Scielo RSS <![CDATA[Jornal Brasileiro de Nefrologia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-280020120001&lang=pt vol. 34 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>O papel global do transplante renal</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O Dia Mundial do Rim, em 8 de março de 2012, oferece uma chance para refletir sobre o sucesso do transplante renal como um tratamento para a doença renal em estágio terminal, que supera os tratamentos de diálise tanto pela qualidade quanto pela quantidade de vida, fornecida por estes, e devido ao custo-benefício. Qualquer coisa que seja tanto mais barata quanto melhor, mas que não seja realmente o tratamento dominante, deve ter outras desvantagens que previnam a substituição do tratamento da diálise pelo transplante. As barreiras para o transplante universal como a terapia para a doença renal em estágio terminal incluem as limitações econômicas, as quais, em alguns países, classificam o transplante, adequadamente, com prioridade inferior do que os fundamentos da saúde pública, tais como água limpa, saneamento e vacinação. Até mesmo em países de alta renda, os desafios técnicos da cirurgia e as consequências da imunossupressão restringem o número de receptores apropriados, mas as principais restrições limitadas das taxas de transplante renal são: a escassez de órgãos doados e a limitada mão de obra médica, cirúrgica e de enfermeiros com os conhecimentos necessários. Esses problemas têm soluções que envolvem um conjunto total dos ambientes social, profissional, governamental e político. O Dia Mundial do Rim é uma chamada para fornecer a terapia de transplante a um milhão de pessoas por ano, as quais têm o direito de se beneficiarem.<hr/>World Kidney Day on March 8th 2012 provides a chance to reflect on the success of kidney transplantation as a therapy for end stage kidney disease that surpasses dialysis treatments both for the quality and quantity of life that it provides and for its cost effectiveness. Anything that is both cheaper and better, but is not actually the dominant therapy, must have other drawbacks that prevent replacement of all dialysis treatment by transplantation. The barriers to universal transplantation as the therapy for end stage kidney disease include the economic limitations which, in some countries place transplantation, appropriately, at a lower priority than public health fundamentals such as clean water, sanitation and vaccination. Even in high income countries the technical challenges of surgery and the consequences of immunosuppression restrict the number of suitable recipients, but the major finite restrictions on kidney transplantation rates are the shortage of donated organs and the limited medical, surgical and nursing workforces with the required expertise. These problems have solutions which involve the full range of societal, professional, governmental and political environments. World Kidney Day is a call to deliver transplantation therapy to the one million people a year who have a right to benefit. <![CDATA[<b>Avaliação cardiológica de pacientes portadores de doença renal crônica</b>: <b>quais as lições?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Pacientes com doença renal crônica (DRC) apresentam sinergismo entre fatores de risco tradicionais para aterosclerose e emergentes derivados do estado urêmico. OBJETIVO: Traçar o perfil epidemiológico de um grupo de pacientes com DRC submetido à avaliação cardiológica. MÉTODOS: Pacientes sintomáticos - com isquemia em cintilografia miocárdica e/ou disfunção sistólica ao ecodopplercardiograma - com idade maior que 50 anos e diabetes mellitus (DM) como causa da DRC e aqueles com dois ou mais fatores de risco ateroscleróticos realizaram cineangiocoronariografia. Assintomáticos - não diabéticos e sem fatores de risco - foram investigados com ecodopplercardiograma e aqueles com único fator de risco, por meio de ecodopplercardiograma e cintilografia. RESULTADOS: Foram estudados 46 pacientes, 58,7% homens, idade de 50-70 ± 11,7 anos, 91,3% dialíticos. Tempo de hemodiálise: 61,96 ± 55,1 meses. Hipertensão arterial foi causa da DRC em 56,5%. Dos 28 pacientes (60,9%) submetidos à cineangiocoronariografia, 53,6% apresentaram doença arterial coronariana (DAC). Os pacientes foram divididos em três grupos: com DAC (A), sem DAC (B) e não submetidos à cineangiocoronariografia (C). Diferença significativa ocorreu entre os Grupos B e C na frequência de índice tibiobraquial (ITB) anormal (p = 0,026), com ausência de ITB anormal no Grupo C e na média de idade, superior no B (p = 0,045). No Grupo A, 53,3% dos pacientes estavam em avaliação pré-paratireoidectomia (PTX). CONCLUSÃO: Este estudo confirmou a alta frequência de alterações cardiovasculares, inclusive de DAC, nos pacientes portadores de DRC, principalmente naqueles em diálise.<hr/>INTRODUCTION: Patients with chronic kidney disease (CKD) experiment a synergistic effect of the traditional and the emerging uremia-related risk factors for atherosclerosis. OBJECTIVE: Draw the epidemiologic profile of a group of CKD patients who underwent cardiac evaluation. METHODS: Symptomatic patients, patients with ischemia on myocardial scintigraphy and/or systolic dysfunction on echocardiography, patients older than 50 years and diabetes mellitus (DM) as a cause of CKD, and those with two or more risk factors underwent coronary angiography. Asymptomatic, non-diabetic patients and patients with no risk factors were investigated with echocardiography. Those with a single risk factor were investigated with echocardiography and scintigraphy. RESULTS: 46 patients (58.7% men) were enrolled. Their mean age was 50.7 ± 11.7 years. 