Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Educação Médica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-550220170001&lang=pt vol. 41 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Supervisão Docente Indireta: Percepções das Pacientes em Ambulatórios de Obstetrícia e Pediatria]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo Conhecer a percepção das pacientes sobre a consulta realizada por estudante de Medicina com supervisão docente indireta. Método Pesquisa observacional realizada com 95 gestantes do ambulatório de gestação de alto risco e 40 mães de prematuros do ambulatório de follow-up, atendidas por estudantes do quinto ou sexto ano. Utilizaram-se dois questionários semiestruturados, antes da consulta (pré-teste) e após a consulta (pós-teste), com questões objetivas e descritivas. Os dados quantitativos foram analisados em tabela de contingência, e a análise estatística foi realizada por meio do Teste Exato de Fisher. Resultados A pesquisa mostrou mudança de atitude das gestantes e das mães de prematuros na comparação entre antes e depois do atendimento da consulta pelo estudante de Medicina sob supervisão indireta, quanto ao sentimento de conforto ao ser consultada e examinada pelo estudante de Medicina e também quanto à confiança na conduta repassada pelo estudante. A análise descritiva das palavras citadas pelas gestantes antes das consultas apontou ansiedade e, depois da consulta, calma e satisfação. Já para as mães de prematuros antes da consulta, apontou preocupação, insegurança e ansiedade. Após a consulta, as palavras predominantes foram satisfação, confiança e tranquilidade. Conclusão Este estudo demonstrou mudança positiva na percepção das pacientes de ambulatório de Obstetrícia de alto risco e Pediatria atendidas com supervisão docente indireta. As pacientes também reconheceram que este modelo de atendimento médico é importante para os estudantes de Medicina como parte de sua formação.<hr/>ABSTRACT Objective To learn about patients’ views on consultations they received by medical students under indirect faculty supervision. Method Observational research conducted among 95 pregnant women under outpatient care for high risk pregnancy and 40 mothers of preterm born infants assisted through an outpatient follow-up service, under the care of fifth or sixth year student doctors. Two semi-structured questionnaires were used: prior to consultation (pre-test) and after consultation (post-test), containing objective and descriptive questions. Quantitative data were analyzed in a contingency table and statistical analysis was performed using Fisher’s exact test. Results Our data demonstrated the changing attitudes of pregnant women and mothers of preterm child comparing before and after the student doctor consultation under indirect supervision, in relation to both the sense of comfort when being consulted and examined by a medical student and confidence in the student’s conduct. The descriptive analysis of words quoted by pregnant women before the consultation indicated anxiety and, after consultation, were calmness and satisfaction. As regards the mothers of premature infants, before the consultation the KEYWORDS were: ‘worry’, ‘insecurity’ and ‘anxiety’. After the consultation the words ‘satisfaction’, ‘trust’ and ‘confidence’ predominated. Conclusion This study demonstrated a positive change in the perception of outpatients from high-risk obstetrics and pediatrics units consulted by medical students under indirect faculty supervision. Patients also recognized that this model of medical care is important for medical students’ learning as part of their training. <![CDATA[Currículo Orientado por Competência para a Compreensão da Integralidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Esta pesquisa avalia como o currículo de uma faculdade do interior paulista contribui para a compreensão da integralidade pelos estudantes das duas primeiras séries dos cursos de Enfermagem e Medicina, estruturados conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN). Esta compreensão é importante desde as séries iniciais para avançar do modelo biomédico para o biopsicossocial. Trata-se de um estudo de caso educacional qualitativo, realizado por meio de entrevista com quatro perguntas abertas: 1.Qual a sua compreensão sobre integralidade e necessidades de saúde?2.Como você entende o ser humano após um/dois ano(s) de experiência na Famema?3. Como as atividades das Unidades, Educacional Sistematizada (UES) e de Prática Profissional (UPP) têm contribuído para sua compreensão do que são necessidades de saúde?4. Como as atividades das UES e UPP têm contribuído para o seu entendimento de cuidado à pessoa na perspectiva da integralidade? A interpretação dos resultados foi realizada pela técnica de Análise de Conteúdo, na modalidade temática. Essa análise possibilitou a organização de cinco categorias temáticas: compreensão parcial de integralidade e Necessidade de Saúde (NS)- compreendem integralidade como um dos princípios do SUS e um conceito importante para abordar na faculdade e na pesquisa; compreensão de integralidade além do princípio do Sistema Único de Saúde- referem aos aspectos biológicos, psicológicos e sociais da pessoa e à influência do meio ambiente como promotor do processo saúde-doença; entendimento biopsicossocial do ser humano- que aborda o entendimento do ser humano após o tempo de experiência na Famema, tanto da Problematização quanto da ABP; entendimento fragmentado do ser humano- evidencia que eles não entendem o ser humano na sua totalidade, de acordo com o esperado para um profissional de saúde; e contribuição teórica das atividades desenvolvidas na Unidade Educacional Sistematizada e prática das atividades da Unidade de Prática Profissional- revelaram também o que apreenderam na articulação e na complementaridade entre os cenários e descreveram que a UES contribui prioritariamente com a teoria e a UPP da mesma maneira com a prática do cuidado a partir das NS da população. Esse resultado indica que a organização curricular propicia a formação de profissionais segundo o perfil preconizado pelas Diretrizes Curriculares Nacionais, mas, demonstra também dificuldades de entendimento sobre integralidade, NS e ser humano, resultado perfeitamente compreensível, visto que a população estudada se encontra nas séries iniciais dos cursos.<hr/>ABSTRACT This research evaluates how the curriculum of a university in the interior of São Paulo contributes to the comprehension of integrality by the students of the first and two series of Nursing and Medicine courses, structured according to the National Curricular Guidelines (DCN). This understanding is important since the initial series to advance from the biomedical model to the biopsychosocial. This is a qualitative educational case study, carried out through an interview with four open questions: 1. What is your understanding of integrality and health needs? 2. How do you understand the human being after one / two year (s) experience in Famema? 3. How have Unit, Systematized Educational (UES) and Professional Practice (UPP) activities contributed to their understanding of what health needs are? 4. How have the activities of the UES and UPP contributed to their understanding of care for the person in the perspective of integrality? The interpretation of the results was performed by the Content Analysis technique, in the thematic modality. This analysis allowed the organization of five thematic categories: partial comprehension of integrality and Health Need (NS) — comprehend integrality as one of the SUS principles and an important concept to approach in the faculty and research; Comprehension of integrality beyond the principle of the Unified Health System — refer to the biological, psychological and social aspects of the person and to the influence of the environment as promoter of the health-disease process; Biopsychosocial understanding of the human being — that approaches the understanding of the human being after the time of experience in Famema, of both Problematization and PBL; Fragmented understanding of the human being — shows that they do not understand the whole human being, as expected for a health professional; And theoretical contribution of the activities developed in the Systematized Educational Unit and practice of the activities of the Professional Practice Unit — also revealed what they learned in the articulation and complementarity between the scenarios and described that the UES contributes primarily to theory and UPP in the same way with The practice of care from the NS of the population. This result indicates that the curricular organization provides the training of professionals according to the profile recommended by the National Curricular Guidelines, but also demonstrates difficulties of comprehension about integrality, NS and human being, a perfectly understandable result, since the studied population is in the initial series of Courses. <![CDATA[Ensino e Aprendizagem em Odontologia: Análise de Sujeitos e Práticas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O presente estudo pedagógico objetivou investigar o processo de formação em Odontologia com base na visão dos gestores, docentes e discentes de um curso de Odontologia em uma instituição de ensino superior (IES) – Faculdade de Odontologia do Instituto de Saúde de Nova Friburgo da Universidade Federal Fluminense (FO/ISNF/UFF). A amostra não probabilística foi composta por 98 sujeitos (8 gestores, 28 docentes e 62 alunos), que foram entrevistados ou responderam a questionários semiestruturados. A análise dos resultados foi realizada por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) e representações sociais. Os resultados apontaram que 49,0% e 76,5% do corpo docente e discente da IES não têm conhecimento sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN). As sugestões de melhoria incluíram a oferta de cursos de formação continuada em docência, inclusive a respeito das DCN, melhorias na infraestrutura do campus universitário e uma relação professor/aluno mais compatível. O estudo permitiu verificar algumas deficiências nas práticas e posturas, percebidas pelos sujeitos entrevistados. Entretanto, parece haver uma relevante preocupação de alguns sobre um alinhamento do Projeto Político Pedagógico (PPP) com as DCN.<hr/>ABSTRACT This pedagogical study aimed to investigate the training process in dentistry, from the perspective of managers, teachers and students of a dentistry course at a Higher Education Institution (HEI) – the Fluminense Federal University (CNF-UFF) Dental School – Nova Friburgo Campus. A non-probabilistic sample was comprised of 98 subjects (8 managers, 28 teachers and 62 students) who completed questionnaires. The analysis was performed using the Collective Subject Discourse technique (DCS) and social representations. The results showed that 49% and 76.5% of the professors and students of HEI, respectively, do not know about the NCGs (National Curricular Guidelines). The suggestions for improvement included the provision of teacher training courses, including subjects for discussions such as NCGs, improvements in campus infrastructure and a more compatible student-teacher ratio. Therefore, the study showed some shortcomings in the practices and attitudes perceived by managers, teachers and students. However, some people seem to be duly concerned about the alignment of the Pedagogical Political Project (PPP) with the NCGs. <![CDATA[“Além da Mama”: o Cenário do Outubro Rosa no Aprendizado da Formação Médica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100030&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O câncer de mama pode ser considerado, atualmente, um problema de saúde pública devido a sua crescente incidência e índices de letalidade. Diante disso, o movimento Outubro Rosa visa chamar a atenção da população a respeito dessas neoplasia em mulheres de todo o mundo, de modo que suas ações têm por objetivo comum realizar o diagnóstico precoce no intuito de diminuir a mortalidade em decorrência dessa neoplasia. Dessa forma, o presente artigo objetiva relatar a experiência de acadêmicos do curso de Medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz, no Módulo de Práticas de Integração Ensino, Serviço e Comunidade III (Piesc III), numa ação conjunta com a Equipe de Saúde da Família (ESF) de Iguape, em Ilhéus (BA), no contexto do movimento Outubro Rosa, objetivando também compartilhar considerações sobre a formação médica levantadas pelo grupo acerca da vivência descrita. No período, realizou-se abordagem inicial na sala de espera, anamnese dirigida e foi feito o exame físico das mamas das pacientes que compareceram à Unidade de Saúde da Família. A experiência não consistiu apenas em identificar pacientes com suspeita de câncer de mama e quantificar os dados, mas numa oportunidade de exercício da Educação e Comunicação em Saúde e de desenvolvimento da relação médico-paciente. Ainda permitiu aos acadêmicos reconhecer e entender melhor as dificuldades das usuárias em relação à prevenção e promoção da saúde das mamas, sendo que se observou que diversas mulheres não estavam familiarizadas com os temas abordados. O estudante de Medicina precisa compreender que o conhecimento teórico-prático se reconstrói em cada paciente com contexto histórico específico e com diferentes visões e interpretações dos conceitos de saúde e doença. Além disso, o profissional médico deve exercitar, desde a graduação, habilidades que extrapolam o ortodoxo trabalho médico, assumindo também uma postura de multiplicador de cidadania, um agente propagador de direitos e deveres.