Scielo RSS <![CDATA[Psicologia: Reflexão e Crítica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-797219990001&lang=en vol. 12 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<strong>Editorial</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Universalism <i>versus </i>relativism in moral<i> </i>judgment </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho analisa a posição de diversos autores que têm-se destacado no estudo do julgamento moral, quanto à questão do universalismo versus relativismo. Há valores universais? Há uma seqüência evolutiva de estágios de maturidade moral que se encontre em todas as culturas? Com base em análises e críticas de James Rest, Orlando Lourenço, Lutz Eckensberger e John Snarey, são analisadas posições universalistas, como as de Piaget e Kohlberg (com seus fundamentos em Kant) e as posições relativistas, tendo como ponto extremo a de Shweder. Entre os dois campos extremos são comentadas as posições de Turiel, Gilligan, e outros autores.<hr/>This article analyses positions of distinguished authors in the field of moral development, regarding the issue of universalism versus relativism. Based on analyses and critiques by James Rest, Orlando Lourenço, Lutz Eckensberger, and John Snarey, the author reviews unversalistic positions such as those of Piaget and Kohlberg (with their roots in Kant), and relativistic positions, having as their extreme the position of Shweder. Between the two extremes,the stands of Turiel, Gilligan and other authors are discussed. <![CDATA[<b>Gender differences in the development of moral concern for others</b>: <b>an empirical investigation of children’s expressions of moral emotions</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho investigou diferenças sexuais e de faixa etária no sentimento de culpa e responsabilidade pessoal para com outras pessoas expressos por crianças em idade escolar. Uma série de dilemas morais, na forma de histórias com final aberto, foi apresentada a quarenta e oito crianças, entre sete e onze anos, recrutadas aleatoriamente de uma escola em Kent, Inglaterra. As crianças foram solicitadas a contar cada história e a descrever os pensamentos, sentimentos, atitudes e motivos dos personagens. As respostas foram analisadas em termos de expressões de culpa persecutória e culpa depressiva, tais como descritas na teoria psicanalítica Kleiniana. Foi observado que as meninas deram mais respostas de culpa depressiva do que os meninos. Os meninos mais novos deram mais respostas de culpa persecutória e menos respostas de culpa depressiva do que as meninas e os meninos mais velhos. Respostas indicando preocupação por outras pessoas baseada em princípios morais aumentaram com a idade e foram mais freqüentes no grupo dos meninos. Estes resultados são interpretados como indicando diferenças sexuais na expressão de preocupação moral por outras pessoas. Implicações para o desenvolvimento emocional de ambos os sexos são discutidas.<hr/>This study investigated gender and age differences in children’s feelings of guilt and personal responsibility towards other people’s distress. Forty-eight children, aged between seven and eleven years, were randomly recruited from a state school in Kent, England. Children were presented with sets of cartoon stories depicting a variety of open-ended moral dilemmas. They were then asked to recount the story depicted, and to describe the thoughts, feelings, attitudes and motives of the characters portrayed. Children’s responses were analysed and scored in terms of psychoanalyst Melanie Klein’s theory of persecutory and depressive guilt. It was found that girls gave more depressive guilt responses than boys. Younger boys gave more persecutory guilt and less depressive guilt responses than girls and older boys. Responses indicating concern for the other out of consideration for moral principles increased with age and were more frequent in boys. These results are interpreted as indicating gender differences in children’s expression of moral concern for others. Implications for gender differences in emotional development are discussed. <![CDATA[<b>Moral judgement</b>: <b>a comparison of guilt feeling between children of orphanage and low income background </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A culpa, um importante aspecto afetivo do desenvolvimento moral, tem sido utilizada como um de seus principais indicadores. Nas crianças, a culpa aprimora-se gradualmente, sendo influenciada pelos modelos de moralidade e métodos disciplinares aos quais estão expostas (Harris, 1989). O presente estudo buscou verificar possíveis diferenças na emergência do sentimento de culpa entre 32 meninos (6-12 anos) provenientes de grupos distintos, sendo 16 de comunidade carente e 16 de instituição que atende crianças sob risco e abandono. Utilizaram-se tarefas de checagem do reconhecimento de emoções, julgamento de personagem em situação de dano acidental e intencional, e relato de episódio pessoal envolvendo culpa, além de entrevista exploratória dos modelos de moralidade com os quais convivem as crianças. Encontraram-se concepções distintas de culpa, classificadas nos níveis "ser apontado como culpado", "ter culpa" e "sentir culpa". A idade parece determinar tais concepções, enquanto o grupo de origem não se mostra significativamente influenciador, talvez porque os dois grupos compartilhem diversas características.