Scielo RSS <![CDATA[Brazilian Journal of Botany]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0100-840420060003&lang=en vol. 29 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Editorial</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Distribution and abundance of tree species of savanna woodland in Pantanal wetlands, Mato Grosso do Sul State, Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os cerradões no Pantanal ocorrem em áreas não inundáveis da planície e são importantes para a economia regional. Das áreas de cerradão são retiradas madeiras para construção de cercas, currais e galpões. Apesar da grande importância dos recursos vegetais do cerradão, existem poucas informações para embasar sua conservação e uso sustentável. Este trabalho teve como objetivos estudar a abundância, a distribuição das espécies arbóreas e correlações com a fertilidade do solo em áreas de cerradão (savana florestada) do Pantanal Sul Mato-grossense. Foram estudadas seis áreas de cerradão na sub-região da Nhecolândia, por meio de 30 pontos quadrantes, totalizando 120 árvores amostradas, com circunferência a altura do peito (CAP) > 15 cm, em cada área. As comparações florísticas, de abundância das espécies e de fertilidade do solo, foram efetuadas por análises de componentes principais (PCA). As áreas mostraram-se heterogêneas, apresentando diferentes níveis de fertilidade do solo, estrutura e composição da vegetação. Dois cerradões foram agrupados em termos de fertilidade do solo e de estrutura da vegetação, apresentando muitas árvores de Qualea grandiflora Mart., espécie que ocorreu associada a solos com maiores teores de fósforo. Outros dois cerradões apresentaram composição florística mais semelhante que os demais, apesar de ocorrerem em solos com diferentes níveis de fertilidade, indicando perturbação antrópica.<hr/>The woodland savannas occupy non-flooding areas in the Pantanal wetlands and are an important resource for regional economy. Even though, wood from woodland savannas are cut and used for fences, pens, and sheds in the farm, there are not much information from woodland savannas regarding sustainable uses and conservation. This study investigated the abundance, the distribution of species and correlations with soil fertility in six areas of woodland savanna ("cerradão") in Southern Pantanal wetlands. The survey was accomplished by means of 30 point-centred quarters in each area, totalling 120 trees sampled with the circumference at breast height (CBH) > 15 cm. The association between floristic composition, abundance of species and soil fertility were determined by the principal components analysis (PCA). Savanna forests are very heterogeneous, presenting different levels of soil fertility as well as vegetation structure and composition. Two of them were clustered according to soil fertility and vegetation structure, they both presented large stands of the tree Qualea grandiflora Mart., species that seems to prefer soil with larger phosphorous quantity. Two other areas of savanna forests showed similar floristic composition, despite being in areas where the soil presented different levels of fertility, pointing out the human disturbance. <![CDATA[<B>Sexual structure and reproductive ecology of <I>Amaioua guianensis</I> Aubl. (Rubiaceae), a dioecious species of "cerrado" woody plant formations</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en A biologia reprodutiva de Amaioua guianensis foi estudada numa área de Mata no Parque do Sabiá, Uberlândia, MG, Brasil, entre setembro de 2003 e abril de 2005. Foram investigados a fenologia, o sistema reprodutivo, a morfologia floral, o conjunto de polinizadores e dispersores, e a estrutura sexual dos indivíduos reprodutivos. Amaioua guianensis é uma espécie arbórea dióica comum em formações florestais brasileiras. Suas flores são hexâmeras, tubulares, esbranquiçadas e odoríferas, polinizadas por vetores relativamente especializados como grandes abelhas e esfingídeos. Flores pistiladas produziram néctar mais precocemente e em maior volume que as estaminadas. As estaminadas foram produzidas em maior número por inflorescência e eram significativamente maiores que as pistiladas. As flores eram dispostas em inflorescências terminais, umbelas compostas nas masculinas e simples nas femininas. Ambos os morfos apresentaram estruturas sexuais não funcionais do morfo oposto, contudo, o estilete nas flores masculinas parece funcionar como pseudo-estame, um mecanismo de apresentação secundária de pólen comum na tribo Gardenieae, porém ainda não descrito para a espécie. A razão sexual foi de 1,49 a favor de indivíduos masculinos, e a população apresentou distribuição agrupada dos morfos sexuais. Ambos os casos provavelmente ocorrem como conseqüências de perturbação e reprodução vegetativa. A taxa de flores polinizadas naturalmente foi de 98,6% e de produção de frutos 75,7%. A produção de frutos por apomixia foi muito baixa (3,4%). Os frutos foram dispersos efetivamente por aves. A morfologia floral associada à fauna de polinizadores relativamente especializados tornou o serviço de polinização e produção de frutos muito eficaz, mesmo nas condições de perturbação da área estudada.<hr/>The breeding biology of Amaioua guianensis was studied in a forest area at Parque do Sabiá in Uberlândia, MG, Brazil, between September 2003 and April 2005. Phenology, breeding system, flower morphology, pollinator and disperser's assemblages, and sexual structure of the reproductive individuals were investigated. Amaioua guianensis is a woody dioecious species common in Brazilian forest areas. Flowers are hexamerous, tubular, whitish and odoriferous, pollinated by relatively specialized vectors as large bees and hawkmoths. Pistilate flowers produced nectar earlier and in larger amounts than the staminate ones. Staminate flowers were produced in larger numbers per inflorescence and were significantly larger than the pistilate ones. Flowers were presented in terminal inflorescences, composite umbels in the staminate and simple ones in pistilate individuals. Both male and female flowers produced non-functional sexual structures of the opposite morph, but the style of male flowers act as a pseudo-stamen, a secondary pollen presentation mechanism which is common in the tribe Gardenieae but had not been described previously to the species. Sexual ratio was significantly male biased and gender