Scielo RSS <![CDATA[Brazilian Journal of Botany]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-840420020003&lang=en vol. 25 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Primary and secondary development of <i>Cyperus</i> <i>giganteus</i> Vahl rhizome (Cyperaceae)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en In Cyperus giganteus, like in other Monocotyledoneae, the protoderm, procambium, fundamental meristem and primary thickening meristem (PTM) are differentiated from the rhizome promeristem. The PTM produces the inner cortical parenchyma, endodermis, pericycle and amphivasal vascular bundles, which are formed by the procambium too. After the primary body differentiates, cellular divisions continue only in the pericycle, and originate an irregular vascular system with vessel elements shorter and more branched than those found in the primary growth. This change of activity in the pericycle defines a secondary growth, where the secondary thickening meristem (STM) is the pericycle itself.<hr/>Em Cyperus giganteus, como em outras monocotiledôneas, a partir do promeristema do rizoma diferenciam-se a protoderme, o procâmbio e o meristema fundamental e, ainda, o meristema de espessamento primário (MEP). Este último dá origem ao parênquima cortical interno, endoderme, periciclo e feixes vasculares anfivasais, os quais se formam também a partir do procâmbio. Após a diferenciação do corpo primário, apenas o periciclo permanece em divisão, formando um sistema vascular desalinhado, onde os elementos de vaso são mais curtos e mais ramificados do que aqueles do crescimento primário. Esta mudança de atividade do periciclo caracteriza o crescimento secundário, cujo meristema de espessamento (MES) é o próprio periciclo. <![CDATA[Floristic composition and structure of the vascular epiphyte component of a subtropical ombrophilous alluvial forest of Barigüi river, Paraná, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Structure and floristic composition of the vascular epiphyte component of a subtropical ombrophilous alluvial forest located along the Barigüi river, Southern Brazil (25&ordm;34' S and 49&ordm;20' W) is described. The qualitative survey was carried out in an8.6 ha area while the quantitative survey was done on 110 assorted trees. The surveyed trees were divided into tree strata (low trunk, high trunk and canopy). In each stratum, scores were given (one to three) for all of the occurring epiphytic species according to its abundance. We listed 49 vascular epiphytic species (16 Pteridophyta, 23 Liliopsida and 10 Magnoliopsida) from 28 genera spread into 12 families, however only 34 species were found for the quantitative survey. The richest families were Orchidaceae, Polypodiaceae and Bromeliaceae, while Pleurothallis, Tillandsia and Oncidium made up the richest genera. Areas presenting the closest floristic similarity with this survey are located in the Curitiba County, state of Paraná, Brasil. For the quantitative survey, Microgramma squamulosa (Kaulf.) de la Sota, Pleopeltis angusta Humb. & Bonpl. ex Kunth, Peperomia catharinae Miq.and Polypodium hirsutissimum Raddi were the most important species. The number of species found for single host-trees ranged from zero to 13 while scores for abundance (VA) ranged from zero to 24. The canopy presented the highest abundance with a VA equal to 622 (high trunk = 308 and low trunk = 110).<hr/>O estudo das epífitas vasculares foi realizado em floresta ombrófila mista aluvial do rio Barigüi, município de Araucária (25&ordm;34' S e 49&ordm;20' W); o levantamento qualitativo foi realizado em uma área aproximada de 8,6 ha. Para o estudo quantitativo foram sorteados 110 forófitos, divididos em três estratos (fuste baixo, fuste alto e copa). Em cada estrato foram atribuídas notas de abundância para as espécies epifíticas ocorrentes. No levantamento florístico foram encontradas 49 espécies (16 de Pteridophyta, 23 de Liliopsida e 10 de Magnoliopsida), das quais 34 foram observadas na amostragem quantitativa. As famílias e gêneros mais ricos foram: Orchidaceae, Polypodiaceae e Bromeliaceae, e Pleurothallis, Tillandsia e Oncidium. As áreas de maior similaridade florística com este estudo localizam-se no município de Curitiba (PR). As espécies mais importantes quantitativamente foram Microgramma squamulosa (Kaulf.) de la Sota, Pleopeltis angusta Humb. & Bonpl. ex Kunth, Peperomia catharinae Miq. e Polypodium hirsutissimum Raddi. Em um mesmo forófito, o número de espécies ocorrentes variou de zero a 13, enquanto a soma das notas de abundância para as epífitas variou