Scielo RSS <![CDATA[Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-608320050007&lang=pt vol. 32 num. lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<B>História da caracterização nosológica do transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores apresentam uma sintética revisão da história da doença bipolar, a partir de Araeteus da Capadócia até os tempos atuais. O conceito moderno de doença bipolar foi iniciado na França, com os trabalhos de Falret (1851) e Baillarger (1856). Os conceitos seminais de Emil Kraepelin mudaram as bases da nosologia psiquiátrica, e o seu conceito unitário a respeito da "insanidade maníaco-depressiva" foi amplamente aceito e adotado. As idéias de Kraepelin e Weigandt constituíram-se na pedra angular para sua concepção unitária da doença maníaco-depressiva. Depois de Kraepelin, no entanto, as idéias de Kleist e Leonhard, na Alemanha, e o trabalho de Angst, Perris e Winokur enfatizaram a distinção entre as formas unipolar e bipolar da depressão. Mais recentemente a ênfase mudou novamente para o espectro bipolar, que se estende até os limites dos temperamentos normais (Akiskal e colaboradores). Finalizando, os autores sumarizam as controvérsias quanto à nosologia do transtorno bipolar e suas fronteiras com a esquizofrenia, os quadros esquizoafetivos e as chamadas psicoses ciclóides.<hr/>The authors review briefly the history of bipolar disorder from Araeteus of Cappadocia to our times. The modern concept of bipolar disorder was built in France, through the work of Falret (1851) and Baillarger (1854). The pivotal concepts of Emil Kraepelin changed the basis of psychiatric nosology, and Kraepelin's unitary concept of manic-depressive insanity was largely accepted. Kraepelin and Weigandt's ideas on mixed states were a cornerstone to this unitary concept. After Kraepelin however, the ideas of Kleist and Leonhard, in Germany, and the work of Angst, Perris and Winokur emphasized the distinction between unipolar and bipolar forms of depression. More recently the emphasis changed again to the bipolar spectrum, which expanded to the borders of the normal temperaments (Akiskal and co-workers). At the end the authors summarize the controversies concerning the nosology of bipolar disorder and its boundaries with schizophrenia, schizoaffective disorders and cycloid psychosis. <![CDATA[<B>Epidemiologia do transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A formulação de políticas em saúde mental depende essencialmente de informações a respeito da freqüência e distribuição dos transtornos mentais. Nas últimas duas décadas, pesquisas de base populacional em epidemiologia psiquiátrica têm sido conduzidas, gerando informações detalhadas sobre freqüência, fatores de risco, incapacidade social e utilização de serviços de saúde. Neste artigo, dados sobre a epidemiologia do transtorno bipolar (TB) são discutidos, a partir de resultados de recentes pesquisas populacionais: o estudo da Área de Captação Epidemiológica do Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos (ECA-NIMH), a Pesquisa Nacional de Comorbidade (NCS), a Pesquisa de Morbidade Psiquiátrica na Grã-Bretanha (OPCS), o Estudo Brasileiro Multicêntrico de Morbidade Psiquiátrica e os estudos longitudinais conduzidos por Angst, em Zurique. As estimativas de prevalências de transtorno bipolar são relativamente baixas, independentemente do lugar onde a pesquisa foi conduzida, do tipo de instrumento diagnóstico usado e dos períodos de tempo para os quais a prevalência se aplica. A partir da introdução do conceito de espectro bipolar, ampliando as fronteiras diagnósticas do TB, as estimativas de prevalências encontradas são substancialmente mais altas. Tais estimativas, entretanto, ainda carecem de validação em estudos populacionais. O transtorno afetivo bipolar é igualmente prevalente entre homens e mulheres, sendo mais freqüente entre solteiros ou separados. Indivíduos acometidos têm maiores taxas de desemprego e estão mais sujeitos a utilizarem serviços médicos e serem hospitalizados. O custo e a eficácia dos tratamentos do TB devem ser balanceados com o alto custo individual e social associados à enfermidade.