Scielo RSS <![CDATA[Estudos Avançados]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-401420130003&lang=pt vol. 27 num. 79 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Editorial</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Mobilidade urbana</b>: <b>um desafio paulistano</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Na "leitura" de uma cidade distingo infraestruturas físicas e sistemas de vida, a fim de avaliar se as primeiras dão suporte adequado às segundas. Para a abordagem e compreensão da cidade dou mais importância a aspectos antropológicos do que aos estatísticos. Para avaliar mobilidade urbana há que considerar três fluxos: os imateriais (informações), cargas (bens) e pessoas. Na de pessoas há expectativa de proximidade de embarque, pontualidade e conforto. Transporte público é sistema, do qual participam os diversos modais, inclusive o do pedestre. No futuro haverá mais locação do que propriedade privada do automóvel; e indústria de reciclagem dos elementos de carros usados. Deve o direito à mobilidade ser gratuito para o usuário ou ser por ele pago com subsídio? Políticas públicas deverão ter no urbanismo um processo de melhor gestão urbana, diminuir necessidade de deslocamentos, alterar o uso do carro, monitorar serviços com participação pública, sistematizar modais, garantir pontualidade e conforto do transporte.<hr/>When "reading" a city, I distinguish physical infrastructures from life systems in order to assess whether the former provide adequate support for the latter. To approach and understand a city, I attribute greater importance to anthropological than to statistical aspects. In evaluating urban mobility, we must consider three different flows: of intangibles (information), freight (goods) and people. Regarding the flow of people, the expectations are proximity to boarding points, punctuality and comfort. Public transportation is a system comprising various modes, including pedestrians. In the future, there will be more leasing than ownership of automobiles, as well as an industry devoted to recycling used cars parts. Should the right to mobility be free of charge to users or should they be made to pay, albeit with subsidies? Public policies must apply urban planning to improve urban management, reduce the need to commute, change car usage patterns, monitor services with governmental participation, systematize transportation modes, and ensure punctuality and comfort in transportation. <![CDATA[<b>A mobilidade urbana</b>: <b>uma agenda inconclusa ou o retorno daquilo que não foi</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O texto apresenta um resgate histórico das políticas de mobilidade urbana no Brasil, demonstrando como o tema foi tratado conforme o contexto político nas últimas décadas. O foco recai no período de redemocratização até os dias atuais, apresentando os avanços e desafios do setor, ilustrados nas demandas da sociedade e nas respostas governamentais. São estabelecidos os vínculos das pressões populares com a criação de marcos institucionais, estruturas administrativas e instrumentos financeiros em prol da melhoria da oferta dos serviços de transporte público coletivo, bem como os sucessos, fracassos e incompletudes das soluções criadas para suprir os anseios sociais. Com base nessa análise são sugeridas algumas direções, entendidas como contribuições ao recente retorno do tema à agenda decisória dos governos.<hr/>This text presents a historical review of recent urban mobility policies in Brazil. The focus is on the democratization period to the present day, showing the progress and challenges of the sector. An effort is made to establish a link between popular pressures and new regulatory, administrative and financial structures in order to improve the provision of public transportation services. The text also analyses the successes, failures and incompleteness of solutions designed to meet social expectations. Based on this analysis some contributions to better approach to the subject are suggested. <![CDATA[<b>Transporte público, mobilidade e planejamento urbano</b>: <b>contradições essenciais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A essência dos problemas que acometem a mobilidade cotidiana nas cidades brasileiras remete à combinação de condicionantes históricas, como a manutenção de pactos de poder que aglutinam setores conservadores da sociedade. Nesses pactos convergem proprietários fundiários urbanos, promotores imobiliários que a eles se coligam e o próprio empresariado de transporte público. Esses, como lhes convêm, mantêm dissociados a eficiência econômica da eficácia dos serviços de transportes, mantendo seu equilíbrio contábil a despeito da qualidade do serviço. Nesse contexto, urgem novas infraestruturas, intermodalidades com novos modais de transporte urbano, políticas mais expressivas de subsídios, rigoroso planejamento do uso do solo, bem como uma atuação mais incisiva do Estado enquanto regulador, planejador e fiscalizador.