Scielo RSS <![CDATA[Revista de Psiquiatria ClĂ­nica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-608320140001&lang=es vol. 41 num. 1 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Learning and memory and its relationship with the lateralization of epileptic focus in subjects with temporal lobe epilepsy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100001&lng=es&nrm=iso&tlng=es Background : In medial temporal lobe epilepsy (MTLE), previous studies addressing the hemispheric laterality of epileptogenic focus and its relationship with learning and memory processes have reported controversial findings. Objective : To compare the performance of MTLE patients according to the location of the epileptogenic focus on the left (MTLEL) or right temporal lobe (MTLER) on tasks of episodic learning and memory for verbal and visual content. Methods : One hundred patients with MTLEL and one hundred patients with MTLER were tested with the following tasks: the Rey Auditory Verbal Learning Test (RAVLT) and the Logical Memory-WMS-R to evaluate verbal learning and memory; and the Rey Visual Design Learning Test (RVDLT) and the Visual Reproduction-WMS-R to evaluate visual learning and memory. Results : The MTLEL sample showed significantly worse performance on the RAVLT (p &lt; 0.005) and on the Logical Memory tests (p &lt; 0.01) than MTLER subjects. However, there were no significant between-group differences in regard to the visual memory tests. Discussion : Our findings suggest that verbal learning and memory abilities are dependent on the structural and functional integrity of the left temporal lobe, while visual abilities are less dependent on the right temporal lobe. <hr/> Contexto : Estudos anteriores abordando a lateralidade hemisférica de foco epiléptico na epilepsia do lobo temporal mesial (ELTM) e sua relação com os processos de aprendizagem e memória têm relatado resultados controversos. Objetivo : Comparar o desempenho de pacientes com ELTM de acordo com a localização do foco epiléptico à esquerda (ELTME) ou à direita (ELTMD) em tarefas de aprendizagem e memória episódica para conteúdo verbal e visual. Métodos: Cem pacientes com ELTME e cem pacientes com ELTMD foram avaliados com os seguintes testes: Teste de Aprendizagem Auditiva Verbal de Rey (RAVLT) e Memória Lógica – WMS-R para avaliar aprendizagem e memória verbal e o Teste de Aprendizagem Visual para Desenhos de Rey (RVDLT) e Reprodução Visual – WMS-R para avaliar a aprendizagem e memória visual. Resultados : A amostra com ELTME mostrou desempenho significativamente pior no RAVLT (p &lt; 0,005) e na Memória Lógica (p &lt; 0,01) em comparação aos indivíduos ELTMD. No entanto, não houve diferenças significativas entre os grupos no que diz respeito aos testes de aprendizagem e memória visual. Conclusão : Nossos resultados sugerem que a aprendizagem e a memória verbais são dependentes da integridade estrutural e funcional do lobo temporal esquerdo, enquanto as capacidades de aprendizagem e memória visual são menos dependentes do lobo temporal direito. <![CDATA[Correlation and adaptation among functional and cognitive instruments for staging and monitoring Alzheimer?s disease in advanced stages]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100005&lng=es&nrm=iso&tlng=es Background : Although Alzheimer’s disease (AD) is the most prevalent form of dementia, little is known about cognitive and functional aspects in its advanced stages. Objective : This study aimed the adaptation and correlation among specific instruments for AD in advanced stages with regard to cognition objectively weighted, besides the comparison between static and ecological aspects of functional capacity. Methods : 95 moderate, moderatly severe and severe AD patients (33 men and 62 women) underwent the scales CDR (Clinical for Dementia Rating), FAST (Functional Assessment Scale), MMSE (Mini-Mental State Exame), MMSEsev (Severe Mini-Mental State Examination), SIB-8 (Severe Impairment Battery) and TSI (Test for Severe Impairment), for the comparison with a golden-standard ecological scale the PADL (Performance Activities of Daily Living). Results : The evidence suggests an increasing and statistically significant linear correlation between the ecological functional scale and cognitive tests according to the stratification of AD stages once weighted by static functional scale. Discussion : The results indicate that for patients in advanced stages of AD, appropriate cognitive tests and performance-based functional scales are useful in more accurate assessment of