Scielo RSS <![CDATA[Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-608320110004&lang=pt vol. 38 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Notificação compulsória de violência</b>: <b>implicações em saúde mental</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Comorbidade de sintomas ansiosos e depressivos em pacientes com dor crônica e o impacto sobre a qualidade de vida</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Dor é uma experiência emocional e sensorial desagradável. Tanto a dor crônica como a depressão reduzem de forma significativa a qualidade de vida, além de aumentar muito os custos dos cuidados com a saúde. OBJETIVOS: Analisar a associação entre sintomas depressivos e de ansiedade em relação à dor crônica e investigar o impacto desses sintomas na saúde e na qualidade de vida em indivíduos com dor crônica. MÉTODOS: A dor foi avaliada por meio de uma Escala Analógica Visual (VAS). Os sintomas depressivos e a ansiedade foram avaliados pela Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HAD). A qualidade de vida foi avaliada por meio do SF-36. RESULTADOS: Quatrocentos pacientes foram estudados, com idade média de 45,6 ± 11,4 anos e 82,8% são do sexo feminino. De acordo com a HAD, 70% tinham ansiedade e 60%, os sintomas de depressão. A SF-36 apresentou escores < 50% para todos os domínios. Os pacientes com dor intensa/ extrema apresentaram maior frequência (70,4%) de ansiedade do que aqueles com dor selvagem/moderada (59,5%). Essa foi uma associação estatisticamente significante (p = 0,027). No entanto, a frequência de depressão não atingiu significância estatística quando ambos os grupos foram comparados (p = 0,109). CONCLUSÃO: Os sintomas depressivos/ansiedade e dor, em conjunto, apresentaram piores desfechos clínicos de cada estado sozinho. É necessária mais investigação para determinar se o tratamento da dor ajuda os sintomas dos pacientes depressivos e se o alívio dos sintomas depressivos melhora a dor e sua morbidade.<hr/>BACKGROUND: Pain is an unpleasant sensory and emotional experience. Both chronic pain and depression result in substantial disability reduced HRQoL and increased health care costs and utilization. OBJECTIVES: To evaluate the strength of the association between depressive and anxiety symptoms and chronic pain, and to investigate the impact of these symptoms on health-related quality of life (HRQoL) in chronic pain individuals. METHODS: Pain was assessed by means of a Visual Analogue Scale (VAS). Depressive and anxiety symptoms were assessed by the Hospital Anxiety and Depression (HAD) scale. Quality of life was assessed by means of the SF-36. RESULTS: Four hundred patients were studied, mean age 45.6 ± 11.4 years and 82.8% female gender. According to HAD, 70% had anxiety and 60% depression symptoms. SF-36 showed mean scores < 50% for all the domains. Patients with severe pain/extreme (70.4%) had a higher frequency of anxiety than those with pain selvagem/moderada (59,5%). This was a statistically significant (p = 0.027). However, the frequency of depression did not reach statistical significance when both groups were compared p = 0.109). DISCUSSION: Depressive/anxiety symptoms and pain together have worse clinical outcomes than each condition alone. <![CDATA[<b>Avaliação neurocognitiva dos estados de risco ultra-alto de psicose usando a bateria MATRICS (Medição e Pesquisa de Tratamento para Melhorar Cognição na Esquizofrenia)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Diversos déficits neuropsicológicos têm sido detectados em indivíduos com risco ultra-alto de desenvolver psicose, mas o melhor instrumento neuropsicológico para detectar esses déficits está ainda para ser determinado. OBJETIVOS: Avaliar o perfil neuropsicológico de indivíduos em risco ultra-alto de psicose (UHRP) usando a bateria MATRICS, em comparação com controles combinados por idade, gênero e quociente de inteligência. MÉTODO: O funcionamento neuropsicológico foi medido em 27 pacientes em UHRP e 38 controles usando a bateria MATRICS. UHRP foi diagnosticado usando a escala para Avaliação Cognitiva de Estados Mentais em Risco (CAARMS), e tanto o funcionamento social como o global também foram avaliados. As comparações entre grupos foram estabelecidas usando ANOVA, ANCOVA e correlação de Pearson. RESULTADOS: Os sujeitos em UHRP marcaram 0,5 a 1,7 desvios-padrão abaixo dos controles na memória de trabalho, aprendizagem verbal e visual e cognição social. CONCLUSÃO: Indivíduos em UHRP apresentam déficits seletivos no funcionamento neurocognitivo quando comparados com controles, que podem ser detectados com MATRICS. Esse instrumento parece ser útil para a detecção temporã de estados de UHRP.