Scielo RSS <![CDATA[Brazilian Journal of Nephrology]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-280020180001&lang=pt vol. 40 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[DMO-DRC no Brasil: a distância entre a realidade e as diretrizes recomendadas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[pH urinário em formadores de cálculos de oxalato de cálcio: isso importa?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Infecção por poliomavírus: o diagnóstico precoce pode prevenir o desenvolvimento de nefropatia associada ao aloenxerto?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[A ingestão prévia de castanha-do-brasil atenua a lesão renal induzida por isquemia e reperfusão]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: Ischemia-reperfusion (IR) injury results from inflammation and oxidative stress, among other factors. Because of its anti-inflammatory and antioxidant properties, the Brazil nut (BN) might attenuate IR renal injury. Objective: The aim of the present study was to investigate whether the intake of BN prevents or reduces IR kidney injury and inflammation, improving renal function and decreasing oxidative stress. Methods: Male Wistar rats were distributed into six groups (N=6/group): SHAM (control), SHAM treated with 75 or 150 mg of BN, IR, and IR treated with 75 or 150 mg of BN. The IR procedure consisted of right nephrectomy and occlusion of the left renal artery with a non-traumatic vascular clamp for 30 min. BN was given daily and individually for 7 days before surgery (SHAM or IR) and maintained until animal sacrifice (48h after surgery). We evaluated the following parameters: plasma creatinine, urea, and phosphorus; proteinuria, urinary output, and creatinine clearance; plasmatic TBARS and TEAC; kidney expression of iNOS and nitrotyrosine, and macrophage influx. Results: Pre-treatment with 75 mg of BN attenuated IR-induced renal changes, with elevation of creatinine clearance and urinary output, reducing proteinuria, urea, and plasmatic phosphorus as well as reducing kidney expression of iNOS, nitrotyrosine, and macrophage influx. Conclusion: Low intake of BN prior to IR-induced kidney injury improves renal function by inhibition of macrophage infiltration and oxidative stress.<hr/>RESUMO Introdução: a lesão por isquemia-reperfusão (IR) resulta, entre outros fatores, de inflamação e estresse oxidativo. Devido às suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, a castanha-do-brasil (BN) pode atenuar a lesão renal causada por IR. Objetivo: O objetivo foi investigar se a ingestão prévia de BN reduz a lesão e a inflamação renal causadas por IR, melhorando a função renal e o estresse oxidativo. Métodos: Ratos Wistar machos foram distribuídos em seis grupos (N=6/grupo): SHAM (controle), SHAM tratado com 75 ou 150 mg de BN, IR, e IR tratado com 75 ou 150 mg de BN. O procedimento de IR consistiu na nefrectomia à direita e oclusão da artéria renal esquerda por 30 minutos. A castanha foi administrada diariamente e individualmente por sete dias antes da cirurgia (SHAM ou IR), e mantida até o sacrifício (48h pós-cirurgia). Os seguintes parâmetros foram avaliados: creatinina, ureia e fósforo plasmáticos; proteinúria, volume urinário e depuração de creatinina; TBARS e TEAC (capacidade antioxidante) plasmáticos; expressão renal de iNOS e nitrotirosina, e influxo de macrófagos. Resultados: O pré-tratamento com 75 mg de BN atenuou os parâmetros de função renal alterados pela IR, com elevação da depuração de creatinina e o volume urinário, redução da proteinúria, ureia e fósforo plasmáticos, e diminuição da expressão de iNOS, nitrotirosina e da infiltração de macrófagos. Conclusão: A ingestão de baixa quantidade de BN, previamente ao processo de IR, melhora a função renal pela inibição da infiltração de macrófagos e do estresse oxidativo. <![CDATA[Estágios iniciais da doença renal crônica produzem efeitos discretos sobre o desempenho cognitivo. Resultados da linha de base de uma coorte de 15.505 adultos brasileiros]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The aging of the population may lead to an increased prevalence of dementia and chronic kidney disease (CKD) and their overlap. Objective: We investigated the association between CKD and cognitive performance among Brazilian adults (35-74 years). Methods: Baseline data analysis of the Longitudinal Study of Adults (ELSA-Brasil), a multicenter cohort comprising 15,105 civil servants, was performed. Kidney function was defined by the CKD-Epi-estimated GRF and albumin creatinin ratio (ACR). Cognitive performance was measured across tests that included the word memory tests, verbal fluency tests and Trail Making Test B. Multiple logistic and linear regressions were used to investigate the association between CKD and global as well as test-specific lowered cognitive performance. Results: More than 90% of participants did not present CKD even considering reduced GFR or increased ACR simultaneously. Lowered cognitive performance was detected among 15.8% of the participants and mean values of GFR were slightly higher among those with normal than with lowered cognitive performance (86 ± 15 mL/min/1.73 m2 x 85 ± 16 mL/min/1.73 m2, p &lt; 0.01). Age, education, skin-color, smoking, drinking, hypertension, and diabetes were associated with lowered cognition. After adjustment for these variables, there was no association between CKD and lowered cognitive performance. Negligibly small beta values were observed when analyzing CKD and the scores of all tests. Conclusion: These results suggest that cognitive performance remains preserved until renal function reaches significant worsening. Preventive measures to maintain renal function may contribute to the preservation of cognitive function.