Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-720320170001&lang=pt vol. 39 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Infecção do trato urinário recorrente na prática ginecológica: momento de rever conceitos e conduta]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Impacto de distúrbios hemorrágicos raros durante a gestação na mãe e no feto: revisão de 29 gestações em um único centro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective: This study aims to give information about the relationship between different types of factor deficiencies and maternal/obstetric outcomes. Methods We retrospectively reviewed the medical records of eight women with factor deficiency disorders. The demographic and clinical features of the patients after their last pregnancies were registered retrospectively. Results: There were 29 pregnancies among the 8 patients. The spontaneous abortion rate was relatively high in two patients with factor XIII deficiency (80% and 57.1%) compared with the other factor deficiency groups. There were 16 births, which included 1 set of twins, and 2 deaths (1 stillbirth and 1 postpartum exitus occurred in the same patient). Intrauterine growth restriction was noted in five cases; four of these occurred in factor X deficiency cases. The mean decrease in hemoglobin level of all patients after birth was 1.7 g/dL (range, 0.2-3.6 g/dL). Red blood cell transfusion was required only in one case of factor XIII deficiency. Conclusions: There is currently no consensus on the pregnancy management of women with factor deficiencies because of the limited knowledge due to the rarity of such disorders. Labor should be managed in a dedicated unit with a team consisting of an obstetrician, a hematologist, an anesthesiologist, a midwife, and a pediatrician to minimalize the complications.<hr/>RESUMO Objetivo: O presente estudo objetiva fornecer informações sobre a relação entre diferentes tipos de deficiências de fator e resultados obstétricos e maternais. Métodos Análise retrospectiva de registros médicos de oito mulheres com deficiências de fator. Dados demográficos e clínicos das pacientes após sua última gestação foram obtidos. Resultados: Vinte e nove gestações ocorreram entre as oito pacientes. As taxas de abortos espontâneos foram relativamente altas em duas pacientes com deficiência de fator XIII (80% e 57,1%) se comparadas aos demais grupos de deficiências de fator. Ocorreram dezesseis nascimentos, sendo que um deles foi o de um par de gêmeos, e dois óbitos (um natimorto e um pós-parto na mesma paciente). Restrição de crescimento intrauterino foi identificada em cinco casos, sendo quatro destes com deficiência de fator X. A principal baixa em nível de hemoglobina entre todas as pacientes após o parto foi de 1,7 g/dL (variação, 0,2-3,6 g/dL). Transfusão de hemácias foi necessária apenas em um caso com deficiência de fator XIII. Conclusão: Não há consenso atualmente para o manejo de gestantes com deficiências de fator em função do conhecimento limitado, dada a raridade de tais condições. O parto deve ocorrer em uma unidade específica com uma equipe composta de obstetra, hematologista, anestesista, parteira, e pediatra para minimizar as complicações <![CDATA[Prevalência de miocardiopatia hipertrófica em fetos de mães com diabetes gestacional antes do tratamento]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective: To evaluate the prevalence of hypertrophic cardiomyopathy (HCM) in fetuses of pregnant women with gestational diabetes mellitus (GDM) in the beginning of the treatment. Methods: A cross-sectional study was performed between July 1, 2013, and Decem-ber 20, 2013, in a public maternity clinic in southern Brazil. The subjects were 63 fetuses of mothers with gestational diabetes, with a single pregnancy and no other associated pathologies. We diagnosed HCM through a fetal echocardiography before treatment and evaluated the maternal and fetal characteristics. Results: The average age of the pregnant women was 32.32 (±6.2) years, and the average gestational age at the time of the evaluation was 30.59 (±2.27) weeks. The interventricular septum thickness showed a standard deviation of more than two in 50.8% of the fetuses (95% confidence interval [95%CI]: 38.1-63.5%). The left ventricular wall thickness showed a standard deviation of more than 2 in 13 (20.6%) fetuses (95%CI: 11.1-30.2%). The HCM was confirmed in 54% of the fetuses (95%CI: 41.3-65.1%). The fetal abdominal circumference was normal in 46 (73%) fetuses, and 50% of these fetuses had HCM. Conclusion: The prevalence of hypertrophic cardiomyopathy in fetuses of pregnant women with GDM before treatment was of 54% (95%CI: 41.3-65.1%).