Scielo RSS <![CDATA[Revista Paulista de Pediatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-058220140004&lang=pt vol. 32 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Diagnóstico da faringoamigdalite estreptocócica em crianças e adolescentes: limitações do quadro clínico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400283&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Diagnóstico da faringoamigdalite estreptocócica em crianças e adolescentes: limitações do quadro clínico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400285&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To assess the utility of clinical features for diagnosis of streptococcal pharyngotonsillitis in pediatrics. METHODS: A total of 335 children aged 1-18 years old and presenting clinical manifestations of acute pharyngotonsillitis (APT) were subjected to clinical interviews, physical examinations, and throat swab specimen collection to perform cultures and latex particle agglutination tests (LPATs) for group A streptococcus (GAS) detection. Signs and symptoms of patients were compared to their throat cultures and LPATs results. A clinical score was designed based on the multivariate logistic regression analysis and also was compared to throat cultures and LPATs results. Positive throat cultures and/or LPATs results were used as a reference standard to establish definitive streptococcal APT diagnosis. RESULTS: 78 children (23.4%) showed positivity for GAS in at least one of the two diagnostic tests. Coryza absence (odds ratio [OR]=1.80; p=0.040), conjunctivitis absence (OR=2.47; p=0.029), pharyngeal erythema (OR=3.99; p=0.006), pharyngeal exudate (OR=2.02; p=0.011), and tonsillar swelling (OR=2.60; p=0.007) were significantly associated with streptococcal pharyngotonsilitis. The highest clinical score, characterized by coryza absense, pharyngeal exudate, and pharyngeal erythema had a 45.6% sensitivity, a 74.5% especificity, and a likelihood ratio of 1.79 for streptococcal pharyngotonsilitis. CONCLUSIONS: Clinical presentation should not be used to confirm streptococcal pharyngotonsilitis, because its performance as a diagnostic test is low. Thus, it is necessary to enhance laboratory test availability, especially of LPATs that allow an acurate and fast diagnosis of streptococcal pharyngotonsilitis. <hr/> OBJETIVO: Avaliar a utilidade do quadro clínico para o diagnóstico da faringoamigdalite estreptocócica na faixa pediátrica. MÉTODOS: 335 indivíduos de 1 a 18 anos com quadro clínico de faringoamigdalite foram submetidos a anamnese, exame clínico, cultura e teste de aglutinação de partículas do látex (TAPL) para o estreptoco β-hemolítico do grupo A (EBHGA) em swab orofaríngeo. Os sinais e sintomas foram comparados ao resultado da cultura e do TAPL e, em seguida, também o foi o agrupamento de sinais e sintomas definido por regressão logística multivariada, utilizado para gerar um escore clínico. Para o diagnóstico definitivo de faringoamigdalite estreptocócica, o padrão de referência foi a cultura e o TAPL, em paralelo. RESULTADOS: 78 indivíduos (23,4%) apresentaram resultados positivos para EBHGA em pelo menos um dos testes. Ausência de coriza (OR=1,80; p=0,04); ausência de conjuntivite (OR=2,44; p=0,029); hiperemia de orofaringe (OR=3,99; p=0,006); exsudato de orofaringe (OR=2,02; p=0,011) e hipertrofia de amígdalas (OR=2,60; p=0,007) apresentaram associação significante com a faringoamigdalite estreptocócica. A pontuação máxima no escore clínico, no qual figuram três características (ausência de coriza, exsudato de orofaringe e hiperemia de orofaringe) correspondeu a uma sensibilidade de 45,6%, uma especificidade de 74,5% e uma likelihood ratio de 1,79 para a presença de faringoamigdalite estreptocócica. CONCLUSÃO: O quadro clínico não deve ser usado isoladamente para confirmar o episódio de faringoamigdalite estreptocócica por apresentar um baixo desempenho diagnóstico. É necessário aumentar a disponibilidade de testes laboratoriais, em especial o TALP, que permite o diagnóstico rápido e acurado deste episódio. <![CDATA[Preditores clínicos, laboratoriais e radiográficos para infecção por Bordetella pertussis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400292&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To identify clinical, laboratorial and radiographic predictors for Bordetella pertussis infection. METHODS: This was a retrospective study, which analyzed medical records of all patients submitted to a molecular dignosis (qPCR) for B. pertussis from September 2011 to January 2013. Clinical and laboratorial data were reviewed, including information about age, sex, signs/symptoms, length of hospitalization, blood cell counts, imaging findings, coinfection with other respiratory pathogens and clinical outcome. RESULTS: 222 cases were revised. Of these, 72.5% had proven pertussis, and 60.9% were under 1 year old. In patients aging up to six months, independent predictors for B. pertussis infection were (OR 8.0, CI 95% 1.8-36.3; p=0.007) and lymphocyte count &gt;104/µL (OR 10.0, CI 95% 1.8-54.5; p=0.008). No independent predictors of B. pertussis infection could be determined for patients older than six months. Co-infection was found in 21.4% of patients, of which 72.7% were up to six months of age. Adenovirus was the most common agent (40.9%). In these patients, we were not able to identify any clinical features to detect patients presenting with a respiratory co-infection, even though longer hospital stay was observed in patients with co-infections (12 vs. 6 days; p=0.009). CONCLUSIONS: Cyanosis and lymphocytosis are independent predictors for pertussis in children up to 6 months old. <hr/> OBJETIVO: Identificar preditores clínicos, laboratoriais e radiológicos da infecção por Bordetella pertussis. MÉTODOS: Trabalho retrospectivo, com análise de prontuários clínicos de todos os indivíduos submetidos ao diagnóstico molecular (qPCR) para B. pertussis de setembro de 2011 à janeiro de 2013. Foram revistos dados clínicos e laboratoriais, incluindo informações sobre idade, sexo, sinais/sintomas, tempo de hospitalização, contagens de células sanguíneas, exames de imagem, co-infecção com outros patógenos respiratórios, e evolução clínica. RESULTADOS: 222 casos foram revistos, do quais 72,5% tinham coqueluche confirmada, sendo 60,9% menores de um ano de idade. Foram observados preditores independentes para B. pertussis em pacientes com menos de seis meses de idade. Nesses casos, os preditores identificados foram cianose (OR 8,0; CI 95% 1,8-36,3; p=0,007) e contagem de linfócitos &gt;104/µL (OR 10,0, CI 95% 1,8-54,5; p=0,008). Preditores de coqueluche não puderam ser determinados para crianças maiores de 6 meses de idade. Coinfecção foi encontrada em 21,4% dos pacientes, dos quais 72,7% tinham