Scielo RSS <![CDATA[DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-445020120001&lang=en vol. 28 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Estimation of stops' spectral place cues using multitaper techniques</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study focuses on the spectral characteristics of the European Portuguese stops /p, b, t, d, k, g/ produced by six native speakers. We analysed the spectral peaks and troughs by means of multitaper spectra and performed a parameterisation of the stop spectra using slope and moment measures. In comparison to traditional spectral estimations, multitaper is more exact and, more importantly, not limited to a stationary signal length necessary for the analysis window. Therefore, it is well-suited for the rather short duration of the burst of a stop. Results show that the burst characteristics vary with place of articulation. While the global spectral frequencies match the data in classical literature, it is shown that other spectral measures in our data do not follow the typical classical spectral patterns. It is discussed whether these differences are due to the use of different methodology, or substantial cross-linguistic differences in the spectral characteristics.<hr/>Este estudo analisa as caraterísticas espetrais das oclusivas /p, b, t, d, k, g/ do Português Europeu produzidas por seis informantes nativos. Procedeu-se à análise dos picos e dos vales espetrais (espetros multitaper) e à parametrização das caraterísticas espetrais através da análise dos declives dos espetros e do cálculo dos momentos de distribuição. Comparativamente às análises espetrais tradicionais, a análise multitaper permite um maior controlo da variância associada a este tipo de sinais fazendo uso de apenas uma curta janela, o que se adequa às caraterísticas do burst das oclusivas. Os resultados mostram que as caraterísticas do burst variam de acordo com o ponto de articulação. As frequências espetrais obtidas correspondem aos resultados publicados na literatura clássica. No entanto, verifica-se que outras medidas espetrais, no presente estudo, não estão de acordo com os padrões espetrais clássicos. É discutido se estas diferenças se devem ao uso de diferentes metodologias, ou a diferenças substanciais nas caraterísticas espetrais das diferentes línguas. <![CDATA[<b>From text genres to grammar</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A hipótese central que a presente proposta se propõe desenvolver é a de que as relações entre gramática e texto não se podem resumir a uma mera aplicabilidade de fenómenos gramaticais previamente descritos, a serem revistos no nível de análise superior à frase que seria o texto. Embora este processo permaneça necessário, pode-se desenvolver simultaneamente um outro tipo de abordagem - assumindo os textos como formas comunicativas globais, associadas a atividades sociais e dependentes de normas de género. A questão que se coloca, neste caso, é a de saber o que revelam os textos sobre a gramática. Procuraremos assim, neste trabalho, a propósito de um exemplo concreto, confrontar duas representações de linguagem: a descrita por linguistas e gramáticos, e a que se dá a ver no texto, em função de requisitos comunicativos específicos.<hr/>This paper aims at developing the hypothesis that the relationship between grammar and text should not be reduced to a matter of mere application. In this sense, grammatical phenomena, previously described, would be simply reconsidered at textual level, as the higher level of linguistic analysis. Although this process remains probably necessary, a different point of view must be simultaneously developed. Arguing for a concept of text as a communicative action necessarily embedded in a context of a specific social activity, the point will be to understand what texts can reveal about grammar. More precisely, we will be dealing with a grammatical representation of language (as it is described by grammarians and linguists) and the way the language appears in texts, according to communicative social requests. <![CDATA[<b>On ethos and discourse analysis (DA)</b>: <b>theoretical overview, criticism and terminology</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo, busca-se abordar questões relativas ao ethos na Análise do Discurso (AD), seja no sentido das "imagens de si" que o comunicante se constrói no presente de sua enunciação, seja enquanto as imagens partilhadas desse mesmo orador, pré-existentes a tal acontecimento discursivo. A partir de um rápido percurso conceitual, reflete-se criticamente sobre essas duas dimensões teóricas do ethos e sobre as terminologias usadas para designá-las nas práticas de análise discursiva, a saber, as etiquetas "ethos pré-discursivo" e "ethos discursivo". Como se verá, prefere-se, aqui, por serem menos imprecisas, as expressões "ethos pré-corpus" e "ethos presente". Além disso, outras duas questões são abordadas: a inter-relação das provas retóricas e a possibilidade de se estender o ethos às "imagens de outrem" construídas pelo discurso.<hr/>The objective of this paper is to address questions relating to ethos in Discourse Analysis (DA), whether in the sense of "images of self" that the communicator constructs in the present of the enunciation, or regarding shared images of this same orator, pre-existing the discursive event. Based on a quick conceptual pathway, there is a critical reflection on the two theoretical dimensions of ethos and on the terminology used to designate them in discursive analysis practices, namely, the tags "pre-discursive ethos" and "discursive ethos". As will be seen, the expressions "pre-corpus ethos" and "present ethos" are preferred, as they are less imprecise. As well as this, another two questions are addressed: the interrelation of rhetorical tests and the possibility of extending ethos to the "images of others" constructed by the discourse. <![CDATA[<b>Critical literacy in the english language classroom</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper reports the experience of developing teaching materials for public school teachers and students in southern Brazil in a project funded by the Education Department of Paraná State. The materials were intended as resources to be used by teachers according to their needs and those of their local communities, rather than as a textbook per se. The theory underlying this project is based on critical literacy and the idea that language is discourse, i.e. embedded in cultural and ideological values which determine its meaning and establish power relations among texts, among readers and among texts and their readers - Freirean "readers of the wor(l)d". Student-readers are, in this sense, co-constructors of meanings and responsible for making sense of reality. We expect students and teachers who use the materials we designed to become more aware of their possibilities as agents and this way we intend to foster a sense of active citizenship.