<hr/>ABSTRACT The breast cancer can now be considered a public health problem due to its increasing incidence and lethality rates. In view of this, the October Rosa mobilization aims at drawing the population’s attention regarding this neoplasm in women from all over the world, so that their common objective is to perform the early diagnosis in order to reduce mortality due to this neoplasm. Thus, the following article describes the experiences of undergraduate medical students at the Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) regarding the practice module on Integrated Teaching with Community Health and Service, as part of a joint initiative with a Family Health Team in the outskirts of Ilhéus, Bahia, Brazil, within the context of the “Pink October” movement, also aiming to share thoughts on the medical degree raised by the group on the experience described. As part of the Pink October initiative, the students were given the opportunity to take a clinical approach in the waiting room, collecting information and performing physical examinations on patients who appear at the Family Health Unit. This experience was not only intended to identify patients with suspected cancer and measure the data collected, but was also designed to provide the students the opportunity to put their health education and communication skills into practice, developing the doctor-patient relationship. It also allows academics to better recognize and understand users’ difficulties in preventing and promoting breast health. In this context, it was observed that several women were not familiar with the recommended techniques for the breast self-exam (???). Medical students must understand that practical and theoretical knowledge is reconstructed with every single patient according to their specific historical context and varying viewpoints and interpretations of the concepts of health and disease. In addition, the medical professional must exercise, from the undergraduate, skills that extrapolate the orthodox medical work, also assuming a position of multiplier of citizenship, a propagating agent of rights and duties. <![CDATA[Perfil da Formação Médica em Terapia Intensiva no Estado de Rondônia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100038&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A Medicina Intensiva (MI) é uma especialidade que apresenta um déficit de profissionais qualificados com título em MI. Esse déficit se deve principalmente ao significativo aumento de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) nas últimas décadas. No Brasil, menos de 2% dos médicos possuem formação nessa especialidade. A legislação vigente preconiza um médico diarista/rotineiro com título de especialista em MI para cada dez leitos em cada turno. O Estado de Rondônia conta com 183 leitos de UTI e apenas 18 médicos intensivistas, segundo a Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Esse quadro coloca em risco a qualidade do serviço em MI, principalmente para o usuário. O presente estudo buscou caracterizar o perfil de formação dos médicos intensivistas que atuam nas UTI dos hospitais da rede pública e privada do Estado de Rondônia. Trata-se de um estudo transversal e quantitativo, com uso de questionário autoaplicável com perguntas sobre condições sociodemográficas e perfil profissional, do qual participaram 93 profissionais. Os resultados mostram que a maior proporção é do sexo masculino, na faixa etária de 30 a 40 anos, com renda mensal acima de dez salários mínimos. Cerca de um terço relatou acúmulo de dois locais de trabalho, e menos de 20% atuam apenas em UTI. A maioria dos participantes atua em UTI pública e privada, e apenas 19,4% possuem especialização em Medicina Intensiva. A participação em eventos científicos foi significativa, mas apenas um em cada cinco participa de projeto de pesquisa, e um em cada quatro publica artigos científicos. O reduzido número de especialistas que atua nas UTI compromete a qualidade dos serviços de assistência prestados aos usuários. Esforços para correção dessa deficiência devem ser estimulados por meio do aumento da oferta de vagas do programa de residência médica local, visando à melhoria na qualidade da gestão e dos profissionais médicos que atuam nessas UTI.<hr/>ABSTRACT As a specialization, Intensive Care (IC) is currently experiencing a shortage of qualified professionals with the specific IC title. This shortage is mainly due to a significant increase in the number of beds in intensive care units (ICU) in recent decades, with less than 2% of physicians trained in this specialization in Brazil. The country’s legislation calls for one daytime/routine doctor specialized in IC for every 10 beds per shift, whereas, according to the Brazilian Intensive Care Association, the State of Rondônia only has 183 ICU beds and 18 intensive care physicians. This framework puts the quality of the IC service at risk, particularly for users. The following study sought to characterize the educational profile of intensive care physicians working in intensive care units (ICU) in public and private hospitals in state of Rondônia. Completed by 93 professionals, this transversal and quantitative study featured a self-administered questionnaire containing questions on sociodemographic conditions and professional profiles. The results showed that the highest proportion were male and aged 30-40, with a monthly income over ten minimum monthly salaries. Approximately 1/3 reported working in two different places, and less than 20% worked exclusively in ICU. Most of the participants worked in public and private ICU, and only 19.4% were specialized in Intensive Care Medicine. Participation in scientific events was significant, but only 1 out of 5 took part in research projects, with only 1 out of 4 publishing scientific articles. The small number of experts working in ICU compromises the quality of care services provided to users. Efforts to correct this deficiency should be encouraged by increasing the vacancies offered on local residency programs, improving the quality of management, as well as providing better training for medical professionals working in ICU. <![CDATA[Raciocínio Clínico de Estudantes de Medicina no Ciclo Básico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100044&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução As estratégias de raciocínio clínico têm como fundamento teórico os modelos hipotético-dedutivo e indutivo. O primeiro se baseia na geração de hipóteses a partir do conhecimento acerca das patologias, e o segundo, em generalizações com base nos dados do caso ou reconhecimento de padrão. O pensamento de um médico ou estudante pode ser avaliado por meio da técnica think aloud (TTA). Objetivos Identificar as estratégias de raciocínio clínico e a organização e conteúdo do conhecimento de acadêmicos de Medicina na resolução de um caso clínico protótipo em Clínica Médica por meio da aplicação da TTA. Método Estudo qualitativo realizado com estudantes de graduação em Medicina no final do ciclo básico em uma universidade pública brasileira ao longo de 2014. A partir da teoria dos protótipos e da percepção de 41 alunos sobre sinais, sintomas, síndromes e doenças típicas na Clínica Médica, construiu-se um caso clínico. A TTA foi aplicada individualmente a 30 estudantes, sorteados da amostra inicial, para obter a gravação em áudio da verbalização do processo de raciocínio frente ao caso apresentado. A transcrição das falas permitiu avaliar os textos por análise de conteúdo e identificar os processos de interpretação e combinação, bem como categorizar as estratégias de raciocínio. Foram ainda identificados os eixos semânticos, que foram classificados nas categorias de sintomas, sinais, síndromes, doenças, dados factuais e processos. Resultados Foram elaboradas 105 hipóteses diagnósticas principais (HDP), de 12 tipos distintos, identificadas como primárias, e 12 como secundárias, com média de 3,5 hipóteses principais por aluno. Na elaboração das HDP, predominou a estratégia Esquema-Indutivo (E-I) = 42,3%, seguida pelo Reconhecimento de Padrão (R-P) = 21,2%, Mista E-I (15,4%), Mista R-P (10,6%) e Hipotético-Dedutiva (10,6%). Quanto a organização e conteúdo do conhecimento, houve média de 12,9 eixos semânticos por aluno, 20,9 processos de interpretação e 6,8 de combinação. Conclusões A estratégia de raciocínio indutiva é predominante na elaboração de HDP entre acadêmicos de Medicina no final do ciclo básico. Os alunos apresentam uma rede semântica sólida e habilidade nos processos de interpretação, mas reduzida capacidade de associação quando comparados a médicos experientes.<hr/>ABSTRACT Introduction Clinical reasoning strategies (CR) employ hypothetical-deductive and inductive models as their theoretical basis. The first is based on the generation of hypotheses derived from a knowledge of pathologies and the second on a generalization derived from data on the case or an identification of a pattern. Doctors’ or students’ thoughts may be evaluated by the “think aloud” technique (TAT). Objectives To identify the CR strategies used by medical students at the end of the basic cycle, as well as the organization and contents of their knowledge, analyzing an internal medicine prototype clinical case by means of the TAT. Method A qualitative study was conducted on undergraduate medical students at the end of the basic cycle in a Brazilian university in 2014. The theory of prototypes served as the basis for building the clinical case, based on 41 students’ perceptions of signs, symptoms, syndromes, and diseases typical of internal medicine. The TAT was individually applied to 30 randomly selected students in the original sample, in order to obtain an audio record of the verbalization of their reasoning processes in light of the case presented. A transcript of the speeches allowed us to evaluate the texts by means of content analysis, and to categorize the reasoning techniques employed. Semantic axes were also identified and subsequently categorized into six classes: symptoms, signs, syndromes, diseases, factual data, and processes. Results A total of 105 diagnostic hypotheses were created, in which 12 different types were identified as primary and 12 as secondary, with a mean of 3.5 principal hypotheses per student. The most commonly used reasoning style for developing the PDH was scheme-inductive (SI) = 42.3%, followed by pattern recognition (PR) = 21.2%, mixed SI (15.4%), mixed PR (10.6%), and