença mais evidente em crianças. Esse tipo de avaliação é de fundamental importância quando se começa a realizar AR-3D. <![CDATA[Análise Espectral Relacionada ao Implante de Stent Coronariano Convencional e Farmacológico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: The autonomic nervous system plays a central role in cardiovascular regulation; sympathetic activation occurs during myocardial ischemia. Objective: To assess the spectral analysis of heart rate variability during stent implantation, comparing the types of stent. Methods: This study assessed 61 patients (mean age, 64.0 years; 35 men) with ischemic heart disease and indication for stenting. Stent implantation was performed under Holter monitoring to record the spectral analysis of heart rate variability (Fourier transform), measuring the low-frequency (LF) and high-frequency (HF) components, and the LF/HF ratio before and during the procedure. Results: Bare-metal stent was implanted in 34 patients, while the others received drug-eluting stents. The right coronary artery was approached in 21 patients, the left anterior descending, in 28, and the circumflex, in 9. As compared with the pre-stenting period, all patients showed an increase in LF and HF during stent implantation (658 versus 185 ms2, p = 0.00; 322 versus 121, p = 0.00, respectively), with no change in LF/HF. During stent implantation, LF was 864 ms2 in patients with bare-metal stents, and 398 ms2 in those with drug-eluting stents (p = 0.00). The spectral analysis of heart rate variability showed no association with diabetes mellitus, family history, clinical presentation, beta-blockers, age, and vessel or its segment. Conclusions: Stent implantation resulted in concomitant sympathetic and vagal activations. Diabetes mellitus, use of beta-blockers, and the vessel approached showed no influence on the spectral analysis of heart rate variability. Sympathetic activation was lower during the implantation of drug-eluting stents. <hr/> Fundamento: O sistema nervoso autônomo tem papel central na regulação cardiovascular, ocorrendo uma ativação simpática durante a isquemia miocárdica. Objetivo: Avaliar a análise espectral da frequência cardíaca (AE) durante o implante de stent, comparando os tipos de stent. Métodos: Foram estudados 61 pacientes (idade média de 64 anos), 35 homens, com cardiopatia isquêmica e indicação de implante de stent. O implante foi feito sob monitoramento pelo Holter para o registro da AE (transformação de Fourier), com medidas dos componentes LF (baixa frequência), HF (alta frequência) e relação LF/HF, antes e durante o procedimento. Resultados: Implante de stent convencional feito em 34 pacientes; nos demais, farmacológico. A coronária abordada foi a direita em 21 pacientes, a descendente anterior em 28, a circunflexa em nove. Houve aumento do LF e do HF durante o implante em todos os pacientes, comparando-se com o período antes do implante (658 versus 185 ms2, p = 0,00, para LF; 322 versus 121 ms2, p = 0,00, para HF, respectivamente), sem alteração da LF/HF. LF durante o implante foi de 864 ms2 nos pacientes com stent convencional e de 398 com farmacológico (p = 0,00). Não houve associação entre a AE e a presença de diabetes, história familiar, apresentação clínica, uso de betabloqueador (BB), idade, vaso ou seu segmento. Conclusões: O implante de stent resultou em ativação simpática e concomitante ativação vagal. Não houve influência do quadro de diabetes, uso de BB e vaso sobre a AE. Houve menor ativação simpática durante o implante de stent farmacológico. <![CDATA[Proposta de Adequação da Intensidade do Esforço Expiratório e Comportamento da Frequência Cardíaca Durante a Manobra de Valsalva em Pré-Adolescentes]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: When performing the Valsalva maneuver (VM), adults and preadolescents produce the same expiratory resistance values. Objective: To analyze heart rate (HR) in preadolescents performing VM, and propose a new method for selecting expiratory resistance. Method: The maximal expiratory pressure (MEP) was measured in 45 sedentary children aged 9-12 years who subsequently performed VM for 20 s using an expiratory pressure of 60%, 70%, or 80% of MEP. HR was measured before, during, and after VM. These procedures were repeated 30 days later, and the data collected