Scielo RSS <![CDATA[Tempo Social]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-207020150001&lang=pt vol. 27 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Apresentação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[O campo temático das ciências sociais em saúde no Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo apresenta o campo das ciências sociais em saúde, que integra o da saúde coletiva, no Brasil, consolidados na década de 1970. Discute alguns pressupostos sócio-históricos dessa constituição: a reestruturação do ensino médico e das pós-graduações nos anos de 1950 e 1960, que incorporaram as ciências sociais, e a inserção de cientistas sociais nos serviços de saúde no contexto de luta pela redemocratização nas décadas de 1970 e 1980. Problematiza o contato de cientistas sociais com a saúde, tomando-a como objeto, o que resulta na discussão de questões de cunho epistemológico pouco exploradas até então pelas ciências sociais no Brasil: as relações do biológico e do social e a mediação tecnológica na produção social da saúde-doença.<hr/>The article presents the field of the social sciences in health, part of the field of collective health, consolidated in Brazil during the 1970s. It discusses some of the sociohistorical factors central to their constitution: the restructuring of medical teaching and postgraduate courses in the 1950s and 60s, incorporating the social sciences, and the insertion of social sciences in health services as part of the struggle to restore democracy in the country during the 1970s and 80s. The article problematizes the contact between social sciences and health, taking the latter as an object, which leads into a discussion of epistemological questions seldom explored by the social sciences in Brazil to date: the relations between the biological and the social, and technological mediation in the social production of health-sickness. <![CDATA[Participação social e gestão pública no Sistema Único de Saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100033&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O texto aborda a questão da participação social nas políticas públicas de saúde a partir de 1988. O objetivo consiste em problematizar a relação Estado-sociedade com base na instituição dos conselhos de gestão no Sistema Único de Saúde (SUS) com poder deliberativo. Parte-se do pressuposto de que mais democracia na saúde não se resume na expansão de serviços de saúde e da cobertura de atendimento. Ela compreende a construção da atenção à saúde como um bem público, contraposta à concepção como mercadoria, ou mero bem de consumo individual. Indaga-se sobre a natureza da participação social na saúde, as esferas pública e privada da vida social envolvidas nessa dinâmica, o grau de representatividade dessas demandas sociais, dada a diversidade de atores e de identidades sociais.<hr/>The article examines the question of social participation in public health policies from 1988 onwards. It seeks to problematize the State-society relation through an examination of the creation of management councils with decision-making powers in Brazil's National Health Service (SUS). The text sets out from the premise that achieving more democratic healthcare is not limited to expanding health services and coverage: such a process also involves building awareness of health as a public asset, rather than conceiving health simply as a marketable item or an individual consumer commodity. The text explores the nature of social participation in healthcare, the public and private spheres of social life involved in this dynamic, and the extent to which these social demands are representative given the diversity of the social actors and identities involved. <![CDATA[Cientistas sociais no Sistema Único de Saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100049&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Embora exista uma tradição de cientistas sociais atuando no campo da saúde no Brasil, essa força de trabalho e suas contribuições são praticamente invisíveis. O objetivo deste artigo é discutir os resultados de duas investigações complementares, realizadas nos 645 municípios do estado de São Paulo, a fim de compreender a visão dos gestores de saúde e de cientistas sociais sobre o trabalho desses gestores no Sistema Único de Saúde (SUS). Concluiu-se que o ingresso para o trabalho no campo da saúde não é planejado e que a condição de invisibilidade, colonização e estranhamento dessa força de trabalho é promovida pelas internalidades tanto do campo da saúde como do campo das ciências sociais.<hr/>Although there is a tradition of social scientists working in the health sector in Brazil, the workforce and its contribution remains almost completely invisible. This article discusses the results of two complementary investigations, conducted in 645 municipalities in São Paulo state, into the views of healthcare managers and social scientists concerning their work in Brazil's National Health System. The study concludes that the entry to work in the health sector is unplanned and that the invisibility, colonization and alienation of this workforce are generated by internal factors within both the health sector and the social sciences themselves. <![CDATA[O trabalho como determinante do processo saúde-doença]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100073&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pretende-se analisar como, no contexto atual, as condições organizacionais e físicas do trabalho, as situações e as relações de trabalho e as formas de gestão estão determinando e contribuindo para o adoecimento dos trabalhadores. Para compreender uma relação tão complexa, discute-se a necessidade de empreender olhares diferentes e complementares. Assim, a partir do depoimento de uma trabalhadora adoecida pelo trabalho, pretende-se construir um diálogo com alguns estudos teóricos que tratam da relação entre a atividade do trabalho e a saúde do trabalhador, sendo analisadas, ainda, as informações teórico-metodológicas de pesquisas internacionais que têm como foco a saúde do trabalhador.