<hr/>Resumo Introdução: o envelhecimento da população pode levar a uma maior prevalência de demência, doença renal crônica (DRC) e da coexistência dessas doenças. Objetivo: investigamos a associação entre DRC e desempenho cognitivo em adultos brasileiros (35-74 anos). Métodos: análise de dados da linha de base do Estudo Longitudinal em Adultos (ELSA-Brasil), uma coorte multicêntrica envolvendo 15.105 funcionários públicos. A função renal foi definida pela TFG estimada CKD-Epi e pela razão albumina/creatinina (RAC). O desempenho cognitivo foi medido em avaliações que incluíram testes de memória de palavras, testes de fluência verbal e Teste de trilhas, versão B (Teste de Trilhas). Regressões logísticas e lineares múltiplas foram usadas para investigar a associação entre DRC e desempenho cognitivo global, bem como desempenho cognitivo reduzido em testes específicos. Resultados: Mais de 90% dos participantes não apresentaram DRC, mesmo considerando redução da TFG ou RAC aumentada, simultaneamente. O desempenho cognitivo reduzido foi detectado entre 15,8% dos participantes e os valores médios da TFG foram discretamente maiores entre os que apresentam desempenho cognitivo normal (86 ± 15 mL/min 1,73 m2 x 85 ± 16 mL/min/1,73 m2, p &lt; 0,01). A idade, nível educacional, a cor da pele, o tabagismo, o consumo de álcool, a hipertensão e o diabetes estavam associados à cognição reduzida. Após o ajuste para essas variáveis, não houve associação entre DRC e desempenho cognitivo reduzido. Foram observados valores beta insignificantes ao analisar a DRC e as pontuações de todos os testes. Conclusão: estes resultados sugerem que o desempenho cognitivo permanece preservado até a função renal atingir piora significativa. Medidas preventivas para manter a função renal podem contribuir para a preservação da função cognitiva. <![CDATA[Avaliação da prevalência, perfil bioquímico e drogas associadas ao distúrbio mineral ósseo-doença renal crônica em 11 centros de diálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: The diagnosis and treatment of mineral and bone disorder of chronic kidney disease (CKD-MBD) is a challenge for nephrologists and health managers. The aim of this study was to evaluate the prevalence, biochemical profile, and drugs associated with CKD-MBD. Methods: Cross-sectional study between July and November 2013, with 1134 patients on dialysis. Sociodemographic, clinical, and laboratory data were compared between groups based on levels of intact parathyroid hormone (iPTH) (&lt; 150, 150-300, 301-600, 601-1000, and &gt; 1001 pg/mL). Results: The mean age was 57.3 ± 14.4 years. The prevalence of iPTH &lt; 150 pg/mL was 23.4% and iPTH &gt; 601 pg/mL was 27.1%. The comparison between the groups showed that the level of iPTH decreased with increasing age. Diabetic patients had a higher prevalence of iPTH &lt; 150 pg/mL (27.6%). Hyperphosphatemia (&gt; 5.5 mg/dL) was observed in 35.8%. Calcium carbonate was used by 50.5%, sevelamer by 14.7%, 40% of patients had used some form of vitamin D and 3.5% used cinacalcet. Linear regression analysis showed a significant negative association between iPTH, age, and diabetes mellitus and a significant positive association between iPTH and dialysis time. Conclusion: The prevalence of patients outside the target for iPTH was 50.5%. There was a high prevalence of hyperphosphatemia (35.8%), and the minority of patients were using active vitamin D, vitamin D analogs, selective vitamin D receptor activators, and cinacalcet. These data indicate the need for better compliance with clinical guidelines and public policies on the supply of drugs associated with CKD-MBD.<hr/>RESUMO Introdução: O diagnóstico e tratamento do distúrbio mineral ósseo-doença renal crônica (DMO-DRC) é um desafio para os nefrologistas e gestores de saúde. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência, perfil bioquímico, e drogas associadas a DMO-DRC. Métodos: Estudo transversal entre julho e novembro de 2013, em 11 centros com 1134 pacientes em diálise. Dados sociodemográficos, clínicos, e laboratoriais foram comparados entre os grupos, com base em níveis do paratormônio intacto (PTHi) (&lt; 150,151-300, 301-600,601-1000, e &gt; 1001 pg/mL). Resultados: A idade média foi de 57,3 ± 14,4 anos, 1071 pacientes estavam em hemodiálise, e 63 em diálise peritoneal. A prevalência de PTHi &lt; 150 pg/mL foi 23,4% e PTHi &gt; 601 pg/mL foi de 27,1%. A comparação dos grupos mostrou que o nível de PTHi diminuiu com o aumento da idade. Pacientes diabéticos apresentaram uma maior prevalência de PTHi &lt; 150 pg/mL (27,6%). Carbonato de cálcio foi usado por 50,5%, Sevelamer por 14,7%, 40% dos pacientes utilizaram alguma forma de vitamina D, e 3,5% utilizaram