Scielo RSS <![CDATA[DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-445020030001&lang=en vol. 19 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Some notes on phonological phrasing in Brazilian Portuguese</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en In this paper, we argue that phonological phrasing in Brazilian Portuguese is determined by the interaction of right-alignment of syntactic and phonological phrases (Selkirk 1986) and a eurythmic factor of Uniformity (Ghini 1993), which prefers p-phrases of equal prosodic length. The Uniformity requirement shows some unexpected properties. It is not tied to a preferred length of p-phrases, and it appears to be restricted to p-phrases overlapping with the subject and the verb of the clause.<hr/>Neste artigo, argumentamos que a formação de sintagmas fonológicos no português brasileiro é determinado pela interação de uma restrição de alinhamento à direita entre sintagmas fonológicos e sintáticos (Selkirk 1986) e de um fator eurítmico de Uniformidade (Ghini 1993), o qual prefere sintagmas fonológicos de tamanhos prosódicos idênticos. O princípio de uniformidade apresenta algumas propriedades não esperadas, uma vez que não é restrito a um tamanho ideal de sintagmas fornológicos, e parece estar restrito aos sintagmas fonológicos que equivalem ao sujeito e ao verbo de uma dada sentença. <![CDATA[<B>Manipulation, countermanipulation and persuasion in the presidential discourse</B>: <B>circumstantial or ever present mechanisms?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho procede a uma análise dos processos de persuação, manipulação e contramanipulação presentes em um pronunciamento presidencial<A NAME="top1"></A><A HREF="#back1">1</A>. Objetiva compreender como os enunciadores do discurso organizam o mesmo no sentido de obter a adesão do enunciatário (sociedade brasileira). Do ponto de vista metodológico, são analisadas as embreagens e debreagens espaço-temporais, a criação de objetos de valor e anti-sujeitos, mecanismos empregados pelo enunciador para estabelecer um contrato com o enunciatário. Oposição e governo são investidos de valores como prejuízo à nação e entendimento nacional. Este estudo pretende fornecer alguns parâmetros para comparação entre discursos de mesma natureza.<hr/>This study makes an analysis of persuasion, manipulation and countermanipulation processes present in a presidential speech. It aims at understanding how the discourse enunciators organise the discourse in order to obtain the enunciatee's acceptance (the Brazilian society). From a methodological point of view, we analysed space- and time-shiftings in and out, the creation of value objects and anti-subjects, and mechanisms used by the enunciator to establish a contract with the enunciatee. Opposition and government are invested with values as loss to the nation and national understanding. This study intends to offer some parameters that can be used to establish comparisons between similar discourses. <![CDATA[<b>Communication vehicle and genre</b>: <b>conflicting notions</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Muitos fenômenos textuais que se parecem com gêneros (como as revistas e os jornais) são entendidos comumente como veículos de comunicação. Tomando este tema como um ponto de partida, o presente artigo examina as noções de gênero textual e veículo de comunicação para tentar determinar como ambas têm sido aproximadas no plano teórico. Nesse percurso reflexivo, são levantados elementos para a reavaliação das perspectivas comunicativa e enunciativa a respeito dos gêneros.<hr/>Some textual phenomena that resemble genres (like magazines and newspapers) are commonly conceived as communication vehicles. Taking this subject as a departing point, this article examines the notions of genre and communication vehicles in order to try to determine how both have been approximated at the theoretical level. Following this line of thought, some elements are taken for the re-evaluation of the communicative and enunciative perspectives about genres. <![CDATA[<B>In defense of the middle voice category in Portuguese</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A voz média representa uma categoria flexional das línguas clássicas indo-européias com a função de expressar estados de coisas que afetam o sujeito do verbo ou seus interesses. O português dispõe de um conjunto de predicados, formalmente identificados pelo uso anafórico e não-correferencial do pronome 'se', em que se sustenta a noção de diátese medial. Este trabalho pretende fornecer evidências formais, semânticas e tipológicas para postular uma distinção entre construções médias e reflexivo-recíprocas.<hr/>Middle voice represents an inflexional category of classical Indo-European languages with the function of expressing states of affairs which affect the subject of the verb or its interests. In Portuguese there is a set of predicates, formally identified by an anaphorical but non-coreferential use of the pronoun 'se', which supports the notion of middle diathesis. This paper aims at providing formal, semantic and typological evidences in order to postulate a distinction between middle and reflexive-reciprocal constructions. <![CDATA[<B>Réflexions méthodologiques sur l'autoconfrontation croisée</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en We have studied and developed a methodological procedure, named cruised auto confrontation, in order to analyze work situations, with the purpose of recovering the process of production, through the understanding of the activity purpose itself. The principles of the Bakhtinian dialogism and the Vigotskyan development psychology were applied to understand linguistic interventions in professional activities. The five subsequent parts of the method help the analyst orientate his work in order to develop an action towards the subject, which is confronted with himself and with others in the activity. The method succeeded in shedding light on the relation between real activity and represented activity, taking into account speech genders and activity gender.