Scielo RSS <![CDATA[DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-445020140003&lang=en vol. 30 num. SPE lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Uma palavra inicial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[APRESENTAÇÃO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[On the influence of indigenous languages on Brazilian Portuguese]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300443&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Endangered languages in Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300447&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Garden conversation with Professor Aryon]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300465&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[The creation of the institutional space for linguistics and for the study of indigenous languages in Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300479&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta a situação dos estudos linguísticos em geral e dos estudos das línguas indígenas brasileiras antes da década de 1960, como pano de fundo para o relato da trajetória profissional de Aryon Dall’Igna Rodrigues como formador, pesquisador e criador do espaço institucional desses estudos no Brasil. Examinam-se as principais recomendações de seu relatório ao Simpósio de Cartagena e sua atuação na realização dessas metas, promovendo os primeiros Institutos Brasileiros de Linguística, participando dos Institutos Interamericanos de Linguística e desenvolvendo programas de pós-graduação em três instituições de ensino superior. Destaca-se o seu trabalho como orientador de dissertações e teses na área de línguas indígenas e apresenta-se o inventário das línguas indígenas estudadas até o momento.<hr/>This paper presents the situation of general linguistic studies as well as those of Brazilian indigenous languages before the 1960s, as a background to report the professional trajectory of Aryon Dall’Igna Rodrigues as a mentor, researcher and creator of the institutional space of such studies in Brazil. It examines the main recommendations of his report to the Cartagena Symposium and how he dedicated himself to the accomplishment of those goals, promoting the first Brazilian Linguistic Institutes, participating in the Interamerican Linguistic Institutes and creating graduate programs in three Brazilian higher education institutions. It also highlights his work as dissertation and thesis adviser on indigenous languages, and presents the inventory of indigenous languages studied so far. <![CDATA[Aryon Rodrigues: 70 years dedicated to Linguistics and Indigenous Languages]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300503&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo apresenta fatos da vida do linguista Aryon Dall’Igna Rodrigues (1925-2014), alguns dos quais, pouco conhecidos, e destaca alguns aspectos cruciais da contribuição daquele pesquisador ao desenvolvimento do campo da Linguística no Brasil, e em especial, sua contribuição aos estudos de línguas indígenas e à formação de pesquisadores nessa área. O texto também traz informações sobre a iniciativa tomada por Aryon Rodrigues para a preservação e uso público do seu acervo bibliográfi co e documental.<hr/>The article presents some facts of the linguist Aryon Dall’Igna Rodrigues’ life (1925-2014), some of which, little known, and highlights some key aspects of his contribution to the development of the field of linguistics in Brazil, and in particular his contribution to the study of indigenous languages and the training of researchers in this area. The text also contains information about the initiative taken by Aryon Rodrigues for preservation, and for public usage of his bibliographic and documentary collections. <![CDATA[The historical linguistics of the Indigenous languages of Brazil, by Aryon Dall'Igna Rodrigues: perspectives, theoretical models and findings]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300513&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo destaca da produção do linguista Aryon Dall’Igna Rodrigues um dos temas que mais marcaram a sua contribuição ao estudo científico das línguas indígenas brasileiras, a pré-história das línguas Tupí. Discorreremos sobre alguns dos problemas de análise histórico-comparativa, para os quais Rodrigues desenvolveu soluções, fundamentando diagnósticos de graus de relações genéticas entre línguas, a reconstrução de partes dos sistemas linguísticos de línguas individuais e de conjuntos de línguas e, ainda, contribuindo para o desenvolvimento de modelos analíticos que descrevem a natureza e direções das mudanças ocorridas ao longo da história das línguas; consolidando, no âmbito das línguas nativas do Brasil, a funcionalidade de teorias e métodos de estudo comparativo.