cinacalcet. A hiperfosfatemia (&gt; 5,5mg/dL) foi observada em 35,8%. A análise de regressão linear mostrou uma associação negativa significativa entre PTHi, idade, e diabetes mellitus e uma associação positiva significativa com o tempo em diálise. Conclusão: A prevalência de pacientes fora do alvo para PTHi foi de 50,5%. Houve uma alta prevalência de hiperfosfatemia e um baixo uso de vitamina D ativa, análogos da vitamina D, ativadores seletivos da vitamina D, e cinacalcet. Estes dados chamam a atenção para a necessidade de uma maior conformidade com as diretrizes e políticas públicas sobre o fornecimento de medicamentos associados à DMO-DRC. <![CDATA[Influência do estado nutricional e dos parâmetros laboratoriais e dietéticos sobre a excreção urinária ácida em pacientes portadores de litíase cálcica.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: Obesity and Metabolic Syndrome (MS) are associated with low urinary pH and represent risk factors for nephrolithiasis, especially composed by uric acid. Acidogenic diets may also contribute to a reduction of urinary pH. Propensity for calcium oxalate precipitation has been shown to be higher with increasing features of the MS. Objective: A retrospective evaluation of anthropometric and body composition parameters, MS criteria and the dietary patterns of overweight and obese calcium stone formers and their impact upon urinary pH and other lithogenic parameters was performed. Methods: Data regarding anthropometry, body composition, serum and urinary parameters and 3-days dietary records were obtained from medical records of 102(34M/68F) calcium stone formers. Results: A negative correlation was found between urinary pH, waist circumference and serum uric acid levels (males). The endogenous production of organic acids (OA) was positively correlated with triglycerides levels and number of features of MS (males), and with glucose, uric acid and triglycerides serum levels, and number of features of MS (females). No significant correlations were detected between Net Acid Excretion (NAE) or Potential Renal Acid Load of the diet with any of the assessed parameters. A multivariate analysis showed a negative association between OA and urinary pH. Conclusion: The endogenous production of OA and not an acidogenic diet were found to be independently predictive factors for lower urinary pH levels in calcium stone formers. Hypercalciuric and/or hyperuricosuric patients presented higher OA levels and lower levels of urinary pH.<hr/>RESUMO Introdução: A obesidade e a Síndrome Metabólica (SM) se associam a pH urinário ácido e representam fatores de risco para litíase renal, especialmente a úrica. Dietas acidogênicas também podem contribuir para a redução do pH urinário. Já foi demonstrado maior risco de precipitação de oxalato de cálcio em proporção aos critérios de SM. Objetivo: Avaliar retrospectivamente o impacto de parâmetros antropométricos, composição corporal, critérios de SM e padrão alimentar sobre o pH urinário e outros parâmetros litogênicos em pacientes com sobrepeso e obesos com litíase cálcica. Métodos: Foram coletados dados de antropometria, composição corporal, exames séricos e urinários, e registros alimentares (3 dias) de 102 (34M/68F) pacientes com litíase cálcica. Resultados: O pH urinário se correlacionou negativamente com a circunferência da cintura e ácido úrico sérico (homens). A produção endógena de ácidos orgânicos (AO) se correlacionou positivamente com os triglicérides séricos e o número de critérios de SM (homens), e com glicemia, ácido úrico, triglicérides e número de critérios para SM (mulheres). Não se observaram correlações significantes entre a excreção renal líquida de ácidos (NAE) e o potencial de carga ácida renal (PRAL) da dieta com nenhum dos parâmetros avaliados. Na análise de regressão multivariada, os AO apresentaram associação negativa significante com o pH urinário. Conclusão: A produção endógena de AO, e não um padrão de dieta acidogênica, foi o fator determinante independente para menores níveis de pH urinário em pacientes com litíase cálcica. Pacientes com hipercalciúria e/ou hiperuricosúria apresentaram maiores valores de AO e menores de pH urinário. <![CDATA[Antigenemia pp65 e diagnóstico de citomegalovírus em pacientes com nefrite lúpica: série de casos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100044&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: In contrast to organ transplantation, few studies correlate the monitoring of pp65 antigenemia with a diagnosis of cytomegalovirus (CMV) in patients with systemic lupus erythematosus (SLE). Objective: To highlight the importance of CMV outside transplantation, we monitored pp65 antigenemia in a series of SLE patients. Methods: From March 2015 to March 2016, SLE patients presenting kidney involvement, fever, and an unclear infection at hospital admission were monitored through pp65 antigenemia. The pp65 antigenemia assay, revealed by immunofluorescence, was correlated with clinical and laboratory findings. Results: We included 19 patients with a suspected unclear infection. A positivity for pp65 antigenemia was found in seven patients (36.8%). The mean age was 33.5 ± 11.2 years, 16 (84%) were females, and 16 (84%) were black. Lymphopenia, anemia, and higher scores of SLEDAI were significantly more common in pp65-positive patients. Five patients received antiviral therapy with ganciclovir. Although receiving specific CMV treatment, one patient died because of suspected CMV disease. Conclusions: Pp65 antigenemia might be relevant in SLE patients, and studies with a greater number of patients are needed in order to establish sensitivity and specificity of pp65 antigenemia in different clinical contexts of SLE patients.