Scielo RSS <![CDATA[Kriterion: Revista de Filosofia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-512X20190001&lang=en vol. 60 num. 142 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[MOTIVAÇÃO E REALISMO NA FILOSOFIA MORAL DE HUME]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Neste texto argumento que a filosofia moral de Hume tem uma base realista num sentido específico. Os sentimentos "peculiares" da moralidade, as formas morais de dor e prazer na contemplação das ações, sentimentos e caracteres dos outros, estão assentados sobre uma base pertencente à nossa sensibilidade que envolve o fato bruto da realidade da dor e do prazer. Argumento que a ênfase de Hume na "praticalidade" da moral não está a serviço prioritariamente de um projeto filosófico de explicação do fenômeno moral, mas remete ao fundamento realista da moralidade em sentimentos humanos: "coisas" sentidas por seres humanos a respeito de outros seres humanos. Embora com implicações para a discussão tradicional sobre a ontologia moral de Hume, minha análise procura mostrar que o fundamento encontrado responde, de acordo com a orientação empirista em filosofia, a uma pergunta anterior sobre o que é real quando estão em jogo os interesses práticos de nossas vidas, por oposição aos teóricos.<hr/>ABSTRACT I argue that Hume's moral philosophy is, basically, realist in that the "peculiar" sentiments constituting morality, the moral forms of pain and pleasure in the contemplation of actions, sentiments and characters are based on our sensibility as it reveals the brute realities of pain and pleasure. I argue that the place of pride Hume gives to the "practicality" of morals is not primarily in the service of the explanation of the moral phenomenon, it concerns rather the realist grounding of morality in the human sentiments: what we feel in regard to other human beings. In spite of the implications to the traditional discussion about Hume's morals ontology, my analysis aims to show that such a grounding answers, in tandem with the empiricist commitments of Hume's philosophy, the previous question about what is real when what concerns us are the practical interests of our lives, not merely the theoretical ones. <![CDATA[O CONCEITO DE "CENA" NA OBRA DE JACQUES RANCIÈRE: A PRÁTICA DO "MÉTODO DA IGUALDADE"]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100023&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O presente artigo pretende sistematizar os principais elementos do conceito de "cena", termo fundamental para a conexão entre teoria e método no pensamento do filósofo francês Jacques Rancière. O "método da igualdade" empregado por Rancière pretende, entre outras coisas, delimitar os diferentes momentos de conflito entre regimes de verdade e atos de tomada da palavra - independentemente de classificações feitas a priori como dados para se investigar um objeto de estudo - por meio do conceito de "literalidade", que demonstra duas lógicas distintas de circulação das palavras: de um lado, uma lógica "policial"; de outro, uma lógica "política". Desta maneira, o conceito de "cena" é um elemento central em uma significativa mudança da relação teoria-metodologia-objeto defendida por boa parte do meio acadêmico, inclusive na área de história, nos dias atuais, uma vez que toma a própria noção de historicidade como descontínua e considera amplamente a racionalidade das palavras em vez da minuciosa articulação dos fatos.<hr/>ABSTRACT This article intends to systematize the main elements of the concept of 'scene', a fundamental term for the connection between theory and method in the thought of the French philosopher Jacques Rancière. Rancière's 'method of equality' aims, among other things, to delineate the different moments of conflict between regimes of truth and acts of taking the word - regardless of classifications made a priori as data to investigate an object of study - through of the concept of 'literality', which demonstrates two distinct logics of word circulation: on the one hand, a 'police' logic; on the other, a 'political' logic. In this way, the concept of 'scene' is a central element in a significant change in the theory-methodology-object relation defended by a fair amount of the academic world, including in history field, nowadays, since it takes the very notion of historicity as discontinuous and broadly considers the rationality of words rather than the detailed articulation of facts. <![CDATA[A COSMOLOGIA E COSMOGRAFIA DE ANAXIMANDRO NO IN DE CAELO DE TOMÁS DE