Scielo RSS <![CDATA[Revista Paulista de Pediatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-058220180001&lang=pt vol. 36 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[QUESTÕES RELACIONADAS AO RASTREAMENTO DE PROBLEMAS EMOCIONAIS/COMPORTAMENTAIS EM PRÉ-ESCOLARES]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[DOENÇAS RESPIRATÓRIAS AGUDAS EM CRIANÇAS BRASILEIRAS: OS CUIDADORES SÃO CAPAZES DE DETECTAR OS PRIMEIROS SINAIS DE ALERTA?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Avaliar o nível de conhecimento do cuidador em relação aos sinais e sintomas respiratórios de Infecções Respiratórias Agudas (IRA) e a percepção dos mesmos em relação às crianças que necessitam de assistência médica. Métodos: Estudo prospectivo e transversal, no qual um questionário padronizado com itens relacionados à percepção da gravidade dos sinais e sintomas de IRA foi administrado a cuidadores de pacientes pediátricos admitidos no serviço de emergência de um hospital universitário no período de agosto de 2011 a maio de 2012. A análise estatística foi realizada com os testes do qui-quadrado e t-Student para determinar quais variáveis contribuíram para o reconhecimento pelos cuidadores da gravidade das doenças respiratórias agudas. Resultados: Foram entrevistados 499 cuidadores. As causas de IRA mais citadas foram Síndrome gripal (78,6%), Resfriado comum (73,9%), Faringites (64,1%) e Pneumonia (54,5%). Febre (34,1%) e Tosse (15,8%) foram as principais razões para a procura de atendimento. Os sinais de gravidade mais citados pelos cuidadores foram: febre (99,6%), dispneia (91,4%), sibilância (86,4%), adinamia (80,2%), tosse (79,8%) e taquipneia (78,6%). O histórico de doença respiratória anterior do paciente (p=0,002), a idade (p=0,010) e o estado civil do cuidador (p=0,014) foram as variáveis significativamente associadas com taquipneia, o sintoma mais grave de IRA. Conclusões: Embora cuidadores pediátricos possam perceber os principais sinais de IRA, eles não são capazes de reconhecer a gravidade destes, o que pode atrasar os cuidados médicos e impedir o tratamento precoce.<hr/>ABSTRACT Objective: To assess the level of caregiver knowledge about respiratory signs and symptoms of acute respiratory infection (ARI) as well as their ability to detect the early warning signs and need for medical assistance in children referred to an emergency service. Methods: This is a prospective, cross-sectional study. A standardized questionnaire with questions on the perception of the severity of ARI signs and symptoms was applied to caregivers of pediatric patients assisted in the emergency room of a university hospital from August 2011 to May 2012. Chi-square and Student’s t-tests were used to determine which variables contributed with caregivers’ recognition of severity of acute respiratory diseases. Results: 499 caregivers were interviewed. The most cited causes of ARI were flu syndrome (78.6%), common cold (73.9%), pharyngitis (64.1%), and pneumonia (54.5%). Fever (34.1%) and cough (15.8%) were major reasons for referral to hospital. The most cited signs of severity recognized by caregivers were fever (99.6%), dyspnea (91.4%), wheezing (86.4%), adynamia (80.2%), coughing (79.8%), and tachypnea (78.6%). Children’s history of respiratory diseases (p=0.002), caregiver’s age (p=0.010) and marital status (p=0.014) were significantly associated with tachypnea, the most severe ARI symptom. Conclusions: Although caregivers of children can recognize ARI most important signs and symptoms, they are unable to judge severity, which may delay medical care and early treatment. <![CDATA[MODELOS COMPUTACIONAIS <em>FUZZY</em> PARA AVALIAR EFEITOS DA POLUIÇÃO DO AR EM CRIANÇAS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Construir um modelo computacional fuzzy para estimar o número de internações de crianças até 10 anos por doenças respiratórias, com base nos dados de poluentes e fatores climáticos da cidade de São José do Rio Preto, Brasil. Métodos: Foi construído modelo computacional utilizando a lógica fuzzy. O modelo tem 4 entradas, cada uma com 2 funções de pertinência gerando 16 regras, e a saída com 5 funções de pertinência, baseado no método de Mamdani, para estimar a associação entre os poluentes e o número de internações. Os dados de internações, de 2011-2013, foram obtidos no Departamento de Informática do Sistema de Saúde (DATASUS) e os poluentes material particulado (PM10) e dióxido de nitrogênio (NO2), a velocidade do vento e a temperatura foram obtidos pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Resultados: Foram internadas 1.161 crianças no período analisado, e a média dos poluentes foi 36 e 51 µg/m3 - PM10 e NO2, respectivamente. Os melhores valores da correlação de Pearson (0,34) e da acurácia avaliada pela curva Receiver Operating Characteristic - ROC (NO2 - 96,7% e PM10 - 90,4%) foram para internações no mesmo dia da exposição. Conclusões: O modelo mostrou-se eficaz na predição do número de internações de crianças, podendo ser utilizado como ferramenta na gestão hospitalar da região estudada.<hr/>ABSTRACT Objective: To build a fuzzy computational model to estimate the number of hospitalizations of children aged up to 10 years due to respiratory conditions based on pollutants and climatic factors in the city of São José do Rio Preto, Brazil. Methods: A computational model was constructed using the fuzzy logic. The model has 4 inputs, each with 2 membership functions generating 16 rules, and the output with 5 pertinence functions, based on the Mamdani’s method, to estimate the association between the pollutants and the number of hospitalizations. Data from hospitalizations, from 2011-2013, were obtained in DATASUS - and the pollutants Particulate Matter (PM10) and Nitrogen Dioxide (NO2), wind speed and temperature were obtained by the Environmental Company of São Paulo State (Cetesb). Results: A total of 1,161 children were hospitalized in the period and the mean of pollutants was 36 and 51 µg/m3 - PM10 and NO2, respectively. The best values of the Pearson correlation (0.34) and accuracy measured by the Receiver Operating Characteristic (ROC) curve (NO2 - 96.7% and PM10 - 90.4%) were for hospitalizations on the same day of exposure. Conclusions: The model was effective in predicting the number of hospitalizations of children and could be used as a tool in the hospital management of the studied region. <![CDATA[ASSOCIAÇÃO ENTRE A FRAÇÃO EXALADA DE ÓXIDO NÍTRICO E DADOS DA ESPIROMETRIA E O CONTROLE CLÍNICO DA ASMA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Avaliar a associação entre os valores da fração exalada de óxido nítrico (FeNO) e do volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) e o grau de controle da asma, segundo proposta do Global Initiative for Asthma (GINA), em crianças e adolescentes