<hr/>RESUMO Introdução: Diferentemente do transplante de órgãos, poucos estudos correlacionam o monitoramento da antigenemia pp65 com o diagnóstico de citomegalovírus (CMV) em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES). Objetivo: De modo a destacar a importância do CMV para além do transplante, monitorizamos a antigenemia pp65 em uma série de pacientes com LES. Métodos: De março de 2015 a março de 2016, pacientes com LES que apresentaram acometimento renal, febre e infecção indeterminada na internação foram monitorados através da antigenemia pp65. O ensaio de antigenemia, revelada por imunofluorescência, foi correlacionado com achado clínicos e laboratoriais. Resultados: Foram incluídos 19 pacientes com suspeita de infecção indeterminada. Positividade para antigenemia pp65 foi encontrada em sete pacientes (36,8%). A idade média foi de 33,5 ± 11,2 anos; 16 (84%) eram do sexo feminino e 16 (84%) eram negros. Linfopenia, anemia e escore de SLEDAI mais elevado foram significativamente mais comuns em pacientes pp65 positivos. Cinco pacientes receberam terapia antiviral com ganciclovir. Apesar de receber tratamento específico para CMV, um paciente com suspeita de doença por CMV veio a óbito. Conclusões: Antigenemia pp65 pode ser relevante em pacientes com LES, e estudos com maior número de pacientes são necessários para estabelecer a sensibilidade e a especificidade da antigenemia pp65 em diferentes contextos clínicos envolvendo pacientes com LES. <![CDATA[O exercício físico de alta intensidade afeta os níveis plasmáticos de irisina em pacientes em hemodiálise? Um estudo piloto]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100053&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Background: Irisin is a recently identified exercise-induced hormone that stimulates the "browning" of the white adipose tissue, at least in mice. In chronic kidney disease (CKD) patients, irisin regulation is not fully understood, and little attention has been given to the effects of exercise on irisin levels in these patients. The purpose of this study was to assess the effects of high intensity exercise on irisin plasma levels in CKD patients under hemodialysis (HD). Methods: Fifteen HD patients (5 men, 44.4 ± 15.1 years old) were studied and served as their own controls. High intensity (single session) intradialytic strength exercises consisted of three sets of ten repetitions with four different movements in both lower limbs during 30 minutes. Blood samples were collected on different days (exercise and non-exercise day) at exactly the same time (30 and 60 minutes after the start of dialysis session). Plasma irisin levels were measured by ELISA assay and anthropometric and biochemical parameters were evaluated. Results: Irisin plasma levels were significantly reduced in both exercise day (125.0 ± 18.5 to 117.4 ± 15.0 ng/mL, p=0.02) and non-exercise day (121.5 ± 13.7 to 115.4 ± 17.2 ng/mL, p=0.02) after 60 minutes of dialysis. Conclusion: These data suggest that intense intradialytic strength exercise was unable to increase the circulating concentration of irisin in HD patients. Moreover, our data show that after one hour of dialysis session, irisin plasma levels may be reduced.<hr/>RESUMO História: A irisina é um hormônio induzido pelo exercício recentemente identificado que estimula o "escurecimento" do tecido adiposo branco, pelo menos em camundongos. Nos pacientes com doença renal crônica (DRC), a regulação da irisina não é totalmente compreendida, e pouca atenção tem sido dada aos efeitos do exercício sobre os níveis de irisina nesses pacientes. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do exercício de alta intensidade sobre os níveis plasmáticos de irisina em pacientes com DRC em hemodiálise (HD). Métodos: 15 pacientes em HD (5 homens, 44,4 ± 15,1 anos) foram estudados e serviram como os próprios controles. Os exercícios de resistência intradialítica de alta intensidade (sessão única) consistiram em três séries de dez repetições com quatro movimentos diferentes em ambos os membros inferiores durante 30 minutos. As amostras de sangue foram coletadas em dias diferentes (dia de exercício e dia sem exercício) exatamente no mesmo horário (30 e 60 minutos após o início da sessão de diálise). Os níveis de irisina plasmática foram medidos por ensaio ELISA e os parâmetros antropométricos e bioquímicos foram avaliados. Resultados: Os níveis plasmáticos de irisina foram significativamente reduzidos tanto nos dias de exercício (125,0 ± 18,5 a 117,4 ± 15,0 ng/mL, p=0,02) quanto nos dias sem exercício (121,5 ± 13,7 a 115,4 ± 17,2 ng / mL, p=0,02), após 60 minutos de diálise. Conclusão: esses dados sugerem que o exercício intenso de resistência intradialítica não aumentou a concentração