Scielo RSS <![CDATA[Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-810820110001&lang=pt vol. 33 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Abuso e negligência na infância e comportamento suicida</b>: <b>pode a epigenética interligá-los?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Incidência de conduta violenta e antissocial em população psiquiátrica forense</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: As consequências de comportamentos violentos e antissociais de internos em hospitais psiquiátricos são graves e podem determinar prejuízo ao tratamento do agressor. A falta de conhecimento sobre a incidência desse fenômeno e suas características favorece sua perpetuação. OBJETIVOS: Apresentar uma revisão bibliográfica atualizada do tema, informar a incidência de conduta violenta e antissocial em uma população manicomial e descrever a implementação de um método de registro sistematizado desse fenômeno. MÉTODO: A coorte foi selecionada dentro da população de pacientes do Instituto Psiquiátrico Forense Maurício Cardoso (IPFMC). Foi utilizada a Escala de Agressividade Declarada de Yudofsky (Overt Aggression Scale, OAS) e o Questionário de Seguimento de Tengström et al. Durante o período de seguimento de 1 ano, foram avaliados diariamente episódios de conduta violenta e antissocial, registrando-se os mesmos na escala e no questionário. A amostra em estudo foi composta de 68 pacientes homens selecionados de forma aleatória entre a população em cumprimento de medida de segurança no IPFMC. RESULTADOS: A incidência de comportamento violento/antissocial no período estudado foi de 200 episódios, envolvendo 50 pacientes. Houve predomínio de agressões e conduta antissocial durante o dia. As intervenções mais utilizadas foram manejo verbal, isolamento do paciente e aplicação de medicação intramuscular. CONCLUSÃO: Foi possível, pela primeira vez, medir a ocorrência de conduta violenta e antissocial em uma população psiquiátrica forense.<hr/>INTRODUCTION: The consequences of violent and antisocial behaviors among psychiatric hospital inpatients are serious and may affect the treatment of the aggressor. Lack of knowledge concerning the incidence of this phenomenon and its characteristics helps perpetuate the current scenario. OBJECTIVES: To present an updated literature review on the topic, to estimate the incidence of violent and antisocial behaviors in a mental hospital population, and to describe the implementation of a systematic method to record this phenomenon. METHOD: A cohort was selected among the psychiatric inpatients at Maurício Cardoso Forensic Psychiatry Institute (Instituto Psiquiátrico Forense Maurício Cardoso, IPFMC). Yudofsky's Overt Aggression Scale (OAS) and Tengström et al.'s Follow-Up Questionnaire were used. During a 1-year follow-up period, episodes of violent and antisocial behavior were evaluated daily and recorded on both the scale and the questionnaire. The population sample included 68 male patients randomly selected among the committed inpatients at IPFMC. RESULTS: The incidence of violent/antisocial behavior along the period assessed was 200 episodes involving 50 patients. Aggressions and antisocial behavior occurred mainly in daytime. The interventions most commonly used were verbal management, patient isolation, and intramuscular medication. CONCLUSION: For the first time, the occurrence of violent and antisocial behavior was measured in a forensic psychiatric population. <![CDATA[<b>Panorama nacional do ensino da psiquiatria nas escolas médicas brasileiras</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Determinar o perfil de ensino da psiquiatria nos cursos médicos brasileiros, verificando o número de professores envolvidos e suas titulações, o número de disciplinas e o enfoque predominante, material didático e local de ensino/aprendizagem. MÉTODO: O estudo foi baseado no levantamento de dados obtidos pela aplicação de questionários nas escolas médicas brasileiras que constam no site da Associação Brasileira de Educação Médica. RESULTADOS: Das 119 escolas médicas brasileiras, 85 (71%) responderam à pesquisa. O número de professores psiquiatras envolvidos no ensino variou de 1 a 5 (75,3%); desses, 1 a 2 (43,4%) eram doutores/livres-docentes, 1 a 2 (45,8%) eram mestres, e 1 a 2 (57,3%) eram especialistas. Observou-se que 41,2% das escolas oferecem duas disciplinas de psiquiatria, com enfoque predominantemente psicodinâmico e clínico (61,2%). Em 52,9% dos casos, o conteúdo programático não é desenvolvido apenas em cadeiras específicas de psiquiatria. As disciplinas oferecem, em 64,7% dos casos, aulas práticas em contextos clínicos gerais. A carga horária durante o curso é de 61-90 horas-aula (26,2%), e 88,9% têm livros-textos básicos. Em 83,3% das escolas médicas, essas disciplinas são avaliadas pelos alunos ao final das mesmas. CONCLUSÃO: Foi observada uma grande heterogeneidade nas regiões avaliadas, em pelo menos 71% das escolas. Novos estudos devem aprofundar este primeiro levantamento.