Scielo RSS <![CDATA[Sociedade e Estado]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-699220180002&lang=en vol. 33 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A sociologia em seus distintos contextos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200329&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Sociology and its Interfaces with local, national and global contexts]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200337&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O artigo destaca que, ao lado da presença da sociologia no interior de diversas sociedades nacionais, nas últimas décadas ocorreu a constituição de um espaço transnacional de produção da sociologia. O surgimento deste espaço transnacional de sociologia apresenta uma estrutura de poder assimétrica, em função da distribuição desigual de recursos materiais e simbólicos entre os diferentes países. Salienta a relevância da utilização de uma sociologia reflexiva, que preconiza uma constante reflexão sobre as condições históricas, sociais, institucionais e acadêmicas que se encontram presentes na produção do conhecimento sociológico, capaz de elucidar as complexas relações existentes entre este novo espaço transnacional da disciplina e as diversas sociologias nacionais.<hr/>ABSTRACT The article emphasizes that, in addition to the presence of sociology within different national societies, in the last decades the creation of a transnational space for the production of sociology took place. The emergence of this transnational space of sociology presents an asymmetric power structure, due to the unequal distribution of material and symbolic resources between countries. It underlines the importance of using a reflexive sociology, which calls for a constant reflection on the historical, social, institutional and academic conditions that are present in the production of sociological knowledge, able to elucidate the complex relationship between this new transnational space of discipline and the various national sociologies. <![CDATA[Between national and international: the historical emergence of sociology as a field]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200349&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O trabalho centra a atenção no desenvolvimento histórico da sociologia enquanto campo passível de ser analisado com as ferramentas da sociologia histórica. Num primeiro momento, o trabalho destaca o processo histórico de nacionalização da pesquisa e da capacitação da sociologia, procurando transcender o nacionalismo metodológico, uma vez que estuda os acontecimentos nacionais como se ocorressem endogenamente, sem a interferência de fatores internacionais. Num segundo momento, o texto destaca o processo de internacionalização da sociologia, que se intensificou no período pós-guerra, quando se observou a existência de uma estrutura de relações de poder acadêmico existente entre as diferentes sociologias nacionais, em função de condições materiais e simbólicas existentes no âmbito dos diferentes países.<hr/>Abstract Abstract: The paper focuses attention on the historical development of sociology as a field that can be analyzed using the tools of historical sociology. First, the work highlights the historical process of nationalization of research and training in sociology, in an attempt to transcend methodological nationalism. This is accomplished by studying national events as if they occurred endogenously, without the interference of international factors. Next, the text highlights the process of internationalization of sociology that intensified in the post-war period, in which the existence of a structure of academic power relations between the sociologies of different nations is seen, due to the material and symbolic conditions within the different countries. <![CDATA[Challenges of globalization and the cosmopolitan imagination: the implications of the Anthropocene]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200373&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O trabalho destaca que o conceito de Antropoceno refere-se a uma dimensão temporal no tempo geológico: é a época em que os seres humanos provocaram uma grande transformação na estrutura física da Terra. Trata-se de uma forma de autocompreensão histórica. Representa, assim, uma grande transformação na natureza geofísica do sistema Terra que coincide com a transformação mundial provocada pelo capitalismo e pela ocidentalização. O Antropoceno está inextricavelmente relacionado a questões sociológicas que dizem respeito ao capitalismo, à guerra, ao poder e à desigualdade em escala global. O texto destaca que a noção de Antropoceno não é simplesmente uma condição objetiva da mudança planetária, ou outro termo para a mudança climática, mas é, acima de tudo, uma categoria interpretativa pela qual as sociedades contemporâneas refletem sobre si mesmas e sobre a própria vida e reinventam seu espaço e tempo.