Scielo RSS <![CDATA[Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-471420160002&lang=es vol. 24 num. 2 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[APRESENTAÇÃO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200007&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[Exílio escravista: Hercule Florence e as fronteiras do açúcar e do café no Oeste paulista (1830-1879)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200011&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO O artigo investiga a trajetória do artista e inventor Antonie Hercule Romuald Florence (1804-1879) na sociedade escravista brasileira do século XIX, procurando examinar os fundamentos do "sentimento de exílio" que marcou sua longa vivência no Oeste de São Paulo. Na primeira parte, trato Florence como um observador das paisagens escravistas do açúcar e do café. A série de desenhos e aquarelas que compôs sobre a fazenda Ibicaba e o engenho da Cachoeira nos permite observar como ele apreendeu os processos concretos de transformação agrária e ambiental da fronteira escravista de São Paulo. Na segunda parte, analiso a conversão de Florence em cafeicultor escravista, momento em ele assumiu por razões familiares a gestão de uma propriedade cafeeira com trinta escravos no município de Campinas.<hr/>ABSTRACT The article studies the trajectory of the artist and inventor Antonie Hercule Romuald Florence (1804-1879) within the nineteenth century Brazilian slave society, trying to grasp the fundamentals of the "exile feeling" that marked his long experience in the São Paulo West. I first analyse Florence as an artist of the sugar and coffee slave plantations landscapes. The series of drawings and watercolors that he composed on Ibicaba and Cachoeira plantations allows us to observe how he understood the concrete processes of agrarian and environmental transformation of the slaveholding frontiers of São Paulo. In the second part, I analyze how Florence was turned into a coffee planter, when for family reasons he took charge of the management of a coffee plantation with thirty slaves in Campinas. <![CDATA[Música no ar... Cachoeira, Santa Maria, Morro Alto e Saltinho. Teixeira Vilela, Hercule Florence e Carlos Gomes, Campinas, século XIX]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200053&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO A descoberta de que o maestro compositor Carlos Gomes escreveu peças para piano com os nomes de engenhos e fazenda de propriedade da família Teixeira Vilela, grandes proprietários de terras e escravos de Campinas, nos incentivou a escrever este artigo. Uma das propriedades, o engenho Santo Antonio da Cachoeira, foi imortalizada também pelas pinturas de Hercule Florence. O objetivo deste artigo é descrever as propriedades açucareiras e cafeeiras homenageadas pelo maestro compositor e pelo pintor, com base nos inventários post mortem; resgatar o papel da família dos proprietários na fundação e no desenvolvimento de Campinas açucareira e cafeeira; refletir sobre relações sociais e de amizade entre as famílias Teixeira Vilela, Florence e Gomes; estudar, com base nas partituras, a composição musical criada por Carlos Gomes. E, dessa forma, contemplar a história social e econômica - engenhos açucareiros, fazendas cafeeiras -, as artes plásticas e a música em Campinas do século XIX.<hr/>ABSTRACT The finding of a set of musical scores composed by master composer Carlos Gomes, named after the Teixeira Vilela family sugar mills and coffee farms, stimulated us to write this article. The Teixeira Vilela were important proprietors of land and slaves in Campinas. One of the family's sugar mills, the engenho Santo Antonio da Cachoeira was also immortalized in Hercule Florence´s paintings. The article aims at describing, based on post mortem inventories, the sugar and coffee properties the master composer and the French painter paid homage to; recovering the role of the proprietor´s family in the foundation and development of Campinas; reflecting the social relationships of the families Teixeira Vilela, Florence and Gomes; based on musical scores, the musical opus composed by Carlos Gomes. Hence, the article involves Social and Economic History, Arts and Music, in nineteenth century Campinas. <![CDATA[Arquiteturas da saúde na segunda metade do século XIX e os modelos de ensino nas academias portuguesas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200077&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO O entrelaçamento histórico entre a construção de hospitais de raiz no Brasil e em Portugal na segunda metade do século XIX demanda a compreensão do contexto de formação e atuação acadêmica de seus projetistas, evidenciando a matriz fundamental da formação à altura: o desenho como técnica de concepção e representação da Arquitetura. Neste ensaio, adotaremos o olhar warburguiano ao entender a História da Arte como parte de uma teoria da cultura, em que fatores vários contribuem para a montagem de uma constelação iconográfica, a ser lida em sentido transdisciplinar que permita renovar e ampliar os cânones históricos preexistentes. Assim, a iconografia servirá de evidência para a compreensão