de zero a 24. A copa apresentou a maior abundância de epífitos, seguido do fuste alto e do fuste baixo. <![CDATA[Comparison of two methods of plant phenology estimation, their interpretation and representation]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en This work compared two methods of plant phenological evaluation along with their graphical representation. The study was conducted at the Núcleo Picinguaba, Ubatuba, São Paulo State (23&ordm;22' S and 44&ordm;48' W), Brazil, in three Atlantic forest types: coastalplain, lowland, and premontane forest. Observations on flowering, fruiting, leaf fall and leaf flushing tree phenology were carried out monthly from November/1994 to April/1996. We compared i) the Fournier's percent index of intensity - the intensity of phenological events was estimated according to an interval scale varying from 0 to 4, with a 25% interval between classes; and ii) index of activity or percent of individuals. The index of activity and the Fournier's percent index of intensity provided distinct and complementary information, optimizing the data collection and making the analysis and interpretation of phenological patterns more simple and straightforward. We suggest the combined use of the two methods in the estimation and representation of species-level phenological data, and the proper differentiation between peak of activity and peak of intensity.<hr/>Este trabalho compara dois métodos de avaliação fenológica e sua representação gráfica. O estudo foi desenvolvido no Núcleo Picinguaba, Ubatuba, Estado de São Paulo (23&ordm;22' S e 44&ordm;48' W), em três formações florestais: floresta de restinga, floresta de planície e floresta de encosta. A floração, frutificação, queda de folhas e brotamento foram estimados mensalmente para cada indivíduo arbóreo, durante 18 meses. Foram comparados: i) percentual de intensidade de Fournier ou índice de intensidade: escala intervalar de cinco categorias de 0 a 4, com intervalo de 25% entre classes; e ii) índice de atividade ou porcentagem de indivíduos. O índice de atividade e o percentual de intensidade de Fournier forneceram informações distintas e complementares, facilitando a análise e interpretação do comportamento fenológico. Sugere-se que em estudos fenológicos populacionais sejam utilizados estes dois índices combinados para a análise e representação dos dados e que seja feita a distinção entre pico(s) de atividade e pico(s) de intensidade das fenofases. <![CDATA[Relationship between tree species distribution and topography in a forest gradient in the Panga Ecological Station (Uberlândia, MG)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en This research aimed to characterize the topography and to assess its relationship with the distribution of the 20 most abundant tree species sampled on a forest gradient (gallery, semideciduous forest and "cerradão") in the Ecological Station of Panga, municipality of Uberlândia, Minas Gerais, Brazil. Using a level tube, the differences in topographic levels were measured between points of 211 plots situated in eight transects. The forest gradient occurs on a predominantly convex slope, facing Northeast, with inclination ranging from about 4% on the top to more than 40% on lateritic outcrops at the bottom. The overlay of topographic and species distribution maps showed that species may be or are dependent, tolerant or intolerant to different levels of soil hydric saturation related to variations of topography. Other species showed association to edaphic factors and/or light condition at the forest edges or in gaps.<hr/>Objetivou-se caracterizar a topografia da área estudada e avaliar sua relação com a distribuição das 20 principais espécies arbóreas amostradas em um gradiente florestal (galeria, mesófila semidecídua de encosta e cerradão), na Estação Ecológica do Panga, município de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. Utilizando-se mangueira de nível, foram medidos os desníveis entre pontos de 211 parcelas distribuídas em oito transectos. O gradiente florestal situa-se sobre uma vertente predominantemente convexa, voltada para Nordeste, com inclinação de cerca de 4% no topo até mais de 40% sobre rochas na base da formação. A sobreposição de mapas (distribuição das espécies e topográfico) mostrou que algumas das espécies são influenciadas positiva ou negativamente às variações de umidade do solo ocasionadas pela topografia ocorrentes na mata de galeria, enquanto que outras mostram relação com outros fatores edáficos e/ou condições de luminosidade de bordas e clareiras. <![CDATA[Floristic and phytosociological study of an urban forest fragment - Bosque dos Alemães, Campinas, SP]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en The Alemães Wood is an urban-area of 2 ha of tropical semideciduous forest situated in Campinas, state of São Paulo, Brazil (22&ordm;53' S and 47&ordm;04' W, 685 m elevation). A census of the arboreal vegetation (PBH > or = 15 cm) was carried out, in which 1937 individuals were recorded, being 1851 alive and 86 standing dead. One hundred and five species were identified, distributed in 43 families and 67 genera; 80 are native species and 25 introduced ones. The Shannon index was estimated as 3.45 nats.ind.