Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-313120000002&lang=pt vol. 12 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Carta ao editor</B>: <B>os dendrômetros seriam fitotensiômetros ou fitoturgômetros?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Transformação genética de cultivares de tomateiro industrial mediada por <I>Agrobacterium tumefaciens</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Visando adequar um sistema de transformação genética mediada por Agrobacterium tumefaciens, para as cultivares de tomateiro industrial ‘IPA-5’ e ‘IPA-6’, foram avaliados alguns fatores que afetam a eficiência de transformação, incluindo o genótipo, o vetor, a temperatura de co-cultivo e antibióticos. O genótipo foi um dos fatores mais importantes na eficiência de transformação. A tolerância natural à canamicina de explantes cotiledonares das cultivares de tomateiro ‘IPA-5’ e ‘IPA-6’ foi avaliada quanto à capacidade organogênica. Verificou-se que a concentração mínima de canamicina a ser utilizada na fase de seleção dos transformantes no meio de indução de brotos foi de 75 mgL-1 para ambas as cultivares, enquanto que no meio de enraizamento, foi de 75 mgL-1 de canamicina para ‘IPA-6’, e de 100 mgL-1 para ‘IPA-5’. O protocolo permitiu a transformação genética mediada por A. tumefaciens aplicável às cultivares nacionais de tomateiros ‘IPA-5’ e ‘IPA-6’, com uma eficiência média de transformação de 5%.<hr/>The objective of this study was to adapt an A. tumefaciens-mediated genetic transformation system to the processing of the Brazilian tomato cultivars ‘IPA-5’ and ‘IPA-6’. Factors such as antibiotics, genotype, vector and temperature of co-cultivation, which affect transformation efficiency, were examined. The Genotype was the most important factor to influence the cultivars transformation efficiencies. Based on the natural tolerance to kanamycin of both cultivars a concentration of 75mg L-1 was used during regeneration phase. Therefore, during 'IPA-6' and 'IPA-5' rooting phase was used 75 and 100mg L-1 kanamycin, respectively. Based on the results of these experiments a protocol for A. tumefaciens-mediated genetic transformation of the ‘IPA-5’ and ‘IPA-6’ Brazilian tomato processing cultivars was developed with an average of 5% transformation efficiency. <![CDATA[<B>Fluxo de seiva e condutância estomática de duas espécies lenhosas sempre-verdes no campo sujo e cerradão</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No presente estudo, comparou-se o curso diário de fluxo de seiva, condutância estomática e potencial hídrico (psi) de duas espécies sempre-verdes, Rapanea guianensis e Roupala montana. Os dados foram obtidos no final da estação seca, quando os efeitos do déficit hídrico seriam mais acentuados. As medidas foram realizadas no campo sujo, onde predomina gramíneas com sistemas radiculares superficiais, e no cerradão, em que a maior densidade de elementos lenhosos com sistemas radiculares profundos poderia levar a um esgotamento das reservas de água do subsolo na estação seca. Valores máximos de psinão diferiram para as duas espécies nas duas fisionomias estudadas. Os valores mínimos de potencial hídrico foliar de R. guianensis foram mais negativos (P<0,05) para as plantas do cerradão, enquanto os valores para R. montana não apresentaram diferenças entre as duas fisionomias. Os resultados indicaram que não existem diferenças significativas (P > 0,05) entre os valores de fluxo máximo e de fluxo total entre o campo sujo e cerradão. Os valores máximos de fluxo de seiva variaram entre 0,13 e 0,22 l. h-1 para R. guianensis e entre 0,15 e 0,54 l. h-1 para R. montana. Entretanto, as duas espécies, tanto no campo sujo quanto no cerradão, apresentaram um rígido controle estomático em relação à alta demanda evaporativa da atmosfera. O fluxo de seiva aumentou bruscamente pela manhã, alcançando rapidamente valores máximos entre 8 e 10 horas, e logo após decresceu severamente, apesar do crescente aumento da radiação solar e da demanda evaporativa da atmosfera.