<hr/>OBJECTIVE: To determine the profile of psychiatric teaching in Brazilian medical schools, with a focus on the number of professors involved and their respective degrees, the number of disciplines devoted to psychiatry and the predominant approach (psychodynamic/clinical/other) adopted, the didactic materials employed and the teaching and learning facilities available. METHODS: The study was based on the collection of data via application of questionnaires at all medical schools registered with the Brazilian Association of Medical Education (Associação Brasileira de Educação Médica). RESULTS: Of the 119 Brazilian schools contacted, 85 (71%) returned the questionnaires. The number of professors graduated in psychiatry at each school varied from 1 to 5 (75.3%); of these, 1 to 2 (43.4%) had a PhD degree, 1 to 2 (45.8%) a master's degree, and 1 to 2 (57.3%) were specialists. The findings revealed that 41.2% of the schools offered two disciplines of psychiatry, with a predominantly psychodynamic/clinical approach (61.2%). At 52.9% of the schools, teaching of psychiatric topics was not restricted to the specific disciplines; 64.7% of the disciplines offered hands-on training in general clinical settings. Mean number of credit hours of psychiatric teaching along the medical program was 61-90 (26.2%), and 88.9% of the programs used books as the main choice for didactic purposes. At 83.3% of the medical schools, psychiatric teaching is graded by students at the end of each discipline. CONCLUSION: The present findings revealed an important heterogeneity in the geographic regions assessed, affecting at least 71% of the schools. New studies are warranted to advance the preliminary findings herein reported. <![CDATA[<b>Transtornos alimentares em universitárias da área da saúde de universidade do sul do Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVES: To analyze eating disorders among female university students and to assess the frequency of bulimia nervosa, anorexia nervosa, and inappropriate weight loss strategies in this population. METHODS: The sample comprised 214 female university students attending different health science programs at a university in southern Brazil, aged over 18 years, assessed using self-administered questionnaires. The 26-item version of the Eating Attitudes Test (EAT-26), the Bulimic Investigatory Test, Edinburgh (BITE), and a supplementary questionnaire covering data on weight status and inappropriate weight loss strategies were used to assess dietary abnormalities. RESULTS: Mean age (± standard deviation) was 21±9.93 years, and mean body mass index (BMI) was 21.1±2.59. Among the respondents, 72.9% said they would like to weigh less, 29% reported the use of different weight loss methods (diuretics were the most common, followed by laxatives, amphetamine-derived drugs, and self-induced vomiting). With regard to EAT-26 scores, 22.4% (95%CI 17.7-27.1) revealed abnormal feeding patterns; BITE indicated that 9.8% (95%CI 6.5-13.1) were at risk for developing bulimia and 36.9% (95%CI 31.5-42.3) required clinical evaluation. Mean BMI was lower among students with normal scores on both tests, but no association was found between BMI and satisfaction with own weight. CONCLUSION: There was a strong trend toward eating disorders in the health science students assessed, as demonstrated by EAT-26 and BITE scores; inadequate weight loss strategies are frequently used as well.