Scielo RSS <![CDATA[Acta Botanica Brasilica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-330620100001&lang=pt vol. 24 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Estudos morfoanatômicos da semente e da plântula de espécies de Anileiras (<I>Indigofera</I> L., Leguminosae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O nome popular "anileira" designa Indigofera anil L., I. suffruticosa Mill. e I. truxillensis Kunth, muito semelhantes quanto à morfologia externa. Este trabalho teve por objetivo avaliar se caracteres da semente e plântula apresentavam valor diagnóstico para este grupo, já que tais caracteres têm sido muito utilizados na Taxonomia de Leguminosae. A superfície e morfoanatomia de sementes e cotilédones foram estudadas por microscopias eletrônica de varredura e de luz, e as etapas do desenvolvimento das plântulas descritas. Embora as plântulas sejam semelhantes, caracteres de sementes (tamanho, forma, ornamentação da superfície, forma do hilo e tamanho do embrião) e cotilédones (forma, organização do parênquima lacunoso na nervura central e distribuição de metabólitos nos tecidos) apresentaram valor diagnóstico para as espécies. I. anil distingue-se de I. suffruticosa por suas sementes maiores e cotilédones com borda acuminada. I. truxillensis caracteriza-se por apresentar sementes cilíndricas e cotilédones reniformes contendo gotas de óleo e alcalóides. Nossos dados, a morfologia externa dos frutos (curvos em I. anil e I. suffruticosa, e retos em I. truxillensis) e, ainda, a anatomia foliar (células parenquimáticas grandes e fenólicas no floema de I. suffruticosa e sua ausência em I. anil) sugerem que I. anil, I. suffruticosa e I. truxillensis não devem ser sinonimizadas.<hr/>The common name "wild indigo" specifies Indigofera anil L., I. suffruticosa Mill. (legitimate name) and I. truxillensis Kunth (legitimate name) that are very similar due to their external morphology. This work analyzed diagnostic characteristics of seeds and seedlings of these species since such features are widely used in taxonomic approaches within Leguminosae. We studied surface features and morpho-anatomy of seeds and cotyledons with scanning electronic microscopy and light microscopy, and described seedling phases. Although seedlings are similar, seed characteristics (size, shape, surface ornamentation, shape of the hilum and embryo size) and cotyledon characteristics (shape, trichome ornamentation, organization of spongy parenchyma along central veins and metabolite distribution in the tissues) have diagnostic features for the species. I. anil differs from I. suffruticosa in its larger seeds and acuminate-margined cotyledons. I. truxillensis is recognized by its cylindrical seeds and kidney-shaped cotyledons with large oil drops. We assume that the characteristics examined, plus fruit morphology and foliar anatomy suggest that I. anil, I. suffruticosa and I. truxillensis should not be synonymized. <![CDATA[<B>Pteridaceae (Polypodiopsida) do Campo Experimental da Embrapa Amazônia Oriental, município de Moju, estado do Pará, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste trabalho apresenta-se o tratamento taxonômico da família Pteridaceae como parte do projeto "Licófitas e monilófitas dos ecossistemas paraenses", que vem sendo realizado com o objetivo de identificar e catalogar as espécies da flora estadual. O Campo Experimental da Embrapa Amazônia Oriental está localizado no município de Moju e abrange uma área total de 1059 hectares, composta por uma cobertura vegetal de floresta de terra firme predominante e outra de floresta de igapó. Para análise e identificação taxonômica dos exemplares coletados, foram utilizadas técnicas usuais e literatura especializada. São apresentadas chaves para identificação de gêneros e espécies, além de descrições, ilustrações, comentários, dados de distribuição e habitat. A família Pteridaceae está representada na área estudada por 14 espécies: Acrostichum aureum L., Adiantum cajennense Willd. ex Klotzsch, A. dolosum Kunze, A. glaucescens Klotzsch, A. multisorum A. Samp., A. paraense Hieron., A. tetraphyllum Humb. & Bonpl. ex Willd., A. tomentosum Klotzsch, Ananthacorus angustifolius (Sw.) Underw. & Maxon, Anetium citrifolium (L.) Splitg., Hecistopteris pumila (Spreng.) J. Sm., Pityrogramma calomelanos (L.) Link var. calomelanos, Polytaenium guayanense (Hieron.) Alston, Vittaria lineata (L.) Sm. Duas espécies (A. dolosum e A. multisorum) são novas referências para o estado do Pará.<hr/>In this study the taxonomic treatment of the family Pteridaceae is presented as part of the project "Lycophytes and monilophytes of the ecosystems of Pará", which aims to identify and list the species of the local flora. The experimental farm of Embrapa Amazônia Oriental lies in Moju municipality and comprises 1059hectares, primarily covered by non-flooded lowland rain forest and secondly by flooded lowland rainforest. Usual techniques and specialized literature were used for analyses and taxonomic identification of the collected specimens. Keys for the identification of genera and species are given, plus descriptions, illustrations, comments and distribution and habitat data. The family Pteridaceae is represented by 14 species in the study area: Acrostichum aureum L., Adiantum cajennense Willd. ex Klotzsch, A. glaucescens Klotzsch, A. paraense Hieron., A. tetraphyllum Humb. & Bonpl. ex Willd.,A. tomentosum Klotzsch, Ananthacorus angustifolius (Sw.) Underw. & Maxon, Anetium citrifolium (L.) Splitg., Hecistopteris pumila (Spreng.) J. Sm., Pityrogramma calomelanos (L.) Link var. calomelanos, Polytaenium guayanense (Hieron.) Alston, Vittaria lineata (L.) Sm., Adiantum dolosum Kunze and A. multisorum A. Samp. The latter two are new records for Pará state. <![CDATA[<B>Aspectos anatômicos do embrião e desenvolvimento inicial de <I>Oenocarpus minor</I> Mart</B>: <B>uma palmeira da Amazônia</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste trabalho foi feita a anatomia do embrião e a fase inicial da germinação da semente de O. minor. Frutos maduros de cinco indivíduos foram despolpados e as sementes obtidas foram semeadas em canteiros contendo substrato areia em casa de vegetação com sombreamento a 50%. O acompanhamento da germinação foi feito através de coletas das diferentes fases do desenvolvimento. O estudo anatômico foi realizado conforme técnicas usuais de microscopia de luz. O embrião é capitado. O eixo embrionário localiza-se na região proximal em posição oblíqua ao eixo cotiledonar. O cotilédone é formado por tecido parenquimático, procambial e protodérmico. Os feixes vasculares ocorrem ao longo da zona periférica da região distal até ao eixo embrionário. Aos 14 dias é emitida a raiz primária. Aos 21 dias forma-se a primeira bainha cotiledonar e aos 35 dias a segunda bainha cotiledonar ocorrendo à emergência da plântula acima do substrato. A germinação é do tipo adjacente ligular.<hr/>The anatomy of the embryo and the initial germination phase of O. minor seeds are examined here. Ripe fruits were collected from five individuals, the pulp removed, and the seeds sown in beds with sandy substrate in a greenhouse with 50% shade. Germination follow-up was made by collecting different stages of development. The anatomical study done according to usual techniques of light microscopy. The embryo is capitate and occupies a central position in the basal region of the seed. The embryogenic axis is located in the proximal region in a position that is oblique to the cotyledon axis. The cotyledon is formed by parenchymatous, procambial and protodermic tissue. The vascular bundles lie along the peripheral zone of the distal region to the embryogenicaxis. After 14 days, the primary rootemerges; after 21 days, the first cotyledon sheath and after 35 days, the second cotyledon sheath, and the seedling emerges above the substrate. Germination is of the ligule adjacent type. <![CDATA[<B>Lycopodiaceae no Parque Nacional do Itatiaia, RJ e MG, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O Parque Nacional do Itatiaia localiza-se na região Sudeste do Brasil, nos limites dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, com altitudes que variam de 390 a 2789 m (Pico das Agulhas Negras). Lycopodiaceae apresenta quatro gêneros e cerca de 500 espécies, com distribuição cosmopolita, caracterizando-se pelos microfilos e esporofilos eligulados e pela homosporia. A família está representada na área de estudo por 23 espécies e uma variedade, distribuídas em três gêneros (Huperzia, 15 espécies; Lycopodiella, quatro espécies e uma variedade; Lycopodium, quatro espécies), totalizando 43% das espécies citadas para o país e 72%, para o estado do Rio de Janeiro. São apresentadas chaves para a identificação de gêneros e espécies, ilustrações, descrições, comentários sobre caracteres diagnósticos e ecológicos, distribuição geográfica e variação altitudinal.