AQUINO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100043&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Anaximandro possui destaque na história da filosofia, conforme o In De caelo de Tomás de Aquino, porque, à luz da racionalidade, ele descobriu os pontos limites do cosmo, na perspectiva do observador, a saber: as estrelas e a Terra, os dois itens mediante os quais o milésio inaugura a cosmologia filosófica e a cosmografia. Este estudo mostra que, baseado não somente no texto de Aristóteles, mas também noutras fontes doxográficas, nomeadamente no In De caelo de Simplício, Tomás reúne em seu texto teorias cosmológicas atribuídas a Anaximandro, como o geocentrismo, a finitude do cosmo, a infinitude e divindade do regente do todo e, refletindo sobre elas, o autor manifesta a grandiosidade do gênio daquele que é considerado como o sucessor de Tales de Mileto.<hr/>ABSTRACT Anaximander is a prominent figure in the history of philosophy, according to In De caelo of Thomas Aquinas because, in the light of rationality, he discovered the boundary points of the cosmos, from the observer's perspective, namely: the stars and the Earth, the two items through which the milieu inaugurates philosophical cosmology and cosmography. This study shows that, based not only on the text of Aristotle, but also on other doxographic sources, notably in the In De caelo of Simplicius, Aquinas collects in his text cosmological theories attributed to Anaximander, such as geocentrism, finitude of the cosmos, infinity and deity of the regent of the whole and, reflecting upon them, the author manifests the grandeur of the genius of he who is regarded as the successor of Thales of Miletus. <![CDATA[NOVALIS: FILOSOFIA E POÉTICA DA MEDICINA]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100065&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O artigo analisa a importância das reflexões sobre medicina, a dinâmica do corpo, da doença e da saúde, tais como desenvolvidas pelo médico John Brown no século XVIII, sobre a filosofia da natureza de Novalis, contextualizando a recepção dessas reflexões do âmbito romântico-idealista da Alemanha do começo do século XIX.<hr/>ABSTRACT This paper examines the relevance for Novalis’s philosophy of nature of John Brown’s reflections upon Medicine, dynamics of body, illness and health, the way they were developed by this 18th century physician, by setting the context for it within romantic-idealist early 19th century Germany. <![CDATA[ANÁLISIS DE LOS ASPECTOS FUNDAMENTALES DE LA COMPRENSIÓN JURÍDICA EN CARL SCHMITT Y EXPOSICIÓN DE SUS ALCANCES FILOSÓFICO-GENERALES PARA LA COMPRENSIÓN]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100085&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMEN En este trabajo intento determinar, a partir de textos escogidos de todas las épocas de la producción teórica de Carl Schmitt, de qué manera este autor entiende la comprensión jurídica y de qué manera este modo de comprensión tiene alcances generales para la comprensión práctica. En la medida en que el derecho tematiza las condiciones y los polos de la comprensión, la posición del jurista se distancia tanto de la inclinación hacia el polo ideal, que Schmitt identifica con la racionalidad tecnológica, cuanto de la inclinación hacia el polo real, que Schmitt liga a ciertas formas del romanticismo y el pensamiento teológico.<hr/>RESUMO Neste artigo, tento determinar, a partir de textos selecionados de todos os períodos da produção teórica de Carl Schmitt, como esse autor entende a compreensão jurídica e como esse modo de compreensão tem alcance geral para a compreensão prática. Na medida em que o direito estuda as condições e os polos de compreensão, a posição do jurista distancia-se da inclinação para o polo ideal, que Schmitt identifica com a racionalidade tecnológica, bem como da inclinação para o polo real, que Schmitt conecta com certas formas de romantismo e pensamento teológico. <![CDATA[KANT’S CONSTITUTION OF A MORAL IMAGE OF THE WORLD*]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100103&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT In this paper, I argue that the idea of a universal history is systematically legitimized in Kant’s transcendental system of philosophy by way of the concept of a need [Bedürfnis] for pure practical reason. In this sense, the idea of a universal history is a fundamental part of the moral image of the world that emerges from Kant’s whole philosophy, and it is crucial for understanding both the possibility of the system of pure reason, as well the full development of Kant’s moral philosophy, especially for political philosophy.