in the sessions (E1, E2) were analyzed and compared in periods before, during (0-10 and 10-20 s), and after VM using nonparametric tests. Results: All 45 participants adequately performed VM in E1 and E2 at 60% of MEP. However, only 38 (84.4%) and 25 (55.5%) of the participants performed the maneuver at 70% and 80% of MEP, respectively. The HR delta measured during 0-10 s and 10-20 s significantly increased as the expiratory effort increased, indicating an effective cardiac autonomic response during VM. However, our findings suggest the VM should not be performed at these intensities. Conclusion: HR increased with all effort intensities tested during VM. However, 60% of MEP was the only level of expiratory resistance that all participants could use to perform VM. Therefore, 60% of MEP may be the optimal expiratory resistance that should be used in clinical practice. <hr/> Fundamento: Durante a manobra de Valsalva (MV), os valores de resistência expiratória utilizados por adultos são os mesmos aplicados em pré-adolescentes. Objetivo: Analisar as respostas da frequência cardíaca (FC) de pré-adolescentes durante a MV e propor nova metodologia para eleição da resistência expiratória. Métodos: Submeteram-se 45 pré-adolescentes com idades entre 9 e 12 anos à avaliação das pressões expiratórias máximas (PEmáx). Valores de 60%, 70% e 80% dessas PEmáx foram selecionados para ser aplicados nas MV, mantidas por 20 s. Batimentos cardíacos foram registrados antes, durante e após a manobra. Trinta dias após, todos os procedimentos foram repetidos, e os dados da primeira (A1) e da segunda (A2) avaliações foram comparados. As análises foram feitas com testes não paramétricos, destacando-se os momentos antes, durante (0-10 s e 10-20 s) e após as manobras. Resultados: Os 45 pré-adolescentes conseguiram realizar adequadamente a manobra à resistência de 60% da PEmáx, enquanto apenas 38 (84,4%) e 25 (55,5%) a realizaram com resistências de 70% e 80% da PEmáx, respectivamente. Os deltas de FC 0-10 s e 10-20 s, calculados durante o esforço, foram significativamente maiores quanto maior foi o esforço expiratório, revelando efetiva resposta autonômica cardíaca durante a manobra. Entretanto, o estudo sugere que essas intensidades não devam ser empregadas. Conclusão: A FC se elevou em todas as intensidades de esforço testadas durante a MV, porém somente quando foi realizada com resistência expiratória de 60% da PEmáx é que todos os participantes conseguiram realizá-la, sugerindo ser a intensidade ideal para ser empregada na prática clínica. <![CDATA[Soluções de Desramificação em Endoprótese para Dissecções Complexas da Aorta Torácica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Background: Conventional surgical repair of thoracic aortic dissections is a challenge due to mortality and morbidity risks. Objectives: We analyzed our experience in hybrid aortic arch repair for complex dissections of the aortic arch. Methods: Between 2009 and 2013, 18 patients (the mean age of 67 ± 8 years-old) underwent hybrid aortic arch repair. The procedural strategy was determined on the individual patient. Results: Thirteen patients had type I repair using trifurcation and another patient with bifurcation graft. Two patients had type II repair with replacement of the ascending aorta. Two patients received extra-anatomic bypass grafting to left carotid artery allowing covering of zone 1. Stent graft deployment rate was 100%. No patients experienced stroke. One patient with total debranching of the aortic arch following an acute dissection of the proximal arch expired 3 months after TEVAR due to heart failure. There were no early to midterm endoleaks. The median follow-up was 20 ± 8 months with patency rate of 100%. Conclusion: Various debranching solutions for different complex scenarios of the aortic arch serve as less invasive procedures than conventional open surgery enabling safe and effective treatment of this highly selected subgroup of patients with complex aortic pathologies. <hr/> Fundamentos: O reparo cirúrgico convencional de dissecção da aorta torácica é um desafio devido aos riscos de mortalidade e morbidade. Objetivos: Analisamos nossa experiência no reparo híbrido do arco aórtico em dissecções complexas do arco aórtico. Métodos: Entre os anos de 2009 e 2013, 18 pacientes (idade média