<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a prevalência de miocardiopatia hipertrófica em fetos de gestantes com diabetes mellitus gestacional antes do início do tratamento. Métodos: Foi realizado um estudo de corte transversal, no período de 1o de julho de 2013 até 20 de dezembro de 2013, em uma maternidade pública. Foram objetos do estudo 63 fetos de gestantes portadoras de diabetes mellitus gestacional (DMG), em gestação única e sem outras patologias associadas. Foi realizada ecocardiografia fetal antes do início do tratamento do diabetes. O diagnóstico de miocardiopatia hipertrófica (MH) foi realizado quando a medida do septo interventricular ou da parede ventricular estava superior a dois desvios-padrão. O desfecho primário avaliado foi presença de MH. Resultados: As gestantes apresentavam idade média de 32,32 (±6,2) anos, e a idade gestacional média no momento da avaliação foi de 30,59 (±2,27) semanas. A medida do septo interventricular estava acima de 2 desvios-padrão em 50,8% (intervalo de confiança de 95% [IC95%]: 38,1-63,5%). A parede do ventrículo esquerdo estava acima de 2 desvios-padrão em 13 fetos, totalizando 20,6% (IC95%: 11,1-30,2%). A MH estava presente em 54% dos fetos (IC95%: 41,3-65,1%). A circunferência abdominal fetal estava normal em 46 (73%) fetos, e destes, 50% apresentavam MH. Conclusão: A prevalência de MH em fetos de gestantes portadoras de DMG antes do tratamento foi de 54% (IC95% 41,3-65,1%). <![CDATA[Níveis de estrona e estradiol em pacientes com câncer de mama usando anastrozol não estão relacionados ao índice de massa corpórea]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective: Obesity is associated with an increased risk for breast cancer. Recent studies have shown that aromatase inhibitors may be less effective in women with a high body mass index (BMI). The aim of this study was to establish the relationship between the BMI and plasma estrone and estradiol levels in postmenopausal women with hormone receptor-positive breast cancer using anastrozole. Methods: In this cohort study, the patients were divided into three groups according to BMI (normal weight, overweight and obese) to compare and correlate plasma hormone levels before starting anastrozole hormone therapy and three months after treatment. Plasma hormone levels were compared for age and use of chemotherapy. Results: A statistically significant reduction in estrone and estradiol levels was observed between baseline and three months after starting the anastrozole treatment (p &lt; 0.05). There was no statistically significant difference in plasma estrone and estradiol levels among the BMI groups (p &gt; 0.05), but a significant reduction in plasma estrone levels was observed after three-months' treatment relative to baseline in all groups, as well as a reduction in estradiol in the obese group (p &lt; 0.05). The use of chemotherapy and age &gt; 65 years had no influence on plasma steroid levels. Conclusion: Changes in estrone and estradiol levels in the studied groups were not associated with BMI, chemotherapy or age.<hr/>RESUMO Objetivo: A obesidade está associada com risco aumentado de câncer de mama. Estudos recentes têm mostrado que os inibidores de aromatase podem ser menos eficazes em mulheres com alto índice de massa corporal (IMC). O objetivo deste estudo foi estabelecer a relação entre o IMC e os níveis plasmáticos de estrona e estradiol em mulheres no período pós-menopausa com câncer de mama receptor hormonal positivo, em tratamento com anastrozol. Métodos: Este estudo de coorte acompanhou três grupos de pacientes de acordo com o seu IMC (peso normal, sobrepeso e obesidade), a fim de comparar e correlacionar as dosagens dos hormônios estrona e estradiol antes e após três meses do uso do anastrozol. Os níveis plasmáticos dos hormônios foram também relacionados à idade do paciente e ao uso da quimioterapia. Resultados: Redução estatisticamente significativa de estrona e estradiol foi observada entre os níveis basais e três meses após o início do tratamento com anastrozol (p &lt; 0,05). Não houve diferença estatisticamente significativa entre os níveis plasmáticos de estrona e estradiol em relação ao IMC (p &gt; 0,05), mas