<hr/>Estudamos e desenvolvemos uma metodologia de análise de situações de trabalho chamada autoconfrontação cruzada, buscando compreender o processo de produção do sentido na atividade. Mobilizamos o principio bakhtiniano do dialogismo e vigotskiano do desenvolvimento psicológico para compreender a intervenções de lingüistas em atividades profissionais. As cinco fases do método ajudam o analista a guiar o próprio trabalho e possibilitam o desenvolvimento do poder de agir do sujeito confrontado à sua atividade com os outros. A autoconfrontação expõe as relações entre o real vivido e a representação da atividade apontando para as relações entre gênero da atividade e do discurso. <![CDATA[<B>A discoursive approach of foreign language classroom as a place of work</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Cet article est centré sur l'analyse des discours de la classe de langue étrangère dans une situation particulière: l'enseignement du français comme langue professionnelle. Notre but sera de dégager des marques énonciatives qui contribuent à cerner la nature du travail réalisé en classe à travers la construction collective d'un texte entreprise par les acteurs de la scène didactique, enseignant et apprenants. Pour ce faire, nous interrogeons ces discours de la classe sous une triple optique: tout d'abord, l'opposion qui se vérifie entre travail collectif X travail individuel; ensuite, la double fonction exercée par le langage dans un tel contexte, à savoir langage en tant que travail X langage sur le travail; finalement, la distance qui se creuse entre travail prescrit X travail réel.<hr/>This paper focuses the analysis of speech in foreign language classroom in a particular situation: the teaching of French as a professional language. Our purpose will be to explore enunciative marks that contribute to determine the nature of the work carried out in classroom throughout the collective construction of a text which is built by the actors of the didactic scene, the teacher and the students. In order to achieve our goal, we will interrogate these discourses from a triple point of view: first of all, the opposition between collective work and individual work in classroom; afterwards, the double function of language - language as work and language about work - in such a context; finally, the distance verified between prescribed work and real work in classroom.<hr/>O presente artigo centra-se na análise dos discursos da aula de língua estrangeira em uma situação particular: o ensino da língua francesa como língua profissional. Nosso objetivo consistirá em depreender marcas enunciativas por intermédio das quais se inscreve a natureza do trabalho realizado em sala de aula, tendo em vista a construção coletiva de um texto cuja autoria é responsabilidade dos atores da cena didática, professor e alunos. Para tal, interrogamos esses discursos da sala de aula sob uma tríplice ótica: em primeiro lugar, a oposição que se verifica entre trabalho coletivo e trabalho individual; a seguir, a dupla função exercida pela linguagem no referido contexto, a saber, a linguagem enquanto trabalho e a linguagem sobre o trabalho; finalmente, a distância que se verifica entre o trabalho prescrito e o trabalho real da sala de aula. <![CDATA[<B>Anaphora resolution without world knowledge</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Savage Girls and Wild Boys. A History of Feral Children]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Os Falantes como Lingüistas. Tradición, Innovación e Interferencias no Galego Atual]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Introdução à Sociolingüística: o tratamento da variação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Professores e Formadores em Mudança. Relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Estudos Enunciativos no Brasil - Histórias e Perspectivas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[Tradução de humor: transcriando piadas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural. <![CDATA[A Glossary of Sociolinguistics]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000100014&lng=en&nrm=iso&tlng=en A typical problem in the resolution of pronominal anaphora is the presence of more than one candidate for the antecedent of the pronoun. Considering two English sentences like (1) "People buy expensive cars because they offer more status" and (2) "People buy expensive cars because they want more status" we can see that the two NPs "people" and "expensive cars", from a purely syntactic perspective, are both legitimate candidates as antecedents for the pronoun "they". This problem has been traditionally solved by using world knowledge (e.g. schema theory), where, through an internal representation of the world, we "know" that cars "offer" status and people "want" status. The assumption in this paper is that the use of world knowledge does not explain how the disambiguation process works and alternative explanations should be explored. Using a knowledge poor approach (explicit information from the text rather than implicit world knowledge) the study investigates to what extent syntactic and semantic constraints can be used to resolve anaphora. For this purpose, 1,400 examples of the word "they" were randomly selected from a corpus of 10,000,000 words of expository text in English. Antecedent candidates for each case were then analyzed and classified in terms of their syntactic functions in the sentence (subject, object, etc.) and semantic features (+ human, + animate, etc.). It was found that syntactic constraints resolved 85% of the cases. When combined with semantic constraints the resolution rate rose to 98%. The implications of the findings for Natural Language Processing are discussed.<hr/>Um problema típico na resolução da anáfora pronominal é a presença de mais de um candidato para antecedente do pronome. Considerando duas frases como (1) "As pessoas compram casas de luxo porque elas oferecem status" e (2) "As pessoas compram casas de luxo porque elas querem status", podemos perceber que os dois SNs "pessoas" e "casas de luxo", de uma perspectiva estritamente sintática, são ambos candidatos legítimos para antecedente do pronome "elas". Este problema tem sido tradicionalmente resolvido pelo uso do conhecimento de mundo (Teoria de Esquemas, por exemplo), onde, através de uma representação interna do mundo, "sabemos" que casas "dão" status e que as pessoas "querem" status. O pressuposto neste trabalho é de que o uso do conhecimento de mundo não explica como o processo desambiguador funciona e explicações alternativas precisam ser exploradas. Usando uma abordagem pobre em conhecimento de mundo (informação explícita do texto em vez de conhecimento de mundo implícito) este estudo procura investigar até que ponto restrições sintáticas e semânticas podem ser usadas para resolver a anáfora. Para isso, 1.400 exemplos da palavra "they" foram aleatoriamente selecionados de um corpus de 10.000.000 de palavras de texto expositivo em língua inglesa. Os candidatos a antecedente em cada caso foram analisados e classificados de acordo com sua função sintática (sujeito, objeto, etc.) e seus traços semânticos (+ humano, + animado, etc.). Os resultados mostraram que as restrições sintáticas resolveram 85% dos casos. Quando essas restrições foram combinadas com as restrições semânticas, o percentual de resolução aumentou para 98%. Discutem-se, finalmente, as implicações desses resultados para o Processamento da Língua Natural.