<hr/>Information about the epidemiology of bipolar disorders is essential for providing a framework for the formulation of effective mental health policy. In the last two decades, population surveys of psychiatric morbidity in adults have been conducted and as a result details on the frequency, risk factor, social disabilities, and service use rates of mental disorders are now available. Epidemiological findings on bipolar disorders are discussed on the light of results from recent large population-based surveys namely the Epidemiological Catchment Area Study (ECA), the National Comorbidity Survey (NCS), the OPCS Survey of Psychiatric Morbidity in Great Britain, the Brazilian Multicentric Study of Psychiatric Morbidity, and the longitudinal studies conducted in Zurich by Angst. Prevalence rates for bipolar disorder were generally low, regardless setting, the type of instrument used for generating psychiatric diagnosis, and the time periods by which prevalence is defined. Since the introduction of the concept of bipolar spectrum, broadening the boundaries of the disease, the estimate rates have been found to be substantially higher. Such rates still need to be validated by populational-based studies. Bipolar disorder is as prevalent in women as in men, more common among singles and separated or divorced people. Those affected by the disease are more likely to use medical services and to be hospitalized. The cost-effectiveness of treatments must be balanced with the high individual and social impact associated to the bipolar illness. <![CDATA[<B>Fatores genéticos e ambientais na manifestação do transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O transtorno bipolar (TB) possui alta prevalência na população mundial e causa perdas significativas na vida dos portadores. É uma doença com importante fator genético, cuja herança se caracteriza por mecanismos complexos de transmissão envolvendo múltiplos genes que estão sob influência de inúmeros fatores ambientais. Várias estratégias de investigação genética têm sido utilizadas para identificar genes determinantes de vulnerabilidade ao TB. Estudos com gêmeos, de ligação e de associação permitiram caracterizar a herdabilidade dessa doença, identificar regiões cromossômicas potencialmente associadas ao TB e avaliar a contribuição de genes candidatos na sua etiologia. Em virtude da complexidade do modo de transmissão do TB e de sua heterogeneidade fenotípica muitas dificuldades são encontradas na identificação desses genes. Paralelamente, estudos psicossociais apontam para fatores ambientais de relevância no desencadeamento do TB. Com a compreensão crescente dos mecanismos epigenéticos de controle da expressão gênica, incluindo a interação do genoma com fatores ambientais, e a abordagem dimensional dos transtornos mentais, abrem-se perspectivas promissoras de pesquisas futuras para elucidar os fatores envolvidos na manifestação do transtorno bipolar.<hr/>Bipolar disorder (BD) is a highly prevalent mental disease worldwide. This disorder has a genetic inheritance characterized by complex transmission mechanisms involving multiple genes under the influence of several environmental factors. Many investigation strategies have been put forward in order to identify BD susceptibility genes. Twin, linkage and association studies have contributed to the characterization of its herdability through the identification of genomic regions potentially linked to BD and the candidate genes investigation approach. Because of the complexity of the transmission pattern for BD and its phenotypic heterogeneity many difficulties have emerged in defining exact bipolar susceptibility genes. On the other hand, psychosocial studies point out to relevant environmental factors in the etiology of BD. The increasing understanding of gene expression regulation by epigenetic mechanisms, including gene-environment interaction, and the dimensional approach to the mental disorders offer promissing directions to future researches in order to uncover the factors envolved in the etiology of Bipolar disorder. <![CDATA[<B>As bases neurobiológicas do transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste artigo, os autores revisam importantes aspectos associados às bases biológicas do transtorno de humor bipolar (THB). O THB está relacionado com o surgimento de diversas alterações bioquímicas e moleculares em sistemas de neurotransmissão e vias de segundos-mensageiros geradores de sinais intracelulares. Essas modificações em neurônios e glia parecem estar associadas com o surgimento de sintomas maníacos e depressivos. Ainda neste contexto, disfunções na homeostasia e no metabolismo