91.3% were on dialysis, for 61.96 ± 55.1 months. Hypertension was the cause of CKD in 56.5%. Of the 28 patients (60.9%) who underwent angiography, 53.6% had coronary artery disease (CAD). The patients were divided into three groups: those with CAD (A), those without CAD (B) and those who didn't undergo coronary angiography (C). A significant difference occurred only between groups B and C, as regards an abnormal ABI (p = 0.026), with no ABI abnormality in group C, and as regards the mean age, which was higher in group B (p = 0.045). In group A, 53.3% of the patients were in the preoperative stage of parathyroidectomy. CONCLUSION: This study confirmed the high rate of cardiovascular disorders, including CAD, in patients with CKD, especially those on dialysis. <![CDATA[<b>Prevalência de síndrome metabólica e fatores associados em pacientes transplantados renais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A população de pacientes submetidos ao transplante renal é considerada de alto risco para desenvolver obesidade e alterações no metabolismo lipídico e da glicose, devido ao uso de drogas imunossupressoras e da liberdade na alimentação no período pós-transplante. OBJETIVO: Este estudo foi desenhado para avaliar a prevalência da síndrome metabólica em receptores de transplante renal e para identificar os fatores associados com sua ocorrência. MÉTODOS: Realizou-se um estudo transversal em pacientes transplantados renais com mais de seis meses de acompanhamento. A síndrome metabólica foi diagnosticada de acordo com os critérios do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III. RESULTADOS: Entre os 87 pacientes inscritos, 39 (44,8%) apresentavam o fenótipo da síndrome metabólica. A idade média dos pacientes foi de 43,5 ± 12,1 anos, com predomínio do sexo masculino (69,0%) e brancos (66,7%). Os tempos médios e a mediana pós-transplante foram 64,2 ± 49,4 e 56 meses, respectivamente. Todos os 12 pacientes que desenvolveram diabetes mellitus pós-transplante também satisfizeram os critérios para a síndrome metabólica, o que comprometeu a inclusão desta variável na regressão logística. Na análise univariada, pacientes com síndrome metabólica apresentaram maior média de idade (p = 0,008), maior média no nível sérico de ciclosporina (p = 0,021), maior prevalência de história de doença coronariana (p = 0,023), e usaram com maior frequência beta-bloqueadores (p = 0,011) e bloqueadores do canal de cálcio (p = 0,039). Na análise multivariada, a idade (HR = 1,06; IC 95% 1,01 - 1,11, p = 0,006) e o uso de beta-bloqueadores (HR = 4,02; IC 95% = 1,41 - 11,4, p = 0,009) foram associados com risco aumentado de síndrome metabólica. CONCLUSÃO: A síndrome metabólica foi altamente prevalente na po- pulação de transplantados renais estudados, e foi asso- ciada com maior idade, uso de beta-bloqueadores e o diabetes mellitus pós-transplante.<hr/>INTRODUCTION: The population of patients undergoing renal transplantation is considered at highrisk for developing obesity and changes in lipid and glucose metabolism, due to the use of immunosuppressive drugs and increased food freedom in the post-transplant period. OBJECTIVE: This study was designed to assess the prevalence of metabolic syndrome in renal transplant recipients and to identify factors associated with its occurrence. METHODS: A cross-sectional study was performed in renal transplant patients, with more than six months of follow-up. The metabolic syndrome was diagnosed according to the criteria of the National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III. RESULTS: Among the 87 pa- tients enrolled, 39 (44.8%) presented the phenotype of metabolic syndrome. The mean age of the patients was 43.5 ± 12.1 years-old, with a predominance of male (69.0%) and white (66.7%). The mean and median times of post transplant follow-up were 64.2 ± 49.4 and 56 months, respectively. All the 12 patients who developed post-transplant diabetes mellitus also met the criteria for metabolic syndrome, which compromised the inclusion of this variable in the logistic regression. In the univariate analysis, patients with metabolic syndrome had higher mean age (p = 0.008), higher median blood level of cyclosporine (p = 0.021), higher prevalence of history of coronary disease (p = 0.023), and they were more frequent users of beta (p = 0.011) and calcium- channel blockers (p = 0.039). In the multivariate analysis, age (HR = 1.06; 95% CI=1.01-1.11, p=0.006) and use of beta-blockers (HR = 4.02; 95% CI = 1.41 - 11.4, p = 0.009) were asso- ciated with increased risk of metabolic syndrome. CONCLUSION: Metabolic syndrome was highly prevalent in the population of renal trans- plant recipients studied, and it was associated with older age, use of beta-blockers, and post-transplant diabetes mellitus. <![CDATA[<b>Cálculo de Kt/V em hemodiálise</b>: <b>comparação entre fórmulas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A qualidade da diálise oferecida aos pacientes em diálise pode ser mensurada pelo Kt/V, o qual pode ser calculado de diversas maneiras. OBJETIVO: Comparar os resultados de Kt/V obtidos por meio das fórmulas de Lowrie (L) e de Daugirdas (D) com os resultados mensurados pelo monitor de clearence on-line - Online Clearence Monitor (OCM). MÉTODO: Estudo observacional transversal com 59 pacientes em hemodiálise (HD). Os dados foram coletados na mesma sessão de diálise: (ureia pré-diálise e pós-diálise) e o resultado de Kt/V foi obtido pelo OCM da máquina Fresenius 4008S (Fresenius Medical Care AG, Bad Homburg, Alemanha). RESULTADO: Foram analisadas 95 sessões, em que prevaleceu o sexo masculino, 56% (33), com idade média de 57 + 14 anos. A hipertensão arterial com 42% (25), diabetes com 12% (7) e glomerulonefrite com 8% (5) foram as causas mais frequentes da doença renal crônica (DRC). O Kt/V médio obtido pela fórmula de L, de D e pelo OCM foi de 1,31; 1,41 e 1,32, respectivamente. A comparação entre as fórmulas de L e D mostra que há diferença estatística p = 0,008 com a correlação de Pearson de 0,950. Entre D e OCM a diferença também é significativa: p = 0,011 e r = 0,346, provavelmente devido a perda convectiva, avaliada pela equação de D e não observadas por OCM e L. A comparação entre L e OCM não foi significativa p = 0,999 e r = 0,577. CONCLUSÃO: Os dados sugerem que o OCM pode ser utilizado como um norteador para ajuste da dose de diálise em tempo real.