was distributed contagiously in the area, probably due in both cases to vegetative multiplication and disturbance. Natural pollination was as high as 98.6% and fruit set was 75.7%. Apomictic fruit production was very low (3.4%). Fruits were dispersed by birds. Floral morphology and relatively specialized pollinator's fauna rendered efficient pollination service and fruit production in the species even in the relatively disturbed study area. <![CDATA[<B>Periphytic algal community succession in a tropical oligotrophic reservoir (São Paulo, Brazil)</B>: <B>comparison between dry and rainy periods</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho visou avaliar a influência da escala temporal (sucessional e sazonal) sobre a biomassa, diversidade e estrutura específica da comunidade de algas perifíticas em reservatório oligotrófico tropical. A sucessão foi acompanhada em períodos seco e chuvoso com amostragens regulares a cada três dias, durante 27 dias, incluindo 16 variáveis abióticas e atributos do perifíton sobre substrato artificial. A clorofila-a foi baixa e similar entre períodos, porém com maiores perdas na época chuvosa. A diversidade foi elevada (3,4 a 4,5 bits ind-1) e relativamente estável entre períodos e durante a sucessão. As clorofíceas foram a classe mais abundante em quase toda sucessão, com destaque para Chlamydomonas planctogloea Skuja que contribuiu em média com 23% (seca) e 37% (chuva) da densidade total. A análise integrada entre as espécies e os fatores ambientais mostrou que a principal fonte de variabilidade ocorreu em função do período climático. Oocystis lacustris Chodat e Gymnodinium sp. apresentaram estreita associação com o período seco e aos menores valores de temperatura, amônio e maiores de pH, oxigênio dissolvido e fósforo total. Ao período chuvoso associaram-se Frustulia rhomboides (Ehr.) de Toni var. rhomboides e Cosmarium majae Strom correlacionadas de forma inversa às variáveis ambientais citadas. A estrutura do perifíton foi primordialmente controlada pela escala climática, sendo que os processos autogênicos sucessionais tiveram papel secundário. As associações de espécies de algas e o processo de acumulação de biomassa foram os atributos mais sensíveis a esta variação. Tais resultados contribuem para o escasso conhecimento sobre a estruturação do perifíton de reservatórios oligotróficos, servindo de referência para avaliação de sistemas tropicais alterados pela eutrofização.<hr/>This study aimed at evaluating the time scale influence (successional and seasonal) on the periphyton biomass, diversity, and algal community structure in a tropical oligotrophic reservoir, southeast Brazil. Succession process was followed during dry and rainy periods by every 3-day samplings over 27 days, and included 16 abiotic variables and periphyton properties on artificial substrate. Chlorophyll-a values were low and similar between periods, however, with the highest loss rates observed during the rainy season. Shannon diversity was high (3.4-4.5 bits ind-1) and relatively stable among periods and along the entire succession. Chlorophyceae was the most abundant class over succession, mainly represented by Chlamydomonas planctogloea Skuja that contributed with 23% (dry) and 37% (rainy) of the mean total density. Integrated analysis of species and environmental variables revealed climatic period as the main driving force on periphyton structure. Oocystis lacustris Chodat and Gymnodinium sp. were associated with dry period and lower temperature and ammonium values, as well as with higher pH, dissolved oxygen, and total phosphorus levels. Frustulia rhomboides (Ehr.) de Toni var. rhomboides and Cosmarium majae Strom were associated with rainy season and, inversely, to the dry season abiotic variables. Periphyton community was mainly controlled by the climatic period, the autogenic succession being of less importance. Photosynthetic biomass accrual process and periphytic algal species assemblages were more sensitive to such variation. Present results contribute to a better understanding of the periphyton community structuring in oligotrophic reservoirs, providing a reference for changes in degraded tropical systems. <![CDATA[<B>Pollination by hummingbirds in a "caatinga" area in Pernambuco State, northeastern Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foram estudadas plantas ornitófilas em uma área de caatinga da Reserva Particular do Patrimônio Natural Cantidiano Valgueiro (8º36'00" S e 38º34'5" W) em Pernambuco, Nordeste do Brasil, no período de julho de 2002 a junho de 2003. Oito espécies ornitófilas foram registradas no período de estudo, distribuídas em sete gêneros e cinco famílias. Cactaceae foi a família com maior número de espécies polinizadas por beija-flores, sendo representada por três espécies, seguida de Bromeliaceae, com duas espécies. Foram registradas espécies em floração durante todo o ano. Com exceção de Bromelia laciniosa Mart. ex Schult. f. e Neoglaziovia variegata (Arruda) Mez (Bromeliaceae), todas as demais espécies tiveram pico de floração no período seco. Metade das espécies ornitófilas da comunidade estudada apresentou hábito herbáceo. A maioria das espécies apresentou flores vermelhas (62,5%), sendo o tipo tubo registrado em todas as espécies. O comprimento médio do tubo da corola foi 20,2 ± 5,6 mm, a concentração de açúcares no néctar variou de 18% a 33,5% e o volume de 22 a 41 µL. Cinco espécies de beija-flores foram registradas visitando as flores da comunidade estudada, das quais apenas uma foi residente. Chlorostilbon aureoventris (d'Orbigny & Lafresnaye, 1838), devido ao seu comportamento e freqüência de visita, foi considerada como a espécie dominante da comunidade. Comparações com estudos semelhantes evidenciaram que o número de espécies de plantas ornitófilas que floresceram no período de estudo na Reserva foi expressivamente menor do que o encontrado em estudos em remanescentes de Mata Atlântica e áreas neotropicais em geral. Além disso, uma espécie de Trochilinae, e não de Phaethornithinae, atuou como organizadora da comunidade.