Scielo RSS <![CDATA[Psicologia: Reflexão e Crítica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0102-797220010001&lang=en vol. 14 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<B>Developmental history and behavior of pre-term and low birth-weight children (<1.500g)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo comparou a história de desenvolvimento, aprendizagem e comportamento de 20 crianças de 8 a 10 anos nascidas pré-termo < 1500g (MBP) emparelhadas a 20 crianças controle nascidas a termo. Foram realizadas entrevistas e foi aplicada a Escala Comportamental de Rutter nas mães e o Raven nas crianças. Verificou-se sinais de atraso na aquisição de comportamentos psicomotores iniciais e lateralidade manual canhestra no MBP em relação ao controle. Na fase escolar, a maioria das crianças de ambos os grupos apresentou nível intelectual médio e estava freqüentando escola regular. As crianças MBP apresentaram mais repetência escolar do que as controles e reuniram uma parcela de 20% de crianças com déficit auditivo. Embora em ambos os grupos tivesse indicação de problemas comportamentais na Rutter, as crianças MBP apresentaram mais problemas respiratórios, enurese noturna, recusa escolar, agitação, impaciência, inquietude e agarramento à mãe em comparação a escolares de Ribeirão Preto.<hr/>The aim of this study is to compare the developmental history, learning and behavior of 20 pre-term and very low birth-weight children (VLB) and 20 full- term children at eight- ten years old. Data collection included interviews and the Child Behavioral Scale administered to the mothers and the Raven test to the children. Signs of delay in psychomotor behaviors acquisitions and predominance of the left hand use in the VLB compared to the control group were detected. In the school phase, most of the children of both groups presented average intellectual level and were attending regular schools. In the VLB group there was a significantly higher proportion of school failure than in the control group and there were 20% of children with hearing impairment. Authough both groups had signs of behavior problems, the VLB group showed more respiratory problems, enuresis, school-refuse, agitation, impatience and attachment to the mother than school children from Ribeirão Preto. <![CDATA[<B>Indicators of learning potential obtained through assisted assessment</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste trabalho foi detectar indicadores de potencial cognitivo de crianças com queixa de dificuldade de aprendizagem escolar, utilizando procedimento combinado de avaliação psicométrica (Raven) e avaliação assistida (Jogo de Perguntas de Busca com Figuras Diversas - PBFD). Foram avaliadas 20 crianças de oito a 11 anos, encaminhadas para atendimento psicológico na área da Saúde com queixa de dificuldade de aprendizagem. O PBFD foi delineado em fases e realizado antes (avaliação) e após (reavaliação) uma intervenção psicopedagógica de curta duração. Houve variações de desempenho na avaliação psicométrica, com tendência à classificação "definidamente abaixo da média". Na avaliação assistida, nos momentos da avaliação e da reavaliação, houve variações nos perfis de desempenho cognitivo, indicando diferenças individuais quanto às dificuldades e recursos cognitivos. Discriminou-se um subgrupo de crianças que precisaram de pouca ajuda e monitoramento, daquele de crianças que precisaram de mais assistência para implementar estratégias eficientes na resolução de problemas.<hr/>This research intended to detect indicators of cognitive potential of children with school learning disability complaints, employing combined procedures of psychometric assessment (Raven) and assisted assessment (Constraint-seeking questions game with several figures -- PBFD). Twenty children with learning disability complaints, aged from eight to 11 years, were assessed, all referred for psychological evaluation in Health Services. PBFD was delineated by phases and carried out before (assessment) and after (re-assessment) a short duration psychopedagogic intervention. There was a variation in the performance of children in the psychometric assessment, with a tendency of predominance of the classification "definitely below the average". In the assisted assessment, there was variation in the cognitive performance profile, showing individual differences in cognitive difficulties and resources, both assessment and re-assessment moments. A subgroup of children needing few help and monitoring was distinguished, in contrast with a group that needed more assistance to implement efficient strategies for problem resolution. <![CDATA[<B>The clinical approach of parent-infant interaction</B>: <B>theoretical and methodological perspectives</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A influência das interações pais-bebê no desenvolvimento social e afetivo infantil tem sido objeto de estudo de numerosos trabalhos nas últimas três décadas. Neste artigo, examina-se, de um ponto de vista teórico e metodológico, a evolução dos estudos na área das interações pais-bebês, particularmente no campo da clínica. Aponta-se também para os temas de pesquisa que têm se revelado promissores no estudo das interações pais-bebê.