Scielo RSS <![CDATA[Cadernos CEDES]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-326220060002&lang=en vol. 26 num. 69 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Apresentação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Deafness and social inclusion</B>: <B>what do children's games have to tell us on this debate?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo analisa questões pertinentes ao modo de funcionamento lúdico de crianças surdas, na fase inicial de aquisição da língua de sinais, tendo como pressuposto teórico as formulações da corrente histórico-cultural e as contribuições conceituais de M. Bakhtin. A atenção volta-se, especialmente, para os modos de configuração dos personagens (jogo de papéis), evidenciando a forma como os elementos do universo ouvinte são incorporados nas brincadeiras. Num desdobramento, a partir do exame de material videogravado (episódios de faz-de-conta), busca-se refletir criticamente sobre as concepções de inclusão social que tangenciam a experiência do surdo, alertando para o fato de que a criança já demonstra em suas brincadeiras o desejo e a necessidade de pertencimento à sociedade ouvinte majoritária.<hr/>Theoretically based on the formulations of the historical-cultural trend and the conceptual contributions of M. Bakhtin, the present paper analyzes issues related to the play activities of deaf children in the initial phase of sign language acquisition. Attention is especially paid to the way characters (role-play) are configured, highlighting how the elements of the hearing universe are incorporated to the games. The examination of videotaped material (scenes of playing pretend) then led us to reflect critically on the conceptions of social inclusion linked to the experience of the deaf, stressing the fact that, in their games, the children already demonstrates their desire and need to belong to the majority hearing society. <![CDATA[<B>Linguistic policies and education of the deaf in Santa Catarina</B>: <B>negotiation space</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en A educação de surdos está sendo estruturada em vários estados brasileiros, buscando atender às diretrizes nacionais para a educação especial (resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001, a lei 10.098/94, de 23 de março de 1994, especialmente o capítulo VII, que legisla sobre a acessibilidade à língua de sinais, e a lei 10.436, 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais). Neste artigo, demonstra-se a estruturação da política pública para a educação de surdos do estado de Santa Catarina com suas proposições, as decisões e os rumos que a implementação dessa política está tomando. Além disso, apresenta-se uma análise crítica das relações que tal proposta tem com os desejos e lutas dos movimentos surdos. Num desdobramento, verifica-se que a movimentação no estado catarinense depende de vários fatores que extrapolam os aspectos legais, tais como: questões de ordem política e econômica e dependentes dos profissionais envolvidos que estão em formação.<hr/>Education of the deaf is being structured in various Brazilian States to obey the national guidelines for special education (Resolution CNE/CEB n. 2, from September 11, 2001; Act nº 10.098/94, from March 23, 1994, especially the chapter VII, that regulates accessibility to sign language; and act nº 10.436, from April 24, 2002, that deals with the Brazilian sign language). This paper shows how the public policies for the education of the deaf are being implemented in the State of Santa Catarina, their proposals, decisions and the trends such implementation follows. It also presents a critical analysis of the relationships that these proposals maintain with the desires and fights of the movements for the deaf. As a development, it reveals that the actions in the State of Santa Catarina depend both on various factors that far exceed the legal aspects: as, for example, issues of political and economic order, and on the professionals involved, who are still training. <![CDATA[<B>School inclusion of deaf students</B>: <B>what students, teachers and interpreters say about this experience</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo focaliza uma experiência de inclusão de aluno surdo em escola regular, com a presença de intérprete de língua de sinais. Alunos, professores e intérpretes envolvidos foram entrevistados e seus depoimentos analisados. Os dados indicam problemas que ocorrem no espaço escolar, alguns identificados pelos entrevistados como desconhecimento sobre a surdez e sobre suas implicações educacionais, dificuldades na interação professor/intérprete e a incerteza em relação ao papel dos diferentes atores neste cenário. Os depoimentos apontam ainda dificuldades com adaptações curriculares e estratégias de aula, exclusão do aluno surdo de atividades. Todavia, tais aspectos são negligenciados, já que há um pressuposto tácito de que a inclusão escolar é um bem em si. Pretende-se contribuir para a reflexão acerca de práticas inclusivas envolvendo surdos, procurando compreender seus efeitos, limites e possibilidades e buscando uma atitude educacional responsável e conseqüente frente a este grupo.<hr/>This paper focuses on the experience of deaf student inclusion in a regular school, with the presence of sign language interpreters. The students, teachers and interpreters involved were interviewed and their statements were analyzed. These data describes the problems occurring at school as ignorance on deafness and its educational implications, difficulties in the professor/interpreter interaction and uncertainty about the role of the different actors involved. They also highlight difficulties with curricular adaptations and class strategies, and the exclusion of the deaf student from activities. Nevertheless, such aspects are disregarded because it is tacitly assumed that school inclusion is good in itself. We intend to contribute to a reflection about inclusive practices involving the deaf, seeking to understand their effects, limits and possibilities and looking for a responsible and coherent educational attitude toward this group. <![CDATA[<B>Reading in a second language</B>: <B>language practices that constitute the subjectivity(ies) of a group of adult deaf</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho discute aspectos constitutivos da(s) subjetividade(s) de um grupo de surdos adultos, a partir do desenvolvimento de oficinas bilíngües de leitura. A partir de interações discursivas em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), tal espaço possibilitou uma transformação dos lugares sociais assumidos pelos sujeitos, ao permitir o estabelecimento de diálogos entre histórias de vida e entre as diversas relações sociais construídas em e pelo grupo. Considerando que a subjetividade é sempre relativa, determinada pelos diversos olhares dos outros e construída em lugares e em tempos sócio-ideológicos distintos; um evento plural, marcado discursivamente, no qual o eu se completa dialogicamente na(s) relação(ões) com o(s) outro(s), as discussões realizadas neste estudo apontam para a necessidade de um repensar dos espaços educacionais como lócus de interações discursivas e, portanto, de transformação e de constituição dos sujeitos.