Scielo RSS <![CDATA[Cadernos CEDES]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-326220090001&lang=en vol. 29 num. 77 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Apresentação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Research in environmental education</b>: <b>Brazilian production approaches and some dilemmas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de textos publicados em periódicos e de levantamentos já realizados em bancos de dissertações e teses, procuramos indicar tendências e perspectivas na produção da pesquisa em educação ambiental (EA) no Brasil. Fica evidente o aumento do número de trabalhos produzidos nos últimos 10 anos. Do ponto de vista metodológico, observa-se que a maioria das pesquisas faz uso de abordagens qualitativas, orientadas, muitas vezes, para uma ação colaborativa. Fica também evidente a concentração de trabalhos em certas regiões do país. O sistema universitário público, e neste a pós-graduação, constitui-se no "lócus" privilegiado dessa produção. A estreita relação entre pesquisa em EA e os sistemas de pós-graduação indica que, para compreender tal produção, torna-se necessário compreender o sistema de pós-graduação brasileiro. Salienta-se a importância de se construir espaços múltiplos que se constituam em lócus de discussão e divulgação da pesquisa em EA no país e de mobilização política de pesquisadores da área.<hr/>Based on papers related to environmental education research we tried in this article to point out some tendencies and perspectives in this field in Brazil. It is clear the numerical growth in research in this area in the last ten years. From the methodological point of view we can observe the tendency to the qualitative approach, oriented sometimes to the colaborative action. It is also clear that the carried out researches are concentrated in some geographical regions. The pos-graduate system in state universities is the privileged "locus" for these researches. The close relationship between investigations in environmental education and the pos-graduate system shows that to understand the environmental education research in Brazil it is necessary to understand this level of our educational system. We pointed out the importance of constructing multiple spaces to discuss and divulgate the research production in this area and to mobilize politically the environmental education researchers in Brazil. <![CDATA[<b>Educative places for environmental education encouragement</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en A educação ambiental (EA) vem-se expandindo no Brasil em diversos espaços educativos formais e não-formais. Este texto considera a EA provocadora de mudanças políticas, estimuladora de uma racionalidade ética e ecológica e promovedora de atitudes e valores pessoais e de práticas sociais compatíveis com a sustentabilidade da vida na Terra. Sob esta visão, o artigo tem como objetivo refletir sobre a expansão da educação ambiental nas universidades brasileiras, nos últimos vinte anos; discutir as possíveis mudanças educacionais das políticas públicas da área, a partir da Constituição de 1988; considerar a possível influência das forças dos movimentos sociais da sociedade organizada e das redes de EA locais, regionais e nacionais formadas com a generalização do uso da informática, como impulsionadora da sua expansão. A EA se constitui e se formaliza com o respaldo de uma política nacional que propicia sua permanência e aprofundamento nos espaços já conquistados e promove sua inserção nos demais contextos da sociedade organizada.<hr/>Environmental education (EE) has expanded in Brazil in diverse educational settings, both formal and non-formal. This text considers EE as provoking political change, stimulating an ethical and ecological rationality and promoting personal values and attitudes, as well as social practices, compatible with the sustainability of life on earth. From this perspective, the principal objective of the article is to reflect on the expansion of environmental education in Brazilian universities in the last twenty years; discuss the changes in public educational policies, since the 1988 constitution; and to consider the possible influence of social movements in organized society, as well as the networks of local, regional and national EE, together with the generalized use of computer technology, as impulses in its expansion. Environmental education constitutes and formalizes itself as a foundation for national policies that contribute to its permanence and deepening in the spaces where it already exists and promotes its inclusion in the other contexts of organized society. <![CDATA[<b>Environmental educators in the schools: the nets as strategy</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A emergência da crise socioambiental aponta a educação ambiental para enfrentamento deste problema. A escola, vista pela sociedade como locus para a sua realização, é cenário de educadores que movimentam, ainda que em minoria, iniciativas contra-hegemônicas para inserir a educação ambiental na agenda escolar. Esta crise manifesta a crise civilizatória de um modelo de sociedade e sua racionalidade hegemônica. A escola não é deslocada da sociedade e vive esta crise de paradigmas. A participação em redes de educação ambiental é uma estratégia com potencial de romper o isolamento destes educadores em suas escolas, tornando-os partícipes de um movimento coletivo; de propiciar interconexão da realidade local contextualizada numa perspectiva ampliada; e de vivenciar um ambiente educativo para a formação contínua. Este artigo apresenta a esses educadores as redes como um ambiente para a práxis comprometida com a educação ambiental crítica.