<hr/>The present study highlights, from the production of the linguist Aryon Dall’Igna Rodrigues, one of the topics which have marked his main contribution to the scientific study of Brazilian Indigenous languages, the pre-history of Tupian language.We shall deal with some analytic problems for which Rodrigues developed solutions, and we will also focus on the reconstructions of part of linguistic subsystems of individual languages and group of languages, emphasizing Rodrigues ‘contribution to the development of historical analytic models consolidating the functionality of theories and methods, such as the comparative method. <![CDATA[The work of Aryon Rodrigues: An evaluation of its core hypotheses and contributions to Historical Linguistics and the study of Indigenous Languages]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300543&lng=en&nrm=iso&tlng=en Tendo como seu ponto de partida o estado da arte dos estudos de línguas indígenas e de linguística histórica na atualidade e ultrapassando, portanto, as fronteiras de estados nacionais, o presente artigo revisita hipóteses importantes de Aryon Rodrigues, cuja obra é uma das mais constantes – senão uma das maiores - referências nos estudos de linguística e línguas indígenas, deste lado e do outro lado do Atlântico e no contexto deste século e da segunda metade do século precedente. O artigo revisita, entre outras, hipóteses como: a das relações pré-históricas e históricas entre as línguas do tronco Tupi e aquelas da família Karib (hipótese Tupi-Karib; Rodrigues 1985a, 2003b, 2007a); e a do relacionamento genético mais distante envolvendo Tupi, Karib e Macro-Jê (Rodrigues 1990, 2000a e 2007). Ao fazê-lo, busca mostrar caminhos que permitam testar a validade destas e de outras hipóteses, colocando em cena, consequentemente, a questão de seu valor científico e a verificação de seu papel no cenário dos estudos de línguas indígenas e de linguística histórica, sobretudo. Ao mesmo tempo, o artigo lança um olhar sobre os detalhes da argumentação de Rodrigues, da utilização consistente do método que sustenta diferentes trabalhos seus e que lhe permitiu levantar determinadas hipóteses e aperfeiçoá-las, quer com relação à classificação de determinadas línguas, quer com relação a estabelecimento de determinados agrupamentos genéticos e a reconstruções linguísticas, quer ainda com respeito ao fundamento fonético e fonológico de determinadas ideias avançadas – ideias essas que, possuindo consequências para o estudo da mudança linguística, repercutem sobre a própria teoria fonológica, por se caracterizarem por um olhar mais aberto para relações menos familiares (Rodrigues, 1981, 1986a e 2003c). De especial importância para a avaliação detalhada das contribuições de Rodrigues - em suas consequências para a fonologia histórica, por exemplo, e como aplicações paradigmáticas do método histórico comparativo - dá-se atenção ainda ao seu trabalho de classificação interna da família Tupi- Guarani (Rodrigues 1945, 1958, 1978, 1985b) e do estabelecimento de relações e de reconstrução dentro do tronco Tupi (Rodrigues 1966, 1980, 2005, 2007b; Rodrigues, Cabral &amp; Silva 2006; Rodrigues &amp; Dietrich 1997; Hanke, Swadesh &amp; Rodrigues 1958) além das suas contribuições para o estabelecimento de um grupo Macro-Jê (Rodrigues 1986b, 1992, 1999, 2000b). Deste modo, ao tratar das hipóteses de Rodrigues, sua validade, valor e papel no cenário dos estudos de línguas indígenas e de linguística histórica, o artigo busca igualmente contribuir com uma visão em detalhe dos caminhos científicos que Rodrigues percorreu, em sua prática de análise, enquanto cientista da linguagem.<hr/>The present paper proposes an evaluation of some of the most important hypotheses of Aryon Rodrigues, whose work stands to this day among the greatest references in the study of the languages and the linguistics of Native South America, in both sides of the Atlantic, besides spanning six decades of the last century and the first decades of the present one. In doing so, we take as our starting point the state of the art in the studies of historical linguistics and of the South American indigenous languages. Included within the scope of this review are hypotheses such as that of a genetic relation between the Tupí stock and the Karib family ('Tupi-Karib hypothesis'; Rodrigues 1985a, 2003b, 2007a) and the suggestions of an even more inclusive grouping that would cluster the Macro-Jê stock as well, along with Tupí and Karíb, in a single phylum-like group. The scientific import of such hypotheses, and the consequent role they have played in the broader