¹. The families with the highest richness were Leguminosae, Myrtaceae, Moraceae, Rutaceae, Euphorbiaceae, and Bignoniaceae. The species with the highest IVC were Cryptocarya aschersoniana Mez, Piptadenia gonoacantha (Mart.) Macbr., and Eucalyptus tereticornis Smith. The total IVC of the introduced species was 31.17. Of the native species, 17 presented only one individual and 44 less than six. This paper discusses the risk of structural and floristic changes with both the high IVC of introduced species and low density of the native ones. Based on these findings, some handling measures for the conservation of this remnant are proposed.<hr/>O Bosque dos Alemães situa-se no Bairro Guanabara, em Campinas, SP (22&ordm;53' S e 47&ordm;04' W, altitude 685 m) e é formado por 2 ha de floresta estacional semidecidual. Foi realizado o censo das espécies arbóreas com PAP > ou = 15 cm, em que foram plaqueados 1.937 indivíduos, 1.851 vivos e 86 mortos em pé. Foram identificadas 105 espécies, distribuídas em 43 famílias e 67 gêneros; 80 espécies são nativas e 25 introduzidas. O índice de diversidade de Shannon foi estimado em 3,45 nat.ind.¹. As famílias com maior riqueza foram Leguminosae, Myrtaceae, Moraceae, Rutaceae, Euphorbiaceae e Bignoniaceae. As espécies com maior IVC foram Cryptocarya aschersoniana Mez, Piptadenia gonoacantha (Mart.) Macbr. e Eucalyptus tereticornis Smith. A soma do IVC das espécies introduzidas foi de 31,17. Das espécies nativas, 17 apresentaram apenas um indivíduo e 44, menos do que seis. O estudo discute o risco de descaracterização estrutural e florística da vegetação face ao elevado IVC apresentado pelas espécies introduzidas e à baixa densidade de espécies nativas. De acordo com essa discussão são propostas algumas medidas de manejo para a conservação desse remanescente. <![CDATA[<B>Effect of abscisic acid on the mobilisation of galactomannan and embryo development of <I>Sesbania virgata</I> (Cav.) Pers. (Leguminosae - Faboideae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Galactomannans (GM) are storage cell wall polysaccharides present in endospermic seeds of legumes. They are thought to be storage polymers, since it has been observed for a few species (among them Sesbania virgata) that they are completely broken down after germination and their products are transferred to the growing embryo. We examined the effect of 10-4 M abscisic acid (ABA) on the degradation of galactomannan in isolated endosperms and intact seeds of S. virgata. We found that after seed germination the initial embryo growth was retarded. Ultrastructural analysis showed that the embryo is completely surrounded by an endosperm which displays very thick galactomannan-containing cell walls. Although an inhibitory effect has been observed on the increase of fresh mass of the embryo, the effect of ABA on the dry mass was weaker and transitory (from 48 to 96 h). Endosperm dry mass and galactomannan degradation were significantly inhibited and the activity of alpha-galactosidase was strongly affected. The addition of ABA before and/or after the start of mobilisation in intact seeds or isolated endosperms, showed that whereas addition before mobilisation did not affect dry mass decrease in intact seeds, it was strongly affected in isolated endosperms. On the other hand, whereas it affected embryo fresh mass increase in intact seeds, but not in isolated embryos, no significant effect was observed on dry mass. These results suggest that ABA affects galactomannan degradation and by doing so, prevents water absorption by the embryo, rather than affect its dry mass. As ABA has been detected in the endosperm of seeds of S. virgata, it is proposed that it probably acts as a modulator of galactomannan mobilisation and consequently synchronises it with early growth of the embryo.