<hr/>INTRODUCTION: The quality of delivered dialysis can be measured by the Kt/V ratio, which can be calculated in various ways. OBJECTIVE: To compare the Kt/V ratio obtained with the formulas of Lowrie (L) and Daugirdas (D) with the results measured by an Online Clearance Monitor (OCM). Method: Observational, cross-sectional study of 59 patients on hemodialysis (HD). Data were collected in the same dialysis session (predialysis and postdialysis urea) and Kt/V was calculated by the OCM of the Fresenius 4008S machine (Fresenius Medical Care AG, Bad Homburg, Germany). RESULTS: A total of 95 sessions were assessed, with a predominance of males 56% (33), and a sample mean age of 57 + 14 years. Hypertension (42%; n = 25), diabetes (12%; n = 7) and glomerulonephritides (8%; n = 5) were the most frequent causes of chronic kidney disease (CKD). Mean Kt/V values obtained with the L and D formulas and the OCM were 1.31, 1.41 and 1.32, respectively. Comparison between the L and D formulas showed a statistically significant difference (p = 0.008), with a Pearson's correlation of 0.950. The difference between the D formula and the OCM was also significant (p = 0.011 and r = 0.346), probably due to convective loss, estimated by the D formula but not by the OCM and L formula. The difference between the L formula and the OCM was not significant (p = 0.999 and r = 0.577). CONCLUSION: These data suggest that the OCM can be used as a guide to the real-time adjustment of the dialysis dose. <![CDATA[<b>Análise comparativa entre a albumina pré- e pós-dialise como indicadores do risco nutricional e de morbimortalidade em hemodiálise</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A albumina pré-diálise pode ter sua utilidade questionada na avaliação do estado proteico devido ao efeito dilucional nesse período. OBJETIVOS: Avaliar se a albumina sérica dosada no período pós-diálise (pós-HD) seria um melhor marcador do estado nutricional e do risco de mortalidade, comparada à albumina pré-diálise. MÉTODOS: Investigou-se a correlação entre a albumina pré- e pós-HD e: o índice de massa corpórea (IMC), a adequação da circunferência muscular do braço (CMB) e da prega tricipital (PCT) ao percentil 50 (P50), proteína C-reativa ultrassensível (hs-PCR), o ângulo de fase (PA), o PNA (equivalente proteico do aparecimento de nitrogênio), o índice de adequação da diálise (Kt/V) e o estado de hidratação (correlação de Pearson). A concordância no diagnóstico do estado nutricional segundo a albumina pré- e pós-HD e o PA foi testada pelo coeficiente Kappa (K) (Bland-Altman). RESULTADOS: Foram incluídos 58 pacientes em hemodiálise (HD) (30 do sexo feminino, com idade média de 49 anos). O IMC, o PA e a hs-PCR apresentaram correlação significativa com a albumina pré- e pós-HD, enquanto a adequação da CMB ao P50 e o PNA o fizeram apenas com a albumina pós-HD. A concordância no diagnóstico de desnutrição, segundo o PA < 5 e albumina pré- e pós-HD < 3,2 g/dL foi regular (K = 0,432). Quando o ponto de corte da albumina para desnutrição foi de 3,7 g/dL (desnutrição leve ou risco de desnutrição), os diagnósticos foram concordantes somente no período pós-HD (K = 0,544). CONCLUSÃO: A albumina pós-diálise parece ser um melhor marcador do estado nutricional e de risco de mortalidade nos casos de desnutrição leve ou risco de desnutrição e nas situações de médio a baixo risco de mortalidade. O estado de hiper-hidratação pré-diálise pode representar um fator de confusão na interpretação clínica da albumina.<hr/>INTRODUCTION: Pre-dialysis albumin is likely to be falsely low due to a dilution effect, making its usefulness in assessing protein status questionable. OBJEVTIVES: The purpose of this study was to assess whether post-dialysis albumin would be a better marker of malnutrition and risk of mortality, when compared to pre-dialysis albumin. METHODS: We evaluated the correlation between pre- and post-dialysis albumin and the following parameters: body mass index (BMI), adequacy of muscle arm circumference (MAC) and tricipital skinfold (TS) to the 50th percentile (P50), C-reactive protein (CRP), phase angle (PA), protein equivalent of nitrogen appearance (PNA), the Kt/V index of dialysis adequacy, and the hydration status (Pearson's correlation coefficient). Agreement in the nutritional status according to pre- and post-dialysis (post-HD) albumin and PA was estimated according to the Kappa (K) coefficient (Bland-Altman). RESULTS: A total of 58 haemodialysis (HD) patients were included in this study (30 female; mean age: 49 years). BMI, PA and CRP had a significant correlation with pre- and post-HD albumin, while MAC and PNA correlated only with post-HD albumin. Agreement in the diagnosis of malnutrition according to PA < 5 and pre- and post-HD albumin < 3.2 g/dL was regular (K = 0.432). When using an albumin cut-off value of 3.7 g/dL for malnutrition (mild malnutrition or risk of malnutrition), the diagnosis was concordant only in the post-HD period (K = 0.544). CONCLUSIONS: Post-dialysis albumin levels may be a better marker of protein status and mortality risk in cases of mild malnutrition or risk of malnutrition and in patients with low/medium mortality risk. Pre-dialysis fluid overload may be a confounding factor when evaluating albumin levels. <![CDATA[<b>Efeito da perda de peso sobre a hemodinâmica renal em portadores da síndrome metabólica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: No presente artigo, investigou-se o impacto da redução do peso corporal na excreção urinária de albumina e na depuração da creatinina em indivíduos obesos com síndrome metabólica. MÉTODOS: Trinta e cinco indivíduos foram submetidos à dieta hipocalórica por um período de 12 semanas, visando uma redução mínima de 5% do peso corporal. Os voluntários foram submetidos à avaliação metabólica (teste oral de tolerância à glicose, dosagens de lípides plasmáticos e ácido úrico) e à avaliação de parâmetros hemodinâmicos renais (depuração