<hr/>Guilt, an important affective aspect of moral development, has been used as one of its principal measures. In children, guilt perfects gradually being influenced by morality models and disciplinary methods to which are exposed (Harris, 1989). This study tried to verify possible differences in the emergence of guilt feeling among 32 male children (6-12 years old) coming from distinct groups, which 16 are from low income background and 16 from an institution that takes care of children under risk and abandoned children. We used tasks of emotion recognizement checking, judgement of character in case of intentional and accidental damage, description of personal episode involving guilt and also exploratory interview of morality models to which they are exposed. Different conceptions of guilt were found and classified in the following levels: "to be pointed as guilty", "to be guilty" and "to feel guilt". The age seems to determine such conceptions. The source groups, however, does not seem to influence significantly, maybe because the two groups share several features. <![CDATA[<b>Validity of the child stress symptoms inventory</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho teve por objetivo submeter o Inventário de Sintomas de Stress Infantil a um estudo de validação. Foram sujeitos 255 crianças entre seis e 14 anos de idade, de ambos os sexos, alunos de escolas públicas, e nove profissionais. Foi feita a aplicação do ISS-I nas crianças e de um questionário nos profissionais. Os resultados culminaram em um novo instrumento: Escala de Stress Infantil. A análise de precisão evidenciou elevada consistência interna, alfa de Cronbach. Extraíram-se quatro fatores com a análise fatorial exploratória relacionados às reações do stress: físicas, psicológicas, psicológicas com componente depressivo e psicofisiológicas. A análise fatorial confirmatória evidenciou alta correlação entre os fatores, supondo que exista um único constructo. O estudo revelou ainda alta correlação entre aplicação individual e coletiva. Concluiu-se que a ESI pode ser considerada como um bom e válido instrumento de avaliação do stress para crianças de seis a 14 anos de idade de ambos os sexos.<hr/>The goal of the present study was to validate the Child Stress Symptoms Inventory for use with a local population. The participants were 255 children, six to 14 years old, of both sexes, attending public schools, and nine psychologists. The children responded to the ISS-C and the psychologists filled a questionnaire. The results led to a new instrument: The Child Stress Scale. The analysis of reliability revealed a high level of internal consistency (Cronbach alfa). The factor analysis revealed four factors: physical, psychological, psychological with depressive components, and psychophysiological. Factor analysis also showed a high correlation among the factors, leading to a unique underlying factor. The study revealed a significant correlation between individual and group applications. It was concluded that the SSC can be considered a reliable and valid instrument to measure stress in children. <![CDATA[<B>Psychological approach to AIDS based on the cognitive-behavioral model</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta um conjunto de conhecimentos que são fruto do trabalho clínico e de reflexões, juntamente com a revisão teórica dos principais aspectos relacionados com a Infecção pelo HIV, abordagem terapêutica e um panorama geral das possíveis alterações emocionais que podem apresentar as pessoas infectadas pelo HIV ou que já tenham desenvolvido AIDS. Pretende centrar-se nos aspectos relacionados à intervenção psicológica a partir do enfoque terapêutico cognitivo-comportamental. Demonstra-se que a problemática apresentada por pessoas infectadas pelo vírus da AIDS requer uma atenção específica. Propõe-se uma abordagem bio-psico-social de seus problemas, pois, além das necessidades de atenção da própria doença, juntam-se outros aspectos relacionados com a mesma, como o rechaço social que a doença gera, a atenção às famílias, os problemas sociais, jurídicos e laborais, assim como a necessidade de informação, assessoramento e apoio psicológico ao afetado e as suas famílias.