energético cerebral tem sido associado com alterações comportamentais, na modulação do humor e ritmo circadiano em humanos e em modelos animais da doença. Assim, alterações metabólicas em neurônios e células gliais têm sido associadas com quadros depressivos e maníacos. Nos últimos anos, avanços nas técnicas de neuroimagem, genéticos e de biologia moleculares têm gerado novos conhecimentos acerca das bases biológicas da bipolaridade. Os autores destacam que a doença parece estar relacionada diretamente com disfunções em diferentes mecanismos adaptativos a estresse em células neurais, gerando perda na capacidade celular de induzir neuroplasticidade e neurotrofismo, facilitando assim o surgimento da doença.<hr/>In this article, the authors review relevant aspects related to the neurobiological basis of bipolar disorder. This illness has been associated with complex biochemical and molecular changes in brain circuits linked to neurotransmission and intracellular signal transduction pathways, and changes on neurons and glia have been proposed to be directly associated with clinical presentation of mania and depression. In the same context, dysfunctions on brain homeostasis and energy metabolism have been associated with alterations on circadian rythms, behavior and mood in human and animal models of bipolarity. In the recent years, advances on techniques of neuroimaging, molecular biology and genetics has provided new insights about the biology of bipolarity. The authors emphasize that bipolar disorder has been shown to be directly associated with dysfunctions on neural adaptative mechanisms, promoting neural stress. The resulted stress, even that do not lead to cell death, may limit the neuroplasticity and neurotrophism in neurons and glia, which in turn may facilitate the arousal of this pervasive illness. <![CDATA[<B>Tratamento farmacológico do transtorno bipolar: as evidências de ensaios clínicos randomizados</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo é uma síntese das evidências provenientes de ensaios clínicos randomizados sobre o tratamento do transtorno bipolar. A metodologia para a busca do material disponível é descrita, e os resultados são apresentados. Com o melhor nível de evidência disponível, ou seja, revisões sistemáticas de mais de um ensaio clínico randomizado ou pelo menos um ensaio clínico randomizado, temos as seguintes recomendações: 1) a mania aguda pode ser tratada com Lítio, Valproato, Carbamazepina, e antipsicóticos; 2) a depressão bipolar pode ser tratada com antidepressivos (com risco aumentado de virada para mania), com lamotrigina e a associação fluoxetina/olanzapina e 3) a manutenção do transtorno bipolar pode ser realizada com o lítio, valproato, carbamazepina, olanzapina e lamotrigina (quando o objetivo for a profilaxia da depressão bipolar). A não existência de ensaios clínicos publicados não significa que determinadas intervenções não sejam úteis.<hr/>The present article is a synthesis of the published clinical trials about the treatment of Bipolar disorder (BD). The methodology used to search the literature is described and results are presented. Using the best available evidence (systematic reviews of clinical trials or at lest one randomized clinical trial) the following is recommended: 1) acute mania can be treated with lithium, carbamazepine, valrpoate and antipsychotics; 2) acute depression can be treated with lamotrigine, olanzapine/fluoxetine combination and with antidepressants (with an increased risk of switch into mania); 3) maintenance can be performed using lithium, valproate, olanzapine and lamotrigine (when the aim is prophylaxis of bipolar depression). The absence of published results about certain interventions does not mean that such interventions are not useful. <![CDATA[<B>Diagnóstico, tratamento e prevenção da mania e da hipomania no transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pelo menos 5% (Moreno, 2004 e Angst et al., 2003) da população geral já apresentou mania ou hipomania. A irritabilidade e sintomas depressivos durante episódios de hiperatividade breves e a heterogeneidade de sintomas complicam o diagnóstico. Doenças neurológicas, endócrinas, metabólicas e inflamatórias podem causar uma síndrome maníaca. Às vezes, a hipomania ou a mania são diagnosticadas de forma errada como normalidade, depressão maior, esquizofrenia ou transtornos de personalidade, ansiosos ou de controle de impulsos. O lítio é a primeira escolha no tratamento da mania, mas ácido valpróico, carbamazepina e antipsicóticos atípicos são também freqüentemente utilizados. A eletroconvulsoterapia está indicada na mania grave, psicótica ou gestacional. A maioria dos estudos controlados para a profilaxia de episódios maníacos foi realizada com lítio e mais estudos são necessários para investigar a eficácia profilática do valproato, da olanzapina e de outras medicações. O tratamento e a profilaxia da hipomania foram pouco estudados e, de modo geral, seguem as mesmas diretrizes usadas para a mania.