<hr/>The influence of parent-infant interaction on social and affective child development has been the object of a significant number of studies in the past three decades. This paper focuses on the evolution of the studies in the parent-infant interaction's domain. This evolution is examined from a theoretical and methodological point of view, particularly in the clinical field. Some research themes that seem to be promising in this domain are also highlighted. <![CDATA[<B>Primitive structure of the social representation of fear</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O estudo aborda a questão metodológica que caracteriza a pesquisa na área das representações sociais. Em particular, aprofunda-se no problema da verificação empírica do consenso que uma representação possui por um determinado grupo social. Esta preocupação metodológica foi abordada em um estudo cujo objetivo era reconstruir a trama primitiva da representação social do medo em crianças de sete a dez anos de idade com experiências sócio-culturais diferentes (escola particular e orfanato). O interesse principal era analisar o papel da experiência na construção deste tipo de representação. Primeiramente, com um grupo de 30 crianças, foi coletada a informação da representação, entendida como meio de acesso ao campo das representações, através do método da associação livre (pedia-se para que as crianças expressassem de maneira livre o que pensavam com a evocação da palavra medo). A partir deste levantamento foram selecionadas 15 palavras entre as mais evocadas pelos dois grupos de crianças e em seguida, foi investigado o nível de consenso da representação social do medo através da técnica não-verbal de classificação. A um segundo grupo de 58 crianças, foi solicitado a pensar sobre as 15 palavras que estavam representadas em cartões e a ordená-las em grupos em função de estarem mais ou menos associadas com a sensação de medo. Os dados analisados através de métodos estatísticos multidimensionais apontaram para a existência de similaridades e diferenças no que se refere ao nível de consenso dos diferentes grupos de crianças comparados em relação à representação social do medo. Além do mais, foi possível reconstruir o significado e a atitude geral das crianças em relação ao medo. Estes resultados são discutidos focalizando, em particular, os problemas metodológicos no estudo das representações sociais, especificamente no que se refere ao estabelecimento objetivo do nível de consenso no estudo destas.<hr/>This study examined a methodological approach to research on social representations. The approach provides an empirical validation of the possibility that a representation has a consensus among a certain social group. This methodological approach is illustrated in a study that aimed at revealing the structure of the social representation of fear among children from seven to ten-years old, with different social and cultural backgrounds (private schools and orphanages). The main aim was to examine the role of social background in establishing this kind of representation. First, with a group of thirty children, the elements of the representation were collected through a free association method, which consisted of asking the children to express what they thought of when the word 'fear' was evoked. From this information, fifteen kinds of fears were selected from those that had been evoked most frequently by the two groups of children. The social representation of fear was examined using a non-verbal sorting technique with a second group of fifty-eight children. They were asked to think of about fifteen words that were presented on cards and to place them in order according to their higher or lower level of association with the sensation of fear. The data were analysed using non-metric multidimensional scaling techniques (SSA, MSA) and pointed to the existence of similarities and differences in consensus levels between the different child groups compared with respect to the representation of fear in society. In this way it was possible to establish the meaning and the general attitude of the children in relation to fear. The results are discussed emphasising the methodological problems associated with the study of social representations, referring to the objective establishment of consensus level. <![CDATA[<B>Late adoption</B>: <B>altruism, maturity, and emotional stability</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A pesquisa teve por objetivo executar um estudo acerca das adoções tardias, comparando pais que realizaram adoções de crianças maiores de dois anos com pais que efetuaram adoções de bebês. Os principais elementos abordados foram: estado civil; idade; escolaridade; renda; presença de filhos biológicos; e motivações para a adoção. Investigaram-se também o altruísmo, a maturidade e a estabilidade emocional dos adotantes. A amostra consistiu de 27 adotantes tardios e 55 adotantes convencionais, participantes ou não de Grupos de Apoio à Adoção. O instrumento utilizado constou de um questionário sobre adoção; de questões sobre maturidade e estabilidade emocional; e de uma escala de altruísmo. Os resultados indicaram distinções referentes aos aspectos destacados. Os adotantes tardios apresentaram um nível sócio-econômico superior, um estado civil mais diferenciado, uma maior presença de filhos biológicos, e uma maturidade e estabilidade mais elevada. Quanto às motivações e ao altruísmo, apareceram diferenças significativas entre os dois grupos.