até seis meses de idade, sendo que o adenovírus foi o agente mais comum (40,9%). Nesses indivíduos, não foram observadas características clíncias capazes de distinguir pacientes com co-infecção, porém foi verificado um maior tempo de internação hospitalar nos pacientes com mais de um agente infeccioso detectado (12 vs. 6 dias; p=0,009). CONCLUSÕES: Cianose e linfocitose são preditores independentes para coqueluche em crianças com até seis meses de idade. <![CDATA[Perfil epidemiológico das intoxicações exógenas em crianças e adolescentes em município do Mato Grosso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400299&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To study the epidemiology of exogenous intoxications in children and adolescents of Barra Garças, Mato Grosso, from January 2008 to September 2013. METHOD: This was a cross-sectional, retrospective, and descriptive epidemiological study. Data were collected from the Disease Notification System (Sistema de Informação de Agravos de Notificação [SINAN]) of the municipality, processed using Microsoft Excel, and evaluated through BIOESTAT statistical software. The variables included were: sex; age; toxic agent; time and place of service; route of administration; circumstance; and classification of intoxication. The age range was established according to the Brazilian Institute of Geography and Statistics, comprising children aged from 0 to 9 years old and adolescents aged from 10 to 19 years old. RESULTS: A total of 125 cases of accidental exogenous poisoning was registered, including 77 children and 48 adolescents. Food and beverages (38.4%) and drugs (24.0%) were the most common groups of toxic agents responsible for the poisoning. The largest age group affected by intoxication was composed of children aged from 0 to 4 years old (43.2%) and adolescents aged from 10 to 14 years old (19.7%). Regarding the circumstances, intoxication occurred due to suicide attempts (16.8%) and accidental events (23.2%) in adolescents and children, respectively. The study revealed a higher frequency of poisoning in girls. CONCLUSION: Exogenous intoxications occurred predominantly in children up to 4 years old, through the accidental consumption of food or drinks. Thus, the adoption of educational prevention programs for children's family members and caregivers is necessary. <hr/> OBJETIVO: Caracterizar o perfil epidemiológico das intoxicações exógenas ocorridas em crianças e adolescentes em Barra do Garças, Mato Grosso, no período de janeiro/2008 a setembro/2013. MÉTODOS: Foi realizado um estudo epidemiológico descritivo transversal e retrospectivo . Os dados foram coletados através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do município e processados no Microsoft Excel e avaliados através do programa estatístico BIOESTAT. As variáveis avaliadas foram: sexo, idade, agente tóxico, local e tempo de atendimento, via de administração, circunstância e classificação final da intoxicação. A faixa etária foi a estabelecida segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: crianças com idade de 0 a 9 anos e adolescentes de 10 a 19 anos. RESULTADOS: Foram registrados 125 casos de intoxicações exógenas, sendo 77 em crianças e 48 em adolescentes. Os principais agentes tóxicos responsáveis pelas intoxicações foram alimentos e bebidas (38,4%) e medicamentos (24,0%). As faixas etárias mais acometidas por intoxicações foram: 0-4 anos (43,2%) e 10-14 anos (19,7%). Em relação às circunstâncias, as intoxicações ocorreram por tentativa de suicídio (16,8%) e acidental (23,2%), respectivamente em adolescentes e crianças. O estudo demonstrou maior frequencia de intoxicações no sexo feminino. CONCLUSÕES: Conclui-se que as intoxicações exógenas ocorreram predominantemente em crianças até 4 anos por meio do consumo de alimentos ou bebidas e de forma acidental. Assim, é necessária a adoção de medidas educativas de prevenção para os familiares e cuidadores de crianças. <![CDATA[O papel dos poluentes atmosféricos sobre o peso ao nascer em cidade de médio porte Paulista]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400306&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To investigate the effect of air pollution on birth weight in a medium-sized town in the State of São Paulo, Southeast Brazil. METHODS: Cross-sectional study using data from live births of mothers residing in São José dos Campos from 2005 to 2009. Data was obtained from the Department of Information and Computing of the Brazilian Unified Health System. Air pollutant data (PM10, SO2, and O3) and daily averages of their concentrations were obtained from the Environmental Sanitation &amp; Technology Company. Statistical analysis was performed by linear and logistic regressions using the Excel and STATA v.7 software programs. RESULTS: Maternal exposure to air pollutants was not associated with low birth weight, with the exception of exposure to SO2 within the last month of pregnancy (OR=1.25; 95% CI=1.00-1.56). Maternal exposure to PM10 and SO2 during the last month of pregnancy led to lower weight at birth (0.28g and 3.15g, respectively) for each 1mg/m3 increase in the concentration of these pollutants, but without statistical significance. CONCLUSIONS: This study failed to identify a statistically significant association between the levels of air pollutants and birth weight, with the exception of exposure to SO2 within the last month of pregnancy. <hr/> OBJETIVO: Verificar o efeito da poluição do ar sobre o peso ao nascer numa cidade de médio porte paulista. MÉTODOS: Estudo transversal, com dados relativos a todos os nascidos vivos de mães residentes no Município de São José dos Campos nos anos de 2005 a 2009. Foram obtidos dados do Departamento de Informações e Informática do Sistema Único de Saúde. Os dados dos poluentes do ar (PM10, SO2 e O3), as médias diárias de suas concentrações, foram fornecidos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Aplicou-se a regressão linear e a logística para a análise dos dados, realizadas nos programas Excel e STATA v.7. RESULTADOS: A exposição materna aos poluentes do ar não se associou ao nascimento de crianças com baixo peso, com exceção do SO2, no último mês de gestação (OR=1,25; IC95% 1,00-1,56). Além disso, a exposição materna ao PM10 e SO2 no último mês levou à diminuição do peso ao nascer (0,28g e 3,15g, respectivamente) para cada 1mcg/m3 de aumento da concentração desses poluentes, porém sem significância estatística. CONCLUSÕES: Este estudo não permitiu identificar associação estatística entre os níveis de concentração dos poluentes atmosféricos e o peso ao nascer, com exceção da exposição SO2, no último mês de gestação. <![CDATA[Prevalência e características clínicas da sibilância em crianças no primeiro ano de vida, residentes