Scielo RSS <![CDATA[Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo)]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-608320130004&lang=pt vol. 40 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Reconhecimento emocional de faces na esquizofrenia: resultados preliminares do programa de realidade virtual para o reconhecimento emocional de faces</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt BACKGROUND: Significant deficits in emotional recognition and social perception characterize patients with schizophrenia and have direct negative impact both in inter-personal relationships and in social functioning. Virtual reality, as a methodological resource, might have a high potential for assessment and training skills in people suffering from mental illness. OBJECTIVES: To present preliminary results of a facial emotional recognition assessment designed for patients with schizophrenia, using 3D avatars and virtual reality. METHODS: Presentation of 3D avatars which reproduce images developed with the FaceGen® software and integrated in a three-dimensional virtual environment. Each avatar was presented to a group of 12 patients with schizophrenia and a reference group of 12 subjects without psychiatric pathology. RESULTS: The results show that the facial emotions of happiness and anger are better recognized by both groups and that the major difficulties arise in fear and disgust recognition. Frontal alpha electroencephalography variations were found during the presentation of anger and disgust stimuli among patients with schizophrenia. DISCUSSION: The developed program evaluation module can be of surplus value both for patient and therapist, providing the task execution in a non anxiogenic environment, however similar to the actual experience.<hr/>CONTEXTO: Pessoas diagnosticadas com esquizofrenia apresentam um défice significativo na cognição social com implicações negativas relativamente ao funcionamento interpessoal e social. A realidade virtual apresenta grandes potencialidades para a avaliação e o treino de competências em pessoas com doença mental. OBJETIVOS: Apresentar os resultados preliminares de um programa construído para avaliação do reconhecimento emocional de faces por pessoas com esquizofrenia, utilizando avatares 3D e realidade virtual. MÉTODOS: Apresentação de avatares 3D que reproduzem expressões emocionais, construídas por meio do FaceGen® e integradas num ambiente virtual tridimensional. Apresentou-se cada avatar a 12 doentes com esquizofrenia e a 12 pessoas sem patologia psiquiátrica, avaliando as respostas de reconhecimento e a atividade eletroencefalográfica frontal. RESULTADOS: Os resultados demonstraram que as expressões de alegria e raiva foram as mais bem reconhecidas pelos dois grupos, enquanto de medo e nojo foram as de maior dificuldade. Verificaram-se alterações na atividade alfa frontal para os estímulos raiva e nojo na amostra de doentes com esquizofrenia. CONCLUSÃO: Apesar de algumas expressões emocionais poderem ser melhoradas, o programa desenvolvido pode constituir uma mais-valia para o paciente e para o terapeuta, proporcionando a execução da tarefa em condições não ansiogênicas e aproximadas à experiência real. <![CDATA[<b>Pacientes com subtipo respiratório do transtorno de pânico são mais vulneráveis ao uso de tabaco, álcool ou outras substâncias?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt BACKGROUND: Studies have documented high use of tobacco, alcohol and illicit drugs in patients with panic disorder (PD). The comorbid substance use disorders worsen the prognosis of mood and anxiety disorders. The respiratory subtype (RS) of PD seems to represent a more severe and distinct form of this disorder associated with higher familial history of PD and more comorbidity with other anxiety disorders. OBJECTIVES: Describe the patterns of tobacco, alcohol or illicit drug use in PD patients, and also to ascertain if patients with the RS use these substances more than those of the non-respiratory subtype. METHODS: This is a cross-sectional study with 71 PD patients. The Alcohol Use Disorders Identification Test and Fagerstrom Tobacco Questionnaire were used in the evaluation. Patients with four or five respiratory symptoms were classified in the RS, the remaining patients were classified as non-respiratory subtype. RESULTS: In our sample 31.0% were smokers, 11.3% were hazardous alcohol users and none of them was using illicit drugs. There were no differences between the respiratory and non-respiratory subtypes regarding the use of tobacco, alcohol, cannabis, cocaine, stimulants and hallucinogens. DISCUSSION: The RS was not correlated to the use of tobacco, alcohol and illicit drugs. Additional epidemiological and clinical studies focusing the relationship between PD and substance use are warranted.