Scielo RSS <![CDATA[Planta Daninha]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-835820140002&lang=pt vol. 32 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Efeito alelopático de parthenium, e de seu solo rizosférico no milho em função de condições de crescimento</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Biosynthesis and subsequent release of allelochemicals by a plant into the environment is supposed to be influenced by its growing conditions. To ascertain what will be the allelopathic action of plant parts and rhizospheric soils of parthenium (Parthenium hysterophorus) growing at various farm locations with varied growing conditions, germination and seedling growth of maize hybrid (DK 6142) were assayed by sowing its seeds in petri plates lined with filter paper and pots filled with soil. Minimum germination percentage (30.0%), germination index (2.01), germination energy (36.3), seedling length (3.3 cm), seedling biomass (10 mg) and seedling vigor index (99.0) of maize were observed in leaf extract followed by fruit and whole plant extracts of parthenium growing near the field border. Rhizospheric soil collected underneath parthenium growing near a water channel caused maximum reductions in germination index (30.8%), germination energy (40.6%), seedling length (32.6%), seedling biomass (35.1%) and seedling vigor index (34.3%) of maize compared with that soil without any vegetation. Phytotoxic inhibitory effects of both parthenium plant and rhizospheric soil were more pronounced on maize root than its shoot growth. The higher suppressive action against germination and seedling growth of maize was probably due to higher total phenolic concentrations (6678.2 and 2549.0 mg L-1) and presence of phenolic compounds viz., gallic, caffeic, 4-hydroxy-3-methoxy benzoic, p-coumaric and m-coumaric acids; and ferulic, vanillic, syringic and m-coumaric acids in aqueous leaf extract of parthenium uprooted near the field border and its rhizospheric soil collected near a water channel, respectively.<hr/>A biossíntese e subsequente liberação de aleloquímicos por uma planta no ambiente é supostamente influenciada pelas condições de crescimento. Para aferir o efeito alelopático de partes das plantas, bem como do solo rizosférico de losna-branca (Parthenium hysterophorus) crescendo em diferentes pontos de fazendas sob distintas condições na germinação e crescimento de plântulas de milho híbrido da variedade DK 6142, um experimento foi instalado em ambiente controlado, com as sementes de milho sendo semeadas em placas de Petri sobre papel-filtro, assim como em baldes contendo substrato. Os menores valores para germinação (30,0%), índice de germinação (2,01), vigor de germinação (36,3), comprimento da plântula (3,3 cm), biomassa da plântula (10 mg) e índice de vigor da plântula (99,0) de milho foram registrados sob aplicação de extrato da folha, seguido por extrato do fruto e da planta inteira de losna-branca crescendo em Terras Altas. O solo rizosférico coletado sob plantas dessa espécie crescendo próximo a canais de água provocou maior redução no índice de germinação (30,8%), vigor de germinação (40,6%), comprimento da plântula (32,6%), biomassa da plântula (35,1%) e índice de vigor da plântula (34,3%) de milho, comparado às plantas cultivadas em solo coletado em área sem vegetação. Os efeitos fitotóxicos inibitórios tanto da losna-branca como de seu solo rizosférico foram mais pronunciados nas raízes do milho, em comparação com a parte aérea. O maior efeito supressivo na germinação e crescimento da plântula de milho deveu-se provavelmente à maior concentração de fenóis totais (6.678,2 e 2.549,0 mg L-1) e à presença de compostos fenólicos, como ácidos gálico, cafeico, 4 hidroxy 3 methoxy benzoico, p cumárico e m cumárico, e de ácido ferúlico, vanílico, siríngico e m cumárico no extrato aquoso das folhas de plantas coletadas em Terras Altas e de seu solo rizosférico coletado próximo a canais de água, respectivamente. <![CDATA[<b>Produção de um agente bioherbicida em meio líquido, sólido e em sistema bifásico de cultivo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The use of fungi in weeds control programs depends upon the conidia production in large scale. Therefore, this study aimed to evaluate liquid and solid culture media and the cultivation by biphasic system for the conidia production of Bipolaris euphorbiae Muchovej & Carvalho a specific pathogen of Euphorbia heterophylla. The liquid media were obtained from agro-industrial waste or by-products, and the solid media were prepared with mixtures of grains and grain derivatives. The liquid medium made with sugar cane molasses stood out from the others because it provided great sporulation (23 x 10(4) conidia mL-1 of medium), conidial viability (99.7%), and formation of mycelial fungal biomass (1.26 g 100 mL-1 of medium). On solid media conidial production was markedly higher than in liquid media, especially the medium composed by a blend of sorghum grain (40%) and soybean hulls (60%) where the fungus produced 2.3 x 10(7) conidia g-1 of medium. The cultivation of B. euphorbiae in biphasic system not promoted a significant increase in the production of conidia. The solid media were more effective for the mass production of fungus and mixtures of grains and derivatives were effective for increasing conidia production.<hr/>O uso de fungos em programas de controle de plantas daninhas depende da produção de conídios em larga escala. Assim, este trabalho teve por objetivo avaliar meios de cultura líquidos e sólidos, bem como o cultivo pelo sistema bifásico, para a produção de conídios de Bipolaris euphorbiae Muchovej & Carvalho patógeno específico de Euphorbia heterophylla. O meio líquido foi preparado a partir de resíduos ou subprodutos da agroindústria, e o meio sólido foi obtido de misturas de grãos e derivados. O meio líquido feito com melaço de cana-de-açúcar destacou-se dos demais por ter proporcionado maior esporulação (23 x 10(4) conídios mL-1 de meio), viabilidade dos conídios (99,7%) e formação de biomassa micelial do fungo (1,26 g 100 mL-1 de meio). Nos meios sólidos a produção de conídios foi acentuadamente maior que nos meios líquidos, com destaque para o meio composto pela mistura de sorgo em grão (40%) e casca de soja (60%), onde o fungo produziu 2,3 x 10(7) conídiosg-1 de meio. O cultivo de B. euphorbiae em sistema bifásico não promoveu aumento significativo na produção de conídios. Os meios sólidos mostraram-se mais eficazes para a produção massal de fungo, e as misturas de grãos e derivados foram eficientes para aumentar a produção de conídios. <![CDATA[<b>Dinâmica e variabilidade espacial de plantas daninhas em sistemas de mobilização do solo em sorgo forrageiro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O mapeamento e a caracterização da distribuição espacial de plantas daninhas por meio da agricultura de precisão, associada a levantamentos fitossociológicos, têm sido utilizados no controle localizado da infestação. O presente trabalho avaliou a incidência e a dinâmica de plantas daninhas, além da distribuição espacial em distintos sistemas de mobilização do solo, na cultura do sorgo forrageiro. O experimento foi conduzido em Petrolina-PE. Os tratamentos constaram de quatro sistemas de mobilização do solo: sem preparo primário, grade tandem mais arado de aivecas, grade off-set de discos de 0,61 m e grade tandem mais escarificador. A coleta de dados ocorreu na cultura do sorgo forrageiro aos 110 dias após emergência, em uma área retangular de 20 x 12 m (240 m²) com malha regular de 4 x 3 m, referenciadas em coordenadas x e y. A caracterização fitossociológica foi realizada pela avaliação da densidade, frequência, abundância, dominância e índice de valor de importância das espécies, e a variabilidade espacial, por meio da geoestatística com a construção de mapas de isolinhas. Cenchrus echinatus teve maior incidência e índice de valor de importância. O mapeamento de plantas daninhas tem relevância para a aplicação de métodos de controle, principalmente quando aliado ao levantamento fitossociológico.