<hr/>BACKGROUND: Several neuropsychological deficits have been detected in subjects at ultra high risk of developing psychosis, but the best neuropsychological instruments to detect these deficits are yet to be determined. OBJECTIVES: Assess neuropsychological profile of subjects at ultra high risk of psychosis (UHRP) using MATRICS battery (Measurement and Treatment Research to Improve Cognition in Schizophrenia) compared with age, gender and Intelligence Quotient matched controls. METHOD: Neuropsychological functioning was measured in 27 UHRP patients and 38 controls using MATRICS battery. UHRP was diagnosed using the Cognitive Assessment of at Risk Mental States (CAARMS) scale, and both social and global functioning was assessed as well. Comparisons between groups were established using ANOVA, ANCOVA and Pearson correlation. RESULTS: UHRP subjects scored 0.5 to 1.7 SD below controls in working memory, verbal and visual learning and social cognition. DISCUSSION: UHRP subjects exhibit selective deficits in neuro-cognitive functioning when compared with controls, which can be detected with MATRICS. This instrument seems to be helpful for early detection of UHRP states. <![CDATA[<b>Validação de escalas para avaliação do amor patológico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Diversas metodologias foram desenvolvidas para validar instrumentos psicométricos. No entanto, na literatura científica, há escassez de instrumentos para avaliar os relacionamentos amorosos. OBJETIVO: O presente trabalho tem como objetivo validar para o português o conteúdo dos instrumentos autoaplicáveis Love Attitudes Scale (Escala de Atitudes do Amor - Hendrick et al., 1998), Relationship Assessment Scale (Escala de Avaliação do Relacionamento - Hendrick, 1988) e Adult Attachment Types (Tipos de Apego do Adulto - Hazan et al., 1987), levando em consideração o contexto cultural brasileiro e, consequentemente, possibilitando que o estudo do amor patológico seja viável na população brasileira. MÉTODOS: Tal processo envolveu quatro etapas: (1) tradução para o português, (2) retrotradução, (3) apresentação da versão corrigida para profissionais de saúde mental e estudantes universitários e (4) aplicação da versão final em amostra da população-alvo utilizando uma escala analógico-visual. RESULTADOS: As escalas foram facilmente compreendidas e discriminaram significativamente indivíduos com amor patológico de voluntários saudáveis. CONCLUSÃO: Nossos resultados mostram que a versão brasileira desses instrumentos é válida e pode ser usada em investigações envolvendo relacionamentos amorosos.<hr/>BACKGROUND: Several methodologies were developed to validate psychometric instruments. However, there are, in the scientific literature, a lack of instruments to evaluate romantic relationship. OBJECTIVE: The present work aims at validating into Portuguese the content of the self-report Love Attitudes Scale (Escala de Atitudes do Amor - Hendrick et al., 1998), the Relationship Assessment Scale (Escala de Avaliação do Relacionamento - Hendrick, 1988), and the Adult Attachment Types (Tipos de Apego do Adulto - Hazan et al., 1987), taking the Brazilian cultural context into consideration, thus rendering the study of pathological love in the Brazilian population feasible. METHODS: Such process involved four stages: (1) translation into Portuguese, (2) back translation, (3) presentation of the translated version to mental health professionals and university students, and (4) application of the final version in a sample of the target population using a rating scale. RESULTS: The scales were easily understood and significantly discriminated individuals with pathological love and healthy volunteers. DISCUSSION: Our results show that the Brazilian version of these instruments is valid and may be used in investigations involving romantic relationships. <![CDATA[<b>Prevalência de transtorno de pânico em pacientes com zumbidos</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Estudos sugerem associação entre zumbidos e transtornos psiquiátricos. OBJETIVO: Identificar a presença de transtorno de pânico em uma amostra de pacientes com queixas de zumbido. MÉTODO: Foram avaliados 50 pacientes com queixa primária de zumbido de um serviço ambulatorial de otorrinolaringologia, durante um período de dois meses. A identificação de transtornos psiquiátricos e do impacto do