circulante de irisina em pacientes sob HD. Além disso, nossos dados mostram que após uma hora de sessão de diálise, os níveis plasmáticos de irisina podem ser reduzidos. <![CDATA[Detecção quantitativa de vírus BK em receptores de transplante renal: um estudo prospectivo de validação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100059&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: BK virus (BKV) infection in renal transplant patients may cause kidney allograft dysfunction and graft loss. Accurate determination of BKV viral load is critical to prevent BKV-associated nephropathy (BKVAN) but the cut-off that best predicts BKVAN remains controversial. Objective: To evaluate the performance of a commercial and an in-house qPCR test for quantitative detection of BK virus in kidney transplant recipients. Methods: This was a prospective study with kidney transplant recipients from two large university hospitals in Brazil. Patients were screened for BKV infection every 3 months in the first year post-transplant with a commercial and an in-house real time polymerase chain reaction (qPCR) test. BKVAN was confirmed based on histopathology. The area under the curve for plasma qPCR was determined from receiver operating characteristic analysis. Results: A total of 200 patients were enrolled. Fifty-eight percent were male, 19.5% had diabetes mellitus, and 82% had the kidney transplanted from a deceased donor. BKV viremia was detected in 32.5% and BKVAN was diagnosed in 8 patients (4%). BKVAN was associated with viremia of 4.1 log copies/mL, using a commercial kit. The cut-off for the in-house assay was 6.1 log copies/mL. The linearity between the commercial kit and the in-house assay was R2=0.83. Conclusion: Our study shows that marked variability occurs in BKV viral load when different qPCR methodologies are used. The in-house qPCR assay proved clinically useful, a cheaper option in comparison to commercial qPCR kits. There is an urgent need to make BKV standards available to the international community.<hr/>Resumo Introdução: A infecção pelo vírus BK (BKV) em pacientes de transplante renal pode levar a disfunção do aloenxerto renal e perda do enxerto. A determinação precisa da carga viral do BKV é fundamental para prevenir a nefropatia associada ao BKV (BKVAN), mas o ponto de corte de melhor valor preditivo para BKVAN ainda é foco de debates. Objetivo: Avaliar o desempenho de um teste de qPCR comercial e outro desenvolvido internamente para detecção quantitativa de vírus BK em receptores de transplante renal. Métodos: O presente estudo prospectivo incluiu receptores de transplante renal de dois grandes hospitais universitários no Brasil. Os pacientes foram testados para infecção por BKV a cada três meses no primeiro ano pós-transplante com um teste comercial de reação em cadeia de polimerase quantitativa em tempo real (qPCR) e outro desenvolvido internamente. A presença de BKVAN foi confirmada com base na histopatologia. A área sob a curva para o qPCR plasmático foi determinada a partir da análise da característica de operação do receptor. Resultados: Um total de 200 pacientes foram incluídos. Cinquenta e oito por cento eram do sexo masculino, 19,5% tinham diabetes mellitus e 82% tiveram seus rins transplantados de doadores falecidos. Viremia de BKV foi detectada em 32,5% dos pacientes e oito (4%) foram diagnosticados com BKVAN. BKVAN foi associada a viremia de 4,1 log cópias/mL usando o kit comercial. O corte para o ensaio interno foi de 6,1 log cópias/mL. A linearidade entre o kit comercial e o ensaio interno foi R2 = 0,83. Conclusão: Nosso estudo demonstrou uma acentuada variabilidade na carga viral de BKV quando diferentes metodologias de qPCR foram utilizadas. O ensaio interno de qPCR mostrou-se clinicamente útil, além de ser uma opção menos onerosa em relação aos kits comerciais de qPCR. Há uma necessidade urgente de se definir padrões de BKV para a comunidade internacional. <![CDATA[Aspectos clínicos e laboratoriais da infecção do trato urinário em lactentes jovens]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100066&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: Urinary tract infection (UTI) is the most common serious bacterial infection in young infants. Signs and symptoms are often nonspecific. Objectives: To describe clinical, demographic and laboratory features of UTI in infants ≤ 3 months old. Methods: Cross-sectional study of infants ≤ 3 months old with UTI diagnosed in a pediatric emergency department, for the period 2010-2012. UTI was defined as ≥ 50,000 colony-forming units per milliliter of a single uropathogen isolated from bladder catheterization. Paired urinalysis and urine culture from group culture-positive and group culture-negative were used to determine the sensitivity and specificity of pyuria and nitrite tests in detecting UTI. Results: Of 519 urine cultures collected, UTI was diagnosed in 65 cases (prevalence: 12.5%); with male predominance (77%). The most common etiologies were Escherichia coli (56.9%), Klebsiella pneumoniae (18.5%) and Enterococcus faecalis (7.7%). Frequent clinical manifestations were fever (77.8%), irritability (41.4%) and vomiting (25.4%). The median temperature was 38.7°C. The sensitivity of the nitrite test was 30.8% (95%CI:19.9-43.4%), specificity of 100% (95%CI:99.2-100%). Pyuria ≥ 10,000/mL had a sensitivity of 87.7% (95%CI:77.2-94.5%), specificity of 74.9% (95%CI:70.6 -78.8%). The median peripheral white blood cell count was 13,150/mm3; C-reactive protein levels were normal in 30.5% of cases. Conclusions: The male: female ratio for urinary tract infection was 3.3:1. Non-Escherichia coli etiologies should be considered in empirical treatment. Fever was the main symptom. Positive nitrite is highly suggestive of UTI but has low sensitivity; whereas pyuria ≥ 10,000/mL revealed good sensitivity, but low specificity. Peripheral white blood cell count and C-reactive protein concentration have limited usefulness to suggest UTI.