<hr/>Mapping and characterization of spatial distribution of weeds by means of precision agriculture, coupled to phytosociological surveys, has been used as a tool for localized control techniques. This study evaluated weed incidence and dynamics, as well as spatial distribution, as a function of soil tillage systems in forage sorghum. The experiment was conducted in Petrolina-PE. The experimental area was prepared with four tillage systems, as follows: no primary tillage, tandem disc harrow plus moldboard plow, disc harrow off-set of 0.61 m and tandem disc harrow plus chisel plow. Data were collected on forage sorghum at 110 days after emergence, in a rectangular area of 20 x 12 m (240 m²) with regular mesh of 4 x 3 m, referenced in x and y coordinates. Phyto­sociological characterization was performed by evaluating weed density, frequency, abundance, dominance, and importance value, as well as spatial variability using geo-statistics with the construction of maps. Cenchrus echinatus presented higher incidence and importance value index. Weed mapping has relevance to the application of control methods, especially when coupled with phytosociological surveys. <![CDATA[<b>Mapas de infestação e de estabilidade espacial de infestantes da cultura do milho</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A study on the spatial distribution of the major weeds in maize was carried out in 2007 and 2008 in a field located in Golegã (Ribatejo region, Portugal). The geo-referenced sampling focused on 150 points of a 10 x 10 m mesh covering an area of 1.5 ha, before herbicide application and before harvest. In the first year, 40 species (21 botanical families) were identified at seedling stage and only 22 during the last observation. The difference in species richness can be attributed to maize monoculture favouring reduction in species number. Three of the most representative species were selected for the spatial distribution analysis: Solanum nigrum, Chenopodium album and Echinochloa crus-galli. The three species showed an aggregated spatial pattern and spatial stability over both years, although the herbicide effect is evident in the distribution of some of them in the space. These results could be taken into account when planning site-specific treatments in maize.<hr/>Analisou-se a distribuição e estabilidade espacial de Chenopodium album, Echinochloa crus-galli e Solanum nigrum em um campo de milho do Ribatejo (Portugal) durante os anos de 2007 e 2008. A amostragem georreferenciada incidiu sobre 150 pontos em uma malha de 10 x 10 m, cobrindo uma área de 1,5 ha, antes da aplicação de herbicidas e antes da colheita. No primeiro ano foram identificadas 40 espécies (21 famílias botânicas), em fase de plântula; no final do segundo ano, apenas 22. A diferença no número de espécies pode ser atribuída à monocultutra de milho, que contribui para a redução da riqueza específica. As três espécies mais representativas foram analisadas mediante um estudo geoestatístico, o que permitiu determinar o grau de variabilidade espacial e obter mapas de infestação por kriging baseados nos modelos que melhor se ajustavam a cada caso. Os resultados mostraram estabilidade espacial em todos os casos, exceto para C. album e S. nigrum em um dos períodos de tempo. Esses mapas, em conjunto com a estabilidade espacial geral registrada para as três espécies, são úteis para desenvolver programas de aplicação localizada de herbicidas, visando reduzir o impacto ambiental do recurso a esses produtos fitofarmacêuticos. <![CDATA[<b>Germinação e emergência de amarelinho (tecoma stans) sob efeito de diferentes condições ambientais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aim of this work was to analyze the effect of temperature and light intensity on trumpet flower seed germination, as well as the effect of seeding depth on its emergence. To study the influence of temperature, nine temperature intervals were evaluated, ranging from 15.0 to 40.0 ºC. A randomized block design experiment was used with five replications and 20 seeds per replication, and performed twice. To evaluate light intensity on seed germination, a randomized experimental design was used with eight replications and 25 seeds per replication. The treatments applied were: photoperiod with temperature alternation; photoperiod with constant temperature; darkness with temperature alternation; and darkness with constant temperature. The photoperiod consisted of 8 hours of light and 16 hours of darkness, and the constant temperature was 25 ºC. The treatments with temperature alternations were established with 8 hours at 30 ºC, and 16 hours at 20 ºC. Germination was assessed daily to calculate the total percentage of germination as well as the Germination Velocity Index (GVI). To study the influence of seeding depth on plant emergence, 25 seeds were seeded at 0, 20, 40, and 80 mm in pots with sieved soil. The experiment was arranged in a randomized block design with four replications. Seedling emergence was monitored daily until the 15th day after seeding. After that period, the total percentage of emergence was calculated for each experimental unit, as well as the Emergence Velocity Index (EVI). Formation of normal seedlings and the Germination Velocity Index were different among temperatures and higher germination percentages were observed between 20.3 ºC and 37.5 ºC. Tecoma stans seedlings did not germinate when planted at 40 and 80 mm depth. However, the seedlings placed on the soil surface had an emergence percentage of 72. At 20 mm depth, the emergence rate was 31%.<hr/>Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da temperatura e luminosidade na germinação, bem como o efeito da profundidade de semeadura na emergência do amarelinho. Nos estudos de influência da temperatura na germinação foram avaliados nove intervalos de temperatura entre 15 ºC e 40 ºC. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com cinco repetições e 20 sementes por repetição. A influência da luminosidade foi avaliada com os tratamentos: fotoperíodo com alternância de temperatura, fotoperíodo com temperatura constante, escuro com alternância de temperatura e escuro com temperatura constante. Em ambos os estudos foram calculados a porcentagem e o índice de velocidade de germinação (GSI). A influência da profundidade de semeadura foi avaliada depositando-se 25 sementes a 0, 20, 40 e 80 mm de profundidade, em vasos contendo solo peneirado. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com quatro repetições. Foram calculados a porcentagem e o índice de velocidade de emergência (ESI). Os intervalos de temperatura testados não influenciaram a protrusão da raiz primária, e a faixa de temperatura ótima para formação de plântulas está entre 26,4 ºC e 37,5 ºC. As sementes são fotoblásticas neutras, e a alternância de temperatura não favorece a germinação da espécie. Plântulas de amarelinho não emergiram quando as sementes foram depositadas nas profundidades de 40 e 80 mm, ao passo que sementes posicionadas na superfície do solo apresentaram porcentagem de emergência de 72%; na profundidade de 20 mm a emergência foi de 31%. <![CDATA[<b>Influência do manejo de plantas daninhas no aumento da produção de arroz fino no sistema de intensificação de arroz</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The system of rice intensification has emerged as a promising rice production package but weed infestation could lead to incomplete benefits from the system. A two-year field study was performed to determine an appropriate method of weed management in SRI. Weed management treatments were manual hoeing 20, 40 and 60 days after transplanting (DAT), hoeing with rotary hoe at 20, 40 and 60 DAT, hoeing with rotary hoe at 20 DAT + spray with sorghum and sunflower water extracts at 15 L ha-1 40 DAT, manual hoeing 20 DAT + spray with sorghum and sunflower water extracts, both in equal amount, at 15 L ha-1 40 DAT, orthosulfamuron at 145 g a.i. ha-1 7 DAT, weedy check and weed free. Manual hoeing at 20, 40 and 60 DAT was the treatment that exhibited the maximum kernel yield i.e. 5.34 and 4.99 t ha-1., which was 8.4 and 7.2% higher than orthosulfamuron and 61.0 and 64.9% higher than weedy check, during both years of study, respectively. The highest weed suppression was also achieved by manual hoeing at 20, 40 and 60 DAT with weed control efficiency of 87.89 and 82.32% during 2010 and 2011, respectively. Manual hoeing at 20, 40 and 60 DAT is an eco-friendly, non-chemical weed control method to increase kernel yield of fine rice under SRI.