zumbido na qualidade de vida foi feita por meio do Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI versão 5.0) e do Tinnitus Handicap Inventory. Todos os pacientes foram submetidos à avaliação audiológica e responderam a um questionário clínico-demográfico desenvolvido para este estudo. RESULTADOS: Vinte (40%) pacientes apresentaram transtorno de pânico, sendo 8 com e 12 sem agorafobia; 41 (82%) pacientes apresentaram pelo menos um diagnóstico psiquiátrico, sendo os mais prevalentes: transtorno de pânico (40%), depressão maior (40%) e transtorno de ansiedade generalizada (34%). CONCLUSÃO: A prevalência de transtorno de pânico em nossa amostra de pacientes com zumbidos foi elevada, o que ratifica a importância da avaliação psiquiátrica nesses pacientes.<hr/>BACKGROUND: Many studies suggest there is an association between tinnitus and psychiatric disorders. OBJECTIVE: To identify the prevalence of panic disorder in a tinnitus patients' sample. METHOD: We evaluated 50 patients with the main complaint of tinnitus of an Otorhinolaryngology outpatient unit for two consecutive months. The evaluation of psychiatric disorders was made with the Mini International Neuropsychiatric Interview (M.I.N.I version 5.0) and the evaluation of the tinnitus' impact was made with the Tinnitus Handicap Inventory. All patients also were submitted to an audiological evaluation and answered a clinical-demographic questionnaire elaborated for this study. RESULTS: Twenty (40%) patients had panic disorder, 8 with agoraphobia and 12 without agoraphobia; 41 patients (82%) had at least one psychiatric disorder, and the most prevalent were: panic disorder (40%), major depression (40%) and generalized anxiety disorder (34%). DISCUSSION: The prevalence of panic disorder in this sample of tinnitus' patients was high, which reinforces the importance of a psychiatric evaluation on these patients. <![CDATA[<b>Dados demográficos, psicológicos e comportamentais de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: A relação entre transtorno mental e histórico de abuso sexual é frequentemente observada na prática clínica e relatada na literatura. OBJETIVO: Descrever os dados demográficos e os aspectos emocionais e comportamentais em crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual. MÉTODO: 205 crianças e adolescentes com idade entre 6 e 14 anos, sendo 130 meninas (9,6 ± 3,4 anos) e 75 meninos (7,2 ± 2,9 anos) vítimas de abuso sexual passaram por avaliação psicológica e psiquiátrica individual no período de 2005 a 2009. As variáveis estudadas foram: gênero, faixa etária, grau de relação da vítima com o perpetrador, aspectos psicológicos, dados psiquiátricos, aspectos comportamentais e afetivo-emocionais (culpa, vergonha, medo, insegurança, percepção da figura masculina e feminina e de si em relação ao ambiente). RESULTADOS: As meninas são as maiores vítimas (63,4%). A faixa etária de maior risco para as meninas é entre 7 e 10 anos de idade (48,5%), enquanto para os meninos é de 3 a 6 anos (54,6%). Os pais são os maiores perpetradores do abuso sexual (38%), seguidos do padrasto (29%). Meninos e meninas expressaram elevada frequência para depressão e transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). As meninas expressam comportamento mais erotizado, enquanto os meninos ficam mais isolados. CONCLUSÃO: Este estudo permitiu identificar uma parcela relevante de aspectos psicológicos, psiquiátricos e comportamentais, os quais podem afetar de forma impactante o desenvolvimento emocional de crianças e adolescentes.<hr/>BACKGROUND: There is a well known relationship between sexual abuse in children and mental health disorders, which is seen both in clinical practice as in the scientific literature. OBJECTIVE: To describe demographic profile as well as behavioral and emotional features of a cohort of children and adolescents sexually abused. MÉTODO: 205 children and adolescent, ranging from 6 to 14 years old, 130 girls (age 9.6 ± 3.4 yo) and 75 boys (age 7.2 ± 2.9 yo) were evaluated due to being victims of sexual abuse between the years 2005 and 2009. Gender, age, relationship with the perpetrator, psychological and psychiatric symptoms, behavioral and affective-emotional features (blame, shame, fearfulness, male and female figures image and self perception) were all properly evaluated. RESULTS: Girls were the main victims (63.4%). The riskier age ranging from 7 to 10 yo (48.5%) among then, and from 3 to 6 yo (54.6%) for the boys. Fathers are the major perpetrators (38%) followed by step-fathers (29%). Boys and girls show high risk for depression and Post-traumatic stress disorder (PTSD) symptoms. Girls tend to be more sexualized whilst boys tend to isolate themselves. DISCUSSION: This research allowed to identify an important set of psychological, psychiatric and behavioral characteristics that affect the normal emotional development of children and adolescents. <![CDATA[<b>Aspectos do acompanhamento psiquiátrico de pacientes obesos sob tratamento bariátrico</b>: <b>revisão</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Nas últimas décadas, diversos estudos longitudinais têm demonstrado a eficácia da cirurgia bariátrica no controle de peso em longo prazo e na redução da mortalidade resultante de complicações clínicas associadas à obesidade. Contudo, os estudos também revelam aumento significativo da mortalidade devida a suicídio e comportamento impulsivo, por razões largamente desconhecidas, o que demonstra a escassez de informações relativas ao manejo clínico de pacientes bariátricos. O presente estudo tem como objetivo sintetizar o estado atual de conhecimentos referentes ao acompanhamento psiquiátrico de pacientes bariátricos. MÉTODO: Revisão seletiva da literatura envolvendo artigos indexados no Medline e PubMed até junho de 2010, utilizando-se os termos: "bariatric surgery", "psychiatry", "binge eating", "follow-up" e "outcome". RESULTADOS: Há relativo consenso na literatura de que não haja contraindicação psiquiátrica absoluta para a cirurgia bariátrica, embora a avaliação pré-operatória seja de extrema importância para o diagnóstico e tratamento de eventuais transtornos psiquiátricos, objetivando assegurar aderência ao tratamento multidisciplinar, melhor qualidade de vida e, possivelmente, melhor prognóstico pós-cirúrgico. Entre os transtornos mais prevalentes nessa população, encontra-se o transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP), que está relacionado com menor perda ponderal e pior qualidade de vida, especialmente quando presente no pós-operatório. No acompanhamento pós-operatório, também se deve atentar para o surgimento de sintomas impulsivos, incluindo abuso de álcool e outras substâncias. CONCLUSÃO: Diversos estudos indicam elevada prevalência de transtornos mentais e alterações psicopatológicas na população de pacientes bariátricos. Embora a maioria dos pacientes apresente adequado controle ponderal e melhora na qualidade de vida em médio e longo prazo, alguns pacientes desenvolvem alterações relativas ao comportamento alimentar, abuso de álcool e outras substâncias e complicações associadas a comportamento impulsivo, o que remete a hipóteses etiológicas que vão desde modelos neuroquímicos até teorias psicossociais. Por todas essas razões, é de fundamental importância que os profissionais de saúde mental integrem as equipes que avaliam e acompanham os pacientes bariátricos.<hr/>BACKGROUND: In recent decades, several longitudinal studies show the efficacy of bariatric surgery on long-term weight control and reductions in mortality due to clinical complications associated with obesity. However, studies also show significantly increased mortality due to suicide and impulsive behavior, for reasons largely unknown, which demonstrates the paucity of information concerning the clinical management of bariatric patients. This study aims to synthesize the current state of knowledge regarding the psychiatric care of bariatric patients. METHOD: A selective review of literature involving articles indexed on Medline and PubMed up to June 2010, using the terms: "bariatric surgery", "psychiatry", "binge eating", "follow-up", and "outcome". RESULTS: The literature is somehow consensual in which there is no absolute psychiatric contraindication for bariatric surgery, although the preoperative evaluation is of extreme importance for the diagnosis and treatment of any psychiatric disorder, to assure adherence to the multidisciplinary approach, improved quality of life and possibly a better prognosis after surgery. Among the most prevalent disorders in this population is the binge-eating disorder (BED), which is associated with lower weight loss and poor quality of life, especially when present in the postoperative period. In the postoperative follow-up one should also be alert to the emergence of impulsive symptoms, including abuse of alcohol and other substances. DISCUSSION: Several studies indicate high prevalence of mental disorders and psychopathology in the population of bariatric patients. Although most patients experience adequate weight