<hr/>Itatiaia National Park is located in Southeastern Brazil, between the states of Rio de Janeiro and Minas Gerais, with altitudes ranging from 390 to 2789 m (Pico das Agulhas Negras). Lycopodiaceae has four genera and approximately 500 species, with cosmopolitan distribution. It is a homosporous family characterized by eligulate leaves and sporophylls. The family is represented in the study area by 23 species and one variety, distributed in three genera (Huperzia, 15 species; Lycopodiella, four species and one variety; Lycopodium, four species), totaling 43% of the species recorded in Brazil and 72% in the state of Rio de Janeiro. Keys to the identification of the genera and species, illustrations, descriptions, notes on taxonomy and ecologicalcharacteristics, geographic distribution and altitudinal variation are presented. <![CDATA[<B>Aplicação de ácido giberélico (GA3) e anatomia da epiderme foliar visando à detecção de variantes somaclonais de bananeira Musa sp. Colla cv. Prata-anã (Musaceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A micropropagação de indivíduos do gênero Musa vem sendo aplicada em larga escala para obtenção de mudas de qualidade fitossanitária. O cultivo in vitro pode levar a ocorrência de variação somaclonal que pode acarretar em prejuízos aos produtores. Atualmente, a diferenciação das plantas variantes somaclonais é possível somente quando as mesmas encontram-se em condições de campo, mediante crescimento exagerado, conhecido como gigantismo. Mutantes para a produção de giberelina apresentaram fenótipo anão e esta mutação já foi revertida com a aplicação de ácido giberélico exógeno. A anatomia de plântulas cultivadas in vitro e ex vitro fornece informações que podem auxiliar na melhoria das técnicas de micropropagação e na sua seleção precoce. Objetivou-se verificar a diferenciação das estruturas anatômica entre plantas normais e variantes somaclonais. Para tal, utilizaram-se folhas de 'Prata-anã' cultivadas in vitro, em fase de aclimatização e no campo após a constatação da variação somaclonal. Secções paradérmicas foram realizadas para avaliação do complexo estomático. Secções transversais foram realizadas para medições da espessura das faces adaxial e abaxial da epiderme, medições dos parênquimas clorofilianos e da nervura central. Os resultados permitiram verificar diferenças estruturais das plantas ao longo das fases de cultivo. Foi possível também determinar marcadores anatômicos baseados no diâmetro da nervura central e na hipoderme inferior que permiti distinguir as plantas normais das variantes somaclonais.<hr/>Micropropagation of Musa plants is applied on a wide scale in order to obtain plantlets with high sanitary quality. In vitro cultivation may lead to somaclonal variation that can cause harm the producers. Currently, differentiation of somaclonal variants is possible only in the field based on the exaggerated growth of the plants. Mutants for gibberellin production are dwarfed and this mutation is reverted by applying gibberellic acid. The anatomy of plants cultivated in vitro and ex vitro can give information to improve micropropagation techniques. The objective of this work was to differentiate normal plants from variant ones by anatomic structures. For this propose, leaves of banana plants 'Prata-anã' cultivated in vitro, during the acclimatization phase and in the field after the visual detection of somaclonal variation, were used. Paradermic sections were produced to evaluate the stomata complex. Transverse sections were done to measure adaxial and abaxial epidermal-face thickness, chlorophyll parenchyma andmidrib. Structural differences were detected in plants during developmental phases. Moreover, in this work it was possible to determine anatomical markers to distinguish normal from variant plants based on midrib diameter and inferior hypodermis. <![CDATA[<B>Diversidade polínica das Mimosoideae (Leguminosae) ocorrentes em uma área de caatinga, Pernambuco, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O município de Mirandiba, Pernambuco, considerado prioritário para a conservação da caatinga, apresenta cerca de 25% das espécies de Leguminosae do bioma, sendo 23 espécies em 13 gêneros da subfamília Mimosoideae, das quais 6 espécies são endêmicas. Dezenove táxons desta subfamília tiveram seus grãos de pólen caracterizados por microscopia óptica e eletrônica de varredura, ilustrados e incluídos em uma chave de identificação. A morfologia polínica dos táxons estudados é muito variada, principalmente em relação às unidades de dispersão, sendo encontradas desde mônades, em Neptunia e Desmanthus; políades com oito grãos de pólen, uniplanar em Calliandra depauperata e multiplanar em Mimosa spp. e Pityrocarpa moniliformis, políades com 16 grãos de pólen, em Anadenanthera, Inga, Parapiptadenia, Pithecellobium e Senegalia, tétrades também em espécies de Mimosa, e políades amorfas com 32 grãos de pólen, presentes em Chloroleucon e Pithecellobium. Essas diferenças aliadas a caracteres morfométricos e da ectexina possibilitam a identificação da maioria dos táxons de Mimosoideae de Mirandiba.<hr/>Mirandiba municipality in Pernambuco, is a prioritary conservation area for caatinga. It has almost 25% of Leguminosae species from the caatinga, where 23 species in 13 genera belong to the Mimosoideae subfamily and 6 species are endemics. The pollen grains of 19 mimosoid taxa were characterized by their pollen grains using light and scanning electron microscopy. All taxa are illustrated and keyed. Pollen morphology of these taxa is varied, mainly regarding pollen units; we found monads in Neptunia and Desmanthus; 8-grain uniplanar polyads in Calliandra depauperata and multiplanar ones in Mimosa spp. and Pityrocarpa moniliformis, tetrads also in Mimosa, polyads with 16 pollen grains in Anadenanthera, Inga, Parapiptadenia, Pithecellobium and Senegalia, and polyads with 32 pollen grains in Chloroleucon and Pithecellobium. Different pollen units allied to other morphometric and ectexine characters were useful to identify most mimosoid taxa from Mirandiba. <![CDATA[<B>Crescimento, parâmetros biofísicos e aspectos anatômicos de plantas jovens de seringueira inoculadas com fungo micorrízico arbuscular <I>Glomus clarum</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Fungos micorrízicos são reconhecidamente benéficos quando em associação às plantas por favorecerem seu crescimento e desenvolvimento. Apesar de pouco comum para a seringueira, a inoculação artificial de fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) tem se mostrado uma alternativa para a redução no uso de fertilizantes e pesticidas nas culturas, bem como para a formação de mudas, visando obtenção de porta-enxertos precoces e bem nutridos. O estudo objetivou avaliar o efeito da inoculação do FMA Glomus clarum no crescimento e características biofísicas e anatômicas de plantas jovens de seringueira. Os tratamentos consistiram de plantas inoculadas com o fungo Glomus clarum adubadas com 50 ppm de fósforo (mic+50P), plantas não inoculadas adubadas com 50 ppm de fósforo (s/mic+50P) e plantas não inoculadas adubadas com 500 ppm de fósforo (s/mic+500P). Constatou-se que as plantas micorrizadas apresentaram altura e diâmetro dos caules, matéria seca da parte aérea, densidade estomática e área foliar, semelhantes às plantas s/mic+500P. Maior acúmulo de matéria seca de raiz, maior taxa de transpiração, menor resistência estomática e menor temperatura foliar foram observadas para as plantas micorrizadas. As análises anatômicas das raízes evidenciam a ocorrência de alterações no tecido vascular, com aumento no número de pólos de xilema das raízes das plantas micorrizadas.<hr/>Mycorrhizal fungi are beneficial when associated with plants because they favor growth and develop. Although infrequent, artificial inoculation of arbuscular mycorrhizal fungi (AMF) has become an alternative to reduce the use of fertilizers and pesticides in crops, as well as for the formation of seedlings, to obtain precocious and well fed rootstocks. The objective of the study was to evaluate the effect of inoculation of AMF Glomus clarum on growth and biophysical and anatomical characteristics of young rubber trees. The treatments consist of plants inoculated with the fungus Glomus clarum and fertilized with 50 ppm of phosphorus (mic+50P), non-inoculated plants fertilized with 50 ppm of phosphorus (s/mic+50P) and non-inoculated plants fertilized with 500 ppm of phosphorus (s/mic+500P). The mycorrhizal plants showed height and stem diameter, dry matter accumulation of the aerial part, stomatal density and leaf area similar to the plants s/mic+500P. Greater accumulation of dry matter in the roots, higher transpiration rate, less stomatal resistance and lower leaf temperature were reported for the mycorrhizal plants. The anatomical analyses of the roots showed alterations in the vascular tissue, with increase in the number of xylem poles in the mycorrhizal plant roots. <![CDATA[<B>Morfoanatomia e ontogênese do fruto e semente de <I>Vernonia platensis</I> (Spreng.) Less. (Asteraceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Asteraceae possui cerca de 23.000 espécies e Vernonieae tem sua maior representatividade no Brasil, sendo Vernonia o maior gênero da tribo. Devido à ampla ocorrência nos Cerrados, V. platensis foi selecionada para a realização deste trabalho, que objetiva descrever a morfoanatomia e o desenvolvimento do pericarpo e da semente desta espécie, comparando os resultados com a literatura. O material coletado foi processado segundo técnicas usuais. O ovário é ínfero, bicarpelar, sincárpico, unilocular, com um óvulo anátropo, unitegumentado, tenuinucelado, formado em placentação basal. A parede ovariana é homogênea, com células mais densas perifericamente. O tegumento possui três regiões, destacando-se evidente endotélio. Na maturidade, a maioria das camadas colapsa, mantendo-se as fibras mesocárpicas externas; o pápus duplo persiste formado por células lignificadas. A semente madura apresenta testa restrita a uma faixa de células colapsadas; o endosperma é celular, persistindo residualmente na maturidade, e o embrião exibe eixo hipocótilo-radícula axial, espesso e curto. Em apenas 40% das cipselas maduras analisadas, há sementes completamente desenvolvidas. As observações deste trabalho corroboram pesquisas anteriores com Asteraceae, mas destaca-se o papel nutritivo do tegumento no desenvolvimento seminal e a baixa produção de sementes em V. platensis.