na cidade de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400313&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To evaluate the prevalence and the clinical characteristics of wheezing in infants aged 12 to 15 months in the city of Cuiabá, Mato Grosso State, Midwest Brazil. METHODS: Parents and/or guardians of infants were interviewed and completed a written standardized questionnaire of the Estudio Internacional de Sibilancia en Lactantes (EISL) - phase 3 at primary healthcare clinics at the same day of children vaccination or at home, from August of 2009 to November of 2010. RESULTS: 1,060 parents and/or guardians completed the questionnaire, and 514 (48.5%) infants were male. Among the studied infants, 294 (27.7%) had at least one episode of wheezing during the first year of life, beggining at 5.8±3.0 months of age, with a predominance of male patients. The prevalence of occasional wheezing (&lt;3 episodes of wheezing) was 15.0% and recurrent wheezing (≥3 episodes) was 12.7%. Among the infants with recurrent wheezing, the use of inhaled β2-agonist, oral corticosteroid, leukotriene receptor antagonist, as well as night symptoms, respiratory distress, and hospitalization due to severe episodes were significantly more frequent. Physician-diagnosed asthma was observed in 28 (9.5%) of the wheezing infants. Among the wheezing infants, 80 (27.7%) were diagnosed with pneumonia, of whom 33 (11.2%) required hospitalization; neverthless, no differences between occasional and recurrent wheezing infants were found. CONCLUSIONS: The prevalence of recurrent wheezing and physician-diagnosed asthma in infants were lower compared with those observed in other Brazilian studies. Recurrent wheezing had early onset and high morbity. <hr/> OBJETIVO: Determinar a prevalência e as características clínicas da sibilância em lactentes (12-15 meses) residentes em Cuiabá (MT). MÉTODOS: Pais e/ou responsáveis pela criança foram entrevistados e responderam ao questionário escrito padronizado do "Estudio Internacional de Sibilancia en Lactantes" (EISL) - fase 3, em unidades básicas de saúde por ocasião da vacinação de rotina ou durante visitas nos domicílios de crianças matriculadas nos programas de saúde da família no período de agosto de 2009 a novembro de 2010. RESULTADOS: 1060 pais e/ou responsáveis responderam ao questionário escrito, sendo 514 (48,5%) lactentes do sexo masculino. Dos lactentes, 294 (27,7%) tiveram pelo menos um episódio de sibilância no primeiro ano de vida, com início aos 5,8±3,0 meses e predomínio em meninos. A prevalência de sibilância ocasional (&lt;3 episódios de sibilância) foi 15% e a recorrente (≥3 episódios) foi 12,7%. Entre estes, o uso de broncodilatador inalado, corticosteroide oral, antileucotrieno, presença de sintomas noturnos, dificuldade para respirar e internação por sibilância foram significantemente mais frequentes. Diagnóstico médico de asma foi evidenciado em 28 (9,5%) dos lactentes sibilantes. Dos lactentes sibilantes, 80 (27,7%) relataram ocorrência prévia de pneumonia, sendo que 33 (11,2%) necessitaram internação para tratamento, porém não houve diferença entre os grupos de sibilantes. CONCLUSÃO: A prevalência de sibilância recorrente em lactentes foi mais baixa em comparação a outros estudos brasileiros, assim como o diagnóstico médico de asma. Sibilância recorrente teve início precoce e alta morbidade. <![CDATA[Função pulmonar de crianças com leucemia aguda na fase de manutenção da quimioterapia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400320&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: The aim of this study was to assess the pulmonary function of children with acute leukemia. METHODS: Cross-sectional observational analytical study that enrolled 34 children divided into groups A (17 with acute leukemia in the maintenance phase of chemotherapy) and B (17 healthy children). The groups were matched for sex, age and height. Spirometry was measured using a spirometer Microloop Viasys(r) in accordance with American Thoracic Society and European Respiratory Society guidelines. Maximal respiratory pressures were measured with an MVD300 digital manometer (Globalmed(r)). Maximal inspiratory pressures and maximal expiratory pressures were measured from residual volume and total lung capacity, respectively. RESULTS: Group A showed a significant decrease in maximal inspiratory pressures when compared to group B. No significant difference was found between the spirometric values of the two groups, nor was there any difference between maximal inspiratory pressure and maximal expiratory pressure values in group A compared to the lower limit values proposed as reference. CONCLUSION: Children with acute leukemia, myeloid or lymphoid, during the maintenance phase of chemotherapy exhibited unchanged spirometric variables and maximal expiratory pressure; However, there was a decrease in inspiratory muscle strength. <hr/> OBJETIVO: O objetivo desse estudo foi avaliar a função pulmonar de crianças com leucemia aguda. MÉTODOS: Trata-se de um estudo observacional do tipo analítico transversal com 34 crianças, divididas nos grupos A (17 crianças com leucemia aguda na fase de manutenção do tratamento quimioterápico) e B (17 crianças saudáveis). Os grupos foram pareados em relação ao sexo, idade e altura. A espirometria foi mensurada utilizando um espirômetro Microloop Viasys(r), de acordo com as recomendações da American Thoracic Society e European Respiratory Society. As pressões respiratórias máximas foram mensuradas utilizando um manovacuômetro digital MVD300 (Globalmed(r)). As pressões inspiratória máxima e expiratória máxima foram mensuradas a partir do volume residual e da capacidade pulmonar total, respectivamente. RESULTADOS: O grupo A apresentou diminuição significativa da pressão inspiratória máxima quando comparado ao grupo B. Não foram observadas diferenças entre os dados espirométricos dos dois grupos avaliados, bem como entre os valores de pressão inspiratória máxima e pressão expiratória máxima do grupo A com os limites inferiores propostos como referência. CONCLUSÃO: As crianças com leucemia aguda, linfoide ou mieloide não apresentam mudança das variáveis espirométricas e da pressão expiratória máxima durante o período de manutenção do tratamento quimioterápico; no entanto, há uma diminuição da pressão inspiratória máxima. <![CDATA[Deve-se individualizar a nutrição parenteral pediátrica?