Scielo RSS <![CDATA[Cadernos CEDES]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-326220110003&lang=es vol. 31 num. 85 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Apresentação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300001&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[<b>The teaching of social sciences in the 1<sup>st</sup> and 2<sup>nd</sup> degrees</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300002&lng=es&nrm=iso&tlng=es Palestra proferida na Coordenação de Ensino e Normas Pedagógicas do Estado de São Paulo (cenp/sp), em 1985, no auge de uma das campanhas de inserção da disciplina Sociologia no currículo brasileiro. Este é um registro histórico de uma das participações do professor neste debate. Nesse texto, o autor reforça a importante função da Sociologia na escola, possibilitando que os estudantes questionem o instituído e pensem novas possibilidades de viver em sociedade.<hr/>Lecture in the Department of Education and Pedagogical Standards of the State of São Paulo (cenp/sp) in 1985 at the height of a campaign for inclusion of the discipline Sociology in the Brazilian curriculum. This is a historical record of a teacher's participation in this debate. In this text the author stresses the important role of Sociology in school, allowing students to question and think up new possibilities of living in society. <![CDATA[<b>Senses and meanings crisis</b>: <b>the contribution of a sociological perspective</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300003&lng=es&nrm=iso&tlng=es O objetivo desse artigo é problematizar a função social da escola na sociedade capitalista atual. Tendo historicamente a função da transmissão do conhecimento, a escola, nas últimas décadas, vem passando por sérias dificuldades em cumprir, ao menos em parte, essa função social. Estudantes e professores não se identificam mais nesse espaço institucional, uns porque não "aprendem" e outros porque não conseguem "ensinar". O estranhamento dos agentes sociais em suas relações na escola faz com que sentidos e significados se percam no processo pedagógico. As motivações de ambos se distanciam na atividade, esvaziando as ações e o alcance dos objetivos que, a priori, deveriam ser comuns. O que está na base desse conflito? A escola teria esgotado sua função social, esvaindo-se como espaço de produção e socialização de conhecimentos? A contribuição do olhar sociológico nessa problemática deve se constituir como um desafio às Ciências Sociais, de modo geral, e ao ensino de Sociologia, de modo particular?<hr/>The aim of this paper is to point the social function of schools in modern capitalist society. Having historically the function of the transmission of knowledge, the school in recent decades, has experienced serious difficulties in fulfilling, at least in part, this social function. Students and teachers do not identify themselves anymore in this institutional space, some because they do not "learn" and other because they cannot "teach". The estrangement of social agents in their relationships at school makes sense and meaning get lost in the educational process. The motivations of both agents distance themselves inside the activity, emptying the actions and goals achievement, which a priori should be common to both of them. What is the basis of this conflict? Would the school have exhausted its social function, evanishing itself as a space of production and socialization of knowledge? Must the contribution of the sociological perspective be constituted as a challenge to Social Sciences in general and the teaching of Sociology, in particular? <![CDATA[<b>Teaching of Sociology</b>: <b>periodization and campaign for obligatoriness</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300004&lng=es&nrm=iso&tlng=es Embora as cronologias se apresentem como fruto de uma objetividade de datas, tais datas estão marcadas por uma escolha, e tal escolha já é índice de interpretação. As datas estão longe de ser dados indiscutíveis são construídas também, tal como os fatos históricos: fazem parte de uma versão. No caso da Sociologia, a interpretação corrente sobre sua presença/ausência na escola média se deveria a contextos ideologicamente marcados: em períodos democráticos, a Sociologia está presente; em períodos autoritários, ela está ausente. Nossa hipótese é de que essa interpretação decorre da perspectiva dos que são a favor da obrigatoriedade da disciplina, que dizem que a Sociologia, por ser crítica, é uma ameaça ao regime, sendo então excluída. Para nós, outros fatores condicionaram essa intermitência, em especial a formação de uma burocracia educacional responsável por administrar o currículo.