da creatinina e excreção urinária de albumina), antes (fase 1) e após 12 semanas de dieta hipocalórica (fase 2). RESULTADOS: Após o período de intervenção, os voluntários foram divididos em dois grupos: indivíduos que atingiram o alvo para redução de peso (respondedores: R, n = 14) e pacientes que não atingiram a meta para redução de peso (não-respondedores: NR, n = 21). Indivíduos do Grupo R apresentaram melhora do perfil lipídico, da redução da excreção urinária de albumina (mediana = 162.5 mg/24 horas, variação: 0,8 a 292 mg/24 horas, na fase 1 para 10,4 mg/24 horas, variação: 1,6 a 22,4 mg/24 horas, na fase 2), além de redução significante da depuração da creatinina (121,4 ± 66,5 mL/min. para 92,9 ± 35,6 mL/min., p = 0,001). No Grupo NR, não foram observadas diferenças estatisticamente significantes entre as fases 1 e 2 do estudo. CONCLUSÃO: A redução do peso corporal teve impacto positivo na hemodinâmica renal, reduzindo a excreção urinária de albumina e a hiperfiltração glomerular em indivíduos obesos com síndrome metabólica.<hr/>OBJECTIVE: We investigated the impact of weight loss on urinary albumin excretion (UAE) and creatinine clearance in obese patients with metabolic syndrome. METHODS: Thirty-five obese patients undertook a 12-week calorie-restricted diet. The patients underwent a metabolic (oral glucose tolerance test, plasma lipids, and uric acid) and renal hemodynamic evaluations (creatinine clearance and urinary albumin excretion) before (phase 1), and after the 12-week diet (phase 2). RESULTS: After the dietary intervention, the subjects were divided into two groups: patients who achieved the target weight reduction (R: responders, n = 14), and patients who did not (NR: non-responders, n = 21). The patients in Group R showed an improvement in lipid profile, a decrease in UAE (median = 162.5 mg/24 hours, range: 0.8 to 292 mg/24 hours, at phase 1 versus 10.4 mg/24 hours, range: 1.6 to 22.4 mg/24 hours, at phase 2), and a significant reduction in creatinine clearance (121.4 ± 66.5 mL/min. in phase 1 to 92.9 ± 35.6 mL/min. at the end of phase 2, p = 0.001). In Group NR, no statistically significant differences were observed between phases 1 and 2. CONCLUSION: Body weight reduction has a positive impact on renal hemodynamics, decreasing urinary albumin excretion as well as glomerular hyperfiltration in obese patients with metabolic syndrome. <![CDATA[<b>Similaridade entre os valores da pressão arterial aferida pelo método auscultatório com aparelho de coluna de mercúrio e o método oscilométrico automático com aparelho digital</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Um dos maiores desafios no manejo da hipertensão arterial é o adequado controle pressórico. Para se alcançar esse objetivo tem se difundido a medida residencial da pressão arterial (MRPA) com aparelhos automáticos. Entretanto, parte da comunidade médico-científica ainda discute sua validade, acreditando que as medidas pressóricas domiciliares podem ser incorretas. OBJETIVO: Avaliar a correspondência entre as medidas simultâneas da pressão arterial (PA) pelo método auscultatório convencional e método digital automático, habitualmente utilizado na MRPA. MÉTODOS: Através de uma conexão em "Y" acoplamos um manguito a um aparelho digital automático validado (ONROM 705IT) e a um esfigmomanômetro de coluna de mercúrio, permitindo aferir simultaneamente a PA pelos dois métodos. Determinamos a PA em 423 indivíduos (normotensos e hipertensos), adequando o tamanho do manguito à circunferência braquial. RESULTADOS: Os valores representam média ± desvio padrão (DP) (valores mínimo-máximo): Idade 40,8 ± 16,3 anos (18-92), circunferência braquial 28,2 ± 3,7 cm (19-42), PA sistólica (PAS) auscultatório 127,6 ± 22,8 mmHg (69-223), PAS automático 129,5 ± 23,0 mmHg (56-226), PA diastólica (PAD) auscultatório 79,5 ± 12,6 mmHg (49-135), PAD automático 79,0 ± 12,6 mmHg (48-123). A diferença média da PAS entre os dois métodos foi de 1,9 mmHg (-15 a +19) e a diferença da PAD de 0,5 mmHg (-19 a +13). Os índices de correlação de Pearson entre os métodos são para a PAS (r = 0,97), e PAD (r = 0,91). A análise de Bland-Altman mostrou concordância clinicamente aceitável entre os métodos. CONCLUSÃO: A PA aferida pelo método digital automático apresenta boa concordância com o método auscultatório convencional, devendo ser usada no auxílio do diagnóstico e controle da hipertensão arterial (HA).<hr/>INTRODUCTION: One of the biggest challenges in the management of hypertension is adequate blood pressure (BP) control. To achieve this goal, home blood pressure measurement (HBPM) with automated devices has been encouraged. However, part of the medical community still disputes its validity, believing that HBPM may lead to incorrect readings. OBJECTIVE: To evaluate the correspondence between the simultaneous measurements of BP with the auscultatory method and an oscillometric digital method, commonly used in HBPM. METHODS: BP was determined simultaneously in 423 individuals (normotensive and hypertensive) with a validated automated digital device (ONROM 705IT) and with the auscultatory method with a mercury sphygmomanometer. Both devices were connected through a Y-shaped connection to a cuff whose size was adjusted to the arm circumference. RESULTS: The values represent mean ± SD (minimum-maximum values): age 40.8 ± 16.3 years (18-92), arm circumference 28.2 ± 3.7 cm (19-42), systolic BP (SBP) auscultatory 127.6 ± 22.8 mmHg (69-223), SBP automated 129.5 ± 23.0 mmHg (56-226), diastolic BP (DBP) auscultatory 79.5 ± 12.6 mmHg (49-135) DBP automated 79.0 ± 12.6 mmHg (48-123). The mean difference in SBP between the two methods was 1.9 mmHg (-15 to +19) and 0.5 mmHg for DBP (-19 to +13). The Bland-Altman analysis showed clinically acceptable agreement between the methods. CONCLUSION: BP measured with the automated method closely mirrors that determined with the conventional auscultatory method and should be used to improve the diagnosis and control of hypertension. <![CDATA[<b>Eventos