<hr/>As sementes de Sesbania virgata (Leguminosae - Faboideae) acumulam galactomanano no endosperma, o qual é degradado após a germinação e seus produtos de degradação são transferidos para o embrião em crescimento. Neste trabalho verificou-se que o ácido abscísico (ABA 10-4 M) retarda a germinação de sementes de S. virgata e inibe o crescimento do embrião. Sobre as massas fresca e seca deste, o ABA teve efeito transitório sobre o segundo e efeito drástico sobre o primeiro, sugerindo que sua ação seja na absorção de água pelo embrião em crescimento. Um efeito parcial do ABA foi verificado sobre a degradação do galactomanano e sobre a atividade de uma das enzimas de degradação, a alfa-galactosidase. O ABA atuou sobre a mobilização quando aplicado antes ou durante o período experimental e menos quando aplicado depois. O efeitos sobre a massa fresca do embrião foram similares aos observados para o endosperma, porém, não houve efeito sobre a massa seca do embrião. Quando endosperma e embriões isolados foram tratados de forma similar, observou-se efeito do ABA sobre a mobilização em todos os casos, mas sobre a massa fresca do embrião, este só foi verificado quando o ABA foi mantido durante todo o período experimental. Como houve uma grande diferença em massa fresca do embrião quando o endosperma foi retirado, concluiu-se que o galactomanano funciona mais como uma reserva de água do que de carbono para o embrião e que a ação do ABA parece ser principalmente na modulação da degradação do galactomanano e o processamento de seus produtos pelo embrião. <![CDATA[<b>Biologia reprodutiva de <i>Copaifera langsdorffii</i> Desf. (Leguminosae, Caesalpinioideae)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A survey on the phenology and reproductive biology of Copaifera langsdorffii Desf. was carried out in a cerradão area at Fazenda Capim Branco, Uberlândia, MG. Flowering occurs during the rain season and seed dispersal during the dry season. Flowers are pale-green, 0.5 cm in diameter, weakly zigomorphic and organized in paniculate inflorescences. They are highly odoriferous, one-day flowers. Anthesis begins at about 5:00 h. The nectar production is very small (0.2 ml) with 49% of sucrose equivalents. The most frequent flower visitors and pollinators were Apis mellifera, Scaptotrigona cf. depiles and Trigona spinipes bees. Controlled hand-pollinations showed that the species is mostly self-sterile and non-apomictic. However, pollen tubes were observed growing down to the ovary and penetrating the ovules in self-pollinated pistils, a fact which suggests late-acting self-sterility phenomena or inbreeding depression. Fruit-set was always low and related to low flower to fruit conversion, may be due to inefficient pollination and fruit predation.<hr/>Copaifera langsdorffii Desf. é uma espécie da família Leguminosae, subfamília Caesalpinioideae, de ampla distribuição no Brasil. O estudo da biologia reprodutiva desta espécie foi realizado numa área de cerradão aberto para pastagem da Fazenda Capim Branco, Uberlândia, MG. A espécie floresce durante o período das chuvas e dispersa suas sementes na época seca. As flores são branco-esverdeadas, com cerca de 0,5 cm de diâmetro, fracamente zigomorfas e estão reunidas em inflorescência paniculada. Apresentam um forte odor adocicado e duram apenas um dia. A antese inicia-se por volta das 5:00 h. Os recursos oferecidos aos visitantes são pólen e néctar. Produzem pouco néctar (0,2 ml) com concentração média de 49% de equivalentes de sacarose. Os visitantes mais freqüentes foram as abelhas Apis mellifera, Scaptotrigona cf. depiles e Trigona spinipes. Os resultados das polinizações manuais e o índice de incompatibilidade (ISI) indicam que a espécie é auto-incompatível e não apomítica. No entanto, foram observados tubos polínicos crescendo até o ovário e penetrando os óvulos em flores autopolinizadas, sugerindo a ocorrência de fenômenos de auto-esterilidade de ação tardia ou depressão endogâmica. A baixa produção de frutos está relacionada à pequena conversão de flores em frutos e também à predação dos frutos. <![CDATA[Phytosociological structure of a liana community in a seasonal semideciduous forest at Fazenda Canchim, São Carlos, SP]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A phytosociological research concerning liana vegetation has been accomplished at Fazenda Canchim - Embrapa/CPPSE. The forest under analysis, which is fragmented in two parts, covers an area of 112 ha, located at 21º57' S and 47º50'W. 75 plots of 10 × 10 m were studied where all liana individuals had at least 2.5 cm in diameter, measured 1.3 m above soil level. Five hundred and twenty eight individuals were found, all of which belonged to 45 species, representing a specific diversity (H') 3.20 nats. Most of the species were among the families Bignoniaceae, Malpighiaceae, Sapindaceae, and Apocynaceae, representing together 71.11% of all samples. The species with higher importance value (VI) was Mansoa difficilis (Cham.) Bureau & K. Schum. Most of the sampled individuals were small in diameter and four reached over 10 cm.