<hr/>Ornithophilous plants were studied in a caatinga area (8º36'00" S and 38º34'5" W) in the State of Pernambuco, Northeast of Brazil, from July 2002 to June 2003. Eight ornithophilous species, belonging to five families and seven genera, were registered in the studied community. Cactaceae was the most representative family, with three species pollinated by hummingbirds, followed by Bromeliaceae with two species. Excepting for Bromelia laciniosa Mart. ex Schult. f. and Neoglaziovia variegata (Arruda) Mez (Bromeliaceae), the remaining species had flowering peak in the dry season. Fifty percent of the species have herbaceous habit, followed by shrubs (37.5%). Most species have red flowers (62.5%) and all of them have tubular flowers with corolla length of 20.2 ± 5.6 mm. Sugar concentration in the nectar varied from 18% to 33% and the volume from 22 to 41 µL. There were species flowering throughout the whole year. Five hummingbird species visited the flowers in the community and only one was considered resident. Chlorostilbon aureoventris (d'Orbigny & Lafresnaye, 1838), due to its frequency and visiting behaviour, was considered as the dominant species. The number of ornithophilous species is lower than those found in other ecosystems as, for example, in the Atlantic forest remnants and some other Neotropical areas. Furthermore, a Trochilinae hummingbird, and not a Phaethornithinae, acted as the "community organizer" species. <![CDATA[<B>Isolation of xyloglucan oligossacharides from dicots using enzymatic hydrolyses and gel permeation chromatography</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Oligossacarídeos derivados do xiloglucano, um polissacarídeo constituinte da parede celular vegetal, vêm sendo considerados como moléculas capazes de sinalizar e/ou regular eventos relacionados ao crescimento e à expansão celular. A purificação desses oligossacarídeos é imprescindível para a realização de ensaios relativos à sua atividade biológica. Neste trabalho, xiloglucanos foram extraídos a partir de sementes de copaíba (Copaifera langsdorffii Desf.) e suspensões celulares de feijão (Phaseolus vulgaris L.) e hidrolisados com celulase (endo-glucanase) para obtenção dos oligossacarídeos de xiloglucano, os OXGs. Os resultados obtidos mostram que a técnica de cromatografia dupla em gel de exclusão molecular foi eficiente para purificação dos oligossacarídeos, apresentando OXGs dos tipos XLLG e XXXG com grau de pureza próximo a 90%, e do tipo XXFG próximo de 80%.<hr/>Oligosaccharides from xyloglucan, a plant cell wall polysaccharide, have been considered as signaling molecules capable of regulating cell growth and expansion. The purification of such oligosaccharides is an essential requirement to evaluate their biological activity. In the present work, xyloglucans extracted from seeds of copaiba (Copaifera langsdorffii Desf.) and bean cell suspension cultures (Phaseolus vulgaris L.) were hydrolyzed with cellulase (endo-glucanase) to obtain xyloglucan oligosaccharides (OXGs). The OXGs were separated by gel permeation chromatography and analysed by high performance anion exchange chromatography with pulse amperometric detector (HPAEC/PAD). The results indicate that these procedures were suitable for purification of OXGs since XLLG and XXXG were 90% and XXFG 80% pure, showing the expected biological activity. <![CDATA[<B>Phytoplankton in three lateral lakes and in the Paranapanema River in its mouth zone into Jurumirim Reservoir, São Paulo, Brazil, during a long drought period</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Durante um período de desconexão (de outubro de 1999 a dezembro de 2000) entre lagoas laterais e o Rio Paranapanema, a estrutura da comunidade fitoplanctônica e suas alterações foram examinadas em amostras coletadas trimestralmente nas zonas litoral e pelágica. Um total de 183 táxons de algas foi encontrado, sendo a comunidade predominante constituída por Chlorophyceae e Bacillariophyceae no Rio Paranapanema e em um ambiente lacustre permanentemente isolado, e por Bacillariophyceae e Chlorophyceae em duas outras lagoas. Ao longo do ano, diminuição na riqueza de espécies foi encontrada somente no ambiente lêntico com maior perda de conectividade. Cryptophyceae foi abundante (densidades maior que a densidade média do fitoplâncton) nas três lagoas, zonas e épocas do ano, exceto na zona litoral da lagoa com maior perda de conectividade em novembro de 1999. No Rio Paranapanema, Cryptophyceae predominou em mês chuvoso (fevereiro), sendo os índices de diversidade mais elevados nos demais períodos. A seca severa acarretou redução significativa do volume e área de superfície das lagoas, uma delas, a lagoa isolada, sendo extinta no último período de amostragem. Somente, nesta última, um efeito de concentração na abundância do fitoplâncton foi evidente. O predomínio em densidade de Cryptomonas brasiliensis Castro, C. Bic. & D. Bic., Chroomonas spp. e Chlamydomonas spp. nas três lagoas foi atribuído às condições adversas para o desenvolvimento das demais algas. A baixa profundidade, a grande quantidade de sedimentos suspensos na água após episódios de ventos fortes e, em conseqüência, a extinção acentuada da luz, foram fatores limitantes para as algas não adaptadas a essas condições, a despeito das concentrações favoráveis de nutrientes. No Rio Paranapanema, as alterações temporais na estrutura da comunidade fitoplanctônica parecem estar associadas a flutuações de velocidade e fluxo de água bem como ao nível hidrológico.<hr/>During a disconnection period (from October 1999 to December 2000) between lateral lakes and the Paranapanema River, the temporal changes on structure of phytoplankton community were examined in samples collected every three months, at the littoral and pelagic zones. A total of 183 algae species was found, being the community predominantly constituted by Chlorophyceae and Bacillariophyceae in the Paranapanema River and in an unique continuously isolated lake; and by Bacillariophyceae and Chlorophyceae in the other two lakes. During the year, a decrease on species richness was only found in the lentic ecosystem with higher connectivity loss. The algae Cryptophyceae were abundant (density higher than mean abundance of phytoplankton) in the three lakes, at both zones and during all the year, except at the littoral zone of the lake with higher loss connectivity in November 1999. In the Paranapanema River, Cryptophyceae predominated during a rainy month (February), being the diversity indexes lower than in the other sampling periods. The severe drought conducted to a significant reduction of volume and surface area of the lakes and, one of them, the isolated lake, was completely extinct in the last study