vitais estressores e lesão renal aguda em centros de terapia semi-intensiva e intensiva</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Diversos estudos evidenciam que as alterações fisiopatológicas, quando associadas ao estresse, podem influenciar a fisiologia renal e estão associadas ao aparecimento de doenças. Entretanto, não foi encontrado nenhum estudo que tivesse realizado investigação associando estresse e lesão renal aguda. OBJETIVO: Avaliar a associação entre os eventos vitais estressores e o diagnóstico de lesão renal aguda, especificando as classes de eventos mais estressores para esses pacientes, nos últimos 12 meses. MÉTODOS: Estudo caso-controle. Foi realizado no Hospital São Paulo da Universidade Federal de São Paulo e no Hospital dos Servidores do Estado de São Paulo. Foram incluídos pacientes com lesão renal aguda, sem doenças crônicas, assistidos em Centros de Terapia Intensiva ou semi-intensivas. Os Controles incluíram pacientes assistidos nos mesmos Centros de Terapia Intensiva, com outras doenças agudas, exceto lesão renal aguda e, também, sem doenças crônicas. Dos 579 pacientes inicialmente identificados, 475 responderam ao instrumento Social Readjustment Rating Scale (SRRS) e 398 pacientes foram pareados por idade e sexo (199 casos/199 controles). RESULTADOS: Constatou-se que a frequência dos eventos vitais estressores nos casos apresentava equivalência estatística aos controles. A regressão logística para examinar os efeitos combinados das variáveis independentes associados aos eventos estressantes evidenciou que: o aumento da idade e as classes econômicas AB intensificam a chance da presença do evento estressante em cerca de duas vezes; as classes socioeconômicas AB do Hospital São Paulo elevam a chance de evento estressante. CONCLUSÕES: O presente estudo não evidenciou que o grupo com lesão renal aguda estivesse associado à maior frequência de eventos estressores, mas idade e renda elevadas e, ainda, o tipo de centro clínico estão associados.<hr/>INTRODUCTION: Several studies point out that pathophysiological changes related to stress may influence renal function and are associated with disease onset and evolution. However, we have not found any studies about the influence of stress on renal function and acute kidney injury. OBJECTIVE: To evaluate the association between stressful life events and acute kidney injury diagnosis, specifying the most stressful classes of events for these patients in the past 12 months. METHODS: Case-control study. The study was carried out at Hospital São Paulo, in Universidade Federal de São Paulo and at Hospital dos Servidores do Estado de São Paulo, in Brazil. Patients with acute kidney injury and no chronic disease, admitted to the intensive or semi-intensive care units were included. Controls included patients in the same intensive care units with other acute diseases, except for the acute kidney injury, and also with no chronic disease. Out of the 579 patients initially identified, 475 answered to the Social Readjustment Rating Scale (SRRS) questionnaire and 398 were paired by age and gender (199 cases and 199 controls). RESULTS: The rate of stressful life events was statistically similar between cases and controls. The logistic regression analysis to detect associated effects of the independent variables to the stressful events showed that: increasing age and economic classes A and B in one of the hospitals (Hospital São Paulo - UNIFESP) increased the chance of a stressful life event (SLE). CONCLUSIONS: This study did not show association between the Acute Kidney Injury Group with a higher frequency of stressful life events, but that old age, higher income, and type of clinical center were associated. <![CDATA[<b>Insuficiência e deficiência de vitamina D em pacientes portadores de doença renal crônica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Hipovitaminose D é bem documentada em pacientes portadores de doença renal crônica (DRC). Espera-se níveis inferiores em habitantes de regiões não tropicais em relação aos habitantes de regiões tropicais, pela inferição de uma maior exposição solar e maior produção de vitamina D. OBJETIVO: Analisar os níveis séricos de vitamina D, como 25-hidroxivitamina D - 25(OH)D, de 125 pacientes brasileiros portadores de DRC em fase pré-dialítica. MÉTODOS: Foram estudados 125 pacientes (57,4 ± 16,2 anos, 78 brancos e 55,2% homens), com creatinina de 2,67 ± 1,73 mg/dL e o clearance estimado 43,7 ± 34,5 mL/min. O índice de massa corporal era de 27,4 ± 4,7 kg/m² e a circunferência abdominal de 95,0 ± 14,0 cm. O cálcio era de 9,3 ± 0,6 mg/dL, o paratormônio intacto (PTHi) 212,6 ± 221,2 pg/mL e a albumina sérica 4,2 ± 0,6 g/dL. A média de 25(OH)D era de 23,9 ± 10,7 ng/mL. RESULTADOS: Dos 125 pacientes, 92 (72,6%) apresentavam níveis de 25(OH)D < 30 ng/mL, sendo que 65 (52%) apresentavam insuficiência (15-29 ng/mL); 27 (21,5%) apresentavam deficiência (5-14 ng/mL) e apenas um paciente apresentava deficiência severa < 5 ng/mL. Não foram observadas diferenças entre os níveis de 25(OH)D nos pacientes estratificados quanto ao estágio de DRC. Os níveis de 25(OH)D foram maiores nos homens (38,1 ± 20,6 versus 22,4 ± 9,7 ng/ml; p < 0,0001), havendo também uma correlação inversa entre os níveis de 25(OH)D e de PTHi, proteinúria e circunferência abdominal, e uma correlação positiva entre 25(OH)D e cálcio total e albumina sérica. Na análise multivariada, encontrou-se apenas correlação inversa entre 25(OH)D e circunferência abdominal e PTHi. CONCLUSÃO: A despeito de a população do Brasil estar em um clima tropical, a maioria dos pacientes analisados apresentou níveis séricos subótimos de vitamina D, podendo este achado estar relacionado ao desenvolvimento de hiperparatireoidismo.