<hr/>Foi realizado um estudo fitossociológico de lianas em uma floresta estacional semidecidual na Fazenda Canchim - Embrapa/CPPSE. A floresta formada por dois fragmentos, possui uma área total de 112 ha, localizada a 21º57' S e 47º50' W. Foram amostrados em 75 parcelas de 10 × 10 m todos os indivíduos de lianas que apresentavam diâmetro maior ou igual a 2,5 cm a uma distância de 1,3 m a partir da base do caule fixo no solo. Foram encontrados 528 indivíduos, pertencentes a 45 espécies, o que representou uma diversidade específica (H') de 3,20 nats. Bignoniaceae, Malpighiaceae, Sapindaceae e Apocynaceae foram as famílias com maior número de espécies e, juntas, representaram 71,11% do total amostrado. A espécie com maior valor de importância (VI) foi Mansoa difficilis (Cham.) Bureau & K. Schum. Os indivíduos amostrados apresentaram pequenos diâmetros e somente quatro tiveram diâmetros maiores que 10 cm. <![CDATA[Outcrossing rate and mating system of a natural population of <I>Copaifera langsdorffii</I> Desf. in the region of Lavras, MG, starting from isozyme]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A natural population of the tree species Copaifera langsdorffii Desf., commonly found in Brazil, was investigated by isozyme electrophoresis, aiming to determine the outcrossing rate and mating system. The population sampled is located along a stretch of the river Capivari in an area of preservation (Riparian Forest), between the towns of Lavras and Itumirim, south of Minas Gerais State, Brazil. Samples of leaf tissue were taken from 20 adult individuals and from 400 progenies for isozyme analysis. Five enzymatic systems were evaluated in adults (24 alleles average) and progenies (29 total alleles). The mating system of this population was approached by the Hardy-Weinberg equilibrium test (HWE) where it was found that most loci of the adult individuals is in the ratios of the HWE and most loci of the progenies is out of the it. The estimate of the average multilocus (t m) and unilocus outcrossing rate (t s) was respectively 0.917 and 0.877, pointing out the existence of self-fertilization (8%) in the population studied. The results obtained by isozymes analyses indicated also that the species Copaifera langsdorffii is predominantly alogamous. The population has relatively high genetic variation making this population of C. langsdorffii a valuable source for genetic conservation. The minimum area size estimated for the in situ conservation was 5.0 ha.<hr/>Uma população natural de Copaifera langsdorffii Desf., espécie arbórea comumente encontrada no Brasil, foi estudada por meio da eletroforese de isoenzimas, visando determinar a taxa de cruzamento e o sistema reprodutivo. A população amostrada localiza-se ao longo de um trecho do rio Capivari, em uma área de preservação permanente (floresta ciliar), entre os municípios de Lavras e Itumirim, sul do Estado de Minas Gerais, Brasil. Foram amostrados tecidos foliares de 20 indivíduos adultos da população e 400 indivíduos jovens (progênies) procedentes de sementes coletadas de 20 matrizes na população. Cinco sistemas enzimáticos revelaram 24 e 29 alelos totais para os indivíduos adultos e progênies, distribuídos em 12 locos. O sistema reprodutivo desta população foi inicialmente abordado pelo teste de Equilíbrio de Hard-Weinberg (EHW), tendo-se verificado que a maioria dos locos dos indivíduos adultos encontra-se nas proporções do EHW e a maioria dos locos das progênies encontra-se fora do EHW. A estimativa da taxa de cruzamento multilocos (t m) e unilocos (t s) média foi, respectivamente 0,917 e 0,877 indicando a existência de autofecundação (8%) na população estudada. Os resultados obtidos indicaram também que a espécie Copaifera langsdorffii é de reprodução mista predominantemente alógama. A população estudada mostrou-se potencial para fins de conservação in situ. A área mínima estimada para conservação in situ foi de 5,0 hectares. <![CDATA[Distribution and anatomical characterization on the foliar colleters of <I>Prestonia coalita </I>(Vell.) Woodson (Apocynaceae)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A structural study on the foliar colleters of