<hr/>RESUMO Introdução: A infecção do trato urinário (ITU) é um quadro infeccioso grave mais frequente em lactentes jovens, cujos sinais e sintomas são frequentemente inespecíficos. Objetivos: Descrever aspectos clínicos, demográficos e laboratoriais de ITU em lactentes ≤ 3 meses. Métodos: Estudo transversal de ITU diagnosticada em lactentes ≤ 3 meses, em pronto-socorro geral de pediatria, entre 01/01/2010 a 31/12/2012. Diagnóstico de ITU definida como crescimento ≥ 50.000 unidades formadoras de colônia por mililitro de uropatógeno único, colhido por cateterismo vesical. Urina tipo I e urocultura foram pareadas dos grupos cultura-positiva e cultura-negativa para determinar a sensibilidade e especificidade de piúria e teste do nitrito para o diagnóstico de ITU. Resultados: Das 519 uroculturas colhidas, confirmou-se 65 casos de ITU (prevalência: 12,5%), com predomínio em meninos (77%). As etiologias mais frequentes foram Escherichia coli (56,9%), Klebsiella pneumoniae (18,5%) e Enterococcus faecalis (7,7%). Os sintomas mais frequentes foram febre (77,8%), irritabilidade (41,4%) e vômitos (25,4%). A temperatura mediana foi de 38,7°C. A sensibilidade do nitrito positivo foi de 30,8% (IC95%:19,9-43,4%), especificidade de 100% (IC95%:99,2-100%). Piúria ≥ 10.000/mL apresentou sensibilidade de 87,7% (IC95%:77,2-94,5%), especificidade de 74,9% (IC95%:70,6-78,8%). A contagem mediana de leucócitos foi 13.150/mm3. A proteína C reativa foi normal em 30,5% dos casos. Conclusões: A proporção entre meninos e meninas para ITU foi de 3,3:1. Outros agentes além de Escherichia coli devem ser considerados no tratamento empírico. A febre foi a principal queixa. O nitrito positivo é altamente sugestivo de ITU mas tem baixa sensibilidade; enquanto que a piúria ≥ 10.000/mL revelou boa sensibilidade, porém baixa especificidade. Leucograma e proteína C reativa demonstraram pouca utilidade clínica para sugerir ITU. <![CDATA[Associação entre taxa de filtração glomerular (medida por cromatografia liquida de alto desempenho com iohexol) e oxalato plasmático]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100073&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: Secondary hyperoxalemia is a multifactorial disease that affects several organs and tissues in patients with native or transplanted kidneys. Plasma oxalate may increase during renal failure because it is cleared from the body by the kidneys. However, there is scarce evidence about the association between glomerular filtration rate and plasma oxalate, especially in the early stages of chronic kidney disease (CKD). Methods: A case series focuses on the description of variations in clinical presentation. A pilot study was conducted using a cross-sectional analysis with 72 subjects. The glomerular filtration rate (GFR) and plasma oxalate levels were measured for all patients. Results: Median (IQR) GFR was 70.50 [39.0; 91.0] mL/min/1.73 m2. Plasma oxalate was &lt; 5.0 µmol/L in all patients with a GFR &gt; 30 mL/min/1.73m2. Among the 14 patients with severe CKD (GFR &lt; 30 mL/min/1.73 m2) only 4 patients showed a slightly increased plasma oxalate level (between 6 and 12 µmol/L). Conclusion: In non-primary hyperoxaluria, plasma oxalate concentration increases when GFR &lt; 30mL/min/1.73 m2 and, in our opinion, values greater than 5 µmol/L with a GFR &gt; 30 mL/min/1.73 m2 are suggestive of primary hyperoxaluria. Further studies are necessary to confirm plasma oxalate increase in patients with low GFR levels (&lt; 30mL/min/1.73 m2).<hr/>RESUMO Introdução: A hiperoxalemia secundária é uma doença multifatorial que afeta vários órgãos e tecidos em pacientes com rins nativos ou transplantados. O oxalato plasmático pode aumentar durante a insuficiência renal porque é eliminado do corpo pelos rins. No entanto, há evidências escassas sobre a associação entre taxa de filtração glomerular e oxalato plasmático, especialmente nos estágios iniciais da doença renal crônica (DRC). Métodos: uma casuística centrada na descrição das variações na apresentação clínica. Foi realizado um estudo piloto a partir da análise transversal com 72 indivíduos. As taxas de filtração glomerular (TFG) e os níveis plasmáticos de oxalato foram medidos para todos os pacientes. Resultados: A TFG mediana (IIQ) foi de 70,50 [39,0; 91,0] mL/min/1,73 m2. O nível plasmático de oxalato foi &lt; 5,0 µmol/L em todos os pacientes com TFG &gt; 30 mL/min/1,73 m2. Entre os 14 pacientes com DRC grave (TFG &lt; 30 mL/min/1,73 m2), apenas quatro apresentaram ligeiro aumento