<hr/>The article seeks to analyse how, in the current context, the organizational and fiscal conditions of work, labour situations and relations, and forms of management all determine and contribute to worker sickness. In order to comprehend this complex relationship, the text discusses the need to explore different and complementary viewpoints. Based on the testimony of a worker made sick by work, therefore, I look to construct a dialogue with a number of theoretical studies that treat the relation between the activity of work and worker health, as well as analysing the theoretical-methodological information provided by international research into workers' health. <![CDATA[A globalização da cura espírita Biomedicina, João de Deus e seus seguidores australianos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100095&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt João de Deus é um médium curador espírita que se tornou bastante conhecido fora do Brasil. A Casa de Dom Inácio, seu centro de cura em Abadiânia, perto de Brasília, recebe milhares de estrangeiros do mundo inteiro e o médium viaja constantemente à Europa e aos Estados Unidos para participar de eventos de cura organizados por seguidores estrangeiros. Este artigo baseia-se em pesquisa etnográfica realizada no Brasil, Austrália e Nova Zelândia e em entrevistas com os australianos em Sydney. Foram analisadas duas narrativas de doença de australianos e suas razões para procurarem João de Deus. Concluiu-se que o conceito de cura da medicina alternativa e da Nova Era produz uma disposição para a cura "tradicional" de terras exóticas. Em outras palavras, a atração dos estrangeiros pelo sistema de cura de João de Deus deve-se ao seu própriohabitus, influenciado por uma visão de mundo da Nova Era. Além disso, o artigo indica que o estabelecimento da conexão entre cura e religião, a construção de um contexto que dá significado à doença e o empoderamento por meio da renúncia a uma força maior são três fatores importantes, que fazem as pessoas rejeitarem a medicina ocidental em favor de terapias alternativas.<hr/>João de Deus is a spiritist curer medium who has become widely known outside of Brazil. The Casa de Dom Inácio, his curing centre in Abadiânia, close to Brasilia, receives thousands of foreign visitors from around the world, while the medium himself travels constantly to Europe and the United States to participate in curing events organized by foreign followers. This article is based on ethnographic research conducted in Brazil, Australia and New Zealand and on interviews with Australians in Sydney. Two narratives of illness among Australians are analysed, along with their reasons for seeking out João de Deus. The article concludes that the concept of the cure in alternative and New Age medicine produces a disposition for the "traditional" cure of exotic lands. In other words, the attraction of foreigners to João de Deus's curing system derives from their own habitus, influenced by a New Age worldview. Furthermore, the article indicates that the establishment of the connection between cure and religion, the construction of a context that gives meaning to illness and empowerment through renunciation to a greater force are three important factors that make people reject western medicine in favour of alternative therapies. <![CDATA[Medicalização, risco e controle social]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100117&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo examina as relações entre o funcionamento do risco como dispositivo biopolítico e os processos de medicalização de comportamentos desviantes nas sociedades contemporâneas. Analisam-se algumas estratégias e tecnologias biopolíticas de medicalização do crime e da periculosidade criminal, do ponto de vista do papel do risco como elemento articulador das dimensões microfísica e biopolítica da medicalização da vida social e das conexões entre saber médico e controle social.<hr/>The article examines the relationships between the functioning of risk as a biopolitical device and the medicalization of deviant behavior in contemporary societies. It presents an analysis of various biopolitical strategies and technologies related to the medicalization of crime and criminal behaviour from the viewpoint of the role that risk plays in interconnecting the microphysical and biopolitical dimensions of the medicalization of social life, along with the connections between medical knowledge and social control. <![CDATA[Sofrimento psíquico, individualismo e uso de psicotrópicos: Saúde mental e individualidade contemporânea]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100139&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo examina as relações entre sofrimento psíquico, individualismo e uso de psicotrópicos. A exposição da argumentação segue o seguinte caminho, por meio de algumas hipóteses: (a) o sofrimento psíquico sofreu reconfigurações e, como consequência, ocorreu mudança em seu status social; (b) tais reconfigurações são sinais de alterações nos processos de subjetivação; (c) existem afinidades eletivas entre tais mudanças e o individualismo contemporâneo; (d) o sofrimento psíquico manifesta-se preferencialmente como "dor psíquica"; e (e) a terapia do sofrimento psíquico tornou-se "analgesia" e, com isso, estimulou o uso extensivo de psicofármacos.