Prestonia coalita (Vell.) Woodson was conducted in order to establish their number and positions, to describe their structure, to determine in which stage of leaf development secretion starts and to comprove the presence of mucilage in its secretion. Each node presented 14-18 intrapetiolar colleters, whose differentiation occurs in the early stages of leaf development, and secretion occurs in leaf primordia with 5-8 mm length. Colleters are constituted by a long head that includes a central core of parenchymatous cells, surrounded by one layered palisade secretory epidermal cells, and a short stalk devoid of any epidermal secretory cells. Multicellular hairs and vascular tissue were observed only in intermediary colleters, which correspond with modified stipules.These structures' identification as colleters is confirmed by the presence of mucilage in secretion. The stipular nature of most colleters is confirmed, while only central colleters are originated from leaf axil.<hr/>Um estudo estrutural dos coléteres foliares de Prestonia coalita (Vell.) Woodson foi realizado com a finalidade de definir o número e a posição ocupada pelos coléteres, caracterizar a sua estrutura, determinar o estádio de desenvolvimento da folha em que eles se encontrem em fase secretora e comprovar a presença de mucilagem na secreção por eles produzida. Em cada nó, 14-18 coléteres intrapeciolares são observados; sua diferenciação ocorre nos estádios iniciais do desenvolvimento foliar e a atividade secretora em primórdios com ca. 5-8 mm de comprimento. Os coléteres são constituídos por uma longa cabeça, formada por um núcleo central de células parenquimáticas rodeado por epiderme uniestratificada secretora em paliçada, e um curto pedúnculo, no qual as células epidérmicas não secretoras apresentam formato cúbico a retangular. Tricomas multicelulares tectores e tecido vascular estão presentes apenas nos coléteres intercalares, que correspondem às estípulas modificadas. A identificacão destas estruturas como coléteres é comprovada devido à presença de mucilagem na secreção. A natureza estipular da maioria dos coléteres é confirmada, enquanto apenas os centrais são originados na região axilar da folha. <![CDATA[Pollination and floral biology of <I>Clusia arrudae</I> Planchon & Triana (Clusiaceae) in Serra da Calçada, Brumadinho, MG]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300011&lng=en&nrm=iso&tlng=en The floral biology and pollination of Clusia arrudae was studied at "Serra da Calçada". C. arrudae does not present apomixis even when resin is deposited on the stigma. Fruits developed from flowers manually pollinated produced more seeds (6.3 per locule in average) than fruits developed from flowers naturally pollinated (4.3 seeds per locule). Blooming of C. arrudae peaks between December and mid-February. Male and female individuals of C. arrudae produce flowers daily; however, each three days there is a synchronized anthesis peak within the population. Sexual rate in the population is 1:1, with male plants producing more flowers than female. Male flowers produce about 11 × 10(6) pollen grains along the three day anthesis. Most of them (about 66%) are presented on the first day. The stigmas of female flowers remain receptive for three days or four days when pollination does not happen in the first three days. Flowers of C. arrudae were visited by six species of bees for pollen or resin collection. Workers of Apis mellifera and Trigona spinipes, and females of Xylocopa frontalis and Neocorynura sp. visited male flowers for pollen; workers of Trigona spinipes also visited female flower for resin collection. Workers of Melipona quadrifasciata and females of Eufriesea nigrohirta were observed collecting resin on both male and female flowers. Due to its frequency and behavior on flowers of both sexes, E. nigrohirta is the main pollinator of C. arrudae at "Serra da Calçada".