do nível plasmático de oxalato (entre 6 e 12 µmol/L). Conclusão: Na hiperoxalúria não primária, a concentração plasmática de oxalato aumenta quando TFG &lt; 30 mL/min/1,73 m2 e, em nossa opinião, valores superiores a 5 µmol/L com TFG &gt; 30 mL/min/1,73 m2 sugerem presença de hiperoxalúria primária. Estudos adicionais são necessários para confirmar o aumento do oxalato plasmático em pacientes com níveis baixos de TFG (&lt; 30 mL/min/1,73 m2). <![CDATA[Ativação de complemento em síndrome urêmica hemolítica atípica e crise renal por esclerodermia: uma análise crítica da fisiopatologia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100077&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Scleroderma is an autoimmune disease that affects multiple systems. While pathophysiologic mechanisms governing the development of scleroderma are relatively poorly understood, advances in our understanding of the complement system are clarifying the role of complement pathways in the development of atypical hemolytic uremic syndrome and scleroderma renal crisis. The abundant similarities in their presentation as well as the clinical course are raising the possibility of a common underlying pathogenesis. Recent reports are emphasizing that complement pathways appear to be the unifying link. This article reviews the role of complement system in the development of atypical hemolytic uremic syndrome and scleroderma renal crisis, and calls for heightened awareness to the development of thrombotic angiopathy in patients with scleroderma.<hr/>RESUMO A esclerodermia é uma doença autoimune que afeta múltiplos sistemas. Embora os mecanismos fisiopatológicos que regem o desenvolvimento da esclerodermia sejam relativamente pouco compreendidos, os avanços em nossa compreensão do sistema do complemento estão esclarecendo o papel das vias do complemento no desenvolvimento da síndrome urêmica hemolítica atípica e da crise renal da esclerodermia. As abundantes semelhanças em sua apresentação, bem como o curso clínico, estão aumentando a possibilidade de uma patogênese subjacente comum. Relatórios recentes estão enfatizando que as vias de complemento parecem ser o link unificador. Este artigo analisa o papel do sistema do complemento no desenvolvimento da síndrome urêmica hemolítica atípica e da crise renal na esclerodermia, e exige maior conscientização para com o desenvolvimento da angiopatia trombótica em pacientes com esclerodermia. <![CDATA[Infecção oral por <em>Pseudomonas aeruginosa</em> em paciente com doença renal crônica - um relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100082&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Chronic renal patients are more susceptible to hospital complications and infections such as urinary tract infections, peritonitis, surgery infections, and bacteremia, which are often caused by Pseudomonas aeruginosa. A case of a HIV-positive girl with chronic kidney disease and with serious oral lesions due to P. aeruginosa septic shock is presented. The patient showed necrotic lesions in the oral mucosa, pathological tooth mobility, bone loss, and hematogenous osteomyelitis in the maxilla. The patient was submitted to systemic antibiotic therapy based on screening culture and treatment of bone lesions by eliminating the causal agent and restoring health conditions. This case report is extremely important for health professionals, since the oral cavity can be affected by this pathogen or serve as a colonization site.<hr/>RESUMO Pacientes renais crônicos são mais suscetíveis a complicações e infecções hospitalares, tais como infecções do trato urinário, peritonite, infecções cirúrgicas e bacteremia, muitas vezes causadas por Pseudomonas aeruginosa. O presente relato apresenta o caso de uma menina HIV-positiva com doença renal crônica e lesões orais graves devido a choque séptico por P. aeruginosa. A paciente apresentava lesões necróticas na mucosa oral, mobilidade dentária patológica, perda óssea e osteomielite hematogênica maxilar. A paciente foi submetida a antibioticoterapia sistêmica com base na cultura de triagem e tratamento das lesões ósseas por meio da eliminação do agente causal e restauração das condições de saúde. Este relato de caso é extremamente importante para os profissionais da saúde, uma vez que a cavidade oral pode ser afetada por este patógeno ou servir como local de colonização. <![CDATA[Oncocitoma renal em paciente transplantado: achados de imagem na ultrassonografia com contraste]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100086&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Renal oncocytoma is an infrequently reported renal neoplasm, often asymptomatic, which usually behaves as a benign entity and is identified accidentally on radiological imaging. Transplant patients under long-term immunosuppressive drugs have a high prevalence of cancers, such as skin cancers, lymphoproliferative disorders, and renal carcinomas. We present a case report of an asymptomatic renal oncocytoma in a kidney transplant recipient presenting persistent hematuria. The features of computed tomography and contrast-enhanced ultrasound (CEUS) are presented. This was the first time we used CEUS in a transplant kidney recipient presenting a renal mass, allowing the real-time visualization of contrast-enhancement patterns during all vascular phases for the differential diagnosis of renal tumors. Although the pattern of intense vascularization could mislead to an early judgment as a malignant lesion, it could help to exclude other renal lesions without inducing nephrotoxicity.