Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-720320140008&lang=en vol. 36 num. 8 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[How the gynecologist can guide women with a family history of cancer?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800335&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Loss of PTEN expression and AKT activation in HER2-positive breast carcinomas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800340&lng=en&nrm=iso&tlng=en PURPOSE: To examine the expression of AKT and PTEN in a series of HER2-positive primary invasive breast tumors using immunohistochemistry, and to associate these expression profiles with classic pathologic features such as tumor grade, hormone receptor expression, lymphatic vascular invasion, and proliferation. METHODS: A total of 104 HER2-positive breast carcinoma specimens were prepared in tissue microarrays blocks for immunohistochemical detection of PTEN and phosphorylated AKT (pAKT). Original histologic sections were reviewed to assess pathological features, including HER2 status and Ki-67 index values. The associations between categorical and numeric variables were identified using Pearson's chi-square test and the Mann-Whitney, respectively. RESULTS: Co-expression of pAKT and PTEN was presented in 59 (56.7%) cases. Reduced levels of PTEN expression were detected in 20 (19.2%) cases, and these 20 tumors had a lower Ki-67 index value. In contrast, tumors positive for pAKT expression [71 (68.3%)] were associated with a higher Ki-67 index value. CONCLUSION: A role for AKT in the proliferation of HER2-positive breast cancers was confirmed. However, immunohistochemical detection of PTEN expression did not correlate with an inhibition of cellular proliferation or control of AKT phosphorylation, suggesting other pathways in these mechanisms of control. <hr/> OBJETIVOS: Avaliar a expressão imuno-histoquímica de AKT e PTEN em uma série de carcinomas mamários invasivos HER2-positivos, e associar seus padrões de expressão com variáveis anatomopatológicas clássicas, como grau histológico, expressão de receptores hormonais, embolização vascular linfática e atividade proliferativa. MÉTODOS: Um total de 104 amostras de carcinomas mamários invasivos HER2-positivos foram preparadas em blocos de microarranjos de tecido para detecção imuno-histoquímica de PTEN e AKT fosforilada (pAKT). Cortes histológicos originais foram revistos para avaliação das características anatomopatológicas, incluindo o estado do HER2 e a avaliação da expressão de Ki-67. As associações entre as variáveis categóricas e as numéricas foram feitas com o uso dos testes do chi-quadrado de Pearson e Mann-Whitney, respectivamente. RESULTADOS: Co-expressão de pAKT e PTEN foi identificada em 59 (56,7%) casos. Expressão reduzida de PTEN foi detectada em 20 (19,2%) casos, e esses 20 tumores mostraram menores valores de Ki-67. Por outro lado, tumores positivos para pAKT [71 (68,3%)] apresentaram células positivas para valores mais altos de Ki-67. CONCLUSÕES: O papel de AKT na proliferação de carcinomas mamários HER-2 positiva foi confirmada. Entretanto, a detecção imuno-histoquímica de PTEN não se correlacionou com inibição da proliferação celular ou controle da fosforilação de AKT, sugerindo outras vias nesses mecanismos de controle. <![CDATA[Validity of cervicovaginal cytology in a Brazilian State with high incidence rate of cervical cancer]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800347&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Avaliar a acurácia da citologia cervicovaginal realizada no principal laboratório do Estado de Roraima, por concordância entre avaliadores (monitoramento externo) e com resultados histopatológicos. MÉTODOS: Lâminas de 100 mulheres, de uma amostra de conveniência de base populacional, foram avaliadas pelo LAPER, principal laboratório de referência do Sistema Único de Saúde do Estado de Roraima e reavaliadas por médicos patologistas experts externos ao laboratório. Foram avaliados índice Kappa, sensibilidade e especificidade. O estudo foi aprovado pela Coordenação do Laboratório Estadual e pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Roraima. RESULTADOS: Quanto à prevalência de atipias celulares (relacionadas ao papilomavírus humano), não houve concordância