de 67 ± 8 anos de idade) foram submetidos ao reparo híbrido do arco aórtico. A estratégia de procedimento foi determinada individualmente para cada paciente. Resultados: Treze pacientes fizeram o reparo tipo I utilizando enxerto trifurcado; outro paciente utilizou um enxerto bifurcado. Dois pacientes fizeram o reparo tipo II com substituição da aorta ascendente. Dois pacientes receberam desvios extra-anatômicos de enxertia pela artéria carótida esquerda, permitindo a cobertura da zona 1. A taxa de implantação do stent foi de 100%. Nenhum paciente apresentou acidente vascular cerebral. Um paciente com desramificação total do arco aórtico após dissecção aguda do arco proximal faleceu 3 meses depois de realizar o reparo endovascular da aorta torácica (TEVAR), por insuficiência cardíaca. Não houve endoleak precoce ou a médio prazo. A média de acompanhamento foi de 20 ± 8 meses, com taxa de patência de 100%. Conclusão: Diversas soluções de desramificação, utilizadas em diferentes cenários complexos do arco aórtico, são procedimentos menos invasivos que a cirurgia aberta convencional e permitem o tratamento seguro e eficaz deste subgrupo, altamente selecionado de pacientes com patologias complexas da aorta. <![CDATA[Efeito Hemodinâmico da Laserterapia em Ratos Espontaneamente Hipertensos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Systemic arterial hypertension (SAH) is considered to be the greatest risk factor for the development of neuro-cardiovascular pathologies, thus constituting a severe Public Health issue in the world. The Low-Level Laser Therapy (LLLT), or laser therapy, activates components of the cellular structure, therefore converting luminous energy into photochemical energy and leading to biophysical and biochemical reactions in the mitochondrial respiratory chain. The LLLT promotes cellular and tissue photobiomodulation by means of changes in metabolism, leading to molecular, cellular and systemic changes. The objective of this study was to analyze the action of low-level laser in the hemodynamic modulation of spontaneously hypertensive rats, in the long term. Animals (n = 16) were randomly divided into the Laser Group (n = 8), which received three weekly LLLT irradiations for seven weeks, and into the Sham Group (n = 8), which received three weekly simulations of laser for seven weeks, accounting for 21 applications in each group. After seven weeks, animals were cannulated by the implantation of a catheter in the left carotid artery. On the following day, the systemic arterial pressure was recorded. The Laser Group showed reduced levels of mean blood pressure, with statistically significant reduction (169 ± 4 mmHg* vs. 182 ± 4 mmHg from the Sham Group) and reduced levels of diastolic pressure (143 ± 4 mmHg* vs. 157 ± 3 mmHg from the Sham Group), revealing a 13 and 14 mmHg decrease, respectively. Besides, there was a concomitant important decline in heart rate (312 ± 14 bpm vs. 361 ± 13 bpm from the Sham Group). Therefore, laser therapy was able to produce hemodynamic changes, thus reducing pressure levels in spontaneously hypertensive rats.<hr/>A hipertensão arterial sistêmica é considerada o maior fator de risco para o desenvolvimento de patologias neuro-cardiovasculares, constituindo um grave problema de Saúde Pública no mundo. O laser de baixa intensidade, ou laserterapia, ativa componentes da estrutura celular, convertendo energia luminosa em energia fotoquímica, e levando a reações biofísicas e bioquímicas na cadeia respiratória mitocondrial. O laser de baixa intensidade promove a fotobiomodulação celular/tissular, por meio de modificações no metabolismo, incorrendo em alterações moleculares, celulares e sistêmicas. O objetivo deste estudo foi analisar a ação do laser de baixa intensidade na modulação hemodinâmica em ratos espontaneamente hipertensos, em longo prazo. Os animais (n = 16) foram divididos aleatoriamente em Grupo Laser (n = 8), que recebeu três irradiações semanais do laser de baixa intensidade durante 7 semanas, e em Grupo Sham (n = 8), que recebeu três simulações semanais de laser durante 7 semanas, totalizando 21 aplicações em cada grupos. Após 7 semanas, os animais foram canulados com implantação do cateter na artéria carótida esquerda. No dia subsequente, foram realizados registros da pressão arterial sistêmica. O