<hr/>O sistema de intensificação do arroz surgiu como um sistema promissor de produção de arroz, mas a infestação de plantas daninhas pode reduzir seus benefícios. Foi realizado um estudo de campo com duração de dois anos para a determinação de um método adequado de manejo de plantas daninhas sob o sistema SRI. Os tratamentos de manejo de plantas daninhas foram os seguintes: capina manual aos 20, 40 e 60 dias após o transplantio (DAT), capina com enxada rotativa aos 20, 40 e 60 DAT, capina com enxada rotativa aos 20 DAT + spray com extratos aquosos de sorgo e girassol a 15 L ha-1 aos 40 DAT, capina manual aos 20 DAT + spray com extratos aquosos de sorgo e girassol, ambos na mesma quantidade, a 15 L ha-1 de 40 DAT, ortossulfamurão a 145 g a.i. ha-1 aos 7 DAT, testemunha sem capina e testemunha com capina. A capina manual aos 20, 40 e 60 DAT foi o tratamento que resultou na produção máxima de grãos, ou seja, 5,34 e 4,99 t ha-1, a qual foi 8,4 e 7,2% mais elevada do que o ortossulfamurão e 61,0 e 64,9% superior à testemunha sem capina, durante os dois anos de estudo, respectivamente. A supressão de plantas daninhas também foi maior com a capina manual aos 20, 40 e 60 DAT, com eficiência de controle de plantas daninhas de 87,89 e 82,32% em 2010 e 2011, respectivamente. A capina manual aos 20, 40 e 60 DAT é um método de controle de plantas daninhas ecológico e não-químico para aumentar a produção de grãos de arroz fino sob o sistema SRI. <![CDATA[<b>Crescimento e rendimento do milho e da braquiária em sistema consorciado com diferentes manejos de plantas daninhas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivou-se, neste trabalho, avaliar o crescimento e o rendimento do milho e da braquiária em monocultivos e consorciados, com diferentes manejos das plantas daninhas. O experimento foi realizado em área de pastagem degradada, num Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico. Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial 4 x 4 + 5, sendo o primeiro fator correspondente aos cultivares de milho (UFV M100, DKB 390, DKB 455 e DKB 789) em consórcio com Urochloa brizantha, combinados com os diferentes manejos de plantas daninhas - capinado; sem controle de plantas daninhas; atrazine (1,5 kg ha-1); e atrazine + nicosulfuron (1,5 kg ha-1 + 8 g ha-1) -, além dos monocultivos capinados de U. brizantha e dos quatro cultivares de milho. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados com quatro repetições. Aos 30, 60, 90, 120 e 150 dias após o plantio (DAP), avaliou-se a matéria seca do milho e da braquiária; na última avaliação, determinou-se, também, o rendimento de grãos do milho. Os maiores acúmulos de matéria seca e rendimentos foram obtidos nos monocultivos da braquiária e do milho. No entanto, a aplicação de atrazine + nicosulfuron no consórcio proporcionou rendimento de grãos de milho similar ao obtido no monocultivo. Os efeitos dos manejos das plantas daninhas e dos cultivares de milho no crescimento da braquiária somente se manifestaram nas avaliações realizadas aos 90, 120 e 150 DAP. Os híbridos de milho mostraram-se mais competitivos com a braquiária do que a variedade; o maior rendimento de grãos foi obtido com o híbrido simples (DKB 390), e o menor, com o híbrido triplo (DKB 455). A interferência de U. brizantha no milho, quando cultivados em consórcio, depende das práticas de manejo de plantas daninhas e do cultivar de milho adotado.<hr/>The objective of this study was to evaluate the growth and yield of maize and brachiaria mono- and inter- cropping systems with different weed managements. The experiment was conducted in a degraded pasture area in a dystrophic Oxisol. Treatments were arranged in a factorial 4 x 4 + 5, with the first factor corresponding to maize cultivars (UFV M100, DKB 390, DKB 455, and DKB 789) in consortium with Urochloa Brizantha, with different weed managements (weeded; no weed control; atrazine (1.5 kg ha-1) and atrazine + nicosulfuron (1.5 kg ha-1 + 8 g ha-1), in addition to U. brizantha weeded monocultures and four maize cultivars. The experimental design was a randomized block with four replications. At 30, 60, 90, 120, and 150 days after planting (DAP), maize dry matter and brachiaria dry matter were evaluated, with the last evaluation was determining maize grain yield. Higher dry matter accumulation and yields were obtained using maize and brachiaria monocultures. However, the application of atrazine + nicosulfuron in consortium produced maize grain yield similar to that obtained in monoculture. The effects of weed and maize cultivar managements on brachiaria growth were only manifested in the assessments at 90, 120 and 150 DAP. The maize hybrids were found to be more competitive with brachiaria than the variety; the highest grain yield was obtained with the simple hybrid (DKB 390) and the lowest with the triple hybrid (DKB 455). The interference of U. brizantha in maize depends on the management of the weed practices adopted. <![CDATA[<b>Crescimento e nutrição mineral de <i>Sida rhombifolia</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O experimento foi conduzido com o objetivo de analisar a produção e a distribuição de massa seca e os teores e os acúmulos dos macronutrientes em plantas de guanxuma (Sida rhombifolia) cultivadas em condições padronizadas de nutrição mineral. As plantas cresceram em vasos de sete litros com substrato de areia, que foram irrigados diariamente com solução nutritiva e mantidos em condições de casa de vegetação. Os tratamentos corresponderam às épocas de avaliação (21, 35, 49, 63, 77, 91, 105, 119 e 133 dias após a emergência - DAE) e foram arranjados em delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições. As plantas de guanxuma apresentaram pequeno acúmulo de massa seca (0,3 g por planta) e de macronutrientes (6,9 mg N por planta; 0,7 mg P por planta; 8,6 mg K por planta; 4,9 mg Ca por planta; 2,6 mg Mg por planta; e 0,3 mg S por planta) na fase vegetativa (<49DAE). Esses acúmulos se intensificaram, principalmente, após 63 DAE; a taxa diária de acúmulo foi crescente até 94 DAE (massa seca - MS), 89 DAE (N e P), 98 DAE (K), 95 DAE (Ca e S) e 93 DAE (Mg), quando houve acúmulo de 26,3 g MS por planta, 402,6 mg N por planta, 45,6 mg P por planta, 359,3 mg K por planta, 337,6 mg Ca por planta, 71,9 mg Mg por planta e 20,9 mg S por planta. N e K foram os macronutrientes com maiores teores e, consequentemente, mais requeridos e acumulados em maior quantidade nos tecidos vegetais das plantas de guanxuma.<hr/>This experiment was carried out to analyze dry mass production and distribution, and the content and accumulation of macronutrients in arrowleaf sida (Sida rhombifolia) plants cultivated under mineral nutrition standard conditions. Plants grew in seven liter pots filled with sand substrate and daily irrigated with nutrient solution, under greenhouse conditions. Treatments consisted of times of evaluation (21, 35, 49, 63, 77, 91, 105, 119, and 133 days after emergence - DAE) and were arranged in a completely randomized design with four replicates. Arrowleaf sida plants showed small accumulation of dry mass (0.3 g per plant) and macronutrients (6.9 mg N per plant, 0.7 mg P per plant, 8.6 mg K per plant, 4.9 mg Ca per plant, 2,6 mg Mg per plant, and 0.3 mg S per plant) at the vegetative growth stage (< 49 DAE). Those accumulations increased, mainly after 63 DAE, and the daily accumulation rate was crescent up to 94 DAE (dry mass - DM), 89 DAE (N and P), 98 DAE (K), 95 DAE (Ca and S), and 93 DAE (Mg), when there was accumulation of 26.3 g DM per plant, 402.6 mg N per plant, 45.6 mg P per plant, 359.3 mg K per plant, 337.6 mg Ca per plant, 71.9 mg Mg per plant, and 20.9 mg S per plant. N and K had the highest rates and, consequently, were the most required and accumulated in greater amounts in plant tissues of arrowleaf sida. <![CDATA[<b>Produtividade de massa e dessecação de forrageiras perenes para integração lavoura-pecuária</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A viabilidade da sucessão soja-milho safrinha em plantio direto no cerrado depende de adequada produção de resíduos na superfície do solo, o que pode ser obtido através do cultivo consorciado de milho com forrageira perene. Objetivou-se neste trabalho avaliar a produtividade de massa e a facilidade para dessecação de nove forrageiras perenes. As espécies foram cultivadas em consórcio com milho safrinha, de março a julho de 2009. Em outubro, as plantas foram cortadas a 0,20 m do solo, e 20 dias após foram aplicadas as doses de glyphosate (0,72, 1,44, 2,06 e 2,88 kg e.a. ha-1). O efeito das doses foi avaliado aos 10 e 20 dias após a dessecação, mediante pesagem e secagem da massa em estufa a 60 ºC. O controle foi considerado excelente quando a umidade das plantas dessecadas estava menor ou igual a 30%; assim, as forrageiras foram separadas em três grupos por facilidade de dessecação, sendo: 1) Urochloa (Syn Brachiaria) ruziziensis, Megatyrsus (syn Panicum) maximum cv. Massai e M. maximum cv. Aruana, com excelente resultado; 2) U. decumbens cv. Basilisk, U. brizantha cv. Xaraés e U. brizantha cv. Marandu, de moderada facilidade; e 3) M. maximum cv. Tanzânia, M. maximum cv. Mombaça e U. brizantha cv. Piatã, de difícil dessecação. Considerando a produtividade de massa, o menor período entre dessecação e avaliação e a dose de herbicida, destacam-se U. ruziziensis (0,45 e 1,29 kg e.a. ha-1) e M. maximum cv. Aruana (1,41 e 1,66 kg e.a. ha-1) como de fácil dessecação, visando à semeadura da soja em sucessão.