entre resultados emitidos pelo LAPER e pelos patologistas externos (k=0,21). Constatou-se baixa sensibilidade (28,5%) e especificidade de 89,2% para o desempenho do LAPER, com elevada proporção de resultados falsos positivos e falsos negativos. Os laudos citológicos de patologistas externos apresentaram sensibilidade e especificidade maiores (71,4 e 98,9%, respectivamente), descartando que erros de coleta e coloração possam explicar o baixo desempenho do LAPER. CONCLUSÃO: O baixo desempenho diagnóstico da citologia cervicovaginal pode ser uma barreira para o controle do câncer de colo de útero em Roraima. Ressalta-se a necessidade de capacitação profissional e monitoramento interno e externo em Estados brasileiros com alta incidência de câncer de colo de útero. <hr/> PURPOSE: To evaluate the validity of cervicovaginal cytology performed at LAPER, the main Laboratory of Pathology of the State of Roraima, Brazil, by interrater agreement (external monitoring) and agreement with histopathologic results. METHODS: One hundred women were included, a population-based convenience sample. Their cervical cytological exams were evaluated by the laboratory staff and reviewed by expert medical pathologists, external to the laboratory. Cohen's Kappa index, sensitivity and specificity were evaluated. The study was approved by LAPER coordination and Federal University of Roraima Research Ethics Commitee. RESULTS: Regarding the prevalence of human papillomavirus-related atypical, there was no concordance between the results issued by LAPER and by the external pathologists (k=0.21). A low sensitivity (28.5%) and specificity (89,2%) was detected for the diagnostic performance of LAPER, with a high proportion of false positive and false negative results. The cytological reports of the external pathologists showed higher sensitivity and specificity (71.4 and 98.9%, respectively), ruling out the possibility that errors related to collection methods and staining would explain the low performance of the laboratory. CONCLUSION: A low diagnostic accuracy of cervicovaginal cytology can be a barrier against the control of cervical cancer in Roraima. We emphasize the need for professional training and internal and external monitoring in Brazilian states with a high incidence of cervical cancer. <![CDATA[Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae infection: factors associated with infertility in women treated at a human reproduction public service]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800353&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Avaliar a prevalência de infecção por Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae em mulheres submetidas à reprodução assistida em um serviço público de referência da região Centro-Oeste do Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal com 340 mulheres com idade entre 20 e 47 anos, histórico de infertilidade, submetidas às técnicas de reprodução assistida. Foram analisadas as infecções por Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae detectadas em amostras de urina pela técnica de PCR e o perfil da infertilidade. Utilizou-se o teste do χ2 ou o teste exato de Fisher para avaliar a associação entre a infecção e as variáveis. RESULTADOS: Observou-se prevalência de 10,9% das mulheres com infecção por Chlamydia trachomatis, sendo que houve coinfecção por Neisseria gonorrhoeae em 2 casos. Mulheres infectadas por Chlamydia trachomatis apresentaram mais de 10 anos de infertilidade (54,1%; p&lt;0,0001). O fator tubário foi a principal causa nos casos com infecção (56,8%; p=0,047). A obstrução tubária foi encontrada em 67,6% dos casos com infecção positiva (p=0,004). CONCLUSÃO: Houve associação da obstrução tubária com a infecção por Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, reforçando a necessidade de estratégias efetivas para detecção precoce das doenças sexualmente transmissíveis, principalmente em mulheres assintomáticas em idade fértil. <hr/> PURPOSE: To evaluate the prevalence of Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae in women undergoing assisted reproduction in a public reference service in the midwestern region of Brazil. METHODS: A cross-sectional study was conducted on 340 women aged from 20 to 47 years with a history of infertility, undergoing