<hr/>The essence of the problems that affect the urban mobility in brazilian cities refers to the combination of historical conditions, such as maintaining pacts of power that coalesce reactionary sectors of society. These pacts converge urban land owners, developers that they met together and even entrepreneurs of public transport. These, as suit them, keep dissociated efficiency and effectiveness of transportation services, keeping your balance accounting despite the quality of service. In this context, it's essencial new infrastructures, intermodality with new modes of urban transport, subsidy policies more expressive, rigorous planning of land use, as well as a more incisive role of the State as regulator, planner and controller. <![CDATA[<b>O plano de mobilidade urbana e o futuro das cidades</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>O espaço na vida social</b>: <b>uma introdução</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>Sociologia do espaço</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>De espaços outros</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>Prefácio</b>: <b>a produção do espaço</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>Espaço físico, espaço social e espaço físico apropriado</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>Adorno e Kierkegaard</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo traça um breve histórico sobre a evolução dos problemas da mobilidade, dos cavalos aos carros, e mostra que hoje, tal como há cem anos, a priorização do transporte individual levou a problemas sociais, ambientais e de saúde pública. Em seguida, analisa a Política Nacional de Mobilidade Urbana, ressaltando suas inovações e os pontos de atenção que podem prejudicar sua efetividade. Por fim, destaca a necessidade de se melhorar o transporte coletivo e não motorizado e, concomitantemente, desestimular o uso do automóvel, como formas de se devolver aos cidadãos o direito à cidade e aos serviços essenciais que ela guarda.<hr/>The article starts by providing a brief history of the evolution of mobility problems, from horses to cars, and shows that nowadays, as it was 100 years ago, the prioritization of individual transportation facilities leads to social, environmental and health problems. Secondly, the National Urban Mobility Policy analysis highlights some innovations as well as points of attention that may impair its effectiveness. Lastly, the article advocates the necessity of collective and non-motorized transport and, simultaneously, discourages car use as a way of returning to the citizens the right of the city's space and its services. <![CDATA[<b>O dualismo de Descartes como princípio de sua <i>Filosofia Natural</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Procuraremos mostrar que o imaginário ocidental a respeito da filosofia cartesiana como um "dualismo" não superado e responsável pela ruptura do homem com cultura e natureza colide com as reais posições do filósofo. Na aurora da filosofia moderna, com Descartes, um dualismo ainda metafísico entre "dois modos da mesma substância" transforma-se num dualismo gnoseológico entre, de um lado, um sujeito do conhecimento científico (sujeito epistêmico), e, de outro, sistemas a serem explicados: corpo humano e natureza, ou seja, sistemas de conceitos bioquímicos e físicos. Assim, a filosofia de Descartes reúne em si o conteúdo filosófico de toda investigação anterior a ela, convertendo-se no centro do qual se irradiam os múltiplos caminhos e tendências da crítica do conhecimento e da filosofia das ciências.<hr/>The authors will seek to show that the Western imaginary on the Cartesian philosophy as a "dualism" that has not been overcome and that is responsible for the rupture, between cultured mankind and nature is at odds with Descartes's true concerns. At the dawn of modern Philosophy, with Descartes, a still metaphysical dualism between "two modes of the same substance" is transformed into a gnoseological dua-lism between, on the one hand, a subject of the scientific knowledge (the epistemic subject), and, on the other hand, systems to be explained: The human body and the nature, i.e., systems of biochemical and physical concepts. Therefore, Descartes's philosophy carries within itself the philosophical content of all inquiries that preceeded it, and it becomes the core from which the several paths and tendencies of the criticism of knowledge and of the Philosophy of Science spring. <![CDATA[<b>Culturas populares no presente</b>: <b>fomento, salvaguarda e devoração</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O ensaio propõe reflexões em torno da presença das culturas populares de tradição oral no cenário da cultura contemporânea do Brasil, a partir do ressurgimento de um intenso movimento de interesse por expressões de músicas, danças e festas tradicionais, sobretudo, no entremeio dos séculos XX e XXI.<hr/>The paper proposes reflections about the presence of popular and traditional cultures in the scene of contemporary Brazil's culture, from the resurgence of a movement interested in expressions of music, dances and parties especially between the 20th and 21st centuries. <![CDATA[<b>Personagens caipiras da cultura popular</b>: <b>entrevista com Oswaldo Elias Xidieh</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O ensaio propõe reflexões em torno da presença das culturas populares de tradição oral no cenário da cultura contemporânea do Brasil, a partir do ressurgimento de um intenso movimento de interesse por expressões de músicas, danças e festas tradicionais, sobretudo, no entremeio dos séculos XX e XXI.<hr/>The paper proposes reflections about the presence of popular and traditional cultures in the scene of contemporary Brazil's culture, from the resurgence of a movement interested in expressions of music, dances and parties especially between the 20th and 21st centuries. <![CDATA[<b>Uma proposta para o uso da música no segmento do turismo rural</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente ensaio sugere propostas de uso da música no segmento do Turismo Rural, além de questionar as práticas atuais de imposição cultural efetivadas pelos mass media. Através de um breve levantamento histórico-cultural do povo brasileiro, questionamos o porquê de não utilizarmos elementos das culturas locais do Brasil no referido segmento. Sugerimos também alternativas de inclusão das potencialidades musicais locais brasileiras como forma de diferenciação dessas instituições voltadas ao turismo rural dentro do mercado.