<hr/>The Asteraceae comprises approximately 23,000 species and Vernonieae is best represented in Brazil; Vernonia is the largest genus in this tribe. Due to occurrence in extensive areas of Cerrado, Vernonia platensis was selected for this work that aims to describe the morphology, anatomy and development of the pericarp and seed of this species, comparing the results with the literature. The collected material was processed by conventional techniques. The ovary is inferior, bicarpellate, syncarpous, unilocular with a single anatropous ovule, unitegmic, tenuinucelate, attached in a basal placenta. The ovary wall is homogenous with dense cells peripherally. The integument has three zones, with a conspicuous endothelium. At maturity, most layers collapse, only the outer mesocarp fibers remaining; the double pappus persists and has lignified cells. The mature seed has a testa composed of collapsed cells; the endosperm is cellular, residual at maturity, and the embryo has a thick, short, and axial embryo axis. Completely developed seeds were found in only 40% of the mature cypselae evaluated. Our observations corroborate previous research with Asteraceae; we call attention to the nutritive role of the seed coat in seed development, and the low production of seeds in V. platensis. <![CDATA[<B>Volume de água armazenado no tanque de bromélias, em restingas da costa brasileira</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Muitas espécies de bromélias armazenam água da chuva em seu interior, sendo esta característica resultado da distribuição espiralada de suas folhas, que formam pequenos tanques. O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar o volume de água efetivamente armazenado e o volume máximo que pode ser armazenado no tanque de diferentes espécies de bromélias de 13 restingas brasileiras. Em cada restinga, em 100 plots de 100 m² cada, registramos as espécies de bromélias-tanque, os parâmetros morfométricos e o volume efetivo e máximo em 20 indivíduos de cada espécie. Encontramos 32 espécies de bromélias-tanque, para as quais medimos o volume máximo e o volume efetivo de água armazenado. Em 59.007 rosetas, estimamos o volume máximo em 44.388 litros e medimos 17.000 litros de água efetivamente armazenados. Encontramos diferenças interespecíficas nos volumes máximo e efetivamente reservado de água, na biomassa, no número de folhas e no volume do cone da planta. Aechmea aquilega, A. blanchetiana e Hohenbergia castelanosii tiveram os maiores volumes efetivos. Somente A. nudicaulis e Billbergia amoena diferiram entre suas populações em todos os parâmetros analisados. As restingas de Maricá, Prado, Trancoso e Jurubatiba tiveram os maiores volumes de água.ha-1 armazenada nas bromélias-tanque. O volume máximo de água estimado para as bromélias-tanque variou entre espécies devido a diferenças na forma e no tamanho das bromélias.<hr/>Many bromeliad species store rain water in tanks, as a result of the spiraled distribution of their leaves. The aim of this study was to evaluate how much water is stored and what is the maximum volume of water possible to be stored in different tank-bromeliad species in 13 different Brazilian restingas. The species were recorded in 100 plots of 100 m2, in each restinga habitat. For each bromeliad species, the effective and the maximum water stored in the tanks were measured. We found 32 tank-bromeliad species and 59,007 bromeliad rosettes, with a maximum volume estimated in 44,388 liters, and approximately 17,000 liters of effective water stored. We found interspecific difference in effective and maximum volume of water stored. Aechmea aquilega, A. blanchetiana and Hohenbergia castelanosii had the highest effective water volume stored in their tanks. Only A. nudicaulis and Billbergia amoena showed differences among their populations in all analyzed parameters. The restingas of Maricá, Prado, Trancoso and Jurubatiba had the highest volumes.ha-1 of water stored inside bromeliad tanks. The maximum water volume stored in the bromeliad tanks varied among species due to morphological differences in shape and size parameters. <![CDATA[<B>Relação entre as variáveis morfométricas extraídas de dados SRTM (<I>Shuttle Radar Topography Mission</I>) e a vegetação do Parque Nacional de Brasília</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho visa ao estudo da relação entre a distribuição de fitofisionomias do Parque Nacional de Brasília (PNB) e variáveis topográficas, para avaliar o potencial de dados SRTM isoladamente, como complemento aos dados tradicionalmente aplicados no sensoriamento remoto da vegetação. Esta relação foi verificada através de análises discriminantes entre o mapa de vegetação referência do PNB e as seguintes variáveis morfométricas: elevação, declividade, orientação de vertente, curvatura vertical e curvatura horizontal. Tais análises indicaram as classes de vegetação que podem ser separadas com base nas condições topográficas do terreno. As variáveis morfométricas mais importantes na distinção entre os tipos vegetacionais foram a elevação, a declividade e a orientação de vertente. Apesar de os dados morfométricos mostrarem potencial indicativo das classes de vegetação, as análises resultaram em discriminação em um nível aquém do detalhamento temático do mapa referência. Tal desempenho pode ser explicado pela incompatibilidade das escalas de variação exibidas entre os dados morfométricos em relação ao tamanho das unidades de mapeamento da vegetação. Além disso, a variação de tipos de vegetação do cerrado pode ser explicada por uma série de outros fatores além da topografia. Com base nas análises discriminantes das variáveis morfométricas, foi possível o mapeamento experimental da vegetação ao nível de subfisionomias.<hr/>This paper aims to study the relationship between the distribution of vegetation in Brasilia National Park and topographic variables, to evaluate the potential of SRTM data alone, in addition to data traditionally used in remote sensing of vegetation. A map of vegetation of the area was used as a reference and the morphometric variables (elevation, slope, aspect and profile and plane curvatures) were compared to the mapped units. Analyses indicated vegetation types easily discriminated depending on topographic position. The variables elevation, slope and aspect were shown to be the most important for their high discrimination power of the vegetation types. Although morphometric data are recognized as having strong potential for characterizing vegetation, this was not shown in the results, due to the mismatching of variability scales between the two sources of data, where large units tend to exhibit similar distribution patterns of morphometry, and comprise classes with different responses for morphometric constraints. Discriminant analyses of morphometric variables allowed vegetation mapping up to sub-physiognomy levels. <![CDATA[<B>Palinologia de espécies de Nyctaginaceae Juss. ocorrentes nas restingas do estado do Rio de Janeiro, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foram estudadas oito espécies de Nyctaginaceae Juss., com o objetivo de caracterizá-las palinologicamente e, assim, contribuir para a elaboração de um catálogo polínico da flora das restingas do Estado do Rio de Janeiro. As espécies examinadas foram Boerhavia diffusa L., Bougainvillea glabra Choisy, B. spectabilis Willd., Guapira obtusata (Jacq.) Little, G. opposita (Vell.) Reitz, G. pernambucencis (Casar.) Lund., Leucaster caniflorus (Mart.) Choisy e Mirabilis jalapa L. Os grãos de pólen foram acetolisados, mensurados, descritos e fotomicrografados. A análise de microscopia eletrônica de varredura foi utilizada em grãos de pólen não acetolisados, para confirmar as descrições feitas sob microscopia de luz e, em alguns casos para confirmar as descrições de abertura e ornamentação. Constatou-se que os grãos de pólen da espécie B. diffusa L. são grandes, apolares, esferoidais, 12-18-porados, com sexina espiculada; as espécies de Bougainvillea possuem grãos de pólen médios, isopolares, suboblatos, âmbito subtriangular, área polar grande, 3-colpados, sexina reticulada contendo espinhos diminutos sobre o muro e báculos livres no interior dos lumens; em Guapira os grãos de pólen são médios, isopolares, prolato-esferoidais, âmbito subtriangular, área polar grande, 3-colpados, colpos apresentando opérculo, sexina espinhosa em G. obtusata e G. pernambucensis, e microrreticulada em G. opposita; L. caniflorus apresenta grãos de pólen pequenos, isopolares, prolato-esferoidais, âmbito subtriangular, área polar pequena, 3-colpados, sexina reticulada; M. jalapa apresenta grãos de pólen muito grandes, apolares, esferoidais, pantoporados (ca. 32 poros), sexina espinhosa. Pela análise dos resultados obtidos pôde-se concluir que as espécies analisadas apresentam certa heterogeneidade polínica quanto à forma, aos atributos das aberturas e à ornamentação da sexina, podendo-se usar estes caracteres na taxonomia da família.