<hr/>RESUMO Nesse artigo eu argumento que a ideia de uma história universal é sistematicamente legitimada no sistema da filosofia transcendental de Kant por meio do conceito de precisão [Bedürfnis] da razão pura prática. Nesse sentido, a ideia de uma história universal é uma parte fundamental da imagem moral do mundo que emerge da totalidade da filosofia de Kant e é crucial para o entendimento tanto da possibilidade de um sistema da razão pura, quanto para um desenvolvimento completo da filosofia moral, particularmente para a filosofia política. <![CDATA[DIALÉCTICA NEGATIVA EN MERLEAU-PONTY*]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100127&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMEN Nos proponemos mostrar que la filosofía de Merleau-Ponty encarna la experiencia fundamental de la dialéctica: llevar a concepto el sentido de las cosas, del mundo, de los otros, a través de unaexperiencia (Er-fahrung) de expresión que no convierte el sentido de estos en un simple resultado de su reflexión. Para él esta dialéctica se resuelve como dialéctica negativa, en el sentido de ser una filosofía que piensa lo negativo en sentido radical, esto es, como una negación que es parte constitutiva de lo positivo, integrada a éste de manera esencial. Veremos, en particular, que esta idea de la dialéctica atraviesa su concepción de un nuevo pensar como 'pensar sensible' o de 'quiasmo'. El texto está conformado por los siguientes apartados: 1. La dialéctica negativa, 2. La dialéctica como reencuentro con el pasado y 3. El sentido de la crítica.<hr/>ABSTRACT We intend to show that the philosophy of Merleau-Ponty embodies the fundamental experience of the dialectic: To bring concept to the meaning of things, the world, from the others, through an experience (Er-fahrung) expression that does not convert the sense of these in a simple result of its reflection. For him this dialectic is resolved as negative dialectic, in the sense of being a philosophy that thinks the negative in a radical sense, that is, as a denial that is a constitutive part of the positive, integrated to this one in an essential way. We see, in particular, that this idea of the dialectic crosses a new conception of new thinking as sensible thinking sensitive ' or 'chiasmus '. The text consists of the following sections: 1. Negative dialectic, 2. The dialectic as reunion with the past; and, 3. The sense of criticism. <![CDATA[THE AGENT'S ROLE IN THE CAUSATION OF ACTION: IS MICHAEL SMITH'S CAUSAL THEORY OF ACTION IN TROUBLE?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100143&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT The goal of this paper is to find out if Michael Smith's version of the causal theory of action is able to solve David Velleman's agency par excellence challenge. Smith (2012) has claimed that his theory can deal with the challenge insofar as the exercise of the capacity to be instrumentally rational plays the intermediating role which Velleman (1992a) thinks of the agent as playing in the causation of action. However, I argue Smith misunderstands the challenge at hand, thereby failing to find the agent's proper role in action explanation. Moreover, I claim Velleman's objection puts Smith's account of the causal theory in trouble by showing it cannot reconcile the causal explanation of intentional action with our ordinary conception of agency. If Smith intends to explain what a 'full-blooded' intentional action is, I then believe he needs to incorporate into his theory a more robust account of rational guidance.<hr/>Resumo: O objetivo deste artigo é descobrir se a versão da teoria causal da ação de Michael Smith é capaz de resolver o desafio da agência por excelência de David Velleman. Smith (2012) tem sustentado que sua teoria pode lidar com o desafio na medida em que o exercício da capacidade de ser instrumentalmente racional desempenha o papel que Velleman (1992a) imagina que o agente desempenhe na causação da ação. Contudo, argumento que Smith não compreende corretamente o desafio em questão, falhando desse modo em encontrar o papel adequado do agente na explicação da ação. Além disso, defendo que a objeção de Velleman põe a abordagem da teoria causal de Smith em apuros ao mostrar que ela não é capaz de reconciliar a explicação causal da ação intencional com nossa concepção ordinária de agência. Se Smith pretende explicar o que uma ação intencional 'plena' é, então acredito que ele precisa incorporar em sua teoria uma abordagem mais robusta de orientação racional. <![CDATA[JUSTIÇA E FORÇA EM TRASÍMACO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100165&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Em nosso artigo, pretendemos verificar as teses de Trasímaco sobre a justiça e se estas são consistentes entre si. Para isso, há de se observar a relação da justiça com o governo e a força (krátos) que a determina. O intuito é reavivar as discussões hodiernas sobre as teses de Trasímaco dentro da filosofia platônica, assim como demonstrar sua importância para o âmbito da filosofia política.