<hr/>INTRODUCTION: Vitamin D deficiency is common among patients with chronic kidney disease (CKD). A higher level of serum vitamin D is expected in residents of the tropics in relation to inhabitants of non-tropical regions, due to greater sun exposure and increased production of vitamin D. OBJECTIVE: To analyze serum levels of vitamin D, such as 25-hydroxyvitamin D - 25(OH)D, in Brazilian patients at the predialytic stage with CKD. METHODS: We studied 125 patients (aged 57.4 ± 16.2 years, 78 were white and 55.2%, male), with creatinine 2.67 ± 1.73 mg/dL and creatinine clearance 43.7 ± 34.5 mL/min. Body mass index was 27.4 ± 4.7 kg/m², and waist circumference was 95.0 ± 14.0 cm. Calcium was 9.3 ± 0.6 mg/dL, intact parathormone (iPTH) 212.6 ± 221.2 pg/mL and serum albumin 4.2 ± 0.6 g/dL. The mean 25(OH)D was 23.9 ± 10.7 ng/mL. RESULTS: Out of the 125 patients, we found that 92 (72.6%) had suboptimal levels of 25(OH)D < 30 ng/mL, and 65 (52%) had vitamin D insufficiency (15-29 ng/mL); 27 (21.5%) had deficiency (5-14 ng/mL) and only one patient had severe vitamin D deficiency <5 ng/mL. No differences were observed among the levels of 25 (H)D in stratified patients as to the CKD stage. Levels of 25(OH)D were higher among males (38.1 ± 20.6 versus 22.4 ± 9.7 ng/mL; p < 0.0001), and there was an inverse correlation between levels 25(OH)D and iPTH, proteinuria and abdominal circumference, and a positive correlation between 25(OH)D and calcium and serum albumin. Multivariate analysis only showed inverse correlation between serum 25(OH)D and iPTH and abdominal circumference. CONCLUSION: Even though the Brazilian population live in a tropical region, most patients had suboptimal levels of serum vitamin D, and this pattern may play a role in the development of hyperparathyroidism. <![CDATA[<b>Relação proteína/creatinina na urina versus proteinúria de 24 horas na avaliação de nefrite lúpica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Tem-se defendido a utilização do índice urinário proteína e creatinina em substituição à determinação de proteinúria de 24 horas para acompanhamento de doenças glomerulares, considerando-se as vantagens de maior facilidade na coleta e o menor custo. Entretanto, há dúvidas quanto à pertinência de usar este índice tanto numa avaliação isolada como no seguimento de pacientes com nefrite lúpica. OBJETIVO: Avaliar as determinações de proteinúria de 24 horas e proteinúria em amostra isolada de urina, fazendo a correção pela creatinina urinária, relação proteinúria/creatininúria, em indivíduos com nefrite lúpica. MÉTODOS: Determinações de proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria por métodos convencionais (Pirogalol automatizado para proteinúria e picrato alcalino para creatinina). RESULTADOS: Foram comparadas 78 amostras de urina de 41 pacientes com diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico, segundo os critérios da Associação Americana de Reumatologia, com nefrite lúpica, constatando-se uma boa correlação entre proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria (r = 0,9010 e r² = 0,813). Não se observou, entretanto, uma boa correlação entre proteinúria em amostra isolada (sem correção pela creatinina urinária) versus aquela de 24 horas (r = 0,635 e r² = 0,403) ou versus relação proteinúria/creatininúria (r = 0,754 e r² = 0,569). CONCLUSÃO: Os marcadores de proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria isoladamente mostraram-se úteis no acompanhamento de cada caso. Porém, observou-se que os seus valores absolutos são diferentes, não possibilitando a substituição de um pelo outro ao longo do seguimento, particularmente quando este resultado é usado para definição de atividade da doença. Se necessário, sugere-se um período de intersecção (duas a três determinações pelos dois métodos) para mudança de um para outro e escolha de um único marcador preferencial para seguimento da proteinúria.<hr/>INTRODUCTION: The urinary protein/creatinine ratio has been used instead of 24-hour proteinuria in Nephrology practice for the follow-up of glomerular diseases, considering the advantages of collection and the low cost. However, there are still doubts as to its applicability both for an isolated evaluation and for the follow-up of patients with lupus nephritis. OBJECTIVE: To evaluate 24-hour proteinuria determinations and random urine samples, performing urinary creatinine correction and urinary protein/creatinine ratio in subjects with lupus nephritis. METHODS: 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio were determined by conventional methods (automated Pyrogallol for proteinuria and alkaline picrate for creatinine). RESULTS: Seventy-eight urine samples of 41 patients diagnosed with systemic lupus erythematosus, according to the American Rheumatology Association, with lupus nephritis, were analyzed, and a good correlation between 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio (r = 0.9010 and r² = 0.813) was observed. However, a poor correlation between random proteinuria (without creatinine correction) versus 24-hour proteinuria (r = 0.635 and r² = 0.403) or versus urinary protein/creatinine ratio (r = 0.754 and r² = 0.569) was seen. CONCLUSION: 24-hour proteinuria and urinary protein/creatinine ratio were useful in the follow-up of each case. However, we observed that the absolute values were different, which did not allow the replacement of one for the other during follow-up, especially when this result is used to define the activity of the disease. Based on these results, we suggest a period of intersection from one to the other (two to three determinations by both methods), and the choice of one marker for proteinuria follow-up, if necessary. <![CDATA[<b>Associação entre fatores de risco clínicos e laboratoriais e progressão da doença renal crônica pré-dialítica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A doença renal crônica (DRC) é muito prevalente e representa um importante problema de saúde pública. O maior conhecimento dos fatores de risco relacionados à progressão da DRC permite adotar estratégias terapêuticas que podem alterar o curso natural da doença. OBJETIVO: Avaliar o impacto de variáveis clínicas e laboratoriais à admissão nos desfechos de óbito e início de