<hr/>Resumo O oncocitoma renal é uma neoplasia renal raramente relatada, muitas vezes assintomática, que geralmente se comporta como uma entidade benigna e é identificada acidentalmente em imagens radiológicas. Pacientes transplantados em regimes imunossupressores de longa duração apresentam alta prevalência de neoplasias tais como câncer de pele, distúrbios linfoproliferativos e carcinomas renais. Apresentamos o relato de um caso de oncocitoma renal assintomático em receptor de transplante renal com hematúria persistente. São apresentados os achados de imagens de tomografia computadorizada e ultrassonografia (US) com contraste. Foi a primeira vez que utilizamos a US com contraste em um receptor de transplante renal que apresentava massa renal, permitindo a visualização em tempo real dos padrões de realce do contraste em todas as fases vasculares para o diagnóstico diferencial dos tumores renais. Embora o padrão de vascularização intensa possa induzir uma avaliação precoce de lesão maligna, o exame ajuda a excluir outras lesões renais sem induzir nefrotoxicidade. <![CDATA[Síndrome da leucoencefalopatia posterior reversível (PRES) após transplante renal: um relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100091&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Introduction: Posterior reversible leukoencephalopathy syndrome (PRES) was first described by Hinchey in 1996. The syndrome is characterized by altered level of consciousness, headache, visual changes, and seizures associated with a vasogenic edema of the white matter that occurs predominantly in the occipital and parietal lobes. Imaging tests such as computed tomography (CT) and especially magnetic resonance imaging (MRI) support the diagnosis. Case Report: We report a case of a 48-year-old female patient who underwent a deceased donor kidney transplant and received tacrolimus as a part of the immunosuppressive regimen. Five weeks after transplantation she was admitted to the emergency due to sudden onset of confusion, disorientation, visual disturbances, and major headache. PRES was suspected and the diagnosis confirmed by brain MRI. Tacrolimus was withdrawn and rapid improvement of the neurological signs occurred leading to the conclusion that this drug triggered the syndrome. Conclusion: PRES is an unusual complication after organ transplantation and should be considered in the appropriate clinical setting. Physicians must be aware of this condition in order to provide early detection and appropriate treatment since delay in removing the cause may lead to permanent sequelae.<hr/>RESUMO Introdução: A síndrome da leucoencefalopatia posterior reversível (PRES) foi descrita pela primeira vez por Hinchey, em 1996. A síndrome é caracterizada por nível alterado de consciência, cefaleia, alterações visuais e convulsões associadas a edema vasogênico da substância branca, oriundo predominantemente nos lobos occipital e parietal. Exames de imagem como tomografia computadorizada (TC) e em particular a ressonância magnética (MRI) corroboram o diagnóstico. Relato de caso: relatamos o caso de uma paciente do sexo feminino de 48 anos submetida a transplante renal com doador falecido em regime imunossupressor com tacrolimus. Cinco semanas após o transplante, a paciente deu entrada no pronto-socorro por conta de aparecimento súbito de confusão, desorientação, distúrbios visuais e cefaleia intensa. As suspeitas diagnósticas recaíram sobre PRES, e a confirmação foi feita por imagens de ressonância magnética do cérebro. Tacrolimus foi suspenso e os sinais neurológicos da paciente melhoraram rapidamente, indicando que o medicamento desencadeou a síndrome. Conclusão: PRES é uma complicação incomum após o transplante de órgãos e deve ser considerada em ambiente clínico adequado. O corpo clínico deve estar ciente dessa patologia, de modo a detectá- -la precocemente e dar início ao tratamento, uma vez que atrasos na eliminação da causa podem levar a sequelas permanentes. <![CDATA[Histoplasmose disseminada em uma paciente transplantada renal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002018000100095&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Histoplasmosis is a fungus infection that mainly affects immunosuppressed patients. The authors present a case of a kidney transplant recipient who developed sepsis-like histoplasmosis, na atypical but severe manifestation of the disease. The fungus was found in blood and in a skin biopsy, and the treatment with liposomal amphotericin resulted in hepatotoxicity.<hr/>Resumo Histoplasmose é uma infecção fúngica que afeta principalmente pacientes imunossuprimidos. Os autores apresentam um caso de uma receptora de transplante de rim que desenvolveu histoplasmose disseminada, uma manifestação atípica, mas grave da doença. O fungo foi encontrado no sangue e na biópsia cutânea, e o tratamento com anfotericina lipossomal resultou em hepatotoxicidade.