asmáticos atendidos no Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz(IFF/FIOCRUZ). Métodos: Estudo transversal, com revisão de prontuários de 90 asmáticos entre 7 e17 anos de idade, acompanhados no Ambulatório de Asma do IFF/FIOCRUZ e encaminhados ao setor de Prova de Função Respiratória (PFR) entre março de 2013 e setembro de 2014. Após classificação segundo o GINA, os pacientes realizaram espirometria completa e medida da FeNO. Posteriormente, foram separados em dois grupos: em uso regular e não regular de corticosteroide inalatório (CI), independentemente do padrão ventilatório na espirometria. Resultados: Observou-se associação entre os valores de VEF1 e o grau de controle da asma segundo o GINA (p=0,001) em todos os pacientes analisados, independentemente do uso de CI, mas não houve associação entre os valores de VEF1 e os níveis da FeNO. Conclusões: A correlação observada entre o GINA e o VEF1 reforça a importância da espirometria no seguimento clínico desses pacientes. Embora não tenha sido detectada associação entre o valor da FeNO e o grau de controle da asma e o VEF1,a FeNO pode constituir um método precoce para detectar inflamação nas vias aéreas, antes mesmo dos sintomas e das alterações espirométricas.<hr/>ABSTRACT Objective: To evaluate the association between fraction of exhaled nitric oxide (FeNO) values and forced expiratory volume in the first second (FEV1) and the level of asthma control, as proposed by the Global Initiative for Asthma (GINA), in asthmatic children and adolescents attended at the National Institute of Women, Children and Adolescents Health Fernandes Figueira of Fundação Oswaldo Cruz (IFF/FIOCRUZ). Methods: This was a cross-sectional study, with a review of medical records of 90 asthmatics between 7 and 17 years old, who were followed up at the IFF/FIOCRUZ Asthma Outpatient Clinic and were referred to perform respiratory function tests (RFT)between March 2013 and September 2014. After classification according to GINA, patients performed complete spirometry and FeNO measurement. Subsequently, they were separated into two groups: regular and non-regular inhaled corticosteroid (ICS) use, regardless of the ventilatory pattern in spirometry. Results: The association between FEV1 values and the degree of asthma control according to GINA (p=0.001) was observed in all patients, regardless of ICS use, but there was no association between FEV1 and levels of FeNO. Conclusions: The correlation observed between GINA and FEV1 reinforces the importance of spirometry in the clinical follow-up of these patients. Although no association was found between the value of FeNO and the degree of asthma control and FEV1, FeNO may be an early method to detect airway inflammation, even before the symptoms and spirometric changes. <![CDATA[ESPIROMETRIA EM ESCOLARES DURANTE ESTUDOS DE CAMPO: REALIZAÇÃO EM DIAS DIFERENTES ALTERA O RESULTADO DO EXAME?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Analisar se há alteração no resultado do exame espirométrico executado por escolares saudáveis, quando realizado em dias diferentes. Métodos: Estudo transversal com escolares saudáveis com 7 a 12 anos, provenientes de escolas da Grande Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Foram incluídas crianças pré-púberes, não atletas, nascidas a termo, sem qualquer doença cardiorrespiratória, reumática, musculoesquelética, neurológica e déficits visuais ou auditivos. A higidez da criança foi avaliada por meio de um questionário de saúde e do questionário International Study of Asthma and Allergies in Childhood. O exame espirométrico foi realizado em 3 dias diferentes, não excedendo o intervalo de 15 dias entre o primeiro e o último exame, seguindo as diretrizes da American Thoracic Society. Foram analisados os valores absolutos e os percentuais dos valores preditos de capacidade vital forçada, volume forçado no primeiro segundo e pico de fluxo expiratório. A análise estatística foi realizada com o teste de normalidade de Shapiro-Wilk, seguida por análise de variância de uma via ou teste de Friedman e pelo teste post-hoc de Bonferroni para comparações múltiplas paramétricas. Foi aplicado o coeficiente de correlação intraclasse (ICC) para comparar os resultados dos mesmos pacientes entre os diferentes dias. Resultados: Vinte e duas crianças foram analisadas, com média de idade de 9,3±1,1 anos. Todos os parâmetros espirométricos apresentaram redução numérica no decorrer dos dias avaliados, no entanto, sem diferença significante. Na análise da reprodutibilidade da espirometria, os testes apresentaram coeficiente de correlação intraclasse &gt;0,70. Conclusões: Não houve alteração do resultado da espirometria executada por escolares saudáveis em três dias distintos.<hr/>ABSTRACT Objective: To analyze if there is variation in the results of spirometry performed by healthy schoolchildren on different days. Methods: Cross-sectional study with healthy schoolchildren aged 7 to 12 years old, in Florianópolis, Santa Catarina, Southern Brazil. Prepubescent children, non-athletes, born at full term, without cardiorespiratory, rheumatic, musculoskeletal, neurological and visual or hearing deficit were included. The child’s health was assessed by a health questionnaire and by the survey International Study of Asthma and Allergies in Childhood. The spirometric test was performed on 3 different days, not exceeding the interval of 15 days between the first and last exams, following the guidelines of the American Thoracic Society. The absolute values and percentages of predicted values of forced vital capacity, forced volume in the first second and peak expiratory flow were analyzed. Statistical analysis was performed using the Shapiro-Wilk normality test followed by one-way analysis of variance or Friedman test and by Bonferroni’s post-hoc test for multiple parametric comparisons. Also, the intraclass correlation coefficient was applied to compare results on the same patients on the different tested days. Results: Twenty-two children were analyzed, with a mean age of 9.3±1.1 years. All the spirometric parameters showed a reduction in absolute value after the first exam, but without significant difference. Regarding reproducibility of spirometry results, the tests presented intraclass correlation coefficient &gt;0.70. Conclusions: There was no change in the results of spirometry performed by healthy schoolchildren on three different days. <![CDATA[ASSOCIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL COM FUNÇÃO PULMONAR E MORBIDADE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM FIBROSE CÍSTICA: COORTE DE 36 MESES]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Avaliar a associação entre estado nutricional, função pulmonar e morbidade em coorte de 36 meses de crianças e adolescentes com fibrose cística (FC). Métodos: Coorte prospectiva de 36 meses, com crianças e adolescentes com FC e idade entre 1 e 15 anos. No tempo inicial, o estado nutricional foi determinado a partir dos indicadores: peso-para-estatura e índice de massa corporal-para-idade, para crianças &lt;2 anos e ≥2 anos, respectivamente, e classificado em: falência nutricional, risco nutricional e estado nutricional aceitável; também foi determinado por meio do percentil 50°, de acordo com a curva de crescimento da World Health Organization (WHO). A função pulmonar foi avaliada pelo volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1). A morbidade foi determinada pela presença de infecção e hospitalização por exacerbação pulmonar. Foi calculado risco relativo (RR) e intervalo de confiança (IC95%), considerando significante p&lt;0,05. Resultados: Foram avaliadas 38 crianças e adolescentes (mediana de idade 3,8 anos). Os pacientes classificados em falência nutricional no início do estudo mostraram um RR de 5,00 (IC95% 1,49; 16,76) para o comprometimento da função pulmonar após 36 meses. Aqueles classificados abaixo do percentil 50° apresentaram RR de 4,61 (IC95% 0,89; 23,81) para o desfecho. O estado nutricional não foi fator de risco para morbidade. Conclusões: O déficit nutricional esteve associado ao comprometimento da função pulmonar, mas não com a morbidade em crianças e adolescentes com FC.<hr/>ABSTRACT Objective: To evaluate the association between nutritional status, lung function and morbidity in a 36-month cohort in children and adolescents with cystic fibrosis. Methods: Prospective cohort of children and adolescents with cystic fibrosis aged 1-15 years. At the baseline, the nutritional status was determined by weight-for-height and body mass index-for-age for children &lt;2 years and ≥2 years, respectively, and classified as: nutritional failure, nutritional risk and acceptable; and by the 50th percentile, according to the World Health Organization (WHO) growth charts. Lung function was assessed by forced expiratory volume in one second (FEV1). Morbidity was determined by the presence of infection and hospitalization by pulmonary exacerbation. Risk ratio and 95% confidence interval (95%CI) were calculated, being significant when p&lt;0.05. Results: We evaluated 38 children and adolescents (median age 3.8 years). Patients that were classified as having nutritional failure at baseline had a RR of 5.00 (95%CI 1.49; 16.76) to present impaired lung function after 36 months. Those classified bellow the 50th percentile had a RR of 4.61 (95%CI 0.89; 23.81) to present the same outcome. Nutritional status was not a risk factor for morbidity in this cohort. Conclusions: Nutritional deficit was associated with impaired lung function, but not with morbidity in children and adolescents with cystic fibrosis. <![CDATA[DESEMPENHO COGNITIVO DE PRÉ-ESCOLARES COM BAIXA ESTATURA EM TRATAMENTO DE RECUPERAÇÃO NUTRICIONAL]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100039&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Determinar se o tratamento de crianças com baixa estatura, ofertado em um centro especializado, influencia seu desempenho cognitivo. Métodos: Foram analisados dois grupos de crianças advindas de famílias vulneráveis, um com crianças com baixa estatura em tratamento no Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN) e outro de crianças eutróficas de uma creche municipal localizada na mesma região do CREN. No CREN, as crianças são tratadas em semi-internato (9 horas/dia, 5 dias/semana), recebendo suporte médico, nutricional e psicopedagógico. Todas foram submetidas ao Teste de Triagem do Desenvolvimento de Denver-II e avaliadas quanto ao índice de estatura-para-idade em 3 momentos distintos: no início do acompanhamento e após 6 e 12 meses. A classificação socioeconômica das crianças, de acordo com os Critérios de Classificação Econômica Brasil, foi feita no início do acompanhamento. Calcularam-se razões de prevalência para a análise transversal da linha de base, por meio de uma regressão de Poisson, e razões de prevalência agrupadas para a análise longitudinal, por meio de um modelo de estimativas de equações generalizadas, ambas ajustadas por idade, sexo e classe socioeconômica. Resultados: Ao todo, 74 crianças foram analisadas, 37 em cada grupo. Não houve diferenças de idade, sexo e classe socioeconômica entre os grupos. Na análise longitudinal, o grupo CREN apresentou melhor desempenho no domínio pessoal-social (razão de prevalência agrupada: 0,89; intervalo de confiança de 95% - IC95%: 0,82-0,95), sem diferenças significativas para os demais domínios. Conclusão: O tratamento ofertado pelo CREN melhorou satisfatoriamente as habilidades sociais das crianças tratadas, sem alterar os demais domínios.<hr/>ABSTRACT Objective: To determine if the treatment of stunted children offered at a specialized center influences their cognitive performance. Methods: Two groups of children from vulnerable families were selected, one consisting of stunted children being treated at the Nutrition Education and Recovery Center (CREN), and the other group of eutrophic children from a local, public day care center. At CREN, children are treated in a day-hospital system (9 hours/day, 5 days/week), receiving medical, nutritional and psycho-pedagogical support. All children were submitted to the Denver-II Development Screening Test and had their development and the height-for-age index assessed at 3 moments: at the beginning of the follow-up, and after 6 and 12 months. The socioeconomic status, according to the Brazilian Economic Classification Criteria, was assessed at the beginning of the follow-up. Data were treated by prevalence ratios for cross-sectional baseline analysis, using the Poisson regression, and by pooled prevalence ratios for longitudinal analysis, using a generalized equation estimation model, both adjusted by age, sex and economic status. Results: Seventy-four children were included, 37 for each group. There were no differences in age, sex and socioeconomic status between groups. In the longitudinal analysis, the CREN group showed better performance in the personal-social domain (pooled prevalence ratio: 0.89; 95% confidence interval - 95%IC 0.82-0.95), with no differences in the other domains. Conclusions: The treatment offered at CREN satisfactorily improved the social skills of the treated children, without changing other domains. <![CDATA[DIFICULDADES ALIMENTARES EM PRÉ-ESCOLARES, PRÁTICAS ALIMENTARES PREGRESSAS E ESTADO NUTRICIONAL]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100045&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Identificar a prevalência de dificuldade alimentar (DA) em pré-escolares, sua associação com fatores epidemiológicos e práticas alimentares pregressas, bem como sua repercussão sobre o estado nutricional. Métodos: Estudo transversal com aplicação de questionário às mães de 301 crianças de dois a seis anos de creches públicas e privadas em Natal, Rio Grande do Norte, em 2014 e 2015. Identificou-se DA segundo critérios de Kerzner, incluindo os perfis de “ingestão altamente seletiva”, “criança agitada com baixo apetite”, “fobia alimentar” e “criança com distúrbio psicológico ou negligenciada”. As variáveis de associação analisadas por regressão logística foram: tempo de aleitamento materno, idade de introdução de leite de vaca e da alimentação complementar, faixa etária, renda familiar, tipo de escola, perfil das mães (responsivas ou não responsivas) e índice de massa corpórea (IMC). Resultados: DA foi encontrada em 37,2% dos casos analisados, com predomínio de “ingestão altamente seletiva” (25,4%). Não houve associação entre DA e práticas alimentares na fase de lactente, renda familiar e tipo de escola. Não houve diferença entre as médias de escore Z IMC para os grupos com e sem DA (1,0±1,5DP e 1,1±1,4DP, respectivamente). A faixa etária de cinco a seis anos apresentou maior ocorrência de DA (OR 1,8; IC95% 1,1-2,9) e filhos de mães com perfil responsivo tiveram menores chances de apresentar DAs (OR 0,4; IC95% 0,2-0,8). Conclusões: DA foi de alta prevalência. Não houve repercussão sobre o estado nutricional nem associação às práticas alimentares pregressas. O perfil responsivo das mães é fator protetor para as DAs e reforça a importância da natureza comportamental e da interação mãe-filho.<hr/>ABSTRACT Objective: To identify the prevalence of feeding difficulties in preschoolers, its association with epidemiological factors and previous eating habits, and repercussion on nutritional status. Methods: Cross-sectional study with a questionnaire given to the mothers of 301 children aged 2-6 years enrolled in public and private kindergartens in Natal, Northeast Brazil, conducted in 2014-2015. Feeding difficulty was assessed according to Kerzner’s criteria, resulting in the profiles “highly selective intake”, “active child with small appetite”, “fear of feeding”, and “child with psychological disorder or neglected”. Association with the following independent variables was analyzed by logistic regression: breastfeeding time, age of cows’ milk and complementary feeding introduction, age range, family income, type of school, mothers’ profile (responsive or nonresponsive), and body mass index (BMI). Results: Feeding difficulty was found in 37.2% of cases, with predominance of “highly selective intake” (25.4%). It was not associated with infancy feeding practices, family income or type of school. There were no differences between the BMI Z score means for the groups with and without feeding difficulty (1.0±1.5 SD and 1.1±1.4 SD, respectively). The five-to-six age range had more occurrences (OR 1.8; 95%CI 1.1-2.9). Children of responsive mothers were less likely to have feeding difficulties (OR 0.4; 95%CI 0.2-0.8). Conclusions: Feeding difficulties were very frequent. Nutritional status was not impacted by it, and infancy eating habits were not associated with it. Responsive mothers’ profile is a protective factor against eating difficulties and reinforces the importance of behavioral factors and mother-child interaction. <![CDATA[ÍNDICE RELAÇÃO CINTURA-ESTATURA PARA PREDIÇÃO DO EXCESSO DE PESO EM CRIANÇAS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100052&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Identificar um indicador de adiposidade abdominal de baixo custo e com maior acurácia para predizer o excesso de peso em crianças de quatro a sete anos idade. Métodos: Estudo transversal com amostra de 257 crianças de 4 a 7 anos. Os indicadores de adiposidade abdominal avaliados foram: perímetro da cintura (PC), relação cintura-estatura (RCE) e percentual de gordura central (avaliado pela técnica dual energy X-ray absorptiometry - DEXA). O excesso de peso foi classificado pelo índice de massa corporal por idade (IMC/I). Nas análises, estimou-se a razão de prevalência (RP) pela regressão de Poisson com variância robusta e utilizou-se a curva (receiver operating characteristics ­- ROC), considerando como significância estatística p&lt;0,05. Resultados: A prevalência de excesso de peso foi de 24,9%, e observou-se maior mediana dos indicadores de adiposidade abdominal no grupo de crianças com excesso de peso. As crianças com valores aumentados de PC (RP=4,1; IC95% 2,86-5,86), RCE (RP=5,76; IC95% 4,14-8,02) e percentual de gordura central (RP=2,48; IC95% 1,65-3,73) apresentaram maior prevalência de excesso de peso. Verificou-se, na análise de curva ROC, que o índice RCE apresentou maior área sob a curva, comparado ao PC e ao percentual de gordura central estimada pelo DEXA, na predição do excesso de peso. Conclusões: Diante dos resultados, sugere-se a utilização da RCE para triagem de crianças com excesso de peso.<hr/>ABSTRACT Objective: To identify a low-cost abdominal adiposity index that has a higher accuracy in predicting excess weight in children aged four to seven years old. Methods: A cross-sectional study with a sample of 257 children aged 4 to 7 years old. Indicators of abdominal adiposity assessed were: waist circumference (WC), waist-to-height ratio (WHR) and central fat percentage (measured by dual energy X-ray absorptiometry - DEXA). Overweight children were classified using body mass index by age (BMI/age). In the analysis, the prevalence ratio (PR) using Poisson regression with a robust variance was estimated, and a receiver operating characteristic (ROC) curve was built, with a statistical significance of p&lt;0.05. Results: The prevalence of overweight children was 24.9% and a higher median of all abdominal adiposity indicators was observed in the overweight group. Children with increased values of WC (PR=4.1; 95%CI 2.86-5.86), WHR (PR=5.76; 95%CI 4.14-8.02) and a central fat percentage (PR=2.48; 95%CI 1.65-3.73) had a higher prevalence of being overweight. Using the ROC curve analysis, the WHR index showed a higher area under the curve, when compared to the WC and to the central fat percentage estimated by DEXA for predicting the classification of being overweight. Conclusions: Given the results, WHR is suggested for the screening of overweight children. <![CDATA[ASSOCIAÇÃO ENTRE O EQUILÍBRIO POSTURAL E INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS EM ESCOLARES]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100059&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Analisar a associação entre o equilíbrio postural e indicadores antropométricos em escolares do primeiro ano do ensino fundamental. Métodos: Estudo transversal, descritivo e quantitativo que incluiu crianças regularmente matriculadas no primeiro ano do ensino fundamental, de ambos os sexos, na faixa etária de 6 a 7 anos. Foram excluídas