<hr/>Abstract The work emphasizes that the concept of Anthropocene refers to a temporal dimension within geological time: the era when human beings brought about a great transformation in the Earth's physical structure. It is a form of historical self-understanding that represents a great transformation in the Earth system's geophysical nature, coeval with the worldwide transformation caused by capitalism and westernization. The Anthropocene is inextricably bound up with sociological questions concerning capitalism, war, power, and inequality on a global scale. The text draws attention to the fact that the notion of Anthropocene does not simply refer to climate change, but is above all an interpretative category, by means of which contemporary societies may reflect on themselves and on life itself, and reinvent their space and time. <![CDATA[Key elements of a theory of world society]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200389&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Esse artigo oferece uma visão geral dos insights necessários para se construir uma teoria da sociedade mundial. A seção 1 define o conceito de sociedade e busca identificar tipos diferentes de sociedade que podem ser observados na história dos sistemas sociais humanos; 2 conecta o argumento sobre a sequência de tipos de sociedade com uma reconstrução dos padrões de povoamento da Terra por grupos de humanos; e 3 apresenta um conceito geral de evolução sociocultural como o processo básico de formação das sociedades. O artigo então muda seu foco para a formação da sociedade mundial moderna como a forma contemporânea da sociedade (séculos XVIII ao XXI) e 4 define os principais aspectos da complexidade do sistema mundial e o nexo com a diferenciação funcional; 5 identifica as revoluções inclusivas que ocorrem desde o século XVIII como pontos de partida dos sistemas de função global como a economia, a educação, a ciência e as instituições políticas, e 6 explica a inter-relação dos sistemas de função a outras autoestruturas (Eigenstructures) emergentes da sociedade mundial (as redes globais, organizações globais, comunidades epistêmicas e sistemas de interação global); finalmente, 7 debruça-se sobre mecanismos básicos da globalização - a saber, comunicação, migração, observação e conhecimento.<hr/>Abstract The paper gives an overview of the most important insights one needs to construct a theory of world society. The paper 1 defines the concept of society and tries to find out how many different types of society are to be observed in the history of human social systems, 2 connects the argument about the sequence of types of society with a reconstruction of the patterns of the settlement of the earth by groups of humans and 3 resumes these arguments by presenting a general concept of sociocultural evolution as the basic process of the formation of societies. The paper then switches its focus to a reconstruction of modern world society as the contemporary form of society (18th-21st Centuries) and 4 defines the main aspects of the complexity of the world system and the nexus to functional differentiation, 5 identifies the inclusion revolutions since the 18th century as the starting point of global function systems such as the economy, education, science and polity, and 6 explains the interrelation of function systems and the other emerging Eigenstructures of world society (global networks, global organizations, epistemic communities, global interaction systems) and finally 7 works out the basic mechanisms of globalization - namely communication, migration, observation and knowledge. <![CDATA[Breakthrough and consequences of global modernity]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200407&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este trabalho propõe o conceito de modernidade global a partir da observação de dados mundiais. O conceito busca oferecer uma perspectiva integrativa que considera múltiplas dimensões da vida, a partir de no mínimo quatro dimensões inter-relacionadas: indivíduo, cultura, organismo e sistemas sociais. Por meio de uma perspectiva histórica da economia, e questões como a redução da pobreza, a ascensão da cidade, a educação formal, a ciência e a academia, dentre outros diversos campos, constrói-se o debate sobre o conceito, ilustrado pelo desenvolvimento moderno e sua velocidade. Ao comparar as mudanças ocorridas em décadas recentes aos séculos anteriores, o texto sugere que a modernidade global pode ser considerada a ferramenta sociológica utilizada para elucidar a rapidez em que essas mudanças ocorrem, bem como suas dimensões e consequências; o que termina por ilustrar o contexto da sociedade mundial.<hr/>Abstract This work puts forward the concept of global modernity starting from the observation of worldwide data. This concept seeks to provide an integrative perspective that takes multiple dimensions of life into consideration, on the basis of at least four interrelated dimensions: the individual, culture, the organism and social systems. The discussion of the concept is elaborated through a historical perspective on economy, as well as the examination of issues such as poverty reduction, the rise of the city, formal education, science and academia, among a variety of other fields, and illustrated by modern development and its speed. Comparing the changes that have occurred in recent decades to previous centuries, the text suggests that global modernity can be considered a sociological tool used to explicate the speed at which these changes occur, as well as their dimensions and consequences - thereby illustrating the context of global society. <![CDATA[Social sciences and representations: a study of representative phenomena and social processes, from local to global]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200423&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O objetivo deste artigo é examinar a contribuição que uma abordagem desenvolvida