period. Only in this lentic ecosystem, a concentration effect on the abundance of phytoplankton was recorded. The predominance of Cryptomonas brasiliensis Castro, C. Bic. & D. Bic., Chroomonas spp. and Chlamydomonas spp., in the three lakes was attributed to the adverse conditions for the development of other algae. Low depth, great amount of sediments in water ressuspended after windy episodes and, in a consequence, high light extinction were the limiting factors for the algae unadapted to these conditions, despite the adequate nutrient contents. In the Paranapanema River, the temporal alterations on the structure of phytoplankton community appear to be linked to water velocity and flux together with hydrological level. <![CDATA[<B>Evidence of natural hybridization and introgression in <I>Bulbophyllum involutum</I> Borba, Semir & F. Barros and <I>B. weddellii</I> (Lindl.) Rchb. f. (Orchidaceae) in the Chapada Diamantina, Brazil, by using allozyme markers</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Hybridization between B. involutum and B. weddellii (Orchidaceae) has been first observed in the Serra do Cipó, Minas Gerais State, Brazil, the hybrid being described as B. &times;cipoense Borba & Semir. In this study, allozime electrophoresis was used to test the hypothesis of occurrence of hybridization between these two species, as suggested by morphological characters, in the Chapada Diamantina, Bahia State, Brazil. The lack of a diagnostic locus does not allow definite confirmation of the natural hybridization, although this hypotheses is reinforced by the absence of exclusive alleles in the putative hybrid individuals. The existence of several different genotypes points out to either population derived from multiple hybridization events or the hybrids produced offspring. Homozigosity in some morphologically intermediate individuals of alelles which are exclusive to B. involutum and high genetic similarity between them reinforce the hypotheses of introgression in B. involutum, but not in B. weddellii. Genetic variability observed in B. weddellii (He = 0.21) and B. involutum (He = 0.35) is high. Bulbophyllum weddellii and B. involutum presented very high genetic similarity values (0.94). These species, although vegetatively similar, have been placed in different sections based on floral morphology. The results suggest that these species may be more related than previously supposed.<hr/>Hibridação entre B. involutum e B. weddellii (Orchidaceae) foi observada pela primeira vez na Serra do Cipó, Estado de Minas Gerais, Brasil, o híbrido sendo descrito como B. ×cipoense Borba & Semir. Neste estudo, foi utilizada eletroforese de alozimas para testar a hipótese de ocorrência de hibridação entre estas espécies, como sugerido por caracteres morfológicos, na Chapada Diamantina, Estado da Bahia, Brasil. A falta de um locus diagnóstico não permite confirmação definitiva da hibridação natural, embora esta hipótese seja reforçada pela ausência de alelos exclusivos nos indivíduos supostamente híbridos. A existência de vários genótipos diferentes indica que ou a população é derivada de múltiplos eventos de hibridação, ou que os híbridos estão se reproduzindo. Homozigose em alguns indivíduos morfologicamente intermediários de alelos exclusivos à espécie B. involutum e a elevada similaridade genética entre eles reforçam a hipótese de introgressão em B. involutum, mas não em B. weddellii. A variabilidade genética observada em B. weddellii (He = 0,21) e B. involutum (He = 0,35) é elevada. Bulbophyllum weddellii e B. involutum apresentaram valor de similaridade genética muito elevado (0,94). Estas espécies, embora vegetativamente muito similares, têm sido colocadas em diferentes seções baseado na morfologia floral. Os resultados encontrados sugerem que estas espécies são mais relacionadas do que previamente suposto. <![CDATA[<B>Reproductive biology and pollination of two species of <I>Polystachya </I>Hook. in southeastern Brazil</B>: <B>evidence of pseudocleistogamy in Polystachyeae (Orchidaceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A fenologia, a biologia floral e reprodutiva, e o sucesso reprodutivo de Polystachya estrellensis Rchb. f. e P. concreta (Jacq.) Garay & H.R. Sweet foram estudados em matas mesofíticas semidecíduas da Serra do Japi (Jundiaí, SP), e na planície litorânea de Picinguaba (Ubatuba, SP), respectivamente. Ambas as espécies florescem no verão. Elas são principalmente epífitas e produzem inflorescências terminais com até 150 flores não ressupinadas. As flores exalam odor cítrico suave, principalmente nas horas mais quentes do dia. Ambas as espécies foram polinizadas por pequenas abelhas nativas, solitárias e sociais, que coletam pseudopólen do labelo das flores. O polinário é depositado na face frontal da cabeça das abelhas, enquanto elas recolhem pseudopólen. Tanto P. estrellensis como P. concreta são autocompatíveis. A maioria das flores de P. estrellensis (96,7%) é cleistógama, enquanto P. concreta produz apenas flores casmógamas. As flores cleistógamas de P. estrellensis apresentam tamanho e número dos elementos florais igual ao das flores casmógamas, fenômeno conhecido como pseudocleistogamia. Todas as flores de P. concreta, assim como as flores casmógamas de P. estrellensis, necessitam de um polinizador para transferência de pólen. A taxa de frutificação de P. estrellensis em condições naturais é maior que em P. concreta, principalmente por causa do grande número de flores pseudocleistógamas produzidas. Em matas mesofíticas semidecíduas da Serra do Japi, onde a taxa de frutificação de várias espécies de orquídeas é baixa, principalmente devido à escassez de polinizadores, a estratégia apresentada por P. estrellensis é um fator que contribui para o sucesso reprodutivo da espécie, comparado com as Epidendroideae não autógamas que ocorrem na região.