<hr/>The feasibility of soybean-maize succession under the no-till system in the Brazilian cerrado depends on adequate amounts of straw on the soil surface, which can be obtained by intercropping maize with perennial forages. This study aimed to evaluate mass yield and burn-down easiness for nine perennial forage species. The species were grown intercropped with maize from March to July 2009. In October, plants were cut at 0.20 m above ground and 20 days after cut, glyphosate was applied at the following doses: 0.72, 1.44, 2.06, and 2.88 kg a.e. ha-1). The effect of the doses was evaluated 10 and 20 days after application, by weighing and oven-drying the straw at 60 ºC. Control was considered excellent when moisture of the desiccated plants was less than or equal to 30% and the forages were grouped according to burn-down easiness: 1) Urochloa (Syn Brachiaria) ruziziensis, Megatyrsus (syn Panicum) maximum cv. Massai, and M. maximum cv. Aruana as the most easily controlled; 2) U. decumbens cv. Basilisk, U. brizantha cv. Xaraés, and U. brizantha cv. Marandu, as intermediary; and 3) M. maximum cv. Tanzânia, M. maximum cv. Mombaça, and B. brizantha cv. Piatã, as the hardest-to-kill. Considering biomass production, the shorter interval between herbicide application and plant death, and the glyphosate dose, U. ruziziensis (0.45 and 1.29 kg a.e. ha-1) and M. maximum cv. Aruana (1.41 and 1.66 kg a.e. ha-1) presented the most burn-down easiness, aiming at soybean plant succession. <![CDATA[<b>Ocorrência de plantas daninhas em sistemas consorciados de <i>Pinhão Manso</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This study aimed to evaluate the level of infestation by weed species in a consolidated Jatropha plantation, as a function of the plant species grown in interrows. The experiment was installed in 2006 at the district of Itahum, city of Dourados, state of Mato Grosso do Sul, Brazil, made possible through a partnership between Embrapa Western Agriculture and Paraiso Farm. Treatments consisted of (1) Jatropha in monocrop, with no plant at the interrrows; or the following plants cultivaded at the interrows of Jatropha: (2) Stylosanthes spp.; (3) Brachiaria ruziziensis; (4) Brachiaria ruziziensis + Stylosanthess pp.; (5) Brachiaria humidicola; (6) Panicum maximum cv. massai; (7) Cajanus cajan cv. anão; (8) Crotalaria spectabilis; (9) Crop rotation system 1 - (maize second crop -Crambe abyssinica - soybean - peanut); and (10) Crop rotation system 2 - (cowpea - radish - maize - cowpea) conducted for two years. Phytosociological characterization of weed species was accomplished in 2011 based on the Ecological Approach. Estimations of relative abundance, frequency, dominance and Importance Value Index were obtained. Areas were also characterized by the diversity coefficients of Simpson and modified Shannon-Weiner, and then grouped by cluster analysis. Areas with low soil coverage resulted in higher infestation levels; crop rotation in the interrows of Jatropha produced a significant reduction in weed infestation, but the lowest infestation levels were observed when grasses were grown intercropped with Jatropha. Lower diversity coefficients were associated with occurrence of the most troublesome weed species. In the first years after planting Jatropha, species of Brachiaria or a crop rotation involving species with high mulching ability and whose biomass exhibit a high C:N ratio, should be established in the interrows to avoid problems with weeds infestation.<hr/>Objetivou-se com este estudo avaliar o nível de infestação por plantas daninhas em uma plantação consolidada de pinhão-manso em função da espécie cultivada nas entrelinhas da cultura. O experimento foi instalado em 2006 no distrito de Itahum, cidade de Dourados, Estado de Mato Grosso do Sul, tendo sido viabilizado por uma parceria entre a Fazenda Paraíso e a Embrapa Agropecuária Oeste. Os tratamentos consistiram do cultivo solteiro (1) ou das seguintes espécies cultivadas nas entrelinhas da cultura: (2) Stylosanthes spp.; (3) Brachiaria ruziziensis; (4) Brachiaria ruziziensis + Stylosanthes spp.; (5) Brachiaria humidicola; (6) Panicum maximum cv. massai; (7) Cajanus cajan cv. anão; (8) Crotalaria spectabilis; (9) sistema de rotação 1 - (milho safrinha - Crambe abyssinica - soja - amendoim); e (10) sistema de rotação 2 - (feijão-caupi - nabo forrageiro - milho - feijão-caupi) conduzidos por dois anos. A caracterização fitossociológica foi realizada em 2011, seguindo a perspectiva ecológica, sendo obtidos a abundância, a frequência, a dominância e o índice de valor de importância. As áreas foram ainda intracaracterizadas pelos coeficientes de diversidade de Simpson e de Shannon-Weiner modificado e, posteriormente,intercaracterizadas por análise de agrupamento. Áreas com cobertura do solo deficiente resultaram nos maiores índices de infestação; a rotação de culturas nas entrelinhas do pinhão-manso propiciou redução na infestação por plantas daninhas, porém a menor infestação foi constatada quando gramíneas foram cultivadas nas entrelinhas da cultura. Menores coeficientes de diversidade foram associados à ocorrência das plantas daninhas de mais difícil controle. Nos primeiros anos do plantio de pinhão­manso, espécies de Brachiaria ou rotações de cultivos envolvendo espécies com grande produção de biomassa com alta relação C:N devem ser estabelecidas nas entrelinhas, a fim de evitar problemas com infestações por plantas daninhas. <![CDATA[<b>Crescimento e desenvolvimento inicial do capim-carrapicho com base em unidades térmicas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Availability of basic information on weed biology is an essential tool for designing integrated management programs for agricultural systems. Thus, this study was carried out in order to calculate the base temperature (Tb) of southern sandbur (Cenchrus echinatus), as well as fit the initial growth and development of the species to accumulated thermal units (growing degree days - GDD). For that purpose, experimental populations were sown six times in summer/autumn conditions (decreasing photoperiod) and six times in winter/spring condition (increasing photoperiod). Southern sandbur phenological evaluations were carried out, on alternate days, and total dry matter was measured when plants reached the flowering stage. All the growth and development fits were performed based on thermal units by assessing five base temperatures, as well as the absence of it. Southern sandbur development was best fit with Tb = 12 ºC, with equation y = 0,0993x, where y is the scale of phenological stage and x is the GDD. On average, flowering was reached at 518 GDD. Southern sandbur phenology may be predicted by using mathematical models based on accumulated thermal units, adopting Tb = 12 ºC. However, other environmental variables may also interfere with species development, particularly photoperiod.<hr/>A disponibilidade de informações básicas sobre a biologia de plantas daninhas é uma ferramenta essencial para a elaboração de programas de manejo integrado em sistemas agrícolas. Nesse sentido, este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de calcular a temperatura basal (Tb) do capim-carrapicho (Cenchrus echinatus), bem como ajustar o crescimento e o desenvolvimento inicial da espécie às unidades térmicas acumuladas (graus-dia). Para isso, foram realizadas seis semeaduras de populações experimentais em condição de verão/outono (fotoperíodo decrescente) e seis semeaduras em inverno/primavera (fotoperíodo crescente). Foi realizado o acompanhamento da fenologia do capim­carrapicho, em dias alternados, bem como se mensurou a matéria seca total no momento do florescimento das plantas. Todos os ajustes de crescimento e desenvolvimento foram realizados com base em unidades térmicas, avaliando-se cinco temperaturas basais, além da ausência desta. O melhor ajuste para desenvolvimento do capim-carrapicho foi obtido com Tb = 12ºC, com equação y = 0,0993x, em que y diz respeito ao estádio da escala fenológica e x aos graus-dia acumulados. Em média, obteve-se florescimento da espécie com 518 graus-dia. Conclui-se que a fenologia do capim-carrapicho pode ser prevista por meio de modelos matemáticos que utilizem unidades térmicas acumuladas, adotando-se temperatura basal de 12ºC, contudo ressalta-se que outras variáveis ambientais também interferem no desenvolvimento da espécie, com potencial destaque para o fotoperíodo. <![CDATA[<b>Controle químico de cordas-de-viola em função de níveis de restrição hídrica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Among the herbicides recommended for the dry season and registered to sugarcane crop, amicarbazone, isoxaflutole and the association diuron + hexazinone + sulfomethuron-methyl can be highlighted. These are pre-emergence herbicides efficient against broad-leaved weeds. Morning glory causes large losses in infested sugarcane fields by bending the stalks and interfering in