<hr/>The article examines the relationship between psychological distress, individualism and the use of psychotropics medications. Its argument is developed through an exploration of the following hypotheses: (a) psychological distress has become reconfigured and, as a result, the social status of psychological distress has changed; (b) these reconfigurations are a sign of alterations in the process of subjectivization; (c) elective affinities exist between these changes and contemporary individualism; (d) psychological distress manifests primarily as "psychic pain"; and (e) the therapy for psychological distress has became "analgesia",' stimulating extensive use of psychotropic treatments. <![CDATA[Intervenções em saúde pública e seu impacto nas desigualdades sociais em saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100161&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo resume a avaliação de três programas de saúde pública em relação à sua eficácia e impacto sobre as desigualdades sociais na saúde. Foram examinadas a fluoração da água de abastecimento público no contexto brasileiro, a provisão de terapêutica antirretroviral para pacientes com Aids e a vacinação de idosos contra a gripe na cidade de São Paulo. As três intervenções foram consideradas efetivas, na medida em que propiciaram uma redução na carga de doença na população. No entanto, elas tiveram resultados conflitantes quanto ao impacto sobre as desigualdades em saúde. Concluiu-se, por fim, que os programas de saúde pública devem ser implementados com um alcance imediata e efetivamente universal, direcionando recursos adicionais aos grupos com mais necessidades de saúde. Essa estratégia reduziria, ao mesmo tempo, o nível geral de doença na população e as desigualdades na experiência de doenças entre os estratos sociais.<hr/>This article summarizes the evaluation of three public health programs in relation to their efficacy and impact on social inequalities in health. These programs involved the fluoridation of the public water supply in the Brazilian context, the provision of antiretroviral therapeutics to Aids patients, and the distribution of flu vaccinations to elderly people in São Paulo. These three interventions were judged to be effective insofar as they led to a reduction in disease among the population. However, they achieved conflicting results in terms of their impact on inequalities in health. The article concludes that public health programs need to be implemented with an immediately and effectively universal reach, channelling additional resources to those groups with greater health needs. This strategy would simultaneously reduce the overall level of illness in the population and of inequalities in how diseases are experienced among different social strata. <![CDATA[Desigualdades em saúde: Entrevista com Nancy Krieger]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100177&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo resume a avaliação de três programas de saúde pública em relação à sua eficácia e impacto sobre as desigualdades sociais na saúde. Foram examinadas a fluoração da água de abastecimento público no contexto brasileiro, a provisão de terapêutica antirretroviral para pacientes com Aids e a vacinação de idosos contra a gripe na cidade de São Paulo. As três intervenções foram consideradas efetivas, na medida em que propiciaram uma redução na carga de doença na população. No entanto, elas tiveram resultados conflitantes quanto ao impacto sobre as desigualdades em saúde. Concluiu-se, por fim, que os programas de saúde pública devem ser implementados com um alcance imediata e efetivamente universal, direcionando recursos adicionais aos grupos com mais necessidades de saúde. Essa estratégia reduziria, ao mesmo tempo, o nível geral de doença na população e as desigualdades na experiência de doenças entre os estratos sociais.<hr/>This article summarizes the evaluation of three public health programs in relation to their efficacy and impact on social inequalities in health. These programs involved the fluoridation of the public water supply in the Brazilian context, the provision of antiretroviral therapeutics to Aids patients, and the distribution of flu vaccinations to elderly people in São Paulo. These three interventions were judged to be effective insofar as they led to a reduction in disease among the population. However, they achieved conflicting results in terms of their impact on inequalities in health. The article concludes that public health programs need to be implemented with an immediately and effectively universal reach, channelling additional resources to those groups with greater health needs. This strategy would simultaneously reduce the overall level of illness in the population and of inequalities in how diseases are experienced among different social strata. <![CDATA[Bourdieu e o "pessimismo da