<hr/>The climate in the central Brazilian’s savannas ("cerrados") is characterized by well-defined dry (May to September) and wet (October to April) seasons. Like other tropical savannas, a landscape mosaic forms the Brazilian savannas where the predominance and size of woody elements varies the most. The present study compared the daily course of sap flow, stomatal conductance and leaf water potential (psi) of two evergreen species, Rapanea guianensis and Roupala montana. The measurements were taken at the end of the dry season when the effects of water deficits are more intense. These measurements were taken in an open savanna area with a predominant grass layer with superficial root system ("campo sujo") and in a woodland savanna ("cerradão"), where the increase in density of deep-rooted trees result in a larger exploitation of soil water resources in the dry season. Maximum values of psidid not differ between the two species or the two vegetation types. R. guianensis minimum values of psi were significantly lower (P<0.05) in the woodland savannas ("cerradão"). On the other hand, R. montana minimun psi did not differ between sites. Maximum values of sap flow and total daily sap flow did not differ (P > 0.05) between the "campo sujo" and the "cerradão" savannas. Maximum values of sap flow were between 0.13 and 0.22 l. h-1 for R. guianensis and 0.15 and 0.54 l. l. h-1 for R. montana. In both vegetation types the two species showed a strong stomatal control of transpiration. Sap flow typically increased sharply in the morning, briefly attained a maximum value by about 08.00-10.00h then decreased sharply despite steadily increasing solar radiation and atmospheric evaporative demand. <![CDATA[<B>Desfolhamento e baixa temperatura em plantas micropropagadas de macieira como forma de superar a parada do crescimento durante a aclimatização</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho objetivou avaliar o efeito do desfolhamento e da temperatura sobre o crescimento de plantas micropropagadas de macieira, cv. Marubakaido, durante o processo de aclimatização. Brotações desse porta-enxerto foram enraizadas in vitro e transplantadas para casa-de-vegetação, onde permaneceram por quinze dias. Em seguida, dois lotes de plantas, desfolhadas e não desfolhadas, foram transferidas para câmaras de crescimento e submetidas à temperatura de 4±1ºC e 10±1ºC por 0, 360, 720, 1080 e 1440 horas, sob fotoperíodo de 16 horas e radiação de 5µE.m-2.s-1. Após os tratamentos, as plantas foram conduzidas para casa-de-vegetação, onde avaliou-se, a cada duas semanas, o crescimento por um período de dez semanas. Avaliaram-se ainda o comprimento dos entrenós e o peso da matéria seca das raízes e da parte aérea das plantas ao final do período estudado. O efeito dos tratamentos sobre a sobrevivência das plantas também foi avaliado após um mês de permanência das plantas em casa-de-vegetação. Verificou-se um decréscimo acentuado na sobrevivência das plantas quando essas foram desfolhadas e tratadas a 4±1ºC. Plantas inicialmente com folhas e mantidas à temperatura de 4±1ºC apresentaram aumento na altura, no comprimento dos entrenós e na matéria seca das raízes, e parte aérea proporcional ao tempo de permanência nesta temperatura. Nas plantas tratadas com 10±1ºC, também verificou-se um efeito benéfico dos tratamentos sobre o crescimento e alongamento dos entrenós. Somente as plantas mantidas inicialmente com folhas apresentaram aumento de matéria seca na parte aérea neste tratamento. A temperatura de 10±1ºC não afetou a matéria seca das raízes das plantas, desfolhadas e não desfolhadas.<hr/>The present work aimed to evaluate the effect of the temperature and defoliation on the growth of micropropagated apple plants, cv. 'Marubakaido', during the acclimatization process. Apple shoots were rooted in vitro and transplanted to greenhouse where they remained for fifteen days. After this period, two lots of plants, defoliated and not defoliated, were transferred to growth room and kept under temperature of 4±1ºC and 10±1ºC by 0, 360, 720, 1.080 and 1.440 hours, under 16 hours photoperiod and radiation of 5µE.m-2.s-1. Then, the plants were transferred to greenhouse where their growth was evaluated every two weeks during ten weeks. The internode length and dry matter weight of the aerial part and roots as well were also evaluated at the end of the experiment. The percentage of plant survival was evaluated after a month in a greenhouse. A sharp decrease in the plants survival was verified when they were defoliated and treated at 4±1ºC. Plants with leaves maintained at 4±1ºC presented an increase in the height, internode length and in the weight of the dry matter of the roots and aerial parts proportional to the time remained in this temperature. Plants treated with 10±1ºC had a beneficial effect of the treatments which was also verified for the growth and internode lengthening. Only the plants maintained initially with leaves presented an increase in the dry matter of aerial part in this treatment. 