<hr/>This essay suggests proposals for use of music in the segment of Rural Tourism in addition to questioning current practices of cultural imposition by massmedia effect. Through a brief historical and cultural survey of the Brazilian people, we question why we do not use elements of local cultures of Brazil in that segment. We also suggest alternative inclusion of local Brazilian musical potential as a means of differentiation of institutions dedicated to rural tourism within the market. <![CDATA[<b>Música da Borda d'Água</b>: <b>nos textos e imagens de Alves Redol</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt António Alves Redol, escritor português natural de Vila Franca de Xira, nasceu a 29 de dezembro de 1911 e faleceu a 29 de novembro de 1969. Figura central do Neorrealismo português, foi autor de uma vasta obra ficcional, que inclui o teatro e o conto. Na noite de 25 de outubro de 1940, no Sport Lisboa e Vila Franca, realizou uma palestra sobre a "Música da Borda d'Água" de que não há registo conhecido. Tentamos refazer essa palestra, ou pelo menos as linhas orientadoras do seu discurso, recorrendo a textos de Redol, alguns inéditos, dos anos de 1938 e 1939, que nos foi possível consultar e digitalizar nos acervos do seu filho, António Mota Redol, em outubro de 2012. Na obra de Redol, as referências à música e dança são estruturantes das situações que descreve. Sem entrar em detalhes técnicos que talvez ignorasse, o que nos diz é revelador de como o movimento neorrealista, que tem em Fernando Lopes-Graça um solitário mentor, não descurou os repertórios e cancioneiros populares, contrapondo-os às práticas e gostos musicais das classes dominantes.<hr/>António Alves Redol, Portuguese writer from the town of Vila Franca de Xira, was born on 29th December 1911 and died on 29th November 1969. A central figure in the Portuguese Neorealist movement (Neorealism) he was the author of a vast fictional body of work which includes theatre and short stories. On the evening of 25th October 1940, at the headquarters of the Sport Lisboa e Vila Franca football club, he delivered a lecture on "Borda d'Água Música" of which there is no known record. We have tried to reconstruct this lecture or at least its speech guidelines resorting to Redol's texts, some unpublished, from 1938 and 1939, which we were able to see and scan in his son's collection, António Mota Redol, in October 2012. In Redol's work, the references to music and dance are structural to the situations he describes. Without going into technical details, something which he might have been ignorant of, what he conveys reveals how the Neorealist movement, that has a lonely mentor in Fernando Lopes-Graça, did not neglect the repertoires and popular cancioneiros (songbooks), setting them against the practices and musical taste of the dominant classes. <![CDATA[<b>Da periferia ao centro</b>: <b>cultura e política em tempos pós-modernos</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>Um capítulo inédito de Graciliano Ramos</b>: <b>a liberdade incompleta de J. Carmo Gomes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>A monarquia e o mundo dos negócios</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>Presença francesa no Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>Trajetória e obra de Norberto Bobbio</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>Religiosidade no Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>O lado de lá das artes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present. <![CDATA[<b>Uma lição de música e de vida</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As relações entre cultura e política ganharam novos contornos no Brasil a partir da década de 1990. A explosão cultural da periferia - tendo à frente o rap - expressou-se numa lógica dualista que dividia a sociedade em brancos e negros, centro e periferia, "manos" e "playboys". Essa visão dualista, por sua vez, reflete uma forma de pensar prisioneira do imediato - no caso, a recusa abstrata do "sistema". O mesmo procedimento pode ser visto na classe média que foi às ruas nas jornadas de junho, em 2013. Conduzida pela lógica do espetáculo e manipulada pela mídia, as jornadas também expressaram, na outra ponta da sociedade, uma estetização da política que reproduzia, a seu modo, a permanência no visível, no imediato.<hr/>The relationships between culture and politics have gained new contours in Brazil since the 1990s. The cultural explosion of the urban periphery - with rap in the forefront - expressed itself in a dualistic logic that split society into blacks and whites, wealthier city centers and the poorer periphery, the "bros" and the "playboys." This dualistic view, in turn, reflects a manner of thinking shackled to the immediate present - in this case, the abstract refusal of the "establishment". The same modus operandi could be seen in the middle class that took to the streets in the so-called June Days of 2013. Driven by the logic of the spectacle and manipulated by the media, the June Days also expressed, in the other edge of society, an aestheticization of politics that reenacted, in its own way, its persistence in the visible, immediate present.