control and improved quality of life in the medium and long term, some patients develop abnormal behavior relating to dysfunctional eating patterns, abuse of alcohol and other substances, and complications associated with impulsive behavior, which suggests etiological hypotheses involving from neurochemistry to psychosocial theories. For all these reasons, it is of fundamental importance that mental health professionals to integrate the teams that evaluate and monitor the bariatric patients. <![CDATA[<b>Potenciais biomarcadores da terapia cognitivo-comportamental para o transtorno de estresse pós-traumático</b>: <b>uma revisão sistemática</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: O estabelecimento de biomarcadores relacionados à terapia cognitivo-comportamental (TCC) é uma maneira de consolidar a eficácia do tratamento de forma mais objetiva, sendo crítico para o avanço desse campo de pesquisa. OBJETIVOS: Foi realizada uma revisão sistemática de estudos que: 1) utilizaram parâmetros biológicos para verificar a eficácia da TCC no tratamento do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT); e 2) utilizaram esses parâmetros como preditores de resposta à CBT. MÉTODOS: Foram conduzidas buscas eletrônicas nas bases PubMed/Medline, ISI/Thompson Reuters e Pilot. RESULTADOS: Doze artigos foram selecionados para esta revisão, sendo quatro deles estudos sobre predição de resposta ao tratamento. Foi observada relação entre a eficácia da TCC e modificações nesses parâmetros, sendo a resposta da frequência cardíaca à evocação de sintomas o parâmetro mais utilizado até o presente momento. Sua redução está associada à melhora nos sintomas de TEPT. Potenciais biomarcadores de predição de resposta encontrados incluem 5α-redutase, ativação da amígdala, ativação e volume do córtex cingulado anterior e frequência cardíaca. CONCLUSÃO: Apesar da escassez de estudos e das limitações metodológicas neles observadas, investigações iniciais sugerem que os biomarcadores da TCC em pacientes com TEPT poderão ser úteis para o monitoramento mais objetivo dos efeitos do tratamento, identificação de predição de resposta e para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes de tratamento e prevenção do desenvolvimento de TEPT.<hr/>BACKGROUND: The establishment of biomarkers related to cognitive-behavior therapy (CBT) is a method to objectively consolidate treatment efficacy, which is critical to advancing the field. OBJECTIVES: We systematically reviewed studies that used biological parameters to assess the efficacy of CBT for the treatment of post-traumatic stress disorder (PTSD) and studies that used these parameters as predictors of response to CBT. METHODS: Computerized literature searches were conducted in PubMed/Medline, ISI/Thompson Reuters, and Pilot databases using both thesaurus and free-word search terms. RESULTS: 12 articles met the selection criteria. 4 of them were response predictors studies. A relationship was found between CBT efficacy and changes in the measured parameters, with heart rate responses to symptom provocation being the parameter most often studied. The reduction in heart rate was associated with an improvement in PTSD symptoms. The potential biomarkers of response predictions found included 5α-reductase, amygdala activation, activation and volume of the anterior cingulate cortex, and heart rate. DISCUSSION: Despite the scarcity of studies and their methodological shortcomings, initial investigations indicate that biomarkers of CBT in PTSD patients hold promise for more objective treatment outcome monitoring, identification of response predictors, and for developing novel treatment and prevention strategies. <![CDATA[<b>Intervenções de grupo para sobrecarga de cuidadores de pacientes com demência</b>: <b>uma revisão sistemática</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Além de orientações gerais sobre como lidar com o paciente, o cuidador familiar do sujeito com demência deve receber apoio para enfrentar as dificuldades do progresso da doença e aliviar a sua sobrecarga, seus sintomas depressivos e ansiosos. OBJETIVOS: Avaliar os modelos teóricos e metodológicos utilizados, assim como o efeito das intervenções de grupo na sobrecarga de cuidadores de pessoas com demência. MÉTODO: Busca nas bases de dados ISI, PubMed/Medline, SciELO e Lilacs de artigos sobre a eficácia de intervenções não farmacológicas com cuidadores de pessoas com demência, entre janeiro de 1999 e agosto de 2010, utilizando as palavras-chave: "demência", "cuidador", "sobrecarga", "intervenções