assisted reproduction techniques. Infections with Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae identified in urine specimens by PCR, and the profile of infertility were analyzed. We used the χ2 test or Fisher's exact test to evaluate the association between infection and variables. RESULTS: The prevalence of Chlamydia trachomatis infection was 10.9%, and Neisseria gonorrhoeae co-infection was observed in 2 cases. Women infected with Chlamydia trachomatis had more than 10 years of infertility (54.1%; p&lt;0.0001). The tubal factor was the main cause in infected cases (56.8%; p=0.047). Tubal occlusion was found in 67.6% of cases with positive infection (p=0.004). CONCLUSION: There was an association of tubal obstruction with infection by Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae, reinforcing the need for effective strategies for an early detection of sexually transmitted diseases, especially in asymptomatic women of childbearing age. <![CDATA[Effects of hyperprolactinemia and ovariectomy on the tibial epiphyseal growth plate and bone formation in mice]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800359&lng=en&nrm=iso&tlng=en PURPOSE: To evaluate the effects of ovariectomy and the hyperprolactinemia procedure in the tibial epiphyseal growth plate of female mice. METHODS: In this study, the epiphyseal growth plate of ovariectomized (OVX) and/or rendered hyperprolactinemic female mice by 50 days of treatment with 200 μg metoclopramide (M) was evaluated morphologically, morphometrically and immuno-histochemically. Forty female and adult mice were divided into four groups according to treatment: V group - animals treated with saline solution; H group - hyperprolactinemic animals; Ovx/V group - ovariectomized animals and treated with saline solution; Ovx/H group - hyperprolactinemic and ovariectomized animals. After the treatment period, the animals were sacrificed, tibia was removed and fixed in 10% buffered formalin and decalcified in 10% formic acid. The material was immersed in paraffin and subjected to histological processing in paraffin. The sections were stained with Masson's trichrome and immunohistochemistry was carried out for the pro-apoptotic protein BCL-2. The images for the morphological and morphometric study were analyzed with the imaging program AxioVision 4.8 (Carl-Zeiss(r), Germany). RESULTS: The combination of hyperprolactinemia and the ovariectomy procedure decreased the number of resting chondrocytes 1.5-fold, the number of proliferative chondrocytes 1.8-fold; the percentage of resting cartilage 2.4-fold and the percentage of trabecular bone 2.1-fold, compared with respective control animals. CONCLUSION: The procedure of ovariectomy combined with the metoclopramide-induced hyperprolactinemia in female mice has showed marked bone degeneration due to significant decrease of cell proliferation in the epiphyseal growth plate and bone formation. <hr/> OBJETIVO: Avaliar os efeitos do procedimento de ooforectomia e da hiperprolactinemia no disco epifisário da tíbia de camundongos fêmeas. MÉTODOS: Neste estudo, o disco epifisário de camundongos fêmeas ovariectomizadas (OVX) e/ou com hiperprolactinemia induzida por tratamento com 200 μg de metoclopramida por 50 dias (M) foi avaliado morfologicamente, morfometricamente e imunohistoquimicamente. Quarenta camundongos fêmeas e adultas foram divididas em quatro grupos, segundo o tratamento: Grupo V - animais tratados com solução salina; Grupo H - animais hiperprolactinêmicos; Grupo Ovx/V - animais ooforectomizados e tratados com o solução salina; Grupo Ovx/H - animais ooforectomizados e hiperprolactinêmicos. Após o período de tratamento, os animais foram sacrificados, as tíbias removidas e fixadas em formalina tamponada a 10% e descalcificadas em ácido fórmico a 10%. O material foi emblocado em parafina e submetido a processamento histológico em parafina. Os cortes foram corados pelo tricrômico de Masson e foi feita a imunohistoquímica para a proteína pró-apoptótica BCL-2. As imagens para o estudo morfológico e morfométrico foram analisadas com o programa de imagem AxioVision 4.8 (Carl-Zeiss(r), Alemanha). RESULTADOS: A combinação da hiperprolactinemia e do procedimento de ovariectomia levou à redução do número de condrócitos de repouso em 1,5 vezes; o