<hr/>ABSTRACT This article aims to verify Thrasymachus' theses on justice and whether they are consistent with one another. As such, it is necessary to observe the relation between justice and government, as well as the force (krátos) which determines it. The objective is to revive in actual times the discussions about Thrasymachus' theses within Plato's philosophy, and to demonstrate its importance in the scope of political philosophy. <![CDATA[THÉÂTRE, PHILOSOPHIE ET RÉSISTANCE : LA PREMIERE PIECE DE SARTRE]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100187&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUME Jean-Paul Sartre débute comme dramaturge durant la Seconde Guerre mondiale alors qu'il est prisonnier de guerre en Allemagne, dans un camp de 25.000 détenus. Durant sa captivité, le philosophe écrit une pièce de théâtre réunissant des victimes et leurs bourreaux, des juifs, des prisonniers et des allemands. Bariona est la toute première pièce de Sartre et elle restera une référence pour le théâtre de situations que l'auteur ne cessera de réaliser pendant toute sa vie. Traditionnellement la pensée sartrienne est analysée, dans un premier temps, sous le prisme de la philosophie abstraite et individualiste dont L'être et le néant est l'expression fondamentale, puis, dans un second temps, après la Seconde Guerre mondiale, à travers le marxisme dont la Critique de la raison dialectique serait le principal ouvrage. L'objectif essentiel de cet article est de mettre à l'épreuve cette idée en analysant les concepts de l'homme seul et de la collectivité dans la première pièce dramaturgique de Sartre. On verra que l'interprétation que divise la pensée de Sartre en deux n'est pas si juste.<hr/>RESUMO Jean-Paul Sartre estreia como dramaturgo durante a Segunda Guerra Mundial, quando é feito prisioneiro de guerra na Alemanha em um campo de concentração com outras 25 mil pessoas. Durante seu cárcere, o filósofo escreve uma peça de teatro reunindo vítimas e seus algozes, judeus e alemães. Bariona é a primeira peça de Sartre e permanecerá a referência do teatro de situações que o autor continuará a perseguir por toda a vida. Tradicionalmente, o pensamento sartriano é considerado, em um primeiro momento, sob o prisma da filosofia abstrata e individualista, que teria na obra O ser e o nada a expressão fundamental; em seguida, em um segundo momento, depois da Segunda Guerra Mundial, o é por meio do marxismo, do qual a Crítica da razão dialética seria a obra principal. O objetivo fundamental do presente artigo é o de colocar à prova essa ideia, analisando os conceitos de homem solitário e de coletividade na primeira peça de teatro de Sartre. Veremos que a interpretação que divide o pensamento de Sartre em dois não é, com efeito, justa. <![CDATA[DESEJO, SENTIMENTO E RELAÇÃO COM O OUTRO NA FILOSOFIA DA VIDA DE RENAUD BARBARAS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2019000100203&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Nossa intenção é apresentar a filosofia da vida de Renaud Barbaras, reunida em Le désir et le monde, e o lugar que ela nos parece ocupar na fenomenologia. Barbaras divide sua filosofia da vida em três níveis: fenomenológico, cosmológico e metafísico. Sem deixar de contemplar seu projeto total, nosso enfoque será mais fenomenológico, destacando, e discutindo, suas noções de desejo, sentimento e relação com o outro.<hr/>ABSTRACT Our intent is to present Renaud Barbaras' philosophy of life, assembled in his book 'Le désir et le monde', as well as the place it seems to us it occupies in phenomenology. Barbaras divides his philosophy of life in three levels: the phenomenological, the cosmologic and the metaphysic levels. Though not foregoing his overall project, our focus will be rather a phenomenological one, highlighting and discussing his notions of desire, feeling and relationship with the other.