hypothetic-deductive (10.6%). As for knowledge organization and content, a mean of 12.9 semantic axes was recorded per student, with 20.9 interpretation processes per student and 6.8 combination processes per student. Conclusions The inductive reasoning strategy is the most commonly used for developing PDHs among medical students at the end of the basic cycle. Students revealed a solid semantic network and skills in interpretation processes; however their combined abilities were limited when compared to those of experienced doctors. <![CDATA[Avaliação da Disponibilidade para Aprendizagem Interprofissional de Estudantes de Ciências da Saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100050&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A educação interprofissional é uma importante ferramenta para o desenvolvimento das competências colaborativas na formação de estudantes na área da saúde, com experiências ainda escassas no Brasil. Essa dificuldade de implementação deve-se principalmente a resistências institucionais, de professores e estudantes, a entraves curriculares e ao corporativismo das profissões. Por isso, destaca-se a importância deste artigo em compartilhar uma experiência de educação interprofissional, em que se buscou avaliar a disponibilidade para aprendizagem interprofissional de estudantes do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Para tanto, realizou-se um estudo transversal, observacional, descritivo e de abordagem quantitativa. A amostra foi uma casuística de 770 estudantes dos cursos de Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Odontologia, Medicina, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional que estavam no primeiro, na metade e nos últimos semestres. Foi aplicado o questionário Readiness Interprofessional Learning Scale (RIPLS), versão adaptada ao português, validada para cursos de graduação. Por meio do programa Epidata 3.1, construiu-se um banco de dados, com a validação de dupla digitação. O banco de dados foi exportado para o programa Stata 12.0, em que se realizou a análise dos dados. Para análise da diferença estatística significante, calculou-se o teste t e Anova para a diferença de médias e Qui-Quadrado para a concordância das assertivas isoladamente, considerando o nível de significância de 5%. Da amostra, participaram 186 (24,2%) homens e 584 (75,8%) mulheres. Houve significância estatística (p-valor = 0,0082) em relação à média superior das mulheres (109,27) em desenvolver competências colaborativas em comparação aos homens (107,5). Também foi observado um decréscimo do escore de competências colaborativas com o aumento do grupo etário, pois no grupo de 16-20 anos a média foi de 110, e nos grupos de 21-25 e acima de 26 anos foi de 108,2 (p-valor = 0,016). A média geral de desenvolvimento de competências colaborativas de todos os participantes da pesquisa foi de 108,8, não havendo diferença significativa por curso (p-valor = 0,947). Ainda foi analisado que os alunos concluintes possuem menor potencial para desenvolver competências colaborativas (107,93) do que os intermediários (108,7) e ingressantes (110,3) (p-valor = 0,0052). O estudo aponta que os estudantes ingressantes apresentaram alta disponibilidade para a educação interprofissional, tornando propício que, no início da vida acadêmica, as habilidades de trabalho em equipe e colaboração, identidade profissional e atenção centrada no paciente sejam fortalecidas nos currículos sem apresentar resistência do estudante, sendo importante desenvolver essas ações até o final do curso.<hr/>ABSTRACT Interprofessional learning is an important tool in the development of collaborative competences among health sciences students. We believe the following study is highly relevant due to the fact that experience in this concept has been limited in Brazil, particularly due to resistance from institutions, teachers, and students, also hampered as it is by bureaucratic obstacles and professional corporatism. Using cross-sectional, descriptive, quantitative, and observational methodology, we evaluated the readiness for interprofessional learning among health sciences students at the University of Fortaleza in northeastern Brazil. With the sample consisting of 770 nursing, physical education, pharmacy, physical therapy, speech therapy, dentistry, nutrition, psychology, medicine, and occupational therapy students in their early, middle and late semesters, information was collected by means of the Readiness for Interprofessional Learning Scale Questionnaire translated into Portuguese and validated for undergraduate students. A database was built with the Epidata 3.1 software, using two-pass verification and exported to Stata 12.0 for analysis. Differences in scores were analyzed with the t test and Anova, while agreement between statements was evaluated with the chi-square test. The level of statistical significance was set at 5% (p &lt; 0.05). The participants included 186 men (24.2%) and 584 women (75.8%). On average, women scored significantly better (109.27) than men (107.5) with regard to the development of collaborative competences (p = 0.0082). The overall average score was 108.8, with no significant difference between courses (p = 0.947). Average scores, did, however, not only decrease with age (16-20 years = 110; 21-25 years and &gt;26 years = 108.2) (p = 0.016), but also according to length of attendance (early semesters = 110.3; middle semesters = 108.7; late semesters = 107.93) (p = 0.0052). The readiness for interprofessional learning displayed by students in their early semesters shows that the concepts of team work/collaboration, professional identity, and patient-centered care may be strengthened in the early semesters of the curriculum without encountering significant resistance on the part of the students, suggesting such practices should be encouraged throughout the entire course. <![CDATA[O Teste de Progresso como Indicador para Melhorias em Curso de Graduação em Medicina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100058&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução O Núcleo de Apoio Pedagógico Interinstitucional Sul II (Napisul II) foi estabelecido em agosto de 2010 com o apoio da Associação Brasileira de Educação Médica (Abem), tendo o propósito específico de formulação, implementação e análise do teste de progresso. Objetivo Verificar se os resultados do teste de progresso podem ser usados como indicador para melhorar a qualidade do curso de Medicina. Métodos Foram realizados três estudos transversais institucionais durante os três anos da aplicação deste teste no curso de Medicina da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), localizada na Região Sul do Brasil. Todos os participantes do estudo eram estudantes de graduação em Medicina na Unesc e haviam feito o teste de progresso em 2011, 2012 e 2013. A análise estatística foi realizada com um nível de confiança de 95%. Resultados A adesão média ao longo dos três anos variou de 91,8% a 100%. Em 2011, o curso de Medicina da Unesc obteve classificação igual ou superior à média dos oito cursos que compõem o Napisul II até a oitava fase e ficou abaixo da média na quinta e sexta fases. Em 2012, a Unesc novamente foi classificada com desempenho mediano até a sétima fase. Na oitava fase, a classificação da Unesc foi significativamente maior do que a média global, e assim, na quinta fase, o curso não diferiu da média do grupo. No entanto, na sexta fase, a classificação do curso foi significativamente inferior à média. Em 2013, a Unesc foi novamente classificada com desempenho mediano até a oitava fase, e nas últimas três fases o curso foi classificado acima da média. Conclusão: O teste de progresso é um excelente indicador para os gestores, pois pode ser usado para desenvolver intervenções para melhorar a qualidade dos cursos. Após a aplicação do primeiro teste foram realizadas mudanças no curso de Medicina da universidade. Testes posteriores demonstraram a eficácia dessas mudanças.<hr/>ABSTRACT Introduction The Núcleo de Apoio Pedagógico Interinstitucional Sul II (Napisul II) was established in August 2010 with the support of the Brazilian Association of Medical Education (Abem) with the specific purpose of formulating, implementing and analyzing the progress test. Objective To verify whether the results of the progress test can be used as an indicator to improve the degree course in medicine. Methods We performed three cross-sectional studies of institutional households during the three years of the application of the test in the medical school at the University of Extremo Sul Catarinense (Unesc), South Brazil. All participants in the study were undergraduate students in medicine at the Unesc who had taken the progress test in 2011, 2012, and 2013. Statistical analysis was performed with a 95% confidence level. Results Mean adherence over the three years ranged from 91.8% to 100%. In 2011, the medical program at the Unesc ranked equal to or above the average for the eight Napisul II schools until the eighth stage and ranked below average in the fifth and sixth years. In 2012, the Unesc again was ranked in the average range until the seventh stage. In the eighth stage, the Unesc’s ranking was significantly higher than the overall average, and thus, in the fifth year, the school was on par with the group average. However, in the sixth year, the school’s ranking was significantly below average. In 2013, Unesc was again ranked in the middle of the group until the eighth phase, and in the last three phases, the school was ranked above average. Conclusion The progress test is an excellent indicator for managers, as it can be used to develop interventions to improve the quality of the courses. After the first test was administered and changes in the school’s courses were implemented, subsequent tests demonstrated the effectiveness of the changes. <![CDATA[Conhecimentos dos Médicos Residentes de Ginecologia e Obstetrícia sobre Contracepção Hormonal em Situações Especiais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100069&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução Os anticoncepcionais hormonais (ACH) vêm sendo utilizados e difundidos desde a década de 1960. Sua importância atualmente é inegável, pois eles são responsáveis pelo tratamento e prevenção de várias doenças ginecológicas. A evolução dos ACH consistiu na implantação de uma ampla variedade de contraceptivos, de diferentes dosagens, combinações e formas de administração. Com o intuito de orientar sobre a segurança dos vários métodos contraceptivos em contextos específicos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou o guia Critérios de Elegibilidade para o Uso de Contraceptivos. Objetivo Este estudo objetiva avaliar o conhecimento dos residentes de Ginecologia e Obstetrícia de Goiânia a respeito da contracepção hormonal, de acordo com o guia Critérios de Elegibilidade para o Uso de Contraceptivos da OMS. Métodos Foi realizado um estudo transversal, descritivo, com residentes de Ginecologia e Obstetrícia de dois hospitais de Goiânia (GO), um filantrópico e outro da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás. Foi aplicado um questionário com perguntas de cunho epidemiológico e perguntas técnicas sobre indicações e contraindicações de determinados métodos contraceptivos nas seguintes situações especiais: cefaleias, hipertensão arterial sistêmica, tabagismo, tromboembolismo, trombose arterial e embolia pulmonar. Foi realizada análise univariada, e os dados foram dispostos em tabelas de frequência. Resultados Os questionários foram respondidos por 33 residentes, com média de idade de 29,2 anos, dos quais 61% afirmaram ter formação adequada sobre contracepção; 63% se sentiam aptos a prescrevê-los; e os residentes dos dois últimos anos se sentiram mais seguros (82,4%) do que o grupo de recém-chegados à residência e os residentes do primeiro ano (75%), porém não foi obtida diferença significativa entre eles. Conclusão Os anos de residência médica não foram suficientes para melhorar significativamente os conhecimentos a respeito dos critérios de elegibilidade da OMS entre os grupos iniciais e finais do curso de residência, apesar de oferecerem maior segurança na prescrição.