<hr/>Phenology, floral biology, pollinators, breeding system and natural fruit set of Polystachya estrellensis Rchb. f. and P. concreta (Jacq.) Garay & H. R. Sweet were studied in mesophytic forests at Serra do Japi, and in mangroves at a seashore plain at Picinguaba, respectively. Both study areas are natural reserves in southeastern Brazil. Both species flower in summer, are epiphytes and produce terminal inflorescences with up to 150 non-resupinate flowers. The flowers produce a citric fragrance, mainly in the warmest hours of the day. Both species are pollinated by solitary and social small native bees, which collect pseudopollen from the lip of the flowers. The pollinarium is placed frontally on the head of the bees, when they are collecting pseudopollen. Polystachya estrellensis and P. concreta are self-compatible. The majority of flowers of P. estrellensis (96,7%) is cleistogamous, while P. concreta produces only chasmogamous flowers. The cleistogamous flowers of P. estrellensis present dimensions and number of floral elements identical to the chasmogamous, a phenomenon called pseudocleistogamy. The chasmogamous flowers of P. estrellensis, as well as all flowers of P. concreta are pollinator dependent. The natural fruit set of P. estrellensis was higher than that of P. concreta as a consequence of pseudocleistogamy. In mesophytic forests of the Serra do Japi, in which the fruit set of several orchid species is low, mainly because of pollinator scarcity, the strategy presented by P. estrellensis is an important factor that increases the reproductive success of this species, compared with to the non-autogamous members of Epidendroideae that occur in the same region. <![CDATA[<B>Sexual reproduction of <I>Dyckia tuberosa</I> (Vell.) Beer (Bromeliaceae, Pitcairnioideae) and plant-animal interaction</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Bromeliaceae é um componente importante em vários Biomas, sendo notável a variedade de contextos ecológicos em que pode ser encontrada. Ocorre no grupo a combinação entre dois modos de reprodução: sexuada e propagação clonal. Neste estudo descrevemos vários atributos relacionados à reprodução sexuada de Dyckia tuberosa, bem como interações planta-animal que se estabelecem em suas estruturas reprodutivas. Ao longo de 11 meses, 55 % dos indivíduos na população estudada floresceram e frutificaram. As flores se desenvolvem da base para o ápice e apresentam diferenças morfométricas quanto à posição na inflorescência que acarretam diferenças na produção de sementes. A concentração de açúcares no néctar foi de 20% e a produção total de néctar foi de c. de 24 µL flor-1 dia-1, sendo esta última maior no período da manhã entre 8h00 e 9h00. Dyckia tuberosa é auto-incompatível e o índice de auto-incompatibilidade (ISI) foi de 0,08. Somente beija-flores exploraram as flores de modo legítimo, contatando anteras e estigma, sendo 3,9 flores visitadas por hora. Chlorostilbon aureoventris, Colibri serrirostris e Phaethornis eurynome foram as espécies registradas. Em D. tuberosa a reprodução sexuada depende das visitas dos beijaflores. Houve patrulhamento das inflorescências de D. tuberosa pelas formigas Camponotus rufipes, Camponotus cf. mus e Cephalotes sp. Como há ausência de reprodução sexuada em muitos indivíduos, e esta espécie é dominante no afloramento rochoso estudado, consideramos que a propagação clonal seja uma estratégia importante para a disseminação de D. tuberosa na área. A presença de animais, polinizadores ou não, na inflorescência de D. tuberosa torna esta espécie adequada para avaliar como variações na disponibilidade de recursos florais alteram o resultado das interações planta-animal e o sucesso reprodutivo de D. tuberosa.<hr/>Bromeliaceae is an important component in several Biomas due to its remarkable ecological diversity as well as biotic interactions. It presents a combination of two reproductive mechanisms: sexual and clonal propagation. We describe in this study the various attributes related to the sexual reproduction of Dyckia tuberosa as well as plant-animal interactions that take place in its reproductive structures. In the population studied, 55% of individuals blossomed and set fruit over an 11-month period. The flowers developed from the basis to the top and had morphometrical differences with regard to its position in inflorescence that cause also differences in number of seeds set. Sugar concentration in the nectar was 20% and total production of nectar was about 24 µL flower-1 day-1. Nectar production was bigger in the morning period. Dyckia tuberosa is self-incompatible, an unusual feature for Bromeliaceae, and the index of self-incompatibility (ISI) was 0.08. Only hummingbirds were responsible for the legitimate visits of flowers, contacting anthers and stigma, and 3.9 flowers were visited per hour. Chlorostilbon aureoventris, Colibri serrirostris and Phaethornis eurynome were the hummingbird species registered. Sexual reproduction on D. tuberosa depends on hummingbirds'visitation. Inflorescences of D. tuberosa were also visited by the ant species Camponotus rufipes, Camponotus cf. mus and Cephalotes sp. As sexual reproduction is absent in many individuals and this species is dominant on the granite outcrop of Pedra Grande, we consider clonal propagation an important strategy for the spread of this species in this area. Given the presence of food resources for pollinating and non-pollinating animals on reproductive structures of D. tuberosa, this system seems suitable to assess how variation on resources availablity change the results of these interactions as well as the reproductive output of D. tuberosa. <![CDATA[<B>Reproductive biology and phenology of <I>Virola sebifera </I>Aubl. (Myristicaceae) in a mesophytic forest of Uberlândia, MG, Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foram estudados aspectos da biologia floral e reprodutiva de Virola sebifera Aubl., uma espécie dióica de mata mesofítica em Uberlândia, Minas Gerais. Foi determinado o sexo de 54 indivíduos presentes na área em três períodos reprodutivos consecutivos. O comportamento fenológico de floração de 11 indivíduos de cada sexo foi acompanhado entre outubro de 1998 e abril de 2000. Houve maior freqüência de indivíduos masculinos na população e nenhum indivíduo mudou de sexo, indicando forte estabilidade sexual na espécie. A floração é anual, massiva e prolongada do tipo cornucópia e os indivíduos masculinos floresceram precocemente e por um período mais longo que os femininos. As flores de V. sebifera estão agrupadas em inflorescência do tipo panícula; são pequenas (3 e 4 mm de comprimento para flores masculinas e femininas, respectivamente), inconspícuas, com perianto infundibuliforme e verticilos reprodutivos inclusos. Flores masculinas e femininas apresentaram alta longevidade, superior a uma semana. O único recurso floral é o pólen fornecido pelas flores masculinas. O forte odor e a semelhança morfológica entre flores dos dois sexos (mimetismo floral intra-específico) podem fazer com que flores femininas sejam visitadas pelos agentes polinizadores mesmo sem oferecer recursos florais. O número de frutos iniciados resultantes de polinização natural foi relativamente baixo (5,8%). A maturação de frutos por apomixia (0,2%) foi significativamente menor que aquela apresentada por polinização cruzada (1,5%). Estes resultados demonstram a dependência de V. sebifera de agentes polinizadores para a produção de sementes, apesar de que visitantes florais quase não foram observados durante o estudo e os polinizadores efetivos não puderam ser claramente definidos.