<hr/>This research work aimed at carring out a study on late adoptions, comparing parents who adopted children over two years old with those who adopted babies. The main elements focused on were: civil status; age; education; level of income; presence of biological children; and motivations for the adoption. Altruism, maturity, and emotional stability of the adopters were also investigated. The sample consisted of 27 late adopters and 55 conventional adopters, regardless of their participation in Groups of Support for Adoption. The instrument used consisted of a questionnaire about adoption; questions about maturity and emotional stability; and of a scale of altruism. The results indicated distinctions to the emphasized aspects. The late adopters, compared to the conventional ones, featured a higher social and economic level, differences in their marital status, a higher proportion of biological children, and a higher maturity and stability. Regarding both motivations and altruism, the two groups presented significant differences. <![CDATA[<B>The entrance and adjustment of infants and toddlers to daycare center</B>: <B>some critical aspects</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo examina algumas questões teóricas e estudos empíricos acerca do ingresso de bebês e crianças pequenas à creche. Analisa-se, em particular, a problemática da separação precoce e as conseqüências para o desenvolvimento infantil do ingresso na creche durante o primeiro ano de vida. Discute-se, ainda, os fatores que interferem na adaptação à creche e as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos bebês e crianças pequenas para se adaptar e enfrentar às situações potencialmente estressantes no contexto da creche. Embora haja consenso sobre a complexidade do período de adaptação à creche, existem inconsistências entre os estudos sobre o período mais adequado para ingresso na creche, sendo que algumas idades são apontadas como mais críticas. De qualquer modo, a adaptação à creche depende de diversos fatores, o que não permite fazer previsões com base em um ou outro fator isoladamente.<hr/>The present article examines some theoretical aspects and empirical studies related to the entry of babies and small children into daycare center. The problems of early separation and its consequences to child development are also examined. Futhermore, it discusses the factors which interfere in adaptation to the daycare center and the infant's coping strategies to deal with potentially stressful events. Although there is consensus about the complexity of the period of adaptation to daycare center, there are some inconsistencies among the studies about the most adequate period for entering daycare center, some ages being pointed out as more critical. In any case, the adaptation to daycare center depends on various factors, which makes it impossible for us to make predictions based on any isolated factor. <![CDATA[<B>Developmental patterns in the use of distributive justice principles by Southern Brazilian children and adolescents</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo descreve uma investigação sobre o uso de princípios de justiça distributiva utilizados por crianças e adolescentes em situações hipotéticas de distribuição de recompensa. Foram entrevistadas 680 crianças e adolescentes de ambos os sexos, sendo 240 da faixa etária de cinco a seis anos, 220 de nove a dez anos e 220 de 13 a 14 anos, metade de cada sexo. O instrumento utilizado foram mini-histórias, acompanhadas de desenhos que apresentavam diferentes condições de desempenho dos personagens em diversas situações. Os resultados apontaram três estágios evolutivos, caracterizados pelo uso de regras de autoridade, igualdade e equidade. Como esperado, crianças de cinco a seis anos utilizaram predominantemente regras de autoridade e igualdade, as de nove a dez anos, regras de igualdade e, os adolescentes, regras de eqüidade. Características do uso das regras permitiram também a identificação de sub-estágios em cada estágio. A seqüência evolutiva de níveis no desenvolvimento dos princípios de justiça distributiva encontradas apoiam o modelo piagetiano.<hr/>The present study investigated developmental patterns of use of distributive justice principles by children and adolescents in hypothetical situations that required distribution of rewards. The participants were 680 children and adolescents of both genders, 240 of whom were 5-6 years old, 220 9-10 years old, and 220 13-14 years old. The interview used four short stories and drawings which depicted different situations of performance. The results showed three stages characterized by the use of rules of authority, equality, and equity. As expected, young children employed rules of authority and equality, 9-10 year olds used mostly rules of equality, whereas the adolescents preferred equity. The differential usage of rules allowed for the identification of sub-stages within each stage. The sequence of developmental levels of distributive justice principles is coherent with Piaget's model. <![CDATA[<B>Skinner’s moral theory and human development</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Argumenta-se neste ensaio que Skinner adota um ponto de vista moral quando defende a sobrevivência das culturas como o último valor na ordem da descoberta e o primeiro na ordem da geração de valores derivados. Argumenta-se ainda que os valores derivados funcionam como critério de escolha de práticas culturais com o objetivo de promover o bem da cultura, isto é, sua sobrevivência. Com base nas críticas de Skinner e de autores pós-modernos redefine-se o conceito de desenvolvimento humano. Sugere-se que, como política de identidade pós-moderna, o conceito de desenvolvimento humano pode ser um valor para orientar práticas culturais com condições de promover a sobrevivência das culturas. Ou pode mesmo vir a ser o principal valor em uma cultura de direitos humanos.