<hr/>Based on the realization of bilingual reading workshops, this work discusses some aspects that constitute the subjectivity(ies) of a group of adult deaf. Grounded on discursive interactions in Brazilian sign language (LIBRAS), such space allowed a transformation of the social places assumed by the subjects because it permitted the establishment of dialogs between life stories and the different social relationships constructed within and by the group. Assuming that subjectivity is always relative, determined by the various looks of the others and constructed in distinct social-ideological places and times, and that it constitutes a plural event discursively marked, in which the self completes itself dialogically in its relationship(s) to the others, the discussions presented in this study highlight the need to rethink the educational spaces as loci of discursive interactions and thus of transformation and constitution of the subjects. <![CDATA[<B>Considerations on the interface between the Brazilian Sign Language (LIBRAS) and Portuguese language in the initial construction of writing of deaf children</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo propõe uma reflexão psicolingüística sobre as construções conceituais de crianças surdas no que diz respeito à escrita. O trabalho revela, a partir de um diálogo com as idéias de Emília Ferreiro e Ana Teberosky, que a psicogênese da escrita vivenciada por crianças surdas, que têm a língua de sinais como primeira língua e língua de instrução, se desenrola de forma diferente ao que é vivido por crianças ouvintes em processo inicial de construção da escrita. As principais especificidades dessa aquisição relacionam-se: a não-fonetização da escrita, a uma intensa exploração dos aspectos viso-espaciais da escrita e ao uso dos parâmetros fonológicos da língua de sinais como elemento regulador e organizador da escrita. Tais peculiaridades exigem, portanto, que a escola e o professor alfabetizador revejam suas concepções sobre o processo de escrita no surdo, pensando em (novas) práticas pedagógicas que considerem a realidade bilíngüe e sua relação não-sonora com a escrita.<hr/>This paper proposes a psycholinguistic reflection on the conceptual constructions of deaf children in what regards writing. Based on a dialogue with the ideas of Emília Ferreiro and Ana Teberosky, this work reveals that the psychogenesis of writing experienced by deaf children who have sign language as their first and instruction language, occurs in a different way than that of hearing children in the initial process of constructing writing. The main specificities of this acquisition are related to the non-phonetization of writing, to an intense exploration of the visual-spatial aspects of writing and to the usage of the phonologic parameters of sign language as a regulating and organizing element of writing. Such peculiarities thus demand that school and alphabetizing teachers revise their conceptions on the process of writing of the deaf, thinking of (new) pedagogical practices that take into account the bilingual reality and its soundless relationship to writing. <![CDATA[<B>The experience of deaf people in the spheres of daily activities</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo analisa depoimentos de sujeitos surdos sobre os modos como participam de esferas de atividade, nas quais diferentes segmentos da população circulam em eventos do dia-a-dia (no trabalho, em casas comerciais e em serviços públicos, por exemplo). A partir de entrevistas, os achados indicam que os surdos enfrentam dificuldades em situações que, em geral, são triviais para os ouvintes. Ademais, os entrevistados mostram um reconhecimento muito parcial das condições insatisfatórias e desiguais para sua inserção nesses vários espaços, admitindo a naturalidade da dependência do ouvinte ou mesmo atribuindo ao próprio surdo a responsabilidade pelos problemas. As análises evidenciam que as mudanças políticas anunciadas realizam-se de maneira inconsistente. "A eliminação de barreiras atitudinais e de comunicação" implica o enfrentamento de questões concernentes às relações de poder entre surdo e ouvinte e não pode ser concebida como uma soma de iniciativas localizadas.<hr/>This paper analyzes statements of deaf subjects on the ways they participate to spheres of activities in which different segments of the population circulate in their everyday life (at work, in commercial places and in public services, for example). The interviews reveal that the deaf are faced with difficulties in situations that, usually, are banal for hearing people. Furthermore, the interviewed show a very partial recognition of the unsatisfactory and unequal conditions for their insertion in these different spaces, and admit their dependency on the hearing as natural or even blame themselves for their problems. The analyses manifest that the political changes announced occur in an inconsistent way. "Eliminating attitude and communication barriers" implies coping with issues linked to the power relationships between deaf and hearing people and cannot be conceived of as a sum of localized initiatives. <![CDATA[<B>Digital technologies</B>: <B>a new interative space of social in the written production of the deaf</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622006000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo sobre o uso social da linguagem escrita/língua portuguesa por surdos em interação com ouvintes em contexto digital constitui o cerne desta pesquisa. As tecnologias digitais são potencializadoras para a instauração de interações sociais cada vez mais amplas e permitem, por meio das ferramentas de comunicação mediada por computador (e-mail, chat, lista de discussão), uma multiplicidade de dinâmicas lingüístico-discursivas que possibilitam o uso da linguagem. À luz da abordagem enunciativo-discursiva de Bakhtin e seu Círculo, analisamos situações de produção escrita de surdos e consideramos que as novas tecnologias valorizam as interações verbais e inscrevem surdos e ouvintes, interlocutores plurilíngües, em um novo espaço de interação social.<hr/>Studying the social use deaf people make of written language/Portuguese language when interacting with hearing people in a digital context is the core of this research. The digital technologies are a potentiating tool to implement increasingly wider social interactions and, their communication tools mediated by computer (e-mail, chat, forums of discussion) allow a multiplicity of linguistic-discursive dynamics that permit the use of language. In the light of the enunciative-discursive approach of Bakhtin and his Circle, we analyze situations of written production by the deaf and consider that the new technologies value verbal interaction and insert both deaf and hearing people, plurilingual interlocutors, in a new space of social interaction.