<hr/>ABSTRACT Introduction Hormonal contraceptives have been available for use since the 1960s, with their importance now undeniable, thanks to their treatment and prevention of various gynecological diseases. The development of hormonal contraceptives has involved the implementation of a wide range of contraceptives, different dosages, combinations and forms of administration. In order to advise on the safety of the prescription of these drugs in special situations, the WHO launched a guide known as the “WHO Eligibility Criteria for the use of hormonal contraceptives”. Objective This study aims to evaluate knowledge among gynecology and obstetrics residents according to the WHO guidelines. Methods A cross-sectional survey was administered to gynecology and obstetrics medical residents at two hospitals in Goiânia, with one hospital philanthropic and the other pertaining to the Goiás State Department of Health. A questionnaire was administered featuring epidemiological and technical questions on the indications and contraindications associated with the use of certain contraceptive methods in special conditions, such as headache, hypertension, smoking, thromboembolism, arterial thrombosis, and pulmonary embolism. A univariate analysis was performed, with the data organized into frequency tables. Results The questionnaires were completed by 33 residents with a mean age of 29.2, with 61% revealed to have received adequate training on contraception and 63% feeling able to prescribe hormonal contraceptive methods. Residents in the final two years felt safer (82.4%) than the newcomer resident group and those in the first year (75%), however a significant difference was not recorded. Conclusion The number of years students had been resident was not enough to significantly improve knowledge on the WHO Eligibility Criteria, in our comparison between residents in the initial and final stages of the course, despite tallying safer prescription. <![CDATA[Percepção sobre o Internato de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro pelos Preceptores do Serviço na Atenção Básica: um Estudo de Caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução O preceptor é entendido como o profissional da rede assistencial que tem importante papel na inserção do graduando e do recém-graduado na prática profissional. Entretanto, estudos sobre o ensino da prática médica na Estratégia Saúde da Família (ESF) têm mostrado inadequações na qualidade, na capacitação e no tempo destinado pelos preceptores aos estudantes. No município do Rio de Janeiro (RJ), a expansão da ESF se deu tardiamente, o que resultou num vácuo da inserção do aluno de Medicina na rede. Objetivo Conhecer as percepções dos médicos preceptores da Estratégia Saúde da Família quanto à sua atuação junto aos internos de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Método Pesquisa exploratória, do tipo estudo de caso, de abordagem qualitativa, realizada no município do RJ. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, entre setembro de 2011 e março de 2012, com 15 preceptores das seis Clínicas da Família que recebem internos de Medicina da UFRJ. As entrevistas foram gravadas, transcritas, lidas e tratadas por meio da técnica de análise de conteúdo temática, da qual emergiram cinco categorias: estímulo e motivação; valorização; capacitação; mundo real versus mundo acadêmico; integração ensino-serviço. Resultados Os preceptores se sentem reconhecidos e estimulados pelos alunos, mas não sentem a valorização pela chefia do serviço, que não libera espaço físico e horário para as atividades. Há uma boa relação estabelecida com os tutores e os alunos da UFRJ, mas desejam receber capacitação para a preceptoria e estreitar o vínculo com a UFRJ. Percebem o tempo destinado ao aluno como precioso e ao mesmo tempo desafiador, estimulando-os a repensar suas práticas do cuidado. Reconhecem no estágio a oportunidade para os internos vivenciarem na prática o que foi apreendido na teoria. Conclusão A prática de preceptoria encontra sustentação na boa relação estabelecida entre os preceptores, tutores e alunos, mas são necessários esforços para a valorização dos profissionais que desempenham esta prática.<hr/>ABSTRACT Introduction A preceptor is understood as a health care professional with an important role in introducing students and recently graduated doctors into professional practice. However, studies into medical teaching in the Family Health Strategy (FHS) have shown inadequacies in the quality, training and time spent by the tutors with students. In the municipality of Rio de Janeiro (RJ), the expansion of the FHS was belated, resulting in a vacuum of medical students being inserted into the network. Objective To understand the perception of Family Health Strategy physician preceptors regarding their performance with medical student interns from the Federal University of Rio de Janeiro (UFRJ). Methods This is a case study which employed a qualitative method and took place in the city of Rio de Janeiro (RJ). Semi-structured interviews were conducted between September 2011 and March 2012, with 15 preceptors from six Family Clinics receiving UFRJ medical interns. Interviews were recorded, transcribed, read and subjected to thematic content analysis, resulting in the establishment of five categories: encouragement and motivation; appreciation; training; real world versus academic world; teaching-service integration. Results The preceptors report that they feel recognized and encouraged by the students, but do not feel appreciated by the service coordinators, who fail to allocate adequate space and time to their preceptorship activities. A good relationship is established with both tutors and students. The preceptors would like to be trained in preceptorship and to strengthen their ties to UFRJ. They view their time with the students as both precious and challenging, because it stimulates them to rethink their care practices. They recognize in the internship the opportunity for students to gain practical experience of what has been learned in theory. Conclusion The preceptors’ work is supported by the good relationship established between preceptors, tutors and students but efforts are needed to value the professionals who perform this practice. <![CDATA[Simulação Médica no Ensino Universitário de Pediatria]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100086&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivos Demonstrar as vantagens do uso de manequins simuladores no ensino prático médico, em particular pediátrico, e estudar os diferentes tipos de manequins/modelos existentes, especificidades e utilização própria de cada um deles. Métodos A formação médica baseada na transmissão teórica de conhecimentos e com aprendizagem clínica praticada em doentes reais não é viável atualmente, pois depende da oportunidade e disponibilidade dos doentes em determinado momento. Hoje em dia, a Medicina recorre a modelos de simulação médica, permitindo o desenvolvimento da proficiência necessária à execução de determinado procedimento. A simulação médica proporciona diversas vantagens: não requer doentes reais e disponíveis, possibilita repetição da técnica com correção de erros, aumenta o nível de confiança do aluno em suas capacidades e não oferece risco ao doente. Desde 2009, o ensino de Pediatria no Estágio de Saúde Infantil dos alunos do sexto ano do Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina de Coimbra contempla aulas práticas com modelos, onde os alunos treinam técnicas como: intubação pediátrica, manobra de Ortolani, punção venosa em membros superiores, punção lombar, intubação orotraqueal, auscultação do murmúrio vesicular, punção venosa, avaliação da fontanela normotensa e da hipertensão da fontanela. Esta componente prática de ensino estimula e agrada aos alunos, que todos os anos a elegem como uma das preferidas do Estágio de Saúde Infantil no âmbito do Mestrado Integrado. Resultados Aquisição de conhecimentos e prática de técnicas médicas, invasivas e não invasivas, por parte dos alunos, recorrendo a modelos de simulação médica pediátricos, nomeadamente: intubação pediátrica, manobra de Ortolani, punção venosa em membros superiores, punção lombar, intubação orotraqueal, auscultação do murmúrio vesicular, punção venosa, avaliação da fontanela normotensa e da hipertensão da fontanela. Feita a avaliação destas mesmas aulas pelos alunos por meio de questionário de preferências, ficou claro que esta é uma das aulas preferidas dos alunos do sexto ano de Medicina em Estágio de Saúde Infantil do Mestrado Integrado em Medicina. Conclusões Foi possível aos alunos desenvolver competências na realização de procedimentos médicos, com uma avaliação muito positiva pelos estudantes do Estágio em Saúde Infantil do Mestrado Integrado em Medicina.<hr/>ABSTRACT Objectives To demonstrate the advantages of using simulator mannequins in practical medical education and particularly in pediatrics, studying the different kinds of existing mannequins/models, their specific characteristics and uses. Methods Medical training based on the theoretical transmission of knowledge and clinical learning practiced on real patients is currently unviable because it is dependent on the timing and availability of patients at any given moment. Nowadays, medicine uses medical simulation models, thus facilitating the development of proficiency in skills required for the execution of particular procedures. Medical simulation provides several advantages: it does not require real and available patients, techniques may be repeated in order to address errors, students’ confidence in their abilities is promoted, and there is an absence of risk for the patient. Since 2009, the child health internship undertaken as part of the pediatric education section of the Integrated Master’s degree at the University of Coimbra Faculty of Medicine by sixth-year students has included practical classes with models where students practice techniques such as pediatric intubation, the Ortolani maneuver, venipuncture in upper limbs, lumbar puncture, endotracheal intubation, breath sounds auscultation, venipuncture, evaluation of normotensive fontanelle, and hypertension fontanelle. This practical component stimulates and appeals to students, who repeatedly select these classes as one of their favorites on the child health internship completed as part of the Integrated Master’s degree in Medicine. Results Students used medical simulation models to acquire knowledge and practice medical, invasive and non-invasive techniques such as: pediatric intubation, the Ortolani maneuver, venipuncture in the upper limbs, lumbar puncture, endotracheal intubation, breath sounds auscultation, venipuncture, evaluation of normotensive fontanelle, and hypertension fontanelle. Upon the students’ assessment by means of a preference questionnaire, it became clear that these classes were some of those preferred by sixth-year students completing the child health internship as part of their Integrated Master’s degree. Conclusions Students completing child health internships as part of the Integrated Master’s degree in medicine were able to develop skills in performing medical procedures, with very positive assessments given by these students on the experience. <![CDATA[Análise da Depressão, dos Fatores de Risco para Sintomas Depressivos e do Uso de Antidepressivos entre Acadêmicos do Curso de Medicina da Universidade Estadual de Ponta Grossa]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100092&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução A depressão entre estudantes de Medicina tem sido uma condição prevalente, porém as pesquisas têm sido metodologicamente insuficientes quanto à análise dos fatores de risco envolvidos e ao tratamento dessa população. Objetivos Determinar a prevalência de sintomas depressivos e de seus fatores de risco, assim como do uso de antidepressivos na amostra analisada. Método Para o screening de sintomas depressivos, foi aplicado o Inventário de Depressão de Beck (BDI), e para a adesão medicamentosa, o teste de Morisky-Green-Levine. O teste exato de Fisher unicaudado foi utilizado para variáveis qualitativas e, para as quantitativas, o teste one-way Anova com análise post-hoc pelo teste de Tukey-Kramer. As diferenças foram consideradas significativas quando p &lt; 0,05. Resultados Mostraram-se estatisticamente significativas as associações entre sintomas depressivos e frequência de atividades de lazer, estresse, satisfação com o desempenho acadêmico e falta de apoio emocional. Não mostraram associação com sintomas depressivos as seguintes variáveis: sexo, viver sozinho, parceiro fixo, álcool, tabagismo, drogas ilícitas e série do curso . A satisfação com o desempenho acadêmico e o alto grau de estresse não apresentaram significância estatística ao serem relacionados com as séries do curso. Conclusão As prevalências de sintomas depressivos nos acadêmicos de Medicina da UEPG e da utilização de medicamentos antidepressivos vão ao encontro dos dados referentes a acadêmicos de Medicina de outras instituições brasileiras e internacionais. Apresentam-se como fatores de risco para os transtornos depressivos a frequência das atividades de lazer, o estresse, a satisfação com o desempenho acadêmico e a falta de apoio emocional no ambiente acadêmico. A prevalência de depressão a partir da quarta série tendeu a aumentar, e apenas a sexta série diferiu de modo estatisticamente significativo em relação às demais quanto às médias do escore BDI, o que sugere a hipótese de que o final do curso de Medicina é o período que apresenta maior quantidade de fatores estressores e depressivos para o acadêmico.