<hr/>At least 5% (Moreno, 2004 e Angst et al., 2003) of the general population have presented mania or hypomania. Irritability and depressive symptoms during brief hyperactivity episodes and the heterogeneity of symptoms complicate the diagnosis. Neurological, metabolic, endocrine, inflammatory diseases, besides drugs intoxication and abstinence can cause a manic syndrome. Sometimes hypomania or mania are misdiagnosed as normality, major depression, schizophrenia, personality, anxiety and impulse control disorders. Lithium is the first treatment choice for episodes of mania. Valproic acid, carbamazepine and atypical antipsychotics are frequently used as well. Electroconvulsive therapy should be used in severe, psychotic or gestational mania. For the prophylaxy of manic episodes, lithium is the medication with most controlled studies. More studies are needed to investigate the prophylactic efficacy of valproate, olanzapine and other medications. The treatment and prophylaxis of hypomania remains understudied, and usually follows the guidelines used for mania. <![CDATA[<B>Tratamento da depressão bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O tratamento da depressão bipolar tem sido tema de debate. O uso de antidepressivos, principalmente tricíclicos, nestes pacientes está associado a piores desfechos clínicos. Estudos apontam para uma eficácia limitada de estabilizadores tradicionais como lítio, valproato e carbamazepina no tratamento da depressão bipolar. Em casos de depressão mais grave, há indicativos de que os antidepressivos podem ser úteis, sendo recomendado o uso concomitante de um estabilizador do humor. Novos agentes como a lamotrigina têm sido propostos como efetivos no tratamento da depressão bipolar. Estudos recentes utilizando lamotrigina sugerem a sua eficácia e seguraça no tratamento da depressão bipolar.<hr/>The treatment of bipolar depression has been an area of debate. The use of antidepressants, particularly the triciclics, has been associated with worse clinical outcomes. Evidence points to a limited efficacy of traditional mood stabilizers such as lithium, valproate and carbamazepine in the treatment of bipolar depression. In cases where depression is more severe, there is evidence that antidepressants may be useful. The use of antidepressants should be in association with a mood stabilizer. New agents such as lamotrigine have been put forward as effective in the treatment of bipolar depression. Recent studies using lamotrigine suggest its efficacy and safety in the treatment of bipolar depression. <![CDATA[<B>Estados mistos e quadros de ciclagem rápida no transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Estados mistos foram esquecidos por quase um século e os modernos critérios diagnósticos operacionais do DSM-IV e da CID-10 os caracterizam como episódios simultâneos de síndromes depressiva e maníaca, denominados mania mista, mania disfórica ou depressão durante a mania. Estudos de validação têm investigado várias linhas de corte dos estados mistos maníacos, dependendo do número de sintomas depressivos presentes no episódio maníaco. Paralelamente, crescem evidências acerca da existência de estados mistos depressivos, anteriormente descritos por Kraepelin, caracterizados por episódios depressivos com pelo menos três sintomas maníacos. O conhecimento sobre a terapêutica é limitado, pois deriva de ensaios clínicos de pacientes em mania que incluíram sujeitos em estados mistos. A ciclagem rápida é um tipo de curso do transtorno bipolar, definida pela presença de pelo menos quatro episódios distintos de mania, hipomania, depressão ou misto durante um ano. O tratamento é difícil e inclui a identificação de fatores de risco, como hipotireoidismo e transtornos relacionados ao uso de substâncias. Tanto nos estados mistos como na ciclagem rápida, preconiza-se evitar antidepressivos, quando possível. Neste trabalho são apresentadas formas clínicas dos estados mistos e algoritmos para o tratamento seqüencial de estados mistos maníacos e da ciclagem rápida baseadas nas evidências disponíveis na literatura.