<hr/>This article presents the outcomes of clinical practice and a theoretical review of the main issues related to HIV Infection, including a general panorama of possible emotional alterations that can be present in HIV-positive persons or in those who have AIDS. The issues related to psychological intervention based on the cognitive-behavioral therapeutic approach are the central theme. It will be shown that the problems of persons infected with the AIDS virus, require specific attention if a bio-psycho-social approach to these problems is proposed. Besides the need for attention to the actual illness, there are other aspects related to the social rejection it causes, family care, social, legal, and labor problems, as well as the need for information, counseling, and psychological support for the patients and their family. <![CDATA[<b>Psychoncology and the management of invasive procedures in pediatric oncology</b>: <b>a literature review</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este texto descreve alguns tópicos de pesquisa em Psico-Oncologia Pediátrica, discutindo-se a necessidade da implementação de estudos de intervenção que investiguem, entre outros temas, o manejo de procedimentos médicos invasivos em Oncologia e o(s) efeito(s) das intervenções efetuadas, pelos profissionais de saúde, sobre o repertório de comportamentos da criança. Descreve-se e analisa-se, criticamente, as principais medidas tomadas em estudos que avaliam o comportamento de crianças submetidas a procedimentos médicos invasivos, apontando-se a pesquisa comportamental como útil à geração de informações acerca da relação funcional entre o contexto de procedimentos invasivos e os comportamentos da criança.<hr/>This paper intends to describe the main research topics on Pediatric Psychooncology. It discusses the intervention studies implementation needs, that tends to investigate medical invasive procedures management on Oncology and effects of interventions, made by health profissionals, about child behavior. We describe and analise the main actions taken on studies evaluate child behavior on invasive medical procedures. Finally, it point out behavioral research as a useful tool for information supply about the functional relationship in between invasive procedures context and child behaviors. <![CDATA[<b>Migration, stress, and psychosocial factors as determinants of children's health</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foi realizado um estudo de revisão com base nos referenciais teóricos de estresse e suporte social para avaliar a importância do estudo dos processos de adaptação aos eventos vitais e mudanças de vida e suas relações com o estado de saúde. Considerando-se que as crianças são particularmente vulneráveis às mudanças nas condições ambientais, adotou-se como modelo de análise as relações entre os fatores psicossociais e saúde da criança, utilizando-se a migração como evento capaz de alterar, entre outros elementos, os padrões de organização familiar e de interação mãe-criança que podem determinar estados de saúde e doença.<hr/>A review study was conducted to examine the theoretical models of stress and social support to evaluate the importance of the adaptation processes to life events and life changes and their relation to health conditions. Assuming that children are particularly vulnerable to changes in environmental conditions, the relationships between psychosocial factors and children’s health status was adopted as an analysis model. Migration was considered as an event capable of altering, among other elements, the patterns of family organization and mother-child interactions which can determine health conditions and disease. <![CDATA[<B>Siblings interaction in formal care situation</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho teve como objetivo descrever as principais características de famílias onde os filhos mais velhos são responsabilizados pela execução das tarefas domésticas e pelo cuidado aos irmãos menores, durante a ausência dos pais. Participaram deste estudo vinte famílias residentes à Vila Paranoá, Distrito Federal, com filhos de um a dezesseis anos de idade. Os dados foram colhidos através de entrevistas e sessões de observação sistemática do comportamento em ambiente natural, realizadas durante o período de almoço. A análise se deteve na organização familiar, desempenho em tarefas domésticas e interação entre irmãos, tendo sido possível classificar as famílias em três grupos qualitativamente distintos. Os resultados são discutidos em termos da necessidade de se considerar fatores de ordem social na análise do grupo familiar.