terapia renal substitutiva (TRS). MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectiva, composta de 211 pacientes adultos com DRC nos estágios 3-5 tratados, acompanhados por 56,6 ± 34,5 meses. RESULTADOS: A idade média dos pacientes foi de 65,4 ± 15,1 anos, sendo 63,5% com &gt; 60 anos. As principais etiologias de DRC foram nefroesclerose hipertensiva (29%) e doença renal diabética (DRD) (17%). A maioria dos pacientes encontrava-se no estágio 4 da DRC (47,3%). A perda média anual de taxa de filtração glomerular (TFG) foi 0,6 ± 2,5 mL/min/1,73 m² (mediana 0,7 mL/min/1,73 m²). Após os ajustes para as variáveis demográficas, clínicas e laboratoriais, concluiu-se que apresentar DRD [risco relativo (RR) 4,4; intervalo de confiança (IC) 95%, 1,47-13,2; p = 0,008] foi preditor de TRS e a idade (RR 1,09; IC 95%, 1,04-1,15; p < 0,0001) e o não tratamento com bloqueador do receptor da angiotensina (BRA) (RR 4,18; IC 95%, 1,34-12,9; p = 0,01) foram preditores de óbito. A sobrevida renal e a geral dos pacientes foram de 70,9% e 68,6%, respectivamente. CONCLUSÃO: Neste estudo, os pacientes com DRC nos estágios 3-5 tratados conservadoramente apresentaram estabilização funcional e baixa mortalidade, desfechos associados à DRD, idade e não tratamento com BRA.<hr/>INTRODUCTION: Chronic kidney disease (CKD) is a very common condition that has become a public health issue. Knowing more about risk factors associated with the progression of CKD allows therapeutic interventions that may change the natural course of the disease. OBJECTIVE: To evaluate the impact of clinical and laboratory variables at admission on the outcomes death and need for renal replacement therapy (RRT). METHODS: A retrospective cohort study comprised of 211 adult patients with stages 3-5 CKD, followed-up for 56.6 ± 34.5 months. RESULTS: Mean age of patients was 65.4 ± 15.1 years and 63.5% were &gt; 60 years. The main causes of CKD were hypertensive nephrosclerosis (29%) and diabetic kidney disease (DKD) (17%). Most patients (47.3%) were on stage 4 CKD. The mean annual loss of glomerular filtration rate (GFR) was 0.6 ± 2.5 mL/min/1.73 m² (median 0.77 mL/min/1.73 m²) After the adjustments for demographic, clinical and laboratory variables, DKD [relative risk (RR) 4.4; 95% confidence interval (CI), 1.47 to 13.2; p = 0.008] was predictive of RRT; age (RR 1.09; 95% CI, 1.04 to 1.15; p < 0.0001) and the non-treatment with angiotensin receptor blocker (ARB) (RR 4.18, 95% CI, 1.34 to 12.9; p = 0.01) were predictors of death. Renal and patient survival rates were 70.9% and 68.6%, respectively. CONCLUSION: In this study, patients with stage 3-5 CKD treated conservatively showed stabilization of renal function and low mortality, which were impacted by DKD, age and to not using ARB, respectively. <![CDATA[<b>Peritonite por Salmonella em paciente em diálise peritoneal automática</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Descreve-se a evolução clínica de um caso de peritonite por Salmonella sp. após episódio de salmonelose intestinal, e uma breve revisão da literatura também foi realizada.<hr/>We describe the clinical course of a case of peritonitis caused by Salmonella sp. after an episode of intestinal salmonellosis, and a brief review of the literature is also done. <![CDATA[<b>Uso a longo prazo de enalapril e hidroclorotiazida em dois pacientes com novas mutações com doença de Dent tipo 1</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença de Dent é uma tubulopatia ligada ao X causada por mutações no gene que codifica o canal de cloro CLCN-5 e é caracterizada por proteinúria de baixo peso molecular, hipercalciúria, nefrocalcinose e insuficiência renal. Vários casos têm sido descritos, nos quais o único sintoma na apresentação foi proteinúria assintomática e glomerulosclerose global ou segmentar. A insuficiência renal nesses pacientes pode ser causada pela hipercalciúria e proteinúria persistente. Portanto, o inibidor da enzima de conversão da angiotensina e os tiazídicos poderiam ser úteis. O objetivo desta pesquisa é relatar os efeitos destas drogas em dois pacientes com doença de Dent tipo 1 com mutações novas. Neste relato não foram observadas correlações significativas entre dose de hidroclorotiazida e calciúria e entre enalapril e proteinúria. Este achado é importante, pois, sendo pacientes poliúricos, o uso destas drogas poderia prejudicar a função renal<hr/>Dent's disease type 1 is an X-linked tubular disease caused by mutations in the renal chloride channel CLCN-5, and it is characterized by low molecular weight proteinuria, hypercalciuria, nephrocalcinosis, and renal failure. Several cases have been described in which the only presenting symptoms were asymptomatic proteinuria, and focal segmental or global glomerulosclerosis. The renal failure in these patients may be caused by hypercalciuria and persistent proteinuria. Therefore, angiotensin converse enzyme inhibitor and thiazides could be useful. Our aim is to report the effects of these drugs in two novel mutations patients with Dent's disease type 1. In this report, no significant correlations between dosage of hydrochlorothiazide and calciuria and no significant correlations between proteinuria and dosage of enalapril were detected. This is important since these are polyuric patients and these drugs could be dangerous to their renal function. <![CDATA[<b>Aplicação da biologia molecular na abordagem da síndrome de Bartter</b>: <b>relato de caso</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho teve como objetivo mostrar a utilidade da biologia molecular para o diagnóstico da síndrome de Bartter (SB) por meio do relato de caso de duas irmãs e propor um algoritmo para abordagem molecular dessa síndrome. Os dois casos relatados apresentaram prematuridade, gestação complicada com poli-hidrâmnio e baixo peso ao nascer. Durante o primeiro ano de vida, as crianças apresentaram poliúria, polidipsia e atraso no crescimento, o que levou à investigação de doenças tubulares renais e erros inatos do metabolismo. Os exames laboratoriais sugeriram SB, mas a confirmação diagnóstica só foi obtida pela detecção de mutação em homozigose no exon 5 do gene KCNJ1, resultando em substituição do aminoácido alanina por valina no códon 214 (A214V) nas duas fitas de DNA nas duas irmãs e de mutação em heterozigose em seus pais. O diagnóstico de certeza da SB muitas vezes é difícil de ser obtido. Dessa forma, por meio dos casos relatados, mostrou-se a utilidade de métodos moleculares para o diagnóstico de certeza da SB, e foi proposto um algoritmo para a utilização racional dessas técnicas.