<hr/>It is argued here that Skinner adopts a moral point of view when defending the survival of cultures as the ultimate value in the order of discovery and as the first value in the order of generation of derived values. It is also argued which derived values function as criterion of choice of cultural practices, with the objective of promoting "the good of the culture", that is, its survival. Based on Skinner's and post-modern writers' critique the concept of human development is defined anew. It is suggested that, as a post-modern policy of identity, the concept of human development may be a value for directing cultural practices capable of promoting the survival of cultures. Or it may even become the main value in a culture of human rights. <![CDATA[<B>Sociometric status and peers' behavioral descriptions</B>: <B>a study of preschoolers' social competence</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste estudo, investigaram-se correlatos entre escolhas sociométricas positivas e negativas e atribuição de características comportamentais por parte de companheiros de uma classe de pré-escola. Testou-se a adequação de um instrumento elaborado com essa finalidade para a aplicação em crianças de cinco anos de idade, empregando-se figuras ilustrativas com os propósitos de facilitar a compreensão da tarefa e de motivar os participantes a se manterem interessados durante a prova. As características comportamentais pesquisadas foram, na esfera social: aceitação/isolamento social, participação/não-participação nas atividades, dependência/independência da professora e dominância/ submissão; e na esfera afetiva, tristeza/alegria e medo/coragem. O instrumento mostrou-se adequado para avaliação desses atributos em pré-escolares. Verificou-se que as crianças foram capazes de discriminar a maior parte das características dos colegas, associando escolhas positivas a atributos social e afetivamente positivos. Foram constatadas diferenças de gênero: os meninos foram mais avaliados por características sociais e as meninas por atributos afetivos.<hr/>This study examined the correlations between sociometric choices and preschool peers' behavioral descriptions. The appropriateness of an instrument created for the evaluation of behavioral attributes for five years old was tested, using illustrative cards to motivate participants during the task. Behavioral social characteristics evaluated were: social acceptance/withdrawal, participation/lack of participation in schoolwork, dependence/independence from teacher and dominance/submission. Affective characteristics investigated were happiness/sadness and fear/courage. The instrument was adequate to its goals. The children were able of adequately discriminate most of the behavioral characteristics, attributing prosocial and positive affective characteristics to preferred peers and antisocial and negative affective descriptions to rejected peers. Gender differences were found: boys were evaluated by social characteristics whereas girls were evaluated by affective characteristics. <![CDATA[<B>Private behavior</B>: <B>accessibility and relation to public behavior </B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo analisou empiricamente comportamentos inacessíveis à observação pública. Empregando experimentalmente um procedimento que tornou pública respostas encobertas numa situação de resolução de problemas, verificou-se: 1) a efetividade de contingências programadas para tornar públicas respostas verbais precorrentes privadas; 2) a relação entre respostas verbais encobertas e contingências programadas; e, 3) a conseqüente probabilidade do comportamento sob controle de estímulos produzidos pela resposta encoberta ser positivamente reforçado. Participaram 64 sujeitos humanos que foram distribuídos em duas condições: Complexa e Simples. Após cada tentativa obteve-se respostas de informação e respostas de redigir sobre a resolução do problema. Nos resultados, observou-se que a complexidade da tarefa não interferiu no caráter privado das respostas e que as contingências sociais produziram a "publicização" de respostas precorrentes na resolução de problemas. Este procedimento fornece evidências empíricas para algumas proposições estabelecidas pelos behavioristas radicais além de oferecer novas questões para discussão dos eventos privados.