harvesting. In this study the effectiveness of pre-emergence herbicides for two species of morning glory (Ipomoea hederifolia and Ipomoea grandifolia) was evaluated. Treatments were arranged in completely randomized factorial design (4 x 7). There were four periods of water restriction (0, 30, 60 and 90 days), seven chemical treatments [diuron + hexazinone + sulfometuron-methyl (1387 + 391 + 33.35 g a.i. ha-1), diuron + hexazinone + sulfometuron-methyl (1507.5 + 425 + 36.25 g a.i. ha-1), diuron + hexazinone + sulfometuron-methyl (1658.25 + 467.5 + 39.87 g a.i. ha-1), diuron + hexazinone + sulfometuron­methyl (1809 + 510 + 43.5 g a.i. ha-1), amicarbazone (1190 g a.i. ha-1), amicarbazone + isoxaflutole (840 + 82.5 g a.i. ha-1)] and a control with no application. At 7, 14, 21 and 28 days after the restoration of moisture, control was visually evaluated. After the final evaluation, the dry mass of morning glories was measured. At 90 days of water restriction, diuron + hexazinone + sulfometuron-methyl was more effective to control I. hederifolia than the amicarbazone + isoxaflutole tank mixture. The four diuron + hexazinone + sulfometuron­methyl doses have reduced morning glory dry mass to zero; whereas treatments with amicarbazone have not. The most effective treatment for morning glory control was diuron + hexazinone + sulfometuron-methyl. This result may be due to a possible synergistic interaction.<hr/>Entre os herbicidas recomendados para a época seca e registrados para a cultura da cana-de-açúcar estão amicarbazone, isoxaflutole e a associação diuron + hexazinona + sulfometuron­metil. Esses herbicidas apresentam ação em pré-emergência e atuam em plantas daninhas de folha larga. Cordas-de-viola provocam grandes perdas em canaviais infestados, causando tombamento da cana e interferindo nas operações de colheita. Neste estudo foi avaliada a eficácia de controle de herbicidas pré-emergentes em duas espécies de corda-de-viola (Ipomoea hederifolia e Ipomoea grandifolia). Os tratamentos foram dispostos em esquema fatorial 4 x 7. Foram quatro períodos de restrição hídrica (0, 30, 60 e 90 dias), sete tratamentos químicos [diuron + hexazinona + sulfometuron-metil (1.387 + 391 + 33,35 g i.a. ha-1), diuron + hexazinona + sulfometuron-metil (1.507,5 + 425 + 36,25 g i.a. ha-1), diuron + hexazinona + sulfometuron-metil (1.658,25 + 467,5 + 39,87 g i.a. ha-1), diuron + hexazinona + sulfometuron-metil (1.809 + 510 + 43,5 g i.a. ha-1), amicarbazone (1.190 g i.a. ha-1) e amicarbazone + isoxaflutole (840 + 82,5 g i.a. ha-1)] e um controle sem aplicação. Após 7, 14, 21 e 28 dias do restabelecimento da umidade, foram realizadas avaliações visuais de controle. Depois da última avaliação, foi determinada a massa seca das cordas-de-viola. Após 90 dias de restrição hídrica, diuron + hexazinona + sulfometuron-metil controlou I. hederifolia de forma mais eficaz que a mistura de amicarbazone + isoxaflutole. As quatro doses de diuron + hexazinona + sulfometuron-metil reduziram a massa seca das cordas-de-viola a zero, o que não aconteceu com os tratamentos com amicarbazone. O tratamento mais eficaz para o controle de corda-de-viola foi diuron + hexazinona + sulfometuron-metil em todas as doses estudadas; esse resultado pode se dever a possíveis relações de sinergismo entre esses produtos. <![CDATA[<b>Melhorando eficácia do diquat em gramíneas por meio da adição de adjuvantes à solução de pulverização antes da utilização</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The effect of five adjuvants (non-ionic surfactant, paraffinic oil, vegetable oil, mixture of fatty acids methyl esters plus surfactant blend, and organosilicone) on diquat efficacy was assessed on poverty brome, sterile oat, and Italian ryegrass in field and pot experiments. All tank mixtures with diquat increased diquat efficacy from 50-54% to 77-98% as for fresh weight reduction, indicating significant enhancement of diquat efficacy on grasses. The increased efficacy was most likely attributed to better droplet retention and diffusion on the leaf surfaces. When combined with non-ionic surfactant, diquat showed slightly more rapid control of grass weeds (i.e. symptoms were visible within a few hours after application).<hr/>O efeito de cinco adjuvantes (surfatante não iônico, óleo parafínico, óleo vegetal, mistura de ácidos graxos metil ésteres mais surfatante mistura e organossilicone) no que diz respeito à eficácia do diquat foi avaliado sobre bromo-estéril, aveião e azevém-italiano em experimentos de campo e estufa. Todas as misturas de tanque com diquat aumentaram a eficácia desse herbicida de 50-54% a 77-98% em termos de redução de peso fresco, indicando aumento significativo da eficácia do diquat em gramíneas. Esse aumento foi atribuído a uma melhor retenção de gotícula e de difusão sobre as superfícies foliares. Diquat com o surfatante não iônico mostrou controle ligeiramente mais rápido das plantas daninhas gramíneas (isto é, os sintomas eram visíveis dentro de poucas horas após a aplicação). <![CDATA[<b>Estádio de desenvolvimento e superfície foliar reduzem a eficiência de chlorimuron-ethyl e glyphosate em <i>Conyza sumatrensis</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Nos Estados do Rio Grande do Sul e do Paraná, há frequentes relatos de falhas de controle de Conyza sumatrensis com chlorimuron-ethyl em lavouras de soja. Assim, os objetivos deste trabalho foram caracterizar morfologicamente as folhas de Conyza sumatrensis e avaliar o controle com herbicidas aplicados em biótipos dessa planta daninha em três estádios de desenvolvimento. Foram realizados dois estudos, com experimentos em casa de vegetação, em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. No primeiro estudo, os biótipos de buva foram coletados e identificados; já no segundo estudo avaliou-se a resposta de biótipos aos herbicidas, doses e estádios de desenvolvimento. As doses de herbicidas foram: 0,0; 6,25; 12,5; 25; 50; 100; 200; e 400, representadas em porcentagem da dose de registro dos herbicidas chlorimuron-ethyl (20 g ha-1) e glyphosate (720 g e.a. ha-1), aplicadas de modo isolado ou associadas em três estádios de desenvolvimento dos quatro biótipos (2, 5, 17 e 20) de Conyza sumatrensis (altura de 0,5-1 cm e 3-4 folhas; altura 1-2 cm e 6-7 folhas; e altura de 10-12 cm e 12-14 folhas). As variáveis analisadas foram controle, fitomassa seca da parte aérea e as densidades tricomática e estomática da superfície foliar dos biótipos em diferentes estádios de desenvolvimento. Os resultados demonstram que os estádios de desenvolvimento alteram a eficácia dos herbicidas, e aplicações em estádios avançados de desenvolvimento diminuem a eficácia de controle. A exceção foi o biótipo 5 de Conyza sumatrensis, que demonstrou resistência ao glyphosate, independentemente do estádio de desenvolvimento no momento da aplicação do herbicida. Houve variação no número de tricomas entre os biótipos em todos os estádios de desenvolvimento, e o número de estômatos diminuiu com o desenvolvimento dos biótipos.<hr/>In the states of Rio Grande do Sul and Paraná, there are frequent reports of failure to control Conyza sumatrensis with chlorimuron-ethyl in soybean crops. Thus, the objectives of this study were to characterize Conyza sumatrensis leaves morphologically and evaluate herbicide control in biotypes of this weed at three stages. Two studies were conducted, with experiments in a greenhouse in a completely randomized design with four replications. In the first study, horseweed biotypes were collected and identified, and the second study evaluated the responses of herbicide rates and development stages. The herbicide rates were: 0.0, 6.25, 12.5, 25, 50, 100, 200 and 400, represented as a percentage of the dose registry of herbicides chlorimuron­ethyl (20 g ha-1) and glyphosate (720 g e.a. ha-1) applied in isolation or associated at three developmental stages of four Conyza sumatrensis (2, 5, 17 and 20) biotypes (height = 0.5-1 cm and 3-4 leaves, height = 1-2 cm and 6-7 leaves, height = 10-12 cm, 12-14 leaves). The variables analyzed were control, shoot dry weight and trichome and stomatal densities biotypes of the leaf surface at different stages of development. The results obtained demonstrate that the developmental stages affect the effectiveness of the herbicides, and applications at advanced stages of development decrease the effectiveness of control. The exception was biotype 5 of Conyza sumatrensis, which shows resistance to glyphosate, regardless of stage of development at the time of herbicide application. There was variation in the number of trichomes among biotypes at all stages of development, and the number of stomata decreased with the development of biotypes. <![CDATA[<b>Persistência do Fomesafen em argissolo vermelho-amarelo em dois sistemas de cultivo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Alguns herbicidas têm persistência longa no solo, o que pode levar à intoxicação de culturas sucessoras (carryover), plantadas em rotação. Objetivou-se com este trabalho avaliar a persistência do herbicida fomesafen em Argissolo Vermelho-Amarelo cultivado com feijão nos sistemas de plantio direto e convencional, caracterizando dois experimentos distintos. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados com quatro repetições, arranjados em parcelas subdivididas, em que as parcelas representavam as doses do herbicida (0,0, 125, 250 e 500 g ha-1) e as subparcelas, as épocas de coleta de solo (15, 30, 45, 60, 75, 90, 105, 120, 135 e 150 dias após a aplicação dos herbicidas). As amostras de solo foram coletadas de 15 em 15 dias, nas entrelinhas centrais das parcelas, e transferidas para vasos plásticos de 280 cm³, onde se semeou o sorgo como indicador biológico da presença de fomesafen. Aos 21 dias após a emergência, avaliou-se a intoxicação das plantas, numa escala em que 0 (zero) representava a ausência total de sintomas e 100, a morte da planta. A produtividade do feijoeiro não foi alterada pelas doses do fomesafen, não havendo diferença entre os tratamentos. Com o aumento da dose de fomesafen, o período de sua persistência nas amostras de solo foi maior. A persistência do fomesafen no solo varia em função do sistema de plantio e da dose aplicada; o intervalo de segurança após sua aplicação em culturas sensíveis é menor quando se pratica o plantio direto.<hr/>Some herbicides have long persistence in the soil, which can lead to poisoning in successive crops (carryover) planted in rotation. The objective of this study was to evaluate the persistence of fomesafen in Red-Yellow Ultisol cultivated with common bean under the no-tillage and conventional systems, featuring two separate experiments. The experiments were arranged in a randomized block design with four replications arranged in a split plot, with the plots being the herbicide doses (0.0, 125, 250, 500 g ha-1) and the split-plots, the soil collection times (15, 30, 45, 60, 75, 90, 105, 120, 135, and 150 days after herbicide application). Soil samples were collected every 15 days, in the central inter-rows of the plots and transferred to 280 cm³ plastic pots, with sorghum being sown as a biological indicator of the presence of fomesafen. Plant poisoning was evaluated 21 days after emergence on a scale where 0 (zero) represents complete absence of symptoms and 100, death of the plant. Grain yield was not affected by Fomesafen doses, with no difference between treatments. The application of increasing doses of fomesafen increased the period of persistence of this herbicide in the samples. Fomesafen persistence in the soil varies according to the cropping system and the applied doses, and the safety period after its application on sensitive crops is lower under the no-tillage system. <![CDATA[<b>Sorção do sulfentrazone em diferentes tipos de solo determinada por bioensaios</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivou-se com este trabalho avaliar o potencial de sorção do sulfentrazone em cinco diferentes tipos de solo, por meio da técnica do bioensaio. O comportamento do herbicida foi estudado nos seguintes tipos de solo: Planossolo Háplico, Argissolo Vermelho, Cambissolo Húmico, Neossolo Regolítico e Latossolo Vermelho-Amarelo, além de um controle, apenas com areia lavada. O experimento foi realizado no delineamento inteiramente casualizado, e os tratamentos foram constituídos de sete doses crescentes do sulfentrazone em cada um dos tipos de solo. Aos 21 dias após emergência, realizou-se a colheita da planta indicadora e foi determinada a massa da matéria seca, bem como a dose do herbicida capaz de reduzir em 50% o acúmulo de massa da matéria seca das plantas indicadoras (C50). Com esses dados calculou-se a relação de sorção (RS) do sulfentrazone, por meio da comparação da relação dos resultados da C50 de cada solo com a C50 obtida na areia lavada. Os valores de RSdiferiram para os diferentes solos, apresentando a seguinte ordem crescente: Planossolo Háplico < Latossolo Vermelho-Amarelo < Argissolo Vermelho < Cambissolo Húmico < Neossolo Regolítico; os solos com maiores teores de matéria orgânica apresentaram os maiores RS e pH de cada solo. Conclui-se que a sorção do sulfentrazone é influenciada pelo teor de matéria orgânica e pH dos solos.<hr/>The objective of this study was to evaluate the sorption potential of sulfentrazone in five different soil types by bioassays. Herbicide behavior was studied in the following soil types: Haplic Planosol, Red Acrisol, Humic Cambisol, Eutrophic Entisol and Red-Yellow Latosol, in addition to a control treatment, with washed sand only. The experiment was completely randomized, and treatments consisted of seven increasing doses of sulfentrazone in each of the soil types. Twenty-one days after emergence, the indicator plant was collected and dry matter mass and herbicide dose capable of reducing the dry matter mass accumulation of the indicator plants by 50% (C50-) were determined. Based on these data, sorption rate (SR) of sulfentrazone was calculated by comparing the results of C50 of each soil with the C50 obtained in washed sand. Sorption rate values differed between the soils in the following ascending order: Haplic Planosol < Red-Yellow Latosol < Red Acrisol < Humic Cambisol < Eutrophic Entisol; the soils with higher organic matter content showed the highest SR and pH. It was concluded that sulfentrazone sorption is affected by soil organic matter content and pH. <![CDATA[<b>Sorção e dessorção do Saflufenacil em dois solos do estado de São Paulo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A study was conducted to evaluate the sorption and desorption of 14C herbicide saflufenacil (pyrimidinedione) in two soils in the State of São Paulo, classified as Red Yellow Latosol with clayey texture (LVA-1) and medium texture (LVA-2), using the batch method through isotherms. The soils were air dried and sieved a 2 mm mesh. The radioactivity was determined by liquid scintillation spectrometry in acclimatized room (25 ± 2 °C). Sorption isotherms were conducted for 5 concentrations of saflufenacil (5.0; 2.5; 1.0; 0.5 and 0.05 μg mL-1) and the results were adjusted to the Freundlich equation, thus obtaining the parameters of sorption followed by two extractions with 0.01 M CaCl2 to determine desorption parameters similarly to sorption. The results showed that saflufenacil sorption was low for both soils studied, being greater for the LVA with higher organic matter content. The desorption coefficients were greater than their sorption coefficients, suggesting the occurrence of hysteresis. The sorption and desorption isotherms (classified as type C isotherms), hysteresis and the t-test between the angular coefficient of the respective isotherms showed that both the sorption and desorption occur with equal intensity.<hr/>Foi conduzido um estudo para avaliar a sorção e dessorção do herbicida saflufenacil em dois solos do Estado de São Paulo: um Latossolo Vermelho-Amarelo com textura argilosa (LVA-1) e outro com textura média (LVA-2), classificados como argiloso e franco-argiloarenoso, respectivamente, através de isotermas, utilizando o método em batelada. Os solos foram secos ao ar e peneirados em malha de 2 mm. A molécula radiomarcada com 14C foi o saflufenacil, herbicida do grupo das pirimidinadionas. A radioatividade foi determinada por espectrometria de cintilação líquida. Os ensaios foram realizados em sala climatizada (25 ± 2 ºC). Para determinação de sorção e isotermas de sorção, foram empregadas cinco concentrações do saflufenacil (5,0; 2,5; 1,0; 0,5; e 0,05 μg mL-1), sendo os resultados ajustados à equação de Freundlich, obtendo-se assim os parâmetros de sorção. Na sequência, foram realizadas duas extrações com 0,01 M de CaCl2, determinando-se os parâmetros de dessorção de forma similar à sorção. Os resultados mostraram que a sorção do saflufenacil foi baixa para ambos os solos, sendo maior para o LVA com maior teor de matéria orgânica. Os coeficientes de dessorção foram maiores do que os respectivos coeficientes de sorção, sugerindo a ocorrência de histerese. As isotermas de sorção e dessorção foram classificadas como isotermas tipo C; o índice de histerese mostrou que tanto a sorção como a dessorção ocorreram com igual intensidade. <![CDATA[<b>Glyphosate na produção e qualidade das sementes de soja RR</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This study aimed to evaluate the production components and quality of RR soybean seeds (Roundup Ready®), after application of increasing rates of gliphosate. Field experiments were conducted in Mandaguari, Paraná, during two seasons. Treatments consisted of five doses of glyphosate. All applications were performed once, between development stages V4 and V5. The experiment was arranged in a completely randomized block design, with four replicates. Data were subjected to analysis of variance, and when significant, t-tests and a regression analysis were applied to verify the behavior of the treatments. The physiological and sanitary quality, yield and mass of one thousand seeds were evaluated. The results indicated that seed quality can be adversely affected by glyphosate, and also showed a probable reduction in yield components with increasing rates of application.