<hr/>CONTEXTO: Estudos anteriores têm mostrado associações entre o transtorno de pânico (TP) e o uso de tabaco, álcool e substâncias ilícitas. É conhecido que transtornos de uso de substâncias interferem negativamente no prognóstico de transtornos de ansiedade e depressão. No subtipo respiratório (SR) do TP há mais história familiar de TP e maior risco de comorbidades com transtornos de ansiedade. OBJETIVOS: Descrever os padrões de uso de tabaco, álcool e outras substâncias em pacientes com TP. Além disso, analisar se pacientes do SR usam mais essas substâncias do que os pacientes do subtipo não respiratório. MÉTODOS: Esse foi um estudo transversal com 71 pacientes com TP. As escalas Alcohol Use Disorders Identification Test e Fagerstrom Tobacco Questionnaire foram aplicadas. Pacientes com quatro ou cinco sintomas respiratórios foram considerados no SR, e os demais pacientes foram considerados como do subtipo não respiratório. RESULTADOS: Na amostra estudada, 31,0% dos pacientes eram fumantes, 11,3% faziam uso perigoso de álcool e nenhum fazia uso de substâncias ilícitas. Não houve diferença entre os subtipos respiratório e não respiratório em relação a tabagismo, uso de álcool, cannabis, cocaína, estimulantes e alucinógenos. CONCLUSÃO: O SR não foi correlacionado com o uso de tabaco, álcool ou drogas ilícitas. Mais estudos clínicos e epidemiológicos focando a relação entre o TP e uso de substâncias são necessários. <![CDATA[<b>É possível identificar indivíduos com comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer usando uma bateria neuropsicológica de 30 minutos?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt evaluation. METHODS: One hundred and thirty-one consecutive referred elderly patients (37 clinical-controls, 41 with amnestic MCI and 53 with possible/probable AD) were diagnosed with a comprehensive (full) neuropsychological battery, MRI and clinical data. All of the results were blindly coded and evaluated latter with a subset of the tests to reclassify the subjects as MCI, dementia or clinical-control. Agreement rates between both batteries were calculated. We also used ROC curves to establish the sensitivity and specificity of the brief battery for discriminating (i) clinical-control individuals from a group dementia and MCI patients; (ii) individuals with dementia from individuals without dementia; (iii) clinical-control individuals from a group of MCI. We compared performance of the three groups on all full battery tasks. RESULTS: All neuropsychological tests showed differences between clinical-control and dementia groups. The comparison between MCI and the other groups mainly showed memory differences. Agreement between brief and full batteries was substantial (kappa = 0.805). Analyses with ROC curves showed good sensitivity and specificity to discriminate non-demented (clinical control plus MCI groups) and AD group and also to discriminate clinical-control individuals from individuals with cognitive decline (MCI plus AD group). However, sensitivity and specificity significantly decreased when brief battery was tested to discriminate only normal and MCI diagnosis. DISCUSSION: The use of a brief battery might not be indicated to discriminate MCI and clinical-control individuals, but its use might be adequate to discriminate less specific groups (demented versus non-demented and pathological [dementia and MCI] and non-pathological [clinical-control] groups).<hr/>CONTEXTO: A diferenciação de pacientes com diagnósticos de demência e de comprometimento cognitivo leve (CCL) pode exigir avaliação neuropsicológica. MÉTODOS: Cento e trinta e um pacientes idosos consecutivos referidos para avaliação (37 controles-clínicos, 41 com CCL amnéstico e 53 com DA possível/provável) foram diagnosticados com bateria neuropsicológica completa, RM e dados clínicos. Todos os resultados foram codificados de forma cega e posteriormente avaliados com parte dos testes para reclassificar indivíduos com CCL, demência ou controles-clínicos. Concordância entre as baterias foi calculada. Utilizamos curvas ROC para estabelecer sensibilidade e especificidade da bateria breve para discriminar: (i) controles-clínicos de um grupo de demência e CCL; (ii) indivíduos com demência daqueles indivíduos sem demência; (iii) controles clínicos daqueles indivíduos com diagnóstico de CCL. Comparamos o desempenho dos três grupos em todas as tarefas da bateria completa. RESULTADOS: Todos os testes neuropsicológicos mostraram diferenças entre