as crianças com qualquer incapacidade física ou cognitiva, as que não participaram de todas as etapas de avaliação do estudo ou as que não conseguiram realizar a avaliação do equilíbrio postural. As crianças realizaram uma avaliação do equilíbrio por meio da posturografia dinâmica computadorizada (PDC), por meio dos testes de organização sensorial (TOSs) em seis diferentes condições sensoriais. Para verificar os indicadores antropométricos, foram avaliadas as medidas de peso corporal e estatura, para posterior cálculo do índice de massa corporal (IMC), sendo este categorizado em quatro grupos: baixo peso, normal, sobrepeso e obesidade. Resultados: Foram incluídas 80 crianças (6,2±0,8 anos), sendo 47 meninas (58,8%). A análise dos indicadores antropométricos identificou 26,3% de escolares com sobrepeso e 15% com obesidade. As crianças apresentaram médias abaixo dos valores de referência considerados para sua faixa etária nas condições III e VI. Foi verificada associação negativa entre a condição V com o IMC e uma associação positiva entre os valores abaixo da normalidade na condição VI com o sobrepeso e a obesidade. Conclusões: Foram verificadas associações entre o excesso de peso corporal e valores abaixo da normalidade em algumas condições do equilíbrio, indicando que os indicadores antropométricos interferiram no equilíbrio postural das crianças.<hr/>ABSTRACT Objective: To analyze the association between postural balance and anthropometric indicators in elementary school students. Methods: This cross-sectional, descriptive and quantitative study included children enrolled in the first year of elementary school, of both sexes, in the age group of 6 to 7 years. Children with any physical or cognitive impairment, children who did not participate in all stages of the study evaluation, or those who failed to perform postural balance assessments were excluded. The children underwent a balance evaluation through a computerized dynamic posturograph, with sensory organization tests (TOSs) in six different sensory conditions. In order to verify the anthropometric indicators, the body weight and height measurements were evaluated for later calculation of the body mass index (BMI), which was categorized into four groups: low weight, normal, overweight and obesity. Results: Eighty children with a mean age of 6.2±0.8 years were included, being 47 girls (58.8%). The analysis of the anthropometric indicators identified that 26.3% of students were overweight and 15% were obese. The children had averages below the reference values considered for their age range in conditions III and VI. There was a negative association between condition V and BMI and a positive association between values below normal in condition VI with overweight and obesity. Conclusions: There were associations between excess body weight and values below normal in some balance conditions, indicating that the anthropometric indicators interfered in the children’s postural balance. <![CDATA[PRIMEIRA VISITA DOMICILIAR PUERPERAL: UMA ESTRATÉGIA PROTETORA DO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100066&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Averiguar a influência da primeira visita puerperal, da renda familiar, do hábito de chupeta, do número de irmãos e do peso ao nascer na manutenção do aleitamento materno exclusivo (AME) em lactentes com uma semana de vida até seis meses de idade no município de Vitória de Santo Antão, Pernambuco. Métodos: Neste estudo transversal, coletaram-se dados por inquérito que abrangiam características sociais e demográficas das famílias e prática de amamentação em crianças com uma semana até seis meses de vida, que compareceram às unidades de saúde da família de Vitória de Santo Antão nos dias de puericultura, entre dezembro de 2014 e fevereiro de 2015. Para indicar quantas vezes a prevalência do desfecho foi aumentada por influência dos fatores analisados, utilizou-se a Razão de Prevalência, bem como um modelo de regressão logística binária para análise e confiabilidade dos resultados. Resultados: A prevalência de amamentação exclusiva foi de 41,7%. A renda familiar, o hábito de chupeta, o número de irmãos e o peso ao nascer não demonstraram significância estatística sobre a manutenção do AME. Em contrapartida, a ausência da visita puerperal (p=0,009) influenciou negativamente a sua permanência. As crianças que receberam visita mostraram maior possibilidade de estarem em AME (RP 2,28, IC95% 1,17-4,42). Na regressão logística apenas a visita apontou significância para estimar a probabilidade de ocorrer AME. Conclusões: A ausência da visita puerperal influenciou negativamente a manutenção do AME. Esse achado preenche a lacuna referente ao conhecimento dos fatores determinantes sobre essa prática e norteia o planejamento de ações e estratégias locais para promoção, proteção e apoio à amamentação exclusiva.<hr/>ABSTRACT Objective: To investigate the influence of the first postpartum visit, family income, pacifier habit, number of siblings and birth weight on the maintenance of exclusive breastfeeding in infants aged one week up to six months. Methods: In this cross-sectional study, data were collected through a survey, which included social and demographic characteristics of the families and the breastfeeding practice in children aged one week to six months, who received care at family health units in the municipality of Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Northeast Brazil, between December 2014 and February 2015. Prevalence ratio was used to indicate how many times the outcome prevalence was increased by the influence of the studied variables, as well as a binary logistic regression model for the analysis and reliability of the results. Results: The prevalence of exclusive breastfeeding was 41.7%. Family income, pacifier habit, number of siblings and birth weight did not show statistical association with the maintenance of exclusive breastfeeding. However, the absence of postpartum home visits adversely influenced the outcome (p=0.009). The children who received home visits had a higher chance of being exclusively breastfed for six months or more (PR 2.28, 95%CI 1.17-4.42). In the logistic regression, only the visit showed significance to estimate the probability of exclusive breastfeeding. Conclusions: The absence of postpartum home visits negatively influenced the duration of exclusive breastfeeding. This finding fills a gap in the knowledge of determinants of exclusive breastfeeding and may guide the planning of local strategies and actions to promote, protect and support exclusive breastfeeding. <![CDATA[OBSERVAÇÃO DO COMPORTAMENTO NEONATAL: ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL DO <em>NEWBORN BEHAVIORAL OBSERVATIONS</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100074&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Realizar