houve redução significativa entre os níveis plasmáticos basais de estrona após o tratamento em todos os grupos, e redução de estradiol no grupo de pacientes obesas (p &lt; 0,05). A condução da quimioterapia e da idade acima de 65 anos não interfere com os níveis plasmáticos de esteroides. Conclusão: Os níveis plasmáticos de estrona e estradiol nos grupos estudados não foram alterados em termos de IMC, quimioterapia e idade. <![CDATA[Expressão imunhistoquímica da proteína de supressão tumoral p16 <strong><sup>INK4a</sup></strong> em adenocarcinoma cervical]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Objective: To evaluate the diagnostic utility of the p16ink4a protein expression as a marker for adenocarcinoma of the cervix. Methods: In a cross-sectional study, p16ink4a expression was evaluated in 30 cervical biopsies from patients diagnosed with invasive adenocarcinoma from 2 reference clinics in Brazil, and compared with 18 biopsies of endocervical polyps (control cases). The performance of the tests for p16ink4a was evaluated using a conventional contingency table, and the Kappa (k) index was used to evaluate the agreement of the marker with the tissue diagnosis. Results: In total, 66% of the invasive adenocarcinoma cases were positive for p16ink4a. All of the adenomatous polyps cases used as negative controls were shown to be negative for p16ink4a. The marker showed a high sensitivity and a high negative predictive value. The Kappa index was good for p16ink4a (k 1/4 0.6). Conclusion: Considering the strong association between the p16ink4a marker and the cervical adenocarcinoma, its use represents an important tool for reducing incorrect diagnoses of adenocarcinoma and thereby avoiding overtreatment.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a utilidade diagnóstica da expressão da proteína p16ink4a como marcador de adenocarcinoma do colo. Métodos: Em estudo transversal, a expressão de p16ink4a foi avaliada em 30 biópsias cervicais de pacientes diagnosticadas com adenocarcinoma invasivo de colo uterino provenientes de dois serviços de referência no Brasil, comparando com achados em 18 biópsias de pólipos endocervicais (grupo de controle). Para avaliar a performance do teste, foi utilizada tabela de contingência convencional, e para avaliar a concordância com o diagnóstico, foi aplicado o índice de Kappa (k). Resultados: No total, 66% dos casos de adenocarcinoma invasivo foram positivos para p16ink4a. Todos os pólipos adenomatosos foram negativos para p16ink4a. O marcador mostrou uma alta sensibilidade e alto valor preditivo negativo. O índice de Kappa foi bom para p16ink4a (k 1/4 0.6). Conclusion: Considerando a forte associação entre o marcador p16ink4a e o adenocarcinoma cervical, seu uso representa uma ferramenta importante para reduzir o risco de diagnóstico incorreto de adenocarcinoma e, por conseguinte, evitar o excesso de tratamentos. <![CDATA[Massagem perineal melhora a dispareunia causada por tensão dos músculos do assoalho pélvico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Aim: To evaluate the long-term effectiveness of perineal Thiele massage in the treatment of women with dyspareunia caused by tenderness of the pelvic floor muscles. Methods: A total of 18 women with diagnoses of dyspareunia caused by tenderness of the pelvic floor muscles were included in the study. The women were divided in two groups: the dyspareunia (D) group - 8 women with dyspareunia caused by tenderness of the pelvic floor muscles; and the chronic pelvic pain group (CPP) group - 10 women with dyspareunia caused by tenderness of the pelvic floor muscles associated with CPP. Each patient filled out the Visual Analogue Scale (VAS), the McGill Pain Index, the Female Sexual Function Index (FSFI) and the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). After an evaluation, the women underwent transvaginal massage using the Thiele technique over a period of 5 minutes, once a week for 4 weeks. Results: All women had significant improvements in their dyspareunia according the VAS and the McGill Pain Index (p &lt; 0,001), but the HADS scores did not show significant differences. Regarding sexual function, the D group showed improvements on all aspects of sexual function, while the CPP group showed differences only in the pain domain. Conclusion: Thiele massage is effective in the treatment of dyspareunia caused by tenderness of the pelvic floor muscles with a long-term pain relief.