<hr/>Mixed states were almost forgotten during the last century and in modern diagnostic criteria of DSMIV and ICD 10 they were characterized as episodes with manic and depressive syndromes simultaneously, described as mixed mania, dysphoric mania or depression during mania. Validation studies investigated various cutoff points, depending on the number of depressive symptoms during manic episodes. There are also growing evidences on the existence of depressive mixed states, already described by Kraepelin; they are characterized by depressive episodes with at least 3 manic symptoms. Data on therapeutics are limited and were derived from clinical studies in manic episodes, which included patients with mixed states. Rapid cycling is defined as the presence of at least 4 distinct affective episodes in a one year period, i.e. manic, hypomanic, depressive or mixed, in the course of the bipolar disorder. Treatment is difficult and includes identification of risk factors, such as hypothyroidism and substance related disorders. In mixed states and rapid cycling antidepressants should be avoided, if possible. In this study we present different clinical forms of mixed states, as well as guidelines for the sequential treatment of mixed states and rapid cycling affective disorders, according to existing evidences in the literature. <![CDATA[<B>Tratamento do transtorno bipolar</B>: eutimia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O transtorno bipolar é um quadro complexo caracterizado por episódios de depressão, mania ou hipomania e fases assintomáticas. O tratamento visa ao controle de episódios agudos e prevenção de novos episódios. O tratamento farmacológico iniciou-se com o lítio. Até o momento, o lítio permanece como o tratamento com mais evidências favoráveis na fase de manutenção. Outros tratamentos demonstram eficácia nessa fase, como o valproato, a carbamazepina e os antipsicóticos atípicos. Dos antipsicóticos atípicos o mais estudado nesta fase do tratamento é a olanzapina. Mais estudos prospectivos são necessários para confirmar a ação profilática de novos agentes.<hr/>Bipolar disorder is a complex disorder characterized by depression episodes, mania or hypomania and asymptomatic phases. The treatment aims at the control of acute episodes and prevention of new episodes. The pharmacological treatment was inaugurated with lithium. Until the moment, lithium remains as the treatment with more favorable evidences in the maintenance phase. Other treatments demonstrate efficacy in this phase, as valproate, carbamazepine and atypical antipsychotics. Of the atypical antipsychotics, the most studied in this phase of treatment is olanzapine. More prospective studies are necessary to confirm prophylactic action of new agents. <![CDATA[<B>Impacto da comorbidade no diagnóstico e tratamento do transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores descrevem as principais comorbidades em pacientes com transtorno bipolar e suas implicações no diagnóstico e tratamento. A presença de comorbidades dificulta o diagnóstico e o manejo clínico do paciente e está associada à pior resposta ao tratamento. Dada a grande freqüência da comorbidade de transtorno bipolar com transtornos de ansiedade, é obrigatória sua pesquisa em pacientes bipolares. O tratamento do paciente bipolar com comorbidade quase sempre envolve a utilização de um estabilizador do humor. Com base nos dados de literatura não é possível dizer que um seja melhor que outro em pacientes com transtorno bipolar e comorbidade com outro transtorno. Quando se faz necessário o uso de antidepressivos há cuidados e riscos que devem ser lembrados. Os benzodiazepínicos podem ser úteis como coadjuvantes na farmacoterapia desses pacientes.