Scielo RSS <![CDATA[História (São Paulo)]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0101-907420160001&lang=es vol. 35 num. lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA["Indigenous Land": historical aspects of construction and application of a legal concept]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-90742016000100501&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO A partir da análise de diversas Constituições Federais brasileiras do período republicano, bem como do Estatuto do Índio, o artigo discute histórica e antropologicamente o conceito jurídico de terra indígena, bem como sua aplicabilidade e dificuldades geradas de sua não compreensão. O trabalho também analisa as repercussões sobre a demarcação de terras indígenas no Brasil após o julgamento da Petição nº 3.388 RR pelo STF, o qual quebra a tradição jurídica brasileira abandonando a teoria do indigenato em favor da teoria do fato indígena. Como consequência há a adoção do marco temporal para a determinação das terras de ocupação tradicional indígena. O texto perpassa ainda por questões de ordem política e administrativa que viabilizam ou inviabilizam a efetivação dos direitos territoriais indígenas no Brasil.<hr/>ABSTRACT From the analysis of several Brazilian Constitutions of the Republican period, and the Indian Statute, the article discusses the anthropological and the historical legal concept of indigenous land, as well as their applicability and difficulties caused by misunderstood. The paper also analyzes the effects on the indigenous lands demarcation in Brazil after the trial of Petition number 3388 RR by Supreme Court of Brazil, which breaks the Brazilian legal tradition abandoning indigenato theory for the theory of indigenous fact. As a result there is the adoption of the time frame for the determination of traditional indigenous occupation of the land. The text also look after the political and administrative questions that makes possible and impossible the realization of indigenous land rights in Brazil. <![CDATA[Commerce, industry and regional projection of the nineteenth-century Diamantina: the fragilities of the "North Great Emporium"]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-90742016000100502&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Este artigo analisa o comércio atacadista e a indústria de Diamantina no período 1870- 1920, enfatizando sua projeção regional e vinculações com a mineração. São discutidos os fatores que tornaram frágil e provisória a condição de Diamantina como centro polarizador do Norte de Minas. As fontes empregadas são principalmente documentação cartorária e jornais locais.<hr/>ABSTRACT This paper analyzes the commerce and industry of the Diamantina in the years 1870-1920, emphasizing its regional projec- tion and their links with the mining. Here are discussed the factors that made fragile and temporary the condition of Diamantina like polarizing center of the North of Minas. The fonts used are mainly registry record and local newspapers. <![CDATA[The British and their Empire: debates and new historiographic fields of the victorian age]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-90742016000100503&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO O artigo apresenta os debates historiográficos referentes à expansão do Império Britânico no século XIX, tendo como eixo norteador as transformações sociais e acadêmicas decorrentes da derrocada daquele sistema planetário e as revisões quanto ao lugar da Grã-Bretanha nas relações internacionais. São expostas as mais destacadas linhas interpretativas originadas em meados do século XX, momento da desconstrução imperial, quando ainda predominavam análises originárias da própria metrópole. Essas leituras são contrapostas à ascensão de outras, provenientes das ex-colônias, marcadas pelo fortalecimento de novas interpretações sobre as limitações e contradições internas àquele sistema. O objetivo é demonstrar de que forma a própria crise imperial levou a novas análises, possibilitando olhares e interpretações que se distanciaram de clássicas afirmações sobre o poder imperial e suas estruturas.<hr/>ABSTRACT The paper presents the recent historiographical debates on the expansion of the British Empire, focusing on social and academical changes after de fall of that planetary system and the revision of the force of Great Britain in the international relations. It presents the mainstream interpretative school, based on the metropolis, whose origins in middle 20th century is related to the deconstruction of the Empire. They are opposed to the rise of other interpretations, born in the former colonies, related to new scholars focused on the constraints and contradictions of that system. The aim of the article is to show in which way the imperial crisis itself give force to this new analysis, opening new fields and interpretations so distant of that classic discourses on imperial power and structures. <![CDATA[British abolitionism and trade in enslaved children to Brazil, 1810-1850]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-90742016000100504&lng=es&nrm=iso&tlng=es RESUMO Sob constante estrangulamento por parte da Inglaterra desde 1810, o comércio negreiro para o Brasil se adaptou até o seu fim definitivo, em 1850, a um padrão de demanda das elites escravistas pautado em crescentes aquisições de crianças africanas. Semelhante movimento revela uma lógica demográfica flexível, fundada na utilização do próprio tráfico visando estender temporalmente a escravidão. A aferição de semelhante hipótese está calcada no manejo dos registros dos navios negreiros constantes do The Transatlantic Slave Trade Database: Voyages. No intuito de verificar a efetividade da ação das elites escravistas, foram igualmente analisados os inventários post-mortem de grandes proprietários rurais do Rio de Janeiro, coletados nos anos terminados em 1, 2, 3 e 5, 6, e 7 entre 1810 e 1831.<hr/>ABSTRACT Under constant pressure by England since 1810, the slave trade to Brazil has adapted itself to a standard demand of the slaveholding elites, ruled by the increase of purchase of African children, until its definitive end in 1850. A similar movement reveals a flexible demographic logic, based on the use of the slave trade to extend the slavery. Such hypothesis is grounded in the management and analysis of the lists and descriptions of slave ships on The Transatlantic Slave Trade Database: Voyages. In order to verify the effectiveness of the action of slaveholding elites, inventories of large landowners in Rio de Janeiro, collected in years ending in 1, 2, 3 and 5, 6, and 7 between 1810 and 1831, were also analysed.