<hr/>This research aims at describing the characteristics of families where older children are responsible for carrying out chores and looking after their younger siblings while in their parents absence. Twenty families from Vila Paranoá (a slum in the outskirts of Brasília, Brasil), with one to sixteen year-old children were the subjects of this study. The data were picked up from interviews and sessions of systematic observation of behavior in natural environment. These sessions were carried out during lunch time. The analysis placed emphasis on family organization, performance in home tasks and sibling interation. It has been possible to classify the families into three qualitative groups. The results are discussed in terms of need considering factors of social order in the analysis of family group. <![CDATA[<B>Family configuration and adolescents’ psychological well-being</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A busca do bem-estar é o motor do desenvolvimento humano. É visando estar bem que o homem luta para atingir seus ideais. O desenvolvimento desta capacidade está diretamente ligada com as experiências mais precoces do sujeito em sua família. Sendo assim, este trabalho investigou em que medida a configuração familiar contribui para o bem-estar dos adolescentes. A amostra utilizada foi de 391 adolescentes de ambos os sexos, entre 12 e 17 anos, sendo 196 provenientes de famílias originais e 195 de famílias reconstituídas. Utilizou-se o instrumento Escala Goldberg de Bem-Estar (1978)-GHQ, subdividida em 12 itens. A maioria dos adolescentes (81%) apresentou um nível de bem-estar geral entre bom a muito bom, sendo que não houve diferença significativa entre adolescentes de famílias originais e reconstituídas.<hr/>The search for welfare is the motor to human development. It is the search for well-being that makes humankind struggle for its ideals. The development of this capacity is closely related to the early experiences that one has in his/her family. Thus, this study investigated to what extent the family configuration contributes to the adolescents well-being. The sample had 391 adolescents, of which 196 were from intact families and 195 from remarried families. Goldberg’s (1978) General Health Questionnaire (GHQ) was used, subdivided into 12 items. Results showed that most adolescents (81%) presented a general well-being level ranging from good to very good. There was no significant difference between adolescents from intact and remarried families. <![CDATA[<B>Mental model activation in the recall of stories by older adults</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Recontar histórias é uma atividade complexa que envolve recursos da memória de curta duração (MCD) e da memória episódica (ME). Estratégias direcionadas a objetivos e intenções particulares diminuem a sobrecarga da MCD e ativam a ME. Com o objetivo de estudar a influência do envelhecimento nestes mecanismos, estudamos o relato de uma história por dois grupos de adultos: 17 com 30 a 55 anos e 14 com mais de 60 anos. Os adultos mais jovens lembraram mais proposições do que os idosos, mas ambos grupos relembraram melhor as macroestruturas do que as microestruturas e não foi encontrada diferença no número de inferências, interferências e reconstruções. Entretanto, uma análise de ênfases dados à história, mostrou que jovens preferem relatar a seqüência de ações e idosos, encadeam os fatos de forma subjetiva, sugerindo que, devido à uma redução da memória de trabalho, utilizam-se mais das estratégias que recorrem às informações armazenadas na memória episódica, deixando transparecer suas representações mentais.<hr/>Text comprehension is a complex activity that requires resources from short term memory (STM) and from episodic memory (EM). Strategies directed to goals and intentions avoid an overload of the STM and activates the EM. To study the influence of aging on those mechanisms, we analyzed the recall of a story by two different groups of adults: 17 subjects, 30 to 50 years old, and 14 with more than 60 years of age. The younger group remembered more propositions than the elders, but both groups recalled better the macro than the microstructure. No differences regarding number of inference, interference, and reconstruction were found. Nevertheless, residual analysis showed that younger adults organized their recall telling the actions of the original story, whereas the older adults chose a subjective organization of the main facts, suggesting that due to a reduction of the working memory, the elderly elaborated strategies to have access to information of the EM, showing their mental representations in their recall. <![CDATA[<b>Once upon a time ... a villain called mathematics</b>: <b>an intercultural study of the relative difficulty attributed to mathematics</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Procurando investigar o grau de dificuldade atribuído à Matemática em relação a outras disciplinas que compõem o currículo escolar, foi pedido a estudantes de 5ª a 8ª séries residentes no Rio de Janeiro e a estudantes ingleses (de séries correlatas) da cidade de Oxford que assinalassem o grau de dificuldade que atribuíam a cinco disciplinas de seu currículo (Matemática, Ciências, Português/Inglês, Geografia e História), escolhendo uma dentre cinco posições numa escala cujo intervalo variava entre muito fácil e muito difícil. A avaliação dos alunos, tanto no que se refere à Matemática como a outras disciplinas de seu currículo, mostra-se influenciada pelas especificidades de cada área de conhecimento de acordo com a maneira pela qual as situações didáticas são organizadas ao longo de sua escolaridade e em cada cultura.