do papel histórico, estético e social dos nosocômios, entendidos como monumentos urbanos em seus respectivos contextos. Temos como edifícios em foco neste estudo o Hospital D. Luiz I, da Real Sociedade Beneficente Portuguesa em Belém, projetado em 1870 pelo ex-aluno da Academia de Belas Artes de Lisboa, Frederico José Branco, e o Hospital de Alienados do Conde de Ferreira, pertencente à Santa Casa de Misericórdia do Porto, construído de raiz em 1868, sob a traça do engenheiro e lente proprietário da Cadeira de Arquitetura civil da Academia de Belas-Artes do Porto, Manuel de Almeida Ribeiro. Esses edifícios são ícones das inversões de capital de portugueses no Brasil e dos chamados brasileiros de "torna-viagem" em Portugal, representando as relações luso-brasileiras na segunda metade do século XIX.<hr/>ABSTRACT The historical intertwining of production hospitals in Brazil and Portugal in the second half of the nineteenth century demands to understand the context of training and academic work of its designers, highlighting the fundamental matrix formation up to: the drawing as design technique and representation of architecture. In this essay, we will adopt the Warburg point of view to understand the History of Art as part of a Theory of Culture, where several factors contribute to the assembly of an iconographic constellation to be read in transdisciplinary sense to allow renovate and expand the existing historical canons. Thus, the iconography will serve as evidence for the understanding of the historical, aesthetic and social role of hospitals understood as urban monuments in their respective contexts. The objects in study are the Hospital Dom Luis I of the Royal Society Portuguese Beneficent in Belém, designed in 1870 by the former student of the Academy of Fine Arts of Lisbon Frederico José Branco and the Psychiatric Hospital of Conde de Ferreira. The last belongs to Holy House of Mercy of Porto, built for this purpose in 1868, under the traces of the engineer and Full Professor of Civil Architecture Chair of the Fine Arts Academy Port Manuel de Almeida Ribeiro. These buildings are icons of the Portuguese capital investments in Brazil and Brazilian called 'return-trip' in Portugal, representing the Portuguese-Brazilian relations in the second half of the nineteenth century. <![CDATA[A transnacionalização de objetos escolares no fim do século XIX]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200115&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Este artigo propõe reflexão sobre a transnacionalização2 de objetos escolares no fim do século XIX, dando especial atenção às carteiras. Nesse período de estruturação da escola moderna, pública e obrigatória em muitos países do Ocidente, observa-se uma circulação internacional de discursos e saberes sobre o corpo infantil, o corpo do cidadão escolarizado, no âmbito da higiene pública e escolar. Ao lado das questões pedagógicas, médicas e higiênicas, a industrialização, as inovações tecnológicas e a globalização propiciam a fabricação e a difusão de um novo objeto que se tornaria cada vez mais imprescindível ao funcionamento das instituições de ensino, a carteira escolar. A partir da análise dos catálogos das indústrias de mobiliário escolar, discorro sobre os modelos de carteira mais hegemônicos, expostos nas exposições universais do século XIX. Destaco as empresas norte-americanas e francesas que disputavam a liderança do mercado de mobiliário escolar, num contexto em que a escola emerge como um importante mercado consumidor. Por meio do relatório do jury da Exposição Pedagógica de 1883, no Rio de Janeiro, é possível perquirir as características técnicas e higiênicas que, no Brasil, estavam sendo apreciadas na fabricação das carteiras. Como resultado, evidencia-se a via de mão dupla da relação entre escola, indústria e Exposições Universais. De um lado, a escola movimenta o mercado. De outro lado, o Estado depende do mercado para produção, em grande quantidade e em curto tempo, de um mobiliário padronizado que corrobore a expansão do ensino.<hr/>ABSTRACT This article aims at reflecting about the school objects transnationalization3 at the end of the nineteenth century, focusing on the chairs. During this structure period of the modern, public and mandatory school, in many western countries, it was seen an international circulation of speeches and knowledgmentes about the children's body, the school citizen body, in the Public Hygiene and School field. Besides the pedagogical, medical and hygienic issues, the industrialization, the technological inventions and the globalization, propitiate the manufacturation and the difusion of a new object that would be much more necessary to the functioning of the teaching institutions, the school desk. Through the school furniture industries' catalogues, I argue about the desk more hegemonic patterns, exposed at the twentieth century Universal Expositions. I highlight the American and French factories which disputed the leadership of the school furniture market, inside a context in which the school emerges as an important consumer market. Through the Jury Report of the Pedagogical Exposition in 1883, in Rio de