razão"]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100197&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Uma das críticas recorrentes à sociologia de Pierre Bourdieu é dirigida à sua ênfase nos mecanismos de reprodução das estruturas sociais, em vez da transformação. É uma crítica que está presente, em primeiro lugar, na sociologia da educação, marcada pelo impacto de sua obra em coautoria com Jean-Claude Passeron, intitulada exatamente La reproduction. Mas ela ecoa em outras áreas a que se aplica a teoria dos campos de Bourdieu, como a política. É a partir da política que pretendo demonstrar que, nas suas principais obras, Bourdieu nos fornece uma visão de mundo que é muito realista em relação à força dos mecanismos de reprodução e que, sem ser desencantada quanto aos processos de mudança, revela que eles são mais complexos e mais tingidos de elementos de manutenção do que as utopias transformadoras gostam de crer.<hr/>One of the recurring criticisms of Pierre Bourdieu's sociology is its emphasis on the mechanisms through which social structures are reproduced, rather than their transformation. This criticism first appears in the sociology of education, marked by the impact of his book with Jean-Claude Passeron, entitled precisely La reproduction. It also echoes in other areas where Bourdieu's theory of fields is applied, though, such as politics. It is through politics that I intend to show how, in his major works, Bourdieu provides us with a worldview that is highly realistic in terms of the strength of the mechanisms of reproduction and that, without being disillusioned about processes of change, reveals that these are more complex and nuanced by elements of maintenance than transformative utopias would have us believe. <![CDATA[Desejo de cinema, desejo de modernidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100217&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Como algo que poderia ser simplesmente uma técnica torna-se um instrumento de contar histórias e fomentar o sonho? Partimos dessa questão para explorar os rumos percorridos pela projeção de imagens animadas até chegar ao que chamamos de cinema. Com base na obra de Edgar Morin, Arlindo Machado e Noël Burch, investigamos essa transição, estabelecendo sua relação intrínseca com a nascente modernidade capitalista urbana e o surgimento de novas formas de representação social que atenderam às expectativas da classe burguesa.<hr/>How can something that could simply be a technique become an instrument for telling stories and stimulating dreams? Setting out from this question, the article explores the directions taken by the projection of moving images until arriving at what we call cinema. Through authors like Edgar Morin, Arlindo Machado and Noël Burch, it investigates this transition, mapping its intrinsic relationship to the nascent urban capitalist modernity and the emergence of new forms of social representation that meet the expectations of the bourgeois class. <![CDATA[Deslocamentos transnacionais da soberania popular: Império e multidão como distinção pós-democrática?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100239&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No presente artigo, realizo uma reconstrução sociológica da semântica da soberania popular, relacionando-a, com base em uma abordagem de teoria dos sistemas, aos processos de diferenciação estrutural do sistema político moderno. Ao se apreciarem os processos de transnacionalização e a descrição proposta por Hardt e Negri, levanta-se a questão acerca de quais estruturas seriam descritas pelo par de conceitos império e multidão, e em que grau esses conceitos têm plausibilidade sociológica, seja como descrição adequada da política mundial pós-nacional, seja como suposto "manifesto democrático para o século XXI".<hr/>In this paper I attempt to reconstruct the semantics of popular sovereignty from the perspective of systems theory, exploring its relation to the differentiation process between law and politics in modern society. After delineating the changing landscape of governance in the process of the transnationalization of power and law over recent decades, I turn to the concepts of Empire and Multitude proposed by Michael Hardt and Antonio Negri, attempting to make sense of them from a sociological standpoint. Ultimately the emerging semantics of Empire would appear to be symptomatic of structural changes in the political system of modern society. <![CDATA[Propriedade, apropriação social e instituição do comum]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100261&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A propriedade privada é ao mesmo tempo um direito, um princípio de dominação e a forma subjetiva das relações do indivíduo com o mundo. A propriedade pública, no coração do direito público, desenvolveu-se ao lado da propriedade privada. É preciso escapar do dilema do "privado" e do "público" levando-se em conta a nova racionalidade do "comum", sustentada pelas lutas e experimentações sociais as mais diversas: elas fazem prevalecer o direito de uso sobre a propriedade e se inscrevem, assim, dentro de uma lógica da inapropriabilidade.