<hr/>We studied some aspects of the floral and reproductive biology of Virola sebifera Aubl., a dioecious woody species of mesophytic forest in Uberlândia, Minas Gerais. The sex of 54 individuals in the study area was determined in three consecutive reproductive periods. Reproductive phenology of 11 individuals of each sex was followed from October 1998 to April 2000. The sex ratio was always male biased and no sex change was observed, which indicates sexual stability. The flowering was annual, relatively long and massive (cornucopia type) with male individuals blooming earlier and for a longer period than the female ones. Flowers, grouped in paniculate inflorescences, were small (3 and 4 mm long for male and female flowers respectively) and inconspicuous, with an infundibuliforme periant and inserted reproductive whorls. Both male and female flowers have long lifespan (ca. one week). Pollen in male flowers is the sole floral reward. Strong scent and similar flower morphology between sexes may lead to visits to rewardless female flowers (floral self-mimicry). Natural pollination resulted in relatively low number of initiated fruits (5.8%). Fruit-set from bagged unpollinated flowers (apomixis) were much lower than from natural pollination. These results show that V. sebifera depends upon pollination services for seed production although flower visitors were rarely seen during the study and effective pollinators of the species could not be clearly defined. <![CDATA[<B>Sulfated bromophenols from <I>Osmundaria obtusiloba </I>(C. Agardh) R. E. Norris (Rhodophyta, Ceramiales)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Two new sulfated oligobromophenols from the marine red algae Osmundaria obtusiloba, 4-(1'-potassium sulfate, 2,3-dibromo, 1',4,5-trihydroxybenzyl) - 4''-(1'''-potassium sulfate, 2'',3''-dibromo, 1''',4'',5''-trihydroxybenzyl) sulfate and 1'-(2, 3-dibromo, 4-potassium sulfate, 1', 4, 5-trihydroxybenzyl) - 4''-(1''' potassium sulfate, 2'', 3''-dibromo, 1''', 4'', 5'' trihydroxybenzyl) sulfate, are herein reported. Besides them it was obtained 2, 2', 3, 3'-tetrabromo-4, 4', 5, 5'-tetrahydroxydiphenylmethane, 2, 3-dibromo-p-hydroxybenzyl methyl ether (methyl lanosol), dipotassium 2,3-dibromo-5-hydroxybenzyl 1',4-disulfate, 24-methylenecolest-5-en-3-beta-ol and alpha-D-mannopyranosyl-(1->2')-glycerate (digeneaside). The structures were determined by analysis of the spectroscopic data (IR, NMR and MS) and comparison with the literature. The 13CNMR data for dipotassium 2,3-dibromo-5hydroxybenzyl-1',4-disulfate are described here for the first time. The present study also suggests a mild method to isolate and to purify sulfated compounds.<hr/>O estudo químico de Osmundaria obtusiloba (Rhodophyta, Ceramiales) resultou no isolamento de dois novos oligobromofenóis sulfatados, o 4''-(1'''-sulfato de potássio, 2'',3''-dibromo, 1''',4'',5''-trihidroxibenzil) sulfato de 4-(1'-sulfato de potássio, 2,3-dibromo, 1',4,5-trihidroxibenzila) e o 4''-(1'''-sulfato de potássio, 2'',3''-dibromo, 1''',4'',5''-trihidroxibenzil) sulfato de 1'-(2,3-dibromo, 4-sulfato de potássio, 1',4,5-trihidroxibenzila), além dos já conhecidos 2, 2', 3, 3'-tetrabromo-4, 4', 5, 5'-tetraidroxidifenilmetano, éter metílico do álcool 2, 3-dibromo-4, 5-diidroxibenzílico (metilato de lanosol), 1',4-dissulfato de potássio do 2,3-dibromo-1',4, 5-trihidroxibenzila, 24-metilenocolest-5-en-3-beta-ol e ácido alfa-D-manopiranosil-(1->2')-glicérico (digeneasídeo). As análises estruturais dessas substâncias foram efetuadas com base nos dados espectroscópicos (IV, RMN e EM) e comparação com aqueles existentes na literatura. Os dados de RMN de 13C para o 1',4-dissulfato de potássio do 2,3-dibromo-1',4, 5-trihidroxibenzila estão sendo descritos aqui pela primeira vez. O presente trabalho também sugere um método brando para isolamento e purificação de substâncias sulfatadas. <![CDATA[<B><I>Rodriguezia bahiensis </I>Rchb. f.: floral biology, pollinators, and first record of Acroceridae fly pollination in Orchidaceae</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300013&lng=en&nrm=iso&tlng=en O gênero Rodriguezia distribui-se pela América Tropical, com cerca de 40 espécies, pouco conhecidas quanto à biologia floral e polinização. Rodriguezia bahiensis é endêmica ao Nordeste do Brasil e apresenta flores com atributos associados às síndromes de psicofilia e melitofilia. No entanto, a população estudada está associada a uma ampla guilda de visitantes florais incluindo borboletas, abelhas, mariposas, beija-flores e moscas Acroceridae, este último grupo registrado pela primeira vez atuando como polinizadores em representantes de Orchidaceae. As flores apresentam néctar como recurso, encontrado em baixa quantidade, o que em conjunto com a presença de guias de néctar imitando pólen sugere a ocorrência de um mecanismo de polinização combinando recompensa e engano. Embora a população estudada esteja associada a uma larga guilda de visitantes, a formação natural de frutos da população é baixa (6,57%), o que pode estar associado à alta frequência de pilhadores e possível auto-incompatibilidade na espécie estudada.