na psicologia social - o estudo das representações sociais - pode trazer às ciências sociais. Como ponto de partida, a reflexão se apoia na constatação do novo interesse desenvolvido nas ciências sociais pelas relações entre o saber ordinário e o saber erudito, a inscrição social dos processos cognitivos, a importância da noção de “comum”, as necessidades de reconfigurar as relações entre disciplinas e considerar a complexidade dos fenômenos abordados. Um exame do tratamento da noção de representação social e/ou coletiva na história das ciências sociais - notadamente na antropologia, na história e na sociologia - recai sobre as reconhecidas propriedades dos fenômenos representativos e sobre seus papéis na vida social. Os eixos de problematização de seu estudo são apresentados em um quadro que resume o espaço de pesquisa que os concerne. Depois de discutir as críticas científicas e políticas dirigidas ao “representacionalismo”, um esquema que coloca fenômenos representativos na interseção de três esferas de pertencimento - subjetiva, intersubjetiva e trans-subjetiva - e permite mostrar a pertinência do estudo das representações sociais em um espaço globalizado. Essa pertinência é ilustrada pelo exemplo de trabalhos relativos aos efeitos dos vetores da globalização sobre identidades sociais locais, e pelas posições adotadas pelos pesquisadores latino-americanos em face da importação de modelos emprestados dos círculos dominantes do Primeiro Mundo.<hr/>Abstract The purpose of this article is to examine the potential contribution that the study of representations - an approach developed in the field of social psychology - can bring to the social sciences. At the outset, the discussion is based on the observation of the social sciences' emerging interest in the relation between ordinary and scholarly knowledge, the social inscription of cognitive processes, the importance of the notion of "common", the need to reconfigure the relationship among disciplines, and that of considering the complexity of phenomena when addressing them. The examination of the notion of social and/or collective representation within the history of the social sciences, notably in Anthropology, History and Sociology, falls on the recognized properties of representative phenomena and on their roles in social life. The lines of problematization of this study are presented in a table summarizing the research space that concerns them. After discussing the scientific and political critiques of 'representationalism', a scheme that places representative phenomena at the intersection of three spheres: subjective, intersubjective, and transsubjective allows us to show the pertinence of the study of social representations in a globalized space. This pertinence is illustrated by works dealing with the effects of globalization vectors on local social identities, and by the positions adopted by Latin American researchers regarding the importation of models borrowed from the dominant circles of the first world. <![CDATA[Garfinkel’s studies in ethnomethodology: exploring the moral foundations of modern public life]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200443&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A Editora Vozes publicou uma tradução em português da nova segunda edição de Estudos de etnometodologia. Para comemorar essa realização, falarei hoje a respeito da importância desse livro, da obra de Garfinkel em geral, em termos teóricos, metodológicos e políticos. Argumentarei que Garfinkel se dedicou ao projeto durkheimiano de fazer com que a sociologia se tornasse singularmente adequada para o estudo da modernidade, e que isso explica muitas das incompreensões sofridas por esta obra. Quero também anunciar as atividades do Arquivo Garfinkel (Garfinkel Archive), do qual sou hoje diretora e executora intelectual. Há materiais no arquivo que deverão se tornar o foco de importantes teses de pós-graduação e livros. O trabalho com esses arquivos vem sendo apoiado pelo governo alemão por meio de um centro na Universidade de Siegen, na Alemanha, denominado Mídia da Cooperação. O argumento de Garfinkel, assim como o de Durkheim, modifica o território epistemológico da ciência social e, com ele, o território teórico da argumentação social. Ele reorienta o domínio dos objetos, fazendo com que eles deixem de ser objetos naturais para se tornarem objetos sociais; vem como o domínio das práticas sociais relevantes, que deixam de ser normas, regras tradicionais e consensos, para se tornarem práticas constitutivas. Em razão da magnitude dessa reorientação, a etnometodologia só pode ser entendida por pessoas que já tenham uma compreensão teórica do que ela envolve. De outra forma, surgiriam contradições, o que de fato já aconteceu. A consequência do argumento de Garfinkel para entender a política democrática moderna é que quaisquer desigualdades ou exclusões que impeçam as pessoas de estar em condições de cumprir as condições de reciprocidade de uma interação (suas famosas “condições de confiabilidade”) são uma ameaça à coerência, ao significado e à identidade da vida pública democrática moderna.