<hr/>This study empirically analyzed behaviors inaccessible to public observation. Using a procedure that experimentally turned public previously covert responses through the resolution of problems, it was possible to verify 1) the effectiveness of contingencies programmed to turn public previously covert precurrent responses; 2) the relationship between covert verbal responses and programmed contingencies; and, 3) the subsequent probability of behaviors under control of stimuli generated by the covert response to be positively reinforced. Sixty-four human subjects distributed in two conditions Complex and Simple participated in the study. After each attempt, informative responses and written responses about the resolution of problems were obtained. The results show that task complexity did not interfere with the private characteristic of the responses and that the social contingencies turned public the precurrent responses in the problem resolution. This procedure gives empirical evidence to some propositions established by radical behaviorists and offers new questions for the discussion of private events. <![CDATA[<B>Effect of rules size on human behavior</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Para investigar se a extensão de uma regra interfere no seguir regras, dezesseis estudantes universitários foram expostos a um procedimento de escolha segundo o modelo. Em cada tentativa, um estímulo modelo e três de comparação eram apresentados ao participante, que deveria apontar para os estímulos de comparação em seqüência. As seqüências corretas eram reforçadas. Cada condição era constituída de três sessões de trinta tentativas. As Sessões 1, 2 e 3 eram iniciadas por: Instruções mínimas na Condição I; Regras R1, R2 e R1, respectivamente, na Condição II; R2, R1 e R2, respectivamente, na Condição III, e R3, R1 e R3, respectivamente, na Condição IV. R3 era mais extensa que R2 e R2 mais extensa que R1. Os resultados mostraram que R1 e R2 foram sempre seguidas. R3 foi seguida apenas na terceira sessão da Condição IV. Sugere-se que a extensão e a complexidade de uma regra pode interferir no seguir regras.<hr/>In order to verify whether rule size affects rule following, 16 college students were exposed to a matching-to-sample procedure. Depending upon the sample three comparisons should be pointed in a different sequence. Correct sequencing was reinforced. Each condition had three sessions with 30 trials each, and started with one of three rules. Under Condition I, minimal instructions were given; under Condition II, rules R1, R2, and R1 were used, in this sequence; under Condition III, rules R2, R1, and R2 were used, in this sequence; and under Condition IV, rules R3, R1, and R3 were used, in this sequence. R3 was longer than R2, and R2 was longer than R1. Results showed that Rules 1 and 2 were always followed. Rule 3 was followed only in the third session, Condition IV. It is suggested that the size and complexity of a rule does affect rule following behavior. <![CDATA[<B>Perception and visual processing of form</B>: <B>discussing contemporary models</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho discute alguns aspectos teóricos sobre os modelos detector de características e análise de freqüência espacial em cinco seções. A primeira mostra uma breve história e a idéia básica de cada modelo. A segunda mostra evidências psicofísicas e neurofisiológicas sobre a seletividade à freqüência espacial. A terceira, a quarta e a quinta mostram aspectos controversos sobre estes modelos: freqüência espacial versus detectores de características, filtragem local versus global e processamento espacial linear versus não-linear, respectivamente. Um dos objetivos deste trabalho foi discutir tópicos importantes sobre percepção e processamento visual da forma.<hr/>This work discusses some aspects about feature detectors and spatial frequency analysis models in five sections. The first section describes briefly historical aspects and the basic rationale idea of each model. The second section shows the neurophysiological and psychophysical evidences about spatial frequency selectivity. The third, the fourth and the fifth sections show controversial aspects about these models: spatial frequency versus feature detectors, global versus local filtering and nonlinear versus linear spatial processing, respectively. One of the goals of this paper is to discuss important aspects about perception and visual processing of form. <![CDATA[<b>Value priorities and the use of condom</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100014&lng=en&nrm=iso&tlng=en O Inventário de Valores de Schwartz foi administrado a 300 estudantes universitários com o objetivo de estudar a relação entre as prioridades axiológicas e a freqüência de uso de preservativo no seu relacionamento sexual. Os dez tipos motivacionais de valores foram correlacionados com a variável dependente. A curva representando a relação entre as prioridades axiológicas e o uso de preservativo foi sinusóide mas não simétrica. Hedonismo, autodeterminação e estimulação correlacionaram-se positivamente com o uso de preservativo enquanto que tradição e conformidade correlacionaram-se negativamente. A correlação com universalismo e benevolência foi próxima de zero. Os resultados da regressão múltipla confirmaram que hedonismo, autodeterminação e estimulação são os preditores axiológicos mais fortes do uso de preservativo pelos estudantes universitários.