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400326&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUCTION: Parenteral nutrition (PN) formulations are commonly individualized, since their standardization appears inadequate for the pediatric population. This study aimed to evaluate the nutritional state and the reasons for PN individualization in pediatric patients using PN, hospitalized in a tertiary hospital in Campinas, São Paulo. METHODS: This longitudinal study comprised patients using PN followed by up to 67 days. Nutritional status was classified according to the criteria established by the World Health Organization (WHO) (2006) and WHO (2007). The levels of the following elements in blood were analyzed: sodium, potassium, ionized calcium, chloride, magnesium, inorganic phosphorus, and triglycerides (TGL). Among the criteria for individualization, the following were considered undeniable: significant reduction in blood levels of potassium (&lt;3mEq/L), sodium (&lt;125mEq/L), magnesium (&lt;1mEq/L), phosphorus (&lt;1.5mEq/L), ionic calcium (&lt;1mmol), and chloride (&lt;90mEq/L), or any value above the references. RESULTS: Twelve pediatric patients aged 1 month to 15 years were studied (49 individualizations). Most patients were classified as malnourished. It was observed that 74/254 (29.2%) of examinations demanded individualized PN for indubitable reasons. CONCLUSION: The nutritional state of patients was considered critical in most cases. Thus, the individualization performed in the beginning of PN for energy protein adequacy was indispensable. In addition, the individualized PN was indispensable in at least 29.2% of PN for correction of alterations found in biochemical parameters. <hr/> INTRODUÇÃO: As formulações da nutrição parenteral (NP) são comumente individualizadas, visto que a padronização destas parece inadequada para a população pediátrica. O objetivo do estudo foi avaliar o estado nutricional e os motivos para individualização da NP dos pacientes pediátricos em uso de NP internados em um hospital terciário de Campinas-SP. MÉTODOS: Estudo longitudinal conduzido com pacientes acompanhados por até 67 dias de uso de NP. Para a classificação do estado nutricional, foram utilizados os critérios propostos pela World Health Organization (WHO) (2006) e WHO (2007). As dosagens sanguíneas analisadas foram: sódio, potássio, cálcio iônico, cloreto, magnésio, fósforo inorgânico e triglicerídeo (TGL). Foram considerados motivos indubitáveis para individualização da NP quando esses elementos apresentavam redução expressiva dos níveis sanguíneos (potássio &lt;3 mEq/L; sódio &lt;125 mEq/L; magnésio &lt;1 mEq/L; fósforo &lt;1,5 mEq/L; cálcio iônico &lt;1 mmol/L; cloreto &lt;90 mEq/L) ou qualquer valor superior aos de referência. RESULTADOS: Foram estudados 12 pacientes (49 individualizações) com idade de 1 mês a 15 anos. A maioria dos pacientes foi classificada como desnutrida. Observou-se que 74/254 (29,2%) dos exames demandaram NP individualizada por motivos indubitáveis. CONCLUSÃO: O estado nutricional dos pacientes foi considerado crítico, na maioria dos casos. Desta forma, a individualização realizada no início da NP para a adequação energética proteica foi essencial. Além disto, a NP individualizada foi indispensável em, no mínimo, 29,2% das NP, para correção das alterações encontradas nos exames bioquímicos. <![CDATA[Índices antropométricos em escolares de um município no Sul do Brasil: análise descritiva utilizando o método LMS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400333&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To describe the percentile values for body mass index (BMI), waist circumference (WC) and waist-to-height (WHtR) of children from Colombo, Brazil, and compare them with data of children from other countries. METHODS: This was a cross-sectional study with a random sample of 2,035 children aged 6-11 years. Age- and sex-specific smoothed percentiles curves for BMI, WC and WHtR were created using the LMS method. Values of 10th, 50th and 90th percentiles from Brazilian children were compared with data from other countries. RESULTS: There was a trend of increasing BMI and WC with age in both sexes. WHtR remained constant with advancing age in boys and girls. Comparison of the growth pattern among countries showed clear differences. Southern Brazil boys and girls had elevated 90th percentile values for BMI, which was similar to German children and higher than the North American and World Health Organization percentile values. However, children from this study had intermediate values for WC and WHtR in comparison to children from other countries. CONCLUSIONS: Elevated BMI values were observed among southern Brazilian children, but WC and WHtR percentile values were lower in southern Brazilian children than in children from other countries. Interventions at different levels should be made to avoid a probable increase of nutritional disorders (especially general obesity) in the next years. <hr/> OBJETIVO: Descrever os valores percentílicos do índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC) e relação cintura-estatura (RCEst) em crianças de Colombo, Brasil, e compará-los com os de crianças de outros países. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra probabilística de 2.035 crianças de 6 a 11 anos de idade. Valores percentílicos do IMC, CC e RCEst, suavizados e específicos para sexo e idade, foram calculados utilizando o método LMS. Os percentis 10, 50 e 90 foram comparados com dados de diferentes países. RESULTADOS: Houve uma clara tendência de aumento do IMC e da CC com a idade, em ambos os sexos. Os valores da RCEst permaneceram estáveis com o avanço da idade, em meninos e meninas. A comparação do padrão de crescimento mostrou claras diferenças entre os países. Meninos e meninas deste estudo tiveram elevados valores de percentil 90 para o IMC, semelhantes aos de crianças alemãs e superiores aos de crianças americanas e do padrão da Organização Mundial de Saúde. Contudo, as crianças deste estudo tiveram valores intermediários para a CC e RCEst, em comparação com crianças de outros países. CONCLUSÃO: Valores elevados para IMC e intermediários para CC e RCEst foram observados, em comparação às crianças de outros países. Intervenções em diferentes níveis sociais podem evitar uma provável elevação de disfunções nutricionais (principalmente obesidade geral) nos próximos anos. <![CDATA[Parâmetros físicos, clínicos e psicossociais de adolescentes com diferentes graus de excesso de peso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400342&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To compare body composition, hemodynamic parameters, health-related physical fitness, and health-related quality of life of adolescents with anthropometric diagnosis of overweight, obesity, and severe obesity. METHODS: 220 adolescents with excess body weight were enrolled. They were beginners in a intervention program that included patients based on age, availability, presence of excess body weight, place of residence, and agreement to participate in the study . This study collected anthropometric and hemodynamic