não farmacológicas" e grupo/grupos". Os estudos encontrados foram organizados em duas categorias: intervenções psicoeducacionais ou psicossociais e psicoterapêuticas. RESULTADOS: Foram selecionados 37 artigos, sendo 31 de abordagem psicoeducacional ou psicossocial e 6, psicoterapêutica, com resultados estatisticamente significativos relacionados à eficácia das intervenções em grupo para a sobrecarga de cuidadores de pacientes com demência. Em 33 casos, houve melhora principalmente nos escores de depressão e estresse dos cuidadores. CONCLUSÃO: Apesar de apresentarem índices de eficácia, as intervenções em grupo para cuidadores de pessoas com demência ainda necessitam de estudos randomizados que visem à solução de problemas metodológicos importantes desse tipo de tratamento, como a falta de padronização das abordagens educacionais, o número de participantes ou o período de duração do grupo.<hr/>BACKGROUND: Besides receiving general orientations about how to deal with a patient with dementia, the caregiver needs support to cope with the progress of the disease and to alleviate his burden, as well as his depressive and anxious symptoms. OBJECTIVES: To evaluate the theoretical and methodological models used, as well as the effect of the group interventions on the burden of caregivers of people with dementia. METHOD: Search of articles at ISI, PubMed/Medline, SciELO and Lilacs about the efficacy of non pharmacological interventions with caregivers of patients with dementia, from January 1999 to August 2010, using the keywords: "dementia", "caregiver", "burden", "non pharmacological interventions", and "group/groups". The studies found were organized in two categories: psychoeducational or psychosocial interventions and psychotherapeutic interventions. RESULTS: Thirty seven articles were selected, 31 psychoeducational or psychosocial interventions and 6 psychoterapeutic ones, with statistically significant results related to the efficacy of group interventions on the burden of caregivers of people with dementia in 33 cases. There was an improvement especially on the scores of caregivers' depression and stress. DISCUSSION: In spite of efficacy, the group interventions for caregivers of people with dementia still need randomized studies aimed at the solution of important methodological problems of this kind of treatment, like the lack of standardized educational approaches, the number of participants or the duration of the group. <![CDATA[<b>Humilhação e vergonha, um diálogo entre enfoques sistêmicos e psicanalíticos</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Além de orientações gerais sobre como lidar com o paciente, o cuidador familiar do sujeito com demência deve receber apoio para enfrentar as dificuldades do progresso da doença e aliviar a sua sobrecarga, seus sintomas depressivos e ansiosos. OBJETIVOS: Avaliar os modelos teóricos e metodológicos utilizados, assim como o efeito das intervenções de grupo na sobrecarga de cuidadores de pessoas com demência. MÉTODO: Busca nas bases de dados ISI, PubMed/Medline, SciELO e Lilacs de artigos sobre a eficácia de intervenções não farmacológicas com cuidadores de pessoas com demência, entre janeiro de 1999 e agosto de 2010, utilizando as palavras-chave: "demência", "cuidador", "sobrecarga", "intervenções não farmacológicas" e grupo/grupos". Os estudos encontrados foram organizados em duas categorias: intervenções psicoeducacionais ou psicossociais e psicoterapêuticas. RESULTADOS: Foram selecionados 37 artigos, sendo 31 de abordagem psicoeducacional ou psicossocial e 6, psicoterapêutica, com resultados estatisticamente significativos relacionados à eficácia das intervenções em grupo para a sobrecarga de cuidadores de pacientes com demência. Em 33 casos, houve melhora principalmente nos escores de depressão e estresse dos cuidadores. CONCLUSÃO: Apesar de apresentarem índices de eficácia, as intervenções em grupo para cuidadores de pessoas com demência ainda necessitam de estudos randomizados que visem à solução de problemas metodológicos importantes desse tipo de tratamento, como a falta de padronização das abordagens educacionais, o número de participantes ou o período de duração do grupo.