<hr/>Private property is at once a right, a principle of ownership and the subjective form taken by the relations between the individual and the world. Public property, at the core of public law, developed alongside private property. This article argues for the need to escape the dilemma of the 'private' and the 'public' by taking into account the new rationality of the 'common,' advocated by diverse social movements and experiments: these insist that the right to use prevails over ownership and thus form part of a logic of inappropriability. <![CDATA[Uma alternativa ao neoliberalismo: Entrevista com Pierre Dardot e Christian Laval]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100275&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A propriedade privada é ao mesmo tempo um direito, um princípio de dominação e a forma subjetiva das relações do indivíduo com o mundo. A propriedade pública, no coração do direito público, desenvolveu-se ao lado da propriedade privada. É preciso escapar do dilema do "privado" e do "público" levando-se em conta a nova racionalidade do "comum", sustentada pelas lutas e experimentações sociais as mais diversas: elas fazem prevalecer o direito de uso sobre a propriedade e se inscrevem, assim, dentro de uma lógica da inapropriabilidade.<hr/>Private property is at once a right, a principle of ownership and the subjective form taken by the relations between the individual and the world. Public property, at the core of public law, developed alongside private property. This article argues for the need to escape the dilemma of the 'private' and the 'public' by taking into account the new rationality of the 'common,' advocated by diverse social movements and experiments: these insist that the right to use prevails over ownership and thus form part of a logic of inappropriability. <![CDATA[Walquiria Leão Rego e Alessandro Pinzani. Vozes do Bolsa Família: autonomia, dinheiro e cidadania. São Paulo, Editora da Unesp, 2013. 241 pp.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100317&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A propriedade privada é ao mesmo tempo um direito, um princípio de dominação e a forma subjetiva das relações do indivíduo com o mundo. A propriedade pública, no coração do direito público, desenvolveu-se ao lado da propriedade privada. É preciso escapar do dilema do "privado" e do "público" levando-se em conta a nova racionalidade do "comum", sustentada pelas lutas e experimentações sociais as mais diversas: elas fazem prevalecer o direito de uso sobre a propriedade e se inscrevem, assim, dentro de uma lógica da inapropriabilidade.<hr/>Private property is at once a right, a principle of ownership and the subjective form taken by the relations between the individual and the world. Public property, at the core of public law, developed alongside private property. This article argues for the need to escape the dilemma of the 'private' and the 'public' by taking into account the new rationality of the 'common,' advocated by diverse social movements and experiments: these insist that the right to use prevails over ownership and thus form part of a logic of inappropriability. <![CDATA[Franco Moretti. O burguês: entre a história e a literatura. Trad. Alexandre Morales. São Paulo, Três Estrelas, 2014. 248 pp.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100323&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A propriedade privada é ao mesmo tempo um direito, um princípio de dominação e a forma subjetiva das relações do indivíduo com o mundo. A propriedade pública, no coração do direito público, desenvolveu-se ao lado da propriedade privada. É preciso escapar do dilema do "privado" e do "público" levando-se em conta a nova racionalidade do "comum", sustentada pelas lutas e experimentações sociais as mais diversas: elas fazem prevalecer o direito de uso sobre a propriedade e se inscrevem, assim, dentro de uma lógica da inapropriabilidade.<hr/>Private property is at once a right, a principle of ownership and the subjective form taken by the relations between the individual and the world. Public property, at the core of public law, developed alongside private property. This article argues for the need to escape the dilemma of the 'private' and the 'public' by taking into account the new rationality of the 'common,' advocated by diverse social movements and experiments: these insist that the right to use prevails over ownership and thus form part of a logic of inappropriability. <![CDATA[Sergio Miceli e Heloisa Pontes (orgs.). Cultura e sociedade: Brasil e Argentina. São Paulo, Edusp, 2014. 426 pp.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702015000100328&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A propriedade privada é ao mesmo tempo um direito, um princípio de dominação e a forma subjetiva das relações do indivíduo com o mundo. A propriedade pública, no coração do direito público, desenvolveu-se ao lado da propriedade privada. É preciso escapar do dilema do "privado" e do "público" levando-se em conta a nova racionalidade do "comum", sustentada pelas lutas e experimentações sociais as mais diversas: elas fazem prevalecer o direito de uso sobre a propriedade e se inscrevem, assim, dentro de uma lógica da inapropriabilidade.<hr/>Private property is at once a right, a principle of ownership and the subjective form taken by the relations between the individual and the world. Public property, at the core of public law, developed alongside private property. This article argues for the need to escape the dilemma of the 'private' and the 'public' by taking into account the new rationality of the 'common,' advocated by diverse social movements and experiments: these insist that the right to use prevails over ownership and thus form part of a logic of inappropriability.