<hr/>Este artigo relata uma experiência de desenvolvimento de materiais didáticos para alunos de escolas públicas no sul do Brasil, em um projeto financiado pela SEED - Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Os materiais foram pensados como recursos a serem utilizados pelos professores de acordo com suas necessidades locais, ao invés de constituírem-se simplesmente em um livro didático. A teoria subjacente ao projeto está baseada no letramento crítico e na concepção da língua como discurso, ou seja, uma língua repleta de valores culturais e ideológicos, os quais determinam significados e estabelecem relações de poder entre textos, entre leitores e entre textos e seus leitores, em sintonia com o conceito freiriano de palavramundo - "wor(l)d". Os alunos leitores são, nesse sentido, coprodutores de significados e responsáveis por dar sentido à realidade. Esperamos que alunos e professores, que venham a utilizar os materiais que elaboramos, se tornem mais cientes de suas possibilidades como agentes e, desse modo, pretendemos estimular um sentido de cidadania ativa tanto em alunos quanto em professores. <![CDATA[<b>Performativity and the claims of scientificity of modern linguistics</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper discusses the claim of the situatedness of research in both theoretical and applied linguistics and some of its implications and argues that it is linked to the performativity of all assertions, including scientific ones. More importantly, I argue that it is the regressive infinity of performativity that makes inevitable the passage from presumably 'dispassionate' research to militancy.<hr/>Este trabalho discute a tese da 'situacionalidade' da pesquisa em linguística, quer teórica, quer aplicada, e algumas das suas implicações. E sustenta que ela está ligada à performatividade de todas as asserções, inclusive as asserções científicas. De forma mais importante, argumento que é a regressão infinita da performatividade que torna inevitável a passagem da pesquisa presumivelmente 'não influenciada por emoções' à militância. <![CDATA[<b>Appraisal, engagement and valuation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir do arcabouço teórico da Linguística Sistêmico-Funcional (LSF), este texto é uma réplica ao texto de Souza (2011), em que são discutidos aspectos sobre o conceito de instanciação, assim como a tradução de alguns termos do sistema de avaliatividade (Martin & White, 2005) para a língua portuguesa presentes no texto de Vian Jr (2009). O objetivo aqui é (1) reforçar os argumentos apresentados em Vian Jr (2009) para os termos avaliatividade, engajamento e valoração como correspondentes a appraisal, engagement e valuation por um lado e, por outro, (2) apontar para as incoerências no texto de Souza (2011), bem como suas posturas em relação à teoria.<hr/>Within the Systemic Functional Linguistics (SFL) framework, this text is a reply to Souza (2011), and the aspects discussed by the author on the concept of instantiation as well as the translation of some terms of the Appraisal system (Martin & White, 2005) into Portuguese as suggested by Vian Jr (2009). The aim is to (1) strengthen the arguments presented in Vian Jr (2009) for the terms avaliatividade, engajamento and valoração as the corresponding translations for appraisal, engagement and valuation on the one hand and, on the other, (2) point to the inconsistencies in Souza's text (2011), as well as her positions regarding the theory. <![CDATA[<b>"Manual de Linguística"</b>: <b>homonymous or polysemy in the history?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>Construções do Português do Brasil</b>: <b>da gramática ao discurso</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>Linguística Aplicada e sociedade</b>: <b>ensino e aprendizagem de línguas no contexto brasileiro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>A geração superficial</b>: <b>o que a internet está fazendo com os nossos cérebros</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>Pequena Gramática do Português Brasileiro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>Pragmatics for language educators</b>: <b>a sociolinguistic perspective</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer. <![CDATA[<b>O BlackBerry de Hamlet</b>: <b>filosofia prática para viver bem na era digital</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502012000100013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A partir de princípios teórico-metodológicos da Historiografia da Linguística (com utilização de categorias como programas de investigação, grupos de especialidade e argumento da influência), apresenta-se uma análise de dois momentos da produção brasileira em linguística, tomando como objeto dois manuais publicados com o mesmo título (Manual de Linguística) em 1979 e 2009. O artigo procura apontar continuidades (vistas como fenômeno polissêmico) e descontinuidades (vistas como fenômeno homonímico) na validação de saberes em um intervalo de trinta anos de estudos e ensino de linguística no Brasil, verificando em que medida há semelhanças ou distinções entre dois livros que se apresentaram com a mesma designação. Em consequência das análises, o texto evidencia que a interpretação historiográfica pode ser resultante do ponto de vista adotado pelo historiógrafo.<hr/>From theoretical and methodological principles of the Historiography of Linguistics (with the use of categories such as research programs, theory groups and the argument of influence), this paper presents an analysis of two moments of Brazilian production in linguistics, taking as its object, two handbooks published with the same title (Manual de linguística) in 1979 and 2009. The article tries to point out continuities (seen as polysemic phenomenon) and discontinuities (seen as a homonymic phenomenon) in the validation of knowledge in an interval of thirty years of study and teaching of linguistics in Brazil, checking to what extent there are similarities and contrasts between the two books with the same name. As a result of the analysis, the text shows that the historiographic interpretation might result from the viewpoint adopted by the historiographer.