<hr/>In this study eight taxa of Nyctaginaceae Juss. were investigated for palynological characterization and to contribute to the Pollen Catalog of the Flora of the Rio de Janeiro restingas. The taxa analysed were Boerhavia diffusa L., Bougainvillea glabra Choisy, B. spectabilis Willd., Guapira obtusata (Jacq.) Little, G. opposita (Vell.) Reitz, G. pernambucencis (Casar.) Lund., Leucaster caniflorus (Mart.) Choisy and Mirabilis jalapa L. Pollen grains were measured, described and illustrated using light microscopy. Non-acetolysed pollen grains were analyzed using scanning electron microscopy to confirm descriptions of aperture and sexine ornamentation. The pollen grains of Boerhavia are large, apolar, spheroidal, 12-18 porate, sexine spinose; Bougainvillea species have medium-sized pollen grains, isopolar, suboblate, subtriangular ambit, large polar area, 3-colpate, reticulate sexine, muri with spines and lumina with bacula; Guapira species have medium-sized pollen grains, isopolar, prolate spheroidal, subtriangular ambit, large polar area, 3-colpate, colpes with operculum, spinose sexine in G. obtusata and G. pernambucensis, and microreticulated in G. opposita reticulate sexine, except for G. pernambucensis, (granulate sexine); Leucaster caniflorus pollen grains are small, isopolar, prolate spheroidal, subtriangular ambit, small polar area, 3-colpate, reticulate sexine; Mirabilis jalapa has very large pollen grains, apolar, spheroidal, pantoporate (c. 32 pores), sexine spinose. The results show that the pollen of these taxa are rather heterogeneous in shape, aperture attributes and sexine ornamentation which can be used in the taxonomy of the family. <![CDATA[<B>Taxonomia do gênero <I>Euploca</I> Nutt. (Heliotropiaceae) no Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho trata do estudo taxonômico do gênero Euploca (Heliotropiaceae) no Brasil, sendo registradas 17 espécies. É apresentada chave para o reconhecimento, descrições, ilustrações e comentários, além de dados de distribuição, habitat, floração e frutificação para as espécies.<hr/>This work deals with a taxonomic study of the genus Euploca (Heliotropiaceae) in Brazil; seventeen species are recorded. A keyfor identification, descriptions, illustrations and comments, besides distribution, habitat, flowering and fruiting data for the species are presented. <![CDATA[<B>Palinotaxonomia de <I>Passiflora</I> L. subg. <I>Decaloba</I> (DC.) Rchb. (Passifloraceae) no Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foram tratados, palinologicamente, 21 táxons de Passiflora L. subg. Decaloba (DC.) Rchb. (Passifloraceae) ocorrentes no Brasil, com o objetivo de contribuir para a caracterização, circunscrição e delimitação do subgênero, espécies e subespécie. Os grãos de pólen foram acetolisados, medidos, descritos e ilustrados sob microscopia de luz. Grãos de pólen não acetolisados foram usados na microscopia eletrônica de varredura. Os táxons possuem grãos de pólen grandes ou médios, isopolares, prolato-esferoidais, oblato-esferoidais, esferoidais ou subprolatos, 12-colpados, 12-colporados ou 6-colporados, 3 ou 6 mesocolpos, e presença ou ausência de opérculos, pseudopérculos e opérculos secundários, exina microrreticulada em P. truncata e heterorreticulada nas demais espécies. Foi confeccionada uma chave para a identificação das espécies com base nos dados polínicos, mostrando que características polínicas têm grande importância na taxonomia de Passiflora.<hr/>The palynological study of 21 taxa of Passiflora L. subg. Decaloba (DC.) Rchb. (Passifloraceae) in Brazil aimed to contribute to a better characterization, as well as the circumscription and delimitation of the subgenus, species and subspecies. The pollen grains were acetolysed, measured, described and illustrated using light microscopy and scanning electron microscopy. The taxa have large or medium-sized pollen grains, isopolar, prolate spheroidal, oblate spheroidal, spheroidal or suprolate, 12-colpate, 12-colporate or 6-colporate, 3 or 6 mesocolpes, and presence or absence of opercules, pseudopercules and secondary opercules, microreticulate (P. truncata) and heteroreticulate exine in the other species. An identification key with pollen characteristics is presented, showing the importance of pollen characteristics for Passiflora taxonomy. <![CDATA[<B>O gênero <I>Hantzschia</I> Grunow (Nitzschiaceae, Bacillariophyta) em ambientes lacustres na Planície Costeira do Rio Grande do Sul, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O estudo do gênero Hantzschia em amostragens realizadas em lagoas, banhados, canal e açudes na Planície Costeira do Rio Grande do Sul (30°40´-30°10´ S e 50°30´-51°30´ W), no outono e primavera de 2003, revelou a presença de um táxon específico e seis infra-específicos, a saber: Hantzschia amphioxys (Ehrenberg) Grunow, suas variedades (var. amphioxys e var. vivax Grunow) e forma (f. capitata O. Müller), H. elongata (Hatzsch) Grunow com duas variedades (var. elongata e var. linearis O. Müller), H. virgata (Roper) Grun. e Hantzschia sp. São apresentadas descrições, ilustrações, chave de identificação e comentários sobre as variações morfológicas e a distribuição dos táxons. Cabe ressaltar a presença de H. elongata var. linearis e Hantzschia sp. como novos registros para o Estado do Rio Grande do Sul.<hr/>The study of the genus Hantzschia in samples from lakes, wetlands, canals and ponds in the Rio Grande do Sul Coastal Plain (30°40'-30°10' S; 50°30'-50°30' W), during fall and spring of 2003, revealed the presence of one specific and six infra-specific taxa, as follows: Hantzschia amphioxys (Ehrenberg) Grunow, its varieties (var. amphioxys and var. vivax Grunow) and form (f. capitata O. Müller), H. elongata (Hatzsch) Grunow with two varieties (var. elongata and var. linearis O. Müller), H. virgata (Roper) Grunow and Hantzschia sp. Descriptions, illustrations, identification keys and comments on morphological variation and the distribution of the taxa are presented. It is worth mentioning the presence of H. elongata var. linearis and Hantzschia sp. recorded for the first time in the state of Rio Grande do Sul. <![CDATA[<B>Espécies de <I>Parmotrema</I> (Parmeliaceae, Ascomycota) do litoral centro-sul do Estado de São Paulo</B>: <B>II. Grupos químicos norstíctico e salazínico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O levantamento das espécies pertencentes aos gêneros de grandes parmélias do litoral centro-sul do Estado de São Paulo revelou a ocorrência de nove espécies de Parmotrema sensu stricto (talos foliosos de lobos arredondados em geral com mais de 0,5 cm larg. com margens inferiores não rizinadas) contendo como constituintes químicos medulares os ácidos norstíctico ou salazínico. São tipicamente reconhecidos pela cor amarela que se torna avermelhada resultante dos testes de coloração com hidróxido de potássio. São apresentados uma chave de identificação, descrições, comentários e ilustrações, baseados em material brasileiro.<hr/>In a survey of the species pertaining to genera of large parmeliae occurring in the coastal areas of south-central São Paulo state, Brazil, nine species of Parmotrema sensu stricto (foliose thalli with rounded lobes usually more than 0,5 mm wide with nude lower margins) containing norstictic or salazinic acids as main medullar substances were found. These are typically recognized by the yellow then red staining potassium hydroxide spot tests. Identification key, descriptions, comments, and illustrations based on Brazilian material are provided for these species. <![CDATA[<B>Potencial alelopático de folhas e cascas de <I>Esenbeckia leiocarpa</I> Engl. (Rutaceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt We investigated the inhibitory potential of aqueous extracts of bark and leaves of Esenbeckia leiocarpa Engl. on lettuce germination and early seedling growth. We compared the effects of four concentrations (100, 75, 50 and 25%) of each extract to water and polyethylene glycol (PEG 6000) solution controls for four replicates of 50 seeds for germination and four replicates of ten seedlings for seedling growth. The inhibitory effects of E. leiocarpa extracts on the percentage of germination and on the germination speed seemed to be more than simply an osmotic effect, except for the percentage of seeds germinated in bark extracts. When compared to water control, both bark and leaf extracts delayed germination, and leaf extracts also affected the percentage of germinated seeds. Leaf extracts of all concentrations strongly inhibited the development of seedlings and caused them some degree of abnormality; bark extracts also caused abnormalities and reduced seedling growth. Root development was more sensitive to the extracts than hypocotyl growth. The negative effects of leaf extracts on germination and seedling growth were more pronounced than those of bark extracts, and the overall effects of both extracts were positively correlated with extract concentrations.