landscape of the studies of indigenous languages, in particular of the historical comparative investigation of these languages, are brought to fore. Our attention here is aimed at the details of the argumentation and the methodological rigor behind each of the proposals put forward by Rodrigues, whether the hypotheses in question relate to the establishment of particular genetic groupings, to the postulation of particular diachronic developments or to the phonetic and phonological underpinning of these patterns. The latter in particular are inherently fraught with consequences for the study of language change and, for this reason, provide a thoroughly original take on some of the major issues in phonological theory (Rodrigues 1981, 1986a, 2003c). Rodrigues' works on the internal classification of the Tupi-Guarani family (Rodrigues 1945, 1958, 1978, 1985b), the reconstruction of proto-Tupi (Rodrigues 1966, 1980, 2005, 2007b; Rodrigues, Cabral &amp; Silva 2006; Rodrigues &amp; Dietrich 1997; Hanke, Swadesh &amp; Rodrigues 1958) and the establishment of a Macro-Jê stock (Rodrigues 1986b, 1992, 1999, 2000b) are given special attention as witnesses to his command, and thoughtful application, of the comparative method. By way of this review of the scientific merit, place and legacy of Rodrigues' hypotheses in the fields of historical and synchronic linguistics of the indigenous languages of South America, we hope to characterize and portray, with some amount of detail and supported by a balanced and enlightened evaluation, his career as a leading language scientist. <![CDATA[Aryon Rodrigues and the Línguas Gerais in the Linguistic historiography]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300571&lng=en&nrm=iso&tlng=en Aryon Rodrigues transita por diferentes áreas do conhecimento. Como linguista descreveu diversas línguas, principalmente da família Tupi, coletou dados em trabalho de campo, investiu na formação de quadros, abriu espaço acadêmico para a pesquisa em línguas indígenas, orientando teses e dissertações. Como historiador dessas línguas, evidencia erudição e conhecimento profundo da documentação específica existente em arquivos nacionais e estrangeiros. Dialogou com a produção acadêmica europeia e hispano-americana, desempenhando um papel de proeminência, como uma referência nesse campo. Este artigo destaca a sua contribuição num tópico pouco estudado no Brasil: as línguas gerais que constituem um capítulo importante da historia social das línguas, por evidenciar a dinâmica de intercâmbios interétnicos com implicações na memória regional e nacional. Foi ele quem situou a questão, trazendo esclarecimentos sobre as duas línguas gerais de base indígena que floresceram em território hoje brasileiro: a Língua Geral Paulista e a Língua Geral Amazônica.<hr/>Aryon Rodrigues delves into different fields of knowledge. As a linguist, he describes several languages, especially those from the Tupi family; he worked on fi eldwork data collection, he committed himself on training staff; he worked to give academic space to the Indian languages research;he supervised works as theses and dissertations. As a historian of these languages, he demonstrated erudition and deep knowledge of the specific documents in the existing national and international fi les. He establishes a dialogue with the European and Latin American academic production, playing a major role as a reference in this field. This paper highlights his contribution on a not very well known topic in Brazil: the línguas gerais that constitute a very important chapter of the social history of the languages because they are the evidence of the interethnic interactive dynamics, with implications in the regional and national memory. He points out this subject, bringing enlightenment on the two native línguas gerais that blossomed on the present Brazilian territories: the Língua Geral Paulista and the Língua Geral Amazônica. <![CDATA[The concept of Brazilian "Língua Geral" in the light of the existing Língua Geral dictionaries]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300591&lng=en&nrm=iso&tlng=en Hoje conhecemos dez dicionários de língua geral amazônica, seis deles não publicados. Em comparação, a língua geral paulista continua pouco documentada. Estudam-se seis dicionários de língua geral amazônica setecentistas, em especial três manuscritos ainda não publicados. Da comparação desses dicionários, resulta a identificação de Anselm Eckart como autor de um e de Anton Meisterburg como possível autor de outro manuscrito. Analisa-se a interdependência de Eckart, Meisterburg e da "Prosodia de Lingua". Descrevem-se mudanças ocorridas na LGA e discutem-se caraterísticas da LGP. Tudo isto serve para rever os problemas téoricos do conceito de "língua geral" proposto por Aryon Rodrigues e problemas da história da sua formação.