a adaptação transcultural para a língua portuguesa brasileira dos protocolos do sistema Newborn Behavioral Observations (NBO), novo recurso para observação do comportamento do bebê e compartilhamento de informações com os pais. Métodos: Estudo metodológico de tradução e adaptação transcultural do sistema NBO, que inclui o Formulário de Registro, com 18 itens, o Guia de Registro, com instruções para pontuação de cada item, o Sumário para os Pais, para registro de sugestões e orientações decorrentes da observação, e o Questionário de Pais, para avaliação da experiência. Foram seguidas as recomendações internacionais para adaptação transcultural de protocolos da área de saúde, o que incluiu solicitação de autorização para tradução aos autores, tradução, retrotradução e pré-teste, seguido de avaliação externa por painel de especialistas, que avaliou a qualidade da adaptação de cada item, com cálculo do índice de concordância entre os avaliadores quanto à equivalência conceitual e cultural. Resultados: A avaliação do painel de especialistas evidenciou que a versão adaptada transculturalmente do sistema NBO foi bem compreendida conceitualmente e adequada culturalmente, com 140 (77,8%) itens apresentando índice de concordância maior que 90% quanto à equivalência conceitual e cultural. Itens que não obtiveram níveis adequados de concordância foram revisados conforme sugestões dos especialistas. Conclusões: A versão brasileira do sistema NBO pode ser utilizada com segurança, já que a metodologia empregada foi rigorosa, garantindo equivalência entre o original e a tradução. O sistema NBO está pronto para ser usado clinicamente, podendo contribuir para a melhora de qualidade da assistência materno-infantil.<hr/>ABSTRACT Objective: To conduct the cross-cultural adaptation for Brazilian Portuguese of the Newborn Behavioral Observations (NBO), a new resource for observing neonatal behavior and sharing information with parents. Methods: Methodological study of translation and cultural adaptation of the NBO system, which includes the Recording Form, with 18 items, the Recording Guidelines, with instructions to score each item, the Summary Form, to record suggestions based on the observation, and the Parent Questionnaire, to record the parents’ experiences. The adaptation process followed international recommendations for cross-cultural adaptation of health care protocols, which included requesting permission from the authors, translation, back translation and pre-test, followed by external evaluators who scored the quality of the adaptation, which was analyzed quantitatively. The quality of the adaptation of the instruments’ items was evaluated by the index of agreement between evaluators for conceptual and cultural equivalence. Results: Expert panel evaluation showed that the cross-cultural adaptation of the NBO protocols was both well understood conceptually and culturally appropriate, with 140 (77.8%) items presenting concordance index higher than 90% for conceptual and cultural equivalence. Items that did not reach adequate level of agreement were revised according to experts’ suggestions. Conclusions: The Brazilian version of the NBO system can be safely used, since the methodology was rigorous enough to ensure equivalence between the original and translated versions. The NBO should be tried in clinical practice, as it can contribute to improve the quality of maternal and child care. <![CDATA[RASTREAMENTO DE PROBLEMAS DE SAÚDE MENTAL EM CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES NO CONTEXTO DA ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100082&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Estudar a aplicabilidade do Questionário de Capacidades e Dificuldades - Strength and Difficulties Questionnaire (SDQ 2,4-p) - como instrumento de rastreamento, na Atenção Básica à Saúde (ABS), de problemas de saúde mental em crianças pré-escolares; caracterizar os problemas de saúde mental da amostra, comparando dados do SDQ (2,4-p) e do Inventário de Comportamentos da Criança - Child Behavior Check List (CBCL 1½-5 anos). Métodos: Estudo observacional transversal com amostra de conveniência composta por crianças de 31 a 50 meses, cujos responsáveis forneceram relato das informações. Na primeira etapa, profissionais da unidade básica de saúde (UBS) aplicaram o SDQ (2,4-p) durante consultas de rotina. Na sequência, o CBCL (1½-5) foi aplicado aos responsáveis por profissional experiente especializado em saúde mental infantil. Resultados do SDQ e do CBCL foram comparados; correlação entre as escalas foi analisada. Resultados: Dos 280 questionários disponibilizados aos profissionais da UBS, 48 foram preenchidos e houve aplicação do CBCL em 40 dos participantes. Entre os problemas rastreados com o SDQ, 18 casos (37,6% de 48) apresentam escore anormal no “Total de Dificuldades” e 38 (80,9% de 48), escore normal no “Impacto da Dificuldade”. Problemas de conduta se destacaram pela porcentagem de escores anormais (47,9%). A correlação entre SDQ e CBCL foi positiva em todas as escalas, exceto no comportamento pró-social. Conclusões: Problemas de saúde mental clinicamente importantes foram encontrados em crianças pré-escolares. Variáveis do SDQ discriminam escores normais e anormais, conforme parâmetros do CBCL, funcionando como um bom instrumento de triagem.<hr/>ABSTRACT Objective: To study the applicability of the Strength and Difficulties Questionnaire (SDQ 2,4-p) as a screening tool for mental health problems in preschoolers, in the context of Primary Health Care; to evaluate the mental health problems of the sample, comparing data from SDQ (2,4-p) and from the Child Behavior Check List (CBCL 1½-5 years). Methods: Cross-sectional observational study with a convenience sample of 31-50-month-old children, whose caretakers provided informational reports. In the first stage, professionals from the primary care health unit have applied the SDQ (2,4-p) during routine appointments. Subsequently, the CBCL (1½-5) was applied by a professional experienced in infant mental health. The SDQ and CBCL results were compared and the correlation between the scales was tested. Results: Among 280 questionnaires available to the health professionals, 48 were filled out and the CBCL was applied to 40 of the participants. Among the problems found with the SDQ, 18 cases (37.6% out of 48) have shown abnormal score in the “Total Difficulties” and 38 (80.9% out of 48) have shown normal score in the “Impact of Difficulty”. Behavioral issues were highlighted by the percentage of abnormal scores (47.9%). The correlation between SQD and CBCL was positive for all scales, except for the pro-social behavior. Conclusions: Clinically important mental health problems were found in preschool