<hr/>The authors describe the main comorbidities in patients with bipolar disorder and its implications on diagnosis and treatment. The presence of comorbidities makes diagnostic procedure and clinical management of the patient more difficult and is related to poor treatment response. Due to the common co-occurrence of bipolar disorder and anxiety disorders, their presence must be considered when diagnosing and treating patients with bipolar disorder. Treatment of patients with bipolar and comorbid disorders almost always include a mood stabilizer. Based on the data available no firm recommendations can be made as to which mood stabilizer would be best for these patients. When it is necessary to use an antidepressant there are potential problems and risks that must be remembered. Benzodiazepines can be useful as coadjuvants in the pharmacotherapy of these patients. <![CDATA[<B>Transtorno bipolar do humor e uso indevido de substâncias psicoativas</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O transtorno bipolar e o uso indevido de substâncias psicoativas são doenças com alto potencial de limitação de autonomia, tornando-se ainda mais sérios quando associados. Este artigo apresenta as evidências científicas disponíveis acerca da epidemiologia, etiologia, evolução clínica, diagnóstico e tratamento farmacoterápico e psicossocial da comorbidade transtorno bipolar do humor e o uso indevido de substâncias psicoativas.<hr/>The bipolar disorder and substance abuse are illness with highly autonomy limitation potential, becoming still more serious when associates. This article presents the available scientific evidences concerning the epidemiology, etiology, clinical evolution, diagnosis and pharmacological and psychosocial approaches designed for the bipolar disorder and substance abuse comorbidity. <![CDATA[<B>Tratamento do transtorno esquizoafetivo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O tratamento farmacológico do transtorno esquizoafetivo (TE) é usualmente realizado com antipsicóticos, estabilizadores do humor e antidepressivos. Verifica-se a falta de estudos epecificamente desenhados para avaliar a resposta de pacientes esquizoafetivos à medicação. Portanto, as informações sobre o tratamento de pacientes com TE são derivadas de bancos de dados de paciente com esquizofrenia e transtornos bipolares. Dados de pesquisa apóiam a idéia de um continuum entre os transtornos bipolares e a esquizofrenia. As duas condições podem ser tratadas com antipsicóticos, o que pode refletir uma base fisiopatológica comum para ambas.<hr/>The pharmacological treatment of schizoaffective disorders (SD) is usually carried out with antipsychotics, mood stabilizers and antidepressants. There is a lack of clinical trials specifically designed to assess the clinical response of schizoaffective patients to medication. Therefore, data on the treatment of patients with SD is largely derived from datasets of patients with schizophrenia and bipolar disorders. Research data support the idea of a continuum between bipolar and schizophrenic disorders. Both disorders can be treated with antipsychotics and this may reflect a common pathophysiological diathesis. <![CDATA[<B>Abordagens psicoterápicas no transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Embora o tratamento farmacológico seja essencial para o tratamento do transtorno bipolar, apenas 40% de todos os pacientes que aderem às medicações permanecem assintomáticos durante o período de seguimento, o que tem levado ao desenvolvimento de intervenções psicoterápicas associadas. O objetivo deste artigo é examinar as evidências atuais da eficácia de intervenções psicoterápicas no tratamento do transtorno bipolar. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica por meio do MedLine, PsychoINFO, Lilacs e Cochrane Data Bank, até o ano de 2004, em que foram procurados artigos originais e revisões sobre as abordagens psicoterápicas utilizadas no tratamento do transtorno bipolar. Há várias abordagens que podem se mostrar úteis no tratamento do transtorno bipolar. A psicoeducação e a terapia cognitivo-comportamental apresentam as evidências mais consistentes e são as técnicas mais amplamente estudadas. As intervenções envolvendo familiares e a terapia interpessoal e de ritmo social se mostram tratamentos eficazes em determinadas situações. Há alguns estudos empregando a terapia psicodinâmica no transtorno bipolar, mas são estudos com limitações metodológicas. Apesar de haver evidências demonstrando a eficácia de determinadas abordagens psicoterápicas no transtorno bipolar, ainda é necessária a realização de estudos posteriores que comprovem tais dados e que desenvolvam tratamentos baseados em modelos etiológicos e que identifiquem tratamentos específicos para as diferentes fases e tipos de transtorno bipolar.