<hr/>This paper aims to show the utility of molecular biology for diagnose Bartter syndrome (BS) by the case report of two sisters and to propose a diagram for the molecular approach of this syndrome. The two reported cases presented prematurity, pregnancy complicated with polyhydramnio and low birth weight. During the first year of life, children exhibited polyuria, polydipsia and failure to thrive, leading to the investigation of renal tubular diseases and innate errors of metabolism. The laboratorial exams suggested BS, but the definitive diagnostic was only obtained by the detection of homozygous mutation on the exon 5 of the gene KCNJ1, resulting in a substitution of the aminoacid alanin for valin on codon 214 (A214V) in both DNA stripes in the two sisters and a heterozygous mutation in their parents. The definitive diagnostic of BS is frequently very difficult to be obtained. Consequently, considering the reported cases, we showed the utility of molecular techniques for the definitive diagnostic of BS and we proposed a diagram for the rational use of these techniques. <![CDATA[<b>Pré-eclâmpsia (indicador de doença renal crônica)</b>: <b>da gênese aos riscos futuros</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A pré-eclâmpsia (PE) é uma doença específica da gestação que, somada às demais desordens hipertensivas, constitui importante causa de morbimortalidade materna e perinatal. Tem incidência estimada de 3 a 14% entre todas as gestações e pode manifestar-se de diferentes formas clínicas. A PE e a doença cardiovascular (DCV) possuem mecanismos fisiopatológicos semelhantes, como disfunção endotelial, alteração metabólica e estresse oxidativo, assim como também compartilham alguns fatores de risco como obesidade, doença renal e diabetes. A exata relação entre PE e risco cardiovascular ainda não está totalmente elucidada, talvez o estresse metabólico desencadeado na PE provoque a lesão vascular que contribui para o desenvolvimento da DCV e/ou da doença renal crônica (DRC) futuramente. Esse risco parece ser ainda maior em mulheres com história de PE recorrente, severa e eclâmpsia. A investigação do antecedente de PE pode auxiliar na avaliação do risco futuro de DCV e DRC, na prevenção e no diagnóstico precoce.<hr/>Preeclampsia (PE) is a pregnancy-specific disease which, in addition to other hypertensive disorders, is an important cause of maternal and perinatal morbidity and mortality. With an incidence ranging from 3 to 14% of all pregnancies worldwide, the disease can present in different clinical forms. PE and cardiovascular diseases (CVD) have similar pathophysiological mechanisms, such as endothelial dysfunction, metabolic changes and oxidative stress, and they also share some risk factors such as obesity, kidney disease and diabetes. Although the exact relationship between PE and cardiovascular risk has not been fully elucidated, PE-triggered metabolic stress may cause vascular injury, thus contributing to the development of CVD and/or chronic kidney disease (CKD) in the future. This risk appears to be increased especially in women with a history of recurrent, severe PE and eclampsia. The investigation of a history of PE may assist in assessing the future risk of CVD and CKD, their prevention and early diagnosis. <![CDATA[<b>Efeito do transplante renal na morfologia e função cardíaca</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-28002012000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O envolvimento cardíaco é muito frequente nos portadores de doença renal crônica em diálise. O transplante renal resulta em redução da morbidade e mortalidade em relação aos pacientes em diálise. O objetivo desta revisão foi abordar o efeito do transplante renal na estrutura e função cardíaca avaliada pela ecodopplercardiografia. Desde a década de 1980, os estudos já demonstravam tendência à melhora nos parâmetros cardíacos após o transplante renal. Com a melhora dos métodos de imagens ao ecodopplercardiograma, os estudos, apesar de alguns resultados conflitantes, demonstravam melhora na função sistólica e diastólica e redução da massa ventricular esquerda, principalmente nos primeiros dois anos após o transplante renal com estabilização dos parâmetros nos anos subsequentes. De forma geral, o corpo das evidências tem demonstrado impacto importante do transplante renal na hipertrofia ventricular esquerda, função sistólica e diastólica, porém os resultados não são uniformes.<hr/>Cardiac involvement is very frequent in patients with chronic kidney disease on dialysis. Kidney transplantation results in reducing morbidity and mortality compared to patients on dialysis. The objective of this review was to address the effect of renal transplantation in cardiac structure and function assessed by echocardiography. Since the 1980s, studies have demonstrated a trend towards improvement in cardiac parameters after kidney transplantation. With the improvement of the Doppler imaging methods, the new studies, although with conflicting results, demonstrated improvement in systolic and diastolic function and reduction of left ventricular mass, especially in the first two years after renal transplantation with stabilization of the parameters in subsequent years. Overall, the body of evidence has demonstrated significant impact of renal transplantation on left ventricular hypertrophy, systolic and diastolic function, but the results are not uniform.