children. Variables of the SDQ discriminate normal and abnormal scores according to the CBCL parameters, thus functioning as a good screening tool. <![CDATA[CONSUMO DE BEBIDAS AÇUCARADAS, LEITE E SUA ASSOCIAÇÃO COM O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL NA ADOLESCÊNCIA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100091&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Sistematizar as referências da literatura relacionadas à associação entre consumo de bebidas açucaradas não alcoólicas, leite e índice de massa corporal (IMC) em adolescentes. Fontes de dados: Realizou-se a pesquisa dos artigos nos portais PubMed (US National Library of Medicine National Institutes of Health) e BVS (Biblioteca Virtual em Saúde). Os descritores foram: adolescente, adulto jovem, bebidas, ingestão de líquidos, obesidade, sobrepeso, IMC e estado nutricional. Utilizaram-se os filtros: idade entre 10 e 19 anos e artigos em português e inglês, publicados entre 2011 e 2015. Síntese dos dados: Trinta estudos foram selecionados (22 transversais, 4 coortes, 1 ensaio clínico aleatório, 1 caso-controle e 1 quase experimental). Dos 20 estudos que abordaram bebidas açucaradas em geral, 55% encontraram associação entre consumo e aumento do IMC. Em relação aos estudos sobre a ingestão de refrigerantes, todos apresentaram associação entre consumo e aumento do IMC. Dos estudos sobre leite, somente um demonstrou associação entre consumo e aumento do IMC. Três artigos mostraram proteção entre consumo de leite e aumento do IMC, e três trabalhos não encontraram associação de seu consumo com aumento do IMC. Dezenove estudos possuíam amostras representativas e outros 20 declararam ter amostras aleatórias. Dos artigos com questionários, 84% eram validados. Conclusões: Verifica-se que não há consenso na literatura pesquisada sobre a associação entre consumo de bebidas açucaradas não alcoólicas, leite e IMC de adolescentes.<hr/>ABSTRACT Objective: To systematize literature references addressing the association of sugar-sweetened beverage (SSB) and milk intake with body mass index (BMI) in adolescents. Data source: A search was carried out in PubMed (US National Library of Medicine National Institutes of Health) and BVS (Virtual Library in Health). The descriptors used were: adolescents, young adult, beverages, drinking, obesity, overweight, BMI, and nutritional status. The following filters were applied: age ranging from 10 to 19 years, studies published in Portuguese or English language between 2011-2015. Data synthesis: Thirty studies were selected (22 cross-sectional studies, 4 cohort studies, 1 randomized clinical trial, 1 case-control study, and 1 quasi-experimental study). There was association between the intake of these beverages and increase in BMI in 55% of all 20 studies that dealt with sugary drinks. When it came to soft drinks, 100% of studies reported association with increase in BMI. As to milk intake, only one article showed association with increased BMI. Three articles reported milk as a protection factor against increase in BMI; three studies found no association between this intake and BMI. Nineteen studies had representative samples and 20 surveys reported random samples. Among papers using questionnaires, 84% had been validated. Conclusions: There is no consensus in the literature about the association between SSB or milk intake and BMI in adolescents. <![CDATA[RIZOTOMIA DORSAL SELETIVA NA PARALISIA CEREBRAL: CRITÉRIOS DE INDICAÇÃO E PROTOCOLOS DE REABILITAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA PÓS-OPERATÓRIA]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100100&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Identificar critérios de seleção para a rizotomia dorsal seletiva (RDS) na paralisia cerebral (PC), analisar os instrumentos de avaliação e descrever as características da fisioterapia nos protocolos pós-operatórios. Fontes de dados: Revisão do tipo integrativa nas bases de dados SciELO, PEDro, Cochrane Library e PubMed. Os termos em português e inglês “paralisia cerebral”, “rizotomia dorsal seletiva” e “fisioterapia” foram utilizados na busca. Os critérios de inclusão foram: artigos que arrolaram indivíduos com PC, que realizaram fisioterapia nos protocolos de RDS e que descreviam características desses protocolos. Foram excluídos artigos de revisão da literatura e não houve restrição de período de publicação. Síntese dos dados: Incluíram-se 18 estudos, sendo a maioria coortes prospectivas, com acompanhamento dos pacientes de oito meses a dez anos. Os instrumentos das avaliações contemplam, na maior parte dos trabalhos, os domínios de funções e estruturas corporais e atividade. O percentual de secção das raízes posteriores foi próximo a 50%. A principal indicação para a RDS incluiu deambuladores com diplegia espástica, que preenchiam os seguintes critérios: espasticidade que interfere com a mobilidade, boa força muscular de membros inferiores e tronco, sem deformidades ortopédicas, distonia, ataxia ou atetose e boa função cognitiva. A fisioterapia é parte integrante dos protocolos de tratamento com RDS, devendo ser intensiva, específica e enfatizada principalmente no primeiro ano. Conclusões: Os estudos salientam a importância da seleção adequada dos pacientes para o sucesso dos resultados. A fisioterapia é intensiva e de longa duração, devendo necessariamente ter estratégias para modificar o antigo padrão motor.<hr/>ABSTRACT Objective: To identify selection criteria for selective dorsal rhizotomy (SDR) in cerebral palsy, to analyze the instruments used for evaluation, and to describe the characteristics of physical therapy in postoperative protocols. Data sources: Integrative review performed in the following databases: SciELO, PEDro, Cochrane Library, and PubMed. The terms in both Portuguese and English for “cerebral palsy”, “selective dorsal rhizotomy”, and “physical therapy” were used in the search. Studies whose samples enrolled individuals with cerebral palsy who had attended physical therapy sessions for selective dorsal rhizotomy according to protocols and describing such protocols’ characteristics were included. Literature reviews were excluded and there was no restriction as to period of publication. Data synthesis: Eighteen papers were selected, most of them being prospective cohort studies with eight-month to ten-year follow-ups. In most studies, the instruments of assessment encompassed the domains of functions, body structure, and activity. The percentage of posterior root sections was close to 50%. Primary indications for SDR included ambulatory spastic diplegia, presence of spasticity that interfered with mobility, good strength of lower limbs and trunk muscles, no musculoskeletal deformities, dystonia, ataxia or athetosis, and good cognitive function. Postoperative physical therapy