Scielo RSS <![CDATA[DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-445020170001&lang=pt vol. 33 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[UMA PALAVRA INICIAL]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Funcionalismo(s) em Linguística: interface(s) entre morfossintaxe, semântica e pragmática na descrição e análise de língua(s)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Modularidade e derivação na Gramática Discursivo-Funcional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT Functional Discourse Grammar (FDG) is a typologically-based theory of language structure which is organized in levels, layers and components. In this paper, I will claim that FDG is modular in Sadock’s sense, as it presents four independent levels of representation with their own linguistic primitives each. For modular grammars, the relation between the different levels (more technically, the nature of the interfaces) is a central issue. It will be shown that FDG is a top-down grammar which follows two basic principles in its dynamic implementation: Depth-first and Maximal depth. Together with external constraints, these principles conspire to create linguistic representations which are psychologically adequate and which allow levels to be circumvented if necessary, thus simplifying representations and creating mismatches among them.<hr/>RESUMO A Gramática Discursivo-Funcional (GDF) é uma teoria tipologicamente fundamentada da estrutura linguística organizada em níveis, camadas e componentes. Neste trabalho, defendo que a GDF é uma teoria modular no sentido proposto por Sadock, uma vez que apresenta quatro níveis independentes de representação, cada qual com seus primitivos linguísticos. Nas gramáticas modulares, a relação entre os diferentes níveis (mais especificamente, a natureza das interfaces) é uma questão central. Assim, pretendo demonstrar que a GDF é uma gramática descendente que segue dois princípios básicos para sua implementação dinâmica: profundidade primeiro e profundidade máxima. Juntamente a restrições externas, esses princípios colaboram para criar representações linguísticas que são psicologicamente adequadas e possibilitam evitar níveis se necessário, simplificando as representações e permitindo seu não alinhamento. <![CDATA[A interface sintaxe, semântica e pragmática no funcionalismo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Esse trabalho dedica-se a traçar um panorama de propostas funcionalistas de diferentes vertentes, a partir da verificação dos princípios funcionalistas que estariam em relevância, nos diferentes casos. Entende-se que por aí pode ficar revelado o caminho que leva ao abrigo diferenciado de determinados temas e de determinados objetos de análise e, muito especialmente, o caminho que leva ao aproveitamento mais efetivo, em cada proposta, de determinadas conexões com outros campos de conhecimento. Como já apontado em Neves, (2011), é muito difícil um estudo global do que vem sendo chamado funcionalismo, especialmente porque as abordagens ditas “funcionalistas” não são, em geral, identificáveis por rótulos teóricos, ligando-se, várias delas, apenas aos nomes dos estudiosos que as desenvolveram. No entanto, apesar dessas reconhecidas diferenças, admite-se a existência de um denominador comum que pode ser rastreado nas diferentes proposições existentes, de tal modo que é possível a caracterização básica do que seja uma teoria funcionalista da linguagem. Nesse sentido, o propósito desse trabalho é apontar as semelhanças e as especificidades da relação entre sintaxe, semântica e pragmática em diferentes propostas atuais do funcionalismo.<hr/>ABSTRACT In this paper, I write from my experience as a researcher on linguistics, grammar and history of grammar, but especially from my role as author of grammar books and dictionaries, each of them based on real language usage. From the start, I declare my theoretical ground on Functionalism, circumscribed here to its most general tenets and presented in a practical exercise of analysis. My intention here is to highlight the pragmatic component for two reasons: firstly, because only recently this component has entered the concern of scholars of language and the authors of grammar textbooks, (ii) secondly, because its theoretical apprehensibility is more complex, since such component offers a higher level of difficulty to reach an explanation that would give it legitimacy beyond a folkloric interest or fad. More than that, I propose, as the background for the following considerations about linguistic usage, the existence of a coupled compositionality of the components that produce language: syntax, semantics and pragmatics. <![CDATA[Relações de herança entre construções e entre frames: desafios da extensão do modelo construcionista para o domínio computacional no âmbito da FrameNet Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100045&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Este trabalho tem por objetivo discutir em que medida práticas analíticas já consagradas pela Linguística Cognitiva podem ser estendidas ao domínio da Linguística Computacional. Em específico, buscamos investigar se as relações de herança entre construções - pareamentos de uma forma evocadora de um frame - modeladas computacionalmente em um Constructicon, podem ser postas em paralelo com aquelas relações estabelecidas entre os frames na base de dados da FrameNet Brasil.