<hr/>The Schwartz Value Inventory was applied to 300 university students in order to study the relationship between value priorities and the frequency with which they use the condom in their sexual relations. The ten motivational types of values were correlated with the dependent variable. The curve relating value priorities with the use of preservative was sinusoidal, but not symmetrical. Hedonism, self-determination and stimulation correlated positively with condom use while tradition and correlated negatively. The correlation with universalism and benevolence was near zero. The results of multiple regression confirmed that hedonism, self-determination and stimulation are the strongest predictors of the university students' use of condom. <![CDATA[<B>Value systems and democratic attitudes in university students of João Pessoa</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100015&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta duas pesquisas empíricas que analisam a relação entre sistemas de valores e atitudes democráticas de estudantes universitários. No primeiro estudo (n= 350), investigam-se as dimensões subjacentes à estrutura e ao conteúdo do sistema de valores de estudantes de uma universidade pública. Na interpretação das dimensões obtidas considera-se a teoria de Schwartz sobre os tipos motivacionais e a teoria de Inglehart sobre os valores materialistas e pós-materialistas. Os resultados mostram que os valores se organizam em função de três sistemas: o religioso; o materialista; o pós-materialista. No segundo estudo (n= 200), repetem-se os resultados do Estudo 1 numa amostra de estudantes de uma universidade privada, e relaciona-se a estrutura de valores obtida com as atitudes democráticas. Constata-se que a adesão ao sistema de valores religiosos associa-se com a atitude negativa em relação à democracia, enquanto que esta atitude se relaciona positivamente com os valores pós-materialistas. A discussão girou em torno do significado da democracia para estes estudantes.<hr/>This paper presents two empirical studies analysing the relationships between individual's value systems and democratic attitudes. The subjects were university students in João Pessoa (Brazil). In the first study (n=350) we investigated the implicit dimensions present in both content and structure of student's value systems. The data were analysed from the framework of Schwartz´s Theory of Values and Inglehart´s distinction between materialist and post-materialist values. In the second study (n=200) those results were replicated and were also correlated to student's democratic attitudes. The main results were twofold. First, religious values were negatively correlated to democratic attitudes and second the post-materialist values were positively correlated to those attitudes. These findings were discussed pointing out the real meaning of democracy for those subjects. <![CDATA[<B>Support group with psychiatric outpatients in institutional context</B>: <B>the group's handling analysis</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100016&lng=en&nrm=iso&tlng=en Objetivou-se neste estudo refletir sobre o emprego das práticas grupais em contexto institucional no tratamento de pacientes psiquiátricos ambulatoriais. Para tanto, buscou-se compreender a natureza de um grupo de apoio em um serviço de saúde mental, através da descrição do manejo terapêutico de seu terapeuta. Observação, registro audio-gravado e transcrição das dezesseis sessões constituíram as principais fontes de dados; consultas aos prontuários dos pacientes e notas de campo favoreceram a contextualização dos resultados. A análise das intervenções do terapeuta (N= 1904) foi realizada por procedimentos de análise categorial de conteúdo, derivando em oito categorias descritivas do manejo do grupo. Assim, este estudo favorece um entendimento sobre a natureza de um grupo de apoio, situando alguns de seus limites e possibilidades, e estimula reflexões sobre a prática grupal em contexto institucional no tratamento de pacientes psiquiátricos ambulatoriais.<hr/>This study aims an understanding about the group practice in institutional contexts, on psychiatric outpatients treatment. It was objetified to understand the nature of a support group realized on a mental health service, by describing its development through the cordinator's handling. Observation and audio-recorded tapes of the group (16 sessions) constituted the main data sources. Consultations to the patients' reports and field notes favored an understanding about the group context. The group's handling analysis was accomplished by categorical content analysis of the coordinator's interventions (N=1904), resulting in eight descriptive categories. Thus, this is study favors an understanding about the support group nature, by showing some possibilities and limits of this kind of treatment, and it arouses reflections about the group practice in institutional contexts on the psychiatric outpatients treatment. <![CDATA[<B>Constructionist's contributions for the study of group work</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100017&lng=en&nrm=iso&tlng=en O construcionismo, como forma de elaboração da crise paradigmática que têm vivido as ciências humanas, redimensiona várias concepções sobre a produção do conhecimento e os processos psicoterápicos. Neste artigo, buscaremos apontar como a ênfase nos processos relacionais e a centralidade da linguagem promovidas pelo construcionismo transformam o estudo da prática grupal. Através de um exemplo empírico, apontaremos algumas implicações metodológicas da aplicação dos pressupostos construcionistas ao estudo da prática grupal, tais como a explicitação do caráter construído do grupo e seu processo de negociação, a perspectiva discursiva de construção da pessoa e a conseqüente redefinição da homogeneidade grupal, e as delimitações sociais destes processos grupais. Finalizamos o artigo indicando outros desdobramentos teórico-metodológicos necessários ao desenvolvimento destas contribuições aos estudos dos grupos.