<hr/>Students' ideas of the relative difficulty attributed to Mathematics as compared to other school subjects were examined by asking middle school Brazilian and English pupils to indicate the degree of difficulty of five school disciplines (Mathematics, Science, Portuguese/English, Geography and History) on a five-point scale ranging from very easy to very difficult. Students' evaluations were influenced by the nature of each subject area in accordance with the way teaching was organised across the school years for each culture. <![CDATA[<B>The ability to differenciate <I>if</I> from <I>when</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Bowerman (1979) e Reilly (1986) argumentam que o condicional se, apesar de ser morfológica e sintaticamente similar às orações que envolvem por exemplo e, quando, porque, assim, e também possuir significados semelhantes, ele é o último a aparecer nas produções das crianças. O se é utilizado em situações cuja ocorrência é possível porém incerta; e quando em eventos que apresentam maior grau de certeza. Procurou-se identificar em que idade as crianças são capazes de distinguir o significado de se e quando no caso em que são sinônimos e naqueles que não podem sobrepor-se. Crianças de 3 e 5 anos foram apresentadas a diferentes tipos de sentenças condicionais (preditivas presente e passado) iniciadas por se e por quando. Deveriam identificar dentre três desenhos qual representava o que havia sido lido. Aos 3 anos são capazes de identificar sentenças nas quais os dois são sinônimos. Já em sentenças nas quais se e quando não são sinônimos, o desempenho das crianças decresce, principalmente naquelas envolvendo se. Uma das explicações seria que o temporal quando geralmente faz afirmações sobre eventos do mundo real e o condicional se especifica situações hipotéticas cujas habilidades envolvidas surgem mais tarde.<hr/>Bowerman (1979) and Reilly (1986) argued that constructions using the conditional if, albeit being similar morphologically and syntactically to sentences that involve, for example, and, when and because, and also having similar meanings, are the last to appear in children’s productions. If is used to express situations whose occurence is possible but unsure; whereas when is used to express events that present a higher grade of certainty. We tried to identify in what age children are able to differenciate the meaning of if and when in cases where they are synonyms and in case where they cannot be superposed. Three and 5 year-old children were presented different classes of conditional sentences (predictive, present, and past) which started with if and when. Children identified among three pictures which one represented what had been read. Three year-olds were able to identify sentences in which the two are synonyms, but when they are not (predictive and past), children’s performance in both age groups decline, mainly with the sentences involving if. One of the explanations is that the temporal when usually expresses affirmations about events of the real world, whereas the conditional if specifies hypothetical situations that involve abilities which develop later. <![CDATA[<b>Phonological awareness and reading ability in down syndrome</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100014&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo investiga a relação entre a consciência fonológica e a habilidade de leitura na síndrome de Down (SD). Trinta e três indivíduos com SD participaram do estudo. Todos eles já haviam começado a ler e todos mostravam sinais claros de recodificação fonológica. Trinta e três crianças normais, emparelhadas aos indivíduos com SD em relação à habilidade de leitura, participaram como controles. Os resultados questionam a hipótese de Cossu, Rossini e Marshall (1993) de que a aquisição da leitura por indivíduos com SD não pressupõe a consciência fonológica. Embora os indivíduos com SD tenham mostrado um desempenho significativamente inferior ao das crianças normais nas tarefas de consciência fonológica, eles mostraram um bom desempenho em uma tarefa simples de detecção de fonema. De fato, análises dos escores individuais não revelaram uma diferença significativa entre os dois grupos naquela tarefa. Além disso, análises de regressão múltipla revelaram os mesmos resultados para os dois grupos de sujeitos. Em ambos os grupos, o desempenho em uma tarefa que pressupõe a habilidade de manipular explicitamente os constituintes fonêmicos da fala correlacionou-se significativamente com a habilidade de leitura, mesmo após havermos controlado o efeito de diferenças individuais no conhecimento das letras e na inteligência não verbal.