<hr/>Abstract Editora Vozes has published a Portuguese translation of the new second edition of Studies in ethnomethodology. To celebrate that achievement I will talk about the importance of that book and of Garfinkel’s work more generally; in theoretical, methodological and political terms. I will argue that Garfinkel took up Durkheim’s project to make Sociology uniquely suited to the study of modernity and that this explains much of the misunderstanding of his work. I also want to announce the existence of Garfinkel’s Archive of which I am the Director and Intellectual Executor. There are materials in the Archive that should become the focus of important graduate theses and books. Work on the archive is being supported by the German government through a center at Siegen University in Germany called Media of Cooperation. Garfinkel’s argument - like Durkheim’s - changes the epistemological terrain of social science, and hence the theoretical terrain of social argumentation. It shifts the domain of objects from natural to social objects - and the relevant social practices from norms, traditional rules and consensus - to constitutive practices. Because of the enormity of this shift, Ethnomethodology can only be understood by those with a theoretical grasp of what is involved. Otherwise, contradictions follow: as they have. The consequence of Garfinkel’s argument for understanding modern democratic politics is that any inequalities or exclusions that prevent people from being able to fulfill reciprocity conditions in interaction (his famous “Trust Conditions”) are a threat to coherence, meaning, and identity in modern democratic public life. <![CDATA[The theory of new individualism]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200465&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Neste artigo busco atingir dois objetivos principais: primeiro, examinar e reiterar a teoria de um “novo individualismo” que detalhei em escritos recentes de teoria social. Afirmo que hoje presenciamos as condições e consequências de um novo individualismo que varre o mundo e que se evidencia especialmente na nova economia financista das indústrias de mídia e comunicação. Então pergunto: como a teoria do novo individualismo difere de outros pontos de vista influentes na teoria social recente? Para os propósitos deste artigo, os pontos conceituais de comparação com a teoria do novo individualismo serão (a) a teoria das “tecnologias do eu”, conforme elaborada por Michel Foucault e vários neofoucaultianos; e (b) a noção de “individualização reflexiva” delineada por Anthony Giddens. Em segundo lugar, discutirei ramificações sociológicas mais amplas da nova tese sobre o individualismo. O novo individualismo, argumentarei, não se refere meramente a indivíduos ou a suas disposições psicológicas; em vez disso, penetra até o cerne do núcleo da cultura e da vida institucional. Novo individualismo é, portanto, uma espécie de taquigrama para vários processos que moldam, e que são moldados, pelas transformações sociais globais. Os principais condutores institucionais do novo individualismo sobre os quais vou dissertar são (a) reinvenção contínua, (b) mudança instantânea, (c) velocidade e (d) o curto prazo, ou episodicidade. Concluo tecendo considerações sobre as prováveis consequências sociológicas futuras do viver-se a vida na via expressa do novo individualismo.<hr/>Abstract In this paper I seek to accomplish two main objectives. Firstly, to review and reiterate the theory of a ‘new individualism’ which I have detailed in recent writings in social theory. My argument is that we witness today the conditions and consequences of a new individualism sweeping the globe, especially evident in the new economy of high finance, media and technology industries. I then want to ask how the theory of new individualism differs from other influential standpoints in recent social theory. For my purposes in this chapter, the conceptual points of comparison with the theory of new individualism will be (a) the theory of ‘technologies of the self’ as elaborated by Michel Foucault and various neo-Foucauldians; and (b) the notion of ‘reflexive individualization’ outlined by Anthony Giddens. Secondly, I will discuss the wider sociological ramifications of the new individualist thesis. New individualism, I shall argue, is not merely about individuals or their psychological dispositions; rather it penetrates to the very core of core of culture and institutional life. New individualism is thus a kind of shorthand for the variety of modalities shaping, and shaped by, global social transformations. The key institutional drivers of new individualism which I shall elaborate are (a) continual reinvention, (b) instant change, (c) speed and (d) short-termism or episodicity. I conclude the chapter with a consideration of the likely future sociological consequences of live lived in the new individualist fast lane. <![CDATA[The new Jihadist actors]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200487&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O jihadismo trouxe novos atores para o cenário mundial, particularmente no Ocidente. Estes novos atores estão surgindo em quase todo o mundo, exceto no subcontinente latino-americano, em alguns países pequenos e no Japão. Com a fundação do Estado Islâmico, a multiplicação de atores jihadistas aconteceu de maneira quantitativa e qualitativa: começou com algumas centenas e já passam de cinco mil na Europa, ampliando ainda a faixa etária dos recrutados. Em uma amostra de 1.200 indivíduos - que, entre 2012 e 2015, partiram de países ocidentais para a Síria e o Iraque -, observou-se que 14% deles tinham menos de 18 anos, 27% entre 18 e 21 anos, 26% entre 22 e 25 anos, 17% entre 26 e 29, 9% entre 30 e 35 e 7% 36 anos ou mais. Se classificarmos como “jovens” o grupo etário dos 14 aos 25 anos de idade, eles representam 67% do total, mais de dois terços.