<hr/>O presente trabalho teve como objetivo avaliar os componentes de produção e a qualidade das sementes de soja RR, em função da aplicação de doses crescentes de glyphosate. Os experimentos foram instalados em campo, no município de Mandaguari, Paraná, durante as safras 2006/2007 e 2007/2008. Os tratamentos foram compostos por cinco doses de glyphosate. Todas as aplicações foram realizadas em modalidade única entre o estádio V4 e V5. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com quatro repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e; quando significativos, aplicou-se o teste t e análise de regressão aos tratamentos. Foram avaliadas a qualidade fisiológica e sanitária das sementes, a produtividade e a massa de mil sementes. Os resultados indicam que a qualidade das sementes pode ser afetada negativamente pelo glyphosate e, também, demonstram provável redução nos componentes de produtividade com incrementos na dose. <![CDATA[<b>Resistência múltipla de <i>Conyza sumatrensis</i> ao Chlorimuron-ethyl e ao Glyphosate</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Weed resistance to herbicides has been a major issue in Brazil, mainly due to the inefficiency of the herbicides used in no-till areas and to the high cost of these herbicide treatments. Failures in controlling the weed Conyza have been reported in Western and Northern grain crop areas in Paraná (Brazil). This work aimed to evaluate the potential occurrence of C. sumatrensis biotypes resistant to the herbicides chlorimuron-ethyl and glyphosate. Experiments were carried out under greenhouse conditions with four biotypes (Cascavel-2, Toledo-4, Tupãssi-6, and Assis Chateaubriand-7) possibly resistant to, as well as a population considered susceptible to chlorimuron-ethyl and glyphosate. To obtain dose-response curves, eight herbicide doses of chlorimuron-ethyl (0, 2.5, 5, 10, 20, 40, 80 and 160 g ha-1) and glyphosate (0, 90, 180, 360, 720, 1,440, 2,880 and 5,760 g e.a. ha-1) were applied and weed control and shoot biomass evaluations were made. Results provided evidence that two biotypes (Cascavel-2 and Tupãssi-6) were resistant to glyphosate and four biotypes (Cascavel-2, Toledo-4, Tupãssi-6 and Assis Chateaubriand-7) were resistant to chlorimuron­ethyl. Multiple resistance to glyphosate and chlorimuron was confirmed for biotypes Cascavel­2 and Tupãssi 6. This is the first report on multiple resistance in Conyza sumatrensis, worldwide.<hr/>A resistência de plantas daninhas aos herbicidas tem causado grandes problemas, principalmente em relação à ineficácia dos tratamentos herbicidas utilizados em plantio direto e ao aumento do custo desses tratamentos. Falhas de controle após a aplicação de herbicidas em áreas com buva têm sido observadas nas regiões norte e oeste do Estado do Paraná, Brasil. Este trabalho teve como objetivo avaliar a ocorrência de resistência de biótipos de Conyza sumatrensis aos herbicidas chlorimuron-ethyl e glyphosate. Os experimentos foram conduzidos em casa de vegetação, avaliando-se quatro biótipos (Cascavel-2, Toledo-4, Tupãssi-6 e Assis Chateaubriand-7) com suspeita de resistência, além de uma população suscetível ao chlorimuron-ethyl e ao glyphosate. Para obter a curva de dose-resposta, foram utilizadas oito doses crescentes de chlorimuron-ethyl (0, 2,5, 5, 10, 20, 40, 80 e 160 g ha-1) e de glyphosate (0, 90, 180, 360, 720, 1.440, 2.880 e 5.760 g e.a. ha-1). Foram avaliadas as porcentagens de controle e o acúmulo de massa seca da parte aérea dos biótipos. Mediante os resultados obtidos, confirmou-se a resistência de dois biótipos (Cascavel-2 e Tupãssi­6) ao glyphosate e de quatro biótipos ao chlorimuron-ethyl (Cascavel-2, Toledo-4, Tupãssi-6 e Assis Chateaubriand-7). Resistência múltipla ao glyphosate e ao chlorimuron foi confirmada nos biótipos Cascavel-2 e Tupãssi-6. Trata-se do primeiro relato de ocorrência de resistência múltipla em Conyza sumatrensis no mundo. <![CDATA[<b>Determinação de pigmentos fotossintéticos em biótipos de buva suscetível e resistente ao Herbicida Glyphosate</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Chlorophylls and carotenoids are the main photosynthetic pigment in plants. In the weeds, the greatest amount of photosynthetic pigments can result in high competitiveness of the species. The aim of this study was to quantify the content of photosynthetic pigments in biotypes of fleabane (Conyza bonariensis) susceptible and resistant to glyphosate, by two different methods, as well as a correlation between chlorophyll content obtained by portable and classical methodology (extractable chlorophyll). An experiment was conducted in greenhouse and laboratory, 2 x 5 factorial scheme, where factor A was equivalent to biotypes of fleabane (resistant and susceptible to glyphosate) and factor B to developmental stages plants (rosette vegetative I, II and III and reproduction). At all stages of development, fleabane plants were evaluated with the portable determiner (chlorophyll content) and then the same leaves were subjected to classical methodology laboratory (extractable pigments). The resistant biotype of fleabane showed higher contents of chlorophyll a, b, and total carotenoids, inferring a greater competitive potential regarding the susceptible population to the herbicide. The portable determiner of chlorophyll showed high correlation with the classical method of determination of photosynthetic pigments, and can thus be used to accurately assess this, saving time and reagents.<hr/>Clorofilas e carotenoides são os principais pigmentos fotossintéticos em plantas. Nas plantas daninhas, a maior quantidade de pigmentos fotossintéticos pode resultar em elevada competividade da espécie. O objetivo deste trabalho foi quantificar o teor de pigmentos fotossintéticos em biótipos de buva (Conyza bonariensis) suscetível e resistente ao herbicida glyphosate, por dois diferentes métodos, bem como estabelecer uma correlação entre o índice de clorofila obtido pelo equipamento portátil e a metodologia clássica (clorofila extraível). Um experimento foi conduzido em casa de vegetação e laboratório, em esquema fatorial 2 x 5, em que o fator A equivaleu aos biótipos de buva (resistente e suscetível a glyphosate) e o fator B, a estádios de desenvolvimento das plantas (roseta, vegetativo I, II e III, e reprodutivo). Em todos os estádios de desenvolvimento, as plantas de buva foram avaliadas com o determinador portatil (índice de clorofila); em seguida, as mesmas folhas foram submetidas à metodologia clássica de laboratório (pigmentos extraíveis). O biótipo de buva resistente apresentou maiores teores de clorofila a, b, total e carotenoides, demonstrando maior potencial competitivo frente ao biótipo suscetível ao herbicida glyphosate. O determinador portátil de clorofila apresentou alta correlação com o método clássico de determinação de pigmentos fotossintéticos, podendo, assim, ser usado com precisão na avaliação destes, proporcionando economia de tempo e reagentes. <![CDATA[<b>Suscetibilidade diferencial de biótipos de conyza sumatrensis ao herbicida <i>Chlorimuron-ethyl</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Horseweed (Conyza spp.) is an annual weed, infesting soybean crops in southern Brazil, with chlorimuron-ethyl being one of the most commonly used herbicides for its control. However, in recent soybean harvests, an unsatisfactory control of this weed using this herbicide was observed, generating suspicion regarding the selection of resistant biotypes. The objective of this study was to evaluate the susceptibility of horseweed biotypes to the herbicide chlorimuron-ethyl. Two experiments were conducted in a greenhouse; in the first one, the biotypes were selected selected, and the second experiment was arranged in a 5 x 5 factorial in a completely randomized design with four replications. The treatments used in the preparation of the dose response curves were doses of the herbicide chlorimuron-ethyl (0.0, 1.56, 3.13, 6.25, 12.5, and 25 g ha-1), applied on the five horseweed biotypes at the 3-4 leaf growth stage. The variables evaluated were visual control percentage and shoot dry weight, compared to the control without herbicide application, and plant acetolactate accumulation. It was concluded that there is a differential susceptibility among the biotypes at doses of less than 20 g ha-1 (dose response curves), which indicates low-level resistance. The practical consequences are the indications of chlorimuron-ethyl application at the maximum doses recomended and that the practice of rotating mechanisms of action must be used in the chemical weed management of these areas.