<hr/>OBJETIVOS: Analisar a presença de transtornos alimentares em universitárias e avaliar a frequência dos quadros de bulimia, anorexia nervosa e estratégias inadequadas para emagrecimento na amostra estudada. MÉTODOS: Foram estudadas 214 universitárias matriculadas em diferentes cursos da área da saúde em uma universidade do sul do Brasil, com idade igual ou superior a 18 anos; a avaliação se deu por meio de questionários autoaplicáveis. A frequência de padrões alimentares anormais foi avaliada de acordo com os escores das versões em português do Eating Attitudes Test, versão de 26 itens (EAT-26), do Bulimic Investigatory Test, Edinburgh (BITE), e um questionário complementar com itens sobre a situação ponderal e estratégias inadequadas utilizadas para emagrecer. RESULTADOS: As estudantes tinham média (± desvio padrão) de idade de 21±9,93 anos e índice de massa corporal (IMC) médio de 21,1±2,59. Entre as participantes, 72,9% afirmaram que gostariam de pesar menos e 29% relataram o uso de estratégias inadequadas para emagrecer (o uso de diurético foi o mais frequente, seguido de laxantes, derivados de anfetaminas e vômitos induzidos). De acordo com a pontuação do EAT-26, 22,4% das estudantes (IC95% 17,7-27,1) apresentaram padrão alimentar anormal. Já o BITE indicou que 9,8% (IC95% 6,5-13,1) se encontravam no grupo com grande possibilidade de bulimia e 36,9 (IC95% 31,5-42,3) apresentavam necessidade de avaliação clínica. A média do IMC foi menor entre as universitárias com escores normais nos dois testes, porém não foi encontrada associação entre IMC e satisfação com o próprio peso. CONCLUSÕES: Nas futuras profissionais da saúde avaliadas, houve uma alta taxa de tendência a transtornos alimentares, conforme evidenciado pelos escores do EAT-26 e do BITE; o uso frequente de técnicas inadequadas de emagrecimento também foi constatado. <![CDATA[<b>O grupo multifamiliar como recurso no tratamento dos transtornos alimentares</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O presente artigo é resultado do trabalho sistemático dos autores com grupos multifamiliares de pacientes com diagnóstico de transtorno alimentar (anorexia nervosa, bulimia nervosa e transtorno alimentar não especificado), conjuntamente com seus familiares. As sessões são oferecidas em um hospital público na cidade de Porto Alegre (RS). MÉTODO: Os registros em vídeo de quatro sessões de terapia de grupo multifamiliar foram analisados qualitativamente utilizando-se a técnica de análise de conteúdo. RESULTADOS: Grupos multifamiliares assim constituídos não foram encontrados na revisão da literatura, e sim apenas relatos de grupos multifamiliares com finalidades exclusivamente psicoeducativas, sem a participação dos pacientes identificados. Na avaliação final, a modalidade de atendimento multifamiliar revelou-se como positiva para o atendimento dos casos avaliados. CONCLUSÕES: A pesquisa demonstrou que esse tipo de abordagem, associado ao tratamento unifamiliar e individual, pode tornar-se uma ferramenta eficaz de tratamento para esses pacientes e suas famílias.<hr/>INTRODUCTION: This article is the result of the systematic experience of the authors with multifamily group therapy for patients with a diagnosis of eating disorders (anorexia nervosa, bulimia nervosa and not otherwise specified eating disorders) and their families. Sessions are held at a public hospital in the municipality of Porto Alegre, southern Brazil. METHOD: Video recordings of four multifamily group therapy sessions were qualitatively assessed using the content analysis technique. RESULTS: References to similar multifamily group therapy programs were not found in the literature review; rather, only some reports of multifamily group sessions with exclusively psychoeducational purposes were retrieved, however not including direct patient participation. At the final evaluation, multifamily group therapy was considered to have positive therapeutic outcomes for the patients assessed. CONCLUSION: Our study showed that this type of approach, associated with single-family and individual therapy, may become an effective treatment strategy for these patients and their families. <![CDATA[<b>Adaptação transcultural da versão brasileira da escala Social Rhythm Metric-17 (SRM-17) para a população angolana</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O ritmo social é um conceito que integra a relação entre Zeitgebers (sincronizadores) sociais e os marcadores de tempo endógenos, e pode ser avaliado com a Escala de Ritmo Social (Social Rhythm Metric-17, SRM-17). O objetivo deste estudo foi realizar a adaptação da versão brasileira da SRM-17 para o português angolano, comparando as duas escalas em populações que utilizam o mesmo idioma mas apresentam diferenças culturais. MÉTODOS: A versão brasileira da SRM-17 foi submetida à avaliação de 10 estudantes universitários angolanos, que analisaram