<hr/>Abstract Jihadism brought new actors to the world stage and particularly to the West. These new actors are emerging almost everywhere in the world, except on the Latin American subcontinent, in several small countries, and in Japan. With the arrival of the IE (Islamic State), the multiplication of jihadist actors took place in a quantitative and qualitative way: it started with a few hundred and has already surpassed five thousand in Europe, encompassing new age groups as well. In a sample of 1,200 individuals who moved from Western countries to Syria and Iraq between 2012 and 2015, 14% are under the age of 18, 27% are between 18 and 21, 26% are between 22 and 25, 17% between 26 and 29, 9% between 30 and 35 and 7% are 36 years-old or above. If we classify as "youth" the age group from 14 to 25 years of age, they represent 67%, or more than two-thirds of the total. <![CDATA[Post-colonialism vs. post-authoritarianism: the Arab world and Latin America in a comparative perspective]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200511&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Neste artigo, o autor desafia uma corrente tendência de culpabilização dos intelectuais árabes por não acompanharem os levantes populares árabes, orientando seus públicos e movimentos sociais. Em direção contrária, o autor apresenta o intenso debate ocorrido sobre o tema na academia e nas mídias de massa, indicando que o que houve foi na verdade o fracasso das escolas de pensamento de acadêmicos da esquerda pós-colonial e anti-imperialista. Apresenta, em consequência, como a interseção entre as ciências sociais e os estudos pós-coloniais não se dá sem problemas, principalmente quando se tenta projetar tais estudos sobre o contexto árabe. Sugere então que a abordagem pós-colonial deveria ser complementada por uma abordagem pós-autoritária, que poderia servir tanto ao mundo árabe quanto à América Latina.<hr/>Abstract In this article, the author challenges a current trend of blaming Arab intellectuals for the failure to accompany the Arab uprisings and guide their publics and their social movements. The author challenges this tendency and argues that there has been intense debate on the subject in academia and the mass media, and indicates that what occurred was, in fact, the failure of the schools of thought of post-colonial and anti-imperialist leftist scholars. He consequently shows how the intersection between the social sciences and post-colonial studies is not without friction, especially when trying to project such studies on the Arab context. He suggests that the post-colonial trend should be complemented by a post-authoritarian approach, which could serve both the Arab and Latin American worlds. <![CDATA[Sociology and social sciences in times of austerity]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200529&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este artigo tem por objetivo demonstrar a importância da sociologia para a análise das políticas de austeridade em tempos de crises políticas e sociais. Tomando como base a Europa nos anos 2000, mostra-se que as políticas de austeridade fiscal são um objeto científico complexo que deve ser analisado do ponto de vista sociológico e não somente econômico. Lebaron analisa a austeridade como uma crença econômica e como um discurso performativo, mostrando que as representações econômicas - das mais teóricas às mais práticas - desempenham um papel crucial na construção e reprodução da ordem social. São essas representações econômicas que estruturaram as instituições e crenças coletivas nos países europeus principalmente a partir dos anos de 1970 e 1980, período de expansão do neoliberalismo e da financerização. O autor apresenta em seguida os mecanismos e atores da austeridade: os Estados europeus (eurocracias); as instituições e os agentes individuais nesse campo. Em um terceiro ponto, Lebaron critica a noção de “austeridade expansionista” e mostra como o capitalismo financeiro tem tomado cada vez mais o controle de nossas sociedades. Por fim, Lebaron analisa os efeitos sociais da austeridade fiscal com base na ideia de “dinâmica complexa do bem-estar”. O autor defende a importância de que sejam criados modelos alternativos que considerem a multidimensionalidade do bem-estar em nossas sociedades.<hr/>Abstract This paper aims to demonstrate the importance of sociology for the analysis of austerity policies in times of political and social crises. Referencing the situation in Europe in the 2000s, it is shown that fiscal austerity policies are a complex scientific object that must be analyzed from a sociological rather than a purely economic point of view. Lebaron analyzes austerity as economic belief and performative discourse, showing that economic representations - from the most theoretical to the most practical - play a crucial role in the construction and reproduction of social order. These economic representations have structured institutions and collective beliefs in European countries, especially since the 1970s and 1980s, a period of expansion for neoliberalism and financialization. He then presents the mechanisms of, and participants involved in austerity: the European states (eurocracies), the institutions and the individual agents in this field. In a third instance, Lebaron criticizes the