<hr/>A buva (Conyza spp.) é uma planta daninha anual que infesta lavouras de soja na região Sul do Brasil, onde o chlorimuron-ethyl é um dos herbicidas mais utilizados para o seu controle. Contudo, nas últimas safras de soja observou-se controle insatisfatório dessa planta daninha utilizando esse herbicida, gerando a suspeita de seleção de biótipos resistentes. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a suscetibilidade de biótipos de buva ao herbicida chlorimuron-ethyl. Foram realizados dois experimentos em casa de vegetação: no primeiro, foram selecionados os biótipos; e o segundo foi realizado em esquema fatorial 5 x 5, no delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições. Os tratamentos usados na elaboração das curvas de dose­resposta foram doses do herbicida chlorimuron-ethyl (0,0, 1,56, 3,13, 6,25, 12,5 e 25 g ha-1), aplicadas sobre cinco biótipos de buva, no estádio fenológico de três a quatro folhas. As variáveis avaliadas foram percentagem visual de controle e fitomassa seca da parte aérea, em relação à testemunha sem aplicação de herbicida, e acúmulo de acetolactato na planta. Conclui-se que há suscetibilidade diferencial entre os biótipos nas doses menores que 20 g ha-1 (curvas de dose­resposta), e esse fato indica resistência de nível baixo. As consequências práticas são a indicação da aplicação do herbicida chlorimuron-ethyl em doses máximas registradas e que a prática de rotação de mecanismos de ação seja usada no manejo químico dessas áreas. <![CDATA[<b>Resistência de <i>Amaranthus retroflexus</i> a herbicidas inibidores da enzima acetolactato sintase no Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt When in competition with cotton, Amaranthus retroflexus can cause high yield losses. Due to the limited availability of selective herbicides registered for post emergence control of this weed, the same herbicides have been used repeated times over the last few years, which may have selected resistant biotypes. Biotypes of A. retroflexus collected from the main areas of cotton cultivation in Brazil were submitted to dose-response trials, by applying the herbicides trifloxysulfuron-sodium and pyrithiobac-sodium in doses equivalent to 0, ¼, ½, 1, 2 and 4 times the recommended rates. Resistance to ALS inhibitors was confirmed in biotypes of A. retroflexus. Biotype MS 2 from Mato Grosso do Sul, was cross-resistant to both trifloxysulfuron-sodium and pyrithiobac-sodium, while biotype MS 1 was resistant to trifloxysulfuron-sodium only. Likewise, singular and cross resistance was also confirmed in biotypes from Goiás (GO 3, GO 4 and GO 6), in relation to trifloxysulfuron­sodium and pyrithiobac-sodium. One biotype from Mato Grosso (MT 13) was not resistant to any of the ALS inhibitors evaluated in this work.<hr/>Quando em competição com a cultura do algodoeiro, Amaranthus retroflexus é capaz de promover grande perda de produtividade. Devido à limitada disponibilidade de herbicidas seletivos para controle em pós-emergência dessa espécie daninha, algumas moléculas têm sido usadas por safras seguidas, o que pode ter levado à seleção de biótipos resistentes. Biótipos de A. retroflexus coletados das principais regiões produtoras de algodão do Brasil foram submetidos a ensaios de dose-resposta, por meio da aplicação de doses dos herbicidas trifloxysulfuron-sodium e pyrithiobac­sodium equivalentes a 0, ¼, ½, 1, 2 e 4 vezes a dose recomendada. Foi confirmada a ocorrência de biótipos de A. retroflexus resistentes aos herbicidas inibidores da enzima ALS. O biótipo MS 2, oriundo do Mato Grosso do Sul, apresentou resistência cruzada ao trifloxysulfuron-sodium e ao pyrithiobac-sodium, ao passo que o biótipo MS 1 mostrou resistência apenas ao trifloxysulfuron­sodium. Da mesma maneira, foram confirmados casos de resistência nos biótipos coletados no Estado de Goiás (GO 3, GO 4 e GO 6) aos herbicidas trifloxysulfuron-sodium e ao pyrithiobac-sodium, demonstrando resistência singular e cruzada. Um biótipo oriundo do Mato Grosso (MT 13) não apresentou resistência aos herbicidas inibidores da ALS testados. <![CDATA[<b>Deposição de calda e controle de plantas daninhas empregando pulverizador de barra convencional e com barra auxiliar, em volumes de calda reduzidos</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A tecnologia de aplicação influencia diretamente o sucesso da dessecação de pré­semeadura, auxiliando na eficácia de controle das plantas daninhas. O experimento avaliou a deposição de calda herbicida em plantas daninhas, a perda para o solo e a eficácia de controle dessas plantas promovido por duas tecnologias de aplicação (pulverizador de barra convencional e pulverizador com barra auxiliar de arrasto, variando os volumes de calda entre eles: 100 e 150 L ha-1 no sistema convencional e 30 e 50 L ha-1 no sistema com barra auxiliar). O experimento foi instalado em delineamento de blocos casualizados com cinco repetições. Foi adicionado um traçador à calda contendo o herbicida glyphosate, para ser detectado por espectrofotometria. A deposição de calda nas plantas daninhas não diferiu em função da presença ou ausência da barra auxiliar de pulverização e do volume de calda aplicado, demonstrando a viabilidade do uso de volumes de aplicação entre 30 e 50 L ha-1 com a barra auxiliar. As perdas para o solo foram maiores quando foi utilizada a barra convencional do pulverizador. A eficácia de controle das plantas daninhas foi muito boa, independentemente do tratamento empregado.<hr/>Application technology directly influences the success of desiccation, supporting the effectiveness of weed control. This work evaluated herbicide deposition on the weeds, spray loss to the soil and the efficacy of weed control by two application technologies (conventional boom sprayer and auxiliary boom sprayer, by varying the spray volumes between them: 100 and 150 L ha-1 in the conventional system and 30 and 50 L ha-1 using the auxiliary boom). The experiment was conducted in a randomized block design with five replications. A tracer was added to the solution containing the herbicide glyphosate, to be detected by spectrophotometry. Spray deposition on the weeds did not differ depending on the presence or absence of the auxiliary boom, nor the spray volumes, showing the feasibility of using spray volumes between 30 and 50 L ha-1 with the auxiliary boom. Soil losses were higher when the conventional spray boom was used. The efficacy of weed control was very good, regardless of the treatment used. <![CDATA[<b>Fatores ambientais e fisiológicos que afetam a eficácia de herbicidas inibidores da enzima protoporfirinogênio oxidase: revisão de literatura</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-83582014000200024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Herbicides that inhibit the enzyme protoporphyrinogen oxidase (PROTOX) are usually effective to control dicotyledonous weeds and their agronomic efficacy is affected by environmental and physiological factors. The objective of this review is to summarize the knowledge of those factors available in the scientific literature in the last decade. Environmental factors that influence PROTOX inhibitors include temperature, irradiance and relative humidity. The most relevant physiological factors are the activity of enzymes that can detoxify herbicides and also of enzymes that mitigate the effects of oxidative stress in plants. The study also suggests some possible management strategies that could optimize the activity of PROTOX-inhibiting herbicides.<hr/>Herbicidas inibidores da enzima protoporfirinogênio oxidase (PROTOX) têm eficácia no controle de plantas daninhas dicotiledôneas e a eficiência agronômica deles é influenciada por fatores ambientais e fisiológicos. O objetivo desta revisão foi sintetizar o conhecimento disponível na literatura científica mundial, na última década, sobre esses fatores. Entre os fatores ambientais que afetam esses herbicidas, destacam-se a temperatura, a irradiância e a umidade relativa do ar. Em se tratando dos fatores fisiológicos, destaca-se a presença de enzimas, as quais podem detoxificar os herbicidas ou aliviar os efeitos do estresse oxidativo em plantas. Por fim, apresentam-se algumas estratégias de manejo para otimizar a atividade dos herbicidas inibidores de PROTOX.