número de condrócitos proliferativos em 1,8; a percentagem de cartilagem de repouso em 2,4, e a percentagem de osso trabecular em 2,1 vezes, em comparação com os respectivos animais controles. CONCLUSÃO: O procedimento de ooforectomia combinado com a condição de hiperprolactinemia induzida pela metoclopramida em camundongos fêmeas evidenciou degeneração óssea acentuada, devido à diminuição significativa da proliferação celular no disco epifisário e da formação óssea. <![CDATA[Breast and cervical cancer in patients with systemic lupus erythematosus]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800367&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Estudar a frequência de neoplasias em uma amostra da população brasileira feminina com lúpus eritematoso sistêmico. MÉTODOS: Este é um trabalho retrospectivo de revisão de prontuários de 395 mulheres com lúpus eritematoso sistêmico, diagnosticadas pela presença de, pelo menos, 4 dos critérios classificatórios do Colégio Americano de Reumatologia para diagnóstico dessa doença e acompanhadas nos últimos 10 anos em um ambulatório especializado em Reumatologia. Foram coletados dados demográficos (idade e etnia das pacientes), dados acerca de duração de doença, de uso dos principais imunomoduladores e de diagnóstico de neoplasias. As informações obtidas foram tabuladas em tabelas de frequência e de contingência. A taxa de incidência de neoplasias nas mulheres com lúpus foi comparada com a da população em geral para a mesma região demográfica, nos últimos dez anos, utilizando, para isso, dados publicados pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA). A associação dos dados foi feita pelos testes de Fisher e do χ2, quando os dados eram nominais, e de Mann-Whitney, quando numéricos. Foi adotada a significância de 5%. RESULTADOS: Foram identificados 22 casos de tumores malignos (22 casos/395 ou 5,5% da amostra) sendo os mais comuns os de útero (10 casos/395 ou 2,5% da amostra) e de mama (9 casos/395 ou 2,2% da amostra). A presença de tumores estava associada com tempo de duração de doença (p=0,006), não sendo observada influência de tratamento com metotrexate (p=0,1), azatioprina (p=0,9), ciclofosfamida (p=0,6) e glicocorticoides (p=0,3). Os tumores de mama e de colo do útero foram mais comuns no lúpus eritematoso sistêmico do que na população em geral (p&lt;0,0001 para ambos). CONCLUSÃO: Na presente amostra foi observada uma alta prevalência de tumores malignos, que foram mais comuns nas pacientes com maior tempo de doença. Os tumores mais frequentes foram os de mama e de útero, cuja incidência foi maior do que na população em geral. A presença de tumores não foi influenciada pelo uso de imunossupressores nem glicocorticoides. <hr/> PURPOSE: To study the incidence of tumors in a Brazilian sample of women with systemic lupus erythematosus. METHODS: This is a retrospective study of 395 medical charts from women with systemic lupus erythematosus diagnosed by the presence of at least 4 of the American College of Rheumatology classification criteria for the diagnosis of this disease and followed for the last 10 years in a rheumatology outpatient clinic. Demographic data (age and ethnicity of patients), data on disease duration, use of immunomodulators and on the presence of neoplasms were listed. Results are presented in frequency and contingency tables. The incidence rate of malignancies in women with lupus was compared with that of the general population for the same demographic region for the past ten years, using data published by the Brazilian National Cancer Institute (INCA). Association studies were carried out by the Fisher and χ2 tests, when the data were nominal, and by Mann-Whitney test, when numeric. The level of significance was set at 5%. RESULTS: Twenty-two cases of malignant tumors were identified during these 10 years of follow-up (22 cases/395 or 5.5% of the sample), being the most common those of the uterine cervix (10 cases/395 or 2.5% of the sample) and breast cancer (9 cases/395 or 2.2% of the sample). The presence of tumors was associated with disease duration (p=0.006) and was not influenced by treatment with methotrexate (p=0.1), azathioprine (p=0.9), cyclophosphamide (p=0.6) and glucocorticoids (p=0.3). Breast and uterine cervix tumors were more common in systemic