<hr/>BACKGROUND: Besides receiving general orientations about how to deal with a patient with dementia, the caregiver needs support to cope with the progress of the disease and to alleviate his burden, as well as his depressive and anxious symptoms. OBJECTIVES: To evaluate the theoretical and methodological models used, as well as the effect of the group interventions on the burden of caregivers of people with dementia. METHOD: Search of articles at ISI, PubMed/Medline, SciELO and Lilacs about the efficacy of non pharmacological interventions with caregivers of patients with dementia, from January 1999 to August 2010, using the keywords: "dementia", "caregiver", "burden", "non pharmacological interventions", and "group/groups". The studies found were organized in two categories: psychoeducational or psychosocial interventions and psychotherapeutic interventions. RESULTS: Thirty seven articles were selected, 31 psychoeducational or psychosocial interventions and 6 psychoterapeutic ones, with statistically significant results related to the efficacy of group interventions on the burden of caregivers of people with dementia in 33 cases. There was an improvement especially on the scores of caregivers' depression and stress. DISCUSSION: In spite of efficacy, the group interventions for caregivers of people with dementia still need randomized studies aimed at the solution of important methodological problems of this kind of treatment, like the lack of standardized educational approaches, the number of participants or the duration of the group. <![CDATA[<b>Errata</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832011000400011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt CONTEXTO: Além de orientações gerais sobre como lidar com o paciente, o cuidador familiar do sujeito com demência deve receber apoio para enfrentar as dificuldades do progresso da doença e aliviar a sua sobrecarga, seus sintomas depressivos e ansiosos. OBJETIVOS: Avaliar os modelos teóricos e metodológicos utilizados, assim como o efeito das intervenções de grupo na sobrecarga de cuidadores de pessoas com demência. MÉTODO: Busca nas bases de dados ISI, PubMed/Medline, SciELO e Lilacs de artigos sobre a eficácia de intervenções não farmacológicas com cuidadores de pessoas com demência, entre janeiro de 1999 e agosto de 2010, utilizando as palavras-chave: "demência", "cuidador", "sobrecarga", "intervenções não farmacológicas" e grupo/grupos". Os estudos encontrados foram organizados em duas categorias: intervenções psicoeducacionais ou psicossociais e psicoterapêuticas. RESULTADOS: Foram selecionados 37 artigos, sendo 31 de abordagem psicoeducacional ou psicossocial e 6, psicoterapêutica, com resultados estatisticamente significativos relacionados à eficácia das intervenções em grupo para a sobrecarga de cuidadores de pacientes com demência. Em 33 casos, houve melhora principalmente nos escores de depressão e estresse dos cuidadores. CONCLUSÃO: Apesar de apresentarem índices de eficácia, as intervenções em grupo para cuidadores de pessoas com demência ainda necessitam de estudos randomizados que visem à solução de problemas metodológicos importantes desse tipo de tratamento, como a falta de padronização das abordagens educacionais, o número de participantes ou o período de duração do grupo.<hr/>BACKGROUND: Besides receiving general orientations about how to deal with a patient with dementia, the caregiver needs support to cope with the progress of the disease and to alleviate his burden, as well as his depressive and anxious symptoms. OBJECTIVES: To evaluate the theoretical and methodological models used, as well as the effect of the group interventions on the burden of caregivers of people with dementia. METHOD: Search of articles at ISI, PubMed/Medline, SciELO and Lilacs about the efficacy of non pharmacological interventions with caregivers of patients with dementia, from January 1999 to August 2010, using the keywords: "dementia", "caregiver", "burden", "non pharmacological interventions", and "group/groups". The studies found were organized in two categories: psychoeducational or psychosocial interventions and psychotherapeutic interventions. RESULTS: Thirty seven articles were selected, 31 psychoeducational or psychosocial interventions and 6 psychoterapeutic ones, with statistically significant results related to the efficacy of group interventions on the burden of caregivers of people with dementia in 33 cases. There was an improvement especially on the scores of caregivers' depression and stress. DISCUSSION: In spite of efficacy, the group interventions for caregivers of people with dementia still need randomized studies aimed at the solution of important methodological problems of this kind of treatment, like the lack of standardized educational approaches, the number of participants or the duration of the group.