notion of "expansionary austerity" and shows how financial capitalism has increasingly taken control of our societies. Finally, Lebaron analyzes the social effects of fiscal austerity, based on the idea of the “complex dynamics of well-being". The author argues for the importance of creating alternative models that take into consideration the multidimensionality of well-being in our societies. <![CDATA[The global and the local in sociological research]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200541&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este trabalho apresenta reflexão sobre como a investigação sociológica articula a construção de objetos teóricos globais e o estudo de fenômenos locais visando a explicações de uma realidade que se torna cada vez mais complexa com a globalização das estruturas, das relações e dos processos sociais. Vislumbro aqui abordagens que considerem que, por mais que a realidade nos seja mais imediatamente apreensível na esfera local das relações, é nas macroforças que encontramos a explicação dessa mesma realidade. Essa hipótese não descuida da noção de que, por mais que teorias possam ser construídas em termos globais, é localmente que elas se deparam com a realidade que se propõem a explicar. A essas abordagens podem servir ao menos dois meios de investigação: o estudo de caso estendido, que nos chama a observar fenômenos locais com vistas a reconstruir teorias globais; e o estudo sociológico de biografia, cujo objetivo é similar ao do primeiro método, porém, tendo como caso o indivíduo em sua existência social.<hr/>Abstract This paper reflects on how sociological investigation articulates the construction of global theoretical objects and the study of local phenomena to develop explanations of a reality that has become increasingly complex with the globalization of social structures, relations and processes. I envision here approaches that consider that, although reality is more immediately apprehensible to us at the micro level of relations, it is in the social macroforces that we can find the explanation of this reality. This hypothesis does not dismiss the notion that, although theories can be constructed in global terms, it is locally that they confront the reality that they propose to explain. These approaches can profit from at least two means of investigation: the extended case method, which calls us to observe local phenomena to reconstruct global theories; and the sociological study of biography, whose objective is similar to that of the first method, although the cases used are individuals in their social existence. <![CDATA[Suicide in contemporary Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200565&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Como um grave problema de saúde pública, não é recente o interesse das organizações internacionais pela problemática da mortalidade por suicídio, tanto nos distintos grupos etários como nos segmentos socioeconômicos. A sociologia, desde suas origens, oferece explicações a respeito dos determinantes estruturais desse fenômeno. As estatísticas oficiais indicam que o Brasil é o oitavo país com o maior número de suicídios no mundo, todavia, existem poucos estudos que se dedicam a tratar do assunto, ainda que o suicídio tenha elevada prevalência em muitas sociedades contemporâneas. Partindo dessa lacuna na literatura, este artigo apresenta os padrões das mortes por suicídios no Brasil entre os anos de 1980 a 2010, usando informações do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM/DataSUS), do Ministério da Saúde. Ao tomar como unidade de análise os municípios brasileiros, análises exploratórias e econométricas foram usadas a fim de verificar o efeito de elementos de integração social sobre as taxas de suicídios. Adicionalmente, investigou-se como o espaço é uma variável relevante para o estudo desse fenômeno, indicando para duas grandes regiões de conglomerados espaciais no Brasil. Os resultados apontam uma possível associação entre fatores de baixa integração social e maior taxa de suicídio no Brasil.<hr/>Abstract As a major public health problem, the interest of the international organizations in the issue of problematic of suicide mortality, wether in the different age groups or socioeconomic segments, is not recent. Sociology itself, since its onset, explains the phenomenon from its structural determinants. Official statistics indicate that Brazil is the eighth country with the largest number of suicides in the world, however, there are few studies that deal with the subject, although suicide has high prevalence in many contemporary societies. Based on this literature gap, this article presents the patterns of suicide deaths in Brazil between 1980 and 2010, using information from the Mortality Information System - SIM / DataSUS, of the Ministry of Health. Using as a unit of analysis the municipalities, exploratory and econometric analyzes were used to verify the effect of social integration’s elements on suicide rates. Additionally, we investigated how space is a relevant variable for the study of this phenomenon, indicating for two large spatial clusters of regions in Brazil. The results point to a possible association between factors of low social integration and higher suicide rates in Brazil. <![CDATA[Citizenship in (sub) urban spaces: the Theater of the Oppressed in the Alto da Cova da Moura and in the Vale da