<hr/>Neste trabalho, nós investigamos o potencial inibitório de extratos aquosos de folhas e cascas de Esenbeckia leiocarpa Engl. na germinação e no crescimento inicial de plântulas de alface. Nós comparamos os efeitos de quarto concentrações (100, 75, 50 e 25%) de cada extrato a um controle em água e outro em uma solução de polietilenoglicol (PEG 6000), com quatro repetições de 50 sementes para o experimento de germinação e quatro repetições de 10 plântulas para o experimento de crescimento. Os efeitos inibitórios dos extratos de E. leiocarpa na porcentagem e na velocidade de germinação foram mais do que um efeito do potencial osmótico das soluções, exceto para a porcentagem de sementes germinadas nos extratos de casca. Ambos os extratos causaram atrasos na germinação, sendo que os extratos de folha afetaram também a porcentagem de sementes germinadas. Os extratos de folha, em todas as concentrações, inibiram fortemente o desenvolvimento das plântulas e causaram a todas elas algum grau de anormalidade; os extratos de casca também causaram anormalidades e reduziram o crescimento das plântulas. O desenvolvimento da radícula foi mais sensível à ação dos extratos do que o crescimento do hipocótilo. Os efeitos negativos dos extratos de folhas foram mais pronunciados do que os causados pelos extratos de casca e os efeitos de ambos os extratos foram sempre positivamente correlacionados com sua concentração. <![CDATA[<B>Diversidade de Leguminosae em uma área de savana do estado de Roraima, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Leguminosae é considerada a família mais diversa nas savanas de Roraima, que são as maiores áreas de savana da Amazônia brasileira. Este trabalho tem como objetivos fornecer uma listagem florística e analisar os padrões de distribuição geográfica dos táxons de Leguminosae encontrados em uma área de savana em Boa Vista, Roraima (02º52´07´´N; 60º43´03´´W). Foram registrados 80 táxons distribuídos em 38 gêneros. Seis táxons são novos registros para a flora de Roraima. Os gêneros que apresentaram o maior número de espécies foram Aeschynomene e Chamaecrista, cada um com sete espécies. Leguminosae-Papilionoideae foi a subfamília mais diversa em número de gêneros (24) e de táxons infragenéricos (53). A análise da distribuição geográfica revelou a predominância de táxons com padrão neotropical. A área estudada representa um sítio diverso em táxons de Leguminosae, pois concentra cerca de 87% da diversidade citada para a família nas savanas de Roraima.<hr/>Leguminosae is the most diverse family in the savannas of Roraima, which are the largest savanna areas in the Brazilian Amazon. This paper presents a floristic survey and an analysis of the geographic distribution patterns of Leguminosae taxa in a savanna area at Boa Vista, Roraima (02º52´07´´N; 60º43´03´´W). The survey identified 80 taxa belonging to 38 genera. Six taxa are new records for the flora of Roraima. The best-represented genera were Aeschynomene and Chamaecrista, both with seven species each. Leguminosae-Papilionoideae was the most diverse subfamily based on the number of genera (24) and infrageneric taxa (53). The phytogeographical analysis revealed predominance of taxa with a Neotropical distribution. The savanna site analyzed represents a legume diverse area, because it concentrates 87% of legume diversity referred for the savannas of Roraima. <![CDATA[<B>Propagação <I>In vitro</I> de <I>Heliconia bihai</I> (L.) L. provenientes de embriões zigóticos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Inicialmente os embriões procedentes de frutos imaturos e maduros de Heliconia bihai (L.) L. cv. Lobster Claw Two foram avaliados quanto à morfologia interna. Os embriões maduros foram inoculados em meio MS (1/2MS e MS completo) e GA3 (0, 2,5 e 5,0 mg L-1), utilizando sacarose ou glucose. Posteriormente, as plantas obtidas foram transferidas para meio 1/2MS acrescido de 0 ou 2.5 mg L-1 de BAP e aos 30 e 45 dias após a inoculação, avaliou-se a formação de gemas laterais. Aos 45 dias avaliou-se a variabilidade genética dessas plantas através da análise isoenzimática. Ao avaliar a morfologia interna observou-se que os embriões maduros apresentaram estádios de diferenciação superior aos embriões imaturos. Na fase de conversão do embrião em planta, observou-se que 85% dos embriões inoculados desenvolveram em plantas quando cultivados em meio ½MS com sacarose, contrastando com 41% cultivados no mesmo meio nutritivo acrescido de glucose. Na fase de multiplicação, as plantas cultivadas em meio ½MS acrescido de 2.5 mg L-1 de BAP apresentaram maior formação de gemas laterais. A análise isoenzimática apresentou diferença na intensidade de coloração e migração de algumas bandas. Esse comportamento pode estar associado com a diferença fisiológica relacionada à idade entre a planta mãe e as plantas provenientes do cultivo de embrião in vitro.<hr/>The internal morphology of embryos from immature and mature fruits of Heliconia bihai (L.) L. cv. Lobster Claw Two was examined. Embryos were inoculated into MS media (full MS and ½ MS) and GA3 (0, 2.5 and 5 mg L-1) with either sucrose or glucose. These plantlets were then replicated and transferred to MS medium (full MS or ½ MS) with 0 or 2.5 mg L-1 BAP and their multiplication was evaluated 30 and 45 days after inoculation. The genetic variability of the multiplied plants was estimated using isoenzyme analyses. The internal morphology of the mature embryos revealed their tissues to be in more advanced stages of differentiation than immature embryos. In the conversion phase, 85% of the inoculated embryos developed into plants in the ½ MS medium with sucrose, in contrast to only 41% of the embryos that were cultivated with glucose. In the multiplication phase, plants cultivated in ½ MS medium with 2.5 mg L-1 BAP demonstrated more buds. Isoenzyme analyses showed pattern changes in terms of the color intensity and the migration of some of the bands. These results may be associated with differences in the ages of the mother plants and of the plantlets obtained in vitro. <![CDATA[<B>Musgos Pleurocárpicos da Chapada da Ibiapaba, Ceará, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No inventário florístico dos musgos pleurocárpicos realizado na Chapada da Ibiapaba, localizada na zona norte do estado do Ceará, Brasil, foram encontradas 24 espécies de musgos pleurocárpicos distribuídas em nove famílias e 17 gêneros, sendo nove novos registros para o estado do Ceará, seis para a região Nordeste e Lepidopilum brevifolium Mitt. está sendo citada pela primeira vez para o Brasil. São fornecidos chaves de identificação para as espécies, descrições diagnósticas, distribuição geográfica, comentários referentes à ambiente, substratos e caracteres taxonômicos pertinentes, além de ilustrações para as espécies pouco ilustradas na literatura.<hr/>In the floristic survey carried out on the Ibiapaba Plateau , northern Ceará, Brazil, 24 species of pleurocarpic mosses distributed in nine families and 17 genera were found: of these, nine are new records for Ceará, six for the Northeast region and Lepidopilum brevifolium Mitt. is recorded for the first time from Brazil. Identification keys to the species, diagnostic description, geographic distribution, comments related to the environment, substrate and taxonomic characteristics are supplied. Illustrations are provided only for the less illustrated species in the literature. <![CDATA[<B>Estratégia de crescimento clonal e fenologia de <I>Syngonanthus chrysanthus</I> Ruhland (Eriocaulaceae) nas baixadas entre dunas da Praia da Joaquina, Florianópolis, SC, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Syngonanthus chrysanthus é uma planta que ocorre nos campos da restinga litorânea no sul e sudeste do Brasil. As baixadas entre dunas, heterogêneas no tempo e no espaço, variam quanto à disponibilidade hídrica, ora submetidas a alagamentos, ora a restrições hídricas, o que limita o recrutamento das espécies. Este trabalho avaliou aspectos fenológicos, ciclo de vida, potencial de reprodução sexuada e assexuada de S. chrysanthus como parte das estratégias de história de vida da espécie. Syngonanthus chrysanthus mostrou ser uma planta perene, potencialmente policárpica, com alta capacidade de reprodução vegetativa do tipo falangeal, o que permite seu estabelecimento em microambientes já colonizados. Syngonanthus chrysanthus também evidenciou recrutamento por plântulas e uma elevada produção de sementes que, dispersas ao longo de quase todo o ano, poderiam aumentar as chances de ocupar locais favoráveis ao seu estabelecimento, variáveis espacial e temporalmente nas baixadas entre dunas.