variables, health-related physical fitness, and health-related quality of life of the adolescents. To compare the three groups according to nutritional status, parametric and non-parametric tests were applied. Significance level was set at p&lt;0.05. RESULTS: There was no significant difference in resting heart rate, health-related physical fitness, relative body fat, absolute and relative lean mass, and health-related quality of life between overweight, obese, and severely obese adolescents (p&gt;0.05). Body weight, body mass index, waist and hip circumference, and systolic blood pressure increased as degree of excess weightincreased (p&lt;0.05). Dyastolic blood pressure of the severe obesity group was higher than the other groups (p&lt;0.05). There was an association between the degree of excess weight and the prevalence of altered blood pressure (overweight: 12.1%; obesity: 28.1%; severe obesity: 45.5%; p&lt;0.001). The results were similar when genders were analyzed separately. CONCLUSION: Results suggest that overweight adolescents presented similar results compared to obese and severely obese adolescents in most of the parameters analyzed. <hr/> OBJETIVO: Comparar composição corporal, parâmetros hemodinâmicos, aptidão física relacionada à saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adolescentes com o diagnóstico antropométrico de sobrepeso, obesidade e obesidade grave. MÉTODOS: Foram selecionados 220 adolescentes com excesso de peso, ingressantes em um programa de intervenção segundo os critérios de inclusão neste programa, baseados na idade, disponibilidade, presença de excesso de peso, local de residência e concordância na participação do estudo. Foram coletadas variáveis antropométricas, hemodinâmicas, aptidão física relacionada à saúde e qualidade de vida relacionada à saúde dos adolescentes. Para a análise de comparação entre os três grupos, foram utilizados testes paramétricos e não paramétricos quando apropriado. A significância foi pré-estabelecido em p&lt;0,05. RESULTADOS: Não houve diferença significativa para a frequência cardíaca de repouso, aptidão física relacionada à saúde, gordura relativa, massa magra (relativa e absoluta) e qualidade de vida relacionada à saúde entre adolescentes com sobrepeso, obesos e obesos graves (p&gt;0,05). O peso, índice de massa corporal, circunferência de cintura e de quadril e pressão arterial sistólica aumentaram conforme aumentou o grau de excesso de peso (p&lt;0,05). A pressão arterial diastólica do grupo com obesidade grave foi maior que a dos demais grupos (p&lt;0,05). Observou-se associação entre o aumento grau de excesso de peso e a prevalência de pressão arterial alterada (sobrepeso: 12,1%; obesidade: 28,1%; obesidade grave: 45,5%; p&lt;0,001). Os resultados foram semelhantes quando os sexos foram analisados separadamente. CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que adolescentes com sobrepeso apresentam resultados semelhantes aos obesos e obesos graves nas variáveis analisadas. <![CDATA[Estado nutricional, alterações metabólicas e células brancas na adolescência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400351&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To analyze the relationship between the peripheral blood white cells, metabolic changes, and nutritional status of adolescents with and without excess weight and body fat. METHODS: This cross-sectional study evaluated the body mass index (BMI) and percentage body fat (%BF) in 362 adolescents from 15 to 19 years of age, of both sexes. White blood cell count, platelet count, uric acid, fasting glucose, insulin, and lipid profile were measured. The inclusion criteria were agreement to participate in the study and signature of the informed consent. Exclusion criteria were: presence of chronic or infectious disease; use of medications that could cause changes in biochemical tests; pregnancy; participation in weight reduction and weight control programs; use of diuretics and laxatives; or the presence of a pacemaker. The following statistical tests were applied: Kolmogorov-Smirnov test, Student's t or Mann-Whitney test, Pearson or Spearman correlation tests, and chi-squared test, considering p&lt;0.05. RESULTS: Overweight was observed in 20.7% of adolescents. The total cholesterol (TC) had a higher percentage of inadequacy (52.2%), followed by high-density lipoprotein (HDL) (38.4%). There was a positive correlation between white cells and serum lipids, insulin, body fat, and BMI. Monocytes were negatively correlated with BMI, and rods with BMI, body fat, and insulin. CONCLUSIONS: Nutritional status is related to an inflammatory process, and adolescents with excess weight or body fat presented higher amounts of white blood cells. <hr/> OBJETIVO: Analisar a relação entre as células brancas do sangue periférico e as alterações metabólicas e estado nutricional de adolescentes com e sem excesso de peso e gordura corporal. MÉTODOS: Avaliou-se, em estudo transversal, o Índice de Massa Corporal (IMC) e o percentual de gordura corporal (%GC) em 362 adolescentes de 15 a 19 anos de idade, de ambos os sexos. Os critérios gerais de inclusão foram: ter aceitado participar da pesquisa e assinado o termo de consentimento livre e esclarecido. Os critérios de exclusão foram: relatar a presença de doenças crônicas ou infecciosas; usar medicamentos que pudessem causar alteração nos exames bioquímicos; ter engravidado; ter participado de programas de redução e controle de peso; usar diuréticos/laxantes ou usar marcapasso. Realizou-se leucograma, contagem de plaquetas, ácido úrico, glicemia de jejum, insulina e perfil lipídico. Utilizaram-se os testes Kolmogorov-Smirnov, t de Student ou Mann Whitney, correlação de Pearson ou de Spearman e qui-quadrado, considerando significante p&lt;0,05. RESULTADOS: Excesso de peso foi verificado em 20,7% dos adolescentes. O colesterol total (CT) apresentou maior porcentagem de inadequação (52,2%), seguido da lipoproteína de alta densidade (HDL) (38,4%). Encontraram-se correlações positivas entre células brancas e lipídeos séricos, insulina, gordura corporal e IMC. Os monócitos apresentaram correlação negativa com IMC e os bastonetes com IMC, gordura corporal e insulina. CONCLUSÕES: O estado nutricional está relacionado com um quadro inflamatório, sendo que adolescentes com excesso de peso e/ou de gordura corporal apresentaram maiores quantidades de células brancas. <![CDATA[Fatores associados aos baixos níveis de força lombar em adolescentes do Sul do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400360&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To determine the prevalence and factors associated with low levels of lumbar strength in adolescents. METHOD: This was a cross-sectional study involving 601 adolescents, aged 14 