<hr/>ABSTRACT This paper aims to discuss to what extent analytical practices that are already a milestone in Cognitive Linguistics can be extended to the realm of Computational Linguistics. Specifically, we aim to investigate whether inheritance relations between constructions - a pairing of a form evoking a frame - which are computationally represented in a Constructicon, may parallel frame-to-frame relations in the FrameNet Brasil database. <![CDATA[Mecanismos utilizados pelos destinatários do discurso para identificação de relações de coerência não sinalizadas por conectores<sup>*</sup>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar outros mecanismos de sinalização das relações retóricas (ou relações de coerência) além de conectores utilizados pelos destinatários do discurso para identificação das relações. A investigação, baseada na Teoria da Estrutura Retórica, foi realizada a partir da apresentação de dez excertos para professores de curso superior para que se pudesse verificar se a relação retórica estabelecida entre as porções textuais que compõem o excerto foi reconhecida. Em sua grande maioria, as relações retóricas foram identificadas pelos informantes. As pistas indicadas pelos informantes foram formais, fonológicas, morfossintáticas, semânticas, textuais e cognitivas.<hr/>ABSTRACT The aim of this paper is to present other means of signaling rhetorical relations (or coherence relations) rather than connectives used by discourse addressees to identify the relations. The investigation, based on Rhetorical Structure Theory, was held by the presentation of ten excerpts to university professors in order to verify if the rhetorical relation held between the texts spans that comprise the excerpt could be identified. Most of the relations were successfully identified by the informants, and the signals used for the identification were formal, phonological, morphosyntactic, semantic, textual and cognitive. <![CDATA[As construções de movimento causado e ditransitiva: elos de polissemia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100109&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Este trabalho compara duas construções de estrutura argumental do Português Brasileiro - as construções de movimento causado e ditransitiva - para investigar seus elos de polissemia, com base em aspectos sintáticos, semânticos e pragmáticos que elas possam compartilhar. Segundo Goldberg (1995), as construções tipicamente se associam a uma família de sentidos distintos mas relacionados, formando uma rede inter-relacionada. Esse parece ser o caso das construções focalizadas aqui. A análise de instâncias reais dessas construções mostrou que elas compartilham o mesmo padrão sintático, embora tenham significados diferentes.<hr/>ABSTRACT This work compares two argument structure constructions in Brazilian Portuguese - the caused-motion construction and the ditransitive construction - in order to investigate their links of polysemy, based on shared syntactic, semantic and pragmatic aspects. According to Goldberg (1995), constructions are typically associated with a family of distinct but related senses, forming an interrelated network. This seems to be the case of the constructions investigated here. The analysis of real instances of these constructions shows that they share the same syntactic pattern, although they differ in meaning. <![CDATA[Formação da construção Xmente]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100133&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O objetivo principal do artigo é o de apresentar uma análise da formação da construção Xmente (como rapidamente e felizmente) no português. Para isso, levamos em conta os pressupostos teóricos da Linguística Centrada no Uso, sobretudo no que concerce ao modelo da construcionalização/mudança construcional, proposto por Traugott e Trousdale (2013), procurando explicar tanto a formação de novos pareamentos simbólicos de forma e função (novos signos em rede na língua) como as mudanças de diferentes ordens que possam ocorrer com as construções já formadas. Para verificarmos o aumento da produtividade e de esquematicidade da construção, analisamos, dentre outros fatores, a frequência de tipos de adjetivos que se combinam com mente, os tipos semânticos de verbos que são modificados pela construção Xmente.