<hr/>The present study investigated the relationship between phonological awareness and reading ability in Down syndrome (DS). Thirty-three individuals with DS participated in the study. They all had begun to read and all showed clear signs of phonological recoding skills. Thirty-three normal children, matched with the individuals with DS for reading ability, served as controls. The results contradicted Cossu, Rossini and Marshall’s (1993) claim that individuals with DS can learn to read in the absence of phonological awareness. Although the individuals with DS performed significantly worse than the normal children on the tasks that were used to assess phonological awareness, they performed quite well on a simple task of phoneme detection. In fact, analyses of the individual scores did not reveal a significant difference between the two groups on that task. In addition, analyses of the relationship between phonological awareness and reading ability yielded the same results for the two groups of subjects. For both groups, performance on a task that required the ability to explicitly manipulate phonemes correlated significantly with reading ability, even after individual differences for letter name knowledge and nonverbal intelligence were controlled. <![CDATA[<b>Language and activity in cognitive development</b>: <b>some reflections about the contributions of Vygotsky and Leontiev</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100015&lng=en&nrm=iso&tlng=en As noções de linguagem e atividade foram consideradas centrais para o estudo do desenvolvimento cognitivo por Vygotsky e Leontiev. Vygotsky queria analisar como a atividade prática contribui para a formação da consciência. Contudo, suas pesquisas permaneceram centradas na linguagem. Conseqüentemente, não ficou clara, em seu trabalho, a relação existente entre linguagem e atividade. Leontiev desenvolveu uma teoria cuja unidade de análise passou a ser a atividade. Mas não desenvolveu a análise do papel da linguagem. Assim, embora ambos tenham considerado a relevância desses dois aspectos do desenvolvimento cognitivo, nenhum dos dois os abordou simultaneamente. Por outro lado, as reflexões filosóficas do ‘segundo’ Wittgenstein a respeito da linguagem permitiram-lhe concebê-la como uma forma de ação não sendo possível separar atividade e linguagem. Juntando-se a autores com preocupações similares, esta perspectiva pode permitir elaborar uma abordagem eminentemente contextualista do desenvolvimento cognitivo inspirada nas formulações de Vygotsky e Leontiev. Mas é preciso analisar e discutir suas noções de linguagem e atividade no contexto da perspectiva wittgensteiniana.<hr/>The notions of language and activity have been seen as of central importance to the study of cognitive development by L. S. Vygotsky and A. N. Leontiev. Vygotsky’s idea was to analyze how practical activity contributes to the development of consciousness. However, his studies concentrated on language and do not clarify the relationship between activity and language. Leontiev developed a theory in which activity is the unit of analysis but failed to carry out a thorough analysis of the role of language. Although Vygotsky and Leontiev considered the relevance of these two aspects of cognitive development, neither of them examined the two aspects simultaneously. In Wittgenstein’s philosophical reflections, language and activity can no longer be considered separately because language is action, and action is language. Joining authors with similar concerns, this approach may suggest the formulation of an eminently contextualistic, socio-cultural theoretical approach to cognitive development, inspired by Leontiev’s and Vygotsky’s formulations. <![CDATA[<B>Computer workshop with street children</B>: <B>report of an experience</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Há evidências, tanto da dificuldade de meninos e meninas de rua em conseguir escolarizar-se, como de que valorizam a escola, embora não sejam bem sucedidos nela, o que faz com que se sintam incapazes como aprendizes. O computador pode ser pensado como instrumento mental, com status de bem de consumo valorizado, associado a domínio da tecnologia e sofisticação intelectual, e ser uma via para reintroduzir a aprendizagem formal, de forma não associada a fracassos anteriores. Dez meninos e meninas, atendidos por uma instituição não governamental, participaram de uma oficina nesse sentido. A proposta - de aprender a usar o computador para escrever suas estórias, com a meta de elaborar uma publicação - visou propiciar mudanças sócio-cognitivas e no vínculo com a aprendizagem formal. A experiência parece ter sido bem sucedida em alguns aspectos e é relatada neste trabalho. Experiências como esta podem ser ampliadas e usadas como facilitadoras na reintegração de meninos e meninas de rua em ambientes de aprendizagem formal.