<hr/>"Língua Geral" ('General Language') was a language of indigenous origin (Tupinambá) spoken by mestizos on the coast of Brazil. Rodrigues' definition of the term and his distinction of Southern and Amazonian "Língua Geral" are discussed in the light of recent linguistic publications and of existing and newly discovered dictionary manuscripts of Amazonian "Língua Geral". The result of the analysis of three of those manuscripts is that Anselm Eckart is the author of one of them and Anton Meisterburg probably the author of another one. Both have a third one (Prosodia de Língua) as one of their main sources. The study is completed by the description of diachronic change in Amazonian "Lingua Geral", as well as by the discussion of some characteristics of the scarcely documented Southern "Língua Geral". <![CDATA[Lingua Geral as a secret code of communication between Jesuits]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300623&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do trabalho é traduzir para o português e contextualizar historicamente um manuscrito na língua geral da Amazônia, que integra o fundo documental de papéis apreendidos do jesuíta alemão Anselm Eckart quando entrou na prisão de Almeida, em Portugal em 1759. O documento foi identificado como uma carta, porém não faz referência a lugares conhecidos nem revela o nome do destinatário ou do remetente. Os nomes de lugares foram citados de forma cifrada. A carta foi escrita em língua geral como código secreto entre jesuítas vindos da Amazônia quando presos no colégio de Braga. Seu conteúdo são acontecimentos imediatos ao dia 3 de novembro de 1759, como a retirada dos jesuítas do colégio de Braga e as dúvidas e temores sobre o destino dos membros da Companhia de Jesus.<hr/>The aim of this article is to provide a translation into Portuguese and the historical context of a manuscript written in Língua Geral of the Amazon, and one of the collection of documents confiscated from the German Jesuit, Anselm Eckart, when he was incarcerated at Almeida in Portugal in 1759. The document was identified as a letter, although it makes no reference to known places, neither does it reveal the name of the sender nor of the receiver. Placenames are referred to in coded form. The letter was written in Língua Geral, which was used as a secret code by the Jesuits from the Amazon, during their imprisonment in the college at Braga. It describes events imediately after November 3rd, 1759, such as the removal of the Jesuits from the college at Braga and their doubts and fears about the future of the members of the Order of Jesus. <![CDATA[Neither you nor I nor he: the relacional morpheme in person hierarchy and differential object marking in Kadiweu]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300645&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em kadiwéu, uma língua Guaikurú, a pessoa do objeto afeta concordância e ordem de constituintes. O verbo deve ser marcado por um morfema relacional se o argumento interno for de primeira ou segunda pessoa, e um morfema de concordância de pessoa ocorre seguindo a hierarquia 1plOBJ&gt;2&gt;1&gt;3 . Além disso, um argumento de primeira ou segunda pessoa deve preceder o verbo (ordem OV, o relacional ocorre), mas um argumento de terceira pessoa segue o verbo (ordem VO, o relacional não ocorre). Este trabalho argumenta que o morfema chamado de relacional é um morfema de concordância. Nesta abordagem, trata-se de um morfema empobrecido que marca concordância com um argumento inerno deslocado. Mais especificamente, este trabalho argumenta que os morfemas de pessoa do kadiwéu são concordância de TP, mas o chamado relacional é concordância de vP revertida para [-autor, -participante]. Este trabalho desenvolve ideias de Rodrigues (1990) sobre neutralização de pessoa.<hr/>In kadiwéu, a Waikurúan language, the person of the object affects agreement as well as constituent order. The verb must be marked by a relational morpheme if the internal argument is first or second person, and a person agreement morpheme appears according to the 1plOBJ&gt;2&gt;1&gt;3 hierarchy. Moreover, first/second person internal arguments must precede the verb (OV order, the relational is marked) but third person internal arguments follow it (VO order, no relational marker). This work presents the claim that the so-called relational morpheme is an agreement morpheme. According to this view, it is an impoverished morpheme that marks agreement with a dislocated internal argument. More specifically, this work claims that kadiwéu person agreement prefixes are