<hr/>Although the chronologies reports as a result of an objectivity of dates, such dates are marked by a choice and that choice is an indication of interpretation. The dates are far from indisputable data - are also constructed, as historical facts, are part of a release. In the case of sociology, the current interpretation of its presence/absence in high school should be a marked ideological context: in democratic periods, sociology is present, at times authoritarian, sociology is absent. Our hypothesis is that this interpretation derives from the perspective of those who are in favor of enforcing discipline; they say that sociology, by being critical, is a threat to the regime and is deleted. For us, other factors that conditioned this intermittence, especially the formation of an educational bureaucracy responsible for managing the curriculum. <![CDATA[<b>Working conditions of Sociology professors</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300005&lng=es&nrm=iso&tlng=es O artigo tem como objetivo apresentar as condições de trabalho dos professores de Sociologia, no período atual, e, também, descrever e analisar as mudanças advindas de um conjunto de leis aprovadas no segundo semestre de 2009, no estado de São Paulo. O texto estrutura-se da seguinte forma: (1) Breve histórico da Sociologia como disciplina escolar. Este tópico apresenta a história da disciplina por meio das políticas educacionais, colocando ênfase nos seus desdobramentos no período mais recente no Estado de São Paulo. (2) Condições de trabalho. O objetivo deste tópico é o de analisar quatro pontos referentes às condições de trabalho, que se relacionam com a legislação discutida. Os pontos são os seguintes: (2.1) Salário; (2.2) Jornada de trabalho; (2.3) Carreira e (2.4) Relações de trabalho. Este artigo justifica-se pela compreensão dos reflexos das novas leis no trabalho docente e na trajetória e institucionalização da Sociologia como disciplina escolar.<hr/>This paper aims to present the working conditions of Sociology professors, in the current period, and also describe and analyze the changes resulting from a series of laws approved in semester of 2009, in São Paulo State. The text is structured as follows: (1) Brief history of Sociology as a discipline in schools. This topic presents the history of the discipline through educational policies, emphasizing on their effects in the most recent period in São Paulo State. (2) Working conditions. The purpose of this topic is to analyze four points related to working conditions, according to the legislation discussed. The points are as follows: (2.1) Salary; (2.2) Journeywork; (2.3) Career and (2.4) Labor Relations. This paper is justified by the understanding of the consequences of new laws in academic labor and in the history and institutionalization of Sociology as a discipline in schools. <![CDATA[<b>High school Sociology</b>: <b>writing a section for the project <em>São Paulo Faz Escola</em></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300006&lng=es&nrm=iso&tlng=es O artigo apresenta como se deu a elaboração e aprovação da proposta curricular para Sociologia no ensino médio, seus princípios orientadores e suas características gerais. Reflete sobre o formato idealizado pela Secretaria de Estado da Educação (see) para o projeto São Paulo Faz Escola, tendo em vista as limitações e as condições da rede pública em termos de recursos humanos e infraestrutura. No texto são discutidos os desafios teóricos, metodológicos, didáticos e pedagógicos de transformar a proposta em Cadernos de Sociologia para Professores e Alunos, considerando prazos, fontes de consulta, direitos autorais a que a see tinha acesso, entre outras adaptações necessárias. Finalmente, o texto discute os alcances e os limites da proposta, considerando-se a prolongada ausência da Sociologia nos currículos escolares, a falta de professores licenciados na área e o tempo reservado à disciplina na grade curricular.<hr/>The paper presents how occurred the elaboration and approval of the curriculum proposed for sociology in High School, its guiding principles and general characteristics. It reflects on the format idealized by the Department of Education (see) for the project São Paulo Faz Escola, in consideration of the limitations and conditions of the public, in terms of human resources and infrastructure. The text discusses the challenges theoretical, methodological, didactic and pedagogical proposal to transform books for teachers and students, considering deadlines, sources of information, copyrights that ess had access, among other adaptations. Finally, the paper discusses the scope and limits of the proposal, considering the prolonged absence of sociology in school curricula, the lack of licensed teachers in the area and time spent on discipline in the curriculum. <![CDATA[<b>Sociology in high school in a changing world</b>: <b>question of "perverse