o grau de clareza de cada um dos 15 itens do instrumento usando uma escala visual analógica de 10 cm e propuseram modificações ao texto. Foi realizada revisão dos resultados para a elaboração da versão final, bem como prova de leitura e relatório final. RESULTADOS: A versão final angolana manteve uma equivalência de itens com relação à versão em português brasileiro. A versão avaliada demonstrou um grau satisfatório de clareza e equivalência semântica na maioria dos itens. Porém, alguns itens apresentaram um escore na clareza inferior à média aritmética de compreensão global do instrumento (8,38±1,0). CONCLUSÃO: Apesar de o português ser o idioma oficial nos dois países, há diferenças culturais significativas nas duas populações. Este trabalho apresenta uma versão adaptada à realidade angolana de um instrumento específico para aferir ritmo social. O processo de adaptação transcultural deve efetivar-se com estudos de validação do instrumento final em uma amostra maior da população, onde também poderão ser avaliadas as equivalências operacional, de medida e funcional.<hr/>INTRODUCTION: Social rhythm is a concept that correlates social Zeitgebers (synchronizers) with endogenous markers of time, and can be assessed with the Social Rhythm Metric-17 (SRM-17). The aim of this study was to adapt the Brazilian version of the SRM-17 to Angolan Portuguese, comparing the two scales in samples that speak the same language but have cultural differences. METHODS: The Brazilian version of the SRM-17 was assessed by 10 Angolan students who analyzed the intelligibility of the 15 sentences contained in the instrument using a 10-cm visual analog scale and proposed changes to the text. Results were reviewed for the generation of a final Angolan version, followed by a reading test and the production of a final report. RESULTS: The final Angolan version of SRM-17 maintained an equivalence of items in relation to the Brazilian Portuguese version. The version assessed by the students showed a satisfactory degree of intelligibility and semantic equivalence in most items. However, some items presented intelligibility results below the mean total scores of the scale (8.38 ± 1.0). CONCLUSION: Although the populations of Brazil and Angola speak the same language, significant cultural differences were found between the two countries. This paper presents an instrument to assess social rhythm adapted to the Angolan culture. The cross-cultural adaptation process herein described should be continued by validating the final version of the instrument in a larger sample and by assessing operational, functional, and measure equivalence. <![CDATA[<b>Driving Cognitions Questionnaire</b>: <b>estudo de equivalência semântica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O medo de dirigir pode restringir a vida do indivíduo e gerar sérios problemas pessoais, sociais e ocupacionais. Usar um instrumento adequado para a avaliação de cognições do paciente é importante, já que contribui para uma formulação dos problemas apresentados, podendo guiar um plano de tratamento coerente. O objetivo deste estudo foi apresentar as etapas de tradução e adaptação para a língua portuguesa do instrumento Driving Cognitions Questionnaire, que mede as cognições que podem estar presentes no medo de dirigir MÉTODOS: Três traduções e três retrotraduções foram realizadas por seis avaliadores independentes. Realizou-se a equivalência semântica e avaliação das versões, elaborando-se uma versão síntese. Comentários dos 10 participantes sobre a versão preliminar do questionário foram examinados. Foi construída a versão brasileira preliminar do questionário. RESULTADOS: A maioria dos participantes entendeu as descrições das cognições expostas no questionário em português. CONCLUSÃO: A utilização de três versões de tradução e retrotradução, a discussão sobre a versão síntese preliminar e a interlocução com a população-alvo proporcionaram viabilidade ao processo de equivalência semântica da versão final brasileira.