disease staging and monitoring its progression. <hr/> Contexto : Apesar de a doença de Alzheimer (DA) ser a forma de demência mais prevalente, pouco se sabe sobre aspectos cognitivos e funcionais em suas fases avançadas. Objetivo: Foi objetivo deste trabalho a adaptação e correlação entre instrumentos específicos para a DA em fases avançadas no que diz respeito à sua cognição objetivamente ponderada, além da comparação entre aspectos da capacidade funcional estática e ecológica. Métodos : Noventa e cinco pacientes (33 homens e 62 mulheres) com DA moderada, moderadamente grave e grave foram submetidos às escalas CDR (Clinical for Dementia Rating), FAST (Functional Assessment Scale), MEEM (Mini-Mental State Examination), MMSEsev (Severe Mini-Mental State Examination), SIB-8 (Severe Impairment Battery) e TSI (Test for Severe Impairment) para comparação com uma escala ecológica padrão-ouro, a PADL (Performance Activities of Daily Living). Resultados : As evidências encontradas sugerem uma correlação linear crescente e estatisticamente significativa entre a escala funcional ecológica e os testes cognitivos conforme a estratificação das fases da DA uma vez ponderadas pela escala funcional estática. Conclusão : Os resultados indicam que, para pacientes em fases avançadas da DA, testes cognitivos apropriados e escalas funcionais baseadas no desempenho são úteis na avaliação mais acurada do estadiamento da doença e acompanhamento de sua progressão. <![CDATA[Lithium safety and tolerability in mood disorders: a critical review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100009&lng=es&nrm=iso&tlng=es Background : Lithium is a first-line treatment for bipolar disorder in all phases, also indicated as add-on drug for unipolar depression and suicide prevention. This study encompasses a broad critical review on the safety and tolerability of lithium for mood disorders. Methods : A computerized search for English written human studies was made in MEDLINE, using the keywords “lithium” and “mood disorders”, starting from July 1993 through July 2013 (n = 416). This initial search aimed to select clinical trials, prospective data, and controlled design studies of lithium treatment for mood disorders reporting adverse effects (n = 36). The final selection yielded 91 studies. Results : The most common general side effects in patients on lithium treatment were thirst, frequent urination, dry mouth, weight gain, fatigue and cognitive complaints. Lithium users showed a high prevalence of hypothyroidism, hyperparathyroidism, and decrease in urinary concentration ability. Reduction of glomerular filtration rate in patients using lithium was also observed, but in a lesser extent. The evidence of teratogenicity associated with lithium use is not well established. Anti-inflammatory non-steroidal drugs, thiazide diuretics, angiotensin-converting enzyme inhibitors, and alprazolam may increase serum lithium and the consequent risk for intoxication. Discussion : Short-term lithium treatment is associated with mild side effects. Medium and long-term lithium treatment, however, might have effects on target organs which may be prevented by periodical monitoring. Overall, lithium is still a safe option for the treatment of mood disorders. <hr/> Contexto : O lítio é um tratamento de primeira linha para o transtorno bipolar, em todas as fases, e também é indicado como terapia adjunta para a depressão unipolar e prevenção do suicídio. Este estudo abrange uma ampla revisão crítica sobre a segurança e a tolerabilidade do lítio para transtornos do humor. Métodos : Uma busca informatizada para estudos com humanos escritos em inglês foi feita no MEDLINE, usando as palavras-chave “lítio” e “transtornos de humor”, a partir de julho de 1993 a julho de 2013 (n = 416). Esta pesquisa inicial teve como objetivo selecionar ensaios clínicos, estudos prospectivos e estudos controlados com tratamento com lítio para transtornos de humor, relatando efeitos adversos (n = 36). A seleção final identificou 91 estudos. Resultados : Os efeitos colaterais mais comuns nos pacientes em tratamento com lítio foram sede, micção frequente, boca seca, ganho de peso, fadiga e queixas cognitivas. Usuários de lítio mostraram uma alta prevalência de hipotireoidismo, hiperparatireoidismo e diminuição da capacidade de concentração urinária. Também foi observada redução da taxa de filtração glomerular em pacientes utilizando lítio, mas em menor grau. A evidência de teratogenicidade associada com o uso de lítio não está bem estabelecida. Os medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, diuréticos, inibidores da enzima de conversão da angiotensina e alprazolam podem aumentar o lítio sérico e o consequente risco de intoxicação. Conclusões : O tratamento de curto prazo com lítio está associado com efeitos colaterais leves. No entanto, tratamentos de médio a longo prazo com lítio podem ter efeitos sobre órgãos-alvo que podem ser prevenidos por acompanhamento periódico. Em geral, o lítio é ainda uma alternativa segura para o tratamento dos transtornos de humor. <![CDATA[Novel neurotherapeutics in psychiatry: use and rationale of transcranial direct current stimulation in major depressive disorder]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100015&lng=es&nrm=iso&tlng=es Background : Transcranial direct current stimulation (tDCS) is a novel non-pharmacological intervention being investigated for the treatment of major depressive disorder (MDD). Objective : To perform an updated review of tDCS for MDD. Method : Systematic review in Medline/PubMed and other databases of all clinical studies evaluating the clinical efficacy of tDCS in MDD, from the first date available to December/2013. Results : Out of 55 articles, 24 were included, being 6 open-label studies; 8 randomized, double-blind, sham-controlled trials; 2 follow-up studies; 2 meta-analyses and 6 case reports. We observed an improvement of 20-40% in depressive symptoms, being slightly better in open studies. Five randomized clinical trials displayed positive results. The meta-analyses presented mixed results; although none included the study of Brunoni et al. (2013) that represents almost 50% of the evaluated sample. Open-label studies and case reports also investigated tDCS in bipolar depression, post-stroke depression and employed different parameters of stimulation. Discussion : TDCS is a novel, promising treatment for MDD. Definite evidence from large, ongoing clinical trials will be available in the next years. <hr/> Contexto : A estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é uma nova intervenção não farmacológica investigada como tratamento no transtorno depressivo maior (TDM). Objetivo : Apresentar uma revisão atualizada da ETCC no TDM. Método : Revisão sistemática no banco de dados Medline/PubMed e outros de todos os estudos clínicos publicados avaliando a eficácia da ETCC no TDM, da primeira data disponível a dezembro/2013. Resultados : De 55 artigos, 24 foram incluídos, sendo 6 estudos abertos; 8 ensaios clínicos randomizados, duplo-cego, placebo controlados; 2 estudos de seguimento; 2 metanálises e 6 relatos de caso. Observa-se uma melhora de 20-40% nos sintomas depressivos, sendo ligeiramente maior nos estudos abertos. Entre os ensaios controlados, 5 demonstraram eficácia da técnica. As metanálises divergiram quanto aos resultados, mostrando presença e ausência de eficácia e ausência da ETCC. Porém, nenhuma incluiu o estudo de Brunoni et al. (2013), que representa quase 50% da população estudada. Estudos abertos e relatos de caso também investigaram o uso da ETCC na depressão bipolar, na depressão pós-AVC e usaram variações nos parâmetros de estimulação. Conclusões : A ETCC é uma técnica promissora no tratamento da TDM. Evidências definitivas devem estar disponíveis nos próximos anos, com a divulgação de resultados de grandes ensaios clínicos em andamento. <![CDATA[Memories of a previous life?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100021&lng=es&nrm=iso&tlng=es Contexto : Há crianças que alegam ter memórias de uma vida passada. Se essas supostas memórias puderem ser verificadas, elas poderão ser bastante relevantes para a questão da relação mente-cérebro. Elas poderão indicar que a memória não está apenas armazenada no cérebro e que a mente pode existir sem um cérebro e ainda assim reter algumas de suas memórias. Essas possibilidades são contrárias ao que atualmente se sabe sobre memória e sua dependência do funcionamento cerebral. Objetivos : Testar se um pesquisador independente obteria achados comparáveis aos de Stevenson (Universidade da Virgínia) que publicou um grande números desses casos. Métodos : Entrevistar as crianças que faziam afirmações consistentes sobre uma vida passada e as pessoas que haviam testemunhado as crianças fazerem essas declarações. Três estudos psicológicos compararam crianças com e sem alegadas memórias de uma vida passada. Resultados : Em dois dos três casos apresentados, foi encontrada uma pessoa falecida cujas características eram compatíveis com as afirmações das crianças sobre uma vida anterior. Psicologicamente, essas