to 17 years, enrolled in public schools in the western region of Santa Catarina State - Southern Brazil. Lumbar strength was analyzed by the lumbar extension test developed by the Canadian Society of Exercise Physiology, which proposes different cutoffs for boys and girls. Independent variables were sex, age, socioeconomic status, dietary habits, alcohol consumption, physical activity, and aerobic fitness. For data analysis, univariate and multivariate logistic regression were used, with significance level of 5%. RESULTS: The prevalence of low levels of lumbar strength was 27.3%. The population subgroups most likely to present low levels of lumbar strength were females (OR: 1.54, 95% CI : 1.06 to 2.23), adolescents with low levels of aerobic fitness (OR: 2.10, 95% CI: 1.41 to 3.11) and the overweight (OR: 2.28, 95% CI: 1.35 to 3.81). CONCLUSION: Almost one-third of the studied students have low levels of lumbar strength. Interventions in the school population should be taken with special attention to female adolescents, those with low levels of aerobic fitness, and those with overweight, as these population subgroups were most likely to demostrate low levels of lumbar strength. <hr/> OBJETIVO: Verificar a prevalência e fatores associados a baixos níveis de força lombar em adolescentes. MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal, com 601 adolescentes de 14 a 17 anos, estudantes de escolas públicas do oeste de Santa Catarina - Brasil. Analisou-se a força lombar por meio do teste de extensão lombar proposto pela Sociedade Canadense de Fisiologia do Exercício que propõe pontos de corte distintos para rapazes e moças. As variáveis independentes analisadas foram: sexo, idade, nível econômico, hábitos alimentares, consumo de álcool, atividade física e aptidão aeróbia. Para a análise dos dados utilizou-se a regressão logística uni e multivariável com nível de significância de 5%. RESULTADOS: A prevalência de baixos níveis de força lombar foi de 27,3%. Os subgrupos populacionais com maiores chances de baixos níveis de força lombar foram o sexo feminino (OR: 1,54; IC95%: 1,06-2,23), adolescentes com baixo nível de aptidão aeróbia (OR: 2,10; IC95%: 1,41-3,11) e com excesso de peso (OR: 2,28; IC95%: 1,35-3,81). CONCLUSÃO: Quase um terço dos estudantes de escolas públicas do Oeste Catarinense apresentaram baixos níveis de força lombar. Intervenções na população escolar devem ser adotadas com atenção especial aos estudantes do sexo feminino, aqueles com baixos níveis de aptidão aeróbia e com excesso de peso, pois foram os subgrupos populacionais com maiores chances de baixos níveis de força lombar. <![CDATA[Vulnerabilidades de crianças admitidas em unidade de internação pediátrica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400367&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To identify the vulnerabilities of children admitted to a pediatric inpatient unit of a university hospital. METHODS: Cross-sectional, descriptive study from April to September 2013 with36 children aged 30 days to 12 years old, admitted to medical-surgical pediatric inpatient units of a university hospital and their caregivers. Data concerning sociocultural, socioeconomic and clinical context of children and their families were collected by interview with the child caregiver and from patients, records, and analyzed by descriptive statistics. RESULTS: Of the total sample, 97.1% (n=132) of children had at least one type of vulnerability, the majority related to the caregiver's level of education, followed by caregiver's financial situation, health history of the child, caregiver's family situation, use of alcohol, tobacco, and illicit drugs by the caregiver, family's living conditions, caregiver's schooling, and bonding between the caregiver and the child. Only 2.9% (n=4) of the children did not show any criteria to be classified in a category of vulnerability. CONCLUSIONS: Most children were classified has having a social vulnerability. It is imperative to create networks of support between the hospital and the primary healthcare service to promote healthcare practices directed to the needs of the child and family. <hr/> OBJETIVO: Identificar as vulnerabilidades de crianças admitidas em unidade de internação pediátrica de um hospital universitário. MÉTODOS: Estudo transversal, descritivo, realizado de abril a setembro de 2013. A amostra foi constituída por 136 crianças de 30 dias a 12 anos incompletos admitidas em unidades clínico-cirúrgicas de internação pediátrica de um hospital universitário, e seus responsáveis. Dados referentes ao contexto sociocultural, socioeconômico e clínico das crianças e suas famílias foram coletados por entrevista com o responsável da criança e por prontuário dos pacientes, sendo analisados por estatística descritiva. RESULTADOS: Do total da amostra, 97,1% (n=132) das crianças tinham pelo menos um tipo de vulnerabilidade, relacionadas, na sua maioria, ao nível de escolaridade do responsável da criança, seguida por: situação financeira do responsável, histórico de saúde da criança, situação familiar do responsável, uso de álcool, tabaco e drogas ilícitas pelo responsável, condições de moradia da família, nível de escolaridade da criança e vínculo do responsável com a criança. Apenas 2,9% (n=4) das crianças não apresentaram critérios que as classificassem como pertencentes a um tipo de vulnerabilidade, conforme pesquisado. CONCLUSÕES: A maioria das crianças foi classificada com vulnerabilidade social. A criação de redes de apoio entre o ambiente hospitalar e a atenção básica, promovendo a utilização de práticas direcionadas para as necessidades de cada criança e sua família, torna-se imperativa. <![CDATA[Análise espacial da mortalidade neonatal no estado de São Paulo, 2006-2010]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400374&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: The aim of this study was to identify spatial patterns of distribution of overall, early, and late neonatal mortality rates in São Paulo state. METHODS: An ecological and exploratory study was carried in micro-regions of São Paulo sate. Mortality rates per 1,000 live births (LB) were calculated using data on overall, early, and late neonatal mortality in São Paulo between 2006 and 2010; these data were obtained from Information System and Information Technology Department of the Brazilian National Healthcare System (DATASUS). The global Moran's indices (I) were calculated for rates and thematic maps were built with these rates. Micro-regions with a high priority for intervention were identified by the box map. The software TerraView 4.2.1 was used for spatial analysis. RESULTS: The rates of early and late neonatal mortality were 6.2 per thousand LB and 2.5 per thousand LB, respectively. The global