<hr/>Research findings show that street children have difficulties and are not successful in school, although, at the same time, they value it. This generates feelings of being incapable of learning. Computers can be considered as mental instruments, having a status of a valued consumer good, associated to technological development and intellectual sophistication. For those reasons, they can be used to introduce formal learning again in a way not associated to previous failures. Ten adolescents assisted by a non-governmental organization, participated in a workshop with this aim. It was proposed to them to learn how to use a computer to write and publish their own stories. The objectives were to facilitate socio-cognitive changes and to improve their relationship with formal learning. This workshop seemed to have been successful in some aspects and it is described in this paper. Experiences such as this one can be amplified and used to facilitate reintegration of street children in formal learning environments. <![CDATA[<strong>Maria Helena Novaes</strong>: <strong>uma homenagem</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100017&lng=en&nrm=iso&tlng=en Há evidências, tanto da dificuldade de meninos e meninas de rua em conseguir escolarizar-se, como de que valorizam a escola, embora não sejam bem sucedidos nela, o que faz com que se sintam incapazes como aprendizes. O computador pode ser pensado como instrumento mental, com status de bem de consumo valorizado, associado a domínio da tecnologia e sofisticação intelectual, e ser uma via para reintroduzir a aprendizagem formal, de forma não associada a fracassos anteriores. Dez meninos e meninas, atendidos por uma instituição não governamental, participaram de uma oficina nesse sentido. A proposta - de aprender a usar o computador para escrever suas estórias, com a meta de elaborar uma publicação - visou propiciar mudanças sócio-cognitivas e no vínculo com a aprendizagem formal. A experiência parece ter sido bem sucedida em alguns aspectos e é relatada neste trabalho. Experiências como esta podem ser ampliadas e usadas como facilitadoras na reintegração de meninos e meninas de rua em ambientes de aprendizagem formal.<hr/>Research findings show that street children have difficulties and are not successful in school, although, at the same time, they value it. This generates feelings of being incapable of learning. Computers can be considered as mental instruments, having a status of a valued consumer good, associated to technological development and intellectual sophistication. For those reasons, they can be used to introduce formal learning again in a way not associated to previous failures. Ten adolescents assisted by a non-governmental organization, participated in a workshop with this aim. It was proposed to them to learn how to use a computer to write and publish their own stories. The objectives were to facilitate socio-cognitive changes and to improve their relationship with formal learning. This workshop seemed to have been successful in some aspects and it is described in this paper. Experiences such as this one can be amplified and used to facilitate reintegration of street children in formal learning environments. <![CDATA[<B>La muerte intima</B>: <B>los que van a morir nos enseñan a vivir</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000100018&lng=en&nrm=iso&tlng=en Há evidências, tanto da dificuldade de meninos e meninas de rua em conseguir escolarizar-se, como de que valorizam a escola, embora não sejam bem sucedidos nela, o que faz com que se sintam incapazes como aprendizes. O computador pode ser pensado como instrumento mental, com status de bem de consumo valorizado, associado a domínio da tecnologia e sofisticação intelectual, e ser uma via para reintroduzir a aprendizagem formal, de forma não associada a fracassos anteriores. Dez meninos e meninas, atendidos por uma instituição não governamental, participaram de uma oficina nesse sentido. A proposta - de aprender a usar o computador para escrever suas estórias, com a meta de elaborar uma publicação - visou propiciar mudanças sócio-cognitivas e no vínculo com a aprendizagem formal. A experiência parece ter sido bem sucedida em alguns aspectos e é relatada neste trabalho. Experiências como esta podem ser ampliadas e usadas como facilitadoras na reintegração de meninos e meninas de rua em ambientes de aprendizagem formal.<hr/>Research findings show that street children have difficulties and are not successful in school, although, at the same time, they value it. This generates feelings of being incapable of learning. Computers can be considered as mental instruments, having a status of a valued consumer good, associated to technological development and intellectual sophistication. For those reasons, they can be used to introduce formal learning again in a way not associated to previous failures. Ten adolescents assisted by a non-governmental organization, participated in a workshop with this aim. It was proposed to them to learn how to use a computer to write and publish their own stories. The objectives were to facilitate socio-cognitive changes and to improve their relationship with formal learning. This workshop seemed to have been successful in some aspects and it is described in this paper. Experiences such as this one can be amplified and used to facilitate reintegration of street children in formal learning environments.