<hr/>INTRODUCTION: The fear of driving may restrict the life of patients and cause serious personal, social, and occupational problems. It is important to use a suitable tool while assessing patients’ cognitions, once these findings may help formulate the problems observed and may guide the selection of a consistent treatment plan. The objective of this study was to describe the stages of translation and adaptation into Brazilian Portuguese of the Driving Cognitions Questionnaire, designed to measure cognitions that may be present in the fear of driving. METHODS: Three translations and three back translations were conducted by six independent evaluators. Semantic equivalence assessment and evaluation of the different versions were conducted and resulted in a synthesized version of the instrument. Comments made by 10 participants on the preliminary version of the questionnaire were examined. The preliminary Brazilian version of the questionnaire was developed. RESULTS: Most participants understood the cognitions as described in the Brazilian Portuguese version of the questionnaire. CONCLUSION: The use of three different translations and back translations, discussion of a preliminary synthetic version and interaction with the target population contributed to the viability of the process aimed to assess the semantic equivalence of the Brazilian final version. <![CDATA[<b>Gravidade psicopatológica em mulheres vítimas de violência doméstica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar a presença de sintomas psicopatológicos em mulheres vítimas de violência doméstica (VD) que procuraram uma delegacia de defesa da mulher. MÉTODO: Foram avaliadas mulheres com idade entre 20 e 50 anos que deram entrada em uma delegacia da mulher com queixa de VD. Durante a entrevista, todas foram submetidas ao Relatório de Indicadores Sociais e preencheram os seguintes instrumentos de autoaplicação: Inventário de Depressão de Beck, Inventário de Ansiedade de Beck, Post-Traumatic Stress Disorder Checklist - Civilian Version e o Questionário de Experiências Dissociativas Peritraumáticas (todos em língua portuguesa). Foram usadas notas de corte a partir dos estudos de validação desses instrumentos para categorizar indivíduos com alta probabilidade de apresentar transtorno depressivo maior, transtorno de ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático, ou alta/baixa dissociação peritraumática. RESULTADOS: Foram avaliadas 17 mulheres com idade média de 34,7±7,7 anos. O tempo médio de duração da violência foi de 9,1±8,7 anos. Do total de mulheres, 53% eram vítimas de agressão excessiva e 84% eram ameaçadas de morte pelo companheiro; em 71% dos casos, os companheiros eram usuários de drogas. Além disso, 53% das mulheres afirmaram ter sofrido VD na infância. Do total da amostra, 89% tiveram grande probabilidade de apresentar transtorno depressivo maior, 94% transtorno de ansiedade, 76% transtorno de estresse pós-traumático e 88% apresentaram elevados níveis de experiências dissociativas peritraumáticas. CONCLUSÃO: As vítimas de VD que dão entrada em delegacias de defesa da mulher têm alta probabilidade de apresentar morbidade psiquiátrica, assim como alterações cognitivas que as impossibilitam de sair do ciclo da violência.<hr/>OBJECTIVE: To assess the presence of psychopathological symptoms in women victims of domestic violence who seek help at police units offering women's protective services. METHODS: Women aged between 20 and 50 years who sought help at women's protective services complaining of domestic violence were assessed. During the interview, all participants were submitted to assessment using a Social Indicator Report and filled in the following self-report instruments: Beck Depression Inventory, Beck Anxiety Inventory, Post-Traumatic Stress Disorder Checklist - Civilian Version, and the Peritraumatic Dissociative Experiences Questionnaire (all in Brazilian Portuguese). Cut-off points were established based on instrument validation studies and were used to identify subjects with a high probability of having major depressive disorder, anxiety disorder, post-traumatic stress disorder, or high/low peritraumatic dissociation. RESULTS: Seventeen women with a mean age of 34.7±7.7 years were assessed. Average duration of exposure to domestic violence was 9.1±8.7 years. Of the total sample, 53% were exposed to excessive violence and 84% received death threats from their partners; 71% of the partners were drug abusers. In addition, 53% of the women reported exposure to domestic violence during childhood. From the total sample, 89% presented a high probability of having major depressive disorder, 94% anxiety disorder, 76% post-traumatic stress disorder, and 88% showed high scores of peritraumatic dissociative experiences. CONCLUSION: Victims of violence seeking help at women's protective services showed a high probability of having