controles-clínicos e grupo de demência. A comparação entre CCL e outros grupos mostrou, principalmente, diferenças em tarefas de memória. Concordância entre baterias breve e completa foi substancial (kappa = 0.805). Análises com curvas ROC demonstraram boas sensibilidade e especificidade quando comparados grupos de indivíduos com demência e sem demência (grupos de CCL e DA agrupados) e grupos de controle-clínico de indivíduos com declínio cognitivo (CCL associado à DA). Por outro lado, sensibilidade e especificidade diminuíram consideravelmente para discriminar controles-clínicos de indivíduos com diagnóstico de CCL. CONCLUSÃO: O uso de bateria breve pode não ser recomendado para discriminar controles-clínicos de indivíduos com CCL, porém o uso pode estar indicado para diferenciar grupos de especificidade menor [demência versus não demência ou grupos patológicos (demência e CCL) de grupo não patológicos (controles clínicos)]. <![CDATA[<b>Frost Multidimensional Perfectionism Scale</b>: <b>versão portuguesa</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt BACKGROUND: The Frost Multidimensional Perfectionism Scale is one of the most world widely used measures of perfectionism. OBJECTIVE: To analyze the psychometric properties of the Portuguese version of the Frost Multidimensional Perfectionism Scale. METHODS: Two hundred and seventeen (178 females) students from two Portuguese Universities filled in the scale, and a subgroup (n = 166) completed a retest with a four weeks interval. RESULTS: The scale reliability was good (Cronbach alpha = .857). Corrected item-total correlations ranged from .019 to .548. The scale test-retest reliability suggested a good temporal stability with a test-retest correlation of .765. A principal component analysis with Varimax rotation was performed and based on the Scree plot, two robust factorial structures were found (four and six factors). The principal component analyses, using Monte Carlo PCA for parallel analyses confirmed the six factor solution. The concurrent validity with Hewitt and Flett MPS was high, as well as the discriminant validity of positive and negative affect (Profile of Mood Stats-POMS). DISCUSSION: The two factorial structures (of four and six dimensions) of the Portuguese version of Frost Multidimensional Perfectionism Scale replicate the results from different authors, with different samples and cultures. This suggests this scale is a robust instrument to assess perfectionism, in several clinical and research settings as well as in transcultural studies.<hr/>CONTEXTO: A Escala Multidimensional de Perfeccionismo de Frost (FMPS) é uma das escalas mais usadas em todo o mundo para avaliar o perfeccionismo. OBJETIVO: Analisar as características psicométricas da versão portuguesa da FMPS. MÉTODOS: A amostra foi constituída por 217 estudantes do ensino superior (178 mulheres). Um subgrupo (n = 166) completou o reteste após quatro semanas. RESULTADOS: A consistência interna da escala mostrou ser elevada (alfa de Cronbach = ,857). As correlações item-total corrigido variaram entre ,019 e ,548. Os resultados também sugeriram uma boa estabilidade temporal da escala, sendo a correlação teste-reteste de ,765. Foi realizada a análise das componentes principais com rotação Varimax e com base no Scree plot foram extraídas duas soluções fatoriais robustas (quatro e seis fatores). A análise paralela (Monte Carlo PCA) confirmou a solução de seis fatores. A validade concorrente com a escala MPS de Hewitt e Flett foi elevada, assim como a sua capacidade discriminante dos afetos positivos e negativos (Perfil de Estados de Humor - POMS). CONCLUSÃO: As duas estruturas fatoriais (quatro e seis fatores) encontradas na versão portuguesa da Escala Multidimensional de Perfeccionismo de Frost replicam os resultados obtidos por diferentes autores, em diferentes amostras e culturas. Esse fato sugere que essa escala é um instrumento robusto para a avaliação do perfeccionismo em vários contextos, clínicos e de investigação, bem como em estudos transculturais. <![CDATA[<b>Objeções materialistas contra o dualismo cartesiano</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Discutiremos cinco objeções básicas que os materialistas geralmente levantam contra o dualismo mente-corpo cartesiano: (1) Ele não é empiricamente testável ou confirmável; (2) É em princípio testável e confirmável, mas não confirmado; (3) É testável e confirmável, mas foi provado falso; (4) É desnecessário para explicar qualquer coisa; e (5) Não pode servir para explicar coisa alguma. Mostraremos como todas essas objeções são insatisfatórias. Se eu estiver certo em minha argumentação, a postura reducionista do materialismo contemporâneo contra a existência de substâncias cartesianas imateriais como agentes causais para a explicação do comportamento humano é demonstravelmente um dogma mais do que qualquer outra coisa. Ademais, a promessa do materialismo reducionista de explicar a personalidade humana, a consciência e o comportamento tampouco pode ser jamais realizada.