<hr/>Syngonanthus chrysanthus occurs on coastal plains in southern and southeastern Brazil. The dune slacks are heterogeneous in time and space and have variable water availability, sometimes flooded, sometimes dry, thus restricting species recruitment. This study examined phenological aspects, life cycle, sexual and asexual reproduction as part of the life history strategy of the species. Syngonanthus chrysanthus is a perennial plant, potentially polycarpic, with high capacity of vegetative reproduction of the phalanx type, which allows it to establish in micro-habitats already colonized. Syngonanthus chrysanthus also evidenced establishment by seedlings and high seed production. The seeds are dispersed over the entire year and may increase the opportunity of the species to grow in suitable habitats in the dune slacks. <![CDATA[<B>Variação temporal do fitoplâncton em três praias urbanas do litoral sul do estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho teve como objetivo efetuar uma análise comparativa da estrutura da comunidade fitoplanctônica, variação da biomassa e dados ambientais, na zona de arrebentação das praias arenosas de Brasília Formosa (8º04'S; 34º52'W), Boa Viagem (8º07'S; 34º53'W) e Piedade (8º10'S; 34º54'W) no litoral pernambucano. Amostras com garrafa e com rede foram coletadas durante o período chuvoso (maio, junho e julho/2005) e de estiagem (novembro, dezembro/2005 e janeiro/2006), simultaneamente com os dados ambientais (temperatura da água e do ar, salinidade, material em suspensão, nitrito, nitrato, fosfato, silicato, precipitação pluviométrica, velocidade e direção do vento). Do total de 119 táxons infragenéricos, as diatomáceas obtiveram maior representatividade, em termos de frequência e abundância, destacando-se Asterionellopsis glacialis (Castracane) Round, Bellerochea malleus (Brightwell) Van Heurck, Dactyliosolen fragilissimus (Bergon) Hasle, Helicotheca tamesis (Shrubsole) Ricard e Licmophora abbreviata Agardh. A. glacialis foi dominante durante o período chuvoso e H. tamesis durante o período de estiagem. Os resultados indicaram que as condições ambientais de cada período sazonal refletiram sobre a composição específica, clorofila a e densidade total, propiciando florescimentos esporádicos (2,3 x 10(6) cél.L-1) no período de estiagem. A morfologia e o hidrodinamismo dos ambientes de praia analisados não favoreceram a formação de manchas por acumulação de microalgas.<hr/>This study aimed to make a comparative analysis of phytoplankton community structure, biomass variation and environmental data in the surf-zone of Brasilia Formosa (8º04'S; 34º52'W), Boa Viagem (8º07'S; 34º53'W) and Piedade (8º10'S; 34º54'W) sandy beaches, on the Pernambuco coast. Bottle and net samples were collected during the rainy season (May, June and July/2005) and the dry season (November, December/2005 and January/2006) with simultaneous environmental data collection (water temperature, salinity, suspended material, nitrite, nitrate, phosphate, silicate, rainfall, wind speed and direction). Among the 119 infrageneric taxa identified, diatoms were the most representative group regarding abundance and frequency, notably Asterionellopsis glacialis (Castracane) Round, Bellerochea malleus (Brightwell) Van Heurck, Dactyliosolen fragilissimus (Bergon) Hasle, Helicotheca tamesis (Shrubsole) Ricard and Licmophora abbreviata Agardh. A. glacialis was dominant in the rainy season while H. tamesis was more numerous in the dry one. Study results indicate that specific composition, chlorophyll a and total density evidenced the seasonal environmental conditions, with occasional blooms (2.3 x 10(6) cells.L-1) in the dry season. Morphology and hydrodynamics were unfavorable to the formation of microalgae patches. <![CDATA[<B>Nova espécie e novo nome em <I>Ocotea</I> Aubl</B><B>. </B><B>(Lauraceae) para o Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Uma nova espécie, Ocotea revolutifolia A. Quinet, e um novo nome, O. mandioccana A. Quinet, baseada em Persea riedelii Meisn., são propostas para o Brasil. São apresentadas descrições, ilustração, comentários sobre relações taxonômicas, status de conservação e distribuição geográfica das espécies.<hr/>A new species, Ocotea revolutifolia A. Quinet, and a new name, O. mandioccana A. Quinet, based on Persea riedelii Meisn., are proposed for Brazil. Descriptions, illustration, conservation status and comments on taxonomic relationships as well as geographic distribution are presented. <![CDATA[<B>Novos registros em <I>Carex</I> L. (Cyperaceae) para o Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Carex brongniartii Kunth está sendo citada pela primeira vez para o Brasil e C. seticulmis Boeck., para o Rio Grande do Sul. São fornecidos dados morfológicos para a identificação das duas espécies, incluindo breves descrições e ilustrações, além de dados de distribuição e habitat.<hr/>Carex brongniartii Kunth is a new record for Brazil and C. seticulmis Boeck. for the state of Rio Grande do Sul, Brazil. Morphological data for the identification of the two species, including short descriptions and illustrations are provided, as well as data on habitat and distribution. <![CDATA[<B>Uma nova espécie de <I>Lippia</I> L. (Verbenaceae) do cerrado brasileiro</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O gênero Lippia L. apresenta uma alta diversidade de espécies nos cerrados brasileiros. Lippia minima (Verbenaceae), endêmica do estado de Goiás, é descrita e ilustrada. Esta espécie é notável pelo hábito reduzido, sistema subterrâneo desenvolvido e folhas coriáceas, revolutas e densamente puberulento-glandulares.<hr/>The genus Lippia L. is highly diversified in Brazilian cerrado. Lippia minima (Verbenaceae), endemic to Goiás state, is described and illustrated. This species is noteworthy for its small habit, xylopodium and coriaceous, revolute, and densely puberulent-glandulose leaves. <![CDATA[<B>Potencial alelopático da parte aérea de <I>Senna occidentalis</I> (L.) Link (Fabaceae, Caesalpinioideae): bioensaios em laboratório</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A bioatividade das frações semipurificadas (hexânica, acetato de etila e etanol-água) do extrato etanólico das partes aérea de S. occidentalis foi avaliada através de ensaios de germinação e de crescimento de Lactuca sativa (alface), Lycopersicon esculentum (tomate), Allium cepa (cebola) e Triticum aestivum (trigo), em laboratório. Foram utilizadas três concentrações (250, 500, 1000 mg L-1) de cada fração e um controle não tratado, com quatro repetições de 50 sementes. Os bioensaios de germinação revelaram que todas as frações atrasaram a germinação de alface, tomate e cebola, e as frações hexânica e acetato de etila reduziram a germinabilidade de tomate e cebola. Nos bioensaios de crescimento, a fração hexânica estimulou o crescimento da raiz e inibiu o crescimento do hipocótilo das eudicotiledôneas. A mesma fração inibiu o crescimento da raiz e do coleóptilo das monocotiledôneas. A fração acetato de etila inibiu o crescimento da raiz das plântulas-alvo e o hipocótilo/coleóptilo de tomate e cebola. A fração etanol-água estimulou o crescimento da raiz de tomate e do hipocótilo de alface e inibiu o crescimento da raiz de cebola e trigo e, também, do coleóptilo de cebola, na concentração de 1000 mg L-1. Nos bioensaios com herbicidas comerciais foram observados efeitos semelhantes àqueles obtidos na germinação pelas frações e no crescimento pelas frações hexânica e acetato de etila. Na cromatografia em camada delgada, foram detectados terpenos na fração hexânica, compostos fenólicos e alcalóides na fração acetato de etila. A análise espectrofotométrica revelou que a fração acetato de etila possui o maior conteúdo de compostos fenólicos e flavonóides.<hr/>The bioactivity of semipurified fractions (hexane, ethyl acetate and ethanol-water) obtained from S. occidentalis aerial-part ethanol extract was evaluated by germination and growth bioassays using Lactuca sativa (lettuce), Lycopersicon esculentum (tomato), Allium cepa (onion) and Triticum aestivum (wheat), in the laboratory. Three concentrations of each fraction (250, 500, 1000 mg L-1) and untreated control were used, on four replicates of 50 seeds each. Germination bioassays revealed that lettuce, tomato and onion germination were delayed by all tested semipurified fractions, and tomato and onion germination were inhibited by the hexane and ethyl acetate fractions. In growth bioassays, the hexane fraction stimulated root growth and inhibited hypocotyl growth in the eudicots. The same fraction inhibited root and coleoptile growth of the assayed monocots. The ethyl acetate fraction inhibited seedling roots and hypocotyl/coleoptile growth, of tomato and onion. The ethanol-water fraction stimulated tomato root growth and lettuce hypocotyl growth, and inhibited onion and wheat root and onion coleoptile development at 1000 mg L-1. Bioassays performed with commercial herbicides presented similar results to those observed in germination to the semipurified fractions in the growth by hexane and ethyl acetate fractions. The layer chromatography revealed that the tested hexane fraction contains terpenes, and the ethyl acetate fraction has phenolic compounds and alkaloids. The spectrophotometric analysis revealed greater yields of phenolic compounds and flavonoids in the ethyl acetate fraction. <![CDATA[<B>Ocorrência e caracterização de galhas entomógenas em uma área de floresta estacional semidecídua em Goiânia, Goiás, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em uma área de floresta estacional semidecídua do Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás foram coletados 34 tipos de galhas entomógenas, durante o período de 2005-2007. As galhas ocorreram em 20 espécies de plantas de 12 famílias, sendo Leguminosae (9), Styracaceae (6) e Ulmaceae (4) as que apresentaram o maior número de morfotipos de galhas. Galhas foliares e caulinares foram as mais comuns. Em relação à morfologia foram coletadas galhas globóides, discóides, elipsóides, cilíndricas e coniformes. A coloração variou entre o verde, amarela, marrom e vermelha. As galhas estavam agrupadas ou isoladas e eram glabras ou pilosas. Os Cecidomyiidae (Diptera) foram os principais cecidógenos e os parasitóides encontrados pertenciam às famílias Eulophidae, Torymidae, Pteromalidae, Encyrtidae (Hymenoptera). Este é o primeiro relato de galhas em quatro espécies de plantas hospedeiras para a região Neotropical.