<hr/>Rodriguezia is distributed throughout Tropical America, comprising nearly 40 species, most of them little known regarding floral biology and pollination. Rodriguezia bahiensis is endemic to northeastern region of Brazil, it bears flower features that suggest pollination by butterflies and bees. However, the population studied is associated to a large array of visitors, including bees, butterflies, moths, hummingbirds and Acroceridae flies, the last group being for the first time recorded as pollinators in Orchidaceae. Flowers offer low quantities of nectar as reward that together with the nectar guides imitating pollen suggests the occurrence of a combined system of reward and deceit of pollinators. Though population studied is associated with a high number of visitors, natural fruit set is low (6.57%) may be due to high frequency of pillagers and possible self-incompatibility in the studied species. <![CDATA[<B>Reproductive phenology, floral morphology and incompatibility system in distylous species of Rubiaceae in a forest fragment in southeastern Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300014&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo foi conduzido na Estação de Pesquisa, Treinamento e Educação Ambiental Mata do Paraíso, localizada em Viçosa, Estado de Minas Gerais. Trata-se de fragmento florestal, inserido nos domínios de Floresta Atlântica. Objetivou-se analisar a fenologia da floração, a morfologia e biologia floral e o sistema de incompatibilidade de espécies distílicas de Rubiaceae: Palicourea longepedunculata Gardner, P. marcgravii A. St.-Hil., Psychotria conjugens Müll. Arg., P. hastisepala Müll. Arg., P. hygrophiloides Benth., P. nuda (Cham. & Schltdl.) Wawra, P. sessilis Vell. and Rudgea lanceolata Nutt. Além disso, foi verificado se a razão entre os indivíduos dos dois morfos florais dessas espécies encontra-se em equilíbrio. As florações de Psychotria conjugens, P. hastisepala, P. hygrophiloides e P. sessilis foram seqüenciais e ocorreram durante a estação chuvosa (setembro a março). Foram registradas diferenças significativas entre alturas de estames e de estilete, entre flores brevistilas e longistilas, exceto em P. hygrophiloides; nessa espécie foram observadas apenas flores brevistilas. Além disso, constatou-se dimorfismo no comprimento dos lobos estigmáticos, da corola, dos lobos da corola e das anteras. As flores abriram-se pela manhã e duraram cerca de 24 horas, exceto as de P. nuda (48 horas). As espécies apresentaram razão equilibrada entre os morfos florais, exceto P. marcgravii, P. conjugens e P. hygrophiloides. Houve auto-incompatibilidade heteromórfica e a inibição do crescimento dos tubos polínicos incompatíveis ocorreu no estigma em todas as espécies analisadas, exceto nas formas longistilas de P. longepedunculata e P. hastisepala, nas quais a inibição dos tubos ocorreu no estilete.<hr/>This work was carried out at the Estação de Pesquisa, Treinamento e Educação Ambiental Mata do Paraíso, Viçosa, Minas Gerais State, a forest fragment in the Atlantic Forest. Its main objective was to analyze the flowering phenology, floral morphology, and incompatibility system of the distylous species of Rubiaceae: Palicourea longepedunculata Gardner, P. marcgravii A. St.-Hil., Psychotria conjugens Müll. Arg., P. hastisepala Müll. Arg., P. hygrophiloides Benth., P. nuda (Cham. & Schltdl.) Wawra, P. sessilis Vell. and Rudgea lanceolata Nutt. It also aimed to verify whether the floral morphs were in balanced equilibrium. The flowering in the species of Psychotria conjugens, P. hastisepala, P. hygrophiloides and P. sessilis were sequential, occurring during the rainy season (September through March). Significant differences were observed in the lengths of the stamens and styles between the thrum and pin flowers, except for P. hygrophiloides, in which only thrum flowers could be observed. Furthermore, dimorphism was observed in the length of stigmatic lobules, corollas, corolla lobules and anthers. Flowers opened in the morning lasting about 24 h, except for P. nuda flowers, that lasted 48 h. In most of the species the floral morph ratio was 1:1, except P. marcgravii, P. conjugens and P. hygrophiloides. Heteromorphic self-incompatibility was observed with growth inhibition of the incompatible pollen tubes occurring in the stigma of most of the species analyzed, except for the pin morphs of P. longepedunculata and P. hastisepala, in which reaction occurred in the style. <![CDATA[<B>Effect of nectar secretion rate on pollination and seed production by <I>Passiflora speciosa</I> Gardn. flowers (Passifloraceae) in the Pantanal</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300015&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foi determinado o efeito da taxa de secreção de néctar (TSN) sobre a freqüência de visitas dos polinizadores e o número de sementes por flor de Passiflora speciosa Gardn. no Pantanal. A planta foi polinizada por beija-flores e apresentou auto-incompatibilidade. A TSN variou em função do diâmetro da flor, e o número de visitas dos beija-flores foi função do diâmetro da flor. O número de sementes por flor de P. speciosa foi maior com o aumento do número de visitas dos polinizadores. A freqüência de pilhadores de néctar não apresentou efeito sobre a produção de sementes, mas o número total de visitas dos beija-flores foi negativamente correlacionado com o número de visitas dos pilhadores de néctar e/ou pólen. Os resultados indicam que o tamanho da flor afeta a TSN, que por sua vez pode determinar o número de visitas dos polinizadores e o sucesso da produção de sementes em flores de P. speciosa.<hr/>We verified the effect of nectar secretion rate (NSR) on the pollinator frequency and the number of seeds per Passiflora speciosa Gardn. flowers in the Pantanal Wetlands. The plant was pollinated by hummingbirds and presented self-incompatibility. The NSR varied as a function of flower diameter, and number of hummingbird visits was a function of flower diameter. The number of seeds per flower of P. speciosa increased with the number of pollinator visits. The frequency of nectar thieves had no significant effect on seed set, but total number of hummingbird visits was negatively correlated with the total number of visits by nectar and/or pollen thieves. The overall results indicate that flower size affects NSR, which could determine the number of pollinator visits and the success of seed set per Passiflora speciosa flowers. <![CDATA[<B>Germination of spores and growth of gametophytes and sporophytes of <I>Rumohra adiantiformis </I>(Forst.) Ching (Dryopteridaceae) after spore cryogenic storage</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Rumohra adiantiformis (Forst.) Ching is a fern (Dryopteridaceae) used in floral arrangements. Spores sterilized in 15% (v/v) solution of commercial sodium hypochlorite for 10 minutes and unsterilized spores were plunged in liquid nitrogen and held for 15 minutes and for 90 days. After the cryogenic