10±1ºC did not affect the weight of roots dry matter of the plants, defoliated and not defoliated. <![CDATA[<B>Efeito do estresse salino e da prolina exógena em calos de milho</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de diferentes concentrações de NaCl (0, 68, 137 e 205 mM) sobre o cultivo in vitro de calos de dois genótipos (W64Ao2 e Arizona 8601) de milho (Zea mays L.), em meio de cultura N6, suplementado ou não com a adição de 6,0 mM de prolina. Os tratamentos consistiram da combinação dos quatro níveis de NaCl com os dois níveis de prolina, num fatorial 4x2. Os tratamentos foram mantidos durante 60 dias, com subcultivos a cada 20 dias. A taxa de crescimento dos calos e o conteúdo endógeno de putrescina, espermina, espermidina, prolina e outros aminoácidos livres foram avaliados no final do período experimental. A adição de prolina exógena favoreceu o crescimento dos calos no tratamento-controle e minorou os efeitos deletérios do estresse salino em ambos os genótipos, no nível de sal mais elevado (250mM de NaCl). A taxa de crescimento dos calos de W64Ao2 foi superior àquela dos calos de Arizona 8601, possivelmente por causa, em parte, do maior acúmulo de prolina endógena e da manutenção ativa do metabolismo das poliaminas naqueles calos.<hr/>This work aimed at evaluating the effect of different NaCl concentrations (0, 68, 137 and 205 mM) in two maize (Zea mays L.) genotypes (W64Ao2 and Arizona 8601) callus cultures in N6 medium, supplemented or not with 6.0 mM proline. Treatments consisted of the combinations of the four NaCl levels with the two-proline levels under 4x2 factorial. Treatments were maintained for 60 days with subcultures at 20 days each. Relative growth rate, endogenous free putrescine, spermine, spermidine, proline and others amino acids were evaluated at the end of the experimental period. Proline addition improved callus growth in both genotypes in the control treatment and reduced deleterious effects in the highest salt level (250mM NaCl). W64Ao2 callus growth rate was higher than in the Arizona 8601 probably due, in part, to the higher proline accumulation and the maintenance of polyamine metabolism in those calluses. <![CDATA[<B>Avaliação da viabilidade do pólen como possível indicativo de tolerância a altas temperaturas em genótipos de tomateiro</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo foi avaliar o comportamento de cinco cultivares (Carmen, IPA-5, Príncipe gigante, Santa Clara e TSW-10) e uma linhagem de tomateiro (CL5915), quanto à tolerância a altas temperaturas, por meio da viabilidade do pólen. O Experimento I constou na coleta do pólen dos diferentes genótipos e germinação em lâminas contendo um meio com 10% de sacarose e 100 mg.L-1 de ácido bórico. As flores foram levadas à câmara de germinação regulada nas temperaturas 30ºC, 35ºC, 40ºC e 45°C por 1, 2, 3 e 4 horas. Foram avaliados a porcentagem de germinação do pólen e o comprimento do tubo polínico. O Experimento II constou no plantio dos genótipos em casa-de-vegetação e avaliação de caracteres agronômicos. Pela observação dos resultados obtidos por meio da técnica de germinação de pólen in vitro e para a porcentagem de fixação de frutos no cultivo in vivo em casa-de-vegetação, constata-se que, ao considerar as maiores temperaturas de exposição, a linhagem CL5915 foi a que apresentou a maior porcentagem de germinação de pólen e comprimento do tubo polínico, assim como a cultivar Santa Clara, inicialmente considerada como padrão de sensibilidade a alta temperatura, foi uma das que apresentaram menor porcentagem de germinação do pólen, como também menor fixação de frutos. Por outro lado, diferenças quanto aos resultados entre as técnicas in vitro e in vivo foram verificadas. Esse fato pode ser em virtude de as condições de temperatura na casa-de-vegetação não serem exatamente as mesmas em que os genótipos foram submetidos no laboratório, como por exemplo, permanecer um longo período na mesma temperatura, sem oscilações.