<hr/>Although pharmacological treatment is essential for treating bipolar disorder, less than half of all medication compliant patients are non-symptomatic during follow-up, which has led to developments of adjunctive psychosocial interventions. This paper examines the current evidence for effectiveness of psychotherapeutic interventions in the treatment of bipolar disorder. Searches were undertaken through MedLine, PsychoINFO, Lilacs, and Cochrane Data Bank, up to the year 2004. Psychotherapeutic approaches to the treatment of bipolar disorders were searched in original and review articles. Various approaches are useful in the treatment of bipolar disorders. Psychoeducation and cognitive-behavioral therapies show the best available evidence and are the most studied techniques. Family interventions and interpersonal and social rhythm therapy show efficacy in particular treatment phases. Studies with psychodynamic psychotherapies showed methodological limitations. Although there are some current evidence for effectiveness of psychosocial interventions for bipolar disorders, there is still a need for further studies to confirm these data. There is also a need to develop treatments based on etiological models, and particular treatments for the different phases and types of the bipolar spectrum. <![CDATA[<B>Adesão ao tratamento no transtorno bipolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O transtorno bipolar (TB) é uma doença crônica, recorrente, presente em 1,5% da população, estando associada a altas taxas de mortalidade e prejuízos socioeconômicos. O lítio, a carbamazepina e o ácido valpróico são os estabilizadores de humor mais usados. Em tratamentos prolongados, como é o caso do TB, a má-adesão dos pacientes é uma das maiores dificuldades. Verifica-se que fatores ligados ao paciente, aos medicamentos e aos médicos possam ser responsáveis pela baixa adesão. A psicoeducação, a terapia cognitivo-comportamental e a terapia focada na família são estratégias propostas para o aumento da adesão.<hr/>Bipolar disorder (BD) is a chronic and recurrent illness that occurs in 1,5% of the population. This illness is associated with high rates of mortality and social/economic burden. Lithium, carbamazepine and valproic acid are the most used mood stabilizers. In long term treatments, as in BD, one of the main difficulties is the patient's adherence. It appears that factors associated to the patient, drug and the physician are responsible for the low adherence. The use of psycho-education, cognitive-behavioral therapy and focused family therapy have been put forward as a means to increase adherence. <![CDATA[<B>O transtorno bipolar na mulher</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diferenças sexuais, descritas em vários transtornos psiquiátricos, também parecem estar presentes no transtorno afetivo bipolar (TAB). A prevalência do TAB tipo I se distribui igualmente entre mulheres e homens. Mulheres parecem estar sujeitas a um risco maior de ciclagem rápida e mania mista, condições que fariam do TAB um transtorno com curso mais prejudicial no sexo feminino. Uma diátese depressiva mais marcante, uso excessivo de antidepressivos e diferenças hormonais surgem como hipóteses para explicar essas diferenças fenomenológicas, apesar das quais, mulheres e homens parecem responder igualmente ao tratamento medicamentoso. A indicação de anticonvulsivantes como primeira escolha em mulheres é controversa, a não ser para o tratamento da mania mista e, talvez, da ciclagem rápida. O tratamento do TAB na gravidez deve levar em conta tanto os riscos de exposição aos medicamentos quanto à doença materna. A profilaxia do TAB no puerpério está fortemente indicada em decorrência do grande risco de recorrência da doença nesse período. Embora, de modo geral, as medicações psicotrópicas estejam contra-indicadas durante a amamentação, entre os estabilizadores do humor, a carbamazepina e o valproato são mais seguros do que o lítio. Mais estudos são necessários para a confirmação das diferenças de curso do TAB entre mulheres e homens e a investigação de possíveis diferenças na efetividade dos tratamentos.