<hr/>RESUMO Objetivo: Avaliar a eficácia em longo prazo da massagem perineal de Thiele no tratamento de mulheres com dispareunia provocada pela tensão dos músculos do assoalho pélvico. Métodos: Foram incluídos no estudo dezoito mulheres com diagnóstico de dispareunia provocada pela tensão dos músculos do assoalho pélvico. As mulheres foram divididas em dois grupos: o grupo dispareunia (D) - 8 mulheres com dispareunia causada pela tensão dos músculos do assoalho pélvico; e o grupo de dor pélvica crônica (DPC): 10 mulheres com dispareunia causada pela tensão dos músculos do assoalho pélvico associados à DPC. Cada paciente preencheu Escala Visual Analógica (EVA), Índice de Dor de McGill, Índice de Função Sexual Feminino (IFSF) e Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (EHAD). Após a avaliação, as mulheres foram submetidas a massagem transvaginal utilizando a técnica de Thiele ao longo de um período de 5 minutos, 1 vez por semana durante 4 semanas. Resultados: Todas as mulheres tiveram melhora significativa da dispareunia de acordo com a EVA e o Índice de Dor de McGill (p &lt; 0,001), mas na pontuação do EHAD não mostraram diferenças significativas. Em relação à função sexual, o grupo D apresentou melhora de todos os aspectos da função sexual, enquanto o grupo DPC mostrou diferenças apenas no domínio dor. Conclusão: A massagem perineal de Thiele é eficaz no tratamento da dispareunia causada pela tensão dos músculos do assoalho pélvico, com alívio da dor a longo prazo. <![CDATA[Fístula tubocutânea secundária à endometriose - diagnóstico diferenciado em fístulas cutâneas com secreção cíclica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The development of a tubocutaneous fistula due to endometriosis in a post-cesarean section surgical scar is a rare complication that generates significant morbidity in the affected women. Surgery is the treatment of choice in these cases. Hormonal therapies may lead to an improvement in symptoms, but do not eradicate such lesions. In this report, we present a 34-year-old patient with a cutaneous fistula in the left iliac fossa with cyclic secretion. Anamnesis, a physical examination, and supplementary tests led us to suggest endometriosis as the main diagnosis, which was confirmed after surgical intervention.<hr/>RESUMO O desenvolvimento de fístula tubocutânea secundária à endometriose em cicatriz cirúrgica após cesariana é uma complicação rara, que gera importante morbidade às mulheres acometidas. A cirurgia é o tratamento de escolha nesses casos. Terapias hormonais podem conduzir a uma melhora dos sintomas, mas, de forma alguma, levam à erradicação de tais lesões. No presente relato, temos uma paciente de 34 anos de idade que apresentava uma fístula cutânea em fossa ilíaca esquerda com secreção cíclica. Anamnese, exame físico e exames complementares nos levaram a aventar como principal hipótese diagnóstica a endometriose, que foi confirmada após intervenção cirúrgica. <![CDATA[Histerectomia radical robótica de portal único e biópsia de linfonodo sentinela: relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032017000100035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Robotic surgeries for cervical cancer have several advantages compared with lapa-rotomic or laparoscopic surgeries. Robotic single-site surgery has many advantages compared with the multiport approach, but its safety and feasibility are not established in radical oncologic surgeries. We report a case of a Federation of Gynecology and Obstetrics (FIGO) stage IB1 cervical carcinoma whose radical hysterectomy, sentinel lymph node mapping, and lymph node dissection were entirely performed by robotic single-site approach. The patient recovered very well, and was discharged from the hospital within 24 hours.<hr/>RESUMO A cirurgia robótica para carcinoma do colo do útero apresenta vantagens quando comparada com cirurgias laparotômicas ou laparoscópicas. A cirurgia robótica de portal único tem muitas vantagens quando comparada com cirurgias de múltiplos acessos, porém a segurança e a viabilidade deste procedimento ainda não estão estabelecidas para cirurgias oncológicas radicais. Apresentamos um caso de carcinoma de colo do útero, tratado por histerectomia radical, identificação e biópsia de linfonodo sentinela e linfadenectomia pélvica realizada totalmente por cirurgia robótica de acesso único. A paciente recuperou-se bem e recebeu alta no primeiro dia pós-operatório.