psychiatric morbidities cognitive dysfunction that prevent these women from interrupting exposure to this specific type of violence. <![CDATA[<b>Construção de conjuntos de imagens emocionais associadas a partir do International Affective Picture System</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A forma como estímulos emocionais são processados e se relacionam com a cognição possui diversas implicações no campo da saúde mental. Há, portanto, a necessidade de instrumentos efetivos que viabilizem a mensuração da emoção. OBJETIVOS: Criar, a partir do International Affective Picture System (IAPS), 20 conjuntos de fotos associadas temática, visual e emocionalmente, e eleger a foto mais representativa de seu respectivo conjunto; investigar a correlação entre os fatores de associação (emocional, temática e visual); e verificar a correlação de emocionalidade dos 20 conjuntos com os dados da versão brasileira do IAPS. MÉTODO: Um total de 353 participantes avaliaram e julgaram o quão associadas entre si eram as fotos de cada conjunto e qual era a foto mais representativa de cada conjunto. RESULTADOS: Dezoito dos 20 conjuntos demonstraram alta associação nos três fatores investigados. Em todos os conjuntos, foram obtidas hierarquias de representatividade. Houve significativa correlação positiva entre os fatores de associação temática e visual (coeficiente de correlação de Spearman, rho = 0,820; p < 0,01). Observou-se correlação significativa tanto dos escores de valência (rho = 0,958) quanto dos escores de alerta (rho = 0,836; p < 0,01) para com os dados da versão brasileira nos 20 conjuntos. CONCLUSÕES: O material desenvolvido propicia a neurocientistas a possibilidade de manipulação e controle de variáveis relacionadas ao processamento emocional, e também pode contribuir para investigações com enfoque psiquiátrico.<hr/>INTRODUCTION: The way in which emotional stimuli are processed and relate with cognition has many implications in the mental health field. As a result, there is a need for effective instruments that allow measuring emotion. OBJECTIVES: To create 20 sets of thematically, visually, and emotionally associated pictures using the International Affective Picture System (IAPS), and to select the most representative picture in each set; to investigate the correlation between associative factors (emotional, thematic, and visual); and to assess the emotional correlation between the 20 sets and Brazilian normative data. METHODS: A total of 353 participants evaluated the sets and defined to what degree the pictures in each set were associated with one another, and also which picture was the most representative of each set. RESULTS: Eighteen of the 20 sets presented high association results in the three factors assessed. Hierarchical representations were obtained for the 20 sets. There was a significant positive correlation between thematic and visual association (rho = 0.820; p < 0.01). Both valence (rho = 0.958) and arousal (rho = 0.836; p < 0.01) were significantly correlated with Brazilian norms in all 20 sets. CONCLUSIONS: The sets of associated pictures created and herein described may be useful to neuroscientists, due to the possibility of manipulating and controlling variables related to emotional processing, and may also contribute to investigations with a psychiatric focus. <![CDATA[<b>Trauma complexo e suas implicações diagnósticas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A exposição prolongada a múltiplos eventos traumáticos de natureza interpessoal, sobretudo durante o desenvolvimento, tem demonstrado consequências e sintomas psiquiátricos não considerados pelo atual diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Essas situações negativas e crônicas durante a infância e adolescência evidenciam a existência de uma síndrome psicopatológica associada a complexas (des)adaptações a efeitos traumáticos diversos. A ausência de um diagnóstico coeso e fidedigno para essas vítimas interfere negativamente na identificação sintomatológica e no método de tratamento. O presente trabalho visa revisar a definição de trauma, apresentando o conceito de trauma complexo, explorando suas implicações clínicas, bem como as categorias diagnósticas derivadas desse constructo. Importantes questões são levantadas acerca das diferenças entre trauma complexo e TEPT, investigando os sintomas e transtornos comórbidos ao diagnóstico de TEPT, assim como as limitações inerentes a esse diagnóstico. Considerando o impacto psicopatológico relacionado ao trauma complexo, discute-se a possível inserção de uma nova categoria diagnóstica na 5ª versão do Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais, adjunta ao espectro de psicopatologias pós-traumáticas.