TP agreement, whereas the so-called relational is vP agreement reversed to [-author, -participant]. This work develops Rodrigues's (1990) ideas on person neutralization. <![CDATA[The Manifestation of Topic and Focus in Tupi-Guarani Languages]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300659&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo, temos como objetivo identificar e descrever algumas construções envolvendo tópico e foco em duas línguas da família Tupi-Guarani: Asurini do Trocará e Tupinambá. Com base na abordagem cartográfica de Rizzi (1997, 2004) para a periferia esquerda da oração, forneceremos evidências para a manifestação de diferentes tipos de categorias discursivas, como tópico com deslocamento para a esquerda e foco nas construções conhecidas como Indicativo II. Com a fi nalidade de enriquecer o nosso trabalho, resgatamos a análise de Rodrigues (1990) sobre um determinado tipo de foco verifi cado em Tupinambá que apresenta comportamento semelhante ao sistema de obviation encontrado nas línguas algonquinas.<hr/>In this paper, we aim to identify and describe some of the topic and focus constructions found in two Tupi-Guarani languages: Asurini do Trocará and Tupinambá.1 Based on Rizzi’s (1997, 2004) cartographic approach to the left periphery of the clause, we will provide positional evidence for the existence of different types of discourse categories, such as left-dislocated topics and focalized constituents in the so-called Indicative II construction. In order to enrich our work, we will also incorporate Rodrigues’ (1990) analysis of a type of Tupinambá focus which resembles the obviative system found in algonquian languages. <![CDATA[Constructions with the gerund in Kamaiurá]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300685&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em Kamaiurá e outras línguas da família Tupi-Guarani são amplamente usadas construções envolvendo dois ou mais verbos, em que o segundo verbo aparece em uma forma tradicionalmente denominada gerúndio. É uma forma muito produtiva, e ocorre com funções diversificadas. Este trabalho analisa as construções em que um verbo no gerúndio vem concatenado a outro verbo, no nível da sentença, excluindo-se aquelas em que seu uso é condicionado por partículas e por fatores textuais. As construções com o gerúndio e suas funções são descritas e são apresentadas evidências de que embora tenham algumas características em comum com verbos seriais, elas exibem propriedades que levam a questionar tal interpretação.<hr/>In Kamaiurá and in other Tupi-Guaranian languages there are constructions involving two or more verbs in which the second verb appears in a form traditionally called gerund. The gerund constructions are very productive and diverse with different meaning relations and structures. This paper analyzes the constructions in which a verb in gerund appears connected to another verb at the sentence level, excluding those involving particles and textual factors. A description of the constructions is provided as well as evidence that regardless of having some characteristics in common with serial verbs, they exhibit properties that lead us to into question such interpretation. <![CDATA[Onsets and syllable prominence in Umutina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502014000300703&lng=en&nrm=iso&tlng=en In Umutina the distribution of main word stress is sensitive to the sonority degree of vowels within a two-syllable window at the right side of the word, a property which it shares with a number of other languages. What makes Umutina particularly interesting is the fact that low sonorant onsets in the word final syllable impede the retraction of stress to the prefinal syllable, even when the prefinal nucleus is more sonorant than the final one. A constraint analysis is proposed based on the hypothesis that what makes syllables with low sonorant onsets prominent is the sharp sonority rise between a low sonorant onset and the following nucleus.<hr/>No Umutina, a distribuição do acento primário é sensível ao grau de sonoridade das vogais nucleares nas duas últimas sílabas da palavra, sendo essa uma propriedade compartilhada com algumas outras línguas. O que torna o Umutina particularmente interessante é o fato de que a baixa sonoridade dos onsets em sílaba final de palavra impede a retração do acento para a sílaba pré-final, mesmo quando o núcleo pré-final é mais sonorante do que o núcleo final. Uma análise baseada em restrições é proposta com base na hipótese de que o que torna sílabas com onsets de baixa sonoridade proeminentes é precisamente o forte aumento de sonoridade na transição entre o onset de baixa sonoridade e o núcleo seguinte.