<hr/>I discuss five basic objections materialists often raise to Cartesian Mind-Body Dualism: (1). It is not empirically testable or confirmable; (2). It is in principle testable and confirmable, but unconfirmed; (3). It is testable and confirmable, but has been shown false; (4). It is unnecessary to explain anything; and (5). It cannot serve to explain anything. I will show how unsatisfactory all these objections are. If I am right in what I argue the reductionist posture of contemporary materialism against the existence of Cartesian Immaterial Substances as causal agents in explaining human behavior, is demonstrably more dogma than anything else. Moreover, the promise of reductive materialism to explain human personality, consciousness, and behavior is unlikely ever to be fulfilled. <![CDATA[<b>Fenômenos psíquicos e o problema mente-corpo: notas históricas sobre uma tradição conceitual negligenciada</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Embora exista uma longa tradição de discussões filosóficas e históricas sobre o problema mente-corpo, a maioria delas não menciona os fenômenos psíquicos como tendo implicações para esse tópico. Este artigo é uma revisão de escritos selecionados publicados na literatura dos séculos XIX e XX sobre o mesmerismo, o espiritualismo e a pesquisa psíquica cujos os autores discutiram sobre aparições, telepatia, clarividência, experiências fora do corpo e outros fenômenos parapsicológicos como evidência para a existência de um princípio separado do corpo e responsável pela consciência. Os autores discutidos são de diferentes períodos de tempo. Entre eles estão John Beloff, J. C. Colquhoun, Camille Flammarion, J. H. Jung-Stilling, Frederic W. H. Myers e J. B. Rhine. Mais do que defender a validade de sua posição, minha proposta é documentar a existência de uma tradição intelectual e conceitual que tem sido negligenciada por filósofos, entre outros, nas discussões sobre o problema mente-corpo e aspectos de sua história.<hr/>Although there is a long tradition of philosophical and historical discussions of the mind-body problem most of them make no mention of psychic phenomena as having implications for such an issue. This article is an overview of selected writings published in the XIX and XX centuries literatures of mesmerism, spiritualism, and psychical research whose authors have discussed apparitions, telepathy, clairvoyance, out-of-body experiences and other parapsychological phenomena as evidence for the existence of a principle separate from the body and responsible for consciousness. Some writers discussed here include individuals from different time periods. Among them are John Beloff, J. C. Colquhoun, Camille Flammarion, J. H. Jung-Stilling, Frederic W. H. Myers, and J. B. Rhine. Rather than defend the validity of their position, my purpose is to document the existence of an intellectual and conceptual tradition that has been neglected by philosophers and others in their discussions of the mind-body problem and aspects of its history. <![CDATA[<b>Eficácia de um grupo psicoeducacional com cuidadores de pessoas com demência</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt BACKGROUND: The use of intervention strategies aimed at dementia caregivers objectives the information and the creation of coping strategies to deal with the difficulties caused by dementia. OBJECTIVES: To assess the correlation between the participation in a psychoeducational group and the decrease of burden, and depressive and anxious symptoms of caregivers of people with dementia. METHODS: Caregivers (n = 18) assessed in a longitudinal study at baseline and after six months of participation in a psychoeducational group. There were used the Clinical Dementia Rating (CDR), Pfeffer Functional Activities Questionnaire (PFAQ), Cornell Scale for Depression in Dementia (CSDD), Quality of Life Scale in Alzheimer' Disease (QoL-AD), Neuropsychiatric Inventory (NPI), Zarit Burden Interview (ZBI), Beck Depression Inventory (BDI) and Beck Anxiety Inventory (BAI). RESULTS: In the baseline, there was correlation between the burden and the caregivers' depressive symptoms (p = 0.048). The analysis of the differences between the baseline and the second moment has shown a decrease in caregivers' depressive symptoms in moment 2 (p = 0.011). There were no significant differences in the other variables. DISCUSSION: Psychoeducational groups can be considered efficient interventions on the decrease of the depression of caregivers of people with dementia.