<hr/>Prolonged exposure to multiple traumatic events of an interpersonal nature, particularly during development, has shown psychological consequences and symptoms not included among the current diagnostic criteria of post-traumatic stress disorder (PTSD). These negative and chronic situations during childhood and adolescence provide further evidence of the existence of a psychopathological syndrome associated with complex (dis)adaptations to a number of traumatic effects. The absence of a cohesive and reliable diagnosis for these patients negatively affects symptom identification and treatment planning. The aim of the present study was to review the definition of trauma, presenting the concept of complex trauma and investigating its clinical implications and the diagnostic categories deriving from this construct. Important questions are raised about differences between complex trauma and PTSD, followed by an investigation of PTSD symptoms and comorbid disorders, as well as the limitations of PTSD diagnosis. Taking into consideration the psychopathological impact associated with complex trauma, the article discusses the possibility of including a new diagnostic category in the 5th edition of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders is discussed, as part of the spectrum of post-traumatic psychopathologies. <![CDATA[<b>Marcadores neurobiológicos e psicométricos da eficácia da terapia cognitivo-comportamental no transtorno de estresse pós-traumático associado a sintomas dissociativos</b>: <b>relato de caso</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) tem sido associado à desregulação de diversos parâmetros psicofisiológicos e pode apresentar comorbidade com diversas psicopatologias, inclusive a dissociação, podendo dificultar o tratamento. O objetivo do presente trabalho foi investigar os efeitos da terapia cognitivo-comportamental em um paciente com TEPT e sintomas dissociativos com base em medidas psicofisiológicas e psicométricas em diferentes momentos do tratamento. DESCRIÇÃO DO CASO: O paciente é um homem de 38 anos, com diagnósticos de TEPT e transtorno depressivo maior recorrente com sintomas dissociativos e resistência ao tratamento farmacológico. O tratamento psicoterápico teve duração de 4 meses, sendo composto por uma sessão semanal de terapia e três sessões semanais de coterapia. Os parâmetros fisiológicos (frequência cardíaca, tônus vagal, balanço simpático e cortisol) e psicométricos (afeto negativo e positivo, resiliência e sintomas de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade e dissociação) foram medidos antes, durante (uma vez ao mês) e após o tratamento. COMENTÁRIOS: Os resultados mostraram diminuição do balanço simpático e aumento do tônus vagal, da frequência cardíaca e dos níveis de cortisol ao longo do tratamento. O tratamento também promoveu redução no afeto negativo e nos sintomas de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade e dissociação, além de um aumento nos escores de resiliência, apoio social e afeto positivo. Esses resultados sugerem que a terapia cognitivo-comportamental é um tratamento eficaz para o TEPT com sintomas dissociativos. Além disso, parece promover a normalização das alterações fisiológicas do sistema nervoso autônomo e neuroendócrino relacionadas ao TEPT.<hr/>INTRODUCTION: Post-traumatic stress disorder (PTSD) has been associated with dysregulation of many psychophysiological parameters and may present comorbidity with different psychopathologies, including dissociation, potentially affecting treatment outcome. The aim of this study was to evaluate the effects of cognitive behavioral therapy in a patient with PTSD and dissociative symptoms based on psychophysiological and psychometric measures at different time points throughout the course of treatment. CASE DESCRIPTION: Our patient is a 38-year old man diagnosed with PTSD, major depression, and dissociative symptoms, resistant to pharmacotherapy. Psychological treatment lasted for 4 months and consisted of one weekly therapy session and three weekly coaching sessions. Physiological (heart rate, vagal tone, sympathovagal balance, and cortisol) and psychometric