<hr/>The objective of this research was to evaluate the behavior of five cultivars ( Carmem, IPA- 5, Principe gigante, Santa Clara TSW - 10 ) and tomato line ( CL5915), in relation to high temperature tolerance, using pollen viability. In the Experiment I the pollen was picked from different genotypes and germinated in glass slide containing Sacarose 10% and boric acid 100 mgL-1. The flowers were transferred to germination chamber with temperature regulated to 30ºC, 35º C, 40ºC and 45ºC during 1, 2, 3 and 4 hours. The parameters evaluated were pollen germination and polinic tube length. In the Experiment II the genotypes were grown in greenhouse and some agronomic trairs were analyzed. Based in pollen germination in vitro technique and the percentage of fruit set during growth in greenhouse, it was verified that exposition to higher temperatures, the line CL 5915 showed the highest pollen germination percentage and polinic tube length, like Santa Clara, that was initially considered as sensitivity standard to high temperature, it was one that showed low pollen germination percentage, as well low fruit set. In another way, difference in results were observed between techniques in vivo and in vitro were not verified. <![CDATA[<B>Efeitos da precultura com sacarose e aba no estado hídrico de suspensões celulares e suas relações com a resistência a vitrificação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-31312000000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Changes in cell water relations during precultures were followed in an attempt to understand the mechanism of cell hardening for cryopreservation by vitrification. Medium containing 0.4 M sucrose (psiw=-1.45 MPa) and containing 5 mg L-1 of ABA (MT psiw=-0.73 MPa and MS psiw=-0.48 MPa) were used to harden cell suspensions of orange and carrot. Preculture in these medium did not cause a significant decrease of cell viability, however, it improved the cell survival to PVS2 and liquid nitrogen expositions. When cells were inoculated into medium containing 0.4 M sucrose, the cell psiw decreased rapidly until reach the medium psiw , and turgor was also severely reduced or disappeared. Subsequently, cell psis began to decrease and after 48 h of treatment in low water potential medium, turgor was recovered by osmoregulation to almost the same values that cells had at the beginning of the experiment. Preculture in medium containing ABA also caused a decrease of cell psis but in much less extent than the preculture in low water potential medium. Since both precultures improved significantly the survival to PVS2 pretreatment and to LN exposure, this increment of survival to osmotic shock and vitrification can not be attribute solely to quantitative solute accumulation. The results suggest that qualitative accumulation of determined solutes would be the events which contributed for the improvement of tolerance to PVS2 exposure and thence tolerance to liquid nitrogen.<hr/>Foram realizadas mudanças nas relações hídricas celulares durante a fase de precultura afim de se entender os mecanismos de endurecimento celular pela vitrificação durante a criopreservação. Suspensões celulares de laranja e cenoura foram cultivadas em meio contendo 0,4 M sacarose (psiw = -1,45 MPa) e 5 mgL-1 de ABA (MT psiw = -0,73 MPa e MS psiw = -0,48 MPa). A precultura nesse meio não promoveu um significante decréscimo na viabilidade celular, entretanto, aumentou a sobrevivência das células a exposição a PVS2 e a nitrogênio líquido. Quando as células foram incubadas em meio contendo 0,4 M de sacarose, o psiw celular decresceu rapidamente igualando-se ao psiw do meio, enquanto o turgor foi também severamente reduzido ou desapareceu. Ao mesmo tempo o psis começou a decrescer e após 48h de tratamento em meio com baixo psiw , o turgor foi recuperado pela osmoregulação até atingir o mesmo valor que as células tinham no início do experimento. A precultura em meio contendo ABA também causou um decréscimo no psiw celular em menor intensidade que aquela verificada quando a precultura foi realizada em meio com baixo psiw. O aumento na sobrevivência celular ao choque osmótico e vitrificação não pode ser atribuído unicamente ao acúmulo quantitativo de solutos uma vez que a precultura aumentou significativamente a sobrevivência com o pré-tramento com PVS2 e exposição a nitrogênio líquido. Estes resultados sugerem que o acúmulo qualitativo de determinados solutos poderia ser o evento responsável pela aumento a tolerância a exposição ao PVS2 e ao nitrogênio líquido.