<hr/>The emergency of the socio-environmental crisis points the environmental education as a way to cope this problem. The school seems by the society as a locus to the environmental education implementation is scenery of educators that movie, even in the minority, against-hegemonic initiatives to insert the environmental education in the school schedule. This crisis manifests the civilizatory crisis from a model society and its hegemonic rationality. The participation in environmental education Nets is a strategy with potential of to break the isolation of these educators in their schools, making them participants of a collective movement; of to provide interconnection with the local reality place in a larger context; and of to experience an education environment for continuing formation. This article presents for these educators the Nets as an environment for the praxis compromised with the critical environmental education. <![CDATA[<b>The social function of environmental education in collaborative practices</b>: <b>participation and engagement</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en A participação como eixo norteador das práticas sociais de educação ambiental coloca como necessidade a articulação de saberes e fazeres para responder às complexas questões socioambientais. Este artigo desenvolve uma reflexão crítica sobre as práticas socioambientais educativas de caráter coletivo e colaborativo, com dinâmicas abertas e vivenciais, que têm se revelado como processos importantes na produção de uma cultura de diálogo, de participação, de mobilização e de potência de ação. Enfatizam-se as abordagens integradoras das relações entre as dimensões subjetivas e intersubjetivas e a possibilidade de estimularem a constituição de identidades coletivas e de comunidades em espaços de convivência. Isso abre caminhos para incrementar o potencial educativo de espaços dentro e fora da escola que podem se tornar contextos possíveis de diálogos democráticos, mediando experiências de diferentes sujeitos, protagonistas locais na construção de projetos de intervenção coletivos.<hr/>Participation as a guiding reference of social practices of environmental education creates the need to articulate knowledge and actions to respond to socioenvironmental issues that have become more complex and environmental risks that intensify. The article develops a critical approach around socio-environmental educative practices within a collective and collaborative approach, emphasizing a culture of dialog, participation, mobilization and potence of action. The emphasis is on the relations between subjective and intersubjective dimensions, and its potential to stimulate the creation of collective identities and communities. This increments the educational potential of spaces within and outside schools, as contexts of horizontal dialogues, mediating experiences of different social local leading persons in the construction of projects of collective intervention. <![CDATA[<b>Marxist theory's contributions to the critical environmental education</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo apresenta algumas das principais contribuições da teoria marxista para a educação ambiental, considerando que a prática educativa no Brasil se constituiu em diálogo com concepções pedagógicas e autores inseridos neste campo. Iniciamos com uma breve contextualização da produção de inspiração crítica (estritamente marxista ou não) e as disputas teóricas inseridas na educação ambiental. Logo após, discorremos sobre a influência e a apropriação das pedagogias críticas e de conceitos estruturantes da concepção marxiana de educação na formulação teórico-metodológica em educação ambiental. Como síntese e conclusão, argumentamos sobre a importância do materialismo histórico-dialético nas discussões ambientais contemporâneas, refletindo criticamente sobre como ele aí se apresenta, particularmente na educação ambiental.<hr/>This article presents some of the principal contributions of the Marxist theory for the environmental education, considering that the educative practice in Brazil was constituted in a dialog with pedagogic conceptions and authors inserted in this field. We begin with a brief contextualization of the critical production (Marxist or not) and the theoretical disputes in environmental education field. Straight after, we discus about the influence and the appropriation of the critical pedagogies and of the structuring concepts of Marxian conception of education in the theoretical-methodological formulation in environmental education. As a sum and conclusion, we argue about the importance of the dialectical historical materialism in the contemporary environmental discussions, critically thinking about how it is presented in this context and particularly in environmental education. <![CDATA[<b>Understanding landscape</b>: <b>contributions from hermeneutic and phenomenology toward an epistemology of environmental education</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discute a questão da compreensão desde a experiência da obra de arte e do jogo como modelos da compreensão em Gadamer. Desde esta perspectiva, tematiza a abertura e o engajamento como aspectos constitutivos da experiência de compreensão do mundo na perspectiva da hermenêutica e explora suas consequências em termos do pertencimento ao ambiente, no sentido de um ambiente-mundo. Propõe, em continuidade com esta abordagem, a noção de paisagem como engajamento e pertencimento ao "corpo do mundo". Para fundamentar este conceito de paisagem, são acionadas a antropologia ecológica de Tim Ingold e a fenomenologia de Merleau-Ponty, que sugerem, cada uma a seu modo, a continuidade na relação humanos/não-humanos. Ao final, são apontados desdobramentos de uma epistemologia compreensiva para a educação ambiental a partir da reflexão sobre uma intervenção educativa de pesquisa-ação em educação ambiental no Vale do Ribeira.