Janeiro, it is possible to notice the technical and hygienic features that, in Brazil, were taken into account when the desks were made. As a result, it is evident the two way street relation among school, industry and the Universal Expositions. On the one hand, the school rotates the market. On the other hand, the State depends on the market for production, in a high quantity and in a short period of time, of a standard furniture which improves the teaching expansion. <![CDATA[A vanguarda tropical de Mário de Andrade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200161&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Este artigo centra-se na relação entre vanguarda e identidade nacional presente na obra de Mário de Andrade ao longo da década de 1920. A proposta é abordar textos diversos que o autor produziu nesse período, tais como críticas, crônicas, ensaios, cartas, poemas e narrativas de ficção. Nossa hipótese é que, por mais diversificados que sejam seus escritos, haveria em Mário de Andrade um discurso deliberadamente construído, o qual se nortearia por pressupostos estéticos (apropriados, sobretudo, às teorias vanguardistas da Europa) e por uma concepção de brasilidade.<hr/>ABSTRACT This article is centered in the relationship between the vanguard and national identity present in 1920's works of Mário de Andrade. The proposal is to approach diverse texts that the author produced during that period, like reviews, chronicles, essays, letters, poems and fictional narratives. Our hypothesis is that, even if his writings are very diverse, there should be in Mário de Andrade's work a deliberate constructed message, which would guide itself by aesthetic tenets (suitable to the European vanguardist theories) and by a conception of Brazilianess. <![CDATA[Além do "silêncio de um oceano". Ideias de Brasil nas representações de um crítico e de artistas e arquitetos italianos depois da Segunda Guerra Mundial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200187&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Este artigo investiga as ideias de Brasil formuladas em uma seleção de cartas, artigos, fotografias, desenhos, pinturas e mostras, entre 1947 e 1963 pelos arquitetos Lina Bo Bardi e Giancarlo Palanti, pelos artistas Roberto Sambonet e Bramante Buffoni, e pelo crítico de arte Pietro Maria Bardi - italianos imigrados no país após a Segunda Guerra Mundial. O novo país é visto como o lugar onde parece possível a realização das promessas da arte e da arquitetura modernas, mas também lugar onde estas se desfazem e transformam-se. O objetivo do trabalho é identificar, a partir desses exemplos, indícios de uma postura diante da realidade local, condutora de suas pesquisas sobre um caráter para a produção artística.<hr/>ABSTRACT This article reflects on the images of Brazil formulated in a selection of letters, articles, photographs, drawings, paintings and exhibitions from the period between 1947 and 1963 by the architects Lina Bo Bardi and Giancarlo Palanti, the artists Roberto Sambonet and Bramante Buffoni, and by the art critic Pietro Maria Bardi - all of them Italians who immigrated to Brazil after the Second World War. The new country is seen as the land where it seems possible to fulfill the modern art and modern architecture promises, but also where such perspectives are undergoing a process of decay and transformation. On the basis of these examples, this article aims to identify a stance towards the local reality that led their search for a character in artistic production. <![CDATA[A conexão holandesa]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142016000200219&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Este artigo investiga as ideias de Brasil formuladas em uma seleção de cartas, artigos, fotografias, desenhos, pinturas e mostras, entre 1947 e 1963 pelos arquitetos Lina Bo Bardi e Giancarlo Palanti, pelos artistas Roberto Sambonet e Bramante Buffoni, e pelo crítico de arte Pietro Maria Bardi - italianos imigrados no país após a Segunda Guerra Mundial. O novo país é visto como o lugar onde parece possível a realização das promessas da arte e da arquitetura modernas, mas também lugar onde estas se desfazem e transformam-se. O objetivo do trabalho é identificar, a partir desses exemplos, indícios de uma postura diante da realidade local, condutora de suas pesquisas sobre um caráter para a produção artística.<hr/>ABSTRACT This article reflects on the images of Brazil formulated in a selection of letters, articles, photographs, drawings, paintings and exhibitions from the period between 1947 and 1963 by the architects Lina Bo Bardi and Giancarlo Palanti, the artists Roberto Sambonet and Bramante Buffoni, and by the art critic Pietro Maria Bardi - all of them Italians who immigrated to Brazil after the Second World War. The new country is seen as the land where it seems possible to fulfill the modern art and modern architecture promises, but also where such perspectives are undergoing a process of decay and transformation. On the basis of these examples, this article aims to identify a stance towards the local reality that led their search for a character in artistic production.