<hr/>CONTEXTO: O uso de intervenções direcionadas ao cuidador objetiva a informação e a criação de estratégias de enfrentamento para o manejo das dificuldades causadas pela demência. OBJETIVOS: Avaliar a relação entre a participação em um grupo psicoeducacional e a diminuição da sobrecarga e dos sintomas depressivos e ansiosos de cuidadores de pessoas com demência. MÉTODOS: Cuidadores (n = 18) avaliados longitudinalmente no momento linha de base e após seis meses de participação em grupo psicoeducacional. Utilizaram-se: Estadiamento Clínico das Demências (CDR), Questionário de Atividades Funcionais de Pfeffer (PFEFFER), Escala Cornell de Depressão na Demência (CORNELL), Escala de Avaliação da Qualidade de Vida na Doença de Alzheimer (QdV-DA), Inventário Neuropsiquiátrico (NPI), Inventário de Sobrecarga de Zarit (ZARIT), Inventário de Depressão de Beck (BDI) e Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). RESULTADOS: No momento linha de base foi encontrada correlação entre a sobrecarga e sintomas depressivos dos cuidadores (p = 0,048). A análise das diferenças entre os dois momentos encontrou diminuição dos sintomas depressivos dos cuidadores no segundo momento (p = 0,011). Não foram encontradas diferenças significativas nas demais variáveis. CONCLUSÃO: Os grupos psicoeducacionais podem ser considerados intervenções eficazes na diminuição dos sintomas depressivos de cuidadores de pessoas com demência. <![CDATA[<b>Instrumento de avaliação e monitoramento</b>: <b>client evaluation of self and treatment</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000400008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt BACKGROUND: The use of intervention strategies aimed at dementia caregivers objectives the information and the creation of coping strategies to deal with the difficulties caused by dementia. OBJECTIVES: To assess the correlation between the participation in a psychoeducational group and the decrease of burden, and depressive and anxious symptoms of caregivers of people with dementia. METHODS: Caregivers (n = 18) assessed in a longitudinal study at baseline and after six months of participation in a psychoeducational group. There were used the Clinical Dementia Rating (CDR), Pfeffer Functional Activities Questionnaire (PFAQ), Cornell Scale for Depression in Dementia (CSDD), Quality of Life Scale in Alzheimer' Disease (QoL-AD), Neuropsychiatric Inventory (NPI), Zarit Burden Interview (ZBI), Beck Depression Inventory (BDI) and Beck Anxiety Inventory (BAI). RESULTS: In the baseline, there was correlation between the burden and the caregivers' depressive symptoms (p = 0.048). The analysis of the differences between the baseline and the second moment has shown a decrease in caregivers' depressive symptoms in moment 2 (p = 0.011). There were no significant differences in the other variables. DISCUSSION: Psychoeducational groups can be considered efficient interventions on the decrease of the depression of caregivers of people with dementia.<hr/>CONTEXTO: O uso de intervenções direcionadas ao cuidador objetiva a informação e a criação de estratégias de enfrentamento para o manejo das dificuldades causadas pela demência. OBJETIVOS: Avaliar a relação entre a participação em um grupo psicoeducacional e a diminuição da sobrecarga e dos sintomas depressivos e ansiosos de cuidadores de pessoas com demência. MÉTODOS: Cuidadores (n = 18) avaliados longitudinalmente no momento linha de base e após seis meses de participação em grupo psicoeducacional. Utilizaram-se: Estadiamento Clínico das Demências (CDR), Questionário de Atividades Funcionais de Pfeffer (PFEFFER), Escala Cornell de Depressão na Demência (CORNELL), Escala de Avaliação da Qualidade de Vida na Doença de Alzheimer (QdV-DA), Inventário Neuropsiquiátrico (NPI), Inventário de Sobrecarga de Zarit (ZARIT), Inventário de Depressão de Beck (BDI) e Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). RESULTADOS: No momento linha de base foi encontrada correlação entre a sobrecarga e sintomas depressivos dos cuidadores (p = 0,048). A análise das diferenças entre os dois momentos encontrou diminuição dos sintomas depressivos dos cuidadores no segundo momento (p = 0,011). Não foram encontradas diferenças significativas nas demais variáveis. CONCLUSÃO: Os grupos psicoeducacionais podem ser considerados intervenções eficazes na diminuição dos sintomas depressivos de cuidadores de pessoas com demência.