crianças diferem das outras crianças, mostrando sinais de Transtorno de Estresse Pós-Traumático, provavelmente por causa das alegadas lembranças de como elas morreram em acidentes ou foram assassinadas. Conclusões : As características dos casos de “memória de vida passada” fazem com que estas sejam relevantes para a questão da relação mente-cérebro. <hr/> Background : Children are sometimes found who claim to have memories of a past life. If such alleged memories can be verified they may prove relevant for the question of the mind-brain relationship. They may indicate that memory is not only stored in the brain and that mind can exist without a brain and still retain some of its memories. These possibilities are contrary to what is presently known about memory and its dependence on brain functioning. Objectives : Were to test if an independent investigator comes up with comparable findings as Stevenson of University of Virginia who has published a great number of such cases. Methods : Consisted of interviewing children who make consistent statements about a previous life and persons who have witnessed them making such statements. Three psychological studies compared children with and without past-life memories. Results : In two of three presented cases a deceased person was found who fitted the child´s statements about the previous life. Psychologically these children differ from other children, showing signs of Post-Traumatic Stress Disorder, likely because by remembering how they died in accidents or were killed. Discussion : The features of “past-life memory” cases make them relevant for question of the mind-brain relationship. <![CDATA[Factitious subcutaneous emphysema in young woman]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832014000100027&lng=es&nrm=iso&tlng=es Contexto : Há crianças que alegam ter memórias de uma vida passada. Se essas supostas memórias puderem ser verificadas, elas poderão ser bastante relevantes para a questão da relação mente-cérebro. Elas poderão indicar que a memória não está apenas armazenada no cérebro e que a mente pode existir sem um cérebro e ainda assim reter algumas de suas memórias. Essas possibilidades são contrárias ao que atualmente se sabe sobre memória e sua dependência do funcionamento cerebral. Objetivos : Testar se um pesquisador independente obteria achados comparáveis aos de Stevenson (Universidade da Virgínia) que publicou um grande números desses casos. Métodos : Entrevistar as crianças que faziam afirmações consistentes sobre uma vida passada e as pessoas que haviam testemunhado as crianças fazerem essas declarações. Três estudos psicológicos compararam crianças com e sem alegadas memórias de uma vida passada. Resultados : Em dois dos três casos apresentados, foi encontrada uma pessoa falecida cujas características eram compatíveis com as afirmações das crianças sobre uma vida anterior. Psicologicamente, essas crianças diferem das outras crianças, mostrando sinais de Transtorno de Estresse Pós-Traumático, provavelmente por causa das alegadas lembranças de como elas morreram em acidentes ou foram assassinadas. Conclusões : As características dos casos de “memória de vida passada” fazem com que estas sejam relevantes para a questão da relação mente-cérebro. <hr/> Background : Children are sometimes found who claim to have memories of a past life. If such alleged memories can be verified they may prove relevant for the question of the mind-brain relationship. They may indicate that memory is not only stored in the brain and that mind can exist without a brain and still retain some of its memories. These possibilities are contrary to what is presently known about memory and its dependence on brain functioning. Objectives : Were to test if an independent investigator comes up with comparable findings as Stevenson of University of Virginia who has published a great number of such cases. Methods : Consisted of interviewing children who make consistent statements about a previous life and persons who have witnessed them making such statements. Three psychological studies compared children with and without past-life memories. Results : In two of three presented cases a deceased person was found who fitted the child´s statements about the previous life. Psychologically these children differ from other children, showing signs of Post-Traumatic Stress Disorder, likely because by remembering how they died in accidents or were killed. Discussion : The features of “past-life memory” cases make them relevant for question of the mind-brain relationship.