Amoreira]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200581&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A partir do estudo das atividades desenvolvidas por dois grupos comunitários de Teatro do Oprimido - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) e ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, procura-se compreender como pode a cidadania, através da arte, contribuir para a construção de cidades mais justas, e quais os desafios e limites que este processo enfrenta. A pesquisa desenvolvida juntamente com os jovens pertencentes a ambos os grupos mostra que é sobretudo através da revelação e valorização de suas experiências, histórias e narrativas pessoais e contextuais no âmbito de sua intervenção social e política através do teatro, que se combatem alguns dos efeitos nefastos da urbanização contemporânea e que se diluem as fronteiras que separam estes bairros do seu entorno.<hr/>Abstract From the study of the activities developed by two Theatre of the Oppressed communitarian groups - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) and ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, we seek to understand how can citizenship through art contribute to the construction of more just cities, and what are the challenges and limits that this process faces. The research developed in conjunction with the young people participating in both groups shows us that it is mainly through the revelation and valorisation of their personal and contextual experiences, histories and narratives within the framework of their social and political intervention through theatre, that some of the nefarious effects of contemporary urbanization are fought, and the frontiers separating these urban spaces from their surroundings are diluted. <![CDATA[Como os países ricos ficaram ricos... e por que os países pobres continuam pobres]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200607&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A partir do estudo das atividades desenvolvidas por dois grupos comunitários de Teatro do Oprimido - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) e ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, procura-se compreender como pode a cidadania, através da arte, contribuir para a construção de cidades mais justas, e quais os desafios e limites que este processo enfrenta. A pesquisa desenvolvida juntamente com os jovens pertencentes a ambos os grupos mostra que é sobretudo através da revelação e valorização de suas experiências, histórias e narrativas pessoais e contextuais no âmbito de sua intervenção social e política através do teatro, que se combatem alguns dos efeitos nefastos da urbanização contemporânea e que se diluem as fronteiras que separam estes bairros do seu entorno.<hr/>Abstract From the study of the activities developed by two Theatre of the Oppressed communitarian groups - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) and ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, we seek to understand how can citizenship through art contribute to the construction of more just cities, and what are the challenges and limits that this process faces. The research developed in conjunction with the young people participating in both groups shows us that it is mainly through the revelation and valorisation of their personal and contextual experiences, histories and narratives within the framework of their social and political intervention through theatre, that some of the nefarious effects of contemporary urbanization are fought, and the frontiers separating these urban spaces from their surroundings are diluted. <![CDATA[Habilidade social, relações entre campos e mudanças: a teoria do campos de ação estratégica em A theory of fields]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922018000200613&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A partir do estudo das atividades desenvolvidas por dois grupos comunitários de Teatro do Oprimido - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) e ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, procura-se compreender como pode a cidadania, através da arte, contribuir para a construção de cidades mais justas, e quais os desafios e limites que este processo enfrenta. A pesquisa desenvolvida juntamente com os jovens pertencentes a ambos os grupos mostra que é sobretudo através da revelação e valorização de suas experiências, histórias e narrativas pessoais e contextuais no âmbito de sua intervenção social e política através do teatro, que se combatem alguns dos efeitos nefastos da urbanização contemporânea e que se diluem as fronteiras que separam estes bairros do seu entorno.<hr/>Abstract From the study of the activities developed by two Theatre of the Oppressed communitarian groups - DRK (Alto da Cova da Moura, Amadora) and ValArt (Vale da Amoreira, Moita) -, we seek to understand how can citizenship through art contribute to the construction of more just cities, and what are the challenges and limits that this process faces. The research developed in conjunction with the young people participating in both groups shows us that it is mainly through the revelation and valorisation of their personal and contextual experiences, histories and narratives within the framework of their social and political intervention through theatre, that some of the nefarious effects of contemporary urbanization are fought, and the frontiers separating these urban spaces from their surroundings are diluted.