<hr/>A biologia floral e a polinização de Clusia arrudae foi estudada na Serra da Calçada. C. arrudae não apresenta apomixia mesmo com a deposição de resina nos estigmas. Frutos desenvolvidos a partir de flores polinizadas manualmente produziram mais sementes (6,3 sementes por lóculo) do que frutos desenvolvidos a partir de flores polinizadas naturalmente (4,3 sementes por lóculo). O pico de floração ocorre de dezembro a meados de fevereiro. Plantas masculinas e femininas produzem flores diariamente; todavia, a cada três dias ocorre um pico de anteses que é sincronizado na população. A razão sexual da população é de 1:1, com plantas masculinas produzindo uma maior quantidade de flores que plantas femininas. Flores masculinas produzem cerca de 11 × 10(6) grãos de pólen no decorrer de três dias. A maioria dos grãos (66%) é apresentada no primeiro dia. Os estigmas das flores femininas permanecem receptivos por três dias ou quatro dias quando não ocorre polinização entre o primeiro e o terceiro dias. Flores de C. arrudae foram visitadas por seis espécies de abelhas para coleta de pólen e/ou resina. Operárias de Apis mellifera e Trigona spinipes, fêmeas de Xylocopa frontalis e Neocorynura sp. visitaram flores masculinas para coleta de pólen; operárias de T. spinipes foram também observadas coletando resina em flores femininas. Operárias de Melipona quadrifasciata e fêmeas de Eufriesea nigrohirta foram observadas coletando resina em flores femininas e masculinas. Devido à sua freqüência e comportamento nas flores femininas e masculinas, E. nigrohirta é o polinizador principal de C. arruda na Serra da Calçada. <![CDATA[Phenology of leguminous trees in an area of cerrado in the northeast of Maranhão]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000300012&lng=en&nrm=iso&tlng=en The phenological patterns of trees from cerrado, savannah and others seasonally dry forest are not well known and causes for observed periodicity are still obscure; it is said to be caused either by abiotic factors like precipitation or to biotic ones or even both, or also enforced by phylogenetic restriction. In an area of cerrado in the far northeast of Maranhão, the ten most frequent leguminous trees were monitored during twenty-two months. The phenological records were made montly in a sample of ten individuals of each species. Either vegetative or reproductive growth are periodical and seasonal events and in the most species flowering occur during the dry season simultaneous to leaves renewal. Most species produce fruits during the wet period and the propagules are dispersed almost exclusively during the dry one. Tree phenological patterns are discernible: species that renew their leaves and bloom early during the dry season, fruiting and dispersing their propagules at the same season (1), species that renew their leaves late in the dry season, flowering at this time (2) or flowering during the wet season (3), fruiting in the wet period and dispersing their propagules during the following dry one. Periods of vegetative growth and dormancy seem to occur alternately more synchronised with variation of the photoperiod, thermoperiod, and irradiance, than seasonal variations of water availability. Phenological patterns, flowering and fruting periods vary inter and intra families considered as monophyletic, being the only convergence, at this taxonomic level, the synchronisation of thepropagules dispersal in the dry season. The vegetative reproduction does not seem to be a common event in the leguminous species studied.<hr/>Os padrões fenológicos da vegetação arbórea do cerrado, savanas e demais formações florestais periodicamente secas ainda são pouco conhecidos, assim como são ainda obscuras as causas da periodicidade observada, ora atribuída a fatores abióticos, ora a fatores bióticos, ou a ambos, ou ainda determinada por restrição filogenética. Em uma área de cerrado marginal no extremo nordeste do Maranhão foram estudadas, durante vinte e dois meses, as dez espécies de leguminosas arbóreas mais freqüentes. As observações foram mensais em uma amostra de dez indivíduos por espécie. Nestas leguminosas, tanto o crescimento vegetativo quanto o reprodutivo são eventos periódicos e sazonais e, na maioria das espécies, a floração ocorre durante a estação seca sendo simultânea à renovação das folhas. Três padrões fenológicos podem ser distinguidos: espécies que renovam suas folhas e florescem precocemente na seca, frutificam e dispersam seus propágulos ainda nesta estação (1), espécies que renovam suas folhas tardiamente na seca e florescem nesta ocasião (2) ou florescem na estação chuvosa (3), frutificando na estação chuvosa e dispersando seus propágulos na seca subseqüente. Períodos de atividade de crescimento vegetativo e dormência alternam-se, aparentemente mais sincronizados com as variações no fotoperíodo, termoperíodo e irradiância do que com as variações sazonais na disponibilidade hídrica. Os padrões fenológicos assim como os períodos de floração e de frutificação variam entre as famílias consideradas como monofiléticas, sendo a única convergência neste nível taxonômico a sincronização da dispersão de propágulos com a estação seca. A reprodução vegetativa parece não ser um evento comum nas leguminosas estudadas.