Moran's indexes (I) were I=0.13, I=0.15, and I=0.26 for overall, early, and late neonatal mortality rates, respectively; all global Moran's indices showed p-values &lt;0.05. Thematic maps showed clusters of micro-regions with high rates located in the southwest and east of the state. CONCLUSION: The results presented in this study allow the implementation of policies by health managers, aiming to reduce neonatal mortality. <hr/> OBJETIVO: Identificar padrões espaciais da distribuição da mortalidade neonatal total, precoce e tardia no Estado de São Paulo. MÉTODOS: Estudo ecológico e exploratório realizado em microrregiões do estado de São Paulo. Foram obtidos do Departamento de Informações e Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus) dados sobre mortalidade neonatal total, precoce e tardia no estado de São Paulo entre 2006 e 2010. Foram calculadas as taxas de mortalidade por 1000 nascidos vivos (NV). Calcularam-se os índices de Moran global dessas taxas e construídos mapas temáticos; foi construído o Box Map para identificar microrregiões com alta prioridade de intervenção. A análise espacial foi realizada utilizando o programa computacional TerraView 4.2.1. RESULTADOS: As taxas de mortalidade neonatal precoce e tardia, foram respectivamente de 6,2/1000 NV e 2,5/1000 NV. Os índices de Moran global (I) foram I=0,13, I=0,15 e I=0,26 para as taxas de mortalidade neonatal total, precoce e tardia, respectivamente, todos com p-valor &lt;0,05. Houve aglomerados de microrregiões com altas taxas localizados no sudoeste e leste do estado. CONCLUSÃO: Com os resultados das análises obtidas neste estudo é possível aos gestores de saúde a implantação de políticas para redução da mortalidade neonatal. <![CDATA[Extremos de idade materna e mortalidade infantil: análise entre 2000 e 2009]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400381&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To analyze the characteristics of infant mortality at the extremes of maternal age. METHOD: Retrospective, cross-sectional quantitative study using data from Live Birth Certificates, Death Certificates and from Child Death Investigation records in Londrina, Paraná, in the years of 2000-2009. RESULTS: During the 10-year study period , there were 176 infant deaths among mothers up to 19 years of age, and 113 deaths among mothers aged 35 years or more. The infant mortality rate among young mothers was 14.4 deaths per thousand births, compared to 12.9 deaths in the other age group. For adolescent mothers, the following conditions prevailed: lack of a stable partner (p&lt;0.001), lack of a paid job (p&lt;0.001), late start of prenatal care in the second trimester of pregnancy (p&lt;0.001), fewer prenatal visits (p&lt;0.001) and urinary tract infections (p&lt;0.001). On the other hand, women aged 35 or more had a higher occurrence of hypertension during pregnancy (p&lt;0.001), and of surgical delivery (p&lt;0.001). Regarding the underlying cause of infant death, congenital anomalies prevailed in the group of older mothers (p=0.002), and external causes were predominant in the group of young mothers (p=0.019). CONCLUSION: Both age groups deserve the attention of social services for maternal and child health, especially adolescent mothers, who presented a higher combination of factors deemed hazardous to the child's health. <hr/> OBJETIVO: Analisar as características do óbito infantil nos extremos de idade materna. MÉTODO: Estudo quantitativo, do tipo retrospectivo e transversal, utilizando dados da Declaração de Nascido Vivo, Declaração de Óbito e Ficha de Investigação do Óbito Infantil em Londrina, Paraná, nos anos de 2000 a 2009. RESULTADOS: Nos dez anos de estudo, houve 176 óbitos infantis de mães com até 19 anos, e 113 de mães com 35 anos ou mais. A taxa de mortalidade infantil entre as mães jovens foi de 14,4 mortes a cada mil nascimentos, comparado a 12,9 mortes no outro grupo etário. Para as mães adolescentes, prevaleceu situação conjugal sem companheiro (p&lt;0,001), não exercer atividade remunerada (p&lt;0,001), início tardio do pré-natal no segundo trimestre de gestação (p&lt;0,001), menor número de consultas pré-natais (p&lt;0,001) e infeções urinárias (p&lt;0,001). Por outro lado, as mulheres com 35 anos ou mais tiveram maior frequência de hipertensão arterial durante a gestação (p&lt;0,001) e de parto cirúrgico (p&lt;0,001). Com relação à causa básica do óbito infantil, as anomalias congênitas predominaram no grupo de mães com idade avançada (p=0,002), e as causas externas, no grupo de mães jovens (p=0,019). CONCLUSÃO: Ambos os grupos etários merecem atenção dos serviços assistenciais de saúde materna e infantil, especialmente as mães adolescentes que agregaram maior conjunto de fatores considerados de risco à saúde da criança. <![CDATA[Impacto de intervenção baseada em realidade virtual sobre o desempenho motor e equilíbrio de uma criança com paralisia cerebral: estudo de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400389&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To verify the effect of an intervention protocol using virtual reality (VR) on the motor performance and balance of a child with cerebral palsy (CP). CASE DESCRIPTION: To comply with the proposed objectives, a 7-year old child with spastic hemiplegic cerebral palsy (CP), GMFCS level I, was submitted to a physiotherapy intervention protocol of 12 45-minute sessions, twice a week, using virtual reality-based therapy. The protocol used a commercially-available console (XBOX(r)360 Kinect(r)) able to track and reproduce body movements on a screen. Prior to the intervention protocol, the child was evaluated using the Motor Development Scale (MDS) and the Pediatric Balance Scale (PBS) in order to assess motor development and balance, respectively. Two baseline assessments with a 2-week interval between each other were carried out for each tool. Then, the child was re-evaluated after the twelfth session. The results showed no changes in the two baseline scores. After the intervention protocol, the child improved his scores in both tools used: the PBS score increased by 3 points, reaching the maximal score, and the MDS increased from a much inferior motor performance to just an inferior motor performance. COMMENTS: The evidence presented in this case supports the use of virtual reality as a promising tool to be incorporated into the rehabilitation process of patients with neuromotor dysfunction. <hr/> OBJETIVO: O estudo buscou verificar o efeito de um protocolo terapêutico baseado em realidade virtual (RV) sobre o desempenho motor e o equilíbrio funcional de uma criança com paralisia cerebral (PC). DESCRIÇÃO DO CASO: Uma criança com PC hemiplégica espástica de 7 anos, nível de GMFCS I, foi submetida a um protocolo de intervenção