Grupo Laser evidenciou, com diferenças estatisticamente significantes, redução nos níveis da pressão arterial média (169 ± 4 mmHg* vs. 182 ± 4 mmHg do Grupo Sham) e da pressão arterial diastólica (143 ± 4 mmHg* vs. 157 ± 3 mmHg do Grupo Sham), revelando diminuição de 13 e 14 mmHg, respectivamente. Ademais, ocorreu concomitante um importante decréscimo da frequência cardíaca (312 ± 14 bpm vs. 361 ± 13 bpm do Grupo Sham). Dessa forma, a laserterapia foi capaz de produzir alterações hemodinâmicas, reduzindo os níveis pressóricos em ratos espontaneamente hipertensos. <![CDATA[A Malária e o Endotélio Vascular]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Involvement of the cardiovascular system in patients with infectious and parasitic diseases can result from both intrinsic mechanisms of the disease and drug intervention. Malaria is an example, considering that the endothelial injury by Plasmodium-infected erythrocytes can cause circulatory disorders. This is a literature review aimed at discussing the relationship between malaria and endothelial impairment, especially its effects on the cardiovascular system. We discuss the implications of endothelial aggression and the interdisciplinarity that should guide the malaria patient care, whose acute infection can contribute to precipitate or aggravate a preexisting heart disease.<hr/>O acometimento do sistema cardiovascular em pacientes com doenças infecciosas e parasitárias pode ocorrer tanto por mecanismos intrínsecos à doença como em decorrência de intervenção medicamentosa. A malária é uma dessas doenças, tendo em vista que a agressão endotelial generalizada que se observa na infecção por Plasmodium pode causar distúrbios circulatórios. O objetivo deste artigo é discutir a relação entre malária e o comprometimento endotelial, em especial suas consequências sobre o sistema cardiovascular, a partir de uma revisão da literatura. Discutem-se as repercussões da agressão endotelial, bem como a interdisciplinaridade que deve nortear a atenção ao paciente malárico cuja infecção aguda pode contribuir para precipitar ou agravar doença cardíaca preexistente. <![CDATA[Caso 5 / 2014 - Homem de 26 Anos, com Estenose Moderada da Valva Aórtica Bivalvulada e Dilatação da Aorta Ascendente]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Involvement of the cardiovascular system in patients with infectious and parasitic diseases can result from both intrinsic mechanisms of the disease and drug intervention. Malaria is an example, considering that the endothelial injury by Plasmodium-infected erythrocytes can cause circulatory disorders. This is a literature review aimed at discussing the relationship between malaria and endothelial impairment, especially its effects on the cardiovascular system. We discuss the implications of endothelial aggression and the interdisciplinarity that should guide the malaria patient care, whose acute infection can contribute to precipitate or aggravate a preexisting heart disease.<hr/>O acometimento do sistema cardiovascular em pacientes com doenças infecciosas e parasitárias pode ocorrer tanto por mecanismos intrínsecos à doença como em decorrência de intervenção medicamentosa. A malária é uma dessas doenças, tendo em vista que a agressão endotelial generalizada que se observa na infecção por Plasmodium pode causar distúrbios circulatórios. O objetivo deste artigo é discutir a relação entre malária e o comprometimento endotelial, em especial suas consequências sobre o sistema cardiovascular, a partir de uma revisão da literatura. Discutem-se as repercussões da agressão endotelial, bem como a interdisciplinaridade que deve nortear a atenção ao paciente malárico cuja infecção aguda pode contribuir para precipitar ou agravar doença cardíaca preexistente. <![CDATA[<em>Contusio Cordis</em> Associado a Bloqueio Atrioventricular e Insuficiência Tricúspide]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Involvement of the cardiovascular system in patients with infectious and parasitic diseases can result from both intrinsic mechanisms of the disease and drug intervention. Malaria is an example, considering that the endothelial injury by Plasmodium-infected erythrocytes can cause circulatory disorders. This is a literature review aimed at discussing the relationship between malaria and endothelial impairment, especially its effects on the cardiovascular system. We discuss the implications of endothelial aggression and the interdisciplinarity that should guide the malaria patient care, whose acute infection can contribute to precipitate or aggravate a preexisting heart disease.