confluence"</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300007&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo apresenta uma reflexão sobre Oficinas Pedagógicas de Sociologia oferecidas mensalmente para a formação continuada de professores de ensino médio da escola pública, bem como para a formação de licenciados de Ciências Sociais pelo Laboratório de Ensino, Sociedade e Cultura (lesc) da puc-campinas (1998-2007). O conceito de "confluência perversa" permitiu-nos repensar as oficinas em meio à disputa entre o projeto político democrático e o projeto político neoliberal, uma vez que a educação e a escola passaram, desde o início de 1990, por transformações que atingiram as relações de trabalho docente, cada vez mais fragmentado e desregulamentado. E mais, além da implantação de avaliações de larga escala com criação de rankings entre as escolas públicas, estas passaram a ser disputadas por projetos de educação não formal da sociedade civil, em "parcerias" pouco preocupadas com uma discussão democrática interna para se adequarem à realidade concreta das escolas. Tais desafios, ao nosso entender, são um dos núcleos de atuação da "confluência perversa" no país, pouco percebida naqueles anos de lesc e talvez até nos dias de hoje.<hr/>This article presents a reflection on the Sociology Pedagogical Workshops offered monthly for the continuing formation of high school teachers of public schools, as well as for the formation of teachers certified in Social Sciences by the Laboratory of Teaching Society and Culture (lesc, puc-campinas 1998-2007). The concept of `perverse confluence' allowed us to rethink the workshops through the dispute between the democratic and neoliberal political projects, once school and education have, since the beginning of 1990, undergone transformation that have reached cademician relations, increasingly fragmented and deregulated. In addition, besides the implementation of large-scale assessments with a ranking among public schools, these started to be disputed by civil society's projects of non-formal education in `partnerships' little concerned with an internal emocratic discussion aiming to adapt to the concrete reality of schools. Such challenges as far we can judge, are one of the manifestation focuses of `perverse confluence' in the country, hardly noticed during those lesc years and perhaps even today. <![CDATA[<b>O estágio na formação do professor de Sociologia</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622011000300008&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo apresenta uma reflexão sobre Oficinas Pedagógicas de Sociologia oferecidas mensalmente para a formação continuada de professores de ensino médio da escola pública, bem como para a formação de licenciados de Ciências Sociais pelo Laboratório de Ensino, Sociedade e Cultura (lesc) da puc-campinas (1998-2007). O conceito de "confluência perversa" permitiu-nos repensar as oficinas em meio à disputa entre o projeto político democrático e o projeto político neoliberal, uma vez que a educação e a escola passaram, desde o início de 1990, por transformações que atingiram as relações de trabalho docente, cada vez mais fragmentado e desregulamentado. E mais, além da implantação de avaliações de larga escala com criação de rankings entre as escolas públicas, estas passaram a ser disputadas por projetos de educação não formal da sociedade civil, em "parcerias" pouco preocupadas com uma discussão democrática interna para se adequarem à realidade concreta das escolas. Tais desafios, ao nosso entender, são um dos núcleos de atuação da "confluência perversa" no país, pouco percebida naqueles anos de lesc e talvez até nos dias de hoje.<hr/>This article presents a reflection on the Sociology Pedagogical Workshops offered monthly for the continuing formation of high school teachers of public schools, as well as for the formation of teachers certified in Social Sciences by the Laboratory of Teaching Society and Culture (lesc, puc-campinas 1998-2007). The concept of `perverse confluence' allowed us to rethink the workshops through the dispute between the democratic and neoliberal political projects, once school and education have, since the beginning of 1990, undergone transformation that have reached cademician relations, increasingly fragmented and deregulated. In addition, besides the implementation of large-scale assessments with a ranking among public schools, these started to be disputed by civil society's projects of non-formal education in `partnerships' little concerned with an internal emocratic discussion aiming to adapt to the concrete reality of schools. Such challenges as far we can judge, are one of the manifestation focuses of `perverse confluence' in the country, hardly noticed during those lesc years and perhaps even today.