lupus erythematosus women than in the general population (p&lt;0.0001 for both). CONCLUSION: A high prevalence of malignant tumors was found in this sample, with tumors being more common in patients with longer disease duration. The most frequent tumors affected the breast and uterus at a higher incidence than in the general population. The presence of tumors was not influenced by the use of glucocorticoids or immunosuppressors. <![CDATA[Comparison between the serum concentration of alpha-tocopherol in puerperal women assisted in public and private maternities in Northeastern Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800372&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Comparar a concentração de alfa-tocoferol no soro entre puérperas atendidas em maternidades das redes pública e privada da cidade de Natal (RN), Brasil. MÉTODOS: Participaram do estudo 209 puérperas, sendo 96 mulheres provenientes da rede privada e 113, da rede pública, entre 24 e 48 horas pós-parto. Foram incluídas no estudo parturientes com idade a partir de 12 anos, sem patologias associadas à gestação, que tiveram concepto único sem má-formação. Mulheres descompensadas clinicamente e com gestação múltipla foram excluídas. Amostras de 5 mL de sangue de cada participante foram coletadas no período de jejum, antes da primeira refeição do dia. A concentração de alfa-tocoferol no soro (µg/dL) foi determinada por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). A diferença estatística entre as médias foi testada utilizando o teste t de Student. RESULTADOS: As médias da concentração de alfa-tocoferol nas puérperas da rede pública e da rede privada, respectivamente, foram 1.115,7±341,4 μg/dL e 1.355,7±397,6 μg/dL, tendo sido observada diferença estatisticamente significante (p=0,000687). Para avaliação individual da concentração de vitamina E, a deficiência foi identificada quando alfa-tocoferol &lt;11,6 μmol/L ou &lt;499,6 µg/dL. As puérperas da rede pública tiveram um percentual de 5,3% (n=6) de deficiência, enquanto nas participantes da rede privada tal carência não foi encontrada. Todavia, baixas concentrações (alfa-tocoferol entre 11,6-16,2 μmol/L ou 499,6-697,7 µg/dL) ocorreram tanto na rede pública como na privada: 9,7% (n=11) e 4,2% (n=4), respectivamente. CONCLUSÃO: Esses resultados destacam que as mulheres assistidas no setor público foram mais vulneráveis a desenvolver baixas concentrações de alfa-tocoferol do que as mulheres assistidas no setor privado. <hr/> PURPOSE: To compare the concentration of serum alpha-tocopherol during the postpartum period in women admitted to public and private hospitals in Natal (RN), Brazil. METHODS: The study included 209 women in the postpartum period, 96 of them from private hospitals and 113 from public hospitals, studied between 24 and 48 hours postpartum. Inclusion criteria were: mothers aged 12 years or more, without diseases associated with pregnancy, who had given birth to a singleton with no malformations. Clinically decompensated women with multiple fetuses were excluded. A 5 mL blood sample was obtained from each participant under fasting conditions, before the first meal of the day. The concentration of alpha-tocopherol in serum (µg/dL) was determined by high performance liquid chromatography (HPLC). The statistical difference between means was tested by the Student's t-test. RESULTS: The mean concentration of alpha-tocopherol was 1.115.7 µg/dL in puerperae from the public network and 1.355.7±397.6 µg/dL in puerperae from the privte network , with a significant difference between groups (p=0.000687). Vitamin E concentration was determined individually and an alpha-tocopherol level &lt;11.6 µmol/L or &lt;499.6 µg/dL was considered to indicate deficiency. Vitamin E deficiency was detected in 5.3% of puerperae from the public network (n=6), whereas no deficiency was detected among women from the private network. However, low concentrations of alpha-tocopherol (11.6 to 16.2 µmol/L or 499.6 to 697.7 µg/dL) was detected in both groups, i.e., in 9.7% of the women from the public network (n=11) and in 4.2% for the women from the private network (n=4). CONCLUSION: These results highlight that women assisted in the public sector were more vulnerable to developing low concentrations of alpha-tocopherol than