<hr/>O acometimento do sistema cardiovascular em pacientes com doenças infecciosas e parasitárias pode ocorrer tanto por mecanismos intrínsecos à doença como em decorrência de intervenção medicamentosa. A malária é uma dessas doenças, tendo em vista que a agressão endotelial generalizada que se observa na infecção por Plasmodium pode causar distúrbios circulatórios. O objetivo deste artigo é discutir a relação entre malária e o comprometimento endotelial, em especial suas consequências sobre o sistema cardiovascular, a partir de uma revisão da literatura. Discutem-se as repercussões da agressão endotelial, bem como a interdisciplinaridade que deve nortear a atenção ao paciente malárico cuja infecção aguda pode contribuir para precipitar ou agravar doença cardíaca preexistente. <![CDATA[Cardiotime de Bioética Útil para a Gestão de Crise à Beira do Leito]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Involvement of the cardiovascular system in patients with infectious and parasitic diseases can result from both intrinsic mechanisms of the disease and drug intervention. Malaria is an example, considering that the endothelial injury by Plasmodium-infected erythrocytes can cause circulatory disorders. This is a literature review aimed at discussing the relationship between malaria and endothelial impairment, especially its effects on the cardiovascular system. We discuss the implications of endothelial aggression and the interdisciplinarity that should guide the malaria patient care, whose acute infection can contribute to precipitate or aggravate a preexisting heart disease.<hr/>O acometimento do sistema cardiovascular em pacientes com doenças infecciosas e parasitárias pode ocorrer tanto por mecanismos intrínsecos à doença como em decorrência de intervenção medicamentosa. A malária é uma dessas doenças, tendo em vista que a agressão endotelial generalizada que se observa na infecção por Plasmodium pode causar distúrbios circulatórios. O objetivo deste artigo é discutir a relação entre malária e o comprometimento endotelial, em especial suas consequências sobre o sistema cardiovascular, a partir de uma revisão da literatura. Discutem-se as repercussões da agressão endotelial, bem como a interdisciplinaridade que deve nortear a atenção ao paciente malárico cuja infecção aguda pode contribuir para precipitar ou agravar doença cardíaca preexistente. <![CDATA[Oclusão do Apêndice Atrial Esquerdo e o Artefato da "Figura do Oito"]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002000016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Involvement of the cardiovascular system in patients with infectious and parasitic diseases can result from both intrinsic mechanisms of the disease and drug intervention. Malaria is an example, considering that the endothelial injury by Plasmodium-infected erythrocytes can cause circulatory disorders. This is a literature review aimed at discussing the relationship between malaria and endothelial impairment, especially its effects on the cardiovascular system. We discuss the implications of endothelial aggression and the interdisciplinarity that should guide the malaria patient care, whose acute infection can contribute to precipitate or aggravate a preexisting heart disease.<hr/>O acometimento do sistema cardiovascular em pacientes com doenças infecciosas e parasitárias pode ocorrer tanto por mecanismos intrínsecos à doença como em decorrência de intervenção medicamentosa. A malária é uma dessas doenças, tendo em vista que a agressão endotelial generalizada que se observa na infecção por Plasmodium pode causar distúrbios circulatórios. O objetivo deste artigo é discutir a relação entre malária e o comprometimento endotelial, em especial suas consequências sobre o sistema cardiovascular, a partir de uma revisão da literatura. Discutem-se as repercussões da agressão endotelial, bem como a interdisciplinaridade que deve nortear a atenção ao paciente malárico cuja infecção aguda pode contribuir para precipitar ou agravar doença cardíaca preexistente.