<hr/>ABSTRACT Introduction Depression among medical students is particularly prevalent, however studies on risk factors and treatment for this group have proved to be methodologically insufficient as the results were not consistent. Aims To determine the prevalence of depressive symptoms, their risk factors, and the use of antidepressants among medical students. Methods Participants answered the Beck’s Inventory (BDI) for detecting depressive symptoms and the Morisky-Green-Levine test to evaluate medication adherence. A one-tailed Fisher’s exact test was performed on qualitative variables, with a one-way Anova test performed on quantitative variables with post-hoc analysis by means of Tukey-Kramer’s test. Differences were considered to be statistically significant when p &lt; 0.05. Results Associations between depressive disorders and the following factors were considered statistically significant: frequency of leisure activities, stress, satisfaction with academic performance, and lack of emotional support. Gender, living alone, steady partner, use of alcohol, smoking tobacco, use of illicit drugs, and Medical school’s grade did not show association with depressive disorders. Satisfaction with academic performance and high level of stress were not statistically significant when they were correlated to Medical school’s grade. Conclusion The prevalence of depression and also use of antidepressants is similar to the results recorded by other studies on medical students performed by Brazilian and international institutions. The following items were considered to be risk factors on the development of depressive disorders: frequency of leisure activities, stress, satisfaction with academic performance, and lack of emotional support in the academic environment. From the fourth grade to the sixth grade, the prevalence of depression seemed to increase and just the sixth grade was statistically significant when compared to other grades through averages of BDI score. It suggests the hypothesis that the end of Medical course is the period of time where there are more stressful and depressive factors for the student. <![CDATA[Consumo de Estimulantes Cerebrais por Estudantes de Medicina de uma Universidade do Extremo Sul do Brasil: Prevalência, Motivação e Efeitos Percebidos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100102&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Introdução Substâncias psicoestimulantes são aquelas com capacidade de aumentar o estado de alerta e a motivação, além de possuírem propriedades antidepressivas, de melhora no humor e no desempenho cognitivo. Por esse motivo, muitos estudantes fazem consumo indiscriminado dessas substâncias. O objetivo deste estudo foi investigar o uso de substâncias estimulantes do sistema nervoso central pelos estudantes de graduação em Medicina da Universidade Federal do Rio Grande – Furg (RS), verificando as substâncias mais utilizadas, os motivos de uso e o perfil dos usuários. Métodos Foi realizado um estudo quantitativo observacional do tipo transversal com 200 estudantes de graduação em Medicina da Furg, matriculados nessa instituição no segundo semestre de 2015. Para a coleta de dados, utilizou-se um questionário padronizado e de autopreenchimento, com questões demográficas, comportamentais e sobre o uso de estimulantes. Foram coletadas informações acerca do consumo de cafeína, metilfenidato (Ritalina®), modafinil, piracetam, bebidas energéticas, anfetaminas e MDMA (ecstasy). Os dados foram analisados pelo teste exato de Fisher no pacote estatístico Stata 11.2. Resultados A prevalência de uso de substâncias estimulantes na vida foi de 57,5% (IC95% 50,9 a 64,4), sendo que 51,3% destes começaram a usá-las durante a faculdade. O uso de psicoestimulantes no momento da pesquisa teve prevalência de 52,3% (IC95% 45,3 a 59,3), valendo destacar que 16,6% dos estudantes consumiam mais de uma substância psicoestimulante. As substâncias mais consumidas foram bebidas energéticas (38,0%) e cafeína mais de cinco vezes por semana (27,0%). O consumo de estimulantes foi maior entre os estudantes das séries iniciais do curso. Os principais motivos alegados para o consumo de estimulantes foram compensar a privação de sono (47,4%) e melhorar raciocínio, atenção e/ou memória (31,6%). Em relação aos efeitos percebidos com o uso de estimulantes, 81,2% relataram redução do sono, 70,8% perceberam melhora na concentração, 58,0%, 56,1% e 54,0% reportaram, respectivamente, redução da fadiga, melhora no raciocínio e melhora do bem-estar. Conclusões O consumo de estimulantes entre os estudantes de Medicina foi elevado. Mais da metade dos estudantes relataram consumir psicoestimulantes, e um em cada três destes usou para melhorar o desempenho cognitivo. O uso dessas substâncias foi considerado eficaz pela maioria dos usuários, o que pode dificultar o combate a esse consumo.<hr/>ABSTRACT Introduction Psychostimulants are substances with the capacity to heighten alertness and motivation, also featuring antidepressant proprieties improving mood and cognitive performance. For this reason, many students use these substances indiscriminately. The purpose of the study was to investigate the use of substances stimulating the central nervous system by medical students at the Universidade Federal do Rio Grande (Furg), Brazil, verifying the most commonly used substances, the reason for use, and the user’s profile. Methods A quantitative, observational and cross-sectional study was conducted on 200 of Furg’s medical students enrolled at the institution in the second semester of 2015. Data collection was conducted by means of a standardized and auto-fill questionnaire, featuring questions on demographics, behavior and stimulant use. Information about the consumption of caffeine, methylphenidate, modafinil, piracetam, energy drinks, amphetamines, and MDMA was collected, with the results analyzed by means of the Fisher’s exact test on statistics program Stata 11.2. Results The prevalence of stimulant substance usage at some point in the students’ lives was 57.5% (95% CI 50.9 to 64.4), with 51.3% having started during college. Usage of psycho stimulants at the time of the research was 52.3% (95% CI 45.3 to 59.3), with 16.6% of the students consuming more than one psycho stimulant substance. The most popular substances were energy drinks (38%) and caffeine, consumed more than five times a week (27%). The consumption of stimulants was higher among students in the earlier stages of the degree. The main reasons given by the students were to compensate for sleep deprivation (47.7%) and to improve reasoning, attention, and/or memory (31.6%). Perceived effects of the stimulant use saw 81.2% reporting sleep reduction, 70.8% concentration improvement, 58.0% fatigue reduction, 56.1% improved reasoning abilities, and 54.0% heightened wellbeing. Conclusions Stimulant consumption among medical students was high. More than half of the students reported consuming psycho stimulants and one in three of them used them to improve cognitive performance. The use of these substances was considered effective by most of the users, which may hamper the fight against these substances. <![CDATA[Estudantes e Professores da Área da Saúde Conhecem o Programa Mais Médicos?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100110&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Diminuir as iniquidades na assistência à saúde continua sendo um grande desafio para países tanto pobres quanto ricos. No Brasil, o Programa Mais Médicos (PMM) foi instituído pelo governo federal em 2013 com a proposta de formar recursos humanos na área médica para o Sistema Único de Saúde (SUS), diminuir a carência de médicos, reduzir as desigualdades regionais na área da saúde e aprimorar a formação médica, ampliando a inserção do médico em formação nas áreas onde ele possa conhecer melhor a realidade da saúde da população. Considerando que os estudantes da área da saúde estão diretamente envolvidos com as propostas e os desfechos desse programa, o objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento e posicionamento não só dos estudantes, mas também de seus professores sobre o PMM. Um questionário foi aplicado a 106 alunos e 53 professores de uma faculdade privada na área da saúde (Medicina e Odontologia). A taxa de acerto das 25 questões sobre os objetivos e propostas de ação do PMM variou de 38,4% a 50,6%. A maioria dos docentes e alunos de Medicina referiu conhecer o PMM e reconhecia como proposta do programa diminuir a carência de médicos e melhorar a atuação nas políticas públicas de saúde. A proposta de aprimoramento da formação médica, oferta de cursos de Medicina e de vagas para residência médica, entretanto, era desconhecida por mais de 60% dos entrevistados. A contratação de médicos estrangeiros foi erroneamente considerada não só como um dos objetivos do programa, mas também como a ação proposta para atingir seus objetivos. Em conclusão, alunos e professores de instituições da área da saúde, embora sendo atores importantes na estratégia de atingir os objetivos propostos, conhecem pouco o PMM, particularmente nas ações relacionadas ao currículo das escolas e à residência médica. Estimular debates sobre o programa em escolas médicas pode modificar essa situação e favorecer o seu desfecho.