treatments, spores were taken out of liquid nitrogen and rapidly thawed out in a water bath or slowly at room temperature and were cultured in Mohr's mineral solution as modified by Dyer, kept at 25 ± 2 ºC and a 16-hours photoperiod. Statistical differences were not observed in the germination of unsterilized spores immersed or not immersed in liquid nitrogen, but when the spores were previously sterilized, a severe inhibition of germination was observed in cryopreserved spores. Faster mean germination time was observed for unsterilized spores cryopreserved in liquid nitrogen for 15 minutes. The germination of spores stored in liquid nitrogen for 90 days reached the maximum percentage after 12 days, while control spores reached their maximum percentage after 16 days. Levels of soluble sugars did not vary among treatments in gametophytes cultivated for 10 weeks after spore inoculation. The number of fronds and the length of the longest frond on sporophytes did not differ statistically among treatments. The relative growth rate of sporophytes grown from cryopreserved and control spores were not statistically different among treatments. Spores of R. adiantiformis immersed in liquid nitrogen for 15 minutes apparently produced phenotypically normal plants.<hr/>Rumohra adiantiformis (Forst.) Ching é uma pteridófita (Dryopteridaceae), usada em arranjos florais. Esporos esterilizados em solução de hipoclorito de sódio comercial a 15% (v/v) durante 10 minutos ou esporos não esterilizados foram imersos em nitrogênio líquido por 15 minutos ou 90 dias. Após os tratamentos de conservação criogênica, esporos foram retirados do nitrogênio líquido e degelados rapidamente em banho morno ou à temperatura ambiente. Os esporos germinaram a 25 ± 2 ºC em fotoperíodo de 16 horas, em solução nutritiva de Mohr modificada por Dyer. Não ocorreram diferenças estatisticamente significativas na germinação de esporos não esterilizados imersos ou não em nitrogênio líquido, mas quando os esporos foram esterilizados, houve severa inibição da germinação dos esporos criopreservados. O menor tempo médio de germinação foi observado para esporos criopreservados por 15 minutos não esterilizados. A germinação de esporos armazenados em nitrogênio líquido por 90 dias atingiu o máximo após 12 dias e esporos do controle atingiram o máximo após 16 dias. Os níveis de açúcares solúveis não variaram entre os tratamentos, nos gametófitos de 10 semanas de cultivo a partir da inoculação dos esporos. Os números de frondes e as alturas das maiores frondes produzidas por plantas submetidas aos diferentes tratamentos não apresentaram diferenças estatisticamente significativas. As taxas de crescimento relativo dos esporófitos oriundos de esporos criopreservados e controle não difeririam estatisticamente entre os tratamentos. Esporos de R. adiantiformis imersos em nitrogênio líquido por 15 minutos aparentemente produziram plantas fenotipicamente normais. <![CDATA[<B>Inter-annual variations in the floristic and population structure of an herbaceous community of "caatinga" vegetation in Pernambuco, Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042006000300017&lng=en&nrm=iso&tlng=en The influence of climatic variations on the herbaceous component of the "caatinga" vegetation was examined in the state of Pernambuco, Brazil. A total of 105 1 × 1 m-plots were established, of which 35 were in a level micro-habitat, 35 in a riparian micro-habitat, and 35 in a stony microhabitat. During two consecutive years all herbaceous plants in these plots were counted, measured (height and diameter), and collected for identification. The Shannon-Wiener diversity index and the equitability were calculated for each year, as well as the density, frequency, dominance, total basal area and importance index for each species. The total annual pluviometric was 819.5 and 448.8 mm in 2002 and 2003, respectively. The herbaceous flora in the study area was composed of 71 species, of which 58 were sampled in the plots. The families with the greatest species richness were Malvaceae (8 species), Euphorbiaceae (7), Poaceae (6), Convolvulaceae (4), Fabaceae (4), and Portulacaceae (4). The diversity indices were 2.66 and 3.01 nats ind-1 in 2002 and 2003, respectively. The density, frequency, dominance and importance value of herbaceous populations, as well as, the height and diameter of plants were low in the dryer year. The riparian group was the most isolated of the microhabitats examined, both in terms of its floristic and its population structure. Annual seasonal climatic variations greatly modified these populations structure during the course of this study, emphasizing the fact that long-term studies are needed in order to better understand the dynamics of the herbaceous component of the "caatinga" vegetation.<hr/>Objetivou-se avaliar a influência das variações climáticas sobre o componente herbáceo em uma área de caatinga de Pernambuco. Foram estabelecidas 105 parcelas de 1 × 1 m, sendo 35 dispostas em micro-habitat plano, 35 em micro-habitat ciliar e 35 em micro-habitat rochoso. Durante dois anos consecutivos todas as ervas presentes nas parcelas foram contadas, medidas (altura e diâmetro) e coletadas para identificação taxonômica. Foram calculados o índice de diversidade Shannon-Wiener, a equabilidade e os parâmetros de densidade, freqüência, dominância, área basal total e índice de valor de importância. A precipitação pluviométrica anual registrada foi de 819,5 e 448,8 mm em 2002 e 2003, respectivamente. A flora herbácea registrada nas parcelas e fora delas foi representada por 71 espécies, sendo 58 amostradas. As famílias de maior riqueza de espécies foram Malvaceae (8), Euphorbiaceae (7), Poaceae (6), Convolvulaceae (4), Fabaceae (4) e Portulacaceae (4). As diversidades foram de 2,66 e 3,01 nats ind-1 em 2002 e 2003, respectivamente. A densidade, freqüência, dominância e valor de importância das populações herbáceas, bem como, a altura e o diâmetro das plantas foram menores no ano mais seco. Entre os micro-habitats, o ciliar formou um grupo mais isolado quanto a florística e estrutura das populações, quando comparado com os demais micro-habitats. A sazonalidade climática interanual provocou alterações de forma moderada a drástica no tamanho das populações entre os anos. Séries temporais curtas não são suficientes para conhecer a dinâmica regenerativa do componente herbáceo da caatinga.