<hr/>ABSTRACT The main objective of this paper is to analyze the formation of the construction Xmente (as in rapidamente ‘quickly’ and felizmente ´fortunately´) in Portuguese. For this, we take into account the theoretical assumptions of the Usage-based Linguistics Model, concerning the theory of constructionalization/constructional changes, proposed by Traugott e Trousdale (2013), to explain both the formation of new symbolic pairings of form and meaning, new signs of a network in a language, and the changes of different types that can occur in the constructions already presented in this same language. In order to verify the increase in productivity and in schematicity of the construction, we analyzed, among other factores, the type frequency of the adjectives connected to mente and the semantic of the verbs which are modified by the construction Xmente. <![CDATA[Subtipos evidenciais e sistemas temporais nas línguas nativas do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100159&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The aim of this paper is to illustrate the possibility of interaction between Functional Discourse Grammar and typological studies by examining the relationship between evidentiality and tense in a sample of native languages of Brazil. More specifically, it shows that the nature of the mental process involved in the construction of evidential meaning determines its combination with different dimensions of past, present and future.<hr/>RESUMO Este estudo ilustra a possibilidade de interação entre a Gramática Discursivo-Funcional e os estudos tipológicos, examinando a relação entre evidencialidade e tempo em um conjunto de línguas nativas do Brasil. Mais especificamente, mostra que a natureza do processo mental envolvido na construção do significado evidencial determina a sua combinação com diferentes dimensões do passado, presente e futuro. <![CDATA[“Aí vem eu doidão”: uma abordagem cognitivista para a inversão do sujeito no Português Brasileiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100187&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Este artigo apresenta uma proposta de tratamento cognitivista para o fenômeno da inversão do sujeito no português brasileiro (PB). À luz de desenvolvimentos recentes da Teoria dos Espaços Mentais (Sanders, Sanders and Sweetser 2009, 2012; Ferrari e Sweetser 2012), e com base na análise de dados reais de entrevistas e conversação espontânea, argumentamos que a inversão do sujeito está associada, no PB, à habilidade cognitiva de deslocamento do ponto de vista. Especificamente, sugere-se que as estruturas SV e VS evocam redes distintas de espaços mentais: a primeira instrui o ouvinte a posicionar o Ponto de Vista no Centro Dêitico da Comunicação, ao passo que a segunda sinaliza o deslocamento do Ponto de Vista para o Domínio do Conteúdo.<hr/>ABSTRACT This paper develops a cognitive linguistics approach to non-canonical VS order in spoken Brazilian Portuguese (BP). Based on recent developments of Mental Spaces Theory (Sanders, Sanders and Sweetser 2009, 2012; Ferrari and Sweetser 2012), and drawing on attested linguistic data from oral interviews and spontaneous conversation, the research provides evidence that BP subject inversion is a viewpoint shift phenomenon. It is argued that SV and VS structures evoke different mental space networks: the former instructs the hearer to set Viewpoint in the Deictic Centre of Communication, whereas the latter signals Viewpoint shift to the Content Domain. <![CDATA[Dêixis, espaços mentais e categorização: o caso dos pronomes we e you em inglês]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100219&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Este trabalho baseia-se no referencial teórico da Linguística Cognitiva, adotando a Teoria dos Espaços Mentais (Fauconnier 1994, 1997, Fauconnier e Turner 2002), assim como as propostas cognitivistas de análise da dêixis de Rubba (1996) e Marmaridou (2000). O objetivo do trabalho é investigar os diferentes usos dos pronomes pessoais we (1ª pessoa do plural) e you (2ª pessoa do singular/plural) em inglês, em termos de graus de prototipicidade. Demonstra-se que os usos prototípicos desses pronomes, ancorados no Modelo Cognitivo Idealizado da dêixis, permitem a construção de usos não prototípicos, a partir de processos de mesclagem conceptual.<hr/>ABSTRACT This article uses a Cognitive Linguistics approach to meaning construction, based on Mental Spaces Theory (Fauconnier 1994, 1997, Fauconnier and Turner 2002). Drawing on cognitive proposals to the analysis of deixis by Rubba (1996) and Marmaridou (2000), our objective is to investigate the diverse uses of the personal pronouns “we” and “you” in English. We demonstrate that the prototypical uses of these pronouns, based on the Idealized Cognitive Model of deixis, permit the construction of non-prototypical uses through processes of blending. <![CDATA[Alinhamento e estratégias de relativização]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100243&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O objetivo deste trabalho é examinar a hipótese de que a seleção entre as diferentes estratégias de relativização disponíveis na gramática do português é motivada por um grau maior ou menor de transparência entre forma e conteúdo, o que implica, correlativamente, grau maior ou menor de facilidade no processamento cognitivo. Além disso, os diferentes graus de transparência