<hr/>Social constructionism, as a human sciences paradigmatic crisis elaboration, rebuilds some conceptions of knowledge production and psychotherapeutic processes. In this article, we point out how the emphasis on the relational processes and the centrality of language promoted by constructionism change the study of group work. Using an empirical example, we consider some methodological implications of constructionist assumptions for the study of group work, as i) the constructed character of the group and its negotiating process, ii) the discursive approach of person construction and the consequent group homogeneity redefinition and iii) the social constraints of group processes. We conclude this article pointing out other theoretical and methodological developments necessary to unfold these contributions to group study. <![CDATA[<B><I>My-world</I> and the <I>rest-of-the-world</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100018&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo baseia-se na importante diferenciação entre meu-mundo e resto-do-mundo, ao contrário da simples constatação de um só Mundo ou Universo. Meu-mundo é o único ponto de partida de cada pessoa, inclusive dos investigadores científicos. Apresenta a duração de três segundos em média. Tudo que sobra é algo a ser inferido e constitui o resto-do-mundo para essa pessoa. Usando uma hipótese básica, a semelhança dos resto-s-do-mundo das diversas pessoas acham-se unidos em um só Universo. Contudo, a base biológica das pessoas age de tal maneira que a diferenciação acima mencionada é ignorada. Um produto dessa ignorância é o fato de a maioria dos pensadores da ciência cognitiva falarem em uma única consciência, quando é indispensável o contraste entre a minha consciência, que é essencialmente a mesma coisa que meu-mundo, e as consciências dos outros, partes minúsculas do resto-do-mundo. Além disso, a primeira consciência é de caráter filosófico e as segundas, de caráter científico.<hr/>There is a very important difference between my-world and the rest-of-the-world. A contrary opinion is to register only a whole World or Universe. Each person begins necessarily in his my-world, even if he is a scientific researcher. The human my-world's duration is about three seconds. Anything outside this my-world is inferred. It constitutes the person's rest-of-the-world. According to a basic hypothesis, different persons' rest-s-of-the-world similarity can be united in a happening called the Universe. The person's biological background acts to disregard this difference. For example, the majority of cognitive science thinkers talk about having only one kind of consciousness. On the contrary, these thinkers have truly two kinds of consciousness: one through which they have immediate knowledge -my-world- and the other through which they have inference about human or nonhuman beings, very small parts of the rest-of-the-world. The first consciousness is philosophical; the second consciousnesses are scientific. <![CDATA[<B>Body perception, fear of death, religion and organ donation</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100019&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo desta pesquisa foi o de levantar as principais razões que levam estudantes universitários a doarem seus órgãos para transplante e as relações entre a doação de órgãos, o medo da morte e a religião dos participantes. Para tanto, foram realizados três estudos interdependentes, os quais somaram a participação de 192 estudantes de uma universidade pública do Estado de São Paulo. Os resultados obtidos nestes estudos sugerem, como sendo as principais razões para a doação: desejo de continuar a vida do outro; reaproveitamento dos órgãos; dar qualidade de vida aos que necessitam de um transplante; inutilidade do corpo após a morte. Quanto à não doação, as principais razões foram: crítica à lei dos transplantes; crítica ao sistema de saúde brasileiro; razões bioéticas, tais como receio de morte premeditada e contrabando de órgãos. Nestes estudos não foi encontrada relação significativa entre religião e doação de órgãos, mas foi encontrada entre o medo da morte e a não doação.