<hr/>ABSTRACT Tackling unequal access to healthcare is a major challenge in both developed and developing countries. In Brazil, the Programa Mais Médicos (More Doctors Program – PMM) was created by the federal government in 2013 in order to reduce the shortage of doctors, address regional inequalities in healthcare access and improve medical education, expanding doctors’ training in fields where they can better understand the reality of the population’s health. Considering that students in the healthcare field are directly involved with the proposals and outcomes of this program, the objective of this study was to evaluate student knowledge and positioning and also that of their teachers on the PMM. A questionnaire was therefore administered to 106 students and 53 professors at a private medical and dentistry school. The hit rate for the 25 questions on the PMM’s objectives and proposals ranged from 38.4% to 50.6%.The majority recognized the PMM’s aim to reduce the shortage of doctors and improve public policies related to healthcare. The PMM’s aim to improve medical training, increasing the availability of medical courses and medical residencies, proved, however, to be unknown to over 60% of respondents. The hiring of foreign doctors was mistakenly considered not only to be the objective of the program, but also part of the initiatives designed to achieve the program objectives. The conclusion reached is that although university health sciences students and professors serve as important actors in the strategy for achieving the PMM’s goals, they have limited knowledge on the program, particularly in terms of the initiatives related to medical curricula and medical residencies. Discussion on the program could be introduced to medical courses in order to address this situation and improve the program’s outcomes. <![CDATA[Distribuição do Profissional Médico na Macrorregião Norte do Paraná: Inequidade entre os Municípios de Diferentes Portes Populacionais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100117&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A inadequada distribuição do profissional médico nas diferentes localidades do território nacional ocorre de várias formas: entre as regiões do País; entre capital e interior; entre áreas urbanas e rurais; entre áreas centrais e periféricas das regiões metropolitanas e entre assistência pública e privada. Desse modo, mesmo que se apresente uma relação medico/habitante adequada, a distribuição desses profissionais tende a se concentrar em determinadas áreas. Com o objetivo de analisar a distribuição dos médicos nos 97 municípios que compõem a macrorregião norte do Paraná, realizou-se estudo exploratório, descritivo,com base em dados secundários – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde(SCNES)– acessados em outubro e novembro de 2014. Os resultados indicam uma distribuição desigual da população e dos médicos entre os 97 municípios da macrorregião. Os três municípios maiores abrangem 39,3% da população e 56,1% dos médicos, enquanto nos outros 94 municípios em que residem 60,7% da população atuam 43,9% dos médicos. Porém, a distribuição dos profissionais que fazem parte do Programa Mais Médicos ocorre de forma inversa, ou seja, metade desses médicos atua nos pequenos municípios em que reside aproximadamente um terço da população, o que demonstra que a distribuição destes profissionais contribui para melhorar o índice de médicos nos pequenos municípios. O enfrentamento das desigualdades na distribuição dos médicos nas diferentes regiões do País é complexo, não havendo soluções únicas e isoladas, sendo necessárias intervenções que articulem a gestão federal, estadual e municipal, estratégias de financiamento, formação dos profissionais de saúde e a regulação da formação e do processo de trabalho em saúde, políticas que fortaleçam as vulnerabilidades dos municípios menores. Investir na redução dessa desigualdade torna-se fundamental para a garantia da integralidade da atenção, sobretudo em localidades de difícil acesso, para assegurar o direito à saúde, especialmente em relação à carência de profissionais no âmbito do SUS.<hr/>ABSTRACT Inappropriate distribution of medical professional in different areas of the country occurs in several ways: between the regions of the country; between capital and countryside; between urban and rural areas; between central and peripheral areas of metropolitan regions and between public and private assistance. Thus, even if you submit a medical/proper inhabitant ratio, the distribution of these professionals tends to concentrate in certain areas. In order to analyze the distribution of physicians in the 97 municipalities that compose the Northern Paraná Macroregion, held exploratory, descriptive study based on secondary data (Brazilian Institute of Geography and Statistics – IBGE and National Registration System of Health Establishments – SCNES), accessed in October and November 2014. The results indicate an unequal distribution of population and physicians among the 97 municipalities of the macro-region. The three largest municipalities cover 39.3% of the population and 56.1% of physicians while in the other 94 municipalities in which they reside 60.7% of the population, 43.9% of physicians work. However, when analyzing the distribution of professionals who are part of the more medical program, its distribution occurs in reverse, because half of these physicians work in small municipalities in which resides about a third of the population. These shows that the distribution of these professionals contributes to improving the health index in small municipalities. Addressing inequalities in the distribution of physicians in different regions of the country is complex, with no unique and isolated solutions, requiring interventions that coordinate federal, state and municipal management, financing strategies, training of health professionals and the regulation of health work process, policies that strengthen the vulnerabilities of smaller municipalities. Investing in reducing this inequality is fundamental to ensuring comprehensive care, especially in hard to reach locations, to ensure the right to health, especially in relation to the lack of professionals in the SUS. <![CDATA[Engagement no Trabalho em Residentes Médicos de Pediatria]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100126&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivos Avaliar os índices de engagement no trabalho em residentes médicos de Pediatria. Métodos Amostra composta por 36 profissionais matriculados no programa de residência médica em Pediatria da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto no ano de 2013. Os dados foram coletados de setembro de 2013 a fevereiro de 2014, utilizando-se a Utrecht Work Engagement Scale (Uwes) – Escala Utrecht de Engajamento no Trabalho –, composta por 17 itens de autoavaliação com três dimensões, Vigor, Dedicação e Absorção, além de um escore geral do constructo. Resultados 91,67% eram do sexo feminino; a idade mediana foi de 28 anos (mínimo: 25; máximo: 34); 86,11% eram solteiros; 33,33% tinham renda familiar de 2 a 5 salários, e 44,44%, mais de 10 salários mínimos; 88,89% estavam satisfeitos com o trabalho; e 52,78% já pensaram em desistir do programa. Os índices de engagement variaram de 3,56 a 4,28. A dimensão Dedicação obteve índice alto (4,28±1,12), e as dimensões Absorção, Vigor e Engagement, médios (3,58±1,00; 3,56±0,98; 3,78±0,96). Quanto ao desejo de desistir do programa, ambos os grupos apresentaram índices médios para as dimensões Absorção e Vigor; nas dimensões Dedicação e Engagement, índices médios para os que já pensaram em desistir do programa e altos para aqueles que nunca pensaram em desistir. Sobre a satisfação com o programa, na dimensão Dedicação, os índices foram: alto para os satisfeitos e médio para os não satisfeitos (4,49 e 2,6); as dimensões Absorção, Vigor e Engagement apresentaram índices médios para ambos os grupos – 3,66, 3,68 e 3,92 entre os satisfeitos e 2,95, 2,54 e 2,7 para os não satisfeitos, respectivamente. Conclusão Os residentes em Pediatria da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto apresentaram bons índices de engagement, principalmente no domínio Dedicação. Há um baixo percentual de profissionais com baixo índice de engagement em todos os domínios da Uwes.<hr/>ABSTRACT Objectives To evaluate work engagement rates among medical residents in pediatrics. Methods Data was collected from a sample of 36 professionals enrolled in residency programs in pediatrics at the Medical School of São José do Rio Preto from September 2013 to February 2014, using the Utrecht Work Engagement Scale (Uwes), featuring seventeen items for self assessment and three dimensions: vigor, dedication, and absorption, and an overall score for the construct. Results 91.67% were female, the median age was 28 years (minimum: 25, maximum: 34), 86.11% single, 33.33% had a family income of 2-5 monthly wages and 44.44% over 10 minimum wages, 88.89% were satisfied with their work and 52.78% were considering quitting the program. The engagement of the indexes ranged from 3.56 to 4.28. Dedication was high (4.28 ± 1.12), while Absorption, Vigor, and Engagement, were medium (3.58 ± 1.00, 3.56 ± 0.98 and 3.78 ± 0.96). Regarding the desire to withdraw from the program, both groups revealed average rates for Absorption and Vigor; while Dedication and Engagement rates were average among those to have considered quitting the program, and high among those who had never thought about quitting. In terms of satisfaction with the program, Dedication indexes were high for those happy on the residency and medium for those not satisfied (4.49 and 2.6). Absorption, Vigor, and Engagement rates were average for both groups – 3.66, 3.68, and 3.92 among satisfied residents and 2.95, 2.54, and 2.7 among those not satisfied, respectively. Conclusion Pediatrics residents at the Medical School of São José do Rio Preto revealed sound levels of engagement, particularly in terms of Dedication. A low percentage of professionals was revealed to have low engagement rates across all areas of the Uwes. <![CDATA[O Ensino da Acupuntura na Escola Médica: Interesse e Desconhecimento]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100134&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O ensino da acupuntura ainda não está presente na maioria das escolas médicas do Brasil apesar de a acupuntura ser indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ser reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995, estar disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente após a publicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (2006), e apresentar um número crescente de adeptos entre profissionais de saúde e pacientes. O objetivo deste estudo é analisar o conhecimento, interesse e experiência com acupuntura dos estudantes de uma escola médica do Sudeste brasileiro. Foi realizado um estudo prospectivo e descritivo no período de agosto de 2011 a julho de 2012, com aplicação de questionário fechado composto por 17 questões, sobre o conhecimento, interesse e utilização da acupuntura. Foram incluídos no estudo 458 estudantes do primeiro ao sexto ano do curso. O nível declarado de conhecimento sobre acupuntura pelos estudantes foi, em sua maioria, pequeno ou nenhum. Entre os estudantes que declararam ter algum conhecimento em acupuntura, o estudo livre (autodidata) foi o meio de acesso à acupuntura mais citado pelos estudantes. Foi verificado grande interesse dos estudantes em aprender acupuntura e incluir uma disciplina de acupuntura no currículo do curso médico, sendo uma disciplina optativa a opção mais escolhida pelos estudantes. Entre os participantes, a maioria já foi tratada com acupuntura, possui familiares que já foram tratados, e os resultados de eficácia foram favoráveis. Quanto à aceitação do tratamento com a acupuntura por pacientes, a maioria dos participantes não só aceitaria, mas também estimularia o uso. Conclui-se, portanto, que há interesse e desconhecimento dos estudantes em relação à acupuntura e que a implantação de disciplina sobre a acupuntura receberia o apoio dos estudantes e seria essencial para proporcionar o contato deles com essa especialidade, contribuindo, desse modo, para uma atualização necessária no currículo dos cursos médicos brasileiros.