<hr/>In an area of seasonal semideciduous forest situated on Campus Samambaia of the Universidade Federal de Goiás in Goiânia, Goiás 34 types of insect galls were collected during the period 2005-2007. The galls occurred in 20 species of plants from 12 families, with Leguminosae (9), Styracaceae (6) and Ulmaceae (4) having the greatest number of gall morphotypes. Leaf and stem galls were the most widespread. Concerning gall morphology, the following were collected: globoid, discoidal, ellipsoidal, cylindrical and conical. The colour varied from green to yellow, brown and red. The galls were isolated or grouped and glabrous or pilose. The principal inducers were Cecidomyiidae (Diptera) and the parasitoids found were of the families Eulophidae, Torymidae, Pteromalidae, Encyrtidae (Hymenoptera). This is the first report of galls in four species of host plants for the Neotropical region. <![CDATA[<B>Padrões espaciais de dinâmicas da comunidade de arbórea num fragmento pequeno (4 ha) e perturbado podem ser detectados</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100027&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The dynamics of the tree community of a fragment of tropical semideciduous forest was investigated in south-eastern Brazil. Surveys were carried out in 2000 and 2005 in 29 20 × 20 m plots. The main purpose was to assess the possibility of detecting spatial patterns of dynamics that could be related to the heterogeneity of both the environment and disturbance history in a small forest area (4.0 ha). Rates of mortality and recruitment of trees and gain and loss of basal area were obtained for the whole sample, four pre-defined soil habitats, diameter classes and twelve tree populations. The tree community was rather unstable in the period, once mortality rates surpassed recruitment rates and loss rates of basal area surpassed gain rates all-over the area denoting the prevalence of a degradation process, possibly triggered by a clear felling in 1985 that reduced the area of the fragment in 26%. The tree community dynamics showed no spatial autocorrelation but was not evenly distributed throughout the fragment. This spatial heterogeneity was chiefly determined by the disturbance history of each site while environmental heterogeneity played a secondary but significant role. The main causes of disturbance heterogeneity were the extension of the adjacent felled area, cattle trampling and selective logging. The environmental variables that most strongly correlated with the variations of the dynamics rates were those related to the availability of light, water and mineral nutrients. In contrast with the overall trends, three understory species expanded in the period, possibly at the expense of the steeply declining density of mid-sized trees.<hr/>A dinâmica da comunidade arbórea e de doze populações foi investigada em um fragmento de Floresta Semidecídua, com base em inventários conduzidos em 2000 e 2005 em 29 parcelas de 20 × 20 m. O objetivo principal foi verificar se seria possível detectar padrões de dinâmica relacionados à heterogeneidade ambiental de um fragmento florestal de área pequena (4,0 ha). Foram obtidas taxas de mortalidade e recrutamento de árvores e taxas de ganho e perda de área basal para a amostra total, quatro habitats de solo previamente definidos, classes de diâmetro e populações. A comunidade arbórea mostrou-se instável no período, uma vez que as taxas de mortalidade superaram as de recrutamento e as taxas de perda superaram as de ganho em área basal tanto na amostra total como nos habitats de solo. Tais mudanças gerais se relacionaram, possivelmente, a uma fase de degradação do ciclo silvigenético provavelmente desencadeada por um severo episódio de distúrbio ocorrido no passado. A dinâmica da comunidade não foi homogênea em todo o fragmento, diferiu significativamente entre os habitats de solo. As variáveis ambientais que se correlacionaram mais fortemente com a variação das taxas de dinâmica foram aquelas vinculadas à disponibilidade de água, luz e nutrientes minerais. Em contraste com a tendência global, as espécies de subdossel expandiram em densidade no período, provavelmente em resposta ao mesmo evento de distúrbio. <![CDATA[<B>Biologia reprodutiva de <I>Passiflora capsularis</I> L. e <I>P. pohlii</I> Mast. (Decaloba, Passifloraceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100028&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O subgênero Decaloba, ao qual pertencem as espécies de Passiflora L. com flores pequenas, é pouco estudado do ponto de vista reprodutivo, o qual pode contribuir para esclarecimento das relações filogenéticas no gênero Passiflora. O objetivo deste trabalho foi estudar a biologia reprodutiva e a polinização de populações de duas espécies desse subgênero, P. capsularis e P. pohlii, ocorrentes no estado de Minas Gerais. Determinou-se a receptividade do estigma, viabilidade dos grãos de pólen e a concentração do néctar. Foram realizadas polinizações controladas para verificar o sistema reprodutivo. Foram registrados os visitantes florais e a carga polínica. As flores de ambas as espécies abrem à noite; em P. pohlii a antese iniciou-se por volta das 3 h e a senescência ocorreu por volta das 11 h, já em P. capsularis, a abertura se deu no mesmo horário, mas a senescência ocorreu por volta das 14h. A concentração do néctar e viabilidade do pólen foram, respectivamente, 34,88 ± 7,66% e 80 ± 0,15% em P. pohlii e 22,33 ± 5,82% e 92 ± 0,06% em P. capsularis. Passiflora pohlii é alógama e autoincompatível, enquanto que P. capsularis é autógama e autocompatível. Passiflora pohlii teve como polinizadores três espécies de abelhas do gênero Ptiloglossa (Colletidae), enquanto que em P. capsularis os visitantes florais observados foram considerados pilhadores de pólen e néctar. A antese noturna encontrada nas espécies de Passiflora estudadas sugere haver uma relação evolutiva entre espécies de Passiflora subg. Decaloba e himenópteros com hábito noturno, especialmente abelhas do gênero Ptiloglossa.<hr/>The subgenus Decaloba (Passifloraceae) is poorly studied on reproductive aspects, which may help our understanding on phylogenetic relationships in the genus. The purpose of this work was to study the reproductive biology and pollination of Passiflora pohlii and P. capsularis, two species belonging to this subgenus with occurrence in Minas Gerais state. Stigma receptivity, pollen viability and nectar concentration were determined. Controlled pollination experiments were done to assess the breeding system. Floral visitors and pollen load were observed. In both species, the flowers start to open during the night. P. pohlii anthesis begins about 3:00 a.m. and its senescence about 11:00 a.m.; the flowers of P. capsularis opened about 3:00 a.m. and closed about 2:00 p.m. The concentration of the nectar and viability of the pollen had been, respectively, 34.88 ± 7.66% and 80 ± 0.15% in P. pohlii and 22.33 ± 5.82% and 92 ± 0.06% in P. capsularis. Passiflora pohlii was xenogamous and self-incompatible and P. capsularis autogamous and self-compatible. Passiflora pohlii had as pollinators three species of Ptiloglossa (Colletidae) and in P. capsularis all observed visitors were considered nectar and pollen thieves. The nocturnal anthesis showed by studied species of Passiflora suggests an evolutionary relationship among Passiflora subg. Decaloba and hymenoptera, especially Ptiloglossa bees. <![CDATA[<B>Limitações ao uso de espécies florestais nativas pode contribuir com a erosão do conhecimento ecológico tradicional e local de agricultores familiares</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100029&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O conhecimento ecológico tradicional ou local é construído a partir da relação contínua de humanos com o meio ambiente, principalmente pelo uso cotidiano das espécies. O abandono do uso, por sua vez, pode provocar perda desse tipo de conhecimento, o que freqüentemente decorre de mudanças no modo de vida. Neste trabalho buscou-se avaliar o conhecimento e o uso efetivo, atual e passado, de espécies vegetais das Florestas Estacional Decidual e Ombrófila Mista por agricultores familiares da região Oeste de Santa Catarina. Os métodos de coleta e análise de dados basearam-se numa integração de métodos qualitativos e quantitativos em Etnobotânica. Os resultados revelaram que esses agricultores possuem um amplo conhecimento a respeito das espécies florestais nativas da região e seu uso efetivo atual se destina ao autoconsumo nas unidades de produção, destacando-se a dependência do uso como lenha. No entanto, os usos madeireiros têm sido reduzidos nos últimos anos devido, principalmente, a limitações ao acesso legal às espécies florestais nativas. Agricultores com mais de 40 anos citaram uma riqueza maior de espécies, com uma distribuição mais equitativa dela, do que aqueles com menos de 40 anos. Houve também atenuação na correlação entre conhecimento e uso atual de espécies entre os mais jovens. Os dados sugerem que existe um processo gradual de perda das condições de transmissão do conhecimento tradicional local com risco de erosão do conhecimento acumulado.