<hr/>The goal of this research study was to present some reasons for which academical students are considered donors or non-donors of their organs and the links among the organ donation, the fear of death and the participant's religion. Three interdependent studies were carried out, which considered altogether 192 academical students from a public university of São Paulo-State Brazil. The main reasons for donation were: the desire to go on living the other one's life; reusing of the organs; giving life quality to whom needs a transplant; uselessness of the body after death. As to the non-donation, the main reasons were: criticism to the law of transplants; criticism to the Brazilian health system ; bioethical reasons, such as fear of premeditated death and smuggling of organs. In those studies no significant relationship was found between religion and donation of organs, but it was found between fear of death and non-donation. <![CDATA[<B>Three epistemological obstacles to the recognizing of subjectivity in clinical psychology</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100020&lng=en&nrm=iso&tlng=en No presente artigo, obstáculos epistemológicos são concebidos como formas de construção do pensamento presentes na psicologia clínica que não integram a complexidade e as diversas condições dos processos subjetivos. Parte-se de uma breve contextualização do percurso do tema da subjetividade na ciência e na psicologia: de um espaço marginal, quando é vista como oposição à objetividade, a uma posição privilegiada em que é discutida como momento integrante da construção do saber. Contudo, neste momento a psicologia clínica se depara com grandes dificuldades, pois as influências recebidas do paradigma dominante são pouco condizentes com a abordagem da subjetividade. Os obstáculos epistemológicos - como o conhecimento geral e totalitário, as tendências patologizantes e as conclusões apressadas -- são momentos de tais influências que descaracterizam a subjetividade como objeto de estudo e, em conseqüência, opõem-se às exigências necessárias para a abordagem das mesmas. Sendo assim, buscam-se destacar suas principais características e possibilidades de superação de modo que sua retificação aponte novos caminhos para a implantação de uma forma de pensar e investigar coerentes com as condições da subjetividade.<hr/>In this article, epistemological obstacles are understood as a kind of though construction that does not integrate the complexity and the different conditions of the subjective process. The text begins with an introduction about the trajectory of subjectivity in both science and psychology. First, the subjectivity occupied a marginal place and it was seen as the oposite of objectivity; afterwards it became a central question, when it was reconized as an important moment to the construction of the knowledge. However, nowadays, clinical psychology faces huge difficulties, caused by the influences received from the dominant paradigm that are not coherent with the approach from the subjectivity. The epistemological obstacles -- general and totalitarian knowledge, trends toward patologization and hurried conclusions -- are examples of the influences that make subjectivity loose its potential as object of study, and, consequently, are opposed to the demands of this approach. This article seeks to show the main features of those obstacles and the possibilities of correction so as to suggest more coherents ways of thinking about and developing research on subjectivity. <![CDATA[<B>Groups activity with repetitive strain injuries workers</B>: <B>experience report</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100021&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo, apresenta-se e discute-se as contribuições da Psicologia ao estudo das Lesões por Esforços Repetitivos ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (LER/DORT). Privilegia-se a análise do trabalho com grupos de portadores de tal patologia, prestado por uma equipe multidisciplinar do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, em parceria com a Faculdade de Medicina e o Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Parte-se do pressuposto de que o estudo da relação entre saúde e trabalho constitui-se como importante espaço de atuação do psicólogo e que são necessárias produções textuais, a partir de relatos de experiências, que apresentem, sistematizem e fundamentem propostas de intervenção. As atividades com grupos, complementando os procedimentos terapêuticos convencionais, têm possibilitado que os portadores de LER/DORT possam diminuir sua culpabilização e reforçar sua independência e autonomia, minimizando, assim, o sofrimento psicológico associado à dor crônica e aos limites impostos pela doença.<hr/>This article presents and discusses the contributions of Psychology to the study of Repetitive Strain Injuries or Work Related Musculoskeletal Disorders. It privileges the analysis of the work carried out, jointly, by a multidisciplinary team of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, the Medical School and the Institute of Psychology of the Universidade Federal do Rio Grande do Sul, done with groups presenting that disease. It starts from the assumption that the study of the relationship between health and work is an important area for the psychologist and that research papers are necessary, based on experience reports, which present, systematize and lay the foundation procedures, has allowed the individuals to decrease his/her culpability and reinforce his/her independence and autonomy, thus minimizing the psychological suffering associated to the chronic pain and limitations imposed by the disease.