<hr/>ABSTRACT The teaching of acupuncture is not yet provided by the majority of medical schools in Brazil, despite its recommendation by the World Health Organization (WHO) and the fact that it gained recognition as a medical specialization by the National Medical Council in 1995. Acupuncture is also increasingly offered by the Brazilian Unified Health System (UHS), particularly since the implementation of National Politics on Complementary and Integrative Practices (2006), with its usage among both health professionals and patients on the rise. This study aims to analyze awareness, interest and experience in acupuncture among medical students from a southeastern Brazilian medical school. By means of a prospective and descriptive study held from August 2011 to July 2012, questionnaires containing seventeen questions on acupuncture awareness, interest and usage were distributed to 458 students ranging from first to sixth year. The awareness of acupuncture declared by the students was little to none, with students who did profess an awareness of the discipline mostly informed by means of free self-study. The research demonstrated that there is strong interest among students to learn about acupuncture and to include it on the medical curriculum, with it currently an optional subject chosen by the majority of students. The majority of students interviewed had been treated with acupuncture themselves and/or had relatives that had been treated with it, with favorable results. In terms of acceptance, the majority of students would not only accept acupuncture treatment, but would also encourage it. In conclusion, medical students demonstrated both an interest in and unfamiliarity with acupuncture. The implementation of the discipline as a subject on the medical curriculum would receive support among students and prove essential to placing them into contact with this specialization, thus contributing to a much needed update to the curriculum taught in Brazilian medical schools. <![CDATA[Qualificação como Médico Preceptor e a Satisfação de Seus Clientes quanto à Assistência Recebida na UBS de Origem]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100145&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Conclusão As diretrizes curriculares propõem um perfil desejado para o médico formado, adequando o currículo às necessidades da população, com abordagem integral do indivíduo. Os profissionais da área da saúde frequentemente participam da integração ensino-serviço como preceptores. O curso de Medicina da Universidade Estadual de Campinas, em 2001, reformulou seu currículo para uma abordagem ampliada de cenários de aprendizagem, levando seus estudantes também para o ambiente em que residem seus clientes e trabalhando com a perspectiva de promover saúde. Em 2004, teve início a disciplina Atenção Integral à Saúde, em parceria com a Prefeitura Municipal de Campinas (SP), para que médicos das áreas de Pediatria, Clínica Médica e Ginecologia que atuam em Unidades Básicas de Saúde (UBS) utilizassem quatro horas de sua carga horária para supervisão de estudantes no sétimo e oitavo semestres do curso de Medicina, em conjunto com docentes da universidade. O objetivo deste estudo foi avaliar a satisfação do cliente atendido na UBS por médicos que atuam como preceptores e conhecer se estes profissionais relacionam a preceptoria com sua qualificação. De 22 preceptores, 20 aceitaram responder a uma entrevista semiestruturada sobre como se atualizam para a supervisão dos estudantes do quarto ano de Medicina da Unicamp e se, por estarem vinculados à universidade, passam por educação médica permanente, refletindo-se em um atendimento integral a seus clientes, sendo a preceptoria um instrumento para qualificar sua atuação profissional. Seus clientes foram entrevistados com um questionário fechado utilizando Smilles (emotions) para classificar o preceptor nos itens: qualidade do atendimento médico, valorização da queixa, tempo da consulta, resolutividade da consulta, confiança e aderência à orientação, e percepção geral sobre o atendimento médico. Mais de 90% dos clientes atendidos pelos preceptores apresentam satisfação quanto à assistência recebida e 80% dos médicos entrevistados relacionam a preceptoria como um instrumento para qualificar sua atividade profissional.<hr/>ABSTRACT Conclusion Medical curricula guidelines outline the desired profile for graduate physicians, adapting to the needs of the population by means of an integrated approach to the individual. Healthcare professionals often participate in initiatives integrating teaching and service as preceptors. In 2001, Unicamp Medical School reformulated its curriculum to adopt an extended approach to learning scenarios, taking their students into the environment in which their users reside and working in the aim of promoting health. In 2004, the discipline entitled “Comprehensive Healthcare” was introduced in partnership with the municipality of Campinas (SP), in order that physicians in the field of pediatrics, general practice, and gynecology working in basic healthcare units (BHU) could use four of their scheduled hours to supervise students in the seventh and eighth semesters of medical school completing preceptorships, in a joint initiative with university professors. The objective of this study was to assess the satisfaction of users served in BHUs by physicians acting as preceptors and to determine if the professionals linked the preceptorship to their qualifying as professionals. Of a total of 22 preceptors, 20 submitted to a semi-structured interview, with one of the questions asking if the preceptorship helped conceptualize the service offered to the users in the BHUs in which they were acting as physicians. Users were interviewed by means of a close-ended questionnaire using emoticons to classify the preceptor on factors including quality of medical care, appreciation of the complaint made, duration of the consultation, resolution rate, trust and adherence to orientation, and general perception of the care received. Over 90% of users rated the care positively, with 80% of the physicians interviewed regarding the preceptorship as contributing to their qualifying as professionals. <![CDATA[A Literatura como Estratégia para Reflexões sobre Humanismo e Ética no Curso Médico: um Estudo Qualitativo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100152&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A educação, pilar social caracterizado pela nobreza e complexidade, tem passado por um processo de transição paradigmática: do modelo unilateral e vertical de ensino para outro mais dinâmico, que permite o diálogo aberto entre docente e discente. Analogamente, a medicina contemporânea também vivencia um momento de mudanças, em que há uma necessidade crescente de preparar o futuro médico para lidar cada vez mais com os dilemas e conflitos presentes no cotidiano da área da saúde. A literatura de ficção constitui um recurso didático que segue a linha da metodologia ativa e permite a reflexão, o debate e o confronto de ideias. O presente estudo pretendeu identificar as contribuições do uso da literatura, em especial do livro Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago, na formação humanística do estudante de Medicina. Para isto, desenvolveu-se um estudo descritivo, de análise qualitativa e com a participação dos alunos do primeiro ano de Medicina no componente curricular Ética e Bioética da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Com base na leitura da obra de Saramago, os alunos responderam a uma avaliação processual desse componente. Segundo o conteúdo das respostas dos alunos, foram obtidos quatro temas: observação do mundo e do exercício profissional pelo estudante de Medicina; humanização na prática médica diante da invisibilidade social; prática médica tecnocêntrica e humanização; percepção do estudante de Medicina sobre a importância da literatura em sua formação. A diversidade, a riqueza e a verticalidade das respostas apresentadas permitem concluir que a leitura do livro Ensaio sobre a cegueira contribuiu de maneira positiva na aprendizagem dos princípios éticos e bioéticos (beneficência, não maleficência, autonomia e justiça), tendo acrescentado à formação pessoal e profissional dos estudantes. Entretanto, como a experiência da leitura foi de caráter individual, não há meios de assegurar que a contribuição tenha sido de mesma magnitude para todos os alunos.<hr/>ABSTRACT Education is a social pillar characterized by its nobility and complexity and has undergone a paradigmatic shift from the unilateral and vertical teaching model to a more dynamic one, facilitating an open dialogue between teachers and students. Contemporary medicine has experienced a similar period of change, creating a growing need to better prepare medical students for dealing with dilemmas and conflicts in the healthcare field. Literary fiction is a teaching tool that follows the line of the active methodology and allows for reflection, debate, and a confrontation of ideas. This study aimed to identify the benefits of using literature as part of the medical degree, with a particular focus on “Blindness” by José Saramago. To this end, we developed a descriptive study featuring qualitative analysis, involving participation of first-year medical students who have attended the Ethics and Bioethics course at the Bahía School of Medicine and Public Health. After reading Saramago’s work, students answered a procedural evaluation of the said component. Four themes emerged upon our thematic analysis of student responses: observation of the world and professional practice by medical students; humanization of medical practice in the face of social invisibility; technocentric medical practice and humanization; and medical students’ awareness of the importance of literature in their training. The diversity, richnes and verticality of the responses submitted suggest that the reading of “Blindness” contributed positively to the students’ learning of ethical and bioethical principles (beneficence, non-maleficence, autonomy, and justice) and added to their personal and professional formation. As reading is an individual experience, however, there is no way to ensure that the contribution was of the same magnitude for all students. <![CDATA[Conflitos Éticos Vivenciados por Estudantes de Medicina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100162&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O atual estudo teve como objetivo identificar e analisar a prevalência de conflitos éticos vivenciados por estudantes de Medicina. Este estudo trata-se de pesquisa com delineamento transversal e analítico e que foi conduzida em uma escola pública do estado de Minas Gerais, Brasil. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi um questionário autoaplicado. Os dados coletados foram apresentados em valores absolutos e percentuais. Para o tratamento estatístico analítico dos dados considerou-se o nível de significância p&lt;0,05. As variáveis desfecho foram: Vivência de conflitos éticos em relações interpessoais no âmbito do curso médico e Condutas éticas na assistência em saúde. A identificação da prevalência dos conflitos éticos na graduação adotou a perspectiva das diferentes relações interpessoais (acadêmico-docente, acadêmico-acadêmico, acadêmico-funcionário, acadêmico-paciente, docente-docente, docente-paciente, docente-funcionário e funcionário-paciente) e condutas na assistência médica (importância de identificar-se ao usuário dos serviços de saúde e dele solicitar consentimento para realizar o exame físico, assistência sem supervisão do docente, emissão de documentos de saúde sem assinatura do profissional responsável e uso de redes sociais para compartilhar dados de paciente). Foi verificada associação das variáveis desfecho com sexo, ano da graduação e avaliação do curso. Participaram da pesquisa 281 acadêmicos matriculados em todos os anos da graduação em Medicina, de ambos os sexos, sendo predominante o sexo feminino(52,7%). Os estudantes relataram ter vivenciado situações conflituosas nas relações interpessoais com os professores (59,6%), prestaram assistência sem a devida supervisão de um professor (62,6%), afirmaram ter emitido documentos de saúde sem o acompanhamento de professores (18,5%), sendo a maior frequência observada entre aqueles matriculados nos anos mais avançados da graduação (p&lt;0,05). O uso das redes sociais com a finalidade de compartilhar os dados de pacientes (25,1%) foi prevalente nos anos mais avançados da graduação em medicina e entre os que avaliaram o curso como regular (p&lt;0,05). Conclui-se que os estudantes de graduação em Medicina vivenciaram conflitos éticos durante a sua formação médica, com prevalência de vivência dos conflitos nos anos mais avançados do referido curso. Nessa perspectiva, faz-se necessário propiciar um espaço de discussão e de reflexão coletiva acerca dos problemas éticos vivenciados pelos estudantes, ao longo da graduação em Medicina, a fim de se construir um agir profissional eticamente correto.