women assisted in the private sector. <![CDATA[Spontaneous rupture of renal angiomyolipoma during pregnancy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800377&lng=en&nrm=iso&tlng=en Renal angiomyolipoma is a benign tumor, composed of adipocytes, smooth muscle cells and blood vessels. The association with pregnancy is rare and related with an increased risk of complications, including rupture with massive retroperitoneal hemorrhage. The follow-up is controversial because of the lack of known cases, but the priorities are: timely diagnosis in urgent cases and a conservative treatment when possible. The mode of delivery is not consensual and should be individualized to each case. We report a case of a pregnant woman with 18 weeks of gestation admitted in the emergency room with an acute right low back pain with no other symptoms. The diagnosis of rupture of renal angiomyolipoma was established by ultrasound and, due to hemodinamically stability, conservative treatment with imaging and clinical monitoring was chosen. At 35 weeks of gestation, it was performed elective cesarean section without complications for both mother and fetus.<hr/>O angiomiolipoma é um tumor benigno, constituído por adipócitos, células de músculo liso e vasos sanguíneos. Sua associação com a gravidez é rara e está relacionada com um aumento de complicações, nomeadamente rotura com hemorragia retroperitoneal maciça. O follow-up é controverso em razão do escasso número de casos descritos, no entanto as prioridades são: diagnóstico atempado nas situações urgentes e, sempre que possível, tratamento conservador. O tipo de parto não é consensual e deve ser individualizado caso a caso. Relatamos um caso de uma grávida com 18 semanas de gestação que recorreu ao serviço de urgência por lombalgia direita aguda, sem outros sintomas relevantes. Diagnosticou-se ecograficamente rotura de angiomiolipoma renal e, em decorrência da estabilidade hemodinâmica do quadro, procedeu-se ao tratamento conservador com monitorização imagiológica e clínica. Às 35 semanas de gestação, realizou-se uma cesariana eletiva que decorreu sem complicações maternas ou fetais. <![CDATA[HOXA10 as well as estrogen and progesterone receptor protein expression in the epithelium, stroma, and adjacent smooth muscle of rectosigmoid endometriosis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014000800381&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A patogênese da endometriose profunda (EPF) é incerta. O fator de transcrição homeobox A10 (HOXA10) regula a conferência de identidade tecidual de útero ao ducto paramesonéfrico indiferenciado. HOXA10 é expresso em endometriose ovariana, peritoneal, pulmonar e reto-vaginal, relacionando-o à patogênese da endometriose. Estradiol e progesterona ativam a transcrição do gene HOXA10. Nesse estudo, avaliamos a expressão proteica de HOXA10, das isoformas α (ER-α) e β (ER-β) dos receptores de estrogênio, e do receptor de progesterona AB (PR-AB) e sua isoforma B (PR-B) na lesão (LES) e no tecido muscular liso perilesional (TMLP) de endometriose de reto-sigmoide (ERS), durante as fases proliferativa e secretora do ciclo. MÉTODOS: Amostras de LES e TMLP de ERS de 18 pacientes (9 operadas em cada fase) foram agrupadas em blocos de microarranjos de tecidos (tissue microarray). Após preparação imunoistoquímica, avaliamos as amostras por microscopia ótica (MO) e por um software específico, a análise morfométrica (AM). RESULTADOS: HOXA10 foi expresso no estroma de LES de ERS durante a fase secretora. ER-α e ER-β foram expressos em glândulas e estroma de LES e TMLP de ERS durante ambas as fases do ciclo. PR-AB e PR-B foram expressos em glândulas e estroma de LES de ERS durante ambas as fases do ciclo. A expressão de HOXA10 correlacionou-se diretamente com PR-AB e PR-B na ERS. Não houve correlação entre ER-α e ER-β com HOXA10, PR-AB ou PR-B em nenhuma fase do ciclo ou local de expressão de ERS. CONCLUSÕES: HOXA10 é expresso em ERS, fora do seu eixo espacial de expressão. HOXA10 pode ser necessário para conferir a identidade "de novo" na EPF, incluindo ERS, favorecendo a hipótese da origem embrionária da doença. A progesterona pode ativar o gene HOXA10 e regular esta ação, possivelmente mediada por PR-B. A ação mitógena do estradiol na ERS é mediada por ER-α e ER-β.