is part of SDR treatment protocols and should be intensive and specific, being given special emphasis in the first year. Conclusions: The studies underline the importance of appropriate patient selection to obatin success in the SDR. Postoperative physical therapy should be intensive and long-term, and must necessarily include strategies to modify the patient’s former motor pattern. <![CDATA[SÍNDROME POSTERIOR DO TRONCO CEREBRAL E O USO DE VENTILAÇÃO ASSISTIDA AJUSTADA NEURALMENTE (NAVA) EM LACTENTE]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100109&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Relatar um caso raro de síndrome posterior do tronco cerebral em um lactente após um episódio hipóxico-isquêmico devido a sepse grave, e o uso da ventilação assistida ajustada neuralmente no auxílio diagnóstico e no desmame da ventilação mecânica. Descrição do caso: Lactente masculino de 2 meses de idade, previamente hígido, apresentou sepse grave que evoluiu para síndrome posterior do tronco encefálico, entidade que pode ocorrer após lesão hipóxico-isquêmica em neonatos e lactentes e que apresenta imagens de ressonância magnética muito particulares. Devido à lesão neurológica, permaneceu em ventilação mecânica. Optou-se por iniciar ventilação assistida ajustada neuralmente para verificar a patência da condução do nervo frênico ao diafragma e auxiliar no desmame da ventilação mecânica. Comentários: A síndrome posterior do tronco cerebral é uma entidade rara que deve ser considerada em lactentes após evento hipóxico-isquêmico.<hr/>ABSTRACT Objective: To report a rare case of dorsal brainstem syndrome in an infant after hypoxic-ischemic episode due to severe sepsis and the use of neurally adjusted ventilatory assist (NAVA) to aid in diagnosis and in the removal of mechanical ventilation. Case description: A 2-month-old male infant, previously healthy, presented with severe sepsis that evolved to dorsal brainstem syndrome, which usually occurs after hypoxic-ischemic injury in neonates and infants, and is related to very specific magnetic resonance images. Due to neurological lesions, thei nfant remained in mechanical ventilation. A NAVA module was installed to keep track of phrenic nerve conduction to the diaphragm, having successfully showed neural conduction and helped removing mechanical ventilation. Comments: Dorsal brainstem syndrome is a rare condition that should be considered after hypoxic-ischemic episode in infants. <![CDATA[IMPORTÂNCIA DA BIÓPSIA HEPÁTICA NO DIAGNÓSTICO DA DEFICIÊNCIA DE LIPASE ÁCIDA LISOSSOMAL: RELATO DE CASO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100113&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Descrever a doença de depósito de ésteres de colesterol (DDEC) e a importância da biópsia hepática na realização do diagnóstico. Descrição do caso: Paciente feminina, dois anos e dez meses de idade, com queixa de aumento do volume abdominal secundário à hepatomegalia há quatro meses. Ultrassonografia abdominal demonstrou hepatomegalia e esteatose hepática. Exames laboratoriais mostraram aumento de enzimas hepáticas e dislipidemia. A biópsia hepática foi compatível com DDEC. Comentários: Embora a medida da atividade enzimática seja o padrão-ouro para o diagnóstico de DDEC, a biópsia hepática é muito útil na investigação de casos suspeitos, particularmente quando há outros diagnósticos diferenciais a serem considerados.<hr/>ABSTRACT Objective: To describe a case of cholesteryl ester storage disease (CESD) and discuss the importance of liver biopsy for diagnosis. Case description: A female patient, aged two years and ten months, presented with an increased abdominal volume following hepatomegaly for four months. Abdominal ultrasound demonstrated hepatomegaly and hepatic steatosis. Laboratory tests showed elevated liver serum enzymes and dyslipidemia. Liver biopsy was consistent with CESD. Comments: Although measuring enzyme activity is the gold standard for CESD diagnosis, liver biopsy is very helpful when investigating suspected cases of CESD, particularly upon other differential diagnoses to be considered. <![CDATA[CALCIFICAÇÃO DISTRÓFICA EM SEIO MAXILAR DE PACIENTE PEDIÁTRICO COM TRANSPLANTE HEPÁTICO E PIGMENTAÇÃO DO ÓRGÃO DENTAL]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822018000100117&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Objetivo: Relatar um caso de calcificação distrófica intensa no interior do seio maxilar em uma criança com transplante hepático e órgãos dentais pigmentados por hiperbilirrubinemia. Descrição do caso: Paciente do sexo feminino, 12 anos de idade, com transplante hepático efetuado aos 7 anos de vida devido à atresia de vias biliares extra-hepática, uso de tacrolimus imunossupressor (2 mg diários). No exame clínico intrabucal, observou-se a presença de pigmentação esverdeada no órgão dental por bilirrubina. Efetuou-se um exame de tomografia computadorizada volumétrica de feixe cônico para análise da densidade radiográfica dos elementos dentais pigmentados. Mediante interpretação da imagem pela escala de Hounsfield, não foi constatada nenhuma alteração na densidade radiográfica das estruturas do órgão dental. No entanto, a tomografia computadorizada evidenciou a presença de calcificação distrófica intensa em região de seio maxilar. Comentários: A alteração de imagem observada no exame de tomografia computadorizada demonstrou achado radiográfico relevante, com presença de radiopacidades no interior do seio maxilar decorrentes de sinusites fúngicas ou não fúngicas. O relato desse caso é relevante por apresentar alteração de imagem radiográfica exacerbada associada a quadros infecciosos agudos que podem comprometer o estado sistêmico do paciente imunossuprimido.<hr/>ABSTRACT Objective: To report a case of severe dystrophic calcification in maxillary sinus of a child with liver transplantation and dental organs pigmented by hyperbilirubinemia. Case description: female patient, 12 years old, with liver transplantation performed at the age of 7 due to extrahepatic biliary atresia (EHBA). The patient was receiving the immunosuppressant tacrolimus (2 mg daily). Intraoral clinical exam showed tooth green pigmentation by bilirubin. Cone-beam volumetric computed tomography (CT) was performed to verify radiographic density of pigmented dental elements. Hounsfield scale measurement did not show changes in radiographic density of dental structures. However, CT scan showed intense dystrophic calcification in the maxillary sinus region. Comments: CT scan indicated relevant radiographic findings, with radiopacity of the maxillary sinus due to fungal or non-fungal sinusitis. This case report highlights the presence of radiographic image associated with acute infectious processes that could compromise the systemic state of immunosuppressed patients.