<hr/>ABSTRACT The current study aimed to identify and analyze the prevalence of ethical conflicts experienced by medical students. This study is a cross-sectional and analytical research that was conducted in a public school in the state of Minas Gerais, Brazil. The instrument used for the data collection was a self-administered questionnaire. The data collected were presented in absolute and percentage values. For the analytical statistical treatment of the data, the level of significance was considered p &lt;0.05. The outcome variables were: Experiences of ethical conflicts in interpersonal relations within the medical course and Ethical conduct in health care. The identification of the prevalence of ethical conflicts in the undergraduate program adopted the perspective of different interpersonal relations (academic-teaching, academic-academic, academic-employee, academic-patient, teacher-teacher, teacher-patient, teacher-employee and employee-patient). (Importance of identifying themselves to the health services user and requesting consent to perform the physical examination, assistance without the supervision of the teacher, issuance of health documents without the signature of the professional responsible and use of social networks to share data Of patient). It was verified the association of the outcome variables with sex, year of graduation and course evaluation. A total of 281 undergraduate students enrolled in all undergraduate courses in Medicine of both sexes, with a predominance of female (52.7%). The students reported having experienced conflicting situations in interpersonal relations with teachers (59.6%), provided assistance without proper supervision of a teacher (62.6%), reported having issued health documents without the accompaniment of teachers (18, 5%). The highest frequency was observed among those enrolled in the most advanced years of the undergraduate program (p &lt;0.05). The use of social networks for the purpose of sharing patient data (25.1%) was prevalent in the most advanced years of medical graduation and among those who evaluated the course as regular (p &lt;0.05). It is concluded that undergraduate medical students experienced ethical conflicts during their medical training, with a prevalence of conflicts in the advanced years of the course. From this perspective, it is necessary to provide a space for discussion and collective reflection on the ethical problems experienced by students, during their graduation in Medicine, in order to build a professional ethical practice. <![CDATA[6 Práticas Educativas em Saúde: Integrando Sexualidade e Gênero na Graduação em Medicina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100170&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A promoção da saúde sexual está na pauta do exercício cotidiano da medicina. Nesse sentido, o debate sobre a inclusão da sexualidade nos currículos das escolas médicas permanece um tema atual em publicações mundiais sobre o ensino médico. Este relato visa divulgar uma experiência de educação em saúde que integra as temáticas sexualidade e gênero na formação médica. A experiência foi realizada por meio de dois cursos de extensão ofertados a estudantes de graduação em Medicina no Piauí. Os cursos, denominados Teórico-Prático em Sexualidade e Sexualidades no Cinema (Cinesex), ofereceram 105 vagas em duas modalidades metodológicas distintas com carga horária de 40 horas, distribuída em dez módulos. Os objetivos de ambos os cursos incluíram melhorar o conhecimento dos estudantes sobre a dimensão biopsicossocial da sexualidade, estimular a mudança de atitudes diante de temas sexuais e de gênero, e facilitar a aquisição de habilidades para a assistência em saúde sexual. O curso Cinesex promoveu a exposição de filmes com temática sexual e/ou de gênero para um grupo de 80 estudantes, com foco central na prática pedagógica de sensibilização e mobilização de sentimentos, opiniões e vivências sobre sexualidade e gênero. O debate que se seguiu após a exposição permitiu a reflexão sobre atitudes e habilidades na assistência em saúde sexual. O curso Teórico-Prático em Sexualidade foi oferecido a um grupo de 25 estudantes e utilizou a prática de sensibilização, acrescida da oferta de bibliografia específica aos temas de cada módulo para favorecer o aprofundamento das discussões. A aquisição de habilidades na realização de uma anamnese sexual foi treinada ao longo dos módulos com este grupo mais restrito de estudantes. As práticas pedagógicas de ambos os cursos foram centradas na sensibilização dos estudantes para os temas sexuais e de gênero por meio de recursos audiovisuais, debate de marcos teóricos e discussão de casos clínicos. A participação discente evidenciou mitos e preconceitos relacionados à sexualidade e dificuldades para conversar sobre o tema. As práticas pedagógicas centradas nos estudantes propiciaram um ambiente favorável ao acolhimento, à desconstrução de dúvidas e à aquisição de conhecimentos e habilidades para a assistência.<hr/>ABSTRACT The promotion of sexual health is of daily importance to the medical agenda, which is why debate over the inclusion of sexuality in the curricula of medical schools is a current theme in world literature on medical education. This report shares a health education initiative aimed toward integrating sexuality and gender issues in medical education, with the initiative carried out by means of extension courses offered to medicine undergraduate students in Piauí state, Brazil. Distributed in 10 modules, the 40-hour courses were titled “Theoretical-Practical Sexuality” and “Sexualities in Cinema (Cinesex)”, providing 105 vacancies across two different methodological modalities. The courses aimed at improving the students’ knowledge of the biopsychosocial dimension of sexuality, encouraging a change in attitudes toward subjects related to sex and gender, and the development of skills in sexual health. The Cinesex course saw movies with themes on sex and/or gender screened to a group of 80 students with a central focus on the pedagogical practice of awareness and the mobilization of feelings, opinions, and experiences on sexuality and gender. The debate that followed the screenings allowed students to reflect on attitudes and skills related to sexual health. The Theoretical and Practical Course on Sexuality was made available to a group of 25 students and used the practice of increasing awareness, providing literature specific to the themes in each module in order to help deepen debate. The acquisition of skills in compiling a sexual history was also developed throughout the modules with this smaller group of students, while the pedagogical practices employed on both courses focused on the students’ sensitization to sexual and gender issues through audiovisual resources, as well as their discussion of theoretical frameworks and clinical cases. The students’ participation unveiled myths and prejudices related to sexuality as well as difficulties in discussing the matter. Student-centered approaches provided a favorable environment for the listening and addressing of queries, the acquisition of knowledge, and the development of skills. <![CDATA[Errata]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022017000100179&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A promoção da saúde sexual está na pauta do exercício cotidiano da medicina. Nesse sentido, o debate sobre a inclusão da sexualidade nos currículos das escolas médicas permanece um tema atual em publicações mundiais sobre o ensino médico. Este relato visa divulgar uma experiência de educação em saúde que integra as temáticas sexualidade e gênero na formação médica. A experiência foi realizada por meio de dois cursos de extensão ofertados a estudantes de graduação em Medicina no Piauí. Os cursos, denominados Teórico-Prático em Sexualidade e Sexualidades no Cinema (Cinesex), ofereceram 105 vagas em duas modalidades metodológicas distintas com carga horária de 40 horas, distribuída em dez módulos. Os objetivos de ambos os cursos incluíram melhorar o conhecimento dos estudantes sobre a dimensão biopsicossocial da sexualidade, estimular a mudança de atitudes diante de temas sexuais e de gênero, e facilitar a aquisição de habilidades para a assistência em saúde sexual. O curso Cinesex promoveu a exposição de filmes com temática sexual e/ou de gênero para um grupo de 80 estudantes, com foco central na prática pedagógica de sensibilização e mobilização de sentimentos, opiniões e vivências sobre sexualidade e gênero. O debate que se seguiu após a exposição permitiu a reflexão sobre atitudes e habilidades na assistência em saúde sexual. O curso Teórico-Prático em Sexualidade foi oferecido a um grupo de 25 estudantes e utilizou a prática de sensibilização, acrescida da oferta de bibliografia específica aos temas de cada módulo para favorecer o aprofundamento das discussões. A aquisição de habilidades na realização de uma anamnese sexual foi treinada ao longo dos módulos com este grupo mais restrito de estudantes. As práticas pedagógicas de ambos os cursos foram centradas na sensibilização dos estudantes para os temas sexuais e de gênero por meio de recursos audiovisuais, debate de marcos teóricos e discussão de casos clínicos. A participação discente evidenciou mitos e preconceitos relacionados à sexualidade e dificuldades para conversar sobre o tema. As práticas pedagógicas centradas nos estudantes propiciaram um ambiente favorável ao acolhimento, à desconstrução de dúvidas e à aquisição de conhecimentos e habilidades para a assistência.<hr/>ABSTRACT The promotion of sexual health is of daily importance to the medical agenda, which is why debate over the inclusion of sexuality in the curricula of medical schools is a current theme in world literature on medical education. This report shares a health education initiative aimed toward integrating sexuality and gender issues in medical education, with the initiative carried out by means of extension courses offered to medicine undergraduate students in Piauí state, Brazil. Distributed in 10 modules, the 40-hour courses were titled “Theoretical-Practical Sexuality” and “Sexualities in Cinema (Cinesex)”, providing 105 vacancies across two different methodological modalities. The courses aimed at improving the students’ knowledge of the biopsychosocial dimension of sexuality, encouraging a change in attitudes toward subjects related to sex and gender, and the development of skills in sexual health. The Cinesex course saw movies with themes on sex and/or gender screened to a group of 80 students with a central focus on the pedagogical practice of awareness and the mobilization of feelings, opinions, and experiences on sexuality and gender. The debate that followed the screenings allowed students to reflect on attitudes and skills related to sexual health. The Theoretical and Practical Course on Sexuality was made available to a group of 25 students and used the practice of increasing awareness, providing literature specific to the themes in each module in order to help deepen debate. The acquisition of skills in compiling a sexual history was also developed throughout the modules with this smaller group of students, while the pedagogical practices employed on both courses focused on the students’ sensitization to sexual and gender issues through audiovisual resources, as well as their discussion of theoretical frameworks and clinical cases. The students’ participation unveiled myths and prejudices related to sexuality as well as difficulties in discussing the matter. Student-centered approaches provided a favorable environment for the listening and addressing of queries, the acquisition of knowledge, and the development of skills.