<hr/>Gender differences, described in several psychiatric disorders, seem to be also present in bipolar disorder (BD). The prevalence of bipolar I disorder is equally distributed between women and men. Women seem to be at higher risk for rapid cycling and mixed mania, conditions that could make BD a disorder with a more severe course in the female sex. A marked depressive diathesis among women, greatest use of antidepressants and hormonal differences have been mentioned as hypotheses to explain these phenomenological differences. However, women and men seem to respond equally to medication. The indication of anticonvulsivants as first-line treatment in women is controversial, except for the treatment of mixed mania and, probably, rapid cycling.BD treatment during pregnancy must take into account risks related to medication effects as well as to the mother's illness. Prophylaxis in the postpartum is strongly recommended due to a great risk of recurrence in this period. Although psychotropic medication is generally contraindicated during lactation, among mood stabilizers, carbamazepine and valproate seem safer than lithium. Further studies are needed to confirm BD's course differences between women and men and to investigate possible impact on treatment effectiveness. <![CDATA[<B>O tratamento farmacológico do transtorno bipolar na infância e adolescência</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000700017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O reconhecimento do transtorno do humor bipolar (THB) em crianças e adolescentes tem aumentado significativamente nos últimos anos. O THB, nessa faixa etária, parece freqüentemente se apresentar de forma atípica, assim, humor irritável com "tempestades afetivas" são mais freqüentes do que euforia, o curso da doença é mais crônico do que episódico e sintomas mistos com depressão e mania concomitantes são comuns. Alta prevalência de comorbidades, em especial com transtorno do déficit de atenção/hiperatividade, parece ser a regra. Apesar do efeito devastador do THB no desenvolvimento infantil, poucos estudos têm investigado intervenções farmacológicas nesses pacientes. Essa revisão tem como objetivo apresentar uma discussão crítica dos achados provenientes de estudos recentes nessa nova área de pesquisa, a psicofarmacologia do THB em crianças e adolescentes. Para realizar essa tarefa, uma revisão computadorizada e sistemática da literatura foi realizada por meio do PUBMED. Os dados sobre tratamento psicofarmacológico do THB em crianças e adolescentes são apresentados em três seções: 1) a força da evidência científica na área; 2) descrição crítica dos estudos principais; 3) proposição de um algoritmo de decisão. Apenas um estudo randomizado duplo-cego e controlado por placebo foi encontrado. A quase totalidade dos estudos é composta de ensaios prospectivos abertos, séries de casos e análises retrospectivas de prontuários. Os fármacos mais estudados são o lítio e o valproato de sódio. Essa revisão indica uma escassa disponibilidade de evidência científica de qualidade para guiar o clínico na decisão do tratamento farmacológico a ser indicado para o THB em crianças e adolescentes.<hr/>Juvenile Bipolar Disorder (JBD) has been recognized more frequently in the last years. The disorder might have an atypical presentation in this age range. Thus, irritability with "affective storms" are more frequent than euphoria, the evolution of the disorder is more chronic than episodic and mixed symptoms are more frequent. High prevalence of comorbid conditions, specially Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder, seems to be the rule. Despite the devastating effect of JBD in the child development, few pharmacological investigations were conducted in these patients. This review aims to present a critical discussion of the findings from this emerging new area of research, the psychopharmacology of the JBD. To accomplish this task, a systematic computerized search of the literature was conducted through the PUBMED. Findings are presented in three sections: 1) the strength of the scientific evidence in the field; 2) critical description of the main investigations; 3) proposition of an algorithm to guide treatment options. Only one randomized, double-blind, controlled trial was found in the literature. Almost all studies are open prospective trials, case series, or retrospective analyses of medical records. The most investigated drugs are lithium and valproate sodium. This review suggest that a scarce availability of high quality evidence to guide clinicians in the decision on which pharmacological treatment should be used to address bipolar disorder in children and adolescents.