<hr/>Traditional or local ecological knowledge is developed from the continuous relationship between humans and their environment, mainly through the daily use of natural resources. The abandonment of uses, on the other hand, may cause the loss of this kind of knowledge, which frequently occurs due to changes in life style. In this paper, we aimed to evaluate the knowledge and the dynamics of the effective use of native forests in western Santa Catarina state, Brazil. Data collection and analysis were based on the integration of qualitative and quantitative ethnobotanical methods. The results revealed that farmers have comprehensive knowledge of the native forest species of the region and the effective present use of these forest resources is mainly for subsistence, highlighting the dependence of farmers on firewood. However, timber use has declined in recent years due, mainly, to limitations of legal access to native forest species. Farmers older than 40 years cited higher species richness, with a more equitable distribution of species, compared to younger farmers. In addition, attenuation of the correlation between knowledge and present use of species among younger people was noticed. The data suggest the existence of a gradual process of loss of transmission of traditional local knowledge and that there is a risk of erosion of accumulated knowledge. <![CDATA[<B>Morfologia e anatomia de minas foliares em duas espécies de Commelinaceae <I>Commelina diffusa</I> Burm. f. e <I>Floscopa glabrata</I> (Kunth) Hassk)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100030&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt In specialized literature, reports on anatomy of miners in host plants are few in number. These agents trigger excavations, or paths, by consumption of plant inner tissues by larvae of several insects. The aim of this work was to investigate leaf miner occurrence in Commelina diffusa (a cosmopolitan plant) and Floscopa glabrata (an amphibious plant) using anatomical techniques. The place where the plants were collected is subjected to seasonal floods, consequently both the species were exposed to the same weather conditions and seasonal floods. This study showed that members of Agromyzidae and Chironomidae families, which are Diptera endophytophagous larvae types, were responsible for the tunnels. Moreover, in Commelina diffusa Agromyzidae larvae were found, while in Floscopa glabrata three Chironomidae cephalic exuviae were found. The miners, as can be seen from anatomical studies, used only mesophyll parenchyma tissues for feeding, causing the formation of linear mines. In addition, in both the species, the epidermis and the medium-sized vascular units were kept intact, showing no structural modification, such as neoformation of tissues.<hr/>Existem poucos relatos na literatura sobre anatomia de plantas parasitadas por agentes minadores, os quais promovem escavações ou caminhos através do consumo dos tecidos internos das plantas por larvas de diversos insetos. A proposta deste trabalho foi analisar anatomicamente a ocorrência de minas foliares em Commelina diffusa (planta cosmopolita) e Floscopa glabrata (planta anfíbia) causadas por espécies de larvas endofitófagas de dípteros, pertencentes a duas famílias: Agromyzidae e Chironomidae. O local onde as plantas foram coletas está sujeito a inundações sazonais, e as duas espécies foram submetidas às mesmas condições climáticas. Em Commelina diffusa foram encontradas larvas da família Agromyzidae e, em Floscopa glabrata observaram-se três exuvias cefálicas de Chironomidae. Os dados anatômicos revelaram que os minadores se alimentaram apenas dos tecidos parenquimáticos do mesofilo, formando minas lineares. Além disso, notou-se que a epiderme e as unidades vasculares de porte médio foram mantidos intactos em ambas as espécies, não apresentando alterações estruturais, como a neoformação de tecidos. <![CDATA[<B><I>Triphora uniflora</I> A. C. Ferreira, Baptista & Pansarin (Orchidaceae: Triphoreae)</B>: <B>uma nova espécie e primeiro registro do gênero <I>Triphora</I> Nutt. para o estado de São Paulo, Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Triphora uniflora A. C. Ferreira, Baptista & Pansarin uma nova espécie de Orchidaceae, é descrita e ilustrada. Além disso, o gênero Triphora é referido pela primeira vez para o estado de São Paulo. As relações da nova espécie com outros táxons do gênero, bem como a necessidade de conservação do habitat natural dessa espécie de Triphora, são discutidas.<hr/>Triphora uniflora A. C. Ferreira, Baptista & Pansarin, a new species of Orchidaceae, is described and illustrated. Furthermore, this is the first report of the genus Triphora for São Paulo state, Brazil. The relationship of this new species to other taxa of the genus and the need to preserve the natural habitat of this Triphora species are discussed. <![CDATA[<B>Fungos filamentosos isolados da rizosfera de meloeiros (<I>Cucumis melo</I> L. cv. Gold Mine) cultivados em solo com compostos orgânicos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062010000100032&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Rhizosphere soil samples were collected in a semiarid area, in the region of the São Francisco River valley, Petrolina, Pernambuco state, Brazil, to study the diversity of filamentous fungi in a soil cultivated with melon (Cucumis melo L. cv. Gold Mine) and receiving different organic amendments: Treatment 1 (control, without organic compost); T2 (77% coconut fiber, 20% goat manure and 3% K2SO4); T3 (10% Ricinus communis leaves and stems, 50% Pennisetum purpureum leaves and 40% goat manure); T4 (77% coconut fiber, 20% goat manure and 3% termophosphate); T5 (47% Pennisetum purpureum leaves, 50% goat manure and 3% K2SO4); and T6 (57% Pennisetum purpureum leaves, 40% goat manure and 3% termophosphate). Fungal isolation was carried out by the serial dilution technique to 1:1000. The Sorensen index of similarity, frequency and distribution of the fungi were evaluated. Seventy-eight species of filamentous fungi were isolated and identified, plus several Basidiomycota (04) and Mycelia sterilia (02). The predominant genera were Aspergillus and Penicillium, with 15 and 13 species, respectively. A greater number of species was found in the sowing period (49), and in relation to the organic fertilization, treatment 6 provided the greatest species diversity (43 species). Most of the species are saprobes and only a few are considered to be potential pathogens on melon plants, such as Fusarium oxysporum, F. solani and Myrothecium roridum.<hr/>Foram coletadas amostras de solo rizosférico em uma área semiárida, na região do Vale do São Francisco, Petrolina, Pernambuco, Brasil, com o objetivo de conhecer a diversidade dos fungos filamentosos presentes em solo cultivado com melão (Cucumis melo cv. Gold Mine) e adubado com diferentes compostos orgânicos: Tratamento 1 (controle, sem adição de compostos orgânicos); T2 (77% de bagaço de côco, 20% de esterco de caprino e 3% de K2SO4); T3 (10% de torta de mamona, 50% de capim elefante e 40% de esterco de caprino); T4 (77% de bagaço de côco, 20% de esterco de caprino e 3% de termofosfato); T5 (47% de capim elefante, 50% de esterco de caprino e 3% K2SO4); e T6 (57% de capim elefante, 40% de esterco de caprino e 3% de termofosfato). O isolamento dos fungos foi realizado por meio da técnica de diluição em série até 1:1000. Foi aplicado o índice de similaridade de Sorensen, e avaliadas a freqüência e a distribuição dos fungos no solo. Setenta e oito espécies foram isoladas e identificadas, além de representantes de Basidiomycota (04) e Mycelia sterilia (02). Os gêneros predominantes foram Aspergillus e Penicillium, com 15 e 13 espécies, respectivamente. Maior número de espécies foi constatado no período de fundação (49), e em relação à adubação orgânica, o tratamento 6 apresentou a maior diversidade (43 espécies). A maioria das espécies encontradas é sapróbia e somente algumas são consideradas potenciais patógenos à cultura do meloeiro, como Fusarium oxysporum, F. solani e Myrothecium roridum.