<hr/>This article argues the question of the understanding since the experience of the work of art and the game as models of the understanding in Gadamer. Since this perspective, discuss the opening and the engagement as constituent aspects of the experience of understanding of the world in the perspective of the hermeneutics and explores its consequences in terms of the belonging to the environment, in the sense of a environment-world. It considers, in continuity with this perspective, the notion of landscape as engagement and belonging to the "body of the world". In order to propose this concept of landscape we use the ecological anthropology of Tim Ingold and the phenomenology of Merleau-Ponty who suggest, each one in its way, the continuity in the relation human and no human beings. Finally, a comprehensive epistemology is pointed out from the reflection on an intervention of research-action in environmental education in the "Vale do Ribeira". <![CDATA[<b>Frans Krajcberg and his contribution to environmental education based on the theory of social representations</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Teoria das Representações Sociais (TRS) começou a ser conhecida e divulgada no Brasil principalmente a partir de 1990 no âmbito da Psicologia Social, configurando um movimento que coincidiu com o aumento das preocupações de segmentos da sociedade brasileira com as questões ambientais e a defesa de tese de Reigota no campo da Educação, que articulava essas tendências. Com a publicação dos dois primeiros livros desse autor, a TRS se tornou uma opção às pesquisas em educação ambiental. A aproximação da teoria aos Estudos Culturais, bem como à pedagogia freireana e à pós-moderna, possibilitou a fundamentação de outros trabalhos. Um deles, que originou este artigo, trata da contribuição do sentido político e pedagógico da trajetória e obra de Frans Krajcberg à educação ambiental, enfatizada nas narrativas escritas por componentes do grupo de pesquisa "Perspectiva Ecologista de Educação", da Universidade de Sorocaba, após o encontro com a obra do artista em Curitiba.<hr/>The Theory of Social Representations (TRS) began to be widely known and disseminated after 1990 in the Brazilian field of Social Psychology. This movement coincided with the increasing environmental concern of some Brazilian groups and the defense of Reigota's doctoral dissertation on Education, which articulated those trends. After this author published his first two books, TRS has become an option for research on environmental education. Its approximation to Cultural Studies and both Freire's and post-modern pedagogies allowed to develop further works. One of them, which originated this article, refers to the political and pedagogical contributions to environmental education of Frans Krajcberg's life and work. These are stressed in the narratives some members of the research group called "Ecologist Perspective of Education", from Sorocaba University, wrote after they came to discover this artist's work, in Curitiba. <![CDATA[<b>Algumas publicações e pesquisas sobre educação ambiental</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622009000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Teoria das Representações Sociais (TRS) começou a ser conhecida e divulgada no Brasil principalmente a partir de 1990 no âmbito da Psicologia Social, configurando um movimento que coincidiu com o aumento das preocupações de segmentos da sociedade brasileira com as questões ambientais e a defesa de tese de Reigota no campo da Educação, que articulava essas tendências. Com a publicação dos dois primeiros livros desse autor, a TRS se tornou uma opção às pesquisas em educação ambiental. A aproximação da teoria aos Estudos Culturais, bem como à pedagogia freireana e à pós-moderna, possibilitou a fundamentação de outros trabalhos. Um deles, que originou este artigo, trata da contribuição do sentido político e pedagógico da trajetória e obra de Frans Krajcberg à educação ambiental, enfatizada nas narrativas escritas por componentes do grupo de pesquisa "Perspectiva Ecologista de Educação", da Universidade de Sorocaba, após o encontro com a obra do artista em Curitiba.<hr/>The Theory of Social Representations (TRS) began to be widely known and disseminated after 1990 in the Brazilian field of Social Psychology. This movement coincided with the increasing environmental concern of some Brazilian groups and the defense of Reigota's doctoral dissertation on Education, which articulated those trends. After this author published his first two books, TRS has become an option for research on environmental education. Its approximation to Cultural Studies and both Freire's and post-modern pedagogies allowed to develop further works. One of them, which originated this article, refers to the political and pedagogical contributions to environmental education of Frans Krajcberg's life and work. These are stressed in the narratives some members of the research group called "Ecologist Perspective of Education", from Sorocaba University, wrote after they came to discover this artist's work, in Curitiba.