permitem postular uma ordenação hierárquica das estratégias em correspondência a diferentes graus de facilidade no processamento cognitivo. Essa hipótese tem como base o princípio postulado por Comrie (1989), segundo o qual se uma língua dispõe de uma estratégia mais explícita e de uma estratégia menos explícita para a construção de relativas, o tipo mais explícito seria empregado para relativizar as posições mais baixas e o tipo menos explícito, para relativizar as posições mais altas. Um conceito que tem muita afinidade com esse princípio é o de alinhamento, postulado por Hengeveld e Mackenzie (2008) para representar o modo como unidades pragmáticas e semânticas não hierarquicamente relacionadas se projetam sobre as unidades morfossintáticas e fonológicas; em outros termos, como o processo de codificação reflete as motivações do processo de formulação.<hr/>ABSTRACT This paper aims at examining the hypothesis that the choice among the different strategies of relativization available in Portuguese grammar is motivated by a lesser or greater degree of transparency between form and meaning correlating with a lesser or greater degree of ease in cognitive processing. In addition, the different degrees of transparency allow the postulation of a hierarchical ordering of the strategies in correspondence with different degrees of ease in cognitive processing. This hypothesis is based on the principle postulated by Comrie (1989), which states that if a language has a more explicit relativization strategy and a less explicit one, the more explicit type would be used to relativize the lower positions on a scale of grammatical relations and the less explicit type would be used to relativize the highest ones. A concept that fits well to this principle is alignment, postulated by Hengeveld and Mackenzie (2008) to represent the way pragmatic and semantic units, which are not hierarchically related, map onto morphossyntactic and phonological units; in other terms, the way the encoding process reflect the motivations of the formulation process. <![CDATA[Estratégias discursivas por meio de orações adverbiais introduzidas por como e se no português]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100267&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Norteado pelo modelo teórico da Gramática Discursivo-Funcional (Hengeveld &amp; Mackenzie 2008), este estudo trata de orações introduzidas por como e se que, embora apresentem a forma de uma subordinada adverbial, não dependem formalmente de uma oração principal. Para isso toma como universo de investigação o Córpus Projeto Português Falado - Variedades Geográficas e Sociais. A investigação mostra que essas construções são usadas no monitoramento da interação, para reativar, na memória do interlocutor, informações dadas no discurso (construções com como), e salvaguardar a face do Falante, como estratégia de preservação de face (construções com se).<hr/>ABSTRACT In the view of the theoretical model of Functional Discourse Grammar (Hengeveld &amp; Mackenzie 2008), this study is about clauses introduced by “como”(as) and “se”(if) that present the form of an adverbial subordinated clause although they do not formally depend from a main clause. The universe of investigation is the Corpus of Spoken Portuguese Project- Social and Geographic Varieties. The investigation shows that these constructions are used in the monitoring of the interaction, to reactivate, in the memory of the interlocutor, given information from the discourse (constructions with “como”(as) and to save the face of the Speaker, as a strategy of face preservation (constructions with “se”(if). <![CDATA[A condicionalidade como zona conceitual]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502017000100291&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Neste trabalho avaliam-se diferentes padrões de construções condicionais no português a partir dos parâmetros de condicionalidade. O objetivo principal é mostrar como a categoria está internamente organizada não apenas em termos de um núcleo prototípico, mas mostrando como os exemplares mais periféricos se relacionam a ele. As bases teóricas deste trabalho assentam-se sobre concepções funcional-cognitivistas, nos termos de Bybee (2010) e Dancygier (1998), especialmente considerando a relativa instabilidade da gramática e a fluidez da categoria. As reflexões principais apontam a condicionalidade como uma categoria bastante complexa que serve de/como abrigo de múltiplas construções.<hr/>ABSTRACT This paper offers a wide-range discussion about conditional construction in Portuguese. Based on the parameters of the conditionality basic meaning, the discussion shows how this category is organized not only in terms of its prototypical nucleus but also how it relates to non-prototypical members. The assumptions made here are based on functionalist and cognitivist principles following Bybee (2010) and Dancygier (1998). The analysis suggests that conditionality may be conceived as a complex category that covers forvery different patterns of constructions.