measures (negative and positive affect, resilience, and post-traumatic stress, depression, anxiety, and dissociative symptoms) were obtained before, during (once a month) and after treatment. COMMENTS: Results showed a decrease in sympathovagal balance and an increase in heart rate, vagal tone and cortisol levels during the course of treatment. Treatment also lead to a decrease in negative affect and in post-traumatic stress, depression, anxiety, and dissociation symptoms, as well as to an increase in resilience, social support and positive affect scores. These results suggest that cognitive behavioral therapy is an effective treatment for PTSD patients with dissociative symptoms. Moreover, the treatment seems to be able to normalize PTSD-related physiological parameters in the neuroendocrine and autonomic nervous systems. <![CDATA[<b>Reforma psiquiátrica e o Datasus</b>: <b>o uso de um instrumento ou o uso instrumental?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082011000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) tem sido associado à desregulação de diversos parâmetros psicofisiológicos e pode apresentar comorbidade com diversas psicopatologias, inclusive a dissociação, podendo dificultar o tratamento. O objetivo do presente trabalho foi investigar os efeitos da terapia cognitivo-comportamental em um paciente com TEPT e sintomas dissociativos com base em medidas psicofisiológicas e psicométricas em diferentes momentos do tratamento. DESCRIÇÃO DO CASO: O paciente é um homem de 38 anos, com diagnósticos de TEPT e transtorno depressivo maior recorrente com sintomas dissociativos e resistência ao tratamento farmacológico. O tratamento psicoterápico teve duração de 4 meses, sendo composto por uma sessão semanal de terapia e três sessões semanais de coterapia. Os parâmetros fisiológicos (frequência cardíaca, tônus vagal, balanço simpático e cortisol) e psicométricos (afeto negativo e positivo, resiliência e sintomas de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade e dissociação) foram medidos antes, durante (uma vez ao mês) e após o tratamento. COMENTÁRIOS: Os resultados mostraram diminuição do balanço simpático e aumento do tônus vagal, da frequência cardíaca e dos níveis de cortisol ao longo do tratamento. O tratamento também promoveu redução no afeto negativo e nos sintomas de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade e dissociação, além de um aumento nos escores de resiliência, apoio social e afeto positivo. Esses resultados sugerem que a terapia cognitivo-comportamental é um tratamento eficaz para o TEPT com sintomas dissociativos. Além disso, parece promover a normalização das alterações fisiológicas do sistema nervoso autônomo e neuroendócrino relacionadas ao TEPT.<hr/>INTRODUCTION: Post-traumatic stress disorder (PTSD) has been associated with dysregulation of many psychophysiological parameters and may present comorbidity with different psychopathologies, including dissociation, potentially affecting treatment outcome. The aim of this study was to evaluate the effects of cognitive behavioral therapy in a patient with PTSD and dissociative symptoms based on psychophysiological and psychometric measures at different time points throughout the course of treatment. CASE DESCRIPTION: Our patient is a 38-year old man diagnosed with PTSD, major depression, and dissociative symptoms, resistant to pharmacotherapy. Psychological treatment lasted for 4 months and consisted of one weekly therapy session and three weekly coaching sessions. Physiological (heart rate, vagal tone, sympathovagal balance, and cortisol) and psychometric measures (negative and positive affect, resilience, and post-traumatic stress, depression, anxiety, and dissociative symptoms) were obtained before, during (once a month) and after treatment. COMMENTS: Results showed a decrease in sympathovagal balance and an increase in heart rate, vagal tone and cortisol levels during the course of treatment. Treatment also lead to a decrease in negative affect and in post-traumatic stress, depression, anxiety, and dissociation symptoms, as well as to an increase in resilience, social support and positive affect scores. These results suggest that cognitive behavioral therapy is an effective treatment for PTSD patients with dissociative symptoms. Moreover, the treatment seems to be able to normalize PTSD-related physiological parameters in the neuroendocrine and autonomic nervous systems.