fisioterapêutica de 12 sessões de 45 minutos, numa frequência de duas vezes semanais, com o uso de terapia baseada em RV. Utilizou-se um console comercialmente disponível (XBOX(r)360 Kinect(r)) capaz de rastrear a movimentação corporal, reproduzindo-a em uma tela. Anteriormente à intervenção, foram realizadas avaliações de seu desenvolvimento motor e equilíbrio por meio dos instrumentos: Escala de desenvolvimento Motor (EDM) e Pediatric Balance Scale (PBS), respectivamente. Foram realizadas duas avaliações com espaço de uma semana como linha de base e uma reavaliação após as 12 sessões. Não foram observadas diferenças nos escores dos instrumentos nas duas avaliações iniciais. Depois do protocolo de intervenção, o paciente aumentou o escore do instrumento PBS em três pontos, atingindo o teto da escala e, no instrumento EDM, passou de um desempenho motor muito inferior para apenas inferior. COMENTÁRIOS: As evidências apresentadas pelo presente relato apoiam o uso da RV como uma promissora ferramenta a ser incorporada no processo de reabilitação de paciente com disfunções neuromotoras. <![CDATA[Escalas de avaliação de dor em recém-nascidos: revisão integrativa]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400395&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To analyze studies on methods used to assess pain in newborns. DATA SOURCES: Integrative review study of articles published from 2001 to 2012, carried out in the following databases: Scopus, PubMed, CINAHL, LILACS and Cochrane. The sample consisted of 13 articles with level of evidence 5. DATA SYNTHESIS: 29 pain assessment scales in newborns, including 13 one-dimensional and 16 multidimensional, that assess acute and prolonged pain in preterm and full-term infants were available in scientific publications. CONCLUSION: Based on the characteristics of scales, one cannot choose a single one as the most appropriate scale, as this choice will depend on gestational age, type of painful stimulus and the environment in which the infant is inserted. It is suggested the use of multidimensional or one-dimensional scales; however, they must be reliable and validated. <hr/> OBJETIVO: Analisar, em artigos científicos, os métodos utilizados para avaliação da dor em recém-nascidos. FONTES DOS DADOS: Estudo de revisão integrativa de artigos publicados de 2001 a 2012, realizado nas bases: Scopus, PubMed, CINAHL, LILACS e Cochrane. A amostra constitui-se de 13 artigos, todos com níveis de evidência 5. SÍNTESE DOS DADOS: Constataram-se pelo menos 29 escalas de avaliação de dor em recém-nascidos disponíveis em publicações cientificas, sendo 13 unidimensionais e 16 multidimensionais, que contemplam recém-nascidos pré-termo e a termo, para avaliação de dor aguda e prolongada. CONCLUSÃO: Com base nas características das escalas, não se pode eleger a mais adequada, pois a escolha dependerá da idade gestacional, do tipo de estímulo doloroso e do contexto em que o recém-nascido se apresenta. Sugere-se a utilização de escalas unidimensionais ou multidimensionais, porém, estas devem ser validadas e confiáveis. <![CDATA[Repercussões nutricionais em crianças e adolescentes na presença de doenças inflamatórias intestinais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822014000400403&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To perform a sistematiy review of the literature about the nutritional impact of inflammatory bowel diseases in children and adolescents. DATA SOURCES: A systematic review was performed using PubMed/MEDLINE, LILACS and SciELO databases, with inclusion of articles in Portuguese and in English with original data, that analyzed nutritional aspects of inflammatory bowel diseases in children and adolescents. The initial search used the terms "inflammatory bowel diseases" and "children" or "adolescents" and "nutritional evaluation" or "nutrition deficiency". The selection of studies was initially performed by reading the titles and abstracts. Review studies and those withouth data for pediatric patients were excluded. Subsequently, the full reading of the articles considered relevant was performed. RESULTS: 237 studies were identified, and 12 of them were selected according to the inclusion criteria. None of them was performed in South America. During the analysis of the studies, it was observed that nutritional characteristics of patients with inflammatory bowel disease may be altered; the main reports were related to malnutrition, growth stunting, delayed puberty and vitamin D deficiency. CONCLUSION: There are nutritional consequences of inflammatory bowel diseases in children and adolescents, mainly growth stunting, slower pubertal development, underweight and vitamin deficiencies. Nutritional impairments were more significant in patients with Crohn's disease; overweight and obesity were more common in patients with ulcerative rectocolitis. A detailed nutritional assessment should be performed periodically in children and adolescents with inflammatory bowel disease. <hr/> OBJETIVO: Realizar revisão sistemática de literatura sobre repercussões nutricionais em crianças e adolescentes na presença de doenças inflamatórias intestinais. FONTES DE DADOS: Realizada revisão sistemática utilizando as bases de dados PubMed/MEDLINE, LILACS e SciELO, com inclusão de artigos em língua portuguesa e inglesa com dados originais que analisaram aspectos nutricionais de crianças ou adolescentes com doenças inflamatórias intestinais. Na busca inicial, utilizaram-se os termos "inflammatory bowel diseases" and "children" or "adolescents" and "nutritional evaluation" or "nutrition deficiency". A seleção de estudos foi feita, inicialmente, por meio da leitura dos títulos e resumos. Foram excluídos estudos de revisão e sem resultados para faixa pediátrica. Em um segundo momento, foi realizada leitura completa dos artigos considerados relevantes. SÍNTESE DE DADOS: Foram identificados 237 estudos - desses, 12 foram selecionados de acordo com os critérios de inclusão, não havendo nenhum na América do Sul. Na análise dos artigos, foi observado que características nutricionais em pacientes com doenças inflamatórias intestinais podem estar alteradas, sendo relatados principalmente desnutrição, retardo de crescimento e puberdade e deficiência de vitamina D. CONCLUSÃO: Há alterações nutricionais nas doenças inflamatórias intestinais em pediatria, ressaltando-se parada no crescimento e desenvolvimento puberal, baixo